quarta-feira, 18 de maio de 2022

Amar alguém


Na vida, a gente só sabe que ama alguém, a gente só tem o direito de dizer a alguém que a amamos depois de ter dito infinitas vezes a esse mesmo alguém a frase: eu perdoo você.

Porque na verdade a gente só sabe que ama, depois de ter tido a necessidade de perdoar. Antes do perdão a gente pode ter admiração por alguém, mas admirar alguém ainda não é amar, porque admiração não nos leva a dar a vida pelo outro.

Admiração é um sentimento, uma situação superficial, eu admiro aquela pessoa, mas eu sei que amo depois de ter olhado nos olhos, saber que errou, que não fez nada certo e ainda sim eu continuar dizendo que “eu não sei viver sem você”, “apesar de ter errado tanto continuas sendo tão especial para mim”.

A gente sabe que ama as pessoas assim, depois de ter feito o exercício de olhar nos olhos no momento que ela não merece ser olhada e descobrir ainda ali uma chance, ainda não acabou.

Coisa boa na vida é a gente encontrar gente que nos trate assim com esse nível de verdade, gente que nos conhece de verdade, que já foi capaz de conhecer todas as nossas qualidades, mas também todos os nossos defeitos, porque eu não sou só qualidades, eu tenho um monte de defeitos, e só me sinto amado no dia que o outro sabe dos meus defeitos e mesmo assim continua acreditando em mim, muitas vezes nosso amor não é assim, a gente ama o outro pelo que ele faz de certo ou de bom pra nós, e as vezes até elegemos o outro assim “ele é bom demais pra mim”.

E o dia que deixa de ser? Deixou de ser amigo? No dia que falhou, que errou, que esqueceu, no dia que não conseguiu acertar, continua tendo valor pra você? Ou você só ama aqueles que conseguem lhe fazer o bem? Jesus disse que não tinha mérito nenhum em amar aqueles que nos amam, que o mérito está em amar o outro mesmo quando ele não merece ser amado, eu sei que é um desafio, mas essa é tua religião.

Eu creio que não há descanso maior para o nosso coração do que encontrar alguém que nos ama assim, e eu gostaria que você levasse pra sua vida somente as pessoas que te amam assim, com essa capacidade de olhar nos teus olhos quando você não consegue fazer nada de certo, e mesmo assim continua sendo teu amigo e continua acreditando em você. Deixe entrar na sua vida, somente as pessoas que querem te fazer melhor, porque gente que nos diminui nós já estamos cheios.

Amigos de verdade são aqueles que nos desafiam, são aqueles que nos momentos que estamos na lama, nos olham nos olham e dizem ‘você não foi feito pra isso’. Amigo de verdade é aquele que olha nos olhos e nos coloca para sermos mais. Namorado de verdade é aquele que olha nos teus olhos e te respeita como mulher, que te acha linda, mas que te respeita como mulher porque sabe que tu és um coração que muito mais do que necessitado de ser abraçado e de ser tocado, é um coração que merece ser amado, e o amor vem antes do toque.

Quem foi que disse que beijar na boca é declaração de amor? Pode até ser uma das demonstrações, mas eu tenho certeza que seu coração se sente muito mais amado no momento que você é olhado de um jeito certo, do que beijado de qualquer jeito! Antes de você entrar na vida de uma menina, olhe bem nos olhos dela e tente fazer com que ela descubra que você ama só olhando pra ela, olhe de um jeito que ela se sinta amada, e se você olhar do jeito certo, você não precisa ter ciúme, porque a mulher que for olhada de um jeito certo, nunca mais vai querer encontrar outro olhar.O homem que for olhado de um jeito certo, nunca mais vai querer outro olhar.

Você ainda pode mudar o seu jeito de amar, você ainda pode mudar o seu jeito de viver, você ainda pode mudar o seu jeito de sorrir, você ainda pode perdoar aquele que você não quer perdoar, você ainda pode tratar bem aquele que você desprezou tanto, porque a vida ainda te dar a oportunidade de você se tornar muito melhor do que você é.

Fábio de Melo

terça-feira, 17 de maio de 2022

A gente sabe quando o tempo de algo chegou ao fim


Você sente o vendaval se aproximando e fecha as janelas para que o vento não invada a casa e altere tudo do lado de dentro. Mas a ventania não é obediente; encontra frestas, vãos debaixo da porta, fendas na parede, rupturas nos batentes. Então, em questão de segundos, nenhum cômodo é mais o mesmo. Nenhum objeto permanece no lugar. Nada continua como antes. O vendaval jamais poderá ser evitado. Cedo ou tarde ele chega, e quanto antes você entender que é melhor aguardar a turbulência passar ao invés de desesperadamente tentar detê-la, mais cedo estará pronto para a cura, para uma forma de vida completamente nova.


A gente sabe quando o vento levou embora as promessas e varreu as cartas. Sabe quando alguém nos fez sentir únicos, especiais… e, de repente, não mais. A gente sabe que tudo mudou, mas finge não saber. As rosas do buquê murcharam, mas você continua trocando a água do vaso de cristal na esperança de que os botões voltem a desabrochar.


A gente sabe quando o tempo de algo chegou ao fim. A gente sabe, mas finge não saber, porque é mais fácil lidar com a ilusão. Porque no fundo imaginamos que o nosso querer – somente o nosso querer – seja suficiente para que as coisas voltem a ser como eram antes.


O perfume acabou, mas você tem esperança de que no fundo do frasco ainda haja um vaporzinho capaz de te perfumar. O vinho secou, mas você vira a garrafa desejando uma última gota capaz de te embriagar. O sapato não serve, mas você insiste em calçar. O café esfriou, e você não tem nenhum fogareiro para requentar. As gavetas estão cheias de tralha, e você reclama que falta espaço para algo novo chegar.


É mais fácil cruzar os dedos e fechar os olhos bem apertadinhos, desejando que, ao abrir, tudo volte a ser como antes. Mas a vida nos abriga e desabriga; dá e tira; oferece e toma de volta. Vida é carrossel, e quer de nós desarranjo e readaptação. É preciso viver os lutos com paciência e aceitação, mas depois abrir mão.


A dor precisa ser reciclada para acomodar-se no peito e aos poucos tornar-se cicatriz imperceptível. Antes de se dissipar, ela rasga a pele e desnorteia os sentidos, mas se perdemos o medo da dor, ela fica mais tolerável.


Porque no fim das contas, ninguém sai ileso da vida, e somos inocentes em pensar que nunca iremos nos machucar. Sentimentos são incontroláveis; quem nos ama pode nos ferir de vez em quando; vivemos num mundo de promessas quebradas e a vida é uma enorme torre de Babel onde o encantamento, o assombro, os conflitos e inadequações podem conviver perfeitamente bem com a beleza, o contentamento e a alegria.


*Por Fabíola Simões 

segunda-feira, 16 de maio de 2022

Para ser grande é preciso estar ao lado das pessoas, não acima delas


Estar ao lado das pessoas e estender uma mão quando os outros precisam é o que realmente nos ajuda a crescer e tornar-nos melhores. Somos nós que gerenciamos nossas próprias bondades e podemos dar ao mundo o nosso sorriso mais linda. Neste sentido, ser bom é essencial para ser grande.


As pessoas com quem interagimos estão lutando batalhas das quais nada sabemos, então sempre, embora não seja fácil, devemos ser gentis. Por mais estranho que pareça, muitas vezes os pequenos detalhes fazem a diferença.

 

Não vamos negar, há pessoas que devido aos seus defeitos, complexos ou projeções, dificultam o caminho dos outros e gostam de assistir os seus próximos sendo pisoteados. Isso pode fazer alguém sentir uma sensação enganosa de superioridade.


Enfatizamos o termo “enganosa” porque não é real, embora possa parecer que, por vezes, estão de alguma forma acima. Mas não. Esse sentimento é irreal porque não há nada mais baixo do que ferir os outros ou dificultar sua vida deliberadamente.

 

“A bondade é o pilar que sustenta a grandeza, por isso que dizemos que ser grande é estar ao lado das pessoas, e não acima.”


Seja gentil com todos, você nunca sabe pelo que estão passando


Não podemos saber o que está acontecendo com aqueles que estão do outro lado de uma conversação ou interação qualquer. Não importa quais sejam suas lutas, não podemos avaliar, nem julgar a sua importância.


“Acima de tudo está a bondade. Assim como a luz da lua ilumina sessenta vezes mais do que a das estrelas, a benignidade liberta o coração sessenta vezes mais eficazmente do que todas as realizações religiosas juntos.” – Buddha Gautama


*Luiza Fletcher

sexta-feira, 13 de maio de 2022

Não foi a última gota que encheu o balde, ela só o fez transbordar


Muitas vezes nos enganamos pensando que o tempo cuidará de tudo e, com isso, nos convencemos de que eventualmente tudo ficará bem. Mas de gota em gota, o balde enche. Nem tudo acontece de uma hora para outra, mas chega uma hora que não cabe mais água no balde.⁣

Se não lidarmos com as coisas que nos incomodam, elas irão se acumular e acabarão se manifestando de outras maneiras, até que eventualmente podemos transbordar.⁣

O balde não transborda por causa da gota de hoje, mas depois que o balde enche, qualquer gota transborda. Se você acumular tudo o que sente, uma hora fala o que não deve para quem não merece.⁣

Todo mundo tem um balde. O balde de algumas pessoas suporta mais água do que de outras. Pessoas que se irritam, se frustram ou se magoam com facilidade geralmente têm o balde menor, e sentem que não deveriam ser submetidas à frustração, inconveniência ou aborrecimento. Elas não conseguem levar as coisas com calma e ficam particularmente enfurecidas ou emburradas se a situação parecer injusta - como por exemplo, serem apressadas ou corrigidas por um pequeno erro.⁣

Entenda que ficar com raiva, se frustrar ou se magoar não vai resolver nada e não vai fazer você se sentir melhor - geralmente até faz você se sentir pior.⁣

Só quando percebemos e aceitamos que somos os responsáveis pelo nosso balde é que podemos mudar as coisas. O primeiro passo, embora às vezes seja humilhante, é a assumir a responsabilidade pelo próprio balde. Esse é o único caminho que pode levar à mudança.⁣

Você não pode se livrar ou evitar que as coisas ou as pessoas derrubem água no seu balde, nem pode mudá-las, mas pode aprender a esvaziar o balde.


*@supermotivado

quinta-feira, 12 de maio de 2022

A vida não te pergunta se você quer ser forte, ela te ensina a ser


Algumas vezes, a vida nos apresenta situações extremamente difíceis com as quais temos que lidar: a perda de alguém que amamos, uma desilusão no trabalho, o fim de uma amizade, o recomeço depois de uma grande decepção, entre muitas outras.

Nesses momentos, percebemos que somos nós por nós mesmos, e que se quisermos encontrar novamente a felicidade e a estabilidade, precisamos desenvolver uma força muito grande, que nos permita levantar do chão e seguir o nosso caminho, mesmo em meio à dor, o coração partido e a desesperança.

Nunca é fácil reaprender a viver quando algo com o qual estávamos acostumados é tirado de nós do nada. Sentimos que perdemos totalmente a segurança e que não temos o que é preciso para continuar, que somos fracos e incapazes.

No entanto, esses momentos de sérias dificuldades possuem apenas o propósito de nos fortalecer.

A vida usa de métodos muito particulares para nos capacitar e, muitas vezes, para que possamos evoluir e chegar onde devemos estar, é preciso passarmos por situações que nos farão despertar força interior, sabedoria e consciência.

Por mais terrível que uma situação possa parecer à primeira vista e por mais dor que possa nos ocasionar, devemos nos esforçar para enxergá-la sempre como uma oportunidade de crescimento, porque nada acontece conosco por acaso. A vida tem um plano para cada um de nós.

Se nossas histórias fossem sempre lineares, com coisas boas acontecendo a todo momento, dificilmente iríamos aprender a ser pessoas melhores e a viver com propósito. É em meio ao caos que muitas vezes descobrimos qual a nossa missão, as coisas pelas quais devemos viver.

Em meio às dificuldades nós nos redescobrimos, entramos em um lado de nós mesmos que permaneceu escondido por muito tempo, e que pode ser fundamental para nos tornarmos mais fortes, capacitados e felizes.

As principais lições não pedem para entrar em nossas vidas, elas simplesmente chegam em nosso caminho, e cabe a nós absorvê-las ou ignorá-las e continuar repetindo os mesmos erros eternamente.

A vida não nos pergunta se queremos ser fortes, ela nos ensina a ser. Ela nos apresenta as pessoas e situações que nos permitirão desenvolver forças e capacidades especiais, que não aprenderíamos de outras maneiras.

A vida sabe exatamente o que cada um de nós precisa, e tem uma maneira especial de fazer com que tudo dê certo, mesmo que no caminho tenhamos algumas dores.

A vida sempre sabe o que faz. Portanto, ao invés de resistirmos às suas decisões, devemos acatar todas elas como o que realmente são: chances de nos tornarmos pessoas mais fortes, completos e felizes.

Da próxima vez em que se deparar com uma dificuldade em seu caminho, aceite-a de braços abertos, e perceberá o quanto sua história será transformada.


*Luiza Fletcher

quarta-feira, 11 de maio de 2022

Os Três Conselhos


Um casal de jovens recém-casados, era muito pobre e vivia de favores num sítio do interior. Um dia o marido fez a seguinte proposta para a esposa:

"Querida eu vou sair de casa, vou viajar para bem longe, arrumar um emprego e trabalhar até ter condições para voltar e dar-te uma vida mais digna e confortável. Não sei quanto tempo vou ficar longe, só peço uma coisa, que você me espere e enquanto eu estiver fora, seja FIEL a mim, pois eu Serei fiel a você".


Assim sendo, o jovem saiu.


Andou muitos dias a pé, até que encontrou um fazendeiro que estava precisando de alguém para ajudá-lo em sua fazenda. O jovem chegou e ofereceu-se para trabalhar, no que foi aceito. Pediu para fazer um pacto com o patrão, o que também foi aceito. O pacto foi o seguinte: "me deixe trabalhar pelo tempo que eu quiser e quando eu achar que devo ir, o senhor me dispensa das minhas obrigações.

EU NÃO QUERO RECEBER O MEU SALÁRIO.

Peço que o senhor o coloque na poupança até o dia em que eu for embora.


No dia em que eu sair o senhor me dá o dinheiro e eu sigo o meu caminho".


Tudo combinado. Aquele jovem trabalhou DURANTE VINTE ANOS, sem férias e sem descanso.

Depois de vinte anos chegou para o patrão e disse:


"Patrão, eu quero o meu dinheiro, pois estou voltando para a minha casa". O patrão então lhe respondeu:


"Tudo bem, afinal, fizemos um pacto e vou cumpri-lo, só que antes quero lhe fazer uma proposta, tudo bem?

-- Eu lhe dou o seu dinheiro e você vai embora, ou LHE DOU TRÊS CONSELHOS e não lhe dou o dinheiro e você vai embora.


Se eu lhe der o dinheiro eu não lhe dou os conselhos, se eu lhe der os conselhos, eu não lhe dou o dinheiro.

Vá para o seu quarto, pense e depois me dê a resposta".


Ele pensou durante dois dias, procurou o patrão e disse-lhe:


"QUERO OS TRÊS CONSELHOS".


O patrão novamente frisou:


"Se lhe der os conselhos, não lhe dou o dinheiro".


E o empregado respondeu:

"Quero os conselhos". O patrão então lhe falou:

1. "NUNCA TOME ATALHOS EM SUA VIDA. Caminhos mais curtos e desconhecidos podem custar a sua vida.

2. NUNCA SEJA CURIOSO PARA AQUILO QUE É MAL, pois a curiosidade para o mal pode ser mortal.

3. NUNCA TOME DECISÕES EM MOMENTOS DE ÓDIO OU DE DOR, pois você pode se arrepender e ser tarde demais.


" Após dar os conselhos, o patrão disse ao rapaz, que já não era tão jovem assim:


"AQUI VOCÊ TEM TRÊS PÃES, dois para você comer durante a viagem e o terceiro é para comer com sua esposa quando chegar a sua casa".


O homem então, seguiu seu caminho de volta, depois de vinte anos longe de casa e da esposa que ele tanto amava.


Após o primeiro dia de viagem, encontrou um andarilho que o cumprimentou e lhe perguntou:


"Para onde você vai?" Ele respondeu:

"Vou para um lugar muito distante que fica a mais de vinte dias de caminhada por essa estrada".

O andarilho disse-lhe então: "Rapaz, este caminho é muito longo, eu conheço um atalho que é dez, e você chega em poucos dias".


O rapaz contente, começou a seguir pelo atalho, quando lembrou-se do primeiro conselho, então voltou e seguiu o caminho normal.

Dias depois soube que o atalho levava a uma emboscada.


Depois de alguns dias de viagem, cansado ao extremo, achou uma pensão à beira da estrada, onde pode hospedar-se.


"Pagou" a diária e após tomar um banho deitou-se para dormir.

De madrugada acordou assustado com um grito estarrecedor.

Levantou-se de um salto só e dirigiu-se à porta para ir até o local do grito.


Quando estava abrindo a porta, lembrou-se do segundo conselho.


Voltou, deitou-se e dormiu. Ao amanhecer, após tomar café, o dono da hospedagem lhe perguntou se ele não havia ouvido um grito e ele disse que tinha ouvido.


O hospedeiro: e você não ficou curioso?

Ele disse que não. No que o hospedeiro respondeu:


VOCÊ É O PRIMEIRO HÓSPEDE A SAIR DAQUI VIVO, pois meu filho tem crises de loucura, grita durante a noite e quando o hóspede sai, mata-o e enterra-o no quintal.


O rapaz prosseguiu na sua longa jornada, ansioso por chegar a sua casa.


Depois de muitos dias e noites de caminhada... já ao entardecer, viu entre as árvores a fumaça de sua casinha, andou e logo viu entre os arbustos a silhueta de sua esposa.

Estava anoitecendo, mas ele pode ver que ela não estava só. Andou mais um pouco e viu que ela tinha no seu colo, um homem a quem estava acariciando os cabelos. Quando viu aquela cena, seu coração se encheu de ódio e amargura e decidiu-se a correr de encontro aos dois e a matá-los sem piedade.


Respirou fundo, apressou os passos, quando lembrou-se do terceiro conselho. Então parou, refletiu e decidiu dormir aquela noite ali mesmo e no dia seguinte tomar uma decisão.


Ao amanhecer, já com a cabeça fria, ele disse:


- "NÃO VOU MATAR MINHA ESPOSA E NEM O SEU AMANTE.

Vou voltar para o meu patrão e pedir que ele me aceite de volta.

Só que antes, quero dizer a minha esposa que eu sempre FUI FIEL A ELA".


Dirigiu-se à porta da casa e bateu. Quando a esposa abre a porta e o reconhece, se atira em seu pescoço e o abraça afetuosamente.


Ele tenta afastá-la, mas não consegue. Então com as lágrimas nos olhos lhe diz: - "Eu fui fiel a você e você me traiu...

Ela espantada lhe responde: - "Como? eu nunca lhe trai, esperei durante esses vintes anos.


Ele então lhe perguntou: - "E aquele homem que você estava acariciando ontem ao entardecer?


E ela lhe disse: - "AQUELE HOMEM É NOSSO FILHO.

Quando você foi embora, descobri que estava grávida.

Hoje ele está com vinte anos de idade".


Então o marido entrou, conheceu, abraçou o filho e contou-lhes toda a sua história, enquanto a esposa preparava o café.


Sentaram-se para tomar café e comer juntos o último pão.


APÓS A ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO, COM LÁGRIMAS DE EMOÇÃO, ele parte o pão e ao abri-lo, encontra todo o seu dinheiro, o pagamento por seus vinte anos de dedicação.


Muitas vezes achamos que o atalho "queima etapas" e nos faz chegar mais rápido, o que nem sempre é verdade...


Muitas vezes somos curiosos, queremos saber de coisas que nem ao menos nos dizem respeito e que nada de bom nos acrescentará...


Outras vezes, agimos por impulso, na hora da raiva, e fatalmente nos arrependemos depois...


Espero que você, não se esqueça desses três conselhos e não se esqueça também de CONFIAR (mesmo que a vida muitas vezes já tenha te dado motivos para a desconfiança). 

terça-feira, 10 de maio de 2022

Menina é curada da leucemia após ver Jesus em seu quarto, no Rio


Com o diagnóstico de leucemia, a pequena Alice passou grande parte de 2012 internada em um hospital do Rio de Janeiro.


Foi quando a menina teve uma experiência milagrosa, sua doença foi curada depois que ela viu Jesus Cristo adentrando em seu quarto.


Na época o estado de saúde de Alice era grave e foi necessário fazer a primeira transfusão de sangue, pois seu coração poderia parar a caminho do hospital. Ela foi transferida para Hospital da Lagoa, na Zona Sul do Rio, onde a suspeita realmente foi confirmada: Alice estava com leucemia linfoide aguda (LLA), tendo 90% de seu sangue tomado por células cancerígenas.


A mãe de Alice, Joice Paschoal, teve a pior notícia da sua vida e o que a consolou na época foi um trecho bíblico dado por Deus em Jeremias Capítulo 16 e versículo 21 “Portanto eu lhes ensinarei; desta vez eu lhes ensinarei sobre o meu poder e sobre a minha força. Então saberão que o meu nome é Senhor”.


Submetida a várias transfusões de sangue e plaquetas, Alice teve sua primeira alta em julho. No entanto, ela teve que retornar ao hospital no dia seguinte, com um quadro de febre. O sintoma já se estendia por 20 dias consecutivos e os médicos não conseguiam descobrir sua causa.


Enfraquecida pela doença, a garotinha não conseguiu ficar de pé entre o início de junho e final de agosto. Mas depois de 57 dias internada, ela teve sua segunda alta no dia 31 de agosto. No entanto, ela ficou apenas três dias em casa.


O milagre


Em uma noite, Alexandre, o pai de Alice estava na igreja, em um congresso de missões. Joice estava ouvindo louvor e orando. A garotinha estava em sua cama, quando, de repente, viu Jesus Cristo em seu quarto. “Mamãe, olha Jesus. Mamãe, Jesus”, disse Alice, depois de meses sem conseguir falar.


“Eu disse: ‘Ele veio te curar. Manda um beijo”. Ela mandava e sorria. “Foi uma experiência em que eu pude contemplar seu rosto de alegria, que eu não via há algum tempo. Naquela noite, a fé me fez acreditar. Eu creio que ela foi curada naquele dia”, disse Joice ao Guiame.


“Alice não falava palavras nítidas, parecia um bebezinho pequeno. Ela regrediu com o tratamento, na época. Mas, de repente, ela começou a me chamar e apontar para o teto”, acrescenta a mãe.


No outro dia, a taxa de imunidade de Alice, que era apenas de 100, foi para 3.300. E no dia posterior para 7.500. Ela recebeu milagrosamente alta alguns dias depois, com uma taxa de imunidade de 17 mil. “A imunidade subiu de uma forma tão extraordinária que as médicas ficaram surpresas”, lembra Joice.


A pequena voltou depois disso a ficar internada para completar 4 blocos de quimioterapia. E após cinco meses, em outubro, ela voltou a andar e ter uma vida normal, ao lado de sua família.


“O exame detectou 0% de células cancerígenas, para honra e glória de Deus. Jesus fazia, faz e fará muitos milagres em nossas vidas, basta colocar a fé em ação!”, afirma Joice.


*A Soma de Todos Afetos 

segunda-feira, 9 de maio de 2022

No fim das contas a gente conta com poucos, mas esses poucos são os que contam pra gente!


Dentro da gente há inúmeros aposentos. Uns habitados por muitos. Outros habitados por poucos. Outros absolutamente vazios de outros, mas cheios de nós mesmos. Vamos sendo tecidos, fio a fio, pelas incontáveis conexões humanas que a vida nos apresenta. Somos uma trama de tudo o que vivemos, ainda que tenhamos vivido sós. Mas, os outros… Ahhh… os outros são o nosso tempero, norte e perdição.

Há os que vêm só de visita, aqueles que são deliciosos como um café recém passado numa tarde de chuvinha fina. Há os que duram o tempo de um dia ou dois, aqueles que são maravilhosos como uma viagem surpresa de fim de semana. Há os que permanecem como hóspedes bem-vindos de um país estrangeiro, são aqueles interessantes e instigantes como filmes argentinos. E há os que nos entremeiam e entrelaçam-se a nós pelo resto de nossos dias, são aqueles arrebatadores livros inesquecíveis, daqueles que lemos quando eles ainda eram “proibido” para nós.

E, rendamos a importância justa àqueles que embarcam em nossas vidas, seja de forma meteórica, sazonal ou histórica, com a indecifrável missão de nos desafiar. São os desafetos, os desaforados, os difíceis de digerir. A esses, devemos as mais importantes lições. Sem eles, seguiríamos a vida acreditando em nuvens de algodão doce, coelhos que pintam ovos de chocolate e, até, quem sabe, na bondade inerente ao ser humano.

Ahhh…sim, é fundamental termos fé em alguma coisa, ainda que essa coisa seja a bondade inerente ao ser humano, uma fantasia ou um mistério divino. O único pequeno problema nessa crença é que ela pode beirar a ingenuidade, caso não seja acompanhada de um importante empenho próprio em tomar nas mãos a responsabilidade sobre acertar e errar. Fé sem reflexão é uma máscara sem buraquinhos para os olhos, só servem se você pretende ficar adormecido como se o escuro da noite fosse durar para sempre.

No fim das contas a gente conta com poucos, mas esses poucos são os que contam pra gente. São aqueles que cabem direitinho nas lembranças e no presente e que não nos causam nenhum tipo de aflição ou angústia sobre o futuro. Porque a gente sabe que eles não vão durar para sempre aqui do lado de fora. Mas vão iluminar para sempre o nosso lado de dentro.

*Ana Macarini 

sexta-feira, 6 de maio de 2022

Faça esta oração para pedir a Deus proteção e felicidade para a sua mãe


Que Deus abençoe nossas mães, que as proteja e lhes traga toda felicidade!

Nossas mães são, sem dúvidas, algumas das pessoas mais importantes de nossas vidas, se não as mais. São elas as responsáveis por nos trazer a este mundo e nos alimentar nos nossos primeiros momentos neste mundo. Passamos muito tempo ao seu lado e construímos com elas um vínculo de amor e companheirismo que é impossível ser desfeito.

Elas nos apoiam em todos os momentos, batalham para nos sustentar e realizar os nossos sonhos. A dedicação e o amor que demonstram por nós nas pequenas e grandes atitudes fazem com que se tornem pessoas únicas e de muito valor em nossas vidas.

Nossa segurança, felicidade e proteção nunca deixam de ser importantes para nossas mães, não importa a nossa idade ou a forma como conduzimos as nossas vidas. Elas usam todas as ferramentas possíveis para garantir que estejamos sempre no caminho certo.

 

As mães de fé nos colocam diariamente em suas orações e pedem a Deus que esteja sempre conosco, direcionando-nos à felicidade e nos livrando de todo mal.


Elas estão sempre pensando em nós e são as grandes responsáveis por muitos de nossos livramentos e conquistas. Estamos acostumados a receber toda essa atenção e intercessão, mas também podemos fazer a nossa parte e consagrar suas vidas a Deus, pedindo-Lhe por sua proteção, cura e felicidade.


Nossas mães, que sempre fazem de tudo por nós, merecem uma retribuição espiritual, por isso trouxemos uma oração pelas mães, que você pode incluir em suas preces diárias a fim de pedir a Deus para cuidar da sua mãe em todos os momentos e orientá-la por um caminho próspero.


Oração dos filhos pelas mães


Deus Pai misericordioso, que sempre nos ouve

com amor e compaixão,

venho hoje pedir-Te Tua proteção

para minha mãe.

Enxuga suas lágrimas de preocupação

com a paz que emana do Teu coração paternal.

Proteja-a de todos os perigos espirituais e corporais,

para que seus dias sejam plenos de saúde.

Conheça o site O Amor

Deus Filho, que viste nos olhos de Tua Mãe Santíssima

os silêncios da dor,

acolhe em Teu amor as fragilidades e medos,

tristezas e desilusões que minha mãe possa

estar carregando consigo.

Senhor, Tu que és o Filho amado de Maria

e conheces o coração de cada mãe sofredora,

cura com o bálsamo do amor

todas as dores de minha amada mãe.

Espírito Santo, doce hóspede da alma,

restabelece no coração de minha mãe a felicidade

que, muitas vezes, eu furto com minhas limitações e pecados.

Trindade Santa, envolvei a vida de minha mãe

na luz do Vosso amor, para que seus dias resplandeçam

a beleza redentora de Vossa infinita bondade.

Obrigado, Senhor, pelo dom da vida de minha mãe!

Ajuda-me a ser cada dia um filho melhor!

Amém! (Canção Nova)


Essa oração é carregada de muito poder e muita fé, e é uma maneira de “retribuirmos” tudo aquilo que elas fizeram e ainda fazem por nós junto a Deus.


Nossas mães merecem todo o nosso amor, respeito e consideração. Elas nos ajudaram a chegar aonde estamos hoje, e são bênçãos que Deus colocou em nossas vidas.


Essa oração sincera e cheia de amor certamente chegará até Deus e moverá a Sua mão em favor de sua mãe, abençoando-a infinitamente com vitórias e milagres a cada passo. Reze-a como um gesto de amor e ajude-a a ter uma vida ainda mais feliz e abençoada.


*Luiza Fletcher


Compartilhe a oração com os seus amigos para que eles também abençoem suas mães.

quinta-feira, 5 de maio de 2022

Quem tudo quer, tudo perde


É um esforço gigantesco querer tudo, ser o primeiro em tudo, ganhar a maior fatia, ter a preferência, todas as medalhas de ouro, troféus, amores, a vez, o melhor presente, a vida mais perfeita.

Quem tudo quer, mostra claramente que não há espaço para o outro que não seja na sombra dos seus triunfos. Ninguém jamais estará ao lado. Se estiver na frente, é alvo. Atrás, seguidor.

O vencedor de tudo é solitário, encarcerado em suas glórias, ostentando status de um assento somente. Ninguém senta ao seu lado. Ninguém o olha nos olhos.

Quem tudo quer, abre mão da generosidade em prol de um acúmulo de bens, moedas, pertences, coleções, poder, solidão.

O conquistador absoluto quer por querer, para que o outro queira e não tenha, para passar a vida contando, recontando e escondendo.

Quem tudo quer, quer para ter, não para ser. Quem tudo quer, entende que o excesso alimentará todos os seus vazios, a sobra esconderá todas as faltas.

Quem tudo quer, perde a vida para um gincana insana, acumula além das conquistas, fadiga, desafetos, mágoas, distâncias.

Quem quer toda a razão, distorce o senso de justiça.

Quem quer toda a atenção, lança mão de apelos patéticos.

Quem quer todo o poder, luta contra a igualdade.

Quem tudo quer, atropela sonhos alheios, afetos mais delicados, relações familiares, derruba árvores para construir muros, explode anseios, ignora o bom senso, manipula a ética.

Quando tudo quer, se perde, se desintegra, se transforma em alguém que seria seu pior inimigo ou seu maior desgosto.

Quem tudo quer, tudo perde, e o mais triste é não perceber que a mesma ambição que motivou por tanto tempo, se fosse um tanto mais comedida e andasse de mãos dadas com outras ambições, lado a lado, se transformaria num grande e valioso ganho.


*Emilia Freire

quarta-feira, 4 de maio de 2022

Não é esta vida feita de desencontros, nem de amores impossíveis.


Não é esta vida feita de desencontros, nem de amores impossíveis.

Não é este um mundo cruel pronto a quebrar corações, nem essas pessoas que vivem nesse mundo são más e prontas a causar dor.

Mas bem verdade, sobre essa vida, podemos dizer que ela nos testa, nos joga a provações e mede o quanto nós carregamos das coisas além dessa vida e desse mundo.

Para cada união entre dois, mil tentações.

Para cada olhar apaixonado, centenas de lugares que tentam sequestrar nosso olhar de desejo.

Para cada beijo sincero, outros tantos beijos com apenas a segunda intenção de consumir o corpo do outro.

Para cada te amo, tantas decepções, mentiras e atos de desamor.

É correto pensar - e aprendemos assim - que o mais valioso da vida é um tesouro que requer a aventura, os desafios, a quase desistência e derrota. E aí entra o amor que, de tão precioso, parece estar em um lugar distante, um lugar ao qual chegamos apenas com um mapa mágico o qual somente conseguiremos adquirir se derrotarmos os mil demônios com cabeça de dragão na caverna das almas esquecidas.

NÃO!

O amor é astucioso, ele gosta de observar. Prefere ser mais disfarçado do que distante. Mais irônico do que silencioso. Por isso ele está sempre por perto, numa esquina, num jantar entre amigos, numa fila qualquer, em uma cidade próxima a sua. Ele não se esconde, ele se disfarça deixando seu cheiro pelo ar, um cheiro de quase.

A vida não é má, o mundo não tenta separar ninguém, nem as pessoas são abutres. É o amor que brinca, que finge desarticular tudo, que abala nossas estruturas... e tudo isso com um único fim, para que além de precioso a nós ele seja valorizado quando encontrado.

Não faltam no mundo pessoas que encontraram o amor, em suas casas, com pessoas próximas ou alguém que chegou. O amor de família, de amizade e de um encontro íntimo. Não faltam pessoas que encontraram o amor, bem verdade o que vem faltando é quem mais do que o encontrar o agarre, o beije e independente do que aconteça o proteja e respeite como a preciosidade que é... amar.


*@elipe_sandrin

terça-feira, 3 de maio de 2022

Difícil é não ter um ombro para se escorar quando tudo desaba.


Acreditar que, sempre que a vida estiver difícil, precisaremos de alguém, não é o paraíso, é dependência emocional.

Muitas vezes, o paraíso que sonhamos é aquele que existe alguém para nos ajudar sempre que precisamos. A gente fica desejando que uma pessoa se sente ao nosso lado, não nos julgue, não nos critique, nem exija nada de nós, apenas fique em silêncio e nos acolha… Parece um sonho ter uma pessoa assim ao nosso lado, e para algumas pessoas realmente é apenas um sonho.

Tem gente que tem a felicidade de ter pessoas empaticas e acolhedoras a quem pode recorrer quando tudo está difícil.

Sei que é difícl não ter um ombro para se escorar quando tudo parece desabar, mas é sabido que a gente atrai pessoas e situações através das nossas crenças e vibrações.

Porém, há pessoas que se vitimizam, que pensam mal dos outros, que vivem na negatividade, mas que, mesmo assim, possuem pessoas boas ao seu lado.

E algumas pessoas, mesmo sendo boas, vibrando positivo, fazendo o bem para todos a sua volta, ainda assim, quando passam por momentos de dificuldade, olham para os lados, e não encontram ninguém para consolá-las ou para oferecer a elas um ombro amigo?

O que de fato acontece então?

Penso que, mesmo que não exista um ser humano ao seu lado, na verdade, quanto mais a gente pensa que não existe, mesmo que de fato, ninguém queira nos oferecer um apoio emocional nos momentos mais difíceis, mais sozinhos a gente se sente. Porque pensar assim é o problema.

Quando você pensa que não tem ninguém, o Universo só acolhe a sua afirmação.

Ninguém consegue atrair bons relacionamentos quando acredita que não tem ninguém.

Quanto mais a pessoa acredita que não tem ninguém, mais sozinha ela fica.

Todas as pessoas podem recorrer a alguém, o problema é que muitas pessoas reclamam da solidão pois querem que os outros as procurem, as bajulem, e estejam sempre a disposição. E não é bem assim que a banda toca. Somos nós que precisamos procurar ajuda quando a gente sente que precisa de apoio emocional.

A VIDA NÃO QUER QUE VOCÊ SE SINTA ASSIM, SOZINHO, SEM NINGUÉM PARA RECOSTAR A CABEÇA QUANDO TUDO PARECE DESMORONAR. NESSES MOMENTOS DE SOLIDÃO, A VIDA TE PEDE PARA PERCEBER A PROTEÇÃO QUE EXISTE E QUE VOCÊ NÃO CONSEGUE VER.

E é justamente por isso que você não encontra ninguém para te oferecer o ombro que você precisa, porque a vida quer que você reconheça que, mesmo que não tenha ninguém fisicamente do seu lado, você nunca está sozinho.

A vida quer que você confie que sempre existe um anjo, um mentor, um protetor invisível que está querendo que você o reconheça e o perceba. A vida quer que você consiga sentir a presença de Deus nesses momentos mais difíceis e em todos os segundos da sua vida.

Muitos dizem que tem fé, seguem suas religiões, buscam ajuda espiritual, mas quando o calo aperta, quando a dificuldade aparece, muitos preferem recorrer aos homens, do que a Deus.

“Ah, mas se eu nem acredito em Deus, o que eu faço?”. Acreditar em algo maior nos fortalece, mas não acreditar, revela o nosso grau de desconecção com a fonte criadora. E é justamente essa falta de conexão que nos angustia, e nos faz depositar toda a nossa expectativa nos homens, nas pessoas ao nosso redor, com isso, sofremos inúmeras decepções.

Deus não nos decepciona, nos ensina. Ele faz isso através das pessoas com as quais nos afinizamos, e também através das situações que enfrentamos. Ele age dentro de nós, em nossas emoções, sentimentos, pensamentos e comportamentos, sempre que permitimos essa conexão com a fonte criadora. Mas se não nos abrirmos para Ele, sempre nos sentiremos sozinhos.

Você pode não ter ninguém ao seu lado agora para te oferecer um ombro amigo, mas se você acredita de verdade em Deus, você nunca se sentirá sozinho.

Muitas vezes, para algumas pessoas, o paraíso é apoiar a cabeça no ombro certo. Mas você realmente sabe qual é o ombro certo? Geralmente, tudo o que precisamos é sentir Deus pulsando vida dentro de nós.

ACREDITAR QUE SEMPRE QUE A VIDA ESTIVER DIFÍCIL, PRECISAREMOS DE ALGUÉM, NÃO É O PARAÍSO, É DEPENDÊNCIA EMOCIONAL.

*Por Robson Hamuche 


*Foto de Zhivko Minkov no Unsplash. Foto de Raz Kumar no Unsplash.

segunda-feira, 2 de maio de 2022

“Se não formos gentis uns com os outros como é que vamos ser gentis com o desespero que mora em nós mesmos?”


Há um versículo bíblico que diz mais ou menos assim: “a boca diz o que o coração está cheio”. Essa expressão carrega um bocado de sabedoria, à medida que entendemos que a forma como nos relacionamos com os outros é a forma como nos relacionamos com nós mesmos. E só podemos doar ao outro aquilo que temos de sobra.


Da mesma forma, há a tendência de projetarmos nós mesmos no outro. E acabamos nos relacionando com espelhos. Assim, se acreditamos que amar é enviar mensagens no whatsapp a cada 6 horas, e a pessoa que diz nos amar não é capaz disso, imaginamos que ela não nos ama, quando na verdade ela tem outras maneiras de expressar seu amor, e que, por destoarem de nossas expectativas, podem ser encaradas como desamor.


Na maioria das vezes, pessoas pouco gentis, pouco amorosas e pouco generosas com outras, tratam-se a si mesmas da mesma forma. Mesmo que não transpareçam, no fundo são mesquinhas e avarentas consigo mesmas. Falta-lhes autocompreensão, amor-próprio, perdão.


Porém, muita gente se doa além da conta. Seja por entender que precisa agradar para ser amado, ou por acreditar que precisa passar uma imagem de perfeição, ou mesmo porque quer ser admirado pelo mundo que o cerca. A pessoa se desagrada para agradar, e paga um preço alto por isso, já que a doação não é genuína, e a dívida que está acumulando consigo mesmo será cobrada lá na frente, muitas vezes na forma de ressentimento, arrependimento ou mesmo somatizações.


Também não adianta doar-se esperando ser retribuído da mesma forma. Cada pessoa dá o que tem, ou o que lhe sobra, e se você doou-se além da conta, a falta de autocuidado ou autorresponsabilidade partiu de você mesmo. Antes de sermos gentis com os outros, devemos exercitar a gentileza com nós mesmos. Só assim seremos honestamente amorosos com quem quer que seja.


Com o tempo a gente aprende que nem tudo gira em torno do que as pessoas pensam ou sentem a nosso respeito. E algumas pessoas irão nos machucar ou nos afastar simplesmente porque estão vivenciando lutas internas que jamais iremos compreender ou alcançar.


Assim, a maneira como cada pessoa age ou reage a uma situação tem muito mais a ver com as batalhas internas dela do que com o que ela sente ou gostaria de demonstrar sentir por você.


Faça o que acredita ser o certo, o que está ao seu alcance, o que traz tranquilidade ao seu espírito. E depois confie… não crie expectativas, não espere retribuição, não cobre atitudes. O que tiver que permanecer, resistirá. O que ainda tiver algo a lhe ensinar, permanecerá. Faça tudo o que seu coração mandar e depois entregue. Apenas confie…


*Fabíola Simões 


*A frase título desse texto é de Rupi Kaur

sexta-feira, 29 de abril de 2022

Levante-se

Se você quer alguma coisa, corra atrás. O tempo não vai esperar você se decidir, ele não perdoa ninguém. Aproveite enquanto pode para alcançar seus objetivos. Nunca pense que um sonho é alto demais, você é capaz de tudo! Não acumule arrependimentos, não se deixe encher de dúvidas e receios.

O medo não leva a lugar nenhum, só nos atrasa e nos impede de chegar onde tanto desejamos. Você pode ser muito feliz então deixe suas indecisões de lado. Não viva a vida com o intuito de chegar ao fim e pensar que poderia ter sido melhor. Faça ser melhor antes disso acontecer.

Levante-se! O mundo precisa de você para ser feliz. Se você não sorrir, ninguém vai sorrir por você. Jogue tudo para o alto, o que voltar é seu. Não se prenda a sentimentos que não te fazem bem e jamais desista dos seus sonhos. Às vezes as coisas dão errado, mas então nos levantamos e tentamos de novo. Hoje você chora por erros cometidos, amanhã você sorrirá mostrando ao mundo que você aprendeu com eles.

E se você sentir medo, medo de você, medo das pessoas, medo da vida, distancie-se um pouco de tudo, na maioria das vezes tudo o que você precisa é de um tempo pra pensar. Porque você não está perdido, está apenas desencontrado e tentando se encontrar da forma errada. Mas por pouco tempo. Os caminhos estão todos bem na sua frente, basta você escolher qual irá seguir.

Mas lembre-se: Os caminhos mais difíceis são os que levam aos melhores lugares. Para isso existe o amanhã, para nos dar a chance de continuar tentando alcançar nossos sonhos. Então não desista! Não tem problema em ficar triste, quem disse que a dor não nos faz crescer?


*Najara Gomes 

quinta-feira, 28 de abril de 2022

Se for pra tentar de novo, tô indo!


Muita gente (inclusive eu por diversas vezes) tem medo de tentar de novo quando algo não dá certo. Aquela coisa meio assim… “pra quê farei de novo se não deu certo na primeira?” Taí que vem aquela pergunta não menos estranha mas que já me peguei pensando nela N vezes:

 

“Se você se senta em um banco de praça com tinta fresca, se suja, quer dizer que nunca mais se sentará na vida?”


Pode parecer meio extremista, eu sei, mas a lógica é a mesma. Você se suja, se marca do mesmo jeito.


Só que quando o assunto são emoções a gente fica meio frouxo porque, mesmo se passando por fortes, somos frágeis e morremos de medo de cair de novo, sofrer de novo, nos machucar de novo.


Devido a isso, depois de relacionamentos que deram errado e te fizeram sofrer você decidiu não amar novamente, não foi?


Ah como se pudéssemos controlar o nosso coração! Podemos não, meus queridos! Coração é um ser que vive por ele mesmo, vibra por ele mesmo sem que estejamos no comando. Queira você ou não, ele vai amar de novo. Podemos até sufoca-lo, disfarçar a avalanche de sentimentos dentro da gente mas, infelizmente, isso não vai durar muito tempo e sofreremos. Sofreremos mais por nos impedir de amar do que sofreríamos se estivéssemos amando!

 

É nessa hora que eu invejo as pessoas leves, sem medos, sem pesos na alma, no coração, que não se importam em amar de novo ou quantas vezes puder e aguentar! Depois de uma queda, uma perda ou quando algo não deu certo, você as observa e ainda as vê sorrir. Porque sorriem? Sorriem porque sabem, bem lá no fundo, que viveram mais do que puderam ou quanto lhes foi possível viver. E se você ainda lhes perguntar se fariam de novo, te responderiam com aquele brilho enigmático no olhar:


Mas como assim? Não se importam em sofrer de novo? Não desistem das coisas e do amor?


Não. Porque elas sabem que quanto mais arriscarem mais perto estarão de seus sonhos e desejos. Porque elas sabem que os guerreiros de verdade não temem uma batalha, a enfrenta quantas vezes for mas não se rendem. Porque eles sabem que sentimentos são viajantes, não pertencem a uma única pessoa, eles partem toda vez que você os encontra e nessa viagem outros são encontrados toda hora.

 

Então, que a dica de hoje seja simplesmente “ir”. Que seja de novo, depois de novo e outra vez e mais outra. Sem frescura, sem cara amarrada e só com a certeza de estar em qualquer lugar até que um dia finalmente chegará até onde anseia chegar.


*Cris Souza Fontês

quarta-feira, 27 de abril de 2022

“Uma planta morreu porque dei a ela muita água. Então eu entendi que oferecer demais, mesmo que seja para fazer o bem, nem sempre é bom”


Flores e pessoas. Universo de fora e universo de dentro. Natureza das coisas e natureza das emoções. Conexões entre estrelas e conexões entre axônios… tudo está conectado, e por mais que a gente não domine botânica, astronomia ou biologia, não dá para negar que a explosão do universo se assemelha ao nosso mundo interno, e vice versa.


Nenhuma planta sobreviverá ao excesso de água. Dar demais, ainda que seja para o bem, pode ser prejudicial. Isso serve para plantas, pessoas e relacionamentos. Ao contrário, porém, uma flor pode resistir à escassez de água, e tornar-se ainda mais forte ao suportar as adversidades, encontrando recursos que nem sabia que existiam ao brotar entre rachaduras na calçada ou entre trincas no cimento.


Talvez seja por isso que aquela moça nunca namore. A ansiedade faz com que ela atropele tudo, e saia regando demais plantas que não carecem de água. Ela tem pressa de demonstrar afeto, e por isso não espera que sintam sua falta. Ao contrário, faz do excesso sua linguagem; e da escassez, sua incapacidade. Ela precisa aprender a suportar o tempo das coisas, e a não matar o amor por overdose de atenção.


Muitos relacionamentos morrem de overdose. Exagero de atenção, abundância de presença, excesso de mimos. Não estou defendendo a falta, mas aposto no equilíbrio. Assim como a escassez, o excesso pode ser prejudicial. Na dúvida, aposte na reciprocidade. Em dar na mesma medida que recebe, ou em parar de regar para assim descobrir à quantas plantas mortas você anda oferecendo amor.


Salgue demais uma comida, ela ficará intragável. Ofereça água em excesso a uma flor, ela morrerá. Compre todos os brinquedos da loja para uma criança, ela não dará valor a nenhum. Sufoque alguém com excesso de presença, atenção, carinho e mensagens… e você a perderá para sempre.


É preciso aprender a suportar o tempo das coisas, e a respeitar o espaço de cada um. Dome sua ansiedade, se volte para outros interesses, descubra novos hobbies. Sua ausência, ao contrário do que imagina, atrai atenção. Você reverte a situação, o jogo vira, e você descobre que antes de brilhar no céu de alguém, precisa primeiro encontrar seu próprio brilho, o que te faz bem.


“Girassol, quando abre flor, geralmente despenca”. De que adianta um girassol com a flor mais linda, se seu caule não é capaz de suportar a própria beleza? Se você não for bom para si mesmo em primeiro lugar, não ensinará a ninguém como quer ser amado. Se você não é capaz de exercer o autocuidado, como quer ser valorizado?


Porém, tenho aprendido que algumas plantas, não importa o cuidado que tivermos com elas, morrerão antes do previsto. A água não faltou nem foi em excesso, a luz chegou da maneira correta, os nutrientes foram suficientes. Elas morrerão porque tinham que morrer, e nada do que fizermos irá mudar isso. Então o negócio é aceitar. Nem tudo depende da gente, da maneira como agimos ou deixamos de agir. E isso se estende a tudo na vida.


Ame, mas não sufoque. Doe-se, mas não se abandone. Deseje, mas não se sujeite a tudo para obter. Permaneça, se te fizer bem. Deixe ir, se faltar reciprocidade. E, acima de tudo, faça o seu melhor e solte. Flores e pessoas. Universo de fora e universo de dentro. Natureza das coisas e natureza das emoções. Conexões entre estrelas e conexões entre axônios… tudo está conectado, e nem tudo está sob seu controle…


*Fabíola Simões 


terça-feira, 26 de abril de 2022

Recomeços… – a vida é instante. Busque a sua melhor versão!


Existem dias em nossas vidas que a única força que temos é o: desistir. Em dias como esse o que sobressai é o cansaço. Um cansar diferente daquele que é físico, mas que é bem próximo de esgotar as energias do corpo e da alma. É quando tudo que você consegue pensar se resume em: Não vou conseguir, é melhor desistir! E então tudo a sua volta e pra qualquer lugar que você olhe parece não haver uma saída, você suspira longamente, se entristece e procura um explicação fora, uma explicação na vida, no outro, na relação. É quando muito de tudo perde o sentido e você se sente impotente e incapaz.

 

Mas da mesma forma que essas sensações brotaram, surge de repente, uma voz lá no fundo da sua consciência e alguns sinais aparecem e você começa a refletir e eis que a solução ou uma esperança renovada dispara seu coração.


Eu sei que não é fácil. Os questionamentos negativos são pesados demais, eles tem argumentos poderosos que nos colocam naquela zona gostosa de conforto do: olha pra mim, como sou vítima de toda essa história que escolhi viver. Os conflitos internos ganham força e poder, e parece que se abre um portal e tudo começa a fluir nessa vibração da negatividade, eu entendo o que você sente, porque eu sinto e conheço muitas pessoas que sentem, que vivem essas emoções e sensações. Mas cada um de nós tem uma missão e uma trajetória, então nos momentos de penumbra, converse com Deus. Encontre as respostas no seu coração, é lá que Deus se faz presente e lhe entrega as tantas soluções para qualquer desafio.


Quando você para de olhar em volta e se volta para dentro, para encontrar, mesmo que passando por vales tenebrosos de dúvidas, dor, “beco sem saída”, quando você consegue olhar para você, sem mágoa e culpa enxergando o que você é, ou seja: amor, todas as dores se vão e você abre a porta de entrada para o Deus que habita seu ser e assim ele entra no cômodo mais importante da profundidade do seu templo.

 

Por uma questão cultural, acredito eu, nós ocidentais, temos nossa mente programada para pensar que o caminho mais fácil é o caminho da dor, uma vez que na dor encontramos “aconchego”, “olhares atenciosos”, “conforto e proteção”, além de carregar a crença de não poder ter tudo que desejamos, porque acreditamos no não merecimento. Assim nos sabotamos muito, quase o tempo inteiro, quando não nos permitimos a felicidade por acreditar que ela não é possível existir por completo. A verdade é que a felicidade é um estado de espírito, é uma questão de ser que vem da alma. Felicidade não depende de muitas coisas, quando se é feliz, se é feliz e ponto.


Se hoje você está experienciando algum desafio, alguma dor, tragédia, tristeza ou qualquer sentimento ou emoção que deixe sua frequência baixa, convido você a parar um pouco, respirar fundo, refletir toda a sua jornada. Do começo da sua história até agora, quantos passos já foram dados? Quantas vezes você pensou: agora não vou conseguir!?


Por mais difícil que esteja, acredite em mim, os dias passam e os ciclos mudam. É como as estações do ano, ano-novo, fases da lua, vivemos mudando de ciclo, cada dia de uma maneira diferente. Procure o melhor para você. Recomece quantas vezes for preciso. Reinvente você em mil versões até que encontre a que mais combina com o que você vem se tornando.

 

A vida não vem com manual de instruções, e muitas vezes o caminhar se faz insuportável por alguns minutos, mas se você conseguir refletir a beleza e magnitude de tudo, se por um momento você conseguir refletir em quantos outros momentos você já teve situações muito mais desafiadoras e conseguiu sair um vencedor ou vencedora e se fizer uma retrospectiva da sua própria vida, sem comparação com a vida alheia, mas lançar um olhar profundo, intenso buscando minunciosamente os capítulos tenebrosos da sua trajetória até o momento, você vai conseguir se olhar diante o espelho e ver o quão vitorioso ou vitoriosa você é. Simplesmente porque você foi escolhido entre milhões para estar aqui, você venceu barreiras para ganhar vida. Você nadou o impossível e vive uma vida misteriosa e carregada de imaginação e mesmo assim, você transpõe as barreiras e vive cada dia. Portanto se hoje as cores da sua aquarela ficaram escuras e se você se sente ameaçado pela sua própria história, pare novamente e respire fundo a vida que lhe foi presenteada.


E se até hoje você apenas vive, repense seriamente sobre as ideias que circundam sua mente a despeito de tudo que o cerca, porque viver, acordar a cada dia é um presente, um depósito de confiança de que o melhor será feito hoje. Sendo assim, cuide bem de você! Ame e expresse seu amor, escute e entenda os sinais, tenha calma e compreensão com seu processo e por fim, liberte-se de tudo que aprisiona a sua alma e impede que ela viva plenamente, se entregue para que o processo perdure!


*Carol Daimond

segunda-feira, 25 de abril de 2022

Não dependa da gratidão das pessoas para ser feliz


Desde pequenos, nossos pais nos pedem para agradecer pelos presentes recebidos, pelos elogios que nos fazem, ou seja, aprendemos que o “muito obrigado” é importante para o outro.

É a tal da gratidão, um sentimento que, nos últimos tempos, encontra-se tão em voga.

Em meio a tantas reviravoltas no mundo lá fora, diz-se que se sentir grato faz bem, para que consigamos equilibrar o nosso emocional.

Mesmo assim, existem muitas pessoas que não demonstram gratidão alguma.

Algumas pessoas, inclusive, sentem-se no direito de receber ajuda, como se os outros fossem obrigados a servi-las. E, quando essa ajuda não é mais possível, a pessoa fica brava e não consegue entender por que o outro parou de ajudar.

É a ingratidão em estado puro, porque a pessoa se esquece de tudo o que já fizemos por ela.

Na verdade, há muitas pessoas egoístas ultimamente. Parece que o mundo orbita em volta de seus umbigos, é como se nada mais lhes importasse, a não ser a satisfação das próprias vontades.

E, nesse contexto, quando a pessoa não volta os olhos para além de si mesma, ela jamais conseguirá desenvolver qualquer traço de gratidão, pois esse sentimento requer o reconhecimento do que chega até você por meio de outra pessoa.

EGOÍSTAS NÃO ENXERGAM OUTRAS PESSOAS.

Além disso, existem os indivíduos que passam por problemas emocionais, como a depressão, entre outros, os quais se encontram quebrados por dentro e com os sentimentos revirados e em frangalhos.

Eles possivelmente se mostrarão ingratos com as pessoas que estão ali ao lado tentando ajudar, mas faz parte desse processo de reconstrução emocional e, por isso, não podem ser julgados.

Seria injusto, de nossa parte, cobrar isso de quem se encontra em escuridões que impedem um discernimento razoável.

Fato é que a gratidão faz bem para quem a cultiva e também para quem a recebe. No entanto, ela não pode balizar as nossas ações.

Ajudar as pessoas não deve depender da resposta do outro.

Não dependa da gratidão das pessoas, não espere reconhecimento, nem deposite sua felicidade no retorno do que você faz aos outros.

FIQUE FELIZ POR VOCÊ MESMO, O QUE IMPORTA ESTÁ DENTRO DE VOCÊ. NINGUÉM PRECISA SABER.


*Marcel Camargo 


*DA REDAÇÃO RH. Foto de Rick Gebhardt no Unsplash.

sexta-feira, 22 de abril de 2022

Desista de tudo aquilo que já desistiu de você…


É preciso deixar de manter junto gente dispensável, buscar novos empreendimentos e empregos que nos tornem pessoas realizadas, dar um basta nas relações recheadas de lágrimas, arrependimentos e súplicas vazias. Mas também é imprescindível olhar para dentro de nós, percebendo a nossa parcela de responsabilidade sobre todo o mal que nos aflige.


Talvez uma das maiores dúvidas que temos seja percebermos quando é chegada a hora de promovermos mudanças nos vários setores de nossas vidas. Isso porque a comodidade da zona de conforto em que nos sentimos confortáveis acaba por nos tolher a iniciativa de operarmos a quebra do que aparentemente se encontra instalado em nós. Mudar assusta e requer coragem, mas é vital e necessário.


Temos uma forte tendência a querer que os dias corram sempre na mesma sintonia, no mesmo tom, pois ansiamos, sobretudo, por calmaria e equilíbrio. No entanto, mesmo que aparentemente as coisas possam nos parecer já estabilizadas, nada é imutável, nada deixa de se transformar ao longo do tempo – é assim com as pessoas, é assim com tudo o mais.


As experiências acumuladas, as mudanças de perspectivas, as diferentes direções dos sonhos, as ressignificações de mundo, tudo serve para promover a ampliação de perspectivas. Nesse sentido, as ideias mudam, o mundo se transforma, ou seja, não permanecemos os mesmos, pois vamos também nos transformando ao compasso das mudanças que se descortinam ao nosso redor.


Por isso é que certas coisas vão perdendo o significado e a importância que possuíam para nós, à medida que avançamos no tempo e amadurecemos os nossos pensamentos. A vida corre e, aqui dentro da gente, os sentidos clamam pelo seguir sempre em frente. E prosseguir muitas vezes significa ter que deixar para trás parte daquilo que já tínhamos como certo em nossas vidas.


Não é fácil nem agradável nos libertarmos do que pensamos ser imprescindível em nossas vidas, pois temos a impressão de que não conseguiremos sobreviver sem aquilo tudo. Quer saber? Sobrevivemos, sim, pois fomos feitos para durar, a despeito de toda dificuldade, toda dor e toda desesperança que teimará em ferir os nossos sonhos. Uma vida digna é o que devemos priorizar, longe de coisas, de pessoas e de situações que só servem para nos distanciar de nossas verdades.


É preciso deixar de manter junto gente dispensável, que não faz a menor questão de nos fazer ou de nos ver felizes. É necessário buscar novos empreendimentos e empregos, caso o trabalho seja a pior parte de nosso dia. É urgente a necessidade de darmos um basta na relação, quando nos vemos mergulhados em lágrimas, arrependimentos e súplicas vazias. Mas também é imprescindível olhar para dentro de nós, percebendo a nossa parcela de responsabilidade sobre todo o mal que nos aflige.


Todos os dias, a vida nos dá várias oportunidades para repensarmos o que fizemos de nossas vidas, para que tenhamos a chance de agir em favor de nossa felicidade. Felizmente, embora muitos não pensem assim, nunca é nem será tarde demais para reiniciarmos a busca pela realização de nossos sonhos. Sejamos, assim, a mudança que queremos para nossas vidas, de mãos dadas com quem nos ama sinceramente, com quem chegou para ficar, com disposição e com verdade.


*Marcel Camargo 

quarta-feira, 20 de abril de 2022

Eu só queria que você soubesse…


Tem amor que simplesmente não é para ser vivido. Só lembrado. Imaginado. No “se”. Dizem que tudo tem seu tempo. Ando deixando pistas. Rastros bem marcados. Como na história. Migalhas. Falta dele. Justificativa para tanta vida morna. Não acredito no depois. Destino ou acaso. No tempo.

 

Ando com pressa. Aqui dentro já não suporta frouxidão. Não espero a sorte.  Desconfio do destino. Está lá. Na beira da estrada. É só uma menina. Leve como passarinho. Espera a liberdade. Sentir de verdade. Andar de pés no chão. Ter todas as cores. Com você deseja amanhecer. Acredita no humor. No amor. Aquele na penteadeira. Ficou lá só de bobeira. Deixou o tempo passar.


Acho que seria caso de muitas risadas. Conversa solta. Sem máscaras. Quase mundo novo. Pontes. Tardes de domingo. Conexão. Rodoviária. Boa tarde para o senhor taxista. Fazer amor baixinho. Ligar a TV. Tem gente na sala. Não nego, as paixões são assim. Meio brega. Brincadeiras. Algumas esquisitices. Outras chatices.


O tempo passa. Parados. Feito o mendigo na esquina. Virou coisa. Faz parte da paisagem. Fome é o nome dele. Aquele moço. Já foi outro. Quero sem medo. Por inteiro. Te olhar. Esperar. E que a gente se beije e acabe na cama. Sem drama.  Já se foi o tempo de sonhar. Não há mais nada a fazer. Sem expectativas ou ilusões. Intensas. Insanas. Paixões.


Eu só queria que você soubesse. Foi o improvável. Só pode ser louco. Anda em bando. Ainda mora com a mamãe. Surpreendente. Inteligente. Te pedi em dia de calmaria. A Oxum. Aos céus. A coisa nenhuma. Foi só o coração.  Remendado. Mais uma vez. Me encaixaria na tua cama. Na verdade foi nada. Coisa alguma. Só foi estranho. Simplesmente ficou. Deve que passa.


Não vou usar de artifícios. Nem truques ou armação. Só mantenho aqui aceso. Não  quero laços. Nem amarras. Assim, quem foge, sou eu. Não assuste se um dia eu desaparecer. As vezes preciso ser sozinha. De espaço. Coração. Mais complicado do que pensa. Se amor de perto já está irreal. Penso no virtual.


Faz tempo que não via páginas em branco. Escolhi assim. Gosto desse jeito. Das possibilidades. De te esperar por inteiro. Espero por janeiro. Embriagado. Calado. Sem nome. Sem pressa. Não me peça. Nunca faça promessas. Não faz mal.  Fique para o carnaval.

 

Não vou decorar o seu mundo. Pedir em casamento. Para o ano inteiro. Simplesmente apostaria nele. Falta ousadia e mais coragem. Nem sempre o deixar acontecer nos alcança. Às vezes tudo fica. Por aí. Suspenso. Não vivido. Por medo ou fragilidade. No tanto faz.


Depois de um tempo. Não saberei do seu paradeiro. Se ganhou dinheiro. Aquele moço. Fulano de tal. Não vou te colocar no jornal. Seu sobrenome já  terei esquecido. Se é de Araxá. Belo Horizonte ou Pernambuco. Só sei que será amor caduco.


Não sei se foi descaso. Se foi bom o que aconteceu. Viver de consolo deve que aprendeu. Ainda penso em tomar uma dose. De coragem. Abrir a porta. Arriscar. Improvisar. Ver o que tem dentro. Mantenho segurança. Espio pela fresta.


Aprendemos que certas coisas não dá para guardar. Nem para emergência ou remendo. Vez por hora tiramos a poeira. Lustramos. Desentulhamos. Jogamos fora o que realmente não servirá mais. Sentirei saudade do que não aconteceu. Você estará lá. Nos sonhos quase realizáveis. Guardado na despensa. Entre as coisas que quase tive. Caberia nós dois. Na caixa das coisas não vividas.


*Aline Borges

terça-feira, 19 de abril de 2022

O amor é o remédio mais poderoso que temos!


Se você vive apontando seu dedo indicador constantemente para seu próprio nariz, cuidado! Algumas pessoas prejudicam outras e pedem perdão, que pode ser aceito ou não; mas há algumas atitudes em que o único prejudicado é você mesmo.

 

A culpa é influenciada pelas crenças e valores que cada um traz consigo desde a infância e que muitas vezes não corresponde mais aos valores e crenças atuais. Culpa, remorso, arrependimento, são inimigos constantes e nos fazem sentir vergonha, medo e a maior consequência: a autopunição.


Perdoar a si mesmo talvez seja um dos maiores desafios, pois está relacionado com a capacidade, ou melhor, com a dificuldade que cada um tem de se amar e se aceitar. As pessoas não se amam por acreditarem terem feito algo muito terrível, às vezes isso até corresponde à verdade, mas muitas vezes não.


Procure observar se busca demais pela aprovação e reconhecimento  das pessoas em geral, se está sempre à disposição de todos, cedendo em quase tudo, pela necessidade inconsciente de agradar, de ser aceito, mas que muitas vezes confunde-se com a desculpa de querer ajudar e que na verdade oculta a busca pelo amor e atenção.

 

Uma maneira de cultivar a culpa é estar sempre exigindo perfeição de si mesmo. Para se livrar disso, seja honesto consigo mesmo, pense sobre o que te levou a fazer certas escolhas, agir de determinada forma e, lembre-se que, naquele momento você fez o melhor – ou o “menos pior” – por si. Nós sempre fazemos o que dá para ser feito. Nunca julgue situações passadas com valores do presente.


Para perdoar-se é preciso rever todas suas crenças, valores, que muitos esquecem que com o tempo podem, e devem, se modificar. Analisar o que fez ou deixou de fazer para poder mudar e crescer é válido, como sentir remorso pela dor que pode ter causado a alguém e pedir perdão. Mas se esse remorso começar a dominar sua vida, isto alimentará o seu papel de vítima e a autopiedade. Você deve aprender e crescer com a experiência passada e isso não quer dizer se punir eternamente por algo já feito.


Perdoar a si mesmo exige uma completa honestidade, é um processo de reconhecer a verdade, assumir a responsabilidade pelo que você fez, aprender com a experiência, reconhecer os sentimentos que motivaram determinados comportamentos, abrir seu coração para si mesmo, ouvir seus medos, curar certas feridas e isso você pode conseguir amando a si mesmo.

 

Você pode e deve se livrar de certos padrões de pensamentos e sentimentos. Mude o que não acredita mais, livre-se de tudo que te faz mal, cure a ferida que mais lhe dói. A verdadeira cura é fazer as pazes consigo mesmo. O amor é o remédio mais poderoso que temos.


*Viviane Battistella

Amar alguém

Na vida, a gente só sabe que ama alguém, a gente só tem o direito de dizer a alguém que a amamos depois de ter dito infinitas vezes a esse m...