sexta-feira, 30 de abril de 2021

Sobre os ciclos e recomeços da vida…


Nossa vida é uma eterna construção, mesmo quando erramos, algo está sendo construído. Toda construção requer tempo e mais do que qualquer outra coisa, a desconstrução de paradigmas que impedem a evolução da vida, do ser humano que está sendo desenhado naquele momento com os sucessos e tropeços que o universo trás.


Imagine que em toda conquista existe a abdicação de alguma coisa, quase sempre muito importante, portanto não retroceda, continue com passos firmes e a mente positiva, se chegou até aqui, precisa valer a pena!


Se chegou até esta etapa é porque acreditou que seria possível ser tudo que um dia quis ser, não diminua seu ritmo agora, caminhe quando ninguém mais acreditar, caminhe até mesmo quando você não acreditar, lembre-se…muita coisa ficou para trás, faça valer a pena cada passo rumo ao que tanto deseja, faça hoje!


Quando as coisas não fizerem mais sentido, quando o coração não bater mais por algo que um dia quis tanto…deixe ir, se no caminho descobrir que tomou o rumo errado, retorne!

 

Entre o plantar e o colher existe a espera. Tenha paciência, sua semente florescerá na hora certa!


Se precisa chorar, faça, mas faça hoje, agora! Veja bem: não há erro nisso, erro está na inércia, no aceitar menos do que realmente você merece, no lamentar-se por muito tempo e perder as boas coisas da vida, as boas risadas, amizades, negócios, viagens, um belo sorriso e um olhar te dizendo: vem ser feliz!

 

Portanto deixe agora tudo que pesa teus ombros, que entristece tua alma, que aborrece teu juízo, vista -se do amor próprio, porque ele, ao invés de lágrimas, faz brilhar o teu rosto!


É totalmente válido se permitir escolher outros caminhos para ter a chance de novos fins, a vida é feita disso: fases, ciclos, brindemos cada um deles!


Mas não fique preso, continue andando, queime a ponte que te faz retroceder, tome decisões, assim como a serpente, troque a pele, redesenhe sua fórmula da felicidade, parta para o novo, o ainda não conquistado, sem promessas, só determinação e um desejo profundo de seguir, sempre! Que seja aos tropeços, mas que hajam recomeços!


Há tanto a conquistar, tanto à caminhar e aprender, não perca tempo dando pause, ficando off, seja on, positivo e incansável! Continue a caminhada, descalço ou não, avance, sem limitações, só sonhos e muita atitude.


Se em algum momento você sonhou, é porque faz sentido, não procrastine tanto, encerre o que começou, ou dê andamento, mas não deixe pedaços espalhados, existe um retrocesso em nosso processo de evolução enquanto pessoa quando não concluímos as etapas de nossas vidas, deixamos de ser um todo para ser parte, parte esta de várias coisas , que no fim é uma imensa construção do nada, a grande sabedoria está em começar algo e encerrar quando não mais existir propósito, só não deixe de stand bye seus projetos, não os deixe soltos, não pare jamais, em tempo algum de sonhar e acreditar que você pode e será bem melhor do que julga ser hoje.


Renilce Aguiar

quinta-feira, 29 de abril de 2021

A oração é a maior terapia que existe. Ela te dá esperança, paz, resultados e ainda é de graça.


Orar não é ser religioso, é consultar quem já te viu no futuro.


Esses dias, meu filho José me fez uma pergunta: “Pai, me fala a verdade, você ama mais o Joaquim do que a mim, não é?”
Quem é pai, sabe que é impossível amar mais a um filho do que outro. Mas, a questão era que o Joaquim tinha o dobro de brinquedos que o José. Eu parei pra pensar nisso e a Jeanine me lembrou que o Joaquim sempre pediu mais, por isso recebeu mais. Assim funciona a oração.

Há três coisas que você precisa fazer para que sua oração dê certo:

1. Investir tempo – Onde está o seu tempo, ali estarão os seus resultados;
2. Ser insistente – A perseverança demonstra que você sabe o que quer;
3. Ser sincero – Com Deus, o que importa é a sinceridade.

Você pode até esquecer do que orou, mas Deus registrou cada palavra que você disse.

A distância entre você e o seu milagre é uma oração. Tudo o que você realmente precisa será conquistado através dela.

Ninguém consegue derrubar quem já está de joelhos dobrados.

Meu conselho para você hoje é: Ore.


*Tiago Brunet

quarta-feira, 28 de abril de 2021

Faça amor… Não faça joguinhos.


Outro dia, ouvi um velhinho dizer: “Amei a mesma mulher durante 50 anos”. Pensei no quanto isso era ducaralho, até que ele disse: “Queria que ela soubesse disso.” Às vezes as pessoas fazem jogo duro, porque precisam saber se os sentimentos do outro são reais. Pensei no quanto isso era fodido. Somos apenas caras, somos estúpidos às vezes, muitas vezes. Quantas vezes, quis dizer: “EU GOSTO DE VOCÊ” e não disse… Não quero chegar aos 90 anos, morrer e pensar: “eu podia ter tentado”.


Eu costumava ser mais feliz. Hoje tá tudo meio “tanto faz”. Vejo homens chamando mulheres para saírem, e no último minuto desmarcarem. Apenas para serem difíceis, ou tanto faz. O maior crime do homem não é despertar o amor de uma mulher e não amá-la – é fazê-la se depilar à toa. Eu tinha uma paquera, eu mandava mensagem, e ela demorava sempre quatro dias para responder. Imagina se eu fosse aquelas pessoas que pensam que se demorar mais de cinco minutos para responder já começam a se arrepender de cada letra que escreveu. Esses dias, depois de sei lá quanto tempo, essa paquera mandou mensagem: “Estou com saudades”.


A pessoa diz sentir sua falta, mas não demonstra. Ela espera que você adivinhe com seus super poderes mentais que ela precisa de você. Eu sabia que qualquer coisa que eu respondesse teria que esperar quatro dias para a tréplica dela. Então respondi: “Aproveita o gelo que vai me dar e me traz uma coca gelada”. Se você está cansado de joguinhos, de tanto faz, dessas regras bobas, faça como eu, demita-se.


Sabe, esqueça essa teoria de não dar moral. Se quer ligar, liga. Vai lá, tente a sorte, quebre a cara, arrisque. Sabe, pensar duas vezes é a distância entre os que sonham e os que vivem.


Então viva. Saia fora dessa bolha. Felicidade não é mercadoria, não é um remédio que se fabrica, com fórmula errada ainda, de indiferença, cara feia e nariz empinado. Não tem graça ter essa vida em que você tem que esconder seus sentimentos porque alguns falam que isso é se dar valor.

 

Muita idiotice. Limitar-se já é um problema, mas limitar o sentimento é o pior deles. Perdemos a chance de viver uma história pelo simples fato de não falar. Eu, agora, me apaixono por mulheres que, além de gostarem de Pearl Jam, aceleram meu coração. Eu, agora, me apaixono por mulheres diretas e honestas. Que não fazem jogos, fazem amor. Quero conquistar uma mulher sendo eu mesmo. Sem estereótipos, sem medo.


Eu, agora, passei a ver o mundo de outra maneira. E não foi ele que mudou, fui eu.


*Deborah Furtado 

 

*Texto originalmente publicado em The Bro Code.


Por: Ique Carvalho – Via: Casal Sem Vergonha


terça-feira, 27 de abril de 2021

O tempo traz a poda


A poda é necessária para a planta se fortalecer e equilibrar o luto ensina e amadurece.


Ensina que existe tempo para tudo, e que alguns ramos irão se soltar durante a vida, modificando o vigor da espécie;Ensina que os mais fortes são aqueles que se adaptam justamente como dizia Darwin;


Ensina que alguns galhos são supérfluos, ainda que não haja compreensão no momento;


Ensina a modificarmos nossa tendência de produzir mais folhagem que frutos a buscarmos novas alternativas, ter coragem, humildade.


Enquanto tivermos sorte, permanecermos jovens, belos e bem nascidos o acaso nos protegerá, mas permaneceremos mais selvagens folhagem e vegetação.


E não descobriremos quem realmente somos.


O tempo traz a poda. E a cada tesourada descobrimos que algumas feridas nunca se curam e você terá que se ajustar a uma forma de vida completamente nova.

 

Mesmo que seu coração tenha sido quebrado em mil pedaços, uma hora você perceberá que é capaz de amar de novo e, se tiver sorte, amará melhor.


Já perdi amigos, me separei de pessoas insubstituíveis, sofri decepções absurdas, descobri que ninguém é perfeito. Fui feliz, me atirei de cabeça, confiei demais, me frustrei na mesma proporção, tive dúvidas, morri de arrependimento.


Fui podada pela vida, aparada em minhas arestas, corrigida em minhas estruturas. Descobri novos arranjos, me equilibrei com as perdas e decepções, formulei novos caminhos. Aprendi que continuamente sofremos um processo de renovação natural como as plantas. Faz parte da vida, do processo de nos tornarmos melhores com o tempo, extraindo os ramos ruins e mantendo os bons…

 

Aprendendo a perdoar, a pedir perdão; a entender que o tempo leva pessoas especiais e deixa algumas nem tão perfeitas assim; que o coração é capaz de amar de novo, mas antes deve permitir-se chorar e enterrar o amor antigo bem fundo para que ele não ressuscite de tempos em tempos; aprendendo a valorizar o presente, a entender que tudo é passageiro_os bons e maus momentos; aprendendo que algumas pessoas simplesmente não percebem o mundo como você, e que isso não as torna mais cruéis. Aprendendo a ter compaixão, a separar seus medos antigos dos atuais.


O tempo molda as pessoas de formas diferentes, e alguns endurecerão ainda mais com o passar dos anos. Nem todo mundo aprende, não importa quantos tombos leve. E você não pode basear sua vida por essas pessoas.


A vida é muito curta e o roteiro só depende de você. É assim que você se mantém vivo. Quando dói a ponto de não dar pra respirar, é assim que você sobrevive. Decidindo ser melhor a cada dia, se permitindo chorar, se autorizando ter raiva, se justificando por estar sem forças. Mas ainda assim acreditando que uma hora, de alguma maneira que seria impossível, você não se sentirá assim. Não vai doer tanto…


*Fabiola Simoes


segunda-feira, 26 de abril de 2021

Consagre sua vida a Deus! É Ele quem o(a) ajuda quando ninguém mais está com você


Você julga ser impossível controlar o que sente. E eu estou aqui para lhe dizer: não deixe isso dominar você.

 

Pela carência, pelo medo, pela angústia, somos levados a tomar cada vez mais decisões erradas. E no fim fica o arrependimento, a dor de não ter esperado, de não ter tido paciência e de se deixar levar pelas emoções.


A primeira coisa que você precisa entender é: negar o que se sente não ajuda em nada no processo. É preciso aceitar que “estamos carentes” ou “estamos com medo”, e que nesse momento podemos cair na armadilha de aceitar pouco. Muito pouco.


Corremos o risco de atropelar os planos de Deus e, baseados em nossas emoções, fazer escolhas de que futuramente nos arrependeremos.


Aceite o que você sente, reconheça suas necessidades e entregue-se a Deus, pedindo a Ele que o(a) ajude a ter mais sabedoria, a ter domínio próprio, que por sinal é um dos frutos do Espírito.


Cuidado, a necessidade de ter alguém pode levar você a viver um plano que nada tem a ver com o que Deus deseja para sua vida. Pode levá-lo(a) a aceitar pouco e a sofrer muito com todas essas ausências.

 

Existem valores que são inegociáveis. Propósito não se discute nem se negocia. Cuidado para que o medo de “ficar solteiro(a)” não leve você a deixar alguém entrar em sua vida e fazê-lo(a) rever aquilo em que você acredita.


Convide Deus para participar da construção da sua história, Ele quer ser o autor dos seus projetos, dos seus sonhos e da sua família. Também quer ajudá-lo(a) a escolher com sabedoria. Ele pode preencher todo e qualquer vazio. Ele o(a) ajuda quando ninguém mais está contigo e você se sente sozinho(a).

 

“Quem não controla suas emoções torna-se escravo.” (Raphael Godoy)


*Thamilly Rozendo

sexta-feira, 23 de abril de 2021

Quem precisa de segunda chance é porque não deu valor na primeira…


Vamos aos fatos: você já vivenciou ou conhece alguém que precisou de segundas, terceiras e quartas chances para provar que não merecia nem a primeira.


O ser humano tem dentro de si um poder de recuperação muito forte e, em nome disso, prefere a dor à renúncia. O medo de escutar da consciência “você deveria ter tentado” faz com que pessoas sensatas percam sua sabedoria em segundos e desperdiçam seu tempo, sua saúde e sua paciência em relacionamentos fracassados.


Certa vez li um texto de Caio Fernando Abreu que me fez refletir por anos: “Não existem segundas chances, porque nada volta a ser como era antes. Depois que algo é quebrado sempre existirão marcas que provarão que algo esteve errado. Não existem segundas chances quando um coração é magoado. Não existem outras oportunidades para algo que se deixou passar.” E é bem assim mesmo!


Acredito que deva existir relacionamentos que tenham dado certo na segunda vez e que, essas histórias, serviriam de roteiros para filmes de sessão da tarde, mas o preço pago para voltar a ter confiança, é muito alto.


Quando começamos um relacionamento é porque depositamos no outro uma confiança plena. Abrimos nossa vida, nossa alma e nosso melhor para quem julgamos merecer.


Quando esse relacionamento termina, é porque um dos dois não estava inteiro na relação. E o que o faz acreditar que depois de terminar, ficaria? Isso é uma questão de lógica.


Dar valor depois que perde é para amadores, adultos gostam de profissionais, que dão valor na primeira e fazem tudo acontecer de verdade.

 

Olhem para o tempo: não resta muito. E perder tempo com quem já errou uma, duas ou três vezes é assinar um termo de anulação dos próprios sentimentos e de incapacidade para administrar a própria vida. É sofrer até se convencer de que o seu valor não está nas mãos do outro e que, que quando te deixam partir, é porque você não era a primeira opção. Perdoar é uma coisa. Ficar em um relacionamento menos estável que um ioiô é outra.


Entenda que pessoas que, realmente, mereceriam segundas chances nunca a usam. Elas valorizam a primeira…


*Pamela Camocardi 


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: phase4 / 123RF Imagens

quinta-feira, 22 de abril de 2021

Tudo Passa


Havia um rei muito poderoso que tinha tudo na vida, mas sentia-se confuso. Resolveu consultar os sábios do reino e disse-lhes:


– Não sei por que me sinto estranho e preciso ter paz de espírito. Preciso de algo que me faça alegre quando estiver triste e que me faça triste quando estiver alegre.


Os sábios resolveram dar um anel ao rei, desde que o rei seguisse certas condições:


Debaixo do anel existe uma mensagem, mas o rei só deverá abrir o anel quando ele estiver num momento intolerável. Se abrir só por curiosidade, a mensagem perderá o seu significado. Quando TUDO estiver perdido, a confusão for total, acontecer a agonia e nada mais puder ser feito, aí o rei deve abrir o anel.


O rei seguiu o conselho. Um dia o país entrou em guerra e perdeu. Houve vários momentos em que a situação ficou terrível, mas o rei não abriu o anel porque ainda não era o fim. O reino estava perdido, mas ainda podia recuperá-lo. Fugiu do reino para se salvar. O inimigo o seguiu, mas o rei cavalgou até que perdeu os companheiros e o cavalo.


Seguiu a pé, sozinho, e os inimigos atrás; era possível ouvir o ruído dos cavalos. Os pés sangravam, mas tinha que continuar a correr. O inimigo se aproxima e o rei, quase desmaiado, chega à beira de um precipício. Os inimigos estão cada vez mais perto e não há saída, mas o rei ainda pensa:


– Estou vivo, talvez o inimigo mude de direção. Ainda não é o momento de ler a mensagem…


Olha o abismo e vê leões lá embaixo, não tem mais jeito. Os inimigos estão muito próximos, e aí o rei abre o anel e lê a mensagem: “Isto também passará”. De súbito, o rei relaxa. Isto também passará e, naturalmente, o inimigo mudou de direção. O rei volta e tempo depois reúne seus exércitos e reconquista seu país. Há uma grande festa, o povo dança nas ruas e o rei está felicíssimo, chora de tanta alegria e, de repente, se lembra do anel, abre-o e lê a mensagem: “Isto também passará”. Novamente ele relaxa, e assim obtém a sabedoria e a paz de espírito.


Em qualquer situação, boa ou ruim, de prosperidade ou de dificuldades, em que as emoções parecem dominar tudo o que fazemos, é importante que nos lembremos de que tudo é efêmero, de que tudo passará, de que é impossível perpetuarmos os momentos que vivemos, queiramos ou não, sejam eles escolhidos ou não.


A ansiedade, freqüentemente, não nos deixa analisar o que nos ocorre com objetividade. Nem sempre é possível, mesmo. Mas, em muitos momentos, precipitamos atitudes que só pioram o que queríamos que melhorasse, e é na esfera dos relacionamentos amorosos que isso ocorre quase sempre.


A calma, conforme o ditado popular, pode ser o melhor remédio diante daquilo que não depende de nós… Manter as emoções constantemente sob controle é pura fantasia e qualquer um já viveu a sensação de pânico ao perceber que o que mais se valoriza está escapando por entre os dedos.


“Dar tempo ao tempo” não é sintoma de passividade, mas de sabedoria na maior parte dos casos.



*Por Fãs da Psicanálise 

quarta-feira, 21 de abril de 2021

Devolva Todo Mal Que Te Fizerem Na Mesma Intensidade, Porém, Na Forma De Amor


Há pessoas que cruzam nosso caminho para acrescentar luz a cada um de nossos passos, e há aquelas que nos ensinam a não ser como elas.


Sempre que a vida decidir que é hora de você ser uma delas, opte por ser a primeira. Dá bem mais trabalho, porém, é muito mais recompensador.


Às vezes, sofremos desapontamentos grandes o suficiente para nos fazer querer nunca mais sair de nossos quartos. É como se o universo estivesse comendo pipoca com refrigerante enquanto nos assiste agonizar interiormente ao sentir o impacto do duro golpe dado pelas costas.


E não é fácil acordar todos os dias para conviver socialmente como se nada estivesse acontecendo, mas, afinal, é isso o que fazemos, e também é o que devemos fazer. Se deixarmos nossas dores tomarem conta de nós, nunca mais veremos a luz do sol, e isso trará escuridão para todas as áreas que há dentro e fora de nossas vidas.


As decepções sempre vêm de quem menos esperamos e isso não é um mero jargão utilizado como publicação nas redes sociais.


Quando amamos alguém esperamos muito dessa pessoa, seja este amor carnal, familiar ou de amigo.


É inevitável! Você deposita seus momentos, risadas, sorrisos e confissões em alguém, automaticamente espera que a retribuição seja ao menos fidelidade, por isso a decepção ocorre; você projetou naquela pessoa apenas coisas boas, e quando descobre que ela optou por um caminho fora da sua vontade, seu coração sangra, e a dor da frustração lhe arranca o chão na mesma violência que a bala de um revólver transpassa a pele e a carne de seu alvo.


É preciso muito tempo até absorver totalmente o estrago feito na alma de uma pessoa atingida pela dor da traição, independente de como esta tenha acontecido. Mas hoje, eu vim aqui para lhe dizer que você precisa devolver tudo o que lhe fizeram, porém, essa devolução deve acontecer de maneira totalmente oposta ao dano que lhe causaram.


Você pode devolver o mal com mal. Sem sombra de dúvida você pode, mas cá entre nós, além do sentimento de vingança que não dura mais que 5 minutos, o que isso lhe acrescentará?


A vida é formada por ciclos, e quando um ciclo difícil lhe atinge cabe-lhe a escolha entre dar a ele continuidade ou fim. Se você optar pela continuidade, alimentará sentimentos ruins, situações desconfortáveis e muita falta de paz interior, na busca por uma vingança que nunca lhe parecerá completa.


Pois, quando nos permitimos encher o coração com o que há de pior, ficamos cegos o suficiente para não perceber que aquele momento desesperador, quando a frustração veio, ficou para trás há dias, meses ou até mesmo anos. Ou seja, isso não faz mais parte da sua vida, foi apenas um capítulo difícil, mas não é uma história totalmente ruim.


Mas quando você decide absorver o capítulo e sobre ele pôr uma pedra, deixando para trás o vazio, o medo, a tristeza, o ódio e tudo mais que aquele momento lhe causaram, automaticamente o universo sente-se encarregado de abrir em sua vida um novo ciclo, com oportunidades, pessoas e lugares diferentes, que lhe trarão alegria muito maior que a que era sentida nos dias anteriores.


Claro, nada acontece do dia para a noite, por isso devemos sempre lembrar que perdoar é um processo diário, uma mudança interior que envolve pensamentos e sentimentos. Soltar a mão do passado é muito difícil, porém, segurar a mão do presente e futuro é libertador.


Devolva todo o mal que lhe causaram na mesma intensidade, porém, na forma de amor. Se não puder ser na vida da mesma pessoa que lhe feriu, que seja em outra, mas devolva.


Utilize sua história para dar bons conselhos a quem precisa de amparo; seja o ombro amigo que você mesmo não teve para chorar.


Estenda a mão a quem caiu no buraco; eu sei que você precisou sair de lá sozinho, por isso eu o convido a não permitir que mais ninguém tenha de cair a mesma quantidade de vezes que você caiu.


Ofereça as palavras de consolo que você tanto quis ouvir, mas que nunca vieram; se lançaram-lhe apenas pedras tentando aumentar ainda mais seu sofrimento, seja você o responsável por lançar flores e trazer um pouco de beleza aos dias cinzentos de quem ainda está passando pelo processo de aceitação sobre o que foi vivido.


Encerre este ciclo de maldade com carinho e amor. Respire fundo sempre que for preciso, e se a alma doer, pode chorar, não há problema nisso.


Só não se permita ser escuridão nas vidas dos outros como alguém um dia foi na sua. Seja a corda que tira do poço e não a mão que empurra até lá.


Seja a lua que ilumina o céu e não a tempestade que encobre as estrelas. Seja o farol que guia até à praia e não o mar agitado que assusta o tripulante. Seja a lâmpada que ilumina a sala de estar e não o apagão que assusta toda uma vizinhança.


Utilize seu tempo para preencher vazios ao invés de aumentá-los. O que lhe foi feito foi visto por Deus e por todo o universo, e a recompensa de cada um vem a seu devido tempo, portanto, plante girassóis ao invés de espinhos, e você terá além de lindas flores, uma paisagem, um jardim, pássaros e borboletas para colher quando menos esperar.


Se a vida lhe der limões, faça uma limonada, uma caipirinha, tempere uma salada, acrescente ao refrigerante. Só não os esprema nos olhos dos outros e nem nos seus.


Pode acreditar: apesar de azedo e ácido, o limão pode trazer doçura e sabor aos seus dias, mas tudo depende de como você o utiliza.



*Raquel Gonçalves 

terça-feira, 20 de abril de 2021

As Suas Necessidades Não São As Dos Outros


Suas prioridades não são as dos outros. Suas verdades não são as dos outros. Então pare de encher o saco das pessoas querendo obrigá-las a enxergar o mundo como você enxerga!


Seja quem quiser e não cobre que os outros sejam como você. Até porque você não sabe se é a melhor versão de si mesmo! Todos nós estamos aprendendo e nos aperfeiçoando no mundo, na vida, você não é o “rei da cocada preta”, não sabe de tudo! Pare de julgar, criticar, exigir de todo mundo algo que muitas vezes nem você consegue ser, não consegue enxergar…


Cada um enxerga o mundo e a vida de uma forma, de acordo com suas condições interiores, com sua história. Cada um tem a sua história, seu olhar, sua forma de avaliar as coisas, de entender. Cada um tem a sua forma de ser. Compreenda e respeite. Você não é melhor que ninguém, comete equívocos como todas as outras pessoas, você é humano e falível!


O que é muito bom para a sua vida, pode ser ruim para a vida do outro! Respeite incondicionalmente a vida das outras pessoas. Respeite como o outro vive, e o que o outro quer viver! Não quer que todos respeitem a forma como você vive? E que as pessoas entendam as considerações que atribui a cada coisa?! Seu modelo de vida é seu, só serve para você! É exclusivo! Não fique importunando os outros para fazerem algo que é contra a natureza deles!


Como diz um velho ditado: O que é um remédio para uma pessoa pode ser um veneno para a outra e vice- versa.


Ao se aproximar de outras pessoas, antes de querer estabelecer seu ponto de vista, de querer ensinar alguém a viver qualquer coisa, perceba o que o outro está te sinalizando, muitas vezes já te comunicou mil vezes que seus pontos de vista não são do interesse dele, e você não respeita, não ouve, não percebe os sinais! Já sinalizou que você está sendo chato querendo convencê-lo de qualquer coisa, de algo que ele não quer ser convencido, mas você insiste, e o outro se afasta e você vem dar uma de vítima?!


Perceba os sinais! Seja o que quer ser, viva como quer viver, mas não perturbe as pessoas, não encha o saco de ninguém por causa disso!


Saia um pouco do seu mundo, da sua forma egoísta e autocentrada, e veja que o outro não é você e não está nem um pouco interessado em ser. Pode ser até que o outro seja bem melhor do que você, mas você não consegue ver nada além do seu umbigo…


Viva a sua verdade mas não queira convencer ninguém que ela é a melhor do mundo! Se te contribui, se te facilita, se te faz feliz, ótimo, siga em frente! E deixe o outro livre para ser exatamente como quer ser e como seja melhor, mais feliz para ele. A vida do outro é propriedade e responsabilidade dele, não sua!


Respeito absoluto às necessidades e prioridades dos outros, pela vida do outros. Cada um tem o seu sagrado, o seu universo particular, que é só seu e de mais ninguém!


Se quer que todos respeitem a sua forma de viver, de ser e o que você dá valor, respeite a forma de viver do outro, a forma de ser do outro. Cada qual com as suas particularidades e considerações.


Respeito é muito bom e todo mundo gosta!


*Patricia Tavares 


segunda-feira, 19 de abril de 2021

Quando A Gente Não Sabe O Que Tem, Aprende A Gostar Do Que Tinha, Por Isso, Sejamos Gratos


Pense na chama de um palito de fósforo. Aquela pequena fração de fogo é capaz de consumir a madeira que a sustenta viva, e também de queimar qualquer parte do corpo que a ela seja exposta. Porém, nem mesmo a ferocidade do calor do fogo que extermina tudo o que toca é suficiente para eternizar algo.


A água, o ar (ou a falta dele) e tantos outros materiais ou métodos são capazes de apagar a chama e encerrar com aquilo que antes encerrava com tudo o que tocava. Não importa o tamanho, altura ou força de um fator ou uma pessoa; tudo está condicionado ao fim.


Os bens que possuímos, independentes de seu valor monetário e emocional, não irão nos acompanhar por toda a vida. Os alimentos que plantamos, os materiais que criamos, as casas que construímos, as pessoas que amamos… Tudo é constituído por pequenas frações de segundo, que se eternizam em infinitos momentos da memória, mas não da história.


Passamos tanto tempo na busca por coisas que preencham nossos vazios sem perceber que a imensidão que procuramos está a poucos passos de distância, na espreita de uma abertura grande o bastante para ser percebida, e pequena o suficiente para ser digna de valor.


Ah se soubéssemos como é minúscula nossa existência e passageira nossa permanência nestes corpos mortais! Não gastaríamos nossos minutos na caça por algo mais saboroso do que o que nos acompanha.


Nada nos parece suficiente. O carro vermelho, com dois anos de uso necessita ser trocado por um modelo mais novo, em nova cor, pois a moda de carros coloridos já passou. O teto que nos cobre a cabeça todas as noites e que impede a chuva de entrar poderia ser tão maior, e mais claro, com janelas abertas frente o mar e um cachorro de pelos macios.


Se temos almoço e jantar todos os dias, logo pensamos: que bom seria ter churrasco. E para quê trabalhar de segunda à sexta? Não seria tão melhor ter aleatórias folgas no meio da semana e poder participar de uma partida de futebol ou simplesmente dormir? Repito: nada nos parece suficiente.


Porque só conseguimos perceber o quanto é bom acordar e ir para o trabalho todos os dias quando passamos semanas à espera de uma resposta positiva sobre qualquer vaga possível. Só reconhece a doçura de um gole de água quem caminha com sede abaixo do sol. Só quem dorme de barriga vazia sabe a importância de um bom almoço.


O valor de qualquer coisa só é medido de maneira justa quando aquilo nos é arrancado. Quando o caminhão que recolhe lixo passa todos os dias, não nos damos nem ao luxo de cumprimentar o trabalhador que faz o recolhimento. Mas se o caminhão deixa de passar, não hesitamos em ligar para a empresa de coletas solicitando atendimento. Como são estranhas nossas relações com o que queremos ter, o que temos, e o que um dia tivemos; a última condição parece ser sempre mais saborosa que as demais, apesar de ser desfavorável.


Precisamos ser gratos – nunca acomodados – porém, sempre gratos. Não há erro algum em lutar por um estilo de vida mais agradável e muito menos em conquistar isso. Mas faz bem à alma se alegrar com o que a cerca. Faz bem o alívio por reconhecer que está sendo feito o melhor, dentro do que lhe é possível, e que amanhã é outro dia, com outras oportunidades e começos.


Se passarmos toda a vida correndo atrás do vento nunca seremos capazes de perceber a paisagem por onde passamos. O que estou dizendo é que por vezes estipulamos metas tão altas a nós mesmos, e nos importamos tanto em alcançá-las, independente do que seja preciso para que isso aconteça, que não conseguimos perceber a beleza e solidez daquilo e também daqueles que nos acompanham todos os dias.


Talvez você precise de uma casa maior, ou talvez apenas esteja cansado daquela parede amarela descascando na sala, e não da casa toda. Talvez você já não ame mais essa pessoa, ou talvez seja preciso prestar mais atenção no que ela conta enquanto vocês estão juntos, e menos no seu celular. Talvez tudo o que você precise para ser mais feliz é pensar sobre como seria sua vida sem tudo o que faz parte dela hoje.


É preciso dar atenção aos detalhes, pois são eles que constituem um infinito de dias formado por uma imensidão de fins que acontecem a todo instante, e apesar de todo fim marcar um novo começo, alguns também marcam eternas saudades daquilo que já não poderá mais ser.


Sejamos gratos. A nós mesmos, aos que nos acompanham, ao que temos e ao que ainda teremos. A atitude mais sábia sempre será a de apreciar o pássaro enquanto ele voa baixo, pois após ganhar os céus, já não volta mais ao chão, logo, é possível ver seu rápido voo, mas não admirar sua beleza.


*Raquel Gonçalves

sexta-feira, 16 de abril de 2021

Nossas Batalhas Silenciosas


Toda pessoa de sucesso tem uma ou algumas histórias de derrota, sofrimento e dor. O que as diferenciou, foi que quando tomaram as decisões corretas, dobraram a confiança que tinham. As decisões erradas por sua vez, aumentaram suas experiências negativas ao invés de fazê-las prosseguir.


Não se preocuparam com as situações e resultados. Continuaram os esforços. Um momento de paciência em um momento de raiva, lhe poupará dezenas de momentos de arrependimento é um dos ensinamentos.


A vida é como um livro. Tem capítulos tristes, outros alegres e alguns animadores que melhoram nosso entusiasmo. Mas se resolvermos ficar parados apenas naquele capítulo que gostamos, nunca poderemos saber o que nos aguarda no próximo capítulo. Por isso, temos que continuar sempre porque a mudança é a única certeza e para não sermos atropelados por ela, é melhor fazer parte dela e até provocá-la quando possível.


Cada um de nós tem uma história tão diferente, com caminhos que nos fizeram chegar até aqui, que só nós sabemos e sentimos a jornada que nos coube. Alguns caminhos escolhemos, outros já estavam definidos e apenas fizemos percorrer, com a força e recursos que tínhamos, suficientes ou não.


Isso por si já seria suficiente para entender os outros também. Não sabemos o que cada um teve que abrir mão (porque quando escolhemos um caminho, renunciamos à todos os outros), o que cada um carrega de carga genética e trans geracional. As influências que o ambiente carregou no seu comportamento. Algumas das suas maiores batalhas serão travadas dentro das câmaras silenciosas da sua própria alma (Esra Taft Benson).


As pessoas mais fortes não são aquelas que mostram poder diante de nós, mas aquelas que vencem batalhas silenciosas que não temos sequer idéia do tamanho. Muitas vezes os mais fortes são aqueles que sorriem apesar da dor silenciosa, choram atrás de portas fechadas e lutam suas guerras particulares que ninguém sabe a respeito.


Por isso, na medida do possível, escolha as pessoas com quem se cerca, tenha paciência com elas, cuidado com o que faz e com o que fala. Seja gentil. Se não puder incentivá-las, não as desanime.


Todo dia vemos casos de pessoas que desistiram da vida, porque são mais suscetíveis às críticas e não tem tantos recursos para lidar com os fracassos, as perdas, as frustrações. Se não puder dizer uma palavra de consolo e amparo, procure não dizer nada. Todos lutam diariamente difíceis batalhas silenciosas.


*Genaldo Vargas 

Sobre os ciclos e recomeços da vida…

Nossa vida é uma eterna construção, mesmo quando erramos, algo está sendo construído. Toda construção requer tempo e mais do que qualquer ou...