terça-feira, 31 de maio de 2022

Tenha fé em Deus. Só não espere que Ele faça por você o que é a sua obrigação.


Deus é grande, sim. Imenso, maravilhoso, impecável. Escreve certo por linhas tortas, tarda mas não falta, ajuda a quem cedo madruga. Mas eu tenho a impressão de que Ele tem mais o que fazer além de solucionar nossos problemas pessoais. E acho, assim, num devaneio, que alguns pedidos nossos Lhe causem muita graça.


Generoso com todos os seus filhos, Deus deve relevar cada coisa! Quando pedem a Ele a solução de uma pendenga financeira, por exemplo, esperando que um maço de dólares despenque do céu, Ele deve suspirar enfastiado. Sobretudo quando se dá conta de que o remetente do tal pedido é alguém gozando de saúde perfeita, com uma cabeça sobre o pescoço e o mundo inteiro à disposição. Alguém com as ferramentas mínimas para trabalhar e buscar o dinheiro de que precisa, mas que prefere pedir a Deus porque assim é mais fácil.


Em suas conversas com Santo Antônio, “o casamenteiro”, Deus decerto relaxa em longas gargalhadas. Porque só o amor e o humor divinos para relevar o mau gosto de simpatias estranhas como o “sequestro” do Menino Jesus dos braços do Santo, em troca de um “bom partido” para casamento.


O Criador deve rir gostoso nessas horas. E com um tapa nas costas do bom Antônio, o abençoa e pede a ele que resolva cada caso como possa. “Mas primeiro os merecedores, Antoninho. Primeiro os merecedores!”.


É claro. Em toda a Sua infinita sabedoria, só Deus sabe o quanto é duro viver por aqui. E que é preciso merecer a vida todos os dias. A quem não foge dessa obrigação, Ele deve olhar com simpatia e todo o Seu amor escandaloso.


Porque quem acredita mesmo em Deus não espera que Ele faça por nós o que é nossa obrigação. Quem acredita em Deus pede a Ele, sim, mas faz a sua parte. Trabalha, enfrenta, avança, recua, cai, levanta, pensa. Mistura fé na vida, amor no coração, vergonha na cara e vai em frente. E a todas essas agradece. Agradece por tudo que há.


De que adianta acreditar em Deus e fazer nada para Ele também acreditar em nós? Será mesmo que o Papai do Céu há de nos salvar se nós aqui esperarmos sentados? Será que Deus há mesmo de fazer por nós as coisas que nos cabem realizar aqui e agora?


Não será uma pretensão ridícula e perigosa do ser humano achar que é tão especial assim a ponto de nada fazer por merecer e apenas aguardar a sua hora de ir para o Céu, enquanto um monte de gente padece aqui embaixo o inferno da fome, do frio e da dor sob nossos olhos indiferentes e nossos passos de pressa? É gente matando gente, bicho, planta, tempo! Gente odiando quem passa perto, querendo mal quem está à frente. Gente piorando cada segundo da vida e pedindo ao Espírito Santo um futuro melhor.


Deus que nos perdoe. Mas essa história ainda vai longe. Vai até a gente aprender a mudar as coisas aqui e agora. Porque o futuro a Deus pertence. E decerto, lá de cima, Ele está vendo tudo e repetindo: “Me ajuda a te ajudar, meu filho. Me ajuda a te ajudar!”


*André J. Gomes 

segunda-feira, 30 de maio de 2022

Grandes mudanças estão a nos esperar, mas a gente não pode ter medo de lançar nossa rede ao mar


Quem dera poder prever e controlar tudo. Quem dera planejar uma semana inteira de sol na praia e chuva fininha na vidraça na noite de domingo pra segunda. Quem dera ordenar a vitória do nosso time e estabelecer a presença dos amigos quando a gente mais precisa. Quem dera controlar a nostalgia e evitar a melancolia. Quem dera decretar que fica proibida a falta de saúde de quem a gente ama. Quem dera instituir a reciprocidade e regulamentar a camaradagem.


Mas o ano, o mês, o dia seguinte, a vida… não marca hora, não cumpre metas, não obedece prazos. Vez ou outra a gente acerta, vez ou outra a gente escolhe o passo certo, vez ou outra somos surpreendidos com o jogo equilibrado. Viver é dar conta de sair da rota, da estrada, da rotina e aceitar a impermanência e a incerteza. Encarar o futuro e entender que, apesar dos planos, ele é incerto. Apesar das agendas, planners, organização e calendários, ele é desencontro. E, assim, aceitar que nem tudo obedece a lógica, mas em contrapartida há um milhão de bênçãos querendo chegar e contrabalancear a fragilidade dos dias.


Viver é querer arrematar e não ter linha suficiente. É achar que precisa de fôlego para subir uma montanha e encontrar um atalho. É esperar raios de sol entrando pela janela e descobrir que ele deu a volta na casa e está iluminando o quintal inteiro. É sair descabelado e trombar no grande amor. É carregar o guarda chuva na bolsa e ganhar carona no final do dia. É jogar os dados e ganhar na loteria.


Porém, de vez em quando acontece. De vez em quando nossas vontades coincidem com os planos de Deus e passamos naquele concurso, somos admitidos na empresa dos sonhos, fechamos aquele contrato, recebemos o telefonema esperado, fazemos aquela viagem, encontramos aquela pessoa. Vida é terra fértil pra quem não desiste de semear e adubar. Pra quem insiste em jogar os dados até acertar. Pra quem consegue suportar os silêncios e vazios sabendo que tudo se renova quando a gente se dispõe a ouvir o que o universo tem pra nos contar. E ele conta…


Tropeçamos, escolhemos errado, criamos expectativas, nos enganamos, ficamos em pedaços. Mas depois descobrimos que temos a capacidade de sermos inteiros novamente. E passamos a ressignificar as perdas e dores. E aprendemos a nos reconectar conosco mesmo, com nossa face mais autêntica, com quem queremos ser, com nossas limitações e vulnerabilidades. E começamos a driblar as imperfeições da vida e de quem convive conosco. E adquirimos a capacidade de jogar os dados e aceitar o resultado que vier, sabendo que tudo são ciclos, fases, encontros e desencontros. Após o inverno da alma, em que nos é exigido paciência e resiliência, vem a fase do encontro, em que damos a mão à existência, fazendo as pazes com nossa história. O mundo gira, gira…


Momentos bons são tecidos a todo instante, mas a gente tem que estar pronto para que eles cheguem de mansinho, embaralhando o ritmo conhecido de nossa vida e nos presenteando com folhas em branco e uma inspiração linda para escrever nossa história com coerência, otimismo e coragem. Grandes mudanças estão a nos esperar, mas a gente não pode ter medo de lançar nossa rede ao mar.


A gente não consegue prever tudo, mas a vida surpreende nos detalhes. Vai ter trevo de quatro folhas, voo sem turbulência, nota esquecida encontrada no bolso do paletó, quebra cabeças de mil peças formando o derradeiro desenho. E então, depois de um gesto gentil no trânsito ou de um elogio sincero no trabalho, talvez a gente consiga perceber que valeu a travessia e os malabarismos, valeu a espera e a insistência, valeu a coragem e a resiliência. Vida é mistério…


*Fabíola Simões 

sexta-feira, 27 de maio de 2022

Que a gente descubra que é maior que aquilo que nos faz mal


Há um livro que gosto muito que se chama “O ano do pensamento mágico”. Ele é o primeiro de uma série de dois livros (o segundo se intitula “Noites azuis”), e conta a história real da autora, Joan Didion, do momento em que subitamente perde o marido _ tomando vinho durante o jantar _ até o ponto em que tem que reorganizar e refazer toda a sua vida sem ele. Paralelo a isso, uma nova etapa tem que ser vencida quando a única filha do casal vem a falecer de uma doença rara e desconhecida.


O livro é uma pancada de realidade nua e crua, e nos leva a refletir sobre o sentido de continuar vivendo e buscando alternativas quando todo o norte de nossas vidas se vai. Logo no início do livro, as frases iniciais dão o tom exato dessa narrativa: “A vida se transforma rapidamente. A vida muda num instante. Você se senta para jantar e a vida que você conhecia acaba de repente”.


A vida se transforma a todo momento. Nossos dias são bagunçados continuamente, e temos que resistir de alguma maneira. Temos que atravessar nossas bagunças diárias para alcançarmos a porção de nós que ainda conserva a calmaria e a paz. A porção de nós que é um rio de águas mansas, apesar de todo barulho do lado de fora.


Todos nós, com raras exceções, já passamos por sustos _ pequenos ou grandiosos_ assim. Viradas bruscas no curso de nossas existências que nos abalaram por completo no início, mas que depois nos permitiram reavaliar o chão em que estávamos pisando.


Alguns lutos são maiores que outros. Mas ainda assim, existe uma semente, enterrada bem no fundo de nosso cerne, que pode florescer novamente. Essa semente tem voz, e nos fala que somos capazes de encontrar algum resquício de sentido no meio de tantas perdas, dificuldades e falhas.


Talvez você goste de cantar, talvez prefira pedalar. Pode ser que goste de escrever, ou de alguma forma escolha ler. Talvez você se encontre ajudando alguém, talvez perceba a sorte que tem.


Descobrir a porção intacta de nós mesmos leva tempo e algum auto conhecimento. Mas ela está lá, esperando ser explorada, como um estepe para momentos vazios.


A porção intacta representa o combustível na hora de virar o jogo. A força por trás de toda dor, capaz de nos levantar de novo. A esperança, nos bastidores da tristeza, capaz de nos impulsionar para outros voos. O desafio de nos tornarmos o melhor que podemos ser com o pouco que restou.


Que a gente descubra que é maior que aquilo que nos faz mal. Que a gente tenha esperança mesmo quando a vida toma um rumo diferente daquele que a gente pensou que pudesse ser o nosso final. Que a gente aprenda que todos temos uma porção intacta, e é através dessa porção que podemos recomeçar de que jeito for. Que a gente não perca a fé, mesmo quando tudo não conspira a nosso favor. Que a gente encontre o cerne de toda alegria e o centro de toda poesia. Que a gente esteja aprendendo continuamente, e resistindo bravamente. E que a gente consiga voar, mesmo quando o mundo parece desabar…


*Fabíola Simões 


Para adquirir o livro “A Soma de Todos os Afetos”, de Fabíola Simões, clique aqui: “Livro A Soma de todos os Afetos”

quinta-feira, 26 de maio de 2022

Grave isso em sua mente: tudo acontece, tudo chega e tudo muda


Não importa quanta dor você esteja sentindo, você deve sempre lembrar que tudo o que acontece conosco tem seu tempo e ritmo, e no final tudo acontece, tudo chega e tudo muda.


Para que isso aconteça, precisamos de paciência, tempo e reflexão, o que não é fácil de alcançar, mas também não é impossível. Então chegará o dia em que recordar o que aconteceu será apenas uma lembrança de um grande aprendizado.


Absolutamente tudo o que acontece conosco tem um começo e um fim, então se algo negativo acontecer, não se desespere, mesmo que isso te perturbe. Tudo passa. E se você estiver em um estágio reconfortante, lembre-se de que você deve aproveitar ao máximo para manter uma boa memória.


Tudo acontece, mas você tem que ter paciência


Quem tem paciência, nada sente falta. Porque seu objetivo é seguir em frente e focar no caminho que te ajuda a devorar experiências, assumir mudanças e não permitir que o presente escape.


Todos ansiamos, em algum momento, que as mãos do relógio corressem mais ou que as páginas do calendário se desdobrassem às pressas. No entanto, com o passar do tempo nos forçamos a refletir sobre a transcendência do que nos acontece e o que queremos fazer acontecer. Nesse sentido, há um provérbio chinês que contém um ensino altamente terapêutico:

 

“Se uma coisa tem uma solução, por que se preocupar, e se não tem solução, por que se preocupar?”

Sempre haverá algo que permanecerá

A verdade é que, embora tudo aconteça, sempre haverá algo que permanecerá sobre o que aconteceu. Quase sempre o aprendizado das circunstâncias que temos que viver impregna parte do que podemos chamar de essência.


Nossa essência está acumulando as transformações que nos são apresentadas. Também devemos usar isso a nosso favor para manter o equilíbrio entre passado, presente e futuro.

 

Quando nossas preocupações são excessivas e a tensão que a acompanha é quase insuportável, devemos repetir que tudo acontece e tudo muda. Como podemos fazer isso?


. Em face de eventos ou momentos angustiantes, devemos nos conscientizar desses estímulos internos e eventos externos que geram ansiedade ou angústia. Podemos conseguir isso tentando provocar uma preocupação e analisando como a realizamos.


. O ideal é praticar estratégias de relaxamento com a respiração ou outras atividades que nos ajudem a focar no aqui e agora (por exemplo, pintar cores de estresse).


. Desta forma, vamos minimizar as expectativas e previsões negativas, concentrando a atenção no momento presente. Não podemos nos deixar levar pelas expectativas errôneas de eventos futuros.


Que tipos de problemas é provável que enfrentemos?


Não existe uma solução mágica para todos os problemas, mas podemos implementar estratégias que nos ajudem a resolver nossas preocupações da melhor maneira possível. Vamos ver em primeiro lugar que tipo de preocupações podemos ter.


Preocupações imediatas


Preocupações sobre conflitos com outras pessoas ou sobre reparos que nossa casa precisa. Esses tipos de problemas são muito imediatos e podem ser resolvidos.


Podemos implementar estratégias de resolução de problemas. Para fazer isso, aproximadamente:

 

. Temos que prestar atenção ao problema, assumindo que os problemas fazem parte da vida diária e que é importante se sentir capaz de enfrentá-los, bem como tentar não responder impulsivamente.


. É importante especificar o que a influencia e quais soluções podemos pensar para enfrentá-la, sejam elas malucas ou não, podemos contemplar tudo em primeira instância. A quantidade de ideias gera qualidade.


. Precisamos tomar decisões em relação às alternativas de solução que nos ocorreram, valorizando prós e contras tanto emocionalmente quanto em termos de tempo e esforço.


. Uma vez tomada a decisão mais sensata, devemos colocá-la em prática. Se não for uma boa solução, repetiremos o processo.


Preocupações não modificáveis


Elas são outro tipo de problemas ou preocupações sobre questões imediatas que não são modificáveis, por exemplo, a doença de um ente querido ou o estado do mundo.


Neste ponto, teremos que implementar estratégias de autocontrole ou reavaliação positiva, por exemplo.


Preocupações irracionais


Um exemplo é o medo de que o fim do mundo venha ou que possamos ficar gravemente doentes de repente e que eles não sejam baseados em uma realidade muito provável. Por isso sugere-se que uma possibilidade de desconstruir e raciocinar os argumentos que desmontam estes pensamentos para que vejamos que são improváveis.


Em todo caso, é importante que tenhamos em mente a ideia de que não há nada permanente e que a própria vida é muito mutável. Devemos defender que transcenda a aprendizagem e não erros ou tristezas.


Não podemos parar de nos afogar, mas continuar nadando para avançar e não perder nenhuma paisagem.


*A Soma de Todos Afetos 


Imagem de capa: Pexels


Traduzido e adaptado do site La Mente es Maravillosa

quarta-feira, 25 de maio de 2022

Quando não é recíproco, não vale o esforço


A não ser que você seja um grande fã de Platão e das obras de Shakespeare, as paixões platônicas não são uma boa opção de relacionamentos. Elas fogem da normalidade, machucam e tiram a paz de quem as sentem.


O conselho é clichê, mas é uma das maiores verdades que há: não existe amor sem reciprocidade. Você pode ler todos os artigos sobre “como conquistar alguém”, pode ser a pessoa mais encantadora do mundo e pode ter viajado o mundo todo, mas não serão essas as atitudes que farão alguém gostar de você. E o motivo é simples: as pessoas são livres para amarem quem quiserem.


Por comodismo ou medo, as pessoas permanecem em relacionamentos frios e predestinados a fracassar. Insistem até o último momento porque o rótulo de “relacionamento sério” é o que mais importa. A sociedade está acostumada a um amor de novelas, aos turbilhões de sentimentos e ao frio na barriga na escala fahrenheit. Dão mais valor ao “eu te amo” do que as atitudes que comprovem a frase.


A verdade é que as pessoas deixam se iludir por situações conveniente a elas. Acreditam no “não ligou porque perdeu meu telefone” ou “é só medo de se entregar”, porque acreditam ser menos doloroso do que enfrentar a realidade.


Algumas pessoas, simplesmente, não valem o esforço. Não valem as noites mal dormidas, os encontros cancelados, nem as indiretas no facebook. Quando há interesse é quase automático o ato de “fazer acontecer”. Quem quer, dá um jeito de ter. Quem se importa, volta para se desculpar. Quem ama demonstra.


Então, meça suas ações e verifique se a oferta não está maior que a procura. Não insista quando perceber que você não é prioridade, nem arrume desculpas para o desinteresse alheio. Há pessoas que simplesmente não valem a música que você dedicou a ela.


Dias atrás li um texto do Carpinejar que me fez refletir sobre isso: “A indiferença é uma doença muito mais grave. Alguém que não está aí para o que faz ou não faz, para onde vai e quando volta. De solidão, chega a do ventre que durou nove meses.”


Seja recíproco: dê o que você espera receber do outro, mas não insista no que não é dado de forma espontânea. Algumas coisas não valem o esforço que fazemos.


*Pamela Camocardi 

terça-feira, 24 de maio de 2022

A vida impõe suas próprias regras


Você pensa que é dono do seu nariz. Que tem maturidade para tomar decisões, que é livre para escolher.


Mas você não conta com o inesperado, com aquilo que vem de repente, te pega de surpresa, aparece no meio da calmaria…_ para te ensinar.


Para lhe mostrar que você ainda não entende nada, que toda experiência que você pensa que acumulou não vai lhe proteger; para lhe mostrar que existe um lado seu que ainda não foi explorado e chegou a hora de conhecer.


A vida lhe dá novas chaves e você tem que abrir compartimentos trancados, há muito tempo escondidos.


Então você percebe que a vida tem seu próprio roteiro, e você ousou achar que seria diferente, ousou acreditar que poderia escrever sua história como bem entendesse.


A vida impõe suas próprias regras, rasga contratos antigos que você havia selado por sua conta com a paz, lhe faz amar a dor. A dor de ser e estar vivo.


E então você aprende que entrar no ritmo da vida é uma questão de sabedoria.

Aprende a aceitar as viradas de página, a acatar os tsunamis.


E você descobre que é capaz, e que em algum lugar no seu íntimo existe uma força que te sustenta quando tudo o mais desmorona…


*Fabíola Simões 


Imagem: PEPPERSMINT / Shutterstock

segunda-feira, 23 de maio de 2022

Previsão do tempo para hoje: você pode estar perdendo o seu


“Ter tempo é um luxo”. Li isso em algum lugar e desconheço o autor, mas, com certeza faz parte das coisas que eu gostaria de ter escrito. Talvez pela verdade que envolva a frase ou pelo medo de perder o tempo que nos resta, o fato é que, minha vida mudou, depois de refletir sobre ela.

Tempo é uma questão de percepção. Para Platão, a origem do tempo possuía uma base cosmológica, para Einstein o tempo não passava de uma ilusão e, para Machado de Assis, o tempo era um destruidor de situações: “o tempo é um rato roedor das coisas, que as diminui ou altera no sentido de lhes dar outro aspecto”.

Michael Ende, famoso escritor alemão, em seu livro “Momo e o senhor do tempo” afirmava que “existe um mistério muito grande que, no entanto, faz parte do dia-a-dia. Todos os seres humanos participam dele, embora muito poucos reflitam sobre ele. A maioria simplesmente o aceita, sem mais indagações. Esse mistério é o tempo. Existem calendários e relógios que o medem, mas significam pouco, ou mesmo nada, porque todos nós sabemos que uma hora às vezes parece uma eternidade e, outras vezes, passa como um relâmpago, dependendo do que acontece nessa hora. Tempo é vida. E a vida mora no coração.”

De qualquer forma, indiferente da linha defendida, a verdade é que não aprendemos a administrar o próprio tempo como deveríamos: temos pressa para tudo, mas não temos tempo para nada.

Planejamos nossas vidas como se soubéssemos quanto tempo nos resta, sofremos por pessoas como se fosse impossível a vida sem elas e acreditamos tudo irá acontecer dentro da nossa agenda programada. Doce engano! Mal sabemos que dirigimos nossas vidas até a metade do caminho. O restante, vivemos das consequências das escolhas feitas.

A sabedoria está em atentar-se a isso enquanto há tempo. Assim como a dieta faz bem ao corpo, a administração do tempo faz bem à alma.

Perder tempo em relacionamentos tóxicos, com pessoas vazias ou deixar se abalar pela maldade alheia é uma forma cruel de matar o próprio tempo e desequilibrar os próprios sentidos.

Então, apenas viva bem e viva agora! Ainda há tempo! Ainda há esperança!Ainda há uma forma de recomeçar! Afinal, “o tempo rende muito quando é bem aproveitado”(Johann Goethe).

Não perca seus dias implorando a atenção alheia. Não perca sua vida acreditando que amores mal resolvidos são lindos. Não divida seus momentos com quem não merece vivê-los. Tenha claro que nada que exija seu tempo, seus sentimentos e sua disposição sem oferecer, no mínimo, reciprocidade, pode ser bom para você.

É hoje que a vida acontece. É com quem fica que os relacionamentos eternizam. É nos dispostos que o amor nasce. Essa história de “vamos dar um tempo” é apenas uma forma covarde de brincar com os sentimentos alheios.


*Pamela Camocardi 


Imagem de capa: Elizaveta Lavrik, Shutterstock

sexta-feira, 20 de maio de 2022

NÃO TE DEMORES ONDE NÃO TE VALORIZAM


Um Pai antes de morrer disse ao seu filho:


– Este é um relógio que o teu avô me deu. Tem mais de 200 anos. Mas antes de te o entregar, peço-te que vás à relojoeiro do centro, diz-lhes que queres vendê-lo, para veres quanto ele vale.


O filho foi. Depois voltou e disse ao pai:


– O dono da relojoaria paga-me 5 euros porque diz que ele é velho.


O Pai disse-lhe:


– Vai ao café e pergunta ao dono quanto é que te dá por ele.


O filho foi. Depois voltou, e disse:


– Pai, também me pagam 5 euros.


– Muito bem. Peço-te, por último, que vás ao museu e mostres o relógio ao diretor.


Ele saiu e algum tempo depois voltou. Disse então ao pai:


– Não vai acreditar. O diretor disse-me que este relógio vale 250 mil euros!!!


Então, o Pai disse-lhe:


– Queria que percebesses que no lugar certo avaliarão o teu valor da forma correta. Não escolhas o lugar errado. E se o fizeres, não te revoltes se não te valorizam.


Quem conhece o teu valor irá apreciar-te. Saberás então que esse é o lugar certo para ti.

 

Se não aprendermos a nos valorizarmos, viveremos sempre aquém do que somos e do real contributo que poderíamos trazer a nós próprios e aos outros.


Não podemos esperar que aqueles com que nos cruzamos ou privamos, assumam o valor que temos ou que nos atribuam esse valor, se nós próprios não o reconhecemos. Essa é primeiramente uma responsabilidade nossa. Antes de mais e de qualquer outro, a nós nos cabe identificar o valor com que nascemos, respeitá-lo e honrá-lo, para permanecermos inteiros na nossa singularidade.


Com esse ponto assente, haverá sempre um momento em que saberemos quando os nossos limites são desrespeitados e aquele local ou relação já não nos serve. Se nos mantivermos por lá, apesar de sabermos que alguém ou nós próprios deixámos determinados limites serem ultrapassados e o nosso valor diminuído, é inevitável sentirmos a nossa essência fragmentar-se e a nossa luz desvanecer. Se te sentes assim, talvez seja hora de mudar, para que te voltes a sentir inteiro, íntegro, no valor que te é justo.


Frida Kahlo dizia:


Não te demores onde não puderes amar.


Inspirados por este conto, diríamos:


Não te demores onde não te valorizam.



*LILIANA FERREIRA  

quinta-feira, 19 de maio de 2022

A vida muda num batimento cardíaco


Dar tudo de si para seguir os planos ao pé da letra é como ancorar a vida a um balão de festa. Parafraseando Caio Augusto Leite: hoje é sábado, talvez chova, talvez eu chore. Talvez você venha. Tudo é incerteza, tudo é talvez, tudo pode ser…


Fácil perceber o quão inconstante é cada passo que damos. Por mais que se planeje os caminhos, não dá para prever os buracos que irão aparecer na estrada. Para isso, os contornamos, desaceleramos e vamos mais atentos para os possíveis obstáculos.


A vida muda num batimento cardíaco. Tão frágil quanto a chama de uma vela em vendaval. Toda essa incerteza deveria nos fazer valorizar cada dia que ainda temos nossa luz, pois não se sabe quando o sopro virá mais forte e ficaremos na escuridão. Tudo muda em uma pulsação. Num momento estamos rodeados de pessoas e no outro, tudo fica fora de foco e nos encontramos só com a nossa presença. Assim, rápido quanto um andar de ponteiro. Insistimos na crença da eternidade quando tudo que podemos prometer é o agora. O que vem depois é uma surpresa embalada e com lacinho. Já não reconhecemos nossos reflexos. Costumávamos ser tão diferentes…


“Quem é essa pessoa me encarando do outro lado?”


Como acreditar que somos nós se há segundos atrás éramos tão mais jovens, mais cheios de esperança? O tempo é tão sucinto que parece que ao se espreguiçar de manhã já deixamos quem costumávamos ser no travesseiro. De repente, mudamos de opiniões e ficamos sedentos por outros cenários, novos roteiros.


A vida é o vento que muda o rumo da maré. Deixa a alma incurável, pois não há jeito de se permanecer como está. A maior virtude é saber se doar para o imprevisto, aceitar que os dias no calendário vão ser riscados e o que vai vir pode não ser o que esperamos. E quando vir, teremos que engolir a parte mais triste e esperar por dias melhores.


A vida muda num batimento cardíaco. Sonhamos em alcançar lugares e em seguida já não lembramos o porquê. Os sonhos se renovam e tomam novas proporções. Somos moldados diariamente e não poderia ser de outro jeito. O mundo cobra adaptações e cascas mais grossas.


A vida muda num batimento cardíaco,

nos bate,

e muda.


*Najara Gomes 

quarta-feira, 18 de maio de 2022

Amar alguém


Na vida, a gente só sabe que ama alguém, a gente só tem o direito de dizer a alguém que a amamos depois de ter dito infinitas vezes a esse mesmo alguém a frase: eu perdoo você.

Porque na verdade a gente só sabe que ama, depois de ter tido a necessidade de perdoar. Antes do perdão a gente pode ter admiração por alguém, mas admirar alguém ainda não é amar, porque admiração não nos leva a dar a vida pelo outro.

Admiração é um sentimento, uma situação superficial, eu admiro aquela pessoa, mas eu sei que amo depois de ter olhado nos olhos, saber que errou, que não fez nada certo e ainda sim eu continuar dizendo que “eu não sei viver sem você”, “apesar de ter errado tanto continuas sendo tão especial para mim”.

A gente sabe que ama as pessoas assim, depois de ter feito o exercício de olhar nos olhos no momento que ela não merece ser olhada e descobrir ainda ali uma chance, ainda não acabou.

Coisa boa na vida é a gente encontrar gente que nos trate assim com esse nível de verdade, gente que nos conhece de verdade, que já foi capaz de conhecer todas as nossas qualidades, mas também todos os nossos defeitos, porque eu não sou só qualidades, eu tenho um monte de defeitos, e só me sinto amado no dia que o outro sabe dos meus defeitos e mesmo assim continua acreditando em mim, muitas vezes nosso amor não é assim, a gente ama o outro pelo que ele faz de certo ou de bom pra nós, e as vezes até elegemos o outro assim “ele é bom demais pra mim”.

E o dia que deixa de ser? Deixou de ser amigo? No dia que falhou, que errou, que esqueceu, no dia que não conseguiu acertar, continua tendo valor pra você? Ou você só ama aqueles que conseguem lhe fazer o bem? Jesus disse que não tinha mérito nenhum em amar aqueles que nos amam, que o mérito está em amar o outro mesmo quando ele não merece ser amado, eu sei que é um desafio, mas essa é tua religião.

Eu creio que não há descanso maior para o nosso coração do que encontrar alguém que nos ama assim, e eu gostaria que você levasse pra sua vida somente as pessoas que te amam assim, com essa capacidade de olhar nos teus olhos quando você não consegue fazer nada de certo, e mesmo assim continua sendo teu amigo e continua acreditando em você. Deixe entrar na sua vida, somente as pessoas que querem te fazer melhor, porque gente que nos diminui nós já estamos cheios.

Amigos de verdade são aqueles que nos desafiam, são aqueles que nos momentos que estamos na lama, nos olham nos olham e dizem ‘você não foi feito pra isso’. Amigo de verdade é aquele que olha nos olhos e nos coloca para sermos mais. Namorado de verdade é aquele que olha nos teus olhos e te respeita como mulher, que te acha linda, mas que te respeita como mulher porque sabe que tu és um coração que muito mais do que necessitado de ser abraçado e de ser tocado, é um coração que merece ser amado, e o amor vem antes do toque.

Quem foi que disse que beijar na boca é declaração de amor? Pode até ser uma das demonstrações, mas eu tenho certeza que seu coração se sente muito mais amado no momento que você é olhado de um jeito certo, do que beijado de qualquer jeito! Antes de você entrar na vida de uma menina, olhe bem nos olhos dela e tente fazer com que ela descubra que você ama só olhando pra ela, olhe de um jeito que ela se sinta amada, e se você olhar do jeito certo, você não precisa ter ciúme, porque a mulher que for olhada de um jeito certo, nunca mais vai querer encontrar outro olhar.O homem que for olhado de um jeito certo, nunca mais vai querer outro olhar.

Você ainda pode mudar o seu jeito de amar, você ainda pode mudar o seu jeito de viver, você ainda pode mudar o seu jeito de sorrir, você ainda pode perdoar aquele que você não quer perdoar, você ainda pode tratar bem aquele que você desprezou tanto, porque a vida ainda te dar a oportunidade de você se tornar muito melhor do que você é.

Fábio de Melo

terça-feira, 17 de maio de 2022

A gente sabe quando o tempo de algo chegou ao fim


Você sente o vendaval se aproximando e fecha as janelas para que o vento não invada a casa e altere tudo do lado de dentro. Mas a ventania não é obediente; encontra frestas, vãos debaixo da porta, fendas na parede, rupturas nos batentes. Então, em questão de segundos, nenhum cômodo é mais o mesmo. Nenhum objeto permanece no lugar. Nada continua como antes. O vendaval jamais poderá ser evitado. Cedo ou tarde ele chega, e quanto antes você entender que é melhor aguardar a turbulência passar ao invés de desesperadamente tentar detê-la, mais cedo estará pronto para a cura, para uma forma de vida completamente nova.


A gente sabe quando o vento levou embora as promessas e varreu as cartas. Sabe quando alguém nos fez sentir únicos, especiais… e, de repente, não mais. A gente sabe que tudo mudou, mas finge não saber. As rosas do buquê murcharam, mas você continua trocando a água do vaso de cristal na esperança de que os botões voltem a desabrochar.


A gente sabe quando o tempo de algo chegou ao fim. A gente sabe, mas finge não saber, porque é mais fácil lidar com a ilusão. Porque no fundo imaginamos que o nosso querer – somente o nosso querer – seja suficiente para que as coisas voltem a ser como eram antes.


O perfume acabou, mas você tem esperança de que no fundo do frasco ainda haja um vaporzinho capaz de te perfumar. O vinho secou, mas você vira a garrafa desejando uma última gota capaz de te embriagar. O sapato não serve, mas você insiste em calçar. O café esfriou, e você não tem nenhum fogareiro para requentar. As gavetas estão cheias de tralha, e você reclama que falta espaço para algo novo chegar.


É mais fácil cruzar os dedos e fechar os olhos bem apertadinhos, desejando que, ao abrir, tudo volte a ser como antes. Mas a vida nos abriga e desabriga; dá e tira; oferece e toma de volta. Vida é carrossel, e quer de nós desarranjo e readaptação. É preciso viver os lutos com paciência e aceitação, mas depois abrir mão.


A dor precisa ser reciclada para acomodar-se no peito e aos poucos tornar-se cicatriz imperceptível. Antes de se dissipar, ela rasga a pele e desnorteia os sentidos, mas se perdemos o medo da dor, ela fica mais tolerável.


Porque no fim das contas, ninguém sai ileso da vida, e somos inocentes em pensar que nunca iremos nos machucar. Sentimentos são incontroláveis; quem nos ama pode nos ferir de vez em quando; vivemos num mundo de promessas quebradas e a vida é uma enorme torre de Babel onde o encantamento, o assombro, os conflitos e inadequações podem conviver perfeitamente bem com a beleza, o contentamento e a alegria.


*Por Fabíola Simões 

segunda-feira, 16 de maio de 2022

Para ser grande é preciso estar ao lado das pessoas, não acima delas


Estar ao lado das pessoas e estender uma mão quando os outros precisam é o que realmente nos ajuda a crescer e tornar-nos melhores. Somos nós que gerenciamos nossas próprias bondades e podemos dar ao mundo o nosso sorriso mais linda. Neste sentido, ser bom é essencial para ser grande.


As pessoas com quem interagimos estão lutando batalhas das quais nada sabemos, então sempre, embora não seja fácil, devemos ser gentis. Por mais estranho que pareça, muitas vezes os pequenos detalhes fazem a diferença.

 

Não vamos negar, há pessoas que devido aos seus defeitos, complexos ou projeções, dificultam o caminho dos outros e gostam de assistir os seus próximos sendo pisoteados. Isso pode fazer alguém sentir uma sensação enganosa de superioridade.


Enfatizamos o termo “enganosa” porque não é real, embora possa parecer que, por vezes, estão de alguma forma acima. Mas não. Esse sentimento é irreal porque não há nada mais baixo do que ferir os outros ou dificultar sua vida deliberadamente.

 

“A bondade é o pilar que sustenta a grandeza, por isso que dizemos que ser grande é estar ao lado das pessoas, e não acima.”


Seja gentil com todos, você nunca sabe pelo que estão passando


Não podemos saber o que está acontecendo com aqueles que estão do outro lado de uma conversação ou interação qualquer. Não importa quais sejam suas lutas, não podemos avaliar, nem julgar a sua importância.


“Acima de tudo está a bondade. Assim como a luz da lua ilumina sessenta vezes mais do que a das estrelas, a benignidade liberta o coração sessenta vezes mais eficazmente do que todas as realizações religiosas juntos.” – Buddha Gautama


*Luiza Fletcher

sexta-feira, 13 de maio de 2022

Não foi a última gota que encheu o balde, ela só o fez transbordar


Muitas vezes nos enganamos pensando que o tempo cuidará de tudo e, com isso, nos convencemos de que eventualmente tudo ficará bem. Mas de gota em gota, o balde enche. Nem tudo acontece de uma hora para outra, mas chega uma hora que não cabe mais água no balde.⁣

Se não lidarmos com as coisas que nos incomodam, elas irão se acumular e acabarão se manifestando de outras maneiras, até que eventualmente podemos transbordar.⁣

O balde não transborda por causa da gota de hoje, mas depois que o balde enche, qualquer gota transborda. Se você acumular tudo o que sente, uma hora fala o que não deve para quem não merece.⁣

Todo mundo tem um balde. O balde de algumas pessoas suporta mais água do que de outras. Pessoas que se irritam, se frustram ou se magoam com facilidade geralmente têm o balde menor, e sentem que não deveriam ser submetidas à frustração, inconveniência ou aborrecimento. Elas não conseguem levar as coisas com calma e ficam particularmente enfurecidas ou emburradas se a situação parecer injusta - como por exemplo, serem apressadas ou corrigidas por um pequeno erro.⁣

Entenda que ficar com raiva, se frustrar ou se magoar não vai resolver nada e não vai fazer você se sentir melhor - geralmente até faz você se sentir pior.⁣

Só quando percebemos e aceitamos que somos os responsáveis pelo nosso balde é que podemos mudar as coisas. O primeiro passo, embora às vezes seja humilhante, é a assumir a responsabilidade pelo próprio balde. Esse é o único caminho que pode levar à mudança.⁣

Você não pode se livrar ou evitar que as coisas ou as pessoas derrubem água no seu balde, nem pode mudá-las, mas pode aprender a esvaziar o balde.


*@supermotivado

quinta-feira, 12 de maio de 2022

A vida não te pergunta se você quer ser forte, ela te ensina a ser


Algumas vezes, a vida nos apresenta situações extremamente difíceis com as quais temos que lidar: a perda de alguém que amamos, uma desilusão no trabalho, o fim de uma amizade, o recomeço depois de uma grande decepção, entre muitas outras.

Nesses momentos, percebemos que somos nós por nós mesmos, e que se quisermos encontrar novamente a felicidade e a estabilidade, precisamos desenvolver uma força muito grande, que nos permita levantar do chão e seguir o nosso caminho, mesmo em meio à dor, o coração partido e a desesperança.

Nunca é fácil reaprender a viver quando algo com o qual estávamos acostumados é tirado de nós do nada. Sentimos que perdemos totalmente a segurança e que não temos o que é preciso para continuar, que somos fracos e incapazes.

No entanto, esses momentos de sérias dificuldades possuem apenas o propósito de nos fortalecer.

A vida usa de métodos muito particulares para nos capacitar e, muitas vezes, para que possamos evoluir e chegar onde devemos estar, é preciso passarmos por situações que nos farão despertar força interior, sabedoria e consciência.

Por mais terrível que uma situação possa parecer à primeira vista e por mais dor que possa nos ocasionar, devemos nos esforçar para enxergá-la sempre como uma oportunidade de crescimento, porque nada acontece conosco por acaso. A vida tem um plano para cada um de nós.

Se nossas histórias fossem sempre lineares, com coisas boas acontecendo a todo momento, dificilmente iríamos aprender a ser pessoas melhores e a viver com propósito. É em meio ao caos que muitas vezes descobrimos qual a nossa missão, as coisas pelas quais devemos viver.

Em meio às dificuldades nós nos redescobrimos, entramos em um lado de nós mesmos que permaneceu escondido por muito tempo, e que pode ser fundamental para nos tornarmos mais fortes, capacitados e felizes.

As principais lições não pedem para entrar em nossas vidas, elas simplesmente chegam em nosso caminho, e cabe a nós absorvê-las ou ignorá-las e continuar repetindo os mesmos erros eternamente.

A vida não nos pergunta se queremos ser fortes, ela nos ensina a ser. Ela nos apresenta as pessoas e situações que nos permitirão desenvolver forças e capacidades especiais, que não aprenderíamos de outras maneiras.

A vida sabe exatamente o que cada um de nós precisa, e tem uma maneira especial de fazer com que tudo dê certo, mesmo que no caminho tenhamos algumas dores.

A vida sempre sabe o que faz. Portanto, ao invés de resistirmos às suas decisões, devemos acatar todas elas como o que realmente são: chances de nos tornarmos pessoas mais fortes, completos e felizes.

Da próxima vez em que se deparar com uma dificuldade em seu caminho, aceite-a de braços abertos, e perceberá o quanto sua história será transformada.


*Luiza Fletcher

quarta-feira, 11 de maio de 2022

Os Três Conselhos


Um casal de jovens recém-casados, era muito pobre e vivia de favores num sítio do interior. Um dia o marido fez a seguinte proposta para a esposa:

"Querida eu vou sair de casa, vou viajar para bem longe, arrumar um emprego e trabalhar até ter condições para voltar e dar-te uma vida mais digna e confortável. Não sei quanto tempo vou ficar longe, só peço uma coisa, que você me espere e enquanto eu estiver fora, seja FIEL a mim, pois eu Serei fiel a você".


Assim sendo, o jovem saiu.


Andou muitos dias a pé, até que encontrou um fazendeiro que estava precisando de alguém para ajudá-lo em sua fazenda. O jovem chegou e ofereceu-se para trabalhar, no que foi aceito. Pediu para fazer um pacto com o patrão, o que também foi aceito. O pacto foi o seguinte: "me deixe trabalhar pelo tempo que eu quiser e quando eu achar que devo ir, o senhor me dispensa das minhas obrigações.

EU NÃO QUERO RECEBER O MEU SALÁRIO.

Peço que o senhor o coloque na poupança até o dia em que eu for embora.


No dia em que eu sair o senhor me dá o dinheiro e eu sigo o meu caminho".


Tudo combinado. Aquele jovem trabalhou DURANTE VINTE ANOS, sem férias e sem descanso.

Depois de vinte anos chegou para o patrão e disse:


"Patrão, eu quero o meu dinheiro, pois estou voltando para a minha casa". O patrão então lhe respondeu:


"Tudo bem, afinal, fizemos um pacto e vou cumpri-lo, só que antes quero lhe fazer uma proposta, tudo bem?

-- Eu lhe dou o seu dinheiro e você vai embora, ou LHE DOU TRÊS CONSELHOS e não lhe dou o dinheiro e você vai embora.


Se eu lhe der o dinheiro eu não lhe dou os conselhos, se eu lhe der os conselhos, eu não lhe dou o dinheiro.

Vá para o seu quarto, pense e depois me dê a resposta".


Ele pensou durante dois dias, procurou o patrão e disse-lhe:


"QUERO OS TRÊS CONSELHOS".


O patrão novamente frisou:


"Se lhe der os conselhos, não lhe dou o dinheiro".


E o empregado respondeu:

"Quero os conselhos". O patrão então lhe falou:

1. "NUNCA TOME ATALHOS EM SUA VIDA. Caminhos mais curtos e desconhecidos podem custar a sua vida.

2. NUNCA SEJA CURIOSO PARA AQUILO QUE É MAL, pois a curiosidade para o mal pode ser mortal.

3. NUNCA TOME DECISÕES EM MOMENTOS DE ÓDIO OU DE DOR, pois você pode se arrepender e ser tarde demais.


" Após dar os conselhos, o patrão disse ao rapaz, que já não era tão jovem assim:


"AQUI VOCÊ TEM TRÊS PÃES, dois para você comer durante a viagem e o terceiro é para comer com sua esposa quando chegar a sua casa".


O homem então, seguiu seu caminho de volta, depois de vinte anos longe de casa e da esposa que ele tanto amava.


Após o primeiro dia de viagem, encontrou um andarilho que o cumprimentou e lhe perguntou:


"Para onde você vai?" Ele respondeu:

"Vou para um lugar muito distante que fica a mais de vinte dias de caminhada por essa estrada".

O andarilho disse-lhe então: "Rapaz, este caminho é muito longo, eu conheço um atalho que é dez, e você chega em poucos dias".


O rapaz contente, começou a seguir pelo atalho, quando lembrou-se do primeiro conselho, então voltou e seguiu o caminho normal.

Dias depois soube que o atalho levava a uma emboscada.


Depois de alguns dias de viagem, cansado ao extremo, achou uma pensão à beira da estrada, onde pode hospedar-se.


"Pagou" a diária e após tomar um banho deitou-se para dormir.

De madrugada acordou assustado com um grito estarrecedor.

Levantou-se de um salto só e dirigiu-se à porta para ir até o local do grito.


Quando estava abrindo a porta, lembrou-se do segundo conselho.


Voltou, deitou-se e dormiu. Ao amanhecer, após tomar café, o dono da hospedagem lhe perguntou se ele não havia ouvido um grito e ele disse que tinha ouvido.


O hospedeiro: e você não ficou curioso?

Ele disse que não. No que o hospedeiro respondeu:


VOCÊ É O PRIMEIRO HÓSPEDE A SAIR DAQUI VIVO, pois meu filho tem crises de loucura, grita durante a noite e quando o hóspede sai, mata-o e enterra-o no quintal.


O rapaz prosseguiu na sua longa jornada, ansioso por chegar a sua casa.


Depois de muitos dias e noites de caminhada... já ao entardecer, viu entre as árvores a fumaça de sua casinha, andou e logo viu entre os arbustos a silhueta de sua esposa.

Estava anoitecendo, mas ele pode ver que ela não estava só. Andou mais um pouco e viu que ela tinha no seu colo, um homem a quem estava acariciando os cabelos. Quando viu aquela cena, seu coração se encheu de ódio e amargura e decidiu-se a correr de encontro aos dois e a matá-los sem piedade.


Respirou fundo, apressou os passos, quando lembrou-se do terceiro conselho. Então parou, refletiu e decidiu dormir aquela noite ali mesmo e no dia seguinte tomar uma decisão.


Ao amanhecer, já com a cabeça fria, ele disse:


- "NÃO VOU MATAR MINHA ESPOSA E NEM O SEU AMANTE.

Vou voltar para o meu patrão e pedir que ele me aceite de volta.

Só que antes, quero dizer a minha esposa que eu sempre FUI FIEL A ELA".


Dirigiu-se à porta da casa e bateu. Quando a esposa abre a porta e o reconhece, se atira em seu pescoço e o abraça afetuosamente.


Ele tenta afastá-la, mas não consegue. Então com as lágrimas nos olhos lhe diz: - "Eu fui fiel a você e você me traiu...

Ela espantada lhe responde: - "Como? eu nunca lhe trai, esperei durante esses vintes anos.


Ele então lhe perguntou: - "E aquele homem que você estava acariciando ontem ao entardecer?


E ela lhe disse: - "AQUELE HOMEM É NOSSO FILHO.

Quando você foi embora, descobri que estava grávida.

Hoje ele está com vinte anos de idade".


Então o marido entrou, conheceu, abraçou o filho e contou-lhes toda a sua história, enquanto a esposa preparava o café.


Sentaram-se para tomar café e comer juntos o último pão.


APÓS A ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO, COM LÁGRIMAS DE EMOÇÃO, ele parte o pão e ao abri-lo, encontra todo o seu dinheiro, o pagamento por seus vinte anos de dedicação.


Muitas vezes achamos que o atalho "queima etapas" e nos faz chegar mais rápido, o que nem sempre é verdade...


Muitas vezes somos curiosos, queremos saber de coisas que nem ao menos nos dizem respeito e que nada de bom nos acrescentará...


Outras vezes, agimos por impulso, na hora da raiva, e fatalmente nos arrependemos depois...


Espero que você, não se esqueça desses três conselhos e não se esqueça também de CONFIAR (mesmo que a vida muitas vezes já tenha te dado motivos para a desconfiança). 

terça-feira, 10 de maio de 2022

Menina é curada da leucemia após ver Jesus em seu quarto, no Rio


Com o diagnóstico de leucemia, a pequena Alice passou grande parte de 2012 internada em um hospital do Rio de Janeiro.


Foi quando a menina teve uma experiência milagrosa, sua doença foi curada depois que ela viu Jesus Cristo adentrando em seu quarto.


Na época o estado de saúde de Alice era grave e foi necessário fazer a primeira transfusão de sangue, pois seu coração poderia parar a caminho do hospital. Ela foi transferida para Hospital da Lagoa, na Zona Sul do Rio, onde a suspeita realmente foi confirmada: Alice estava com leucemia linfoide aguda (LLA), tendo 90% de seu sangue tomado por células cancerígenas.


A mãe de Alice, Joice Paschoal, teve a pior notícia da sua vida e o que a consolou na época foi um trecho bíblico dado por Deus em Jeremias Capítulo 16 e versículo 21 “Portanto eu lhes ensinarei; desta vez eu lhes ensinarei sobre o meu poder e sobre a minha força. Então saberão que o meu nome é Senhor”.


Submetida a várias transfusões de sangue e plaquetas, Alice teve sua primeira alta em julho. No entanto, ela teve que retornar ao hospital no dia seguinte, com um quadro de febre. O sintoma já se estendia por 20 dias consecutivos e os médicos não conseguiam descobrir sua causa.


Enfraquecida pela doença, a garotinha não conseguiu ficar de pé entre o início de junho e final de agosto. Mas depois de 57 dias internada, ela teve sua segunda alta no dia 31 de agosto. No entanto, ela ficou apenas três dias em casa.


O milagre


Em uma noite, Alexandre, o pai de Alice estava na igreja, em um congresso de missões. Joice estava ouvindo louvor e orando. A garotinha estava em sua cama, quando, de repente, viu Jesus Cristo em seu quarto. “Mamãe, olha Jesus. Mamãe, Jesus”, disse Alice, depois de meses sem conseguir falar.


“Eu disse: ‘Ele veio te curar. Manda um beijo”. Ela mandava e sorria. “Foi uma experiência em que eu pude contemplar seu rosto de alegria, que eu não via há algum tempo. Naquela noite, a fé me fez acreditar. Eu creio que ela foi curada naquele dia”, disse Joice ao Guiame.


“Alice não falava palavras nítidas, parecia um bebezinho pequeno. Ela regrediu com o tratamento, na época. Mas, de repente, ela começou a me chamar e apontar para o teto”, acrescenta a mãe.


No outro dia, a taxa de imunidade de Alice, que era apenas de 100, foi para 3.300. E no dia posterior para 7.500. Ela recebeu milagrosamente alta alguns dias depois, com uma taxa de imunidade de 17 mil. “A imunidade subiu de uma forma tão extraordinária que as médicas ficaram surpresas”, lembra Joice.


A pequena voltou depois disso a ficar internada para completar 4 blocos de quimioterapia. E após cinco meses, em outubro, ela voltou a andar e ter uma vida normal, ao lado de sua família.


“O exame detectou 0% de células cancerígenas, para honra e glória de Deus. Jesus fazia, faz e fará muitos milagres em nossas vidas, basta colocar a fé em ação!”, afirma Joice.


*A Soma de Todos Afetos 

segunda-feira, 9 de maio de 2022

No fim das contas a gente conta com poucos, mas esses poucos são os que contam pra gente!


Dentro da gente há inúmeros aposentos. Uns habitados por muitos. Outros habitados por poucos. Outros absolutamente vazios de outros, mas cheios de nós mesmos. Vamos sendo tecidos, fio a fio, pelas incontáveis conexões humanas que a vida nos apresenta. Somos uma trama de tudo o que vivemos, ainda que tenhamos vivido sós. Mas, os outros… Ahhh… os outros são o nosso tempero, norte e perdição.

Há os que vêm só de visita, aqueles que são deliciosos como um café recém passado numa tarde de chuvinha fina. Há os que duram o tempo de um dia ou dois, aqueles que são maravilhosos como uma viagem surpresa de fim de semana. Há os que permanecem como hóspedes bem-vindos de um país estrangeiro, são aqueles interessantes e instigantes como filmes argentinos. E há os que nos entremeiam e entrelaçam-se a nós pelo resto de nossos dias, são aqueles arrebatadores livros inesquecíveis, daqueles que lemos quando eles ainda eram “proibido” para nós.

E, rendamos a importância justa àqueles que embarcam em nossas vidas, seja de forma meteórica, sazonal ou histórica, com a indecifrável missão de nos desafiar. São os desafetos, os desaforados, os difíceis de digerir. A esses, devemos as mais importantes lições. Sem eles, seguiríamos a vida acreditando em nuvens de algodão doce, coelhos que pintam ovos de chocolate e, até, quem sabe, na bondade inerente ao ser humano.

Ahhh…sim, é fundamental termos fé em alguma coisa, ainda que essa coisa seja a bondade inerente ao ser humano, uma fantasia ou um mistério divino. O único pequeno problema nessa crença é que ela pode beirar a ingenuidade, caso não seja acompanhada de um importante empenho próprio em tomar nas mãos a responsabilidade sobre acertar e errar. Fé sem reflexão é uma máscara sem buraquinhos para os olhos, só servem se você pretende ficar adormecido como se o escuro da noite fosse durar para sempre.

No fim das contas a gente conta com poucos, mas esses poucos são os que contam pra gente. São aqueles que cabem direitinho nas lembranças e no presente e que não nos causam nenhum tipo de aflição ou angústia sobre o futuro. Porque a gente sabe que eles não vão durar para sempre aqui do lado de fora. Mas vão iluminar para sempre o nosso lado de dentro.

*Ana Macarini 

sexta-feira, 6 de maio de 2022

Faça esta oração para pedir a Deus proteção e felicidade para a sua mãe


Que Deus abençoe nossas mães, que as proteja e lhes traga toda felicidade!

Nossas mães são, sem dúvidas, algumas das pessoas mais importantes de nossas vidas, se não as mais. São elas as responsáveis por nos trazer a este mundo e nos alimentar nos nossos primeiros momentos neste mundo. Passamos muito tempo ao seu lado e construímos com elas um vínculo de amor e companheirismo que é impossível ser desfeito.

Elas nos apoiam em todos os momentos, batalham para nos sustentar e realizar os nossos sonhos. A dedicação e o amor que demonstram por nós nas pequenas e grandes atitudes fazem com que se tornem pessoas únicas e de muito valor em nossas vidas.

Nossa segurança, felicidade e proteção nunca deixam de ser importantes para nossas mães, não importa a nossa idade ou a forma como conduzimos as nossas vidas. Elas usam todas as ferramentas possíveis para garantir que estejamos sempre no caminho certo.

 

As mães de fé nos colocam diariamente em suas orações e pedem a Deus que esteja sempre conosco, direcionando-nos à felicidade e nos livrando de todo mal.


Elas estão sempre pensando em nós e são as grandes responsáveis por muitos de nossos livramentos e conquistas. Estamos acostumados a receber toda essa atenção e intercessão, mas também podemos fazer a nossa parte e consagrar suas vidas a Deus, pedindo-Lhe por sua proteção, cura e felicidade.


Nossas mães, que sempre fazem de tudo por nós, merecem uma retribuição espiritual, por isso trouxemos uma oração pelas mães, que você pode incluir em suas preces diárias a fim de pedir a Deus para cuidar da sua mãe em todos os momentos e orientá-la por um caminho próspero.


Oração dos filhos pelas mães


Deus Pai misericordioso, que sempre nos ouve

com amor e compaixão,

venho hoje pedir-Te Tua proteção

para minha mãe.

Enxuga suas lágrimas de preocupação

com a paz que emana do Teu coração paternal.

Proteja-a de todos os perigos espirituais e corporais,

para que seus dias sejam plenos de saúde.

Conheça o site O Amor

Deus Filho, que viste nos olhos de Tua Mãe Santíssima

os silêncios da dor,

acolhe em Teu amor as fragilidades e medos,

tristezas e desilusões que minha mãe possa

estar carregando consigo.

Senhor, Tu que és o Filho amado de Maria

e conheces o coração de cada mãe sofredora,

cura com o bálsamo do amor

todas as dores de minha amada mãe.

Espírito Santo, doce hóspede da alma,

restabelece no coração de minha mãe a felicidade

que, muitas vezes, eu furto com minhas limitações e pecados.

Trindade Santa, envolvei a vida de minha mãe

na luz do Vosso amor, para que seus dias resplandeçam

a beleza redentora de Vossa infinita bondade.

Obrigado, Senhor, pelo dom da vida de minha mãe!

Ajuda-me a ser cada dia um filho melhor!

Amém! (Canção Nova)


Essa oração é carregada de muito poder e muita fé, e é uma maneira de “retribuirmos” tudo aquilo que elas fizeram e ainda fazem por nós junto a Deus.


Nossas mães merecem todo o nosso amor, respeito e consideração. Elas nos ajudaram a chegar aonde estamos hoje, e são bênçãos que Deus colocou em nossas vidas.


Essa oração sincera e cheia de amor certamente chegará até Deus e moverá a Sua mão em favor de sua mãe, abençoando-a infinitamente com vitórias e milagres a cada passo. Reze-a como um gesto de amor e ajude-a a ter uma vida ainda mais feliz e abençoada.


*Luiza Fletcher


Compartilhe a oração com os seus amigos para que eles também abençoem suas mães.

quinta-feira, 5 de maio de 2022

Quem tudo quer, tudo perde


É um esforço gigantesco querer tudo, ser o primeiro em tudo, ganhar a maior fatia, ter a preferência, todas as medalhas de ouro, troféus, amores, a vez, o melhor presente, a vida mais perfeita.

Quem tudo quer, mostra claramente que não há espaço para o outro que não seja na sombra dos seus triunfos. Ninguém jamais estará ao lado. Se estiver na frente, é alvo. Atrás, seguidor.

O vencedor de tudo é solitário, encarcerado em suas glórias, ostentando status de um assento somente. Ninguém senta ao seu lado. Ninguém o olha nos olhos.

Quem tudo quer, abre mão da generosidade em prol de um acúmulo de bens, moedas, pertences, coleções, poder, solidão.

O conquistador absoluto quer por querer, para que o outro queira e não tenha, para passar a vida contando, recontando e escondendo.

Quem tudo quer, quer para ter, não para ser. Quem tudo quer, entende que o excesso alimentará todos os seus vazios, a sobra esconderá todas as faltas.

Quem tudo quer, perde a vida para um gincana insana, acumula além das conquistas, fadiga, desafetos, mágoas, distâncias.

Quem quer toda a razão, distorce o senso de justiça.

Quem quer toda a atenção, lança mão de apelos patéticos.

Quem quer todo o poder, luta contra a igualdade.

Quem tudo quer, atropela sonhos alheios, afetos mais delicados, relações familiares, derruba árvores para construir muros, explode anseios, ignora o bom senso, manipula a ética.

Quando tudo quer, se perde, se desintegra, se transforma em alguém que seria seu pior inimigo ou seu maior desgosto.

Quem tudo quer, tudo perde, e o mais triste é não perceber que a mesma ambição que motivou por tanto tempo, se fosse um tanto mais comedida e andasse de mãos dadas com outras ambições, lado a lado, se transformaria num grande e valioso ganho.


*Emilia Freire

quarta-feira, 4 de maio de 2022

Não é esta vida feita de desencontros, nem de amores impossíveis.


Não é esta vida feita de desencontros, nem de amores impossíveis.

Não é este um mundo cruel pronto a quebrar corações, nem essas pessoas que vivem nesse mundo são más e prontas a causar dor.

Mas bem verdade, sobre essa vida, podemos dizer que ela nos testa, nos joga a provações e mede o quanto nós carregamos das coisas além dessa vida e desse mundo.

Para cada união entre dois, mil tentações.

Para cada olhar apaixonado, centenas de lugares que tentam sequestrar nosso olhar de desejo.

Para cada beijo sincero, outros tantos beijos com apenas a segunda intenção de consumir o corpo do outro.

Para cada te amo, tantas decepções, mentiras e atos de desamor.

É correto pensar - e aprendemos assim - que o mais valioso da vida é um tesouro que requer a aventura, os desafios, a quase desistência e derrota. E aí entra o amor que, de tão precioso, parece estar em um lugar distante, um lugar ao qual chegamos apenas com um mapa mágico o qual somente conseguiremos adquirir se derrotarmos os mil demônios com cabeça de dragão na caverna das almas esquecidas.

NÃO!

O amor é astucioso, ele gosta de observar. Prefere ser mais disfarçado do que distante. Mais irônico do que silencioso. Por isso ele está sempre por perto, numa esquina, num jantar entre amigos, numa fila qualquer, em uma cidade próxima a sua. Ele não se esconde, ele se disfarça deixando seu cheiro pelo ar, um cheiro de quase.

A vida não é má, o mundo não tenta separar ninguém, nem as pessoas são abutres. É o amor que brinca, que finge desarticular tudo, que abala nossas estruturas... e tudo isso com um único fim, para que além de precioso a nós ele seja valorizado quando encontrado.

Não faltam no mundo pessoas que encontraram o amor, em suas casas, com pessoas próximas ou alguém que chegou. O amor de família, de amizade e de um encontro íntimo. Não faltam pessoas que encontraram o amor, bem verdade o que vem faltando é quem mais do que o encontrar o agarre, o beije e independente do que aconteça o proteja e respeite como a preciosidade que é... amar.


*@elipe_sandrin

terça-feira, 3 de maio de 2022

Difícil é não ter um ombro para se escorar quando tudo desaba.


Acreditar que, sempre que a vida estiver difícil, precisaremos de alguém, não é o paraíso, é dependência emocional.

Muitas vezes, o paraíso que sonhamos é aquele que existe alguém para nos ajudar sempre que precisamos. A gente fica desejando que uma pessoa se sente ao nosso lado, não nos julgue, não nos critique, nem exija nada de nós, apenas fique em silêncio e nos acolha… Parece um sonho ter uma pessoa assim ao nosso lado, e para algumas pessoas realmente é apenas um sonho.

Tem gente que tem a felicidade de ter pessoas empaticas e acolhedoras a quem pode recorrer quando tudo está difícil.

Sei que é difícl não ter um ombro para se escorar quando tudo parece desabar, mas é sabido que a gente atrai pessoas e situações através das nossas crenças e vibrações.

Porém, há pessoas que se vitimizam, que pensam mal dos outros, que vivem na negatividade, mas que, mesmo assim, possuem pessoas boas ao seu lado.

E algumas pessoas, mesmo sendo boas, vibrando positivo, fazendo o bem para todos a sua volta, ainda assim, quando passam por momentos de dificuldade, olham para os lados, e não encontram ninguém para consolá-las ou para oferecer a elas um ombro amigo?

O que de fato acontece então?

Penso que, mesmo que não exista um ser humano ao seu lado, na verdade, quanto mais a gente pensa que não existe, mesmo que de fato, ninguém queira nos oferecer um apoio emocional nos momentos mais difíceis, mais sozinhos a gente se sente. Porque pensar assim é o problema.

Quando você pensa que não tem ninguém, o Universo só acolhe a sua afirmação.

Ninguém consegue atrair bons relacionamentos quando acredita que não tem ninguém.

Quanto mais a pessoa acredita que não tem ninguém, mais sozinha ela fica.

Todas as pessoas podem recorrer a alguém, o problema é que muitas pessoas reclamam da solidão pois querem que os outros as procurem, as bajulem, e estejam sempre a disposição. E não é bem assim que a banda toca. Somos nós que precisamos procurar ajuda quando a gente sente que precisa de apoio emocional.

A VIDA NÃO QUER QUE VOCÊ SE SINTA ASSIM, SOZINHO, SEM NINGUÉM PARA RECOSTAR A CABEÇA QUANDO TUDO PARECE DESMORONAR. NESSES MOMENTOS DE SOLIDÃO, A VIDA TE PEDE PARA PERCEBER A PROTEÇÃO QUE EXISTE E QUE VOCÊ NÃO CONSEGUE VER.

E é justamente por isso que você não encontra ninguém para te oferecer o ombro que você precisa, porque a vida quer que você reconheça que, mesmo que não tenha ninguém fisicamente do seu lado, você nunca está sozinho.

A vida quer que você confie que sempre existe um anjo, um mentor, um protetor invisível que está querendo que você o reconheça e o perceba. A vida quer que você consiga sentir a presença de Deus nesses momentos mais difíceis e em todos os segundos da sua vida.

Muitos dizem que tem fé, seguem suas religiões, buscam ajuda espiritual, mas quando o calo aperta, quando a dificuldade aparece, muitos preferem recorrer aos homens, do que a Deus.

“Ah, mas se eu nem acredito em Deus, o que eu faço?”. Acreditar em algo maior nos fortalece, mas não acreditar, revela o nosso grau de desconecção com a fonte criadora. E é justamente essa falta de conexão que nos angustia, e nos faz depositar toda a nossa expectativa nos homens, nas pessoas ao nosso redor, com isso, sofremos inúmeras decepções.

Deus não nos decepciona, nos ensina. Ele faz isso através das pessoas com as quais nos afinizamos, e também através das situações que enfrentamos. Ele age dentro de nós, em nossas emoções, sentimentos, pensamentos e comportamentos, sempre que permitimos essa conexão com a fonte criadora. Mas se não nos abrirmos para Ele, sempre nos sentiremos sozinhos.

Você pode não ter ninguém ao seu lado agora para te oferecer um ombro amigo, mas se você acredita de verdade em Deus, você nunca se sentirá sozinho.

Muitas vezes, para algumas pessoas, o paraíso é apoiar a cabeça no ombro certo. Mas você realmente sabe qual é o ombro certo? Geralmente, tudo o que precisamos é sentir Deus pulsando vida dentro de nós.

ACREDITAR QUE SEMPRE QUE A VIDA ESTIVER DIFÍCIL, PRECISAREMOS DE ALGUÉM, NÃO É O PARAÍSO, É DEPENDÊNCIA EMOCIONAL.

*Por Robson Hamuche 


*Foto de Zhivko Minkov no Unsplash. Foto de Raz Kumar no Unsplash.

Tem gente que está na pior e quer te ver pior que ela

A pessoa achou que sabia de tudo. Bateu no peito e gritou. Disse ser a dona da verdade. Taxou suas palavras como ofensivas, pois não se alin...