terça-feira, 31 de maio de 2011

Você é a pessoa que você cria...

Você é o criador da maior obra do universo, sua vida. A única pessoa que pode dar a sua forma final é você mesmo. No passado, seus pais o criaram com a ajuda de avós, professores e todo o contexto que foi sua infância. Eles o criaram do jeito deles, e fizeram o melhor que puderam. O ruim é quando você simplesmente mantém o que eles fizeram.

A maioria das pessoas é escrava do passado. Vive como se as situações e soluções do passado se repetissem todos os dias, e não se transforma como deveria.

Uma pergunta para pensar:

— Você seria diferente se tivesse tido outros pais ou outra infância?

Provavelmente, você dirá:

— Sim, Roberto, se eu tivesse tido um pai mais compreensivo, seria uma pessoa mais relaxada. Se tivesse tido uma infância mais tranqüila, poderia estar vivendo em paz.

Sabe o que significa essa resposta? Que você ainda não conseguiu se libertar do seu passado. Está na hora de você ser você e dar um basta aos relacionamentos antigos, da infância, da adolescência, da juventude. Você tem de ser você, independentemente de seus pais e de sua infância. Se você não foi amado, procure um jeito de encontrar amor. Se você era inseguro, descubra a coragem dentro de si. Não deixe que o passado defina sua vida!

Aliás, não permita nem que o presente defina sua vida. Pessoas milionárias podem ficar pobres e pessoas pobres podem virar milionárias. Você pode estar vivendo um grande amor, acomodar-se e ficar sozinho. O presente não decide sua vida. O que decide sua vida é seu comprometimento com seus projetos de vida.

Nesse momento, você pode estar abrindo mão de muitos de seus sonhos. E a grande pergunta é: “Quais desses sonhos farão falta?”

Talvez um de seus maiores sonhos tenha sido viver um casamento gratificante, um relacionamento em que os dois pudessem crescer, mas hoje você está sozinho. O que é preciso fazer para que daqui a vinte anos você não se arrependa, de novo, de ter deixado esse sonho para trás?

Muitas pessoas se orgulham de sua capacidade de abrir uma empresa ou escrever um poema, mas se esquecem de criar a si próprias com o mesmo cuidado que colocam em suas metas. São pais que querem que os filhos realizem projetos que eles não conseguiram e que não percebem que a única pessoa que realmente podemos criar somos nós mesmos. Você é a pessoa que você cria... Se não está gostando do resultado, mude! Seu crescimento lhe dará energia para continuar a percorrer o caminho e ser o grande artista da sua vida

por Roberto Shinyashiki

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Disciplina do Pensamento

Você consegue imaginar quantos pensamentos temos por dia?

Estudiosos informam que temos entre sessenta a noventa e cinco mil pensamentos em vinte e quatro horas.

É uma quantidade realmente muito grande...

Isso significa, por exemplo, que durante esta mensagem poderemos chegar a ter entre duzentos a trezentos e trinta pensamentos!

Trazemos então uma primeira reflexão: Quantos desses tantos pensamentos diários são bons, úteis? Quantos são maus, inúteis?

Infelizmente a maioria deles ainda não pode ser classificada como pensamentos saudáveis e construtivos, porém, existem formas de se disciplinar o pensar, pois bem pensar é a elevada forma de se viver.

Aqui vão alguns ensinamentos importantes a respeito da disciplina do pensamento.

Se meditarmos em assuntos elevados, na sabedoria, no dever, no sacrifício, nosso ser impregna-se, pouco a pouco, das qualidades de nosso pensamento.

É por isso que a prece improvisada, ardente, o impulso da alma para as potências infinitas, tem tanta virtude.

É preciso aprender a fiscalizar os pensamentos, a discipliná-los, a imprimir-lhes uma direção determinada, um fim nobre e digno.

Cada tipo de pensamento tem que ter a sua hora, o seu lugar. Não devemos estar em casa, com a família, e com os pensamentos em outro lugar, como, por exemplo, no ambiente de trabalho.

Cada vez que surja um mau pensamento, essa fiscalização fará com que um alerta se acenda em nós, e tomemos alguma atitude para expulsá-lo o mais rápido possível.

É bom também viver em contato, pelo pensamento, com escritores de gênio, com os autores verdadeiramente grandes de todos os tempos e países, lendo, meditando sobre suas obras, impregnando o nosso ser da substância de suas almas.

É necessário escolhermos com cuidado nossas leituras, depois amadurecê-las e assimilar-lhes a quintessência. Em geral lê-se demais, lê-se depressa e não se medita.

O estudo silencioso e recolhido é sempre fecundo para o desenvolvimento do pensamento. É no silêncio que se elaboram as obras fortes.

Há também a prática de meditar. Na meditação o Espírito se concentra, volta-se para o lado grave e solene das coisas. A luz do mundo espiritual banha-o com suas ondas.

Evitemos as discussões ruidosas, as palavras vãs, as leituras frívolas.

Sejamos sóbrios de jornais, TV e Internet. O contato com essas mídias, fazendo-nos passar continuamente de um assunto para outro, torna o Espírito ainda mais instável.

A alma oculta profundezas onde o pensamento raras vezes desce, porque mil objetos externos ocupam-no incessantemente.

Disciplinar os pensamentos significa disciplinar a vida, e escolher caminhos mais seguros.

Na nascente de todos os atos, palavras e ideias estão os pensamentos. Mudemos a matriz e teremos uma vida renovada e mais feliz.

Lembremo-nos: bem pensar é a elevada forma de viver!

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Positivismo: Por que é importante acreditar sempre!

As pessoas que admiramos sempre avançam e nunca deixam que as tempestades as afastem de sua rota. Elas têm a capacidade de acreditar em seus projetos, mesmo quando tudo parece impossível.

Lembro-me de uma ocasião, que talvez tenha sido o pior momento da minha vida. Um dos meus filhos estava com uma série de convulsões. Os médicos lutavam como podiam para socorrê-lo. Até que, em determinado momento, um deles se aproximou de mim e disse que teria de aumentar a dose de certo medicamento. Como médico, eu sabia que aumentar a dose significaria a possibilidade de meu filho morrer. Mas, ao ver o sofrimento dele, aceitei o aumento da medicação e rezei mais ainda do que eu já vinha rezando.

 
Alguns minutos depois da aplicação do medicamento, as convulsões foram diminuindo, até que cessaram por completo. A adrenalina que liberei nesse momento pareceu ficar no meu sangue durante muitos anos. Em alguns momentos de nossas vidas tudo parece escuro e a única certeza que temos é que precisamos acreditar, rezar e trabalhar duro.

Os grandes médicos sabem disso. Muitas vezes, quando tudo parece perdido, eles sabem que somente existe um caminho: acreditar. No momento em que acreditamos que vamos conseguir, ganhamos lucidez para decidir e nossos braços se tornam fortes para batalhar.

Não importa quantos obstáculos você vai ter, nem quantos golpes vai receber: é preciso sempre levantar a cabeça e avançar. Quando você observa a história de pessoas de sucesso, vê que elas sofreram muitas derrotas antes de serem reconhecidas.

Beatles e Harry Porter

Você pode imaginar quantas gravadoras recusaram os discos dos Beatles no início da carreira deles?

A situação chegou a tal ponto que eles pensaram seriamente em desistir. George Harrison até arrumou um emprego de office-boy. Felizmente a crise passou e eles voltaram a batalhar em busca de uma gravadora. O restante da história todos conhecem.

Os livros de Harry Potter são romances fantásticos criados pela escritora britânica J. K. Rowling. Os filmes com base nos livros são campeões de bilheteria. Mas pouca gente sabe que o primeiro volume da série, Harry Potter e a Pedra Filosofal, foi recusado por cinco grandes editoras inglesas antes de ser publicado, em 1997.

O que teria acontecido se a autora tivesse desistido de seu projeto quando recebeu o primeiro “não”?

Quando você estiver lutando para realizar um objetivo de vida, inevitavelmente os problemas vão aparecer. E, se pensar em desistir, lembre-se de dar o próximo passo: “Só mais um passo. Apenas mais um!”.

Logo você vai descobrir que a sua meta está mais perto do que imagina. Às vezes, penso que Deus coloca obstáculos em nosso caminho apenas para percebermos o quanto realmente queremos atingir a nossa meta.

Admiro muito as pessoas que têm a determinação de procurar um emprego, dia após dia, mesmo depois de receber várias respostas negativas. Também tiro o meu chapéu para aquele vendedor que quanto mais “nãos” recebe, mais disposto acorda todos os dias para fazer o que for preciso para realizar sua meta.

Hoje em dia, tenho visto cada vez mais jovens que trabalham durante o dia, sendo muito cobrados em seu trabalho, e à noite vão para a faculdade com uma garra de leão. Antigamente as pessoas também faziam isso, é verdade! Mas o ambiente de trabalho não tinha tanta pressão como tem hoje.

Pressão para atingir metas, tanto para subir na carreira quanto para não ser demitido. Infelizmente, grande parte das pessoas desiste logo de seus sonhos. Sua vida vai ficando vazia, pois viver sem sonhos é como caminhar na escuridão. As pessoas que abandonam os próprios sonhos na verdade abandonam também sua alma pelo meio do caminho. Não desista do seu sonho.

Algumas vezes você vai ter de trocar de namorado, quando perceber que ele não quer construir um sonho com você, mas não abandone seu sonho de ter um casamento feliz. Outras vezes, você vai ter de abandonar uma empresa, porque ela não lhe oferece oportunidades de crescimento, mas não abandone o seu sonho de ser um profissional de sucesso. Acredite em Deus. Acredite em você. Respeite as pessoas e avance sempre.

por Roberto Shinyashiki

quinta-feira, 26 de maio de 2011

O PODER DA ORAÇÃO

Alguma vez você já sentiu urgência em orar por alguém e simplesmente você o colocou em uma lista e falou "Orarei por ele depois"?
Ou alguém alguma vez lhe chamou e lhe disse: "Preciso que ore por mim"?
Na História à seguir, você poderá mudar sua forma de pensar sobre a oração e também a forma de fazê-la
Enquanto eu servia em um pequeno hospital, na Africa, a cada duas semanas eu ia, de bicicleta por dentre a selva, até uma cidade próxima, para comprar provisões.
Esta era uma jornada de dois dias e era necessário acampar à noite, na metade do caminho.

Em uma dessas jornadas, cheguei à cidade, onde planejava sacar meu dinheiro no banco, comprar medicamentos e provisões, e depois iniciar meus dois dias de jornada de regresso ao hospital.
Quando cheguei à cidade, observei dois homens brigando e um deles havia sido seriamente ferido.
Tratei dos seus ferimentos e ao mesmo tempo lhe falei do Senhor Jesus Cristo.
Viajei por dois dias, acampando à noite, e cheguei em casa sem nenhum incidente.
Duas semanas depois, repeti minha jornada.
Quando cheguei à cidade, fui abordado por aquele jovem homem, cujas feridas eu havia tratado.
Ele me disse que sabia que eu levava dinheiro e provisões. Prosseguiu dizendo-me: alguns amigos e eu lhe seguimos até a selva, sabendo que você ia acampar à noite, nós planejamos matá-lo e tomar o seu dinheiro e medicamentos. Todavia, justamente quando íamos atacar o seu acampamento, vimos que estava protegido por 26 guardas armados.
Então comecei a rir e lhe disse que com certeza eu estava sozinho no acampamento, no meio da selva. O jovem homem apontou em minha direção e me falou:
Não, senhor, não estava só, pois vi os guardas. Meus cinco amigos também os viram e nós os contamos. Por causa desses guardas, nos assustamos e lhe deixamos tranquilo.

Quando da sua volta, o missionário contou isso no sermão, e um dos homens da igreja se pôs em pé, interrompeu a mensagem e lhe perguntou se ele poderia dizer exatamente em que dia isso se sucedeu. O missionário contou à congregação o dia e então o homem que lhe interrompeu contou esta história: Na noite do seu incidente na Africa, aqui era manhã e eu estava me preparando para ir jogar golfe. Estava a ponto de sair de casa quando senti a urgência de orar por você. De fato, a urgência do Senhor era tão forte que chamei vários homens da igreja para nos encontrar aqui, no santuário, para orar por você. Poderiam os homens que se reuniram comigo aqui naquele dia, colocar-se de pé?

Então todos os homens que se reuniram naquele dia se puseram de pé. O missionário ficou surpreso quando aquele homem começou a contá-los. Eram 26.

Esta história é um exemplo incrível de como o Espírito do Senhor se move de maneira misteriosa e que com Deus, todas as coisas são possíveis, e o mais importante, mostra como Deus escuta e responde as nossas orações. Agradeça a Deus pelo poder da fé, agradeça a Deus pelo poder da oração e pelos milagres que Ele tem feito em nossas vidas diariamente. Pense nisso...e tenha um bom dia...

quarta-feira, 25 de maio de 2011

A Idade de Ser Feliz

Existe somente uma idade para a gente ser feliz,
somente uma época na vida de cada pessoa
em que é possível sonhar e fazer planos
e ter energia bastante para realizá-las
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.



Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar
e recriar a vida,
a nossa própria imagem e semelhança
e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-se a todos os amores
sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que a gente enfrenta com toda disposição
de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO,
e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente
chama-se PRESENTE
e tem a duração do instante que passa.

Airton Senna disse:
O medo faz parte da vida da gente. Algumas pessoas não sabem como enfrentá-lo, outras - acho que estou entre elas - aprendem a conviver com ele e o encaram não como uma coisa negativa, mas como um sentimento de autopreservação.

Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é "muito" para ser insignificante.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Felicidade - agora ou depois?

Você costuma afirmar que a felicidade foge de você? Que sempre que você está para conquistá-la, ela se vai, como fumaça ao vento?

Você não será porventura daqueles, como muitos de nós, que coloca a sua felicidade no futuro? Algo que é projetado e que um dia, quem sabe, poderá ser alcançado?

Talvez justamente aí resida a grande dificuldade de ser feliz. Não sabemos apreciar o momento que passa, o que temos, o que somos, onde estamos.

Vejamos. Quando andamos a pé, nossa felicidade está em comprar um carrinho. Não importa o tamanho, a cor, o ano. Importante que rode, que nos leve de um lado a outro, sem longas esperas em terminais de ônibus.

Quando, afinal, conseguimos adquirir o carro e começamos a utilizar, passamos a desejar ter um maior, mais confortável, mais econômico, melhor, enfim. E nisso passa a residir a nossa felicidade.

Sequer nos damos tempo de ficar felizes por termos o primeiro carro. Termos alcançado uma meta.

Quando não temos casa própria, sonhamos com ela. Ficar livres do fantasma do aluguel, podermos, em nossa propriedade, fazer o que desejamos, sem precisar pedir autorização ao proprietário.

Um dia, então, alcançamos o nosso desejo. Eis-nos na casa própria. Em vez de ficarmos felizes, plantarmos um jardim, e ir colocando os pequenos mimos cá e lá, enfeitando nosso cantinho particular, começamos a sonhar com uma casa maior.

Ou, então, em um bairro melhor, com mais comodidades. Afinal, seria interessante que cada membro da família tivesse seu próprio quarto e seu banheiro.

E sonhamos, e sonhamos.

Ora, desejar progredir é próprio do ser humano. Desejar melhorar as condições de vida é natural. Contudo, o que não nos permite sermos felizes, em momento algum, é não valorizarmos a conquista realizada.

E aprendermos que a felicidade não está especialmente em ter coisas, mas em saber dar a elas o seu devido valor.

Mais precioso que o carro, é a possibilidade de andar com as próprias pernas. É ter braços para estreitar, apertar contra o peito quem se ama.

Melhor que a casa onde se reside é gozar da felicidade de um lar, que quer dizer família, lugar de morar, de se expandir, de crescer, de amar e ser feliz.

Eis o segredo da felicidade. Eis porque encontramos seres que nada ou quase nada possuem e sabem sorrir.

Eis porque as crianças, que ainda não entraram no esquema do consumismo, ficam felizes por poder brincar, correr com os amigos.

Elas esquecem se está frio ou calor, se é hora de comer ou de dormir. O importante é gozar até o último momento da brincadeira com os amigos. Por isso, todos os dias, elas nos dizem com seus sorrisos: É possível ser feliz na Terra.

Saúde o seu dia com a oração da gratidão a Deus.

Você está vivo.

Enquanto a vida se expressa, se multiplicam as oportunidades de crescer e ser feliz.

Cada dia é uma bênção nova que Deus lhe concede, dando-lhe prova de amor.

Acompanhe a sucessão das horas, cultivando otimismo e bem-estar.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Por que se Atrasa?

Era uma tarde de domingo e o parque estava repleto de pessoas que aproveitavam o dia ensolarado para passear e levar seus filhos para brincar.

O vendedor de balões havia chegado cedo, aproveitando a clientela infantil para oferecer seu produto e defender o pão de cada dia.

Como bom comerciante, chamava atenção da garotada soltando balões para que se elevassem no ar, anunciando que o produto estava à venda.

Não muito longe do carrinho, um garoto negro observava com atenção. Acompanhou um balão vermelho soltar-se das mãos do vendedor e elevar-se lentamente pelos ares.

Alguns minutos depois, um azul, logo mais um amarelo, e finalmente um balão de cor branca.

Intrigado, o menino notou que havia um balão de cor preta que o vendedor não soltava.

Aproximou-se meio sem jeito e perguntou:

Moço, se o senhor soltasse o balão preto, ele subiria tanto quanto os outros?

O vendedor sorriu, como quem compreendia a preocupação do garoto, arrebentou a linha que prendia o balão preto e, enquanto ele se elevava no ar, disse-lhe:

Não é a cor, filho, é o que está dentro dele que o faz subir.

O menino deu um sorriso de satisfação, agradeceu ao vendedor e saiu saltitando, para confundir-se com a garotada que coloria o parque naquela tarde ensolarada.

* * *

O preconceito é uma praga que se alastra nas sociedades e vai deixando um rastro de prejuízos, tanto físicos como morais.

O preconceito de raça tem feito suas vítimas, ao longo da História da Humanidade.

Mas não é somente o preconceito racial que tem sido causa de infelicidade. Esse malfeitor também aparece disfarçado sob outras formas para ferir e infelicitar.

Por vezes, surge como defensor da religião, espalhando a discórdia e a maldade, o sectarismo e os ódios sem precedentes.

Outras vezes apresenta-se em nome da preservação da raça, gerando abismos intransponíveis entre os filhos de Deus.

Também costuma travestir-se de muro entre as classes sociais, fortalecendo o egoísmo, o orgulho, a inveja e o despeito.

Podemos percebê-lo, ainda, agindo como barreira entre a inteligência e a ignorância, disfarçado de sabedoria, impedindo que o mais esclarecido estenda a mão ao menos instruído.

O preconceito também costuma aparecer travestido de patriotismo, criando a falsa expectativa de supremacia nas mentes contaminadas pela soberba.

Ele também pode ser percebido com aparência de idealismo político, explorando mentes juvenis inexperientes e sonhadoras, que são usadas como massa de manobra.

Como se pode perceber, o preconceito é um inimigo público que deveria ser combatido como se combate uma epidemia.

Essa chaga social tem emperrado as rodas do progresso e da paz.

Por essa razão, vale empreender esforços para detectar sua ação, sob disfarces variados, e impedir sua investida infeliz.

Começando por nós mesmos, vamos fazer uma autoanálise para verificar se o preconceito não está instalado em nosso modo de ver, de sentir, comandando nossas atitudes diárias.

Depois, extirpar de vez por todas esse mal que teima em nos impedir de viver a solidariedade e a fraternidade sem limites, como propôs o Mestre de Nazaré.

* * *

A fraternidade é a chave que rompe as amarras que nos retém nas baixadas, quais balões cativos, e nos permite ganhar as alturas, elevando-nos acima das misérias humanas.

Para isso, lembremo-nos do vendedor de balões e ouçamos a sábia advertência da nossa própria consciência:

Não é a cor, nem a raça, nem a posição social, nem a religião, nem as aparências externas, filho, é o que está dentro de você que o faz subir.

Pense nisso!

sexta-feira, 20 de maio de 2011

A Garrafa de Vinho

Nos Alpes Italianos existia um pequeno vilarejo que se dedicava ao cultivo de uvas para produção de vinho.

Uma vez por ano, acontecia uma grande festa para comemorar o sucesso da colheita.

A Tradição exigia nessa festa cada morador do vilarejo trouxesse uma garrafa do seu melhor vinho, para colocar dentro de um grande barril, que ficava na praça central.

Um dos moradores pensou:"Porque deverei levar uma garrafa do meu mais puro vinho? Levarei água, pois no meio de tanto vinho o meu não fará falta"
Assim pensou e assim fez.

Conforme o costume, em determinado momento, todos se reuniram na praça, cada um com sua caneca para provar aquele vinho, cuja fama se estendia muito além das fronteiras do país.

Contudo, ao abrir a torneira, um absoluto silêncio tomou conta da multidão.
Do barril saiu....água!!!

MORAL DA HISTÓRIA

"A ausência da minha parte não fará falta." foi o pensamento de cada um dos produtores....
Muitas vezes somos conduzidos a pensar "Tantas pessoas existem neste mundo! Se eu não fizer a minha parte, isto não terá importância". Mas e se todos agirem assim??? Pense nisso... E tenha um bom dia...

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Feijões ou Problemas? Você Escolhe!

Reza a lenda que um monge, próximo de se aposentar, precisava encontrar um sucessor.
Entre seus discípulos, dois já haviam dado mostras de que eram os mais aptos, mas apenas um poderia sucedê-lo.

Para sanar as dúvidas, o mestre lançou um desafio, para colocar a sabedoria dos dois a prova: ambos receberiam alguns grãos de feijão que deveriam colocar dentro dos sapatos, para então empreender a subida de uma grande montanha.

Dia e hora marcados, começa a prova.
Nos primeiros quilômetros, um dos discípulos começou a mancar.
No meio da subida, parou e tirou os sapatos.
As bolhas em seus pés já sangravam, causando imensa dor.
Ficou para trás, observando seu oponente sumir de vista.
Prova encerrada, todos de volta ao pé da montanha, para ouvir do monge o óbvio anúncio.

Após o festejo, o derrotado aproxima-se e pergunta como é que ele havia conseguido subir e descer com os feijões nos sapatos:

- Antes de colocá-los no sapato, eu os cozinhei - foi a resposta.

MORAL DA HISTÓRIA

Carregando feijões ou problemas, há sempre um jeito mais fácil de levar a vida.

Problemas são inevitáveis. Já a duração do sofrimento é você quem determina.

Aprenda a cozinhar seus feijões! Pense nisso...e tenha um bom dia...

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Enfim, o Fim...

Acabou, não dar mais para ser seu...Tentei...Corri...Fiz...Falei...Chorei...Ri enfim LUTEI, mas acabou e você para mim morreu.
Muitas vezes fui e voltei, falei e me contrariei, briguei e não me levei a serio, errei e tornei a errar, mas infelizmente já chega...Libertei-me.
Dói, ainda sinto sua falta, seu cheiro está em determinadas roupas, sua foto mexe muito comigo, só que cansei de não ser correspondido.
Não lamento pelos momentos que não vivemos juntos, pela história perfeita que gostaria de ter escrito, porém lamento por você não ter observado que o grande amor da sua vida estava o tempo todo a sua disposição.
Nunca me arrependi de nada que fiz e hoje tenho a total consciência que tudo eu fiz foi por mim, para te ter, pena que você não disse a palavrinha mágica: SIM.
Esperei tempos por uma reposta positiva...Dormir e acordei desejando isso, sonhei e viajei com minhas ilusões, fui a marte e júpiter pensando em nos dois...Só que você me retribuiu com a incerteza, com o NÃO como resposta...Sofri, vivi momentos de choros incessantes, visitei o inferno dos amantes não correspondidos, abracei a solidão, convivi com a noite fria e beijei os lábios da angustia.
Mas cansei, me ergui e me levantei...Sequei as lagrimas, voltei para a terra, abracei a oportunidade, convivi com a esperança e beijei a renovação. Lembranças existem e sempre existirão, momentos de felicidades e de tristezas sempre serão lembrados, ciclos acabados sempre rondaram...Para você hoje eu digo adeus e encerro minha persistência, foi bom enquanto durou, mas preciso ser feliz, preciso amar novamente e ser amado de verdade.
Quero intensidade de valorização, ser notado, ter o desejo do meu amada todos os dias...Quero um amor de novela, minha cara-metade do meu lado.
Quero sonhar e não ter que acordar no meio da noite assustado para ver se você ainda está ali ou já se foi.
Quero liberdade para rasgar meu peito e mostrar todos meus sentimentos sem medo de errar.
Enfim...Não quero mais ter esse suposto amor e sim quero um coração palpitando paixão e ardendo em desejo.
O fim sempre é doloroso, mas infelizmente só me resta dizer ACABOU e não morri, porque quem morre é a pessoa que não ama, que não se entrega, que vive atrás de uma mascara.
A vida passa e de nada se leva só os sentimentos que foram conquistados e recebido, por isso ame, sofra, renove e acabe, mas sempre saiba que nunca se morre de amor e sim sempre renasce uma nova esperança para que tudo possa ser diferente um dia como um novo amanhecer.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Você é uma pessoa acomodada?

O indivíduo consciente de sua força interior sempre quer mais. Seja qual for a posição que você ocupa. Um gerente que quer se tornar diretor, um empresário que está crescendo muito ou precisando sair do vermelho, um colaborador que se sente ameaçado por um programa de demissão, etc. Existe uma força dentro de você que o impulsiona a ir adiante.

Estacionar significa decadência, e repetição é sinônimo de acomodação. A capacidade de evoluir é que torna os seres humanos especiais. Os animais, no auge de seu desempenho, simplesmente repetem. A melhor teia que uma aranha pode fazer, por exemplo, é aquela que toda espécie é capaz. O ser humano, entretanto, pode criar, isso o torna único.

Mudar porém é algo que acontece somente quando assumimos a responsabilidade pelo que somos e queremos. Ninguém pode mudar nada por nós. O poder de nos transformar nos pertence. A autocriação é a habilidade que aproxima o ser humano de Deus. O Criador deu-nos a semente da vida, e nossa função é continuar sua obra.

Mudar é uma tarefa maior do que se imagina: implica superar barreiras, quebrar paradigmas, abandonar crenças, descongelar idéias e posturas cristalizadas. Requer um processo contínuo de revisão dos pensamentos e uma abertura permanente para o novo.

Antigamente, as montadoras, os supermercados e vários outros setores costumavam formar cartéis para fazer acordos. A idéia era ficar em casa esperando a tempestade ir embora e aguardar o momento de sol voltar a brilhar.

Então, saíam às ruas de novo. Esse era um tempo em que nossa economia era superprotegida e os grandes acordos transformavam as situações de emergência em oportunidades de enormes ganhos. As empresas, em vez de baixar preços, diminuíam a produção, aumentavam o preço e ganhavam uma margem de lucro muito maior.

Além da força interior que nos impulsiona, nossa escolha pela mudança é fundamental para acompanhar a evolução do universo. As pessoas falam das mudanças do mundo atual, mas não é só a economia que muda, o próprio universo se transforma a cada momento, ele traz em si a dinâmica que gera o movimento dos planetas, o ciclo dos dias, o fluxo das nuvens e das águas, o ritmo da vida de cada planta ou animal. Mudar faz parte da própria vida.

As rápidas transformações do mundo atual exigem também mudanças velozes para enfrentar os novos desafios que surgem. Mudar é também o verbo da realização. Um verdadeiro vencedor sempre aproveita os períodos de incerteza para compreender quais esse verbo proporciona.

Estar aberto para evoluir permanentemente é fundamental para sua carreira. Não deixe que sua vida profissional seja decidida pelo destino. Faça um planejamento consciente para enfrentar os tempos difíceis.

por Roberto Shinyashiki

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Pérolas

A pérola é o resultado da entrada de uma substância estranha, ou um grão de areia, no interior da concha que contém a ostra. A parte interna da concha é uma substância lustrosa chamada nácar. Quando um grão de areia nela penetra, as células do nácar entram em ação e recobrem o grão com várias camadas, para proteger o corpo indefeso da ostra.


Como resultado, uma linda pérola vai se formando no seu interior. Uma ostra que nunca foi ferida não produzirá pérolas, pois a pérola é uma ferida cicatrizada.

Você já se sentiu ferido pelas palavras rudes de um amigo? Já foi acusado de ter dito coisas que não disse? Suas idéias e atitudes já foram rejeitadas ou mal interpretadas? Então produza uma pérola! Cubra suas mágoas e as rejeições sofridas, com camadas e camadas de perdão e amor.

Infelizmente, são poucas as pessoas que aprendem a não cultivar ressentimentos, e por isso deixam as feridas abertas, alimentando-as com sentimentos inferiores, não permitindo que cicatrizem, e daí o haver tantas ostras vazias!

Não porque não tenham sido feridas, mas porque não souberam compreender, perdoar e transformar a dor em amor. Fabriquemos pérolas!

Autor desconhecido

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Abraço de Deus

É uma avó que conta que, certo dia, sua filha lhe telefonou do Pronto-Socorro. Sua neta, Robin, de apenas seis anos, tinha caído de um brinquedo, no pátio da escola, e havia ferido gravemente a boca.
A avó foi buscar as irmãs de Robin na escola e passou uma tarde agitada e muito tensa, cuidando das crianças, enquanto aguardava que a filha retornasse com a menina machucada.

Quando finalmente chegaram, as irmãs menores de Robin correram para os braços da mãe. Robin entrou silenciosa na casa e foi se sentar na grande poltrona da sala de estar.
O médico havia suturado a boca da menina com oito pontos internos e seis externos. O rosto estava inchado, a fisionomia estava modificada e os fios dos cabelos compridos estavam grudados com sangue seco.
A garotinha parecia frágil e desamparada. A avó se aproximou dela com o máximo cuidado. Conhecia a neta, sempre tímida e reservada.
Você deseja alguma coisa, querida? Perguntou.
Os olhos da menina fitaram a avó firmemente e ela respondeu:
Quero um abraço.

À semelhança da garotinha machucada, muitas vezes desejamos que alguém nos tome nos braços e nos aninhe, de forma protetora.
Quando o coração está dilacerado pela injustiça, quando a alma está cheia de curativos para disfarçar as lesões afetivas, gostaríamos que alguém nos confortasse.
Quando dispomos de amores por perto, é natural que os busquemos e peçamos: Abrace-me. Escute-me. Dê-me um pouco de carinho. Um chá de ternura.

Contudo, quando somos nós que sempre devemos confortar os outros, mais frágeis que nós mesmos, ou quando vivemos sós, não temos a quem pedir tal recurso salutar.
Então, quando estivermos ansiosos por um abraço consolador nos nossos momentos de cansaço, de angústia e de confusão, pensemos em quem é o responsável maior por nós.
Quando não tivermos um amigo a quem telefonar para conversar, conversemos com Nosso Pai. Sirvamo-nos dos recursos extraordinários da oração e digamos tudo o que Ele, como Onisciente, já sabe, mas que nós desejamos contar para desabafar, aliviar a tensão interna.

Falemos das nossas incertezas e dos nossos dissabores, sobre as nossas decepções e nossos desacertos e nos permitamos sentir o envolvimento do Seu abraço de Pai amoroso e bom.
Não importa como o chamemos: Pai, Deus, Criador, Divindade. O importante é que abramos a nossa intimidade e nos permitamos ser acarinhados por Ele.
Ele sempre está pronto para abraçar Seus filhos, sem impor condições.
E se descobrirmos que faz muito tempo que não sentimos esse abraço Divino, tenhamos a certeza de que faz muito tempo que não o pedimos.

Victor Hugo, poeta e romancista francês, escreveu um dia: Tenha coragem para lidar com as grandes tristezas da vida. E paciência para lidar com as pequenas.
E, depois de ter cumprido laboriosamente sua tarefa diária, vá dormir em paz.
Deus continua acordado.
Pensemos nisso. Deus está sempre acordado, e velando por nós.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Aprenda a Cultivar o Alto Astral

A sociedade pressiona as pessoas para que sejam sérias, contraídas. Parece até que essa conduta tem o poder de garantir que as coisas sejam bem-feitas, os relacionamentos honestos e que educação e ética sejam qualidades pessoais irreversíveis.

Outro dia, li numa placa: "Não leve a vida a sério. Você não vai sair vivo dela". A seriedade limita a criatividade. É como um pântano que o alto astral consegue transformar em jardim.

Muitas vezes, a pretexto de ser realista, o indivíduo acaba transformando-se em um pessimista. "Preciso examinar todos os problemas, analisar todas as dificuldades porque, do contrário, as coisas não funcionam", diz. É importante ter alto astral . O psicólogo Martin Seligman, autor do livro Learned Optimism [Otimismo Aprendido], traçou um quadro muito interessante da diferença entre o otimista e o pessimista.

O pessimista acredita que os eventos negativos têm origem em condições definitivas. Por exemplo: "Perdi o horário do vôo porque sempre dou azar com avião". Para ele, os eventos positivos provêm de circunstâncias temporariamente positivas: "Meu chefe me elogiou porque queria que eu fizesse hora extra".
O otimista, ao contrário, atribui uma falha a um motivo circunstancial: "Perdi a partida porque estava exausto". E, para ele, as situações favoráveis são causadas por fatos permanentes: "Meu marido trouxe flores para mim porque me ama".

Quando as coisas dão errado para um pessimista, ele logo faz a decepção invadir todas as esferas de sua vida e se culpa, ainda que o erro não tenha sido seu. O otimista, ao contrário, reage com tranquilidade e pensa: "Bem, todo mundo tem seu dia de azar". Em seguida, procura uma solução para livrar-se logo do problema. Diante de uma dificuldade, o pessimista acha que ela nunca será superada e que aparecerão muitas outras, enquanto o otimista tem a capacidade de analisar qualquer tipo de questão, organizá-la e solucioná-la rapidamente.

Muitos conseguem vencer na vida mesmo sendo pessimistas. Mas por que pagar tão caro por suas vitórias? Por que se desgastar tanto para ter êxito? Comece a cultivar o alto astral dentro de você, a brincar com os reveses da vida, a enfrentar com bom humor até as situações mais complicadas.

O alto astral é uma forma de ver a vida. Portanto, é diferente do prazer. Quando falamos de prazer, inevitavelmente pensamos em sexo, comida, lazer. O alto astral é bem mais do que isso. É um gesto de generosidade com a vida, com os erros, com as dificuldades. A seriedade leva ao julgamento; o alto astral , à compreensão. Uma boa maneira de saber como anda seu astral é observar se está julgando os outros.

Quando alguém está feliz não perde tempo nem energia com isso. O alto astral tem origem na bondade, que, por sua vez, começa no amor. O amor cria a verdadeira alegria de viver. Ame todas as pessoas e brinque com elas, especialmente com você mesmo.

por Roberto Shinyashiki

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Hoje

Hoje vejo o quanto te magoei, hoje sinto no peito o peso das palavras que tanto falei, em meio a um orgulho cego, orgulho esse que me mostra hoje claramente o quanto eu falhei e te decepcionei.
Hoje eu vejo em seus olhos uma decisão dura demais para mim, esses olhos que antes não cansava de olhar e imaginar.
Hoje ouço frases ditas por mim mesmo, mas por uma boca que não é a minha e sinto medo, sinto medo do tempo, dos dias, das horas e fico sem respostas para explicar o porque sou assim.

E da minha boca só ouço desculpas agora, e me surpreendo, pois era questão de horas para aquela menina meiga vir me pedir desculpas mesmo sabendo que não estava errada.
Mas hoje seus olhos continuam firmes, não são mais como antes, você não sabe mais sua voz machuca sem querer, o negar de um simples beijo dói demais, hoje eu vejo o quanto sou dependente de você.
Eu não consigo te aceitar só por alguns minutos ou horas contadas.

hoje percebo que as mesmas frases são ditas e repetidas dia após dia, e a minha tristeza aumenta a cada minuto pedido, é engraçado ver o quanto é importante esses valiosos minutos antes tão desperdiçados.
Sinto falta das coisas mais simples!
Faz tempo que não te vejo sorrir por alguma coisa boba que falei, de falar e ouvir a palavra Amor dita antes tantas vezes durante o dia, sinto falta de te contar as coisas que me acontece durante o dia, de me sentir calmo ao seu lado, pois além de tudo você se transformou em minha amiga.

Sinto falta da gente imaginando como seria daqui a algum tempo, fazer planos absurdos para rirmos um da cara do outro.Lembra!! De descer a rua de mãos dadas enganando as horas para que elas fossem mais devagar, fazendo você rir e sentir sua falta mesmo antes de você dizer tchau e virar a esquina.
E hoje parecemos dois estranhos, queremos explicar o que acontece mas já sabemos, ou não queremos ver e mais uma vez as mesmas palavras e frases são ditas novamente.

As vezes me sinto em dívida com você, mesmo sabendo que já fiz coisas que não faria por outra pessoa, mas não foram o bastante,e fico a lembrar de uma certa carta que você dizia que precisaríamos estar sempre juntos para passar essas tais barreira, mas me sinto como se estivesse parado no meio do caminho, você seguiu sem mim mas não conseguiu sozinha, e estamos os dois parados enquanto o tempo não para de passar.

Sinceramente eu tenho medo de te perder pois, sim eu espero que seja você! Mas se esse tempo passar a minha ou a sua cabeça mudar, eu não quero que seja assim só uma experiência de vida na minha e na sua, mesmo que isso seja hoje o melhor para nós, pois afinal nós sabemos que não vai acabar assim.
Ter você assim tão pouco é que me faz te amar tanto, mas não ter você nem esse pouco, me faz sentir tão Vazio.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Nunca por bagatelas

Como é que você se sente diante de uma situação inesperada que lhe desagrada?

Quando está, por exemplo, viajando numa estrada cheia de buracos, desvios, lombadas, e um motorista lerdo à sua frente o faz atrasar ainda mais a viagem?

Ou então, quando está numa festa e alguém derrama molho no seu paletó ou vestido novo?

Ou, ainda, quando chega para almoçar, com muita pressa, e o almoço ainda não está na mesa?

Ou quando alguém resolve colocar o carro trancando a sua vaga na garagem e você, que está atrasado, não pode sair?

No momento em que nos encontramos numa situação dessas ou de outras similares, o que muitos de nós costumamos sentir é uma grande irritação.

No entanto, todas essas coisas comparadas com outras mais importantes, não passam de bagatelas.

Nós podemos, e devemos, para o bem da nossa saúde, evitar esses ataques de cólera desnecessários.

Afinal, o que significa um bife cru, quando pedimos um bem passado?

Uma peça de roupa perdida na lavanderia?

O sinal vermelho que leva tanto tempo para abrir?

A máquina de lavar roupas que quebrou?

A comida queimada, os garotos que se engalfinham?

São bagatelas!

Muito pouco para estragar um dia, uma hora, um momento!

Existem tantas coisas importantes em nossas vidas para serem observadas, que não vale a pena perder tempo e saúde com irritações que poderiam ser evitadas.

Assim, sejamos pessoas pró-ativas, não reagindo diante de situações que não podemos evitar.

Tomemos atitudes inteligentes. Se a comida queimou, o fato está consumado. Busquemos uma solução ao invés de querer crucificar o culpado. Peçamos uma pizza, um sanduíche ou outra alimentação que nos agrade.

Se a roupa foi perdida na lavanderia, tomemos as providências cabíveis, sem irritação.

Se o trânsito está parado, é uma boa oportunidade para apreciar a paisagem à volta, conversar com os companheiros de viagem, trocar idéias, mas sem irritação ou críticas descabidas.

Se começarmos a agir com sabedoria diante das situações que antes nos irritavam, é bem possível que os que nos cercam nos tomem por louco ou alienado, mas isso também são bagatelas, diante do bem que estamos fazendo a nós próprios e aos que nos rodeiam.

Ademais, se a irritação resolvesse os problemas e dissolvesse todas as situações desagradáveis, ela teria sido recomendada pelo próprio Cristo, que é Modelo e Guia da Humanidade.

No entanto, Jesus foi muito claro em Sua assertiva: Bem-aventurados os que são brandos e pacíficos.

Nossos momentos de cólera podem nos custar muito.

Não são poucos os casos de pessoas que têm uma parada cardíaca num momento de irritação violenta, ou cometem desatinos, dos quais minutos depois se arrependem.

Assim sendo, não nos deixemos cair nas malhas da cólera.

E tenhamos sempre em mente a seguinte proposta: Nunca nos irritemos, e muito menor por bagatelas

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Antes de condenar...

Conta o escritor Stephen Covey, em um de seus livros, um fato ocorrido com ele, numa manhã de domingo, no metrô de Nova York.

As pessoas estavam calmamente lendo jornais, divagando, descansando com os olhos semicerrados. Era uma cena calma e tranqüila.

Subitamente, um homem entrou no vagão do metrô com os filhos. As crianças faziam algazarra e se comportavam mal. O clima mudou instantaneamente.

O homem sentou-se ao lado de Stephen e fechou os olhos, aparentemente ignorando a situação.

As crianças corriam de um lado para o outro, atiravam objetos e chegavam a puxar os jornais dos passageiros, incomodando a todos.

Mesmo assim o pai não fazia nada.

Para Stephen era quase impossível evitar a irritação. Ele não conseguia acreditar que ele pudesse ser tão insensível a ponto de deixar que seus filhos incomodassem os outros daquele jeito, sem tomar uma atitude.

Dava para perceber facilmente que as demais pessoas também estavam irritadas.

A certa altura, enquanto ainda conseguia manter a calma e o controle, Stephen virou-se para o homem e disse: Senhor, seus filhos estão perturbando muitas pessoas. Será que não poderia dar um jeito neles?

O homem olhou para Stephen, como se estivesse tomando consciência da situação naquele exato momento, e disse calmamente: Sim, creio que o senhor tem razão. Acho que deveria fazer algo. Acabamos de sair do hospital, onde a mãe deles morreu há uma hora... Eu não sei o que pensar, e parece que eles também não sabem como lidar com isso.

Nós podemos imaginar como Stephen se sentiu naquele momento...

Diante da resposta inesperada, ele passou a ver a situação de um modo diferente. E como via diferente, pensava, sentia e agia de um jeito diferente.

* * *

Quantas vezes nós vemos, sentimos e agimos de maneira oposta à que deveríamos, por não perceber a realidade que está por trás da cena.

No mundo conturbado em que vivemos, pensando quase exclusivamente em nós próprios, muitas dores e gemidos ocultos passam despercebidos, e perdemos a oportunidade de ajudar, de estender a mão.

Por isso, é importante que cultivemos em nós a sensibilidade para perceber a dor oculta e amenizar a aridez da vida ao nosso redor.

Geralmente o que fazemos é condenar, sem a mínima análise da realidade de quem está passando por árduas dificuldades.

No entanto, é tão bom quando alguém percebe nossas dores e sofrimentos que não ousamos expressar...

É tão agradável quando alguém nota que estamos atravessando momentos difíceis e nos oferece apoio...

É tão confortador encontrar alguém que leia em nossos olhos a tristeza que levamos na alma dilacerada, e nos acene com palavras de otimismo e esperança...

As pessoas têm maneiras diferentes de enfrentar o sofrimento. Umas se desesperam, outras ficam apáticas, muitas se tornam agressivas, algumas fogem...

Por tudo isso, não devemos julgar a situação pelas aparências, porque podemos nos enganar.

No caso do metrô, após saber o que realmente estava acontecendo com aquele pai e seus filhos, o coração de Stephen tomou-se de compaixão.

Sinto muito. Gostaria de falar sobre isso? Posso ajudar? - Essa foi a atitude daquele que estava prestes a ter um ataque de nervos.

Seus sentimentos mudaram. E mudaram porque ele soube da verdade que se escondia por trás da aparente indiferença de um pai que não sabia como lidar com o próprio sofrimento...

Pensemos nisso!

sábado, 7 de maio de 2011

Perdão Mãe

Mãe!
Faz tantos anos que tu não estás mais comigo...
Mas onde tu estiveres, ouça-me...
Hoje eu quero te pedir perdão minha mãe...
pelo tempo que te troquei por amigos,
por não ter sentado pertinho de ti e
aceitado teus carinhos.
Perdão... pela minha constante impaciência em
ouvir tuas histórias, simples, mas que eram as tuas histórias.
E eu mãe, sempre dono da verdade, cheio de mim, não as ouvia.
Perdão mãe, por não ter te abraçado mais, te beijado mais,
por não ter te mostrado em vida o tanto que eu te amava.
Perdão mãe, pela minha ausência em tantas e tantas noites
que te deixei sozinha, solitária, a troco de diversões.
Perdão mãe, pelas vezes que recusei-me a ir a igreja
contigo.
Perdão, pelos teus conselhos que não segui e hoje vejo
e sei, o quanto eram e me seriam valiosos.
Perdão pela minha constante falta de educação ao recusar
uma blusa de frio, um refresco, um café feito na hora,
que afinal tu fazias com todo carinho do teu coração.
Perdão mãe, por eu não ter te comprendido, pela minha falta
de grandeza, pela minha pequenez em dezenas e dezenas
de momentos, que não adianta relatar aqui, mas que hoje
percebo que eu estava errado e te magoei. E como te magoei.
Perdão mãe, mas perdão mesmo, pelas vezes que te respondi mal,
pelas vezes que elevei minha voz para ti. Que maldade eu fiz.
Que maldade mãe!!!
Ah minha mãe!!! Se arrependimento matasse!
Se eu pudesse ter-te aqui comigo, para te falar o tanto tanto
que tu me fazes falta.
Sabe mãe, a cada dia que passa, quanto mais velho eu fico,
mais eu sinto que preciso de ti.
Hoje, que tenho filhos, sei que para gente eles sempre são crianças,
não importando a idade que tenham.
Mas eu minha mãe! Ah! Como eu gostaria de com a idade que tenho,
ser como criança para estar novamente contigo.
Mas tu não estás aqui mãe!
Nesta nossa conversa de hoje só ouço minha voz.
Não ouço a tua!
E eu queria tanto! Precisava tanto ouvi-la!
Queria tanto segurar tua mão, passar a mão em teus cabelos,
te abraçar, te beijar.
Mas eu não te tenho mais aqui. Deus te levou há tanto tempo.
Estou com saudade mãe! Muita saudade!
E esta saudade me tira um pedaço, me mata.
Perdão mãe, porque ainda não aprendi a viver sem ti
e acho que nunca vou aprender!
Desse homem menino, que só cresceu, mas queria muito,
muito mesmo, "estar na barra da tua saia!"
Saudade!!! Que dolorida e pontiaguda saudade minha mãe!!!
Beijão minha mãe, onde tu estiveres...


Àqueles que ainda têm mãe, aprendam a VER, que ela está aí junto de vocês.
Não menosprezem nunca sua presença.
Verão um dia, o tamanho da dor que é sua falta.
Feliz Dia das Mães, para todas as mães do mundo.

Por

Athos de Alexandria - 10-05-2008

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Perdão de Mãe

A notícia chocou todos os habitantes da pequena República de Palau, na Micronésia.

Um casal e seu filho, assassinados dentro de sua própria casa, por um homem de nome Justin, que buscava apenas alguns bens de consumo para roubar.

O funeral de Ruimar de Paiva e sua família foi acompanhado por cerca de quatrocentas pessoas na cidade de Koror, entre elas o Presidente da República, profundamente abalado.

Um evento, porém, marcou para sempre a vida daqueles habitantes.

Presentes estavam a mãe de Ruimar de Paiva e, também, a mãe do assassino.

Dona Ruth de Paiva, profundamente emocionada, ao fazer um pronunciamento aos presentes, pede a presença da mãe de Justin ao seu lado.

As pessoas ficam em silêncio, quase sem respirar, imaginando o que poderia acontecer naquele momento.

Dona Ruth, trêmula, pega nas mãos da outra mãe, levanta-as em direção aos presentes, e afirma:

Aqui estão duas mães... Estou certa de que a mãe de Justin orou muitas vezes por seu filho, e estou certa de que seu coração está terrivelmente ferido.

A Sra. de Paiva contém as lágrimas, e termina dizendo:

Eu apenas desejo dizer à mãe de Justin que estarei orando por ela... E por Justin.

Segundo declaração do Presidente da República de Palau, que assistiu à cerimônia fúnebre, a habilidade da Sra. Paiva em perdoar, permitia à nação começar um processo de cura.

Disse ainda que perdoar, quando o incidente é tão recente, ajudou muitas pessoas a olharem além da tragédia, e verem que podemos nos perdoar e viver juntos.

* * *

Você seria capaz de perdoar, passando por uma situação dessas?

É natural que a resposta da maioria de nós seja negativa. O perdão ainda se faz difícil no coração das almas da Terra.

Mas exemplos como este, que felizmente já são muitos neste mundo, vêm nos dizer que é possível, que somos capazes de perdoar.

A busca de uma vida mais feliz nos leva pelo caminho do perdão, sem dúvida alguma. Sem esquecer as mágoas, sem abandonar a vingança, não encontraremos dias melhores, tal qual sonhamos.

Ninguém consegue alçar voos, carregando o peso do ressentimento no Espírito.

Perdoar é nos libertar da angústia, do medo, do ódio.

Quem perdoa compreende a justiça de Deus, que tudo vê e que nos faz sempre os únicos responsáveis por nossos atos.

Quem perdoa encontra uma nova forma de amar, a da compaixão, que vê o agente do mal como alguém que sofre, e precisa de ajuda.

Perdoar aos inimigos é pedir perdão para si próprio;

Perdoar aos amigos é dar-lhes uma prova de amizade; perdoar as ofensas é mostrar-se melhor do que era.

(...)Se fordes duros, exigentes, inflexíveis, se usardes de rigor até por uma ofensa leve, como querereis que Deus esqueça de que cada dia maior necessidade tendes de indulgência?

Trabalhemos pelo perdão. Aprendamos como perdoar, dia após dia, experiência após experiência.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Olá...
Que bom ver você aqui...
Essa foi a mensagem que fiz hoje.
Além do texto, hoje vou disponibiza-la
espero que você goste. Segue link abaixo. 
http://www.4shared.com/audio/zidSfNPO/Mensagem_do_dia_04.html


Cesar

Me Entregando...

Há algum tempo as coisas não vão bem.
Preciso de um tempo pra pensar.
Colocar idéias no lugar. Esquecer você.
Há algum tempo venho tentando te convencer.
Em vão.
Palavras parecem tão artificiais, tão passageiras.
Sentimentos poucos, gestos em vão.
Palavras ao vento. Contra-mão.

Há algum tempo eu venho tentando me encontrar.
Tenho deixado eu e o tempo ir.
Me desencontrado.
Há algum tempo eu queria te falar de coisas que carrego comigo, mas não consigo.
Nao me deixo. Calo.
Te convencer tem sido tão difícil que..
Me perdi.
Criei situações que me angustiam e sentimentos muitos.
Te errei. Tenho te deixado caminhar para outra direção.
Sinto que, passei por você e tudo ficou para trás.
O fim. Que incerto há de chegar.
Belo...Assim como aquele pôr-do-sol que vejo só.
Em dias frios o silêncio que consente o vento que bate em minha face,
E que quando fecho os olhos.
É só a sua imagem que me vem,
Mas vai, E passa,
Assim como o vento...
Não me pergunte oque eu faria.
Porque por tras de mim vem uma historia que é diferente da sua.
Eucarrego bagagens que fazem quem hoje sou.
E é como aquela velha frase: "faça oque eu digo, nao oque eu faço".
E nao adianta me olhar com essa cara.
De quem procura verdades em mim.
De quem procura me ouvir e me entender.
Nao me olhe assim.
Nao me venha com palavras certas,com ensaios bobos, isso nao cola.
Eu quero mais.
eu quero a paz e o amor. e voce pode me dar?
Nao sei.
Só sei que há momentos em que voce é ausente de si e de mim e há momentos que me da vontade de sumir.
Portanto nao me faça perguntas dificeis.
eu ja disse, eu nao sou normal.
Nao me impeça de te ter nem que seja por um instante.
Existem momentos em que agente precisa viver, precisa dizer, precisa aprender.
E existem coisas que eu preciso ouvir, pra nao me iludir.
Se for preciso grite comigo, mas nao me impeça de sentir.
esse é o meu maior perigo.
E se nao for ao meu lado o seu bem estar..
Deixe estar que eu te deixo ir.
Mas nao vá antes de eu te mostrar, o melhor de mim.
so queria que voce soubesse que apesar de tudo eu te amo
que tipo de amor é esse ???
desculpas???
nao sao suficiente para fazer passar á minha dor ...
nao sei se posso te dizer,mas te amo meu amor ...
nao queria que assim fosse...

terça-feira, 3 de maio de 2011

Não espere resolver todos seus problemas para ser feliz

Mesmo que você esteja passando por uma fase complicada em sua vida, não espere resolver todos os seus problemas para ser feliz. Mesmo no meio da maior tempestade do mundo, dedique algum tempo à reposição de energias. Sei que isso pode ser um pouco difícil, porque a sua mente vai se concentrar totalmente na resolução do problema, mas tenha certeza de que tomar fôlego será fundamental para ter mais força de enfrentar essa adversidade.

Por mais difícil que seja a situação, faça sempre alguma coisa para aquecer seu coração. Muitas pessoas pensam que devem brincar com os filhos, porque eles estão sentindo a falta do pai. Pense de outra maneira. Perceba que você também está sentindo falta das crianças e que brincar com elas será muito bom para aquecer sua alma e lhe dar mais força para superar os obstáculos.

Olhe para os lados e procure no seu dia-a-dia os momentos que a vida lhe oferece para ser feliz, mesmo que essas oportunidades se apresentem na forma de algo simples como um pão quentinho com manteiga e um café com leite na padaria da esquina.

Talvez você tenha perdido o dinheiro que lhe dava condições de viajar na primeira classe para todos os lugares do mundo. Talvez você não tenha mais condições de jantar nos restaurantes sofisticados aos quais estava acostumado. Se estiver aberto para ser feliz, porém, certamente encontrará formas mais simples, mas não menos alegres, de curtir a vida.

Lembre-se de que as coisas mais importantes da vida são de graça: um abraço do seu filho, o olhar da pessoa amada, um beijo carinhoso do seu pai, o almoço caprichado da mãe. Tudo isso é de graça.

Muitas pessoas que perderam o dinheiro deixaram de lado as oportunidades de ser felizes por incapacidade de perceber que ainda continuavam muito ricas apesar da perda dos bens materiais.

Mesmo diante dos maiores dramas, não desperdice a oportunidade de curtir o sorriso do seu filho, um abraço carinhoso da mulher amada, uma conversa com seu melhor amigo. E, se nada disso estiver disponível neste momento - digamos que você esteja num país distante resolvendo alguma dificuldade -, vá curtir o pôr-do-sol, o céu estrelado ou uma noite de luar.

Se você estiver com insônia, tome um banho bem gostoso e veja o dia amanhecer. Lembre-se: todos os problemas têm solução! Mas algumas delas podem ser demoradas. Portanto, enquanto você resolve suas dificuldades, não deixe de viver.

Sua vocação é estar junto das estrelas, pois você é uma delas e a sua luz interior é mais intensa do que a luz de milhões de sóis reunidos. Esse problema que você está vivendo é simplesmente uma nuvem no seu caminho ao infinito. Acredite em você e tenha fé na sua vitória que, com toda a certeza, amanhã ela chegará. A fé é o melhor alimento dos campeões.

Ter fé é acreditar na vida mesmo quando tudo é adverso. Ninguém precisa de fé quando tudo está dando certo!

Ter fé é acreditar que a luz brilhará mesmo na escuridão mais tenebrosa. Ninguém precisa de fé quando o horizonte está totalmente aberto.

Ter fé é acreditar na sua capacidade mesmo no meio de uma sucessão de derrotas. Ninguém precisa de fé nas vitórias, porque elas são a própria realização da fé que você teve quando começou um projeto.

Ter fé é acreditar que Deus está sempre ao seu lado mesmo nos momentos de maior angústia, pois o verdadeiro pai não é aquele que faz a prova para o filho, mas o que torce por suas conquistas.

Ter fé é fazer o seu sonho acontecer mesmo quando todas as pessoas em sua volta não apostam um centavo em você.

Tenha fé em qualquer circunstância!

Acredite sempre na sua capacidade de virar o jogo e tenha certeza de que o universo nunca o abandonará.

E lembre-se: por pior que seja o dia de hoje, sempre existe um amanhã!

por Roberto Shinyashiki

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Generosidade

Não raro, encontramos pessoas gentis no trato social. São aquelas que se preocupam em respeitar os direitos do próximo, em desenvolver seu espírito de cidadania, em buscar palavras e gestos amáveis para com os demais.

Também, com felicidade, encontramos pessoas educadas nas nossas relações sociais. São os companheiros que se fazem atenciosos, que se preocupam com pequenos gestos, como o saudar aos mais velhos, ceder o espaço para a senhora grávida ou apenas dar um telefonema para o conhecido para ter notícias.

Porém, quantas pessoas conseguem ser generosas? Se a gentileza e a educação nascem do respeito ao próximo, se desenvolvem no espírito de cidadania e convivência, a generosidade nasce no coração de quem está pronto para amar fraternalmente.

Vamos encontrar a generosidade no amigo que consegue compreender nossa falta quando esquecemos seu aniversário, e, ao encontrá-lo mais tarde, ao invés de nos cobrar o esquecimento, simplesmente nos oferece o coração aberto e espontâneo de sempre.

Será fruto da generosidade da alma quando não necessitamos, nem esperamos por um agradecimento, após ter feito um favor a alguém, pois o simples fato de poder ajudar a quem nos pediu nos é suficiente para preencher o coração com satisfação, sem aguardarmos nenhum tipo de reconhecimento.

E estaremos prontos para que a generosidade seja nossa companhia quando, tendo razão frente a uma contenda de grande importância ou a uma disputa por nonadas, sejamos capazes de abrir mão de reivindicar nossos direitos, em nome da paz e da boa convivência.

Jesus nos aconselha a cultivar a generosidade no coração quando afirma que se alguém nos convidar a dar mil passos, caminhemos dois mil se necessário. E, se outro nos pedir a capa, que também ofereçamos a túnica.

Muitas vezes, pensamos que generoso é aquele capaz de abrir os cofres e distribuir o muito que tem, quando, não raro, esse muito nem falta lhe fará.

A verdadeira generosidade nasce no coração que é capaz de olhar o próximo e o mundo com complacência e compreensão, sabendo que todos estamos sujeitos a erros, tropeços e enganos.

Seremos generosos quando estivermos despreocupados em conjugar o verbo ter... Ter algo, ter razão, ter alguém, pois nossas preocupações serão as de oferecer... a gentileza, a amizade, a companhia, a compreensão.

Claro que poderemos ensaiar os primeiros passos de generosidade tocando o bolso, para oferecer aquilo que nos sobra aos que têm tão pouco.

Porém, poderemos sempre investir mais e permitir que a generosidade ganhe espaço em nosso mundo íntimo, quando formos capazes de esquecer um tanto de nossas vontades, nossas razões, nossos anseios, para simplesmente semearmos, nos caminhos alheios, as flores perfumadas com a brisa da fraternidade.

Todos os que estendem mãos invisíveis para sustentar vidas, instituições nobres, são semeadores dos tempos novos.

Graças a eles muitos vivem, outros sobrevivem. Alguns despertam da tristeza, inúmeros os imitam, seguindo-lhes as pegadas.

Semeadores generosos, anônimos, perseverantes. Servidores de Jesus.

Que tal aderirmos à generosidade nós também?

Não tenha medo de abrir mão do que você quer para viver o que Deus quer para você

Deus só pode agir naquilo em que O deixamos trabalhar. Às vezes, saímos feridos de um relacionamento, tão machucados, que achamos que o “o a...