sexta-feira, 29 de abril de 2022

Levante-se

Se você quer alguma coisa, corra atrás. O tempo não vai esperar você se decidir, ele não perdoa ninguém. Aproveite enquanto pode para alcançar seus objetivos. Nunca pense que um sonho é alto demais, você é capaz de tudo! Não acumule arrependimentos, não se deixe encher de dúvidas e receios.

O medo não leva a lugar nenhum, só nos atrasa e nos impede de chegar onde tanto desejamos. Você pode ser muito feliz então deixe suas indecisões de lado. Não viva a vida com o intuito de chegar ao fim e pensar que poderia ter sido melhor. Faça ser melhor antes disso acontecer.

Levante-se! O mundo precisa de você para ser feliz. Se você não sorrir, ninguém vai sorrir por você. Jogue tudo para o alto, o que voltar é seu. Não se prenda a sentimentos que não te fazem bem e jamais desista dos seus sonhos. Às vezes as coisas dão errado, mas então nos levantamos e tentamos de novo. Hoje você chora por erros cometidos, amanhã você sorrirá mostrando ao mundo que você aprendeu com eles.

E se você sentir medo, medo de você, medo das pessoas, medo da vida, distancie-se um pouco de tudo, na maioria das vezes tudo o que você precisa é de um tempo pra pensar. Porque você não está perdido, está apenas desencontrado e tentando se encontrar da forma errada. Mas por pouco tempo. Os caminhos estão todos bem na sua frente, basta você escolher qual irá seguir.

Mas lembre-se: Os caminhos mais difíceis são os que levam aos melhores lugares. Para isso existe o amanhã, para nos dar a chance de continuar tentando alcançar nossos sonhos. Então não desista! Não tem problema em ficar triste, quem disse que a dor não nos faz crescer?


*Najara Gomes 

quinta-feira, 28 de abril de 2022

Se for pra tentar de novo, tô indo!


Muita gente (inclusive eu por diversas vezes) tem medo de tentar de novo quando algo não dá certo. Aquela coisa meio assim… “pra quê farei de novo se não deu certo na primeira?” Taí que vem aquela pergunta não menos estranha mas que já me peguei pensando nela N vezes:

 

“Se você se senta em um banco de praça com tinta fresca, se suja, quer dizer que nunca mais se sentará na vida?”


Pode parecer meio extremista, eu sei, mas a lógica é a mesma. Você se suja, se marca do mesmo jeito.


Só que quando o assunto são emoções a gente fica meio frouxo porque, mesmo se passando por fortes, somos frágeis e morremos de medo de cair de novo, sofrer de novo, nos machucar de novo.


Devido a isso, depois de relacionamentos que deram errado e te fizeram sofrer você decidiu não amar novamente, não foi?


Ah como se pudéssemos controlar o nosso coração! Podemos não, meus queridos! Coração é um ser que vive por ele mesmo, vibra por ele mesmo sem que estejamos no comando. Queira você ou não, ele vai amar de novo. Podemos até sufoca-lo, disfarçar a avalanche de sentimentos dentro da gente mas, infelizmente, isso não vai durar muito tempo e sofreremos. Sofreremos mais por nos impedir de amar do que sofreríamos se estivéssemos amando!

 

É nessa hora que eu invejo as pessoas leves, sem medos, sem pesos na alma, no coração, que não se importam em amar de novo ou quantas vezes puder e aguentar! Depois de uma queda, uma perda ou quando algo não deu certo, você as observa e ainda as vê sorrir. Porque sorriem? Sorriem porque sabem, bem lá no fundo, que viveram mais do que puderam ou quanto lhes foi possível viver. E se você ainda lhes perguntar se fariam de novo, te responderiam com aquele brilho enigmático no olhar:


Mas como assim? Não se importam em sofrer de novo? Não desistem das coisas e do amor?


Não. Porque elas sabem que quanto mais arriscarem mais perto estarão de seus sonhos e desejos. Porque elas sabem que os guerreiros de verdade não temem uma batalha, a enfrenta quantas vezes for mas não se rendem. Porque eles sabem que sentimentos são viajantes, não pertencem a uma única pessoa, eles partem toda vez que você os encontra e nessa viagem outros são encontrados toda hora.

 

Então, que a dica de hoje seja simplesmente “ir”. Que seja de novo, depois de novo e outra vez e mais outra. Sem frescura, sem cara amarrada e só com a certeza de estar em qualquer lugar até que um dia finalmente chegará até onde anseia chegar.


*Cris Souza Fontês

quarta-feira, 27 de abril de 2022

“Uma planta morreu porque dei a ela muita água. Então eu entendi que oferecer demais, mesmo que seja para fazer o bem, nem sempre é bom”


Flores e pessoas. Universo de fora e universo de dentro. Natureza das coisas e natureza das emoções. Conexões entre estrelas e conexões entre axônios… tudo está conectado, e por mais que a gente não domine botânica, astronomia ou biologia, não dá para negar que a explosão do universo se assemelha ao nosso mundo interno, e vice versa.


Nenhuma planta sobreviverá ao excesso de água. Dar demais, ainda que seja para o bem, pode ser prejudicial. Isso serve para plantas, pessoas e relacionamentos. Ao contrário, porém, uma flor pode resistir à escassez de água, e tornar-se ainda mais forte ao suportar as adversidades, encontrando recursos que nem sabia que existiam ao brotar entre rachaduras na calçada ou entre trincas no cimento.


Talvez seja por isso que aquela moça nunca namore. A ansiedade faz com que ela atropele tudo, e saia regando demais plantas que não carecem de água. Ela tem pressa de demonstrar afeto, e por isso não espera que sintam sua falta. Ao contrário, faz do excesso sua linguagem; e da escassez, sua incapacidade. Ela precisa aprender a suportar o tempo das coisas, e a não matar o amor por overdose de atenção.


Muitos relacionamentos morrem de overdose. Exagero de atenção, abundância de presença, excesso de mimos. Não estou defendendo a falta, mas aposto no equilíbrio. Assim como a escassez, o excesso pode ser prejudicial. Na dúvida, aposte na reciprocidade. Em dar na mesma medida que recebe, ou em parar de regar para assim descobrir à quantas plantas mortas você anda oferecendo amor.


Salgue demais uma comida, ela ficará intragável. Ofereça água em excesso a uma flor, ela morrerá. Compre todos os brinquedos da loja para uma criança, ela não dará valor a nenhum. Sufoque alguém com excesso de presença, atenção, carinho e mensagens… e você a perderá para sempre.


É preciso aprender a suportar o tempo das coisas, e a respeitar o espaço de cada um. Dome sua ansiedade, se volte para outros interesses, descubra novos hobbies. Sua ausência, ao contrário do que imagina, atrai atenção. Você reverte a situação, o jogo vira, e você descobre que antes de brilhar no céu de alguém, precisa primeiro encontrar seu próprio brilho, o que te faz bem.


“Girassol, quando abre flor, geralmente despenca”. De que adianta um girassol com a flor mais linda, se seu caule não é capaz de suportar a própria beleza? Se você não for bom para si mesmo em primeiro lugar, não ensinará a ninguém como quer ser amado. Se você não é capaz de exercer o autocuidado, como quer ser valorizado?


Porém, tenho aprendido que algumas plantas, não importa o cuidado que tivermos com elas, morrerão antes do previsto. A água não faltou nem foi em excesso, a luz chegou da maneira correta, os nutrientes foram suficientes. Elas morrerão porque tinham que morrer, e nada do que fizermos irá mudar isso. Então o negócio é aceitar. Nem tudo depende da gente, da maneira como agimos ou deixamos de agir. E isso se estende a tudo na vida.


Ame, mas não sufoque. Doe-se, mas não se abandone. Deseje, mas não se sujeite a tudo para obter. Permaneça, se te fizer bem. Deixe ir, se faltar reciprocidade. E, acima de tudo, faça o seu melhor e solte. Flores e pessoas. Universo de fora e universo de dentro. Natureza das coisas e natureza das emoções. Conexões entre estrelas e conexões entre axônios… tudo está conectado, e nem tudo está sob seu controle…


*Fabíola Simões 


terça-feira, 26 de abril de 2022

Recomeços… – a vida é instante. Busque a sua melhor versão!


Existem dias em nossas vidas que a única força que temos é o: desistir. Em dias como esse o que sobressai é o cansaço. Um cansar diferente daquele que é físico, mas que é bem próximo de esgotar as energias do corpo e da alma. É quando tudo que você consegue pensar se resume em: Não vou conseguir, é melhor desistir! E então tudo a sua volta e pra qualquer lugar que você olhe parece não haver uma saída, você suspira longamente, se entristece e procura um explicação fora, uma explicação na vida, no outro, na relação. É quando muito de tudo perde o sentido e você se sente impotente e incapaz.

 

Mas da mesma forma que essas sensações brotaram, surge de repente, uma voz lá no fundo da sua consciência e alguns sinais aparecem e você começa a refletir e eis que a solução ou uma esperança renovada dispara seu coração.


Eu sei que não é fácil. Os questionamentos negativos são pesados demais, eles tem argumentos poderosos que nos colocam naquela zona gostosa de conforto do: olha pra mim, como sou vítima de toda essa história que escolhi viver. Os conflitos internos ganham força e poder, e parece que se abre um portal e tudo começa a fluir nessa vibração da negatividade, eu entendo o que você sente, porque eu sinto e conheço muitas pessoas que sentem, que vivem essas emoções e sensações. Mas cada um de nós tem uma missão e uma trajetória, então nos momentos de penumbra, converse com Deus. Encontre as respostas no seu coração, é lá que Deus se faz presente e lhe entrega as tantas soluções para qualquer desafio.


Quando você para de olhar em volta e se volta para dentro, para encontrar, mesmo que passando por vales tenebrosos de dúvidas, dor, “beco sem saída”, quando você consegue olhar para você, sem mágoa e culpa enxergando o que você é, ou seja: amor, todas as dores se vão e você abre a porta de entrada para o Deus que habita seu ser e assim ele entra no cômodo mais importante da profundidade do seu templo.

 

Por uma questão cultural, acredito eu, nós ocidentais, temos nossa mente programada para pensar que o caminho mais fácil é o caminho da dor, uma vez que na dor encontramos “aconchego”, “olhares atenciosos”, “conforto e proteção”, além de carregar a crença de não poder ter tudo que desejamos, porque acreditamos no não merecimento. Assim nos sabotamos muito, quase o tempo inteiro, quando não nos permitimos a felicidade por acreditar que ela não é possível existir por completo. A verdade é que a felicidade é um estado de espírito, é uma questão de ser que vem da alma. Felicidade não depende de muitas coisas, quando se é feliz, se é feliz e ponto.


Se hoje você está experienciando algum desafio, alguma dor, tragédia, tristeza ou qualquer sentimento ou emoção que deixe sua frequência baixa, convido você a parar um pouco, respirar fundo, refletir toda a sua jornada. Do começo da sua história até agora, quantos passos já foram dados? Quantas vezes você pensou: agora não vou conseguir!?


Por mais difícil que esteja, acredite em mim, os dias passam e os ciclos mudam. É como as estações do ano, ano-novo, fases da lua, vivemos mudando de ciclo, cada dia de uma maneira diferente. Procure o melhor para você. Recomece quantas vezes for preciso. Reinvente você em mil versões até que encontre a que mais combina com o que você vem se tornando.

 

A vida não vem com manual de instruções, e muitas vezes o caminhar se faz insuportável por alguns minutos, mas se você conseguir refletir a beleza e magnitude de tudo, se por um momento você conseguir refletir em quantos outros momentos você já teve situações muito mais desafiadoras e conseguiu sair um vencedor ou vencedora e se fizer uma retrospectiva da sua própria vida, sem comparação com a vida alheia, mas lançar um olhar profundo, intenso buscando minunciosamente os capítulos tenebrosos da sua trajetória até o momento, você vai conseguir se olhar diante o espelho e ver o quão vitorioso ou vitoriosa você é. Simplesmente porque você foi escolhido entre milhões para estar aqui, você venceu barreiras para ganhar vida. Você nadou o impossível e vive uma vida misteriosa e carregada de imaginação e mesmo assim, você transpõe as barreiras e vive cada dia. Portanto se hoje as cores da sua aquarela ficaram escuras e se você se sente ameaçado pela sua própria história, pare novamente e respire fundo a vida que lhe foi presenteada.


E se até hoje você apenas vive, repense seriamente sobre as ideias que circundam sua mente a despeito de tudo que o cerca, porque viver, acordar a cada dia é um presente, um depósito de confiança de que o melhor será feito hoje. Sendo assim, cuide bem de você! Ame e expresse seu amor, escute e entenda os sinais, tenha calma e compreensão com seu processo e por fim, liberte-se de tudo que aprisiona a sua alma e impede que ela viva plenamente, se entregue para que o processo perdure!


*Carol Daimond

segunda-feira, 25 de abril de 2022

Não dependa da gratidão das pessoas para ser feliz


Desde pequenos, nossos pais nos pedem para agradecer pelos presentes recebidos, pelos elogios que nos fazem, ou seja, aprendemos que o “muito obrigado” é importante para o outro.

É a tal da gratidão, um sentimento que, nos últimos tempos, encontra-se tão em voga.

Em meio a tantas reviravoltas no mundo lá fora, diz-se que se sentir grato faz bem, para que consigamos equilibrar o nosso emocional.

Mesmo assim, existem muitas pessoas que não demonstram gratidão alguma.

Algumas pessoas, inclusive, sentem-se no direito de receber ajuda, como se os outros fossem obrigados a servi-las. E, quando essa ajuda não é mais possível, a pessoa fica brava e não consegue entender por que o outro parou de ajudar.

É a ingratidão em estado puro, porque a pessoa se esquece de tudo o que já fizemos por ela.

Na verdade, há muitas pessoas egoístas ultimamente. Parece que o mundo orbita em volta de seus umbigos, é como se nada mais lhes importasse, a não ser a satisfação das próprias vontades.

E, nesse contexto, quando a pessoa não volta os olhos para além de si mesma, ela jamais conseguirá desenvolver qualquer traço de gratidão, pois esse sentimento requer o reconhecimento do que chega até você por meio de outra pessoa.

EGOÍSTAS NÃO ENXERGAM OUTRAS PESSOAS.

Além disso, existem os indivíduos que passam por problemas emocionais, como a depressão, entre outros, os quais se encontram quebrados por dentro e com os sentimentos revirados e em frangalhos.

Eles possivelmente se mostrarão ingratos com as pessoas que estão ali ao lado tentando ajudar, mas faz parte desse processo de reconstrução emocional e, por isso, não podem ser julgados.

Seria injusto, de nossa parte, cobrar isso de quem se encontra em escuridões que impedem um discernimento razoável.

Fato é que a gratidão faz bem para quem a cultiva e também para quem a recebe. No entanto, ela não pode balizar as nossas ações.

Ajudar as pessoas não deve depender da resposta do outro.

Não dependa da gratidão das pessoas, não espere reconhecimento, nem deposite sua felicidade no retorno do que você faz aos outros.

FIQUE FELIZ POR VOCÊ MESMO, O QUE IMPORTA ESTÁ DENTRO DE VOCÊ. NINGUÉM PRECISA SABER.


*Marcel Camargo 


*DA REDAÇÃO RH. Foto de Rick Gebhardt no Unsplash.

sexta-feira, 22 de abril de 2022

Desista de tudo aquilo que já desistiu de você…


É preciso deixar de manter junto gente dispensável, buscar novos empreendimentos e empregos que nos tornem pessoas realizadas, dar um basta nas relações recheadas de lágrimas, arrependimentos e súplicas vazias. Mas também é imprescindível olhar para dentro de nós, percebendo a nossa parcela de responsabilidade sobre todo o mal que nos aflige.


Talvez uma das maiores dúvidas que temos seja percebermos quando é chegada a hora de promovermos mudanças nos vários setores de nossas vidas. Isso porque a comodidade da zona de conforto em que nos sentimos confortáveis acaba por nos tolher a iniciativa de operarmos a quebra do que aparentemente se encontra instalado em nós. Mudar assusta e requer coragem, mas é vital e necessário.


Temos uma forte tendência a querer que os dias corram sempre na mesma sintonia, no mesmo tom, pois ansiamos, sobretudo, por calmaria e equilíbrio. No entanto, mesmo que aparentemente as coisas possam nos parecer já estabilizadas, nada é imutável, nada deixa de se transformar ao longo do tempo – é assim com as pessoas, é assim com tudo o mais.


As experiências acumuladas, as mudanças de perspectivas, as diferentes direções dos sonhos, as ressignificações de mundo, tudo serve para promover a ampliação de perspectivas. Nesse sentido, as ideias mudam, o mundo se transforma, ou seja, não permanecemos os mesmos, pois vamos também nos transformando ao compasso das mudanças que se descortinam ao nosso redor.


Por isso é que certas coisas vão perdendo o significado e a importância que possuíam para nós, à medida que avançamos no tempo e amadurecemos os nossos pensamentos. A vida corre e, aqui dentro da gente, os sentidos clamam pelo seguir sempre em frente. E prosseguir muitas vezes significa ter que deixar para trás parte daquilo que já tínhamos como certo em nossas vidas.


Não é fácil nem agradável nos libertarmos do que pensamos ser imprescindível em nossas vidas, pois temos a impressão de que não conseguiremos sobreviver sem aquilo tudo. Quer saber? Sobrevivemos, sim, pois fomos feitos para durar, a despeito de toda dificuldade, toda dor e toda desesperança que teimará em ferir os nossos sonhos. Uma vida digna é o que devemos priorizar, longe de coisas, de pessoas e de situações que só servem para nos distanciar de nossas verdades.


É preciso deixar de manter junto gente dispensável, que não faz a menor questão de nos fazer ou de nos ver felizes. É necessário buscar novos empreendimentos e empregos, caso o trabalho seja a pior parte de nosso dia. É urgente a necessidade de darmos um basta na relação, quando nos vemos mergulhados em lágrimas, arrependimentos e súplicas vazias. Mas também é imprescindível olhar para dentro de nós, percebendo a nossa parcela de responsabilidade sobre todo o mal que nos aflige.


Todos os dias, a vida nos dá várias oportunidades para repensarmos o que fizemos de nossas vidas, para que tenhamos a chance de agir em favor de nossa felicidade. Felizmente, embora muitos não pensem assim, nunca é nem será tarde demais para reiniciarmos a busca pela realização de nossos sonhos. Sejamos, assim, a mudança que queremos para nossas vidas, de mãos dadas com quem nos ama sinceramente, com quem chegou para ficar, com disposição e com verdade.


*Marcel Camargo 

quarta-feira, 20 de abril de 2022

Eu só queria que você soubesse…


Tem amor que simplesmente não é para ser vivido. Só lembrado. Imaginado. No “se”. Dizem que tudo tem seu tempo. Ando deixando pistas. Rastros bem marcados. Como na história. Migalhas. Falta dele. Justificativa para tanta vida morna. Não acredito no depois. Destino ou acaso. No tempo.

 

Ando com pressa. Aqui dentro já não suporta frouxidão. Não espero a sorte.  Desconfio do destino. Está lá. Na beira da estrada. É só uma menina. Leve como passarinho. Espera a liberdade. Sentir de verdade. Andar de pés no chão. Ter todas as cores. Com você deseja amanhecer. Acredita no humor. No amor. Aquele na penteadeira. Ficou lá só de bobeira. Deixou o tempo passar.


Acho que seria caso de muitas risadas. Conversa solta. Sem máscaras. Quase mundo novo. Pontes. Tardes de domingo. Conexão. Rodoviária. Boa tarde para o senhor taxista. Fazer amor baixinho. Ligar a TV. Tem gente na sala. Não nego, as paixões são assim. Meio brega. Brincadeiras. Algumas esquisitices. Outras chatices.


O tempo passa. Parados. Feito o mendigo na esquina. Virou coisa. Faz parte da paisagem. Fome é o nome dele. Aquele moço. Já foi outro. Quero sem medo. Por inteiro. Te olhar. Esperar. E que a gente se beije e acabe na cama. Sem drama.  Já se foi o tempo de sonhar. Não há mais nada a fazer. Sem expectativas ou ilusões. Intensas. Insanas. Paixões.


Eu só queria que você soubesse. Foi o improvável. Só pode ser louco. Anda em bando. Ainda mora com a mamãe. Surpreendente. Inteligente. Te pedi em dia de calmaria. A Oxum. Aos céus. A coisa nenhuma. Foi só o coração.  Remendado. Mais uma vez. Me encaixaria na tua cama. Na verdade foi nada. Coisa alguma. Só foi estranho. Simplesmente ficou. Deve que passa.


Não vou usar de artifícios. Nem truques ou armação. Só mantenho aqui aceso. Não  quero laços. Nem amarras. Assim, quem foge, sou eu. Não assuste se um dia eu desaparecer. As vezes preciso ser sozinha. De espaço. Coração. Mais complicado do que pensa. Se amor de perto já está irreal. Penso no virtual.


Faz tempo que não via páginas em branco. Escolhi assim. Gosto desse jeito. Das possibilidades. De te esperar por inteiro. Espero por janeiro. Embriagado. Calado. Sem nome. Sem pressa. Não me peça. Nunca faça promessas. Não faz mal.  Fique para o carnaval.

 

Não vou decorar o seu mundo. Pedir em casamento. Para o ano inteiro. Simplesmente apostaria nele. Falta ousadia e mais coragem. Nem sempre o deixar acontecer nos alcança. Às vezes tudo fica. Por aí. Suspenso. Não vivido. Por medo ou fragilidade. No tanto faz.


Depois de um tempo. Não saberei do seu paradeiro. Se ganhou dinheiro. Aquele moço. Fulano de tal. Não vou te colocar no jornal. Seu sobrenome já  terei esquecido. Se é de Araxá. Belo Horizonte ou Pernambuco. Só sei que será amor caduco.


Não sei se foi descaso. Se foi bom o que aconteceu. Viver de consolo deve que aprendeu. Ainda penso em tomar uma dose. De coragem. Abrir a porta. Arriscar. Improvisar. Ver o que tem dentro. Mantenho segurança. Espio pela fresta.


Aprendemos que certas coisas não dá para guardar. Nem para emergência ou remendo. Vez por hora tiramos a poeira. Lustramos. Desentulhamos. Jogamos fora o que realmente não servirá mais. Sentirei saudade do que não aconteceu. Você estará lá. Nos sonhos quase realizáveis. Guardado na despensa. Entre as coisas que quase tive. Caberia nós dois. Na caixa das coisas não vividas.


*Aline Borges

terça-feira, 19 de abril de 2022

O amor é o remédio mais poderoso que temos!


Se você vive apontando seu dedo indicador constantemente para seu próprio nariz, cuidado! Algumas pessoas prejudicam outras e pedem perdão, que pode ser aceito ou não; mas há algumas atitudes em que o único prejudicado é você mesmo.

 

A culpa é influenciada pelas crenças e valores que cada um traz consigo desde a infância e que muitas vezes não corresponde mais aos valores e crenças atuais. Culpa, remorso, arrependimento, são inimigos constantes e nos fazem sentir vergonha, medo e a maior consequência: a autopunição.


Perdoar a si mesmo talvez seja um dos maiores desafios, pois está relacionado com a capacidade, ou melhor, com a dificuldade que cada um tem de se amar e se aceitar. As pessoas não se amam por acreditarem terem feito algo muito terrível, às vezes isso até corresponde à verdade, mas muitas vezes não.


Procure observar se busca demais pela aprovação e reconhecimento  das pessoas em geral, se está sempre à disposição de todos, cedendo em quase tudo, pela necessidade inconsciente de agradar, de ser aceito, mas que muitas vezes confunde-se com a desculpa de querer ajudar e que na verdade oculta a busca pelo amor e atenção.

 

Uma maneira de cultivar a culpa é estar sempre exigindo perfeição de si mesmo. Para se livrar disso, seja honesto consigo mesmo, pense sobre o que te levou a fazer certas escolhas, agir de determinada forma e, lembre-se que, naquele momento você fez o melhor – ou o “menos pior” – por si. Nós sempre fazemos o que dá para ser feito. Nunca julgue situações passadas com valores do presente.


Para perdoar-se é preciso rever todas suas crenças, valores, que muitos esquecem que com o tempo podem, e devem, se modificar. Analisar o que fez ou deixou de fazer para poder mudar e crescer é válido, como sentir remorso pela dor que pode ter causado a alguém e pedir perdão. Mas se esse remorso começar a dominar sua vida, isto alimentará o seu papel de vítima e a autopiedade. Você deve aprender e crescer com a experiência passada e isso não quer dizer se punir eternamente por algo já feito.


Perdoar a si mesmo exige uma completa honestidade, é um processo de reconhecer a verdade, assumir a responsabilidade pelo que você fez, aprender com a experiência, reconhecer os sentimentos que motivaram determinados comportamentos, abrir seu coração para si mesmo, ouvir seus medos, curar certas feridas e isso você pode conseguir amando a si mesmo.

 

Você pode e deve se livrar de certos padrões de pensamentos e sentimentos. Mude o que não acredita mais, livre-se de tudo que te faz mal, cure a ferida que mais lhe dói. A verdadeira cura é fazer as pazes consigo mesmo. O amor é o remédio mais poderoso que temos.


*Viviane Battistella

segunda-feira, 18 de abril de 2022

Sejam fortes e corajosos, todos vocês que esperam no Senhor. (Salmo 31:24)


ESPERAR NÃO É FÁCIL QUANDO O NOSSO CORAÇÃO ALMEJA UMA RESPOSTA IMEDIATA DE DEUS. ÀS VEZES O DESÂNIMO CHEGA, OUTRAS VEZES, A NOSSA FÉ ENFRAQUECE.


As circunstâncias são desafiadoras, e quando deixamos de acreditar, quando não nos protegemos em oração, nos enfraquecemos.


O Salmista Davi nos orienta a sermos fortes, e a encorajarmos nas esperas, principalmente quando colocamos nas mãos do Senhor aquilo que as nossas mãos não podem alcançar.


Creia no impossível, acredite no mover sobrenatural de Deus, e não desista de nada. Davi esperou em Deus, e muitas vezes se sentiu triste, abatido e sem força, mas ele confiou naquEle que tudo pode fazer.


Segura nas mãos de Deus e vai! Ele te conduzirá.


VAI COM FÉ! NÃO TENHA MEDO DO QUE VEM PELA FRENTE. SÓ CONFIA! ESTANDO DE MÃOS DADAS COM ELE A DIREÇÃO SEMPRE SERÁ CERTA, VOCÊ SEMPRE ESTARÁ SEGURO(A) E PROTEGIDO PELO CAMINHO.


Ele te conduzirá, te abrirá portas inimagináveis, e te mostrará o quanto Ele é cuidadoso com a sua vida. Sejamos corajosos e fortes, pois esse é o caminho da fé.


Respire tá?! Sempre que o cansaço tentar te parar, respire, e continue a sua jornada sem desistir dos seus maiores sonhos, e sem abrir mão daquilo que o seu coração tanto almeja conquistar.


Se estiver nos planos Dele para você, acontecerá! Se não estiver, o melhor por você Ele SEMPRE fará.


Sei que dias melhores virão, mas também sei que cada dia tem a sua história, e quando agradecemos a Deus por tudo, independente do por vir, as coisas acontecem em nossa vida de uma maneira muito surpreendente.


Tenho sonhos pra lá de bonitos, mas também tenho pendências que precisam ser resolvidas.


Oro diariamente para que as minhas forças sejam renovadas e a minha coragem de seguir não seja interrompida pelos tropeços inesperados.


Já tive muitos desgostos, mas isso só me trouxe experiências incríveis e lições pra lá de necessárias.


Eu tô aqui falando para Deus que estou pronta para passar pelos seus treinamentos e viver os seus milagres.


Que sejamos atentos à sua voz! Que estejamos dispostos a viver os teus propósitos!


“Corajosos e fortes são aqueles que esperam no Senhor, mas não param de se movimentar em direção a aquilo que tanto desejam. Quem espera com amor e pacieência sempre encontra uma porta aberta.” Iara Fonseca.


*Resiliência Humana 

sexta-feira, 15 de abril de 2022

Foi por amor. Jesus se entregou como cordeiro ao sacrifício que não pertencia a Ele


Jesus está vivo, o sepulcro está vazio; vejam suas mãos e pés feridos, foi alto o preço.

 

Foi um alto preço, Ele não merecia, a cruz era nossa. Naquela cruz, Ele carregou nossos pecados e culpas, mesmo sabendo que nem todos teriam por Ele o mesmo amor. Jesus se entregou como cordeiro ao sacrifício que não pertencia a Ele.


Como santo, n’Ele não havia pecado, mancha ou peso a ser levado, mas Ele assumiu uma culpa que era nossa, e sem se importar com a sua dor. Pensou primeiramente em nós. Amor assim só Ele pode ter, e esse amor continua com a mesma intensidade. Ele nos amou primeiro, nos escolheu primeiro e nos tem como filhos.


A maior prova de amor está na cruz e a maior prova de poder está no sepulcro vazio.

 

Como poderia um homem ressuscitar, como poderia, ao terceiro dia, alguém se levantar em seu túmulo, andar, conversar e assim permanecer vivo por dias?


Na lógica humana, não há explicação, mas na lógica divina, sim. Ele é Deus, tem todo o poder. Ele provou ao inferno, o qual festejava, que a chave da morte estava com Ele e que Ele sim era o Rei e Senhor de todas as nações e povos.


Você vai ficar bem. Acalme seu coração e fique em silêncio


Indiscutivelmente, essa foi, é e será a maior prova de amor. A Ele seja a nossa eterna gratidão, e mesmo que nunca venhamos a conseguir retribuir da mesma forma, que possamos sempre Lhe oferecer o nosso melhor e Lhe render glória e aleluia por tantas bênçãos que Ele nos proporciona todos os dias.


Jesus está vivo, o sepulcro está vazio; vejam suas mãos e pés feridos, foi alto o preço.

 

Que o nosso coração se encha de agradecimento e honras a Deus por nos enviar o Seu filho e a Jesus por nos provar tão grande amor.


Ele é filho de Deus, Jesus, Rei e Senhor, por sua morte somos vivos, e com nossa vida Lhe agradeceremos por tão grandiosa graça.


*O Segredo

Direitos autorais: filme "A Paixão de Cristo", 2004.

quinta-feira, 14 de abril de 2022

Já não sou como antes


“Já não sou como antes” – Disse a minha vó ao dar alguns passos entre a sua casa e a casa da sua filha Joelma.


Era o final da tarde quando minha vó me pediu que a ajudasse chegar até a terceira casa da rua. Ofereci o meu braço, segurei a sua mão e lhe dei o apoio que tanto precisava naquele momento.


Observei a delicadeza dos seus pequenos passos, observei o tempo que ela precisava para ganhar fôlego, mas observei algo que me tocou.

Minha vó não era a mulher forte que eu me lembrava. Minha vó já não tinha o mesmo ritmo, resistência, capacidade e disposição de antes.


São 80 anos.


Eu disse: São 80 anos.


É claro que ela não poderia ser como antes. É claro que os seus ossos, membros e musculos mudaram com o tempo.


Ela ainda tem a mente de quem quer dar conta de tudo sozinha. A pergunta é: É preciso dar conta de tudo sozinha? É preciso fazer tudo sozinha?

 

Em que momento é preciso dizer: Mãe, você fez muito até aqui. Me deixa fazer algo por você daqui para frente?


Como sua neta mais velha que ela ajudou a criar posso dizer que carrego as minhas lembranças da mulher que não conseguia esperar ninguém, da mulher ansiosa que queria tudo no estilo “aqui e agora”, da mulher que não engolia desaforo, mas eu me lembro também da guerreira que lutava pelos seus, da mulher que engolia o choro até um dia não aguentar mais e explodir com a primeira pessoa que cruzasse o seu caminho,  da mulher reprimida que sofria calada e da mãe que mesmo sem dizer “eu te amo” em palavras ou dar beijinhos carinhosos mostrava dia após dia que amava.

Amava e ama. Cuidou e cuida. Zelou e zela. Mesmo que seja baixinho deitada na rede com a bíblia nas pernas balançando pra lá e pra cá orando pelos seus filhos que estão perto ou estão longe.


Enquanto segurava as suas mãos na travessia da rua pensei na nossa utilidade e na nossa importância aos olhos da família e de todos a nossa volta.


Um dia somos jovens e sentimos que estamos no controle dos nossos passos e que podemos fazer tudo. Um dia somos jovens e sentimos que podemos conquistar o mundo. Um dia somos jovens e sentimos que podemos fazer qualquer coisa.


Um dia somos velhos e descobrimos que não estamos mais no controle, que ele nem sequer existe. Um dia somos velhos e a verdade nua e crua é que não precisamos conquistar o mundo, mas aprender como desfrutar a vida com leveza, paz no coração e consciência tranquila. Um dia estamos cansados e constatamos que não precisamos fazer todas as coisas e que está tudo bem aceitar a ajuda de quem está mais forte.


Naquele dia a ficha caiu mais uma vez. A minha vó já não é a mulher que um dia foi, mas feliz dos filhos e netos que entenderem que o seu tempo é agora, é já, é hoje.


O seu tempo não é amanhã passo aí, amanhã vou te visitar, amanhã vou dizer que te amo, que te admiro, que você foi uma boa mãe, uma boa vó e uma boa amiga.

 

O seu tempo é agora, pois quem ama não espera, mas faz acontecer. Quem ama cuida não diz que vai cuidar. Quem ama faz. Quem ama age. Quem ama vê.


E eu vejo.


A minha vó já não é a mulher que um dia foi, mas tudo que ficou tem valor.


O seu andar se tornou mais leve, mas em seu peito ainda bate um coração.


*Su Cursino

quarta-feira, 13 de abril de 2022

Não sou mulher que aceita migalhas. Aqui tem amor próprio! há tempo para viver amores, não dores!


Processo de Deserção


Deserção: abandono, abjuração, despovoação, retratação, apostasia, desistência. Abrir mão de um sentimento em relação a alguém. Pular fora enquanto á tempo. Amor próprio. Honesto com você mesmo. Saúde psicológica.


Solicito a desistência não do amor, de você. De você. Do passado que virou presente doído. Fui mais inteligente aos quinze do que aos trinta. Carinha. Palhaço. Seu moço. Seu bobo. Idiota. Ridículo. Sim, apaixonei.  Guardei pra mim. Sepultei.


Eu abandono a angústia. Angústia de esperar uma carinha com corações ao invés de olhos esbugalhados, ou cara de horrorizado na tela do celular.


Da ligação que você não fez aos sábados. Da atitude que você nunca terá. Aguardo o convite. Casamento em peça e conto. Previsão. Constatação.


Faço abjuração das promessas não realizadas. Esqueceu do contrato verbalizado e digitalizado. Do jantar trocado pelo hoje não dá. Sou babá. Depressão. Síndrome do Pânico. Sem graça. Cartão postal. Tédio. Medo de ser. Medo de ser só. Aparências. Falta terapia. Hombridade. Coragem.  Sal. Tesão e paixão. É dó. Não há sentimento pior.

 

Só se vive uma vez. Ou não. Mas essa é única. Aprendi na dor. Aprendi. Não abro mão. Não estou na caixinha. Sou caixinha. “Believe”. A lápis. Giz e tempestade. Rascunhos e cartas. Cartas a público. Indiretas, diretas para você.


Coração já está sendo despovoado. Já quase não há habitantes. São poucos, mas raros. Alguns bem antigos, de longa data. Há recém chegados, mas já ocuparam grande parte do território. Outros montaram barracas, improvisaram. Uns só de passagem, mas deixam marcas e aprendizado. Há túmulos. Alguns mortos. Permanece só quem se sente e faz bem.


Retratação: Não importa o caminho, serei sempre amor. Não sou barco a deriva. Não sigo regras de desapego. Tempo a gente faz. Querer é poder. Falta querer. Vontade e verdade. Interpretação. Sobra orgulho. Deixe de frouxidão. Peça perdão. Viva na solidão. Recolha-se na ingratidão.


Enfim, peço desistência dos dias não vividos. Dos dias de espera. Do não posso mais. Ocupado demais. Muita coisa pra fazer. Não me dá motivos. Das inverdades. Da falta de coragem. Do comodismo. Da escuridão transformada em perfeição. Da desconfiança. Da premeditação. Do egoísmo. Do meu sentimento por você. Do contrato e da vingança. Do insosso. Da nossa mentira vivida.

 

Abrir mão de sentimento é dor que um dia acaba. Não sou Julieta. Sim estou pulando fora. Não sou mulher que aceita migalhas. Aqui tem amor próprio. E há tempo para viver amores. Não de dores. Prefiro ser honesta. Dias coloridos. Viagens. Dançar na chuva. Amigos e risadas. Por aqui sobra atitude. Coração e paixão.  Intensidade e tesão. Na vida.


Quanto à loucura e ansiedade?  Ora! Existe terapia.


*Aline Borges

terça-feira, 12 de abril de 2022

A gente vai embora


A GENTE VAI EMBORA e fica tudo aí, os planos a longo prazo e as tarefas de casa, as dívidas com o banco, as parcelas do carro novo que a gente comprou pra ter status.

A GENTE VAI EMBORA sem sequer guardar as comidas na geladeira, tudo apodrece, a roupa fica no varal.

A GENTE VAI EMBORA, se dissolve e some toda a importância que pensávamos que tínhamos, a vida continua, as pessoas superam e seguem suas rotinas normalmente.

A GENTE VAI EMBORA as brigas, as grosserias, a impaciência, a infidelidade, serviram para nos afastar de quem nos trazia felicidade e amor.

A GENTE VAI EMBORA e todos os grandes problemas que achávamos que tínhamos se transformam em um imenso vazio, não existem problemas.

Os problemas moram dentro de nós.

As coisas têm a energia que colocamos nelas e exercem em nós a influência que permitimos.

A GENTE VAI EMBORA e o mundo continua caótico, como se a nossa presença ou ausência não fizesse a menor diferença. Na verdade, não faz.

Somos pequenos, porém, prepotentes. Vivemos nos esquecendo de que a morte anda sempre à espreita.

A GENTE VAI EMBORA, pois é. É bem assim: Piscou, a vida se vai…

A GENTE VAI EMBORA e somos rapidamente substituídos no cargo que ocupávamos na empresa. ⠀

As coisas que sequer emprestávamos são doadas, algumas jogadas fora.

Quando menos se espera, A GENTE VAI EMBORA.

Aliás, quem espera morrer?

Se a gente esperasse pela morte, talvez a gente vivesse melhor.

Talvez a gente colocasse nossa melhor roupa hoje, fizesse amor hoje, talvez a gente comesse a sobremesa antes do almoço.

Quem sabe, a gente entendesse que não vale a pena se entristecer com as coisas banais e respeitasse mais as pessoas.

O tempo voa.

A partir do momento que a gente nasce, começa a viagem veloz com destino ao fim – e ainda há aqueles que vivem com pressa! ⠀

Sem se dar o presente de reparar que cada dia a mais é um dia a menos, porque A GENTE VAI EMBORA o tempo todo, aos poucos e um pouco mais a cada segundo que passa.

O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO COM O POUCO TEMPO que lhe resta?!

Que possamos ser cada dia melhores e que saibamos reconhecer o que realmente importa nessa passagem pela Terra!!!

Até porque, A GENTE VAI EMBORA…


*Sérgio Cursino 




segunda-feira, 11 de abril de 2022

Deus está com você, está em tudo que você toca e coloca amor. Não odeie, não se vingue, não revide


Perdoe, sinta as batidas do seu coração, alivie tudo, tire o peso dos ombros, das costas, da alma.

Que mundo você está criando dentro de você? O que você pretende? O que você consegue sentir diante do que tem atravessado?

Se você consegue enxergar uma porta, o que você vê depois dela, o que você gostaria que pudesse transformar seu momento para melhor?

Conduza-se, siga adiante, dê mais um passo, coloque-se de frente consigo mesmo. Há um lugar que você precisará vasculhar, há outros lugares por onde sua alma sentirá o desejo de atravessar.

Pense, sinta as batidas do seu coração. Perdoe o que foi, fortaleça seu espírito em nome das coisas que acredita, da fé que o sustenta, da sua luta por ter chegado até aqui.

Veja o sol iluminando seus passos, sinta a vibração de Deus o tocando como sustentação e elevação espiritual.

Calma, se quiser voltar, volte. Descanse. Repense e vá de novo. A porta está ali te esperando. Você tem a chave, você tem a solução para o que o aflige. Tudo está dentro dos planos DELE. Tudo age sobre você com respeito e fraternidade.

Reconsidere algumas coisas, desista de outras, volte novamente para dentro de você. Você possui o dom de vencer, você tem a coragem que brota, quando tudo parece estar perdido.

Encontre-se! Espero que você possa ver o que eu vejo. Uma luz que o cobre e o guia para que você prossiga com mais calmaria interna.

Ninguém poderá detê-lo, ninguém poderá impedi-lo de ir para onde você quiser, desde que seja para ter paz e felicidade.

(Pode ser o seu momento, pode ser seu reinício, pode ser a cura paro que você tanto busca.)

Acredite, tudo está à sua frente em nome das coisas que ELE lhe deseja.

Se quiser chorar, chore; se quiser silenciar, cale-se; se quiser se soltar, voe. O tempo, o espaço, a busca é sua.

Desligue-se do que o fez sofrer, compreenda que nada é eterno e que muitas coisas se dissolverão em seu coração.

Outras lhe trarão um novo sentido, um novo laço, um novo instante onde você não havia imaginado que aconteceria.

Essa movimentação energética é o que o move para perto ou para longe das coisas que você precisa decidir.

Olhe mais uma vez. O que você ouve, o que você espera, o que você vê?

Liberte-se, liberte qualquer dor acumulada, qualquer tristeza que lhe pressione o peito.

Liberte-se e pense na sua capacidade emocional de cuidar mais de si mesmo.

Chegou o tempo da cura, da felicidade, do equilíbrio e daquilo que você acha ser certo.

Isso, dê mais um passo, dê mais um minuto para si mesmo e deixe para trás o que passou.

Deus está com você, está em tudo que você toca e coloca amor. Não odeie, não se vingue, não revide.

Só o amor pode torná-lo alguém melhor, apesar das adversidades, dos tombos por vezes doídos. Perceba a diferença entre o que é bom e mau, entre o bem e o malquerer.

Alivie tudo, tire o peso dos ombros, das costas, da alma. Purifique-se, porque seu momento chegou. Atravesse e siga. Que as melhores coisas cheguem até você!


*Sil Guidorizzi

sexta-feira, 8 de abril de 2022

Continue reclamando e me diga então o que mudou…


O quanto você se coloca na mão das pessoas?

O quanto permites que as coisas externas te influenciem, definindo teus passos?

Deveríamos nos amar a tal ponto de não nos colocarmos nas mãos dos outros

E por quantas vezes culpabilizamos o outro…

O namorado/ namorada pela insegurança, pelo medo do abandono;

Culpamos nossos pais pelos traumas infantis e pelo comodismo;

Culpamos nossos chefes pela desvalorização no trabalho ou pelo aumento que não vem;

Culpamos a inflação causada pela corrupção;

Culpamos o outro pelo transito parado;

Afinal “o inferno são os outros” não é mesmo?


Mas que tal olharmos para dentro de nós mesmos, olharmos para dentro, com olhar de fora, sem julgamentos, sem ego, sem eu, de modo mais abrangente, como se fossemos águias enxergando do alto, distanciando-nos das nossas emoções e apenas pensando que o outro é apenas um SER humano assim como eu. E então, talvez nos perguntaríamos:

 

Será que é certo sentir tanto ciúme e possessão desse namorado/namorada, simplesmente porque ele não me mandou nenhuma mensagem hoje, e já são 10 da noite? Não seria melhor ligar e perguntar como foi seu dia, dizer o quanto estou com saudade e o quanto ele/ela é importante para mim;


Será que para romper o comodismo e pararmos de culpar nossos pais pelas dificuldades não deveríamos nos colocar no lugar deles? Apenas sentirmos amor e gratidão pelo simples fato de terem nos dado a vida, dádiva a qual jamais teremos como retribuir nessa vida, e nos criarmos da melhor forma possível.


Será que o sentimento de desvalorização está no chefe ou em mim, que já não enxergo o propósito no trabalho que realizo? Não seria mais pertinente ter uma conversa franca e falar de aumento ou mesmo procurar algo para trabalhar no qual me sentisse valorizado, isto é, algo que eu realmente gostasse. Pois não é um trabalho que diz qual a sua real capacidade, mas sim o limite que você mesmo se impõe.

 

Será que as coisas estão caras ou eu ainda não aprendi a viver com pouco, amando aquilo que tenho? Pense acerca do seu cotidiano, perceba as inúmeras coisas que tu tens em casa as quais não usa, as quais adquiriu e nem sequer utilizou? Não seria mais pertinente agradecer a vida pelos bens e pela saúde e tentar ao menos uma vez não criar expectativas acerca do dinheiro, aprendendo a viver com pouco.


Será que o trânsito parado é culpa do outro que não está querendo andar e isso me dá o direito de “socar” a mão na buzina? Não seria mais pertinente eu me conscientizar que mesmo com toda buzina o outro não conseguira se “helicopterizar” e ao invés disso orar para a pessoa que talvez esteja sofrendo devido as dores de um acidente ocorrido no trecho adiante.


Coisas do dia-a-dia das quais reclamamos e nem nos damos conta, eu também já reclamei, já senti tudo conforme acima. Não existe nada que eu escreva que não tenha passado, que não tenha sentido, que não tenha mudado, ou pelo menos tentado fazer diferente.

 

Tem uma frase que diz ser loucura continuar fazendo tudo igual e esperar resultados diferentes. Continue reclamando e me diga então o que mudou…


Boa semana! Boa sorte! Boas energias!


*Patricia Hornburg 


quinta-feira, 7 de abril de 2022

“o que quer que aconteça é a única coisa que poderia ter acontecido…”


Os hindus acreditam muito naquilo que chamamos de “destino”. Para eles, tudo aquilo que ocorre não poderia ter sido de outra forma. Sendo assim, a afirmação “aconteceu a única coisa que poderia ter acontecido” é uma das quatro leis da espiritualidade ensinadas na Índia.

 

É uma frase conformista, eu sei, mas também nos ensina a aceitar o que é posto em nosso caminho e a valorizar os encontros que ocorrem em nossa jornada.


Acredito que nada é em vão, e o sofrimento faz parte disso também. Pois vivemos uma experiência humana, e quanto mais rica for essa experiência, quanto mais ela nos desafiar a crescer, melhor será.


O que quero dizer é que nem sempre estamos onde gostaríamos, vivendo as histórias que sonhamos, mas é preciso aprender a fazer castelos com o punhado de areia que dispomos.


Agora me vem à lembrança um filme lindo que assisti semana passada: “De Onde Eu Te Vejo”, com Denise Fraga e Domingos Montagner. Lá pelas tantas, uma das personagens diz: “A vida é mais forte que a gente”. Fiquei com a frase na cabeça, pensando em tudo o que aconteceu com Domingos (um dos protagonistas do filme), e em tudo que ocorre na vida da gente. Mais uma vez, é uma frase conformista, que nos reconcilia com nossas limitações, fraquezas e impossibilidades. Mas também nos ensina as lições de aceitar, confiar e deixar ir.


A vida dita muitas regras, e a gente tem que se adequar. A gente tem que se adequar à panela queimada, ao café frio, à unha lascada, ao pão amanhecido. Se adequar aos finais que nos surpreendem quando a gente queria mais, às pontes derrubadas quando tudo o que a gente desejava era poder atravessá-las, aos muros erguidos em jardins que a gente cuidava para não morrer jamais. A gente tem que se adequar àquilo que a gente não planejava, mas a vida planejou pra gente.

 

Porém, a vida também traz novidades, alegrias renovadas, presentes merecidos. Tudo o que é posto em nosso caminho nos pertence, e devemos ser gratos por isso, entendendo que a felicidade é a soma de muitos instantes felizes, e temos que estar prontos para sentir e valorizar. Valorizar cheiro de filho dormindo, pôr do sol visto da janela do carro, taça de vinho tinto, cabelo obediente, abraço de amigos, saudade no porta retrato da sala, dieta que deu certo, coração pronto para amar de novo.


“O que quer que aconteça, é a única coisa que poderia ter acontecido”. E isso inclui aceitar os finais que ocorrem a todo instante em nossa vida. Não tentar remendar o que descosturou, mas tentar produzir peças inéditas com os tecidos novos que acabaram de chegar.


Nem sempre é fácil entender que um tempo chegou ao fim. Vivemos de esperanças, mas talvez seja hora de entender que o que acabou, acabou. E é importante chorar o fim, vivenciar o luto e decretar a partida de um tempo para que a vida siga em frente com mais leveza e novos planos.


Você está onde deveria estar. As pessoas que lhe cercam são as pessoas certas para fazerem parte da sua vida neste momento, e tudo o que você atrai tinha que fazer parte da sua vida, de um jeito ou de outro. Tudo isso é clichê, mas faz sentido.

 

Assim como faz sentido entender que algumas coisas estão reservadas para nós, para mais ninguém. Não cobiçar as dádivas alheias e aceitar a própria história, com tudo de bom e ruim que lhe coube até aqui, é o segredo para amar a vida que lhe escolheu.


Finalmente, uma historinha: Quando eu era menina, gostava de pedalar a bicicleta com bastante força para lá na frente soltar os pés do pedal e deixar a bicicleta correr sem esforço algum, apenas sentindo o vento no rosto.

 

O que eu não sabia é que a vida é dada a essas coisas também. Há o tempo de pedalar e o tempo de relaxar. Talvez você ainda não sinta o vento no rosto, e a fase que está vivendo dói tanto quanto cortar o dedo numa folha de papel afiada. Mas experimente confiar… Confiar em Deus, confiar no momento que você vive, confiar nos rumos que sua vida tomou.


Aquiete seu coração e confie no tempo de esperas. Acalme seu espírito e confie no novo dia que está nascendo, nas novas mudas que estão florindo, no cabelo que está crescendo. Confie na renovação que ocorre todo dia sem que a gente se dê conta, nas possibilidades que a vida nos dá diariamente, e nos finais que precisamos digerir e aceitar…


*Fabiola Simoes


quarta-feira, 6 de abril de 2022

É preciso coragem para deixar uma dor para trás…


Com a maturidade a gente aprende que a vida não é feita só de ganhos. Que em alguns momentos a gente perde também, e são esses instantes que nos lapidam e fortalecem.


Com o tempo a gente descobre que algumas relações nos ensinam mais sobre perdas do que ganhos. São aqueles amores que por algum motivo não deram certo, e a história do fim ficou mais forte que a história do amor. São aquelas relações em que a dor da separação deixou marcas mais profundas que a vereda da convivência.

 

É preciso ser muito forte para deixar uma dor para trás. É preciso ser muito forte para entender que perdeu alguma coisa e não ficar olhando para o leite derramado.


É preciso ter muita coragem para deixar pra lá e continuar nossa vidinha sossegada sem o desalento do orgulho ferido. Porque de vez em quando o que dói não é a falta, não é a ausência, não é a solidão.


O que dói é perder. É ver que queria muito alguma coisa e não deu certo. É construir enredos com final feliz e eles não se concretizarem.


Caio Fernando Abreu dizia que “para viver de verdade, a gente tem que quebrar a cara”, e acho que ele tinha razão. Porque às vezes a vida ensina por meios tortos, e a gente corre o risco de se machucar um pouco. Mas então a gente percebe que cresceu; que aquela dor teve fim e nos fez enxergar o que tem valor; que aquele problema incontornável foi resolvido e nos mostrou que “dar murro em ponta de faca” nem sempre é a melhor solução.

 

De vez em quando a gente tem que varrer a dor e espanar as esperas. Parar de viver focado no passado, no que podia ter sido e não foi, nas perdas que a gente teve pelo caminho. Todo mundo passa por perdas, todo mundo cai em um momento ou outro, todo mundo desiste de algo que queria muito em alguma etapa da vida. E todo mundo sobrevive. Sobrevive porque entende que não é tarde demais para cultivar o amor próprio, não é tarde demais para agradecer a Deus, não é tarde demais para soltar os nós que prendem a embarcação ao nosso porto e deixar partir o que não nos pertence mais.


A vida não é feita só de ganhos e nem é só boa. Que graça teria se fosse sempre assim? Porém, tome cuidado para não se apegar demais aos espinhos. Cuidado para não acreditar que eles são as peças mais importantes do jardim. Cuidado para não valorizar a dor a ponto de não enxergar mais nada além dela. A dor ensina, amadurece, transforma. Mas também tem o seu feitiço.


E é preciso coragem para deixar uma dor pra trás. Coragem para olhar bem fundo nos olhos da dor e dizer: “Você também vai passar”…


*Fabiola Simoes


terça-feira, 5 de abril de 2022

“Alguns assuntos já foram assuntos demais para serem assuntos novamente.”


Hoje pela manhã, eu me deparei com um post no Instagram que dizia: “Alguns assuntos já foram assuntos demais para serem assuntos novamente”. E eu me senti acolhida pelas palavras, pois tenho um coração nostálgico, que de vez em quando me trai e traz de volta assuntos que já se encerraram dentro de mim. Porém, de uma vez por todas, hoje quero me despedir e esquecer.

 

O tempo dos acertos, das saudades, de reconciliações com minha história, de me lembrar do passado com doçura e algum apego passou, e deu lugar a um desejo enorme de que a vida seja contada com cheiros do presente e sabor de surpresas, desfrutando com sabedoria o tempo que se descortina à minha frente.


Tem horas que a gente tem que matar o passado dentro da gente. Sacrificar de uma vez aquela lembrança “preciosa” que não nos permite crescer. Fechar a porta daquele lugar distante no tempo que não nos ajuda a prosseguir.


Dar um basta às velhas desculpas que justificavam nossa saudade, nossa nostalgia, nosso “resgate” e, finalmente, entender que desapego é uma das lições mais difíceis, porém mais necessárias, que iremos ter na vida.


Temos que ser fortes e corajosos para romper com aquilo que julgávamos “nossa vida” e não é mais. Valentes para desvincularmos nosso caminho da armadilha do saudosismo, da repetição de velhos hábitos, da crença de que ainda há o que se buscar no tempo que já se esgotou.


Porém, nunca estaremos imunes a sermos traídos pela emoção. Como eu gosto de afirmar, somos a soma do que amamos e do que vivemos, e de vez em quando aquilo que amamos terá disposição para vir à tona. Não se culpe quando isso acontecer. Porém, após a visita da saudade, coloque-a de volta no seu lugar.


O passado tem a função de nos lembrar como chegamos até aqui, mas não pode, de maneira alguma, nos definir.


O passado tem mania de seduzir. Olhando pelas lentes da nostalgia, tudo fica mais bonito do que realmente foi. Glamourizamos nossas experiências e enfeitamos nossas trivialidades de um jeito que não nos permitimos fazer com o presente. Editamos nossas lembranças e ventilamos nossas dificuldades a ponto de acreditarmos que sempre fomos mais felizes naquele lugar que não existe mais.


Por mais difícil que seja, existirão momentos em que teremos que nos despedir de algumas histórias que foram importantes para nós. Nem tudo nos cabe, e viver carregando no peito nossas vidas não vividas não nos permite crescer.

 

Está na hora de encerrar essa história dentro de você. De esquecer pessoas que já te esqueceram faz tempo. De manter “contato zero” com aquilo que traz de volta o que não existe mais. De deixar morrer a expectativa vã, a esperança inútil, a teimosia dolorosa.


De finalmente perceber que matar alguns fatos do passado não nos torna pessoas cruéis; ao contrário, nos reconecta com aquilo que realmente importa.


*Fabiola Simoes 

segunda-feira, 4 de abril de 2022

Lembre-se: Tudo segue o tempo de Deus, e nada dura para sempre, nem os seus problemas!


Nem as alegrias são eternas, tudo possui seu tempo certo, nada dura para sempre, nada é o que parece ser, nem as dores, nem os problemas se manterão eternamente em nossas vidas.

Seja o que for que aconteça em nossas vidas, nada permanece estático, tudo se movimenta de acordo com as vontades de Deus!

Aceitemos os trovões e os vendavais, os tornados e os furacões, depois de um tempo intempestivo, o sol se abrirá e a sua fé removerá todas as montanhas que tentarem te impedir de chegar onde você deseja chegar.

Durante muito tempo em nossas vidas nos fixamos em acontecimentos tristes e nos problemas que nos acometem, e não paramos para pensar que tudo tem seu tempo certo de maturação e que nada dura para sempre em nossas vidas, só o que fica são as experiências tristes ou felizes que desejamos manter perto.

Quando entendemos como funcionam as nossas emoções, aprendemos que não devemos nutrir lembranças que nos fazem sofrer, que de nada adiantará ficar remoendo ou sofrendo pelo “leite derramado”, que as dores e os problemas se dissolverão na medida que decidirmos que elas devem ser deixadas para trás.

Muitas pessoas acreditam não conseguir se desvencilhar daquilo que causa mal estar e tristeza, mas na verdade, elas estão erradas, porque a a única pessoa que poderá fazer tudo mudar, é a própria pessoa que se encontra em estado de preocupação e amargura.

Lembre-se: Seus problemas não são os únicos do mundo. Todas as pessoas vivas travam batalhas diárias, só que algumas conseguem vencer os dragões internos, porque conseguem dar a devida importância a eles, nem mais nem menos do que merecem. Outras passam a alimentá-los e a criá-los dentro de si, e a partir daí, acreditam que eles serão eternos, porque deram muita força a eles, mais do que eles mesmos tinham, antes.

Por isso te peço: Pare de alimentar os dragões, puxe a sua espada e acerte em cheio os corações desses, que diariamente, trabalham para te fragilizar! Você é muito mais forte do que imagina! Só precisa arregaçar as mangas e acordar para o fato de que nada nessa vida é para sempre, nem o amor, nem a dor.

A nossa vida é permeada por tristezas e alegrias, e a nossa tarefa é aprender a despertar a felicidade plena através dos aprendizados advindos da dor e do amor. A felicidade chega de fininho quando nos alicerçamos na fé, nos mantemos confiantes em oração, de que dia melhores virão.

Entendamos de um vez que cabe a nós, exclusivamente, manter e alimentar o espírito santo em nossos corações.

A quem ou o quê você vem alimentando dentro de si?

Saiba que tudo passa, inclusive a felicidade se não ficamos atentos quem alimentamos primeiro, a deixamos passar!


*Iara Fonseca 

sexta-feira, 1 de abril de 2022

De todo mal Deus nos livra, ainda que nos joguem na cova dos leões, Ele não nos desampara!


Ter uma vida com Deus não torna ninguém imune a problemas, principalmente quando estar com Ele, fazendo a vontade d’Ele e recebendo d’Ele crescimento e conquistas incomodam algumas pessoas que não gostam de você, às quais não agrada o seu jeito e que não acreditam em nada do que você faz.


Infelizmente, estamos cercados de pessoas ruins, e esse tipo de gente é treinada todos os dias pelo próprio “eu” a sabotar os caminhos de quem realmente tem por objetivo avançar.


Ou seremos flor ou seremos alvo. Seremos sempre alguma coisa no coração de alguém. José era o mais amado de seu pai, mas muito odiado pelos irmãos, e esse ódio se agravou quando eles descobriram, por meio do próprio José, que Deus falava com ele através de sonhos, que ele tinha intimidade com o Senhor e o seu futuro seria inacreditável.

 

Por esse motivo, lançaram-no numa cova, forjaram sua morte, depois o venderam para ser escravo no Egito. É claro que nesse processo todo José sofreu humilhações, foi difamado, julgado injustamente, preso e ferido, mas em momento nenhum Deus o abandonou.


A cada batalha que ele travou, algo novo aprendeu e, de escravo, passou a ser governador, e todos, até mesmo aqueles que se achavam superiores a ele, tiveram de respeitá-lo, incluindo quem tentou se livrar dele por pura inveja e desamor.


O que eu quero que você entenda é que nem todos se agradam de nós e muitos verão o nosso crescimento como afronta ou ameaça.


Mas nada nem ninguém pode impedir o trabalhar de Deus em nós, quando n’Ele depositamos nossa total confiança.

 

De todo mal, Ele nos livra. Ainda que nos joguem na cova dos leões ou na fornalha, Ele não nos desampara nem permite que o mal prevaleça contra nós.


A melhor decisão que você pode tomar por si mesmo neste mundo tão cheio de gente de ego inflado é se merecer todos os dias, não permitindo que pessoas ruins o façam parar no meio do caminho com suas maldades ocultas.


E esse processo só passa a surtir efeitos favoráveis em sua vida quando você começa a selecionar quem realmente está apto a permanecer nela, quem o motiva, quem não se sente insatisfeito com suas conquistas, quem não coloca o pé na sua frente com intuito de jogá-lo no chão, quem aplaude as suas conquistas sem desejar ter a sua essência, quem quer vê-lo bem.

 

Há pessoas maravilhosas em palavras, mas monstruosas em atitudes. Fazem-se de humildes, inteligentes, populares e sábias, mas dão abrigo à arrogância. Acreditam que estão no pódio por terem status, mas não se dão conta de que sua alma está sem direção, sem paz e sem alegrias compartilhadas.


Infelizmente, não estamos imunes a esse tipo de gente, mas podemos evitá-la nos protegendo dos sentimentos ruins que ela tentam gerar em nós quando, por puro prazer, ego ou capricho, tenta nos prejudicar.


*O Segredo

Tem gente que está na pior e quer te ver pior que ela

A pessoa achou que sabia de tudo. Bateu no peito e gritou. Disse ser a dona da verdade. Taxou suas palavras como ofensivas, pois não se alin...