quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Feliz 2015!

2015 Já está ai...

Que bom podermos chegar ao mais um final e apesar de todas as dificuldades estamos aqui firmes e fortes.
Quero desejar o melhor do melhor a você em 2015.
Que você tenha principalmente saúde que é o nosso maior e principal bem.
Que Deus possa abençoar nossas vidas em 2015. Fica bem e a gente se vê daqui a pouco em 2015.
Felicidades, Boas Festas e Boas Vibrações à você!

Cesar Brito e Família.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Entre Uma Decepção E Outra

Tem época na vida da gente que parece que os encontros 'amorosos' são mais uma provocação do que uma oportunidade de se sentir satisfeito e feliz... Assim, vamos contabilizando decepções e desacreditando na possibilidade de viver uma experiência positiva e motivadora.

Quando isso acontece, creio que o melhor seja parar. Uma pausa para aprender. Ou melhor, antes apreender. Perceber o que está acontecendo, quais são nossos verdadeiros desejos e quais têm sido nossas atitudes para torná-los concretos.

Muitas vezes, fazendo uma análise mais justa e desapegada, sem assumir nenhum papel, nem o de vítima das armadilhas da vida, nem da sacanagem dos outros e nem o de culpado, como se tudo o que fizéssemos estivesse definitivamente errado, terminamos descobrindo que há alguma incoerência nisso tudo.

Só que para isso precisamos de tempo... e principalmente de coragem para admitir limitações, assumir pensamentos negativos e confiar mais na sabedoria da vida e seu ritmo. O que acontece, no entanto, é que a maioria de nós não quer esperar, não quer refletir. Há somente um pensamento que alimentamos o tempo todo: quero namorar, quero ter alguém!!!

Será que estar com alguém é o mesmo que estar feliz? Pode ser que sim, mas pode ser que não... e se por qualquer motivo você não tem ficado com quem deseja, talvez seja o momento ideal para um intervalo, tão útil entre uma decepção e outra...

Tempo de se observar, de observar as pessoas e ouvir o que elas dizem. Tempo de aprender, crescer, ter uma nova conduta, desenvolver uma nova postura. Aguardar até que a vida lhe mostre qual é o melhor caminho a seguir... mas para ver, você precisa estar atento... sem tanta ansiedade, sem tanto desespero para tentar fazer com que as coisas aconteçam do jeito e na hora que você quer...

E se nenhuma resposta vier, talvez signifique que você precisa ver e ouvir com o coração. Respeitar o silêncio. Aceitar a ausência de quem você tanto deseja encontrar... Talvez não haja uma resposta e nem haja uma explicação.

Às vezes, simplesmente não existem respostas nem explicação. Apenas a vida. Apenas as pessoas. Apenas o mundo. Apenas a dor e o amor. Apenas...

E se insistirmos em não aceitar, em brigar, em nos rebelar, em nos revoltar... conseguiremos tão somente mais dor... e menos amor. Aceite que você não tem o controle, que você não pode decidir sozinho, que o universo tem seu próprio ritmo. Faça o que está ao seu alcance; faça a sua parte... e bem feito; da melhor maneira que puder...

E o que não puder, entregue e espere... porque embora diga sabiamente a música "quem sabe faz a hora, não espera acontecer", tem ocasiões nesta vida em que quem sabe, espera acontecer e respeita a hora de não fazer... até que um dia, o amor de repente acontece... porque seu coração estava exatamente onde deveria estar para ser encontrado!

(Rosana Braga)

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Só por Hoje...

Só por hoje, direi que estou de mal com a depressão, e se ela der as caras, aplicar-lhe-ei vinte bofetões de alegria.

Só por hoje darei alta aos analistas, psicólogos, psiquiatras, conselheiros, filósofos e proclamarei que, se antes eu era porque era o que eu era, agora sou o que sou porque sou tão feliz quanto penso que sou.

Como penso que sou feliz, logo sou.

Só porque hoje, direi que a vida é uma festa, acreditarei que a vida é uma festa e farei da festa a minha vida.

Só por hoje, tomarei um porre de alegria!

Só por hoje, rirei à toa e contarei a mim mesmo uma piada tão velha quanto a história daquele sujeito que olhava por cima do óculos para não gastar as lentes.

Só por hoje, revelarei ao mundo que sou feliz e chamarei de absurda toda opinião contrária.

Só por hoje, acreditarei que ri melhor quem ri por si mesmo.... Já estou rindo.

Só por hoje, informarei a todos que sou tão feliz quanto resolvi ser.

Só por hoje, guardarei a seriedade no baú e deixarei que a criança interior brinque comigo o tempo todo.

Só por hoje, estarei tão bem-humorado que rirei até daquele anúncio que diz: "Vende-se uma mala por motivo de viagem".

Só por hoje, admitirei que ser feliz é tão simples quanto dizer que sou feliz.

Só por hoje, estarei tão feliz que não sentirei falta de sentir falta da felicidade.

Só por hoje, expulsarei da minha casa a tristeza e hospedarei a alegria, o sorriso e o bom-humor.

Só por hoje, abrigarei a felicidade sob o meu teto, vesti-la-ei com roupas do bem-estar, dar-lhe-ei a comida do sorriso, a bebida da alegria e deverti-la-ei com conversas agradáveis e positivas.

Só por hoje, me divorciarei do passado, romperei o namoro indecoroso com os males do presente e me casarei indissoluvelmente com a felicidade.

Só por hoje, hastearei a bandeira do bom-humor sobre o meu próprio território.

Só por hoje, decidirei que sou definitivamente feliz...

Só por hoje... e o hoje é cada novo dia em nossas vidas! Tenha, só por hoje, um dia de eterna felicidade! E lembre-se de tudo isso amanhã, depois e depois.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Quero desejar a você um feliz, santo e milagroso Natal.
Que Jesus venha a abençoar sua vida, seus passos, sua família...Você!
Obrigado por tudo e principalmente por sua amizade.
Boas Festas.

Cesar Brito e Família

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Avance Sempre

Na vida as coisas, às vezes, andam muito devagar. 
Mas é importante não parar. Mesmo um pequeno avanço na direção certa já é um progresso, e qualquer um pode fazer um pequeno progresso.

Se você não conseguir fazer uma coisa grandiosa hoje, faça alguma coisa pequena.

Pequenos riachos acabam convertendo-se em grandes rios.Continue andando e fazendo.

O que parecia fora de alcance esta manhã vai parecer um pouco mais próximo amanhã ao anoitecer se você continuar movendo-se para frente.

A cada momento intenso e apaixonado que você dedica a seu objetivo, um pouquinho mais você se aproxima dele.

Se você pára completamente é muito mais difícil começar tudo de novo.
Então continue andando e fazendo. Não desperdice a base que você já construiu. Existe alguma coisa que você pode fazer agora mesmo, hoje, neste exato instante.
Pode não ser muito mas vai mantê-lo no jogo.

Vá rápido quando puder. Vá devagar quando for obrigado.
Mas, seja, lá o que for, continue. O importante é não parar!!!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Arrependimento, Pensamento Positivo

O arrependimento é um sentimento positivo que resulta da conscientização que operamos em nosso ser ao reconhecermos as nossas faltas e erros. Esse reconhecimento é quase sempre muito doloroso, mas não há nada na vida que o espírito não possa suportar, sendo, portanto um ato reparador, que regenera e purifica o espírito. Por isso mesmo, o arrependimento não deve ser encarado como uma autopunição.

O mais importante é tomarmos consciência de nossos erros e não errarmos mais, não cometermos o mesmo erro duas ou mais vezes seguidas. Errar conscientes de que estamos praticando o mesmo erro resulta em falta mais grave, inadmissível para a evolução da criatura.

Então, precisamos melhorar nossas atitudes e posturas. Para isso, tem que haver sinceridade no arrependimento. Em cada caso, a criatura precisa ser verdadeira consigo mesma, sabendo que é preciso reparar as faltas para poder livrar-se do arrependimento que delas se originou.

Precisamos entender e compreender que, enquanto o arrependimento sincero é reparador e transformador, a culpa inculcada em nossa consciência é negativa; por isso, manter esse sentimento sem nada fazer, sem refletir quanto à ação corretiva a tomar, pode trazer conseqüências imediatas irreparáveis à criatura.

O que estamos querendo dizer é que a culpa, por si só, representa apenas um alerta ou um grito em nossa consciência. É preciso que transformemos este alerta em ação através do arrependimento sincero, o qual virá fortalecer e renovar a nossa vontade para reconhecer e evitar aquele erro ou erros semelhantes e associados.

Através da reparação de um erro, qualquer que seja, estamos nos preparando para nos reconhecermos verdadeiramente falíveis, estamos reconhecendo que somos imperfeitos, mas também, e isso é mais importante, estamos prontos, preparados e condicionados para sairmos da condição onde estamos (errados) para uma condição íntima melhor e reparadora, e isso nos traz um grande alívio.

Se houver acomodação ao erro, estaremos fugindo do sentimento de culpa, sem o reforço da nossa consciência. Só o arrependimento sincero promove a verdadeira reparação. O arrependimento é, portanto, o primeiro e decisivo passo dado para a nossa reforma íntima, saneando e reforçando a nossa vontade.

Por *Caruso Samel

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Vampiro (as)

Eu não acredito em gnomos ou duendes, mas vampiros existem. Fique ligado, eles podem estar numa sala de bate-papo virtual, no balcão de um bar, no estacionamento de um shopping. Vampiros e vampiras aproximam-se com uma conversa fiada, pedem seu telefone, ligam no outro dia, convidam para um cinema. 

Quando você menos espera, está entregando a eles seu rico pescocinho e mais. Este “mais” você vai acabar descobrindo o que é com o tempo.
Vampiros tratam você muito bem, têm muita cultura, presença de espírito e conhecimento da vida. Você fica certo que conheceu uma pessoa especial. Custa a se dar conta de que eles são vampiros, parecem gente. Até que começam a sugar você. Sugam todinho o seu amor, sugam sua confiança, sugam sua tolerância, sugam sua fé, sugam seu tempo, sugam suas ilusões. Vampiros deixam você murchinha(o), chupam até a última gota. 

Um belo dia você descobre que nunca recebeu nada em troca, que amou pelos dois, que foi sempre um ombro amigo, que sempre esteve à disposição, e sofreu tão solitariamente que hoje se encontra aí, mais carniça do que carne.

Esta é uma historinha de terror que se repete ano após ano, por séculos. Relações vampirescas: o morcegão surge com uma carinha de fome e cansaço, como se não tivesse dormido a noite toda, e você se oferece para uma conversa, um abraço, uma força. Aí ele se revitaliza e bate as asinhas. Acontece em São Paulo, Manaus, Recife, Florianópolis, em todo lugar, não só na Transilvânia. E ocorre também entre amigos, entre colegas de trabalho, entre familiares, não só nas relações de amor.

Doe sangue para hospitais. Dê seu sangue por um projeto de vida, por um sonho. Mas não doe para aqueles que sempre, sempre, sempre vão lhe pedir mais e lhe retribuir jamais.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Conhecendo as Emoções…

“Sofrer não é uma opção, pois muitas vezes o sofrimento se impõe. Mas a forma de sofrer é uma escolha nossa. Contudo, independente da forma escolhida, devemos aprender a melhor maneira de sofrer se quisermos fazer da dor uma ferramenta para o nosso crescimento”. Mark Baker

Existem emoções básicas que experimentamos na vida. Elas são responsáveis pela qualidade dos nossos relacionamentos e pala nossa saúde física e mental, mesmo que não nos demos conta disso.

Todos nós, sem exceção, vivenciamos o

sofrimento,

o medo,

a ansiedade,

a tristeza,

a culpa,

a raiva,

a felicidade

e o amor.

O que nos distingue uns dos outros é a forma como lidamos com cada um desses sentimentos.

As emoções são uma combinação de manifestações que acontecem em nossos corpos e em nossas mentes. Procuramos interpretá-las para compreender nossas vidas. Não é uma tarefa fácil, mas ter consciência dessas emoções e aprender a lidar com elas de forma produtiva é a única forma de você e eu encontrarmos a felicidade.

Conhecer a si mesmo, ir ao seu encontro mais íntimo, satisfazer-se, bastar-se às vezes… ou buscar complementaridade sem dependência, mas com crescimento, pode ser um caminho para o conhecimento e o equilíbrio de nossas emoções …

Aprendamos juntos ….

*Por Beth Landim

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Me Apaixonei

Perdemos oportunidades; não ousamos tentar, por medo de errar. Perdemos afetos; não ousamos amar. Perdemos pessoas; não ousamos dizer “eu te amo”, “você é importante”. Perdemos descobertas; não ousamos experimentar coisas novas.

Perdemos tempo; não ousamos dizer não, nem sim. Perdemos personalidade; não ousamos “sacudir o barco”, dizer o que realmente pensamos. Perdemos vida, por que não ousamos viver. Sem uma certa dose de ousadia, a vida nada mais é do que um tedioso corredor da morte.

Há que se diferenciar ousadia de comportamento impensado (e até mesmo estúpido). Ousar é uma arte. 

A ousadia frutífera tem dois pilares: a coragem e a inteligência. inspire-se nesse texto e OUSE!

Como tudo o que acontece na vida, um dia desses me apaixonei, foi de 
repente, sem querer. Ao te ver senti uma coisa muito quente e sem 
explicação, o coração forte começou a bater. Esse amor foi crescendo, 
logo me envolvendo. Num simples dia me peguei em um sonho, unicamente 
sem razão. Onde olho vejo você, mas dói viver se não for nos teus 
braços, estar sem poder te tocar. Sempre que nos encontramos, perco os 
sentidos, logo me vejo ao seu lado, sonhando com nós dois, em um único 
sonho, dentro de um único coração. Não era o único que te amava, via-me 
triste ao ver-te nos braços de outro. Te querer e não te ter para mim é 
o fim. Meu amor por vários motivos de aflição. Por ti chorei... Mas 
estou firme na luta do viver... Em meus pensamentos, imagens de quem 
por minutos foi feliz... Tudo em você é tão perfeito, seus olhos, sua 
boca, você... Não sei se tu me amas, mas o meu amor por ti é imortal... 
Por ti faço loucuras, só para demonstrar o meu amor... Pena que não sou 
correspondido, só sonhos, tudo em vão... Mas ainda te amo. Todo momento 
de minha vida, passo chorando por um amor ilusionário. Se teu coração a 
mim não pertence, o meu é inteiramente seu... Se mesmo assim não sabes 
o quanto te amo: Não vou poder viver, sem ter você. Você é a minha 
vida, minha razão de viver, tudo isso porque... Eu amo você.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Feliz Por Nada…


Divido com vocês este texto sensível  de Martha Medeiros… que nos mostra que a felicidade está mais perto de nós do que imaginamos… Vamos nos despir das dificuldades que sempre circulam as nossas mentes, buscarmos uma sintonia com o universo , nos voltarmos para o nosso interior tão rico, e nos deixar levar pela leitura inteligente que nos alimenta a alma!

“Geralmente, quando uma pessoa exclama: “Estou tão feliz!”é porque engatou um novo amor, conseguiu uma promoção, ganhou uma bolsa de estudos, perdeu os quilos que precisava, ou algo do tipo. Há sempre um por que. Eu costumo torcer para que essa felicidade dure um bom tempo, mas sei que essas novidades envelhecem e que não é seguro se sentir feliz apenas por atingimento de metas. Muito melhor é ser feliz por nada.
Digamos: feliz porque ainda temos longos oito meses para fazer desse um ano memorável. Feliz por estar com as dívidas pagas. Feliz porque se achou bonita. Feliz porque existe uma perspectiva de uma viagem daqui a alguns meses. Feliz porque você não magoou ninguém hoje. Feliz porque daqui a pouco será hora de dormir e não há melhor lugar no mundo do que a sua cama.
Esquece. Mesmo sendo motivos prosaicos, isso ainda é ser feliz por muito. Feliz por nada, nada mesmo? Talvez passe pela total despreocupação com essa busca. Essa tal de felicidade inferniza. Faça isso, faça aquilo. A troco? Quem garante que todos chegam lá pelo mesmo caminho?”

Particularmente, gosto de quem tem compromisso com a alegria, que procura relativizar as chatices diárias e se concentrar no que importa pra valer, e assim alivia o seu cotidiano e não atormenta o dos outros. Mas não estando alegre, é possível ser feliz também. Não estando realizado, também. Estando triste, felicíssimo igual.

Porque felicidade é calma. Consciência. Felicidade é ter talento para aturar, é divertir-se com o imprevisto, transformar as zebras em piadas, assombrar-se positivamente consigo próprio: como é que eu me meti nessa, como é que foi acontecer comigo? Pois é, são os efeitos colaterais de se estar vivo.
Benditos os que conseguem se deixar em paz. Os que não se cobram por não terem cumprido suas resoluções, que não se culpam por terem falhado, não se torturam por terem sido contraditórios, não se punem por não terem sido perfeitos. Apenas fazem o melhor que podem. Eu levo a vida assim… estou sempre buscando o bom humor, o sorriso, a descontração… tudo isso me deixa mais leve. Rio dos meus problemas… Feliz por nada talvez seja isso!

Liberte-se do que te aflige! Veja tudo de bom que você já conquistou e que te traz a alegria da conquista e da vitória! Seja capaz de se energizar por estas razões e aproveite para deixar a felicidade fazer parte da sua vida, da sua caminhada, do seu cotidiano, sem medo de ser feliz!

Então, se liberte, seja livre, seja feliz por nada…
Não precisamos de motivo para ser feliz, nossa existência por si só já nos torna seres de luz intensa…

Tem tanta gente esperando apenas um sorriso seu… Sonhe alto, queira o melhor do melhor, queira coisas boas para a sua vida. Quando pensamos firmemente, o universo conspira a nosso favor. Dê asas aos seus sonhos, permita-se voar… pois nascemos para sermos felizes por nada…

* Por Beth Landim

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Calças Molhadas…

“Venha comigo a uma sala de aula do terceiro ano… Há um menino de nove anos sentado à sua carteira e de repente há uma poça entre seus pés, e a parte dianteira de suas calças está molhada. Pensa que seu coração vai parar porque não pode imaginar como isso aconteceu. Nunca havia acontecido antes, e sabe que quando os meninos descobrirem nunca o deixarão em paz. Quando as meninas descobrirem, nunca mais falarão com ele enquanto viver. O menino acredita que seu coração vai parar, abaixa a cabeça e reza esta oração: “Querido Deus, isto é uma emergência! Eu necessito de ajuda agora! Mais cinco minutos e serei um menino  morto”.

Levanta os olhos de sua oração e vê a professora chegando com um olhar que diz que foi descoberto. Enquanto a professora está andando até ele, uma colega chamada Susie está carregando um aquário cheio de água. Susie tropeça na  frente da professora e despeja inexplicavelmente a água no colo do menino. O menino finge estar irritado, mas ao mesmo tempo interiormente diz “Obrigado, Senhor! Obrigado, Senhor!”

De repente, em vez de ser objeto de ridículo, o menino é objeto de  compaixão. A professora desce apressadamente com ele e dá-lhe shorts de ginástica para vestir enquanto suas calças secam.  Todas as outras crianças estão sobre suas mãos e joelhos limpando ao redor de sua carteira. A compaixão é maravilhosa.

Mas como tudo na vida, o ridículo que deveria ter sido dele foi transferido a outra pessoa – Susie. Ela tenta ajudar, mas dizem-lhe para sair. “Você já fez demais, sua  grosseira!” Finalmente, no fim do dia, enquanto estão esperando o ônibus, o menino caminha até Susie e lhe sussurra, “você fez aquilo de propósito, não foi?”  E Susie lhe sussurra, “eu também molhei minha calça uma vez”. Que possamos ver as oportunidades que sempre estão em torno de nós para fazer o bem.”

Estes são os anjos! Quantas e quantas vezes ficamos a procurar por anjos de “asas”, santos imortalizados e um Deus distante… Nos esquecemos de que os anjos vivem na terra e estão ao nosso lado. Temos todos os dias oportunidades de ajudar, de aproximar, de reconciliar, de abrandar corações… Sejamos menos egoístas.  Vivemos em uma época de grande inconsistência de valores. Época em que a “maquiagem” dos fatos, a primeira vista, tenta enganar a todos que são ingênuos. Época em que não vemos uma atitude real de ajuda ao próximo, com sinceridade em servir… Época de repensar valores e pessoas, pois não podemos nos deixar levar pelo consumismo.

Época de buscar “grandes pessoas”!

Fernando Pessoa em seu Poema em Linha Reta nos leva a repensar a nossa trajetória, quando nos sacode a alma, poetizando … “Toda a gente que eu conheço e que fala comigo, nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho, nunca foi senão príncipe – todos eles príncipes – na vida… Quem me dera ouvir de alguém a voz humana, que confessasse não um pecado, mas uma infâmia; que contasse, não uma violência, mas uma covardia! Não, são todos o ideal, se os ouço e me falam. Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil? Ó príncipes, meus irmãos, Arre, estou farto de semideuses! Onde é que há gente no mundo? Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra? … Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear? Eu, que venho sido vil, literalmente vil, vil no sentido mesquinho e infame da vileza.”


Que a vida possa realmente nos conduzir por trilhas que valem a pena serem trilhadas… Que nós possamos acordar em tempo, e não permitir tantas vezes ignorar o vento que nos sacode e sussura em nossos ouvidos vozes de despertar. O tempo passa, os relógios trabalham incessantemente em seus tic-tacs apressados, nos mostrando com firmeza que é tempo de reagir, de levantar, de buscar com intensidade os nossos sonhos e desejos. Vamos em frente… Arre, como nos diz Pessoa! Sejamos capazes de pautar as nossas atitudes no bem comum, na singeleza dos atos, indo de encontro aos afetos, amenizando os desafetos, aprimorando os laços, repensando relações turbulentas que como a água do aquário que caiu podem também deixar extravasar o lado menos bom e se reconstruir em sólidas vivências no cotidiano de nossas vidas… Ao invés de apontar culpados, que possamos voltar para nós mesmos o dedo que aponta a culpa do outro e verificarmos quanto crescimento nos aguarda…


A vida é bela, basta que deixemos a condução da energia do bem estar presente ao nosso redor, entornando todas as águas estagnadas dos aquários da vida, beneficiando a todos que nos cercam, sem precisar dizer que fomos nós os protagonistas deste recomeçar, mas apenas partícipes ativos na reconstrução de um mundo melhor, onde com certeza os valores sólidos que buscamos com avidez sejam reais dentro de nós e implantados com muito amor em todos que nos cercam.

Como nos diz Pessoa:

“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.”

Uma maravilhosa semana a todos!!!


*Por Beth Landim

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Perdoar… Um Santo Remédio…

Nos diz o psicólogo Antônio Roberto Soares que em todos os caminhos de crescimento humano, tanto psicológico quanto espiritual, uma ênfase especial é dada à questão da mágoa. Não só pelo sofrimento que ela produz, mas também pelo transtorno que provoca nos relacionamentos. Qualquer que seja o nome que damos a esse sentimento, seja mágoa, rancor, ressentimento ou vingança, ele se caracteriza pela amargura na alma, uma sensação de injustiça a partir do mal que alguém nos fez.

Além da dor, o componente fundamental da mágoa é a sua permanência. É uma incapacidade de parar de sofrer, mesmo com o passar do tempo. E como é impossível levar nossas vidas sem sermos machucados pelas outras pessoas, de vez em quando, tendo em vista a imperfeição da natureza humana, corremos o risco de acumular feridas e nos tornarmos pessoas amargas, desiludidas e sofredoras. A mágoa é uma forma de guardarmos para depois, coisas que não queremos resolver na hora.
Uma das características da vida é que ela só pode ser vivida no presente. O passado e o futuro, apesar de existirem na nossa cabeça, não têm existência real. Seria uma grande tolice imaginarmos que podemos respirar para amanhã, que podemos viver ontem. O natural é que as coisas sejam vividas, mesmo as ruins, no momento em que elas ocorrem.

O sentimento de raiva, que é natural, tem o objetivo de nos ajudar a resolver nossos problemas, incluindo as ofensas, traições ou quaisquer outros atos que as pessoas produzam. Quando somos inibidos na nossa raiva, quando temos medo de expressá-la, ela esfria dentro de cada um de nós e se transforma em mágoa. Mágoa é toda a raiva que ficou para depois. É a raiva dentro da geladeira. É o medo de resolvermos nossos conflitos com outras pessoas no momento em que aparecem.

Guimarães Rosa define, magistralmente, a mágoa no seu livro Grande Sertão Veredas: “Mágoa é lamber frio o que o outro cozinhou quente demais para nós”. A pessoa rancorosa apresenta as seguintes dificuldades: aceitar a imperfeição humana, idealizando uma realidade onde as pessoas nunca falhem com ela; expressar a raiva na colocação clara do seu desagrado diante do outro; viver o momento presente, sendo extremamente apegada ao passado. Por isso, quem guarda mágoa, em geral, é também um saudosista e culposo, características dos que vivem no passado. Uma vez, porém, instalada a mágoa, só nos resta uma saída: o perdão. Se a mágoa nos envenena e machuca, o perdão nos alivia e cura.
Pode-se medir a sanidade psicológica de alguém por sua capacidade de perdoar.

O perdão é a ponte que nos faz sair da depressão para a alegria: “Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos aqueles que nos têm ofendido”. 
Por que tanta dificuldade em perdoar? Porque há equívocos em torno do perdão que dificultam o exercício dele. Primeiramente há uma crença falsa de que o beneficiário do perdão é a pessoa que nos ofendeu. O perdão é algo bom para quem perdoa. Perdoar é ficar livre da dor causada pelo outro. É ficar livre daqueles que nos magoaram. É um presente dado a mim mesmo. Em segundo lugar, há uma idéia igualmente falsa de que, ao perdoarmos, devemos esquecer o mal que nos fizeram e voltar a ter com a pessoa o mesmo relacionamento de antes. Perdoar não é esquecer. É apenas parar de sofrer.

“Devemos, porém, aprender com a experiência e podemos, a partir daí, escolher qual relacionamento teremos com o ofensor”.

Perdoar não significa fazer de conta que nada aconteceu. Pelo contrário, temos de levar em conta a experiência, revendo a relação, e por isso mesmo, nos livrando do sofrimento. Perdoar os outros é o presente que oferecemos a nós mesmos.
Chega de carregar na alma as ofensas e os que nos ofenderam. Melhor do que perdoar é não se ofender.

E então, quando lavamos nossa alma com o perdão, deixamos também de ser vítima dos problemas e nos tornamos autores da própria história. É saber atravessar desertos fora de si, mas também ser capaz de encontrar um oásis no interior de nossa alma. Quando aprendemos a perdoar, passamos a ter mais segurança e maturidade para receber uma crítica, mesmo que injusta, pois o perdão nos deixa inteiros, nos renova, nos deixa LIVRE…

E a liberdade vem junto com a felicidade…

“És precária e veloz, felicidade. Custa a vir, e, quando vens, não se demoras. Foste tu que ensinaste aos homens que havia tempo, e, para te medir, se inventaram as horas…”

Cecília Meireles expressou tão bem, em seus versos, o que tanto buscamos… a felicidade.

E para saborear a tão sonhada felicidade, precisamos aprender a perdoar, a não olhar pelo retrovisor, a não guardar mágoas, aprender inclusive a nos perdoar, para depois compreendermos o outro…

Livre-se então do sentimento de culpa, olhe-se por inteiro e terá a inteireza para olhar, perdoar e ser feliz…

Bom fim de semana para todos…

*Por Beth Landim

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Erros …

Os erros são quase que inevitáveis para quem quer avançar e crescer.

São acidentes de percurso, contingências do processo evolutivo que todos estamos destinados a vivenciar. O excesso de rigidez e severidade faz com que criemos um padrão mental que influenciará os outros para que nos tratem da mesma forma como os tratamos. Teimosia é uma forma de rigidez da personalidade. É um apego obstinado às próprias idéias e gostos, nunca admitindo insuficiência e erros.

Conviver com criaturas que estão sempre com a razão, que acreditam que nasceram para ensinar ou salvar todo mundo e que jamais transgridem a nada, é viver relacionamentos desgastantes e insatisfatórios.

Quase sempre fugimos desses indivíduos dogmáticos, incapazes de aceitar e considerar um ponto de vista diferente do seu. Nesses relacionamentos, ficamos confinados à representação de papéis instrutor-aprendiz, orientador-orientado, mentor-pupilo. Somente escutamos, nunca podemos expressar nossa opinião sobre os eventos e as experiências que compartilhamos. As pessoas teimosas vão ao excesso do desrespeito, por não darem o devido espaço para as diferenças pessoais que existem nos amigos e familiares.

Ser flexível não que dizer perda de personalidade ou ser volúvel, mas ser acessível à compreensão das coisas e pessoas. Para melhorarmos as circunstâncias de nossa vida, precisamos transformar nossos padrões de pensamentos limitadores. Isolando-nos dentro dessas fronteiras estreitas, passamos a encarar o mundo de forma reduzida e nos condicionamos a pensar que a vida é uma fatal provação. Assim, não mais vivemos intensamente, limitamo-nos apenas a sobreviver.

Explorando opções, diversificando nossas opiniões, conceitos, atitudes e recolhendo os frutos do progresso aqui e acolá, teremos expandida a nossa visão, que será a base para agirmos com prudência e maleabilidade diante das nossas decisões.

A arquitetura de uma ponte prevê os movimentos oscilatórios, para que sua estrutura não sofra dano algum. As estruturas imobilizadas nunca são fortes como as flexíveis. Mentalidades rígidas não são consideradas desembaraçadas e rápidas, pois nunca estão prontas para mudar ou para receber novas informações.

Neste contexto, todos nós devemos aproveitar a oportunidade para refletirmos um pouco sobre as nossas atitudes, sobre os pesos desnecessários que carregamos por imposição própria, e buscarmos levar a vida de uma forma mais amena, na interação com as pessoas e situações.

Estamos nos aproximando do último mês de mais um ano.

Quantas oportunidades e bênçãos recebemos e não fomos capazes sequer de percebê-las, que dirá de agradecer por elas. Vamos aproveitar o momento para refletir e perceber que sempre é tempo para mudar! Não vamos continuar presos a padrões rígidos que nos causam dor e sofrimento, que danificam a nossa saúde desnecessariamente.

É sempre tempo de recomeçar. Plante o que você deseja colher, e verá que rica colheita você fará, porque a lei é de ação e reação, portanto o bem que fazemos retorna para nós. Caminhe com o seu pensamento sempre voltado para Deus, você estará buscando equilíbrio e sustentação. Tenha coragem para dar os primeiros passos para uma vida melhor, pois tenha a certeza de que vale a pena lutar pela sua felicidade.

Nos diz Richard Bach …

“Durante muitos anos esperamos encontrar alguém que nos compreenda, alguém que nos aceite como somos, capaz de oferecer-nos felicidade apesar das duras provas…

Apenas descobri que esse mágico alguém é o rosto que vemos no espelho.”

Que você tenha uma boa semana plena de energias positivas e de reflexões que te proporcionem um crescimento em sua caminhada!

*Por Beth Landim

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Amor da Minha Vida

De todos meus sonhos realizados, você foi o melhor porque, Deus te criou com tanto carinho e cuidado na qual, colocou em você qualidades que jamais precisaria pois, pra mim, você é a perfeição e o encaixe perfeito para meu coração, para meu futuro. a cada minuto, segundo, milésimo, eu venho te amando mais e mais e, sem você eu posso me chamar de transparente pois, não existiria sem sua presença. 

Quantas vezes sem você procurava encontrar um motivo , uma razão , que me fizesse levantar, esconder as feridas que não vão curar, como me sinto longe de você , pareço não estar perto do céu e das nuvens , onde o sol reflete só você . 

Vem aqui pra me dizer que o meu melhor não é o melhor pra você , se eu te disser que vai mudar , que eu não sou nada sem você. Não existe alguém no mundo que eu possa amar mais do que você, não existe também, outro alguém que me faça tão feliz e completa como você me faz, o que eu sei de verdade e que não tenho dúvida alguma é o que eu sinto por você, o mais puro dos amores que já vi, o mais exagerado, o maior, o amor que enquanto mais te dou, mais cresce, o amor que quero levar comigo pra onde for, o amor que preciso todos os dias pra me levantar, o amor que me mantem feliz até nos momentos que não estou com você, aquele amor que uma vida seria muito pouco para explica.

E quando eu te encontrar, ah será como nos meus pensamentos, como tudo planejado vou pular em seus braços me envolver por inteiro em seus beijos, sorrir com o brilho dos seus olhos. Quero deitar em seu colo, ter seu carinho, vou até te esconder para que possamos viver assim todos os dias sem distância, sem saudade para machucar.

Te amo tanto amor da minha vida, meu anjo!

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Da gente que Gosto...

Divido com você o que nos diz Mario Benedetti, poeta, escritor e ensaísta uruguaio …

 “Eu gosto de gente que vibra que não tem de ser empurrada, que não se tem de dizer que faça as coisas, mas que sabe o que tem que fazer e que faz. Gente que cultiva seus sonhos até que esses sonhos se apoderam de sua própria realidade. 

Eu gosto de gente com capacidade para assumir as conseqüências de suas ações, de gente que arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, que se permite, abandona os conselhos sensatos deixando as soluções nas mãos de Deus.

Gosto de gente que é justa com sua gente e consigo mesma, da gente que agradece o novo dia, as coisas boas que existem em sua vida, que vive cada hora com bom ânimo dando o melhor de si, agradecido de estar vivo, de poder distribuir sorrisos, de oferecer suas mãos e ajudar generosamente sem esperar nada em troca. Eu gosto de gente capaz de me criticar construtivamente e de frente, mas sem me lastimar ou me ferir. De gente que tem tato. Gosto de gente que possui sentido de justiça.

A estes chamo de meus amigos.

Gosto de gente que sabe a importância da alegria e a pratica. De gente que por meio de piadas nos ensina a conceber a vida com humor. De gente que nunca deixa de ser animada. Gosto de gente que nos contagia com sua energia. Gosto de gente sincera e franca, capaz de se opor com argumentos razoáveis a qualquer decisão. Gosto de gente fiel e persistente, que não descansa quando se trata de alcançar objetivos e idéias. Me encanta gente de critério, que não se envergonha em reconhecer que se equivocou ou que não sabe algo.

De gente que, ao aceitar seus erros, se esforça genuinamente por não voltar a cometê-los. De gente que luta contra adversidades. Gosto de gente que busca soluções. Gosto de gente que pensa e medita internamente. De gente que valoriza seus semelhantes, não por um estereótipo social, nem como se apresentam. De gente que não julga, nem deixa que outros julguem.”

Gosto de gente que tem personalidade. Me encanta gente que é capaz de entender que o maior erro do ser humano é tentar arrancar da cabeça aquilo que não sai do coração. A sensibilidade, a coragem, a solidariedade, a bondade, o respeito, a tranqüilidade, os valores, a alegria, a humildade, a fé, a felicidade, o tato, a confiança, a esperança, o agradecimento, a sabedoria, os sonhos, o arrependimento, e o amor para com os demais e consigo próprio são coisas fundamentais para se chamar GENTE. Com gente como essa, me comprometo para o que seja pelo resto de minha vida… já que, por tê-los junto de mim, me dou por bem retribuído. Impossível ganhar sem saber perder. Impossível andar sem saber cair. Impossível acertar sem saber errar. Impossível viver sem saber reviver.

… Pois a glória não consiste em não cair nunca, mas em levantar-se todas as vezes que seja necessário.

E isso é algo que muito pouca gente tem o privilégio de poder experimentar. Bem aventurados aqueles que já conseguiram receber com a mesma naturalidade o ganhar e o perder, o acerto e o erro, o triunfo e a derrota…

Gosto de gente que luta por seus sonhos e que acima de tudo que sonha sempre…

*por Beth Landim

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

A Janela

Certa vez, dois homens estavam seriamente doentes na mesma enfermaria de um grande hospital. O cômodo era bem pequeno e nele havia uma janela que dava para o mundo. Um dos homens tinha como parte do seu tratamento, permissão para sentar-se na cama por uma hora durante as tardes (algo que tinha a ver com a drenagem de fluido de seus pulmões). Sua cama ficava perto da janela.

O outro, contudo, tinha de passar todo o seu tempo deitado de barriga para cima. Todas as tardes, quando o homem cuja cama ficava perto da janela era colocado em posição sentada, passava o tempo descrevendo o que via lá fora.

A janela dava para um parque onde havia um lago. Havia patos e cisnes no lago, e as crianças iam atirar-lhes pão e colocar na água barcos de brinquedo. Jovens namorados caminhavam de mãos dadas entre as árvores, e havia flores, gramados e jogos de bola. E ao fundo, por trás da fileira de árvores, avistava-se o belo contorno dos prédios da cidade.

O homem deitado ouvia o sentado descrever tudo isso, apreciando todos os minutos. Ouviu sobre como uma criança quase caiu no lago e sobre como as garotas estavam bonitas em seus vestidos de verão. As descrições do seu amigo eventualmente o fizeram sentir que quase podia ver o que estava acontecendo lá fora…

Então, em uma bela tarde, ocorreu-lhe um pensamento: Por que o homem que ficava perto da janela deveria ter todo o prazer de ver o que estava acontecendo? Por que ele não podia ter essa chance? Sentiu-se envergonhado, mas quanto mais tentava não pensar assim, mais queria uma mudança. Faria qualquer coisa!

Numa noite, enquanto olhava para o teto, o outro homem subitamente acordou tossindo e sufocando, suas mãos procurando o botão que faria a enfermeira vir correndo. Mas ele o observou sem se mover… mesmo quando o som de respiração parou. De manhã, a enfermeira encontrou o outro homem morto e, silenciosamente, levou embora o seu corpo.

Logo que pareceu apropriado, o homem perguntou se poderia ser colocado na cama perto da janela. Então o colocaram lá, aconchegaram-no sob as cobertas e fizeram com que se sentisse bastante confortável. No minuto em que saíram, ele apoiou-se sobre um cotovelo, com dificuldade e sentindo muita dor, e olhando para fora da janela viu apenas um muro.

Esta mensagem nos convida a muitas reflexões sobre a forma como encaramos as nossas dores, as nossas alegrias, os nossos problemas e as nossas dificuldades. Vemos como duas pessoas em situações semelhantes reagiram diante das possibilidades que se apresentaram para elas. Cada um de nós vê o mundo sob a ótica dos nossos horizontes.

Se buscamos avaliar as circunstâncias que nos cercam de forma positiva, seremos capazes de visualizar em um simples muro, um filme colorido, em terceira dimensão, e não só trazer alegria para o nosso coração, como também exercer a influência positiva sobre o nosso próximo, fazendo com que ele também seja capaz de partilhar conosco momentos de prazer e de alegria. Se, por outro lado, nos fechamos em nossos problemas e em nossas dores, podemos estar diante de uma das sete maravilhas do mundo e estaremos vendo um mundo preto e branco, onde tudo que há de bom não será capaz de modificar a nossa ótica diante do belo contexto.

Assim somos nós em nossa caminhada. Na maioria das vezes, não conseguimos visualizar como somos privilegiados diante de tantas tragédias e tantos sofrimentos que o mundo vive e que chegam até nós com requintes de detalhes pela mídia, pela internet, e pelas formas mais diversas de divulgação. Em muitos momentos até paramos para comentar o fato, mas não temos o hábito de analisar como somos abençoados diante de tudo que a vida nos oferta. Obviamente que passamos por dores e provações, mas na maioria das vezes nos prendemos nelas, sem força para reação, assistindo o tempo passar pela janela da nossa vida, nos dizer adeus, seguir adiante, e estes momentos nunca mais retornarão, essas oportunidades não serão mais nossas.

Com certeza passaremos por momentos que requerem de nós uma postura de recolhimento para que não sejamos repetitivos em nossas recaídas, freqüentes em nossas frustrações, negativos diante de Deus e do mundo, pessoas que perdem tempo com coisas pequenas. Mas a vida sempre nos convida a novas etapas, e o tempo não nos espera. Temos que levantar a cabeça, reagir diante de Deus, de nós mesmos, da vida, e seguir com firmeza a nossa estrada.

Cada um de nós pode em uma mesma página em branco, com apenas uma frase ou uma figura, escrever um belo conto ou uma bela tragédia. Como você está olhando o mundo que te rodeia neste momento? Você sabia que é responsável não somente por você, mas também por todos que convivem com você no seu dia-a-dia. Quanta responsabilidade!

Que este texto de Ligia Barreto possa nos acordar diante da vida, das oportunidades e nos deixar com a certeza de que a vida é, sempre foi e será aquilo que nós a tornamos.

Desejo a todos uma boa semana, com a certeza de que a aquarela das cores que escolhemos para pintar o muro das nossas vidas possa estar repleta de cores bem alegres e vibrantes, nos trazendo alegrias, esperanças e muita vontade de compartilhar com todos os que nos cercam a beleza da vida que existe dentro de cada um de nós, pois o homem é do tamanho dos seus sonhos, do horizonte que vislumbra!


Por Beth Landim

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

A Águia e o Pardal

O sol anunciava o final de mais um dia e lá, entre as árvores, estava Andala, um pardal que não se cansava de observar Yan, a grande águia. Seu vôo preciso, perfeito, enchia seus olhos de admiração. Sentia vontade de voar como a águia, mas não sabia como o fazer. Sentia vontade de ser forte como a águia, mas não conseguia assim ser. Todavia, não cansava de segui-la por entre as árvores só para vislumbrar tamanha beleza.

Um dia estava a voar por entre a mata a observar o vôo de Yan, e de repente a águia sumiu de sua visão. Voou mais rápido para reencontrá-la, mas a águia havia desaparecido. Foi quando levou um enorme susto, deparou de uma forma muito repentina com a grande águia a sua frente. Tentou conter o seu vôo, mas foi impossível, acabou batendo de frente com o belo pássaro. Caiu desnorteado no chão e quando voltou a si, pode ver aquele pássaro imenso bem ao seu lado observando-o. Sentiu um calafrio no peito, suas asas ficaram arrepiadas e pôs-se em posição de luta.

A águia em sua quietude apenas o olhava calma e mansamente, e com uma expressão séria, perguntou-lhe: – Por que estás a me vigiar, Andala?

- Quero ser uma águia como tu, Yan. Mas meu vôo é baixo, pois minhas asas são curtas e vislumbro pouco por não conseguir ultrapassar seus limites.

– E como te sentes amigo sem poder desfrutar, usufruir de tudo aquilo que está além do que podes alcançar com tuas pequenas asas?  – Sinto tristeza. Uma profunda tristeza. A vontade é muito grande de realizar esse sonho…

- O pardal suspirou olhando para o chão…

E disse: – Todos os dias acordo muito cedo para vê-la voar e caçar. És tão única, tão bela. Passo o dia a observar-te.  E não voas? Ficas o tempo inteiro a me observar? Indagou Yan.

- Sim. A grande verdade é que gostaria de voar como tu voas… Mas as tuas alturas são demasiadas para mim e creio não ter forças para suportar os mesmos ventos que, com graça e experiência, tu cortas harmoniosamente…

- Andala, bem sabes que a natureza de cada um de nós é diferente, e isso não quer dizer que nunca poderás voar como uma águia. Sê firme em teu propósito e deixa que a águia que vive em ti possa dar rumos diferentes aos teus instintos. Se abrires apenas uma fresta para que esta águia que está em ti possa te guiar, esta dar-te-á a possibilidade de vires a voar tão alto como eu. Acredita!- E assim, a águia preparou-se para levantar vôo, mas voltou-se novamente ao pequeno pássaro que a ouvia atentamente: Andala, apenas mais uma coisa: – Não poderás voar como uma águia, se não treinares incansavelmente por todos os dias. O treino é o que dá conhecimento, fortalecimento e compreensão para que possas dar realidade a teus sonhos. Se não pões em prática a tua vontade, teu sonho sempre será apenas um sonho.

Caríssimos leitores, esta metáfora serve de reflexão apenas para aqueles que não temem quebrar limites, crenças, conhecendo o que deve ser realmente conhecido. É para aqueles que acreditam ser livres, e que trazem a liberdade em seu coração. Com essas virtudes poderão adquirir as formas que desejarem, pois já não estarão apegados a nenhuma forma pronta e acabada. Somos livres, podemos escolher, lutar e realizar!  Um pardal poderá, sempre, transfigurar-se internamente numa águia, se esta for sua vontade. Mas para essa transfiguração é preciso confiar em si mesmo e voar, entregando tuas asas aos ventos e aprendendo o equilíbrio com eles.

Tudo é possível para aqueles que compreenderam que são seres livres, basta apenas acreditar, ter disciplina, perseverança, confiar na sua capacidade de aprender, trabalhar muito  e ser feliz com sua escolha. 
Na vida temos pessoas que admiramos que são como águias, são fortes e perspicazes, mas também devemos encontrar e destacar no pardal qualidades que a águia não terá como leveza, agilidade e a habilidade de viver coletivamente.

Todos temos dentro de nós uma águia e um pardal, e precisamos dessas duas faces para enfrentar os desafios do cotidiano. Muitas vezes nos acostumamos a olhar para os outros, para as vitórias, as habilidades alheias, valorizando-as. Esquecemos de olhar nosso interior, nossas próprias habilidades que são tão interessantes quanto as dos outros. Tratar a auto-estima deveria ser uma das principais metas do ser humano: quem não gosta de si nunca poderá amar e conviver com o outro, muito menos ser feliz com suas conquistas.

Reflitam sobre isso e tenham um bom fim de semana!


*Por Beth Landim

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

O Deus do impossível e o dom da paciência!

Após um naufrágio, o único sobrevivente agradeceu a Deus por estar vivo e ter conseguido se agarrar à parte dos destroços para poder ficar boiando.

Este único sobrevivente foi parar em uma pequena ilha desabitada, fora de qualquer rota de navegação, e ele agradeceu novamente. Com muita dificuldade e restos dos destroços, ele conseguiu montar um pequeno abrigo para que pudesse se proteger do sol, da chuva, e animais e, também, para guardar seus poucos pertences. Como sempre, ele agradeceu.

Nos dias seguintes, a cada alimento que conseguia caçar ou colher, ele agradecia.

No entanto, um dia, quando voltava da busca por alimentos, ele encontrou o seu abrigo em chamas, envolto em altas nuvens de fumaça. Terrivelmente desesperado, ele se revoltou. Gritava chorando: “O pior aconteceu, perdi tudo! Deus, por que fizeste isso comigo?”- Disse.

Chorou tanto, que adormeceu profundamente cansado.

No dia seguinte, bem cedo, foi despertado pelo som de um navio que se aproximava.

“Viemos resgatá-lo”, disseram.

“ Como souberam que eu estava aqui ?” Perguntou ele.

“ Nós vimos o seu sinal de fumaça. ”

É comum sentirmos-nos desencorajados e até mesmo desesperados, quando as coisas vão mal.

Mas Deus age em nosso benefício mesmo nos momentos de dor e sofrimento Lembre-se: se algum dia o seu único abrigo estiver em chamas, esse pode ser o sinal de fumaça que fará chegar até você, a presença de Deus.

Esta história nos faz acreditar que Deus é misericordioso e provê, no tempo certo, a solução para nossas questões e problemas. Portanto, diante de uma situação que pareça insuportável e que não podemos enxergar o caminho a tomar, é preciso desenvolver a paciência.

A paciência fará com que a dificuldade desapareça, pois os problemas são nuvens que em algum momento se desfazem. As mudanças chegam. Novas situações aparecem e o quadro se modifica. Com paciência, os pensamentos, as emoções ganham tempo para se ajustar, gerando soluções.

A paciência é a virtude dos homens de fé e é o freio dos problemas. A paciência é um talento para resistir e vencer. Aquele que sabe fazer uso da paciência sabe também fazer uso da razão. Estão mais próximos de alcançar a vitória, os que melhor utilizam a paciência do que a audácia. A paciência deve ser cultivada com arte e inteligência. Graças a ela, adquirimos capacidade de compreensão, de tolerância e sabedoria para viver bem conosco e com os outros! Através da paciência, vamos alcançando tudo. A paciência traz frutos como o contentamento, coração sereno, confiança e tranqüilidade da mente.

Se aprendermos a ter paciência, saberemos como comer, como pensar, como trabalhar, como estar sozinho, como fazer amizades, como viver uma vida verdadeira. Sem paciência, dissipamos nossa energia e ficamos irritados e cansados.

Com este auto-aperfeiçoamento, vamos purificando camadas e camadas de nossa mente, descobrindo como podemos ser mais felizes, superando nossas dificuldades e eliminando nossos medos e limitações. É importante entender este paradoxo: viva com responsabilidade e leveza de espírito. Sem stress, sem cobranças, sem tantas expectativas, sem a seriedade que é bem peculiar do ego.

Viva aceitando, verdadeiramente, o momento presente que já é sua colheita. Não adianta se revoltar, ficar com raiva. Você tem o que precisa e merece. Nada acontece por acaso. A vida é como tem que ser.

Você é mais feliz quando tem aceitação de si mesmo, aceita os acontecimentos e aprende com eles, extraindo lições. A chave para ser mais feliz e saborear a vida é aceitar os outros como são e não tentar mudar a ninguém a não ser a você mesmo. Se mudarmos a nós mesmos, poderemos experimentar harmonia e paz, mas se esperarmos que o mundo ou que os outros mudem, com certeza, teremos que esperar em vão por muitos séculos.

Isto me lembra o ensinamento de um grande santo. Ele costumava rezar pedindo a Deus energia para modificar o mundo. Muitos anos se passaram e, quando ele chegou à meia-idade, percebeu que não tinha mais força suficiente para mudar o mundo. Assim, ele pediu a Deus energia suficiente para mudar os parentes. Mais anos se passaram e ele ficou idoso. Então, como ele percebeu que não dispunha de força para mudar os parentes, pois eram mais fortes que ele. Então, começou a rezar: “Ó Senhor, dê-me força suficiente para que eu possa mudar a mim mesmo.” E só assim ele ficou satisfeito e em paz. Deste modo, este santo nos alerta para pedirmos, desde o começo, energia e coragem para mudarmos a nós mesmos.

Isto porque, segundo Theilhard de Chardin, “não somos seres humanos passando por uma experiência espiritual, somos seres espirituais passando por uma experiência humana!”.

Pense nisso e tenha uma semana plena de harmonia!

* Por Beth Landim

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Par perfeito...

Ando procurando
uma metade
deve ser sincera...
senhora da sua identidade
única e que deseje ser amada
autêntica...com alma e coração.

Que seja perfeitamente imperfeita
e ainda infantil em sonhos
adulta em suas atitudes...

Ando procurando mais
momentos de felicidade
uma mulher intensa
que complete a minha metade
e que esteja próxima...
mesmo que distante
uma mulher insana
que me fascine em cada toque
sem receio dessa proximidade...

Ando procurando um complemento
um amor que ajude a somar
e a dividir todos os momentos
Que seja crédula em Deus
e acredite em amores impossíveis
que caminhe sem medo ao meu lado
e que capture minha alma
Metade mulher, outra metade musa
sem ser perfeita...
que goste de desbravar mundos
ou apenas o meus espaços mudos.

Ando procurando
procuro...olho... um olhar perdido
um verso... uma harmonia pura
onde possa despertar desejos
fragmentos dum pequeno poema
para começar a amar e ser feliz.

Sou poeta sim,
imperfeito ser humano
virtualmente perfeito,
viciado em aromas e cheiros
em momentos intensos e freqüentes
cheios de calafrios nas noites de amor
onde os poemas ganham vida
e as mãos empunham lápis
açoitando suavemente as folhas de papel
onde crio...transcrevo nossos momentos
sem cortes, cheios dos mais intensos
insanos...repletos de amor e tesão.

Ando procurando
a deliciosa sensação
de estar atado à outra pessoa,
a entrega total de si mesmo
um amor recheado de romantismo
desse tipo de amor extinto
mas que acredito ser verdadeiro
Minha metade é mulher...
que seja curiosa...
com belas histórias e carícias amorosas.

Ando procurando um olhar
aquele tipo que me faça
brilhar...iluminando a alma
que em seu próprio sentido
mesmo em prosa e verso
é indecifrável... sem algo parecido...
unico e que faça o meu tipo.

Ando procurando um algo mais
um ser com palavras certas
e atitudes poéticas...
um amor que faça com meu coração
uma fantástica alquimia carnal
Minha metade é quase invisível
mas não é impossível...
é um espectro de luz...
e até mesmo uma miragem de amor.

Ando procurando essa metade
de curvas imperfeitas... saliências desenhadas
retas torneadas...vontade plena,
que vive na palavra e sobrevive...
ilesa em meus sonhos de poeta
Minha metade é dona de um sorriso
que convida... provoca e ordena
implora...sem ter medo de ser amada...

Ando procurando a tanto tempo
que escrevi esta declaração
misturada com os meus sonhos
devaneios... desejos dum poeta solitário.

Procuro...busco...
continuo minha interminável busca
a busca pela felicidade eterna...
Mas nunca esquecendo:
"... que seja eterno enquanto dure..."
já dizia um poeta amigo...

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Uma Conversa...

Uma conversa muito interessante entre Deus e o Homem. Leia e nao deixe de compartilhar com seus amigos. 

Homem: Deus posso te fazer uma pergunta? 
Deus: Claro
Homem: Promete que nao vai ficar bravo comigo?
Deus: Prometo!
Homem: Porque voce fez um tanta coisa me acontecer hoje? 
Deus: Como assim? 
Homem: Bem, hoje eu acordei atrasado
Deus: Sim...
Homem: Meu carro demorou uma eternidade pra ligar
Deus: Ok...
Homem: Na hora do almoço eu pedi um lanche, veio errado e eu tive que esperar por outro um tempão
Deus: Ahan...
Homem: No caminho de volta pra casa que ia atender uma ligação e meu celular MORREU! 
Deus: Certo...
Homem: Nao bastava tudo isso me acontecer, quando cheguei em casa, eu só queria por meus pés de molho na minha bacia de massagem e relaxar!! Mas isto nao aconteceu!! Alias NADA deu certo hoje pra mim!!!
Por que voce fez isso?????
Deus: Ok vou te falar... Sabe filho, hoje de manha o anjo da morte estava rodeando a sua cama, mas eu enviei um dos meus anjos para lutar com ele a favor de sua vida! Eu apenas deixei você dormir enquanto tudo isso acontecia...
Homem: OH!!!
Deus: Eu nao deixei o seu carro ligar rapidamente esta manha porque havia um motorista bêbado na rota que você trafega diariamente para o trabalho e ele iria bater no seu carro. 
Homem: "sem reação" 
Deus: Na hora do almoço, a primeira pessoa que fez o seu sanduíche estava doente e eu nao queria que você se contaminasse com nenhuma virose. Ainda mais sabendo que você não esta podendo se dar o luxo de faltar do trabalho. 
Homem: "envergonhado"
Deus: Seu celular morreu porque a pessoa que te ligou ia dizer coisas falsas sobre você a respeito do que você ia contar a ela naquela ligação. Então eu nem deixei que você atendesse. 
Homem: Ooh... Eu posso entender Deus...
Deus: Ah e a sua bacia de massagem está com um problema que se ligasse iria causar um curto circuito na energia da sua casa hoje a noite. Eu pensei que você nao gostaria de ficar no escuro. 
Homem: Ooh me desculpe Deus... 
Deus: Nao precisa se desculpar filho, apenas aprenda a confiar em mim em todas as situações boas e ruins. E não duvide que meus planos são sempre melhores do que os seus.
Homem: Eu prometo que nao irei me esquecer disso. Obrigado por tudo o que o Senhor fez por mim hoje. 
Deus: De nada filho. Este foi apenas mais um dia que te provei que sou o seu Deus que ama cuidar de você.

Quando uma porta se fecha, Deus abre 2 portas: 
Deus te abençoe

Não tenha medo de abrir mão do que você quer para viver o que Deus quer para você

Deus só pode agir naquilo em que O deixamos trabalhar. Às vezes, saímos feridos de um relacionamento, tão machucados, que achamos que o “o a...