sexta-feira, 31 de maio de 2019

A Fé...é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos

Hoje vim falar sobre fé, e já lhe adianto, não estou aqui para lhe fazer chorar ou se lamentar pelos dias difíceis que você anda passando, mas estou aqui para te fazer entender que se você não fosse tão capaz, tão forte, e tão sadio na fé, você não estaria mais de pé. Não me interrompa por favor, porque a sua capacidade de atravessar esse mar é muito maior do que os ventos que circulam ao redor, e já te explico porque, mas antes, eu preciso que você respire fundo, se olhe no espelho e em voz alta repita pra você mesmo: sou mais que vencedor! Aquele que habita em mim, é maior e mais forte do que tudo que vem para me destruir. 

Nem Abraão imaginou ter tamanha fé, até que Deus lhe pedisse de volta o filho que ele tanto desejou. Ele poderia ter questionado, gritado, se desesperado, mas ele apenas obedeceu sem contar pra ninguém o que se passava na sua alma. Acredito que muitos que o viram passar com o seu filho rumo ao sacrifício não imaginavam que o seu coração estava dilacerado, mas o Senhor sabia, e o provou até o último minuto. Talvez naquele momento ele também tenha se olhado por dentro e por um segundo sentido medo, eu não sei dizer, ele era humano como nós, sujeito a sentimentos, mas não recuou no seu propósito, e Deus lhe honrou. 

As vezes parece que não vamos sobreviver ou que não temos fé suficiente para enfrentarmos as situações adversas na nossa vida, mas acredite, fé não se define por tamanho, mas pela sua existência em nós ainda que seja do tamanho de um grão de mostarda com bem descreve a Bíblia. Sentir cansaço, tristeza, vontade de agir irresponsavelmente vez em quando é normal, o que não é normal é você negar a tamanha força que tem ainda que seja no meio da dor. Toda a tempestade passa, e não vou mentir pra você, elas deixam alguns estragos, mas não permanece quando a encaramos. As bagunças que elas deixam às vezes são irreparáveis aos nossos olhos, mas pelo mover das mãos do Senhor, são obras a serem reconstruídas. Tenha fé! Psiu, desistir agora, depois de tantos passos dados, batalhas vencidas e lágrimas derramadas nesse processo, é tolice!! Levanta e segue. 


*Cecilia Sfalsin

quinta-feira, 30 de maio de 2019

Às vezes, a vida te tira a empurrões de lugares em que você não deve estar

O tempo sempre se encarrega de nos mostrar que nada acontece por acaso, e que o que ao primeiro olhar parecia algo ruim, pode na verdade ser uma bênção.
A vida está constantemente enviando coisas e pessoas em nossos caminhos que nos permitem evoluir e chegar ao lugar em que devemos estar. 

No entanto, nem sempre somos capazes de reconhecer essas experiências como algo positivo, especialmente quando se trata de decepções. Por algum motivo, achamos que devemos continuar insistindo, porque uma hora dará certo, e ainda que precisemos nos esforçar por algumas coisas, a realidade é que somos muito felizes quando aprendemos a abrir mão daquilo que não acrescenta nada em nossas vidas.

Quando não compreendemos os momentos em que devemos deixar ir e insistimos em permanecer em lugares nos quais não devemos estar, é preciso que algo realmente extremo aconteça, que não nos deixe outra escolha a não ser seguir em frente e buscar uma outra realidade para nossas vidas.

Nos momentos em que a vida coloca essas reviravoltas em nossos caminhos, podemos ficar revoltados, tristes e perdidos, sem saber como fazer para recomeçar do zero e abandonar quase tudo aquilo que tínhamos como garantido, mas o tempo sempre se encarrega de nos mostrar que nada acontece por acaso, e que o que a primeiro olhar parecia algo ruim, pode na verdade ser uma bênção.

Muitas vezes, portas incríveis se abrem para nós, com as oportunidades que sempre pedimos e que podem nos tornar muito mais felizes e prósperos, mas estamos tão concentrados naquelas que foram fechadas que não percebemos o que estamos perdendo.
Apenas quando tomamos um choque e somos forçados a olhar as coisas por uma perspectiva diferente, damos o primeiro passo para uma nova etapa em nossas vidas, que pode nos levar até onde devemos estar.

Por mais que nos neguemos a aceitar que as coisas precisam mudar, um dia percebemos que não há mais para onde fugir, que precisamos aceitar as transformações da vida e que tudo ocorre para o nosso bem, e é no momento em que alcançamos esse conhecimento, que aprendemos a grande lição: nunca é positivo estar em um lugar que nos faz sofrer, tira a calma de nossa alma e nos desconecta de nós mesmos.

Portanto, quando a vida tirar você a empurrões de uma situação a qual está apegado, não lute contra, aceite que todas as experiências carregam consigo o propósito de nos fazer melhores.


*Luiza Fletcher

quarta-feira, 29 de maio de 2019

A difícil arte de seguir em frente

(Em outras palavras: na hora do aperto a gente apela para a autoajuda, birita, ombro dos amigos, livros bestas e músicas cafonas.)

Por algum motivo as coisas não deram certo. Sua vida seguiu por um caminho e a dele dobrou duas quadras mais para a frente. Você fica se perguntando o que aconteceu, o que deu errado, por que vai ter que enfiar todos os planos dentro da nécessaire, fechar e ficar um tempão sem abrir novamente. 

A gente passa por diversas fases. Sentimos raiva, sentimos dor, sentimos revolta, sentimos desprezo, sentimos saudade, sentimos amor, sentimos medo de nunca mais esquecer, sentimos medo de gostar de novo, sentimos vergonha e receio em repetir os mesmos erros bobos. 

Demorei muito para acreditar na mais louca e cruel verdade: quem gosta de você vai te tratar bem. Quem gosta de você se importa, quer o melhor, te procura, te liga, te dá satisfação. Quem gosta quer estar junto. Quem gosta demonstra. Quem gosta faz planos. Quem gosta apresenta para a família e amigos. Quem gosta manda uma mensagem bobinha só pra dizer que ama. Quem gosta carrega uma foto sua dentro da carteira pra ver quando dá saudade. Quem gosta abraça na hora de dormir. Quem gosta dá um beijo de boa noite e de bom dia. Quem gosta aguenta suas reclamações, sua cólica infernal, suas manhas e manias.

Me desculpa, mas não existe medo que seja maior que um sentimento. Não existe timidez que seja mais forte que uma declaração de amor. Não existe distância que deixe uma relação morrer se as duas pessoas querem ficar coladinhas. Não existe estou-dividido-entre-ela-e-você. Quem gosta pode se perder, mas sempre vai saber pra onde quer voltar.

A gente demora pra aceitar, arruma novecentas desculpas para a falta de jeito do outro. Ah, ele é confuso. Ah, ele está tenso. Ah, ele tem medo. Ah, ele é maluco. Ah, ele isso. Ah, ele aquilo. Desculpa, mas quem quer estar junto pensa ah, que saudade. Ah, que falta ela me faz. Quem gosta, gosta. Sem complicações. Sem armações e armaduras. 

Infelizmente, antes de seguir em frente tentamos interpretar as ações e atitudes da pessoa indecisa. Ele respondeu assim por tal motivo. Ele falou isso querendo dizer tal coisa. Ele isso, mas tenho certeza que ele aquilo. Quem gosta dá certeza do que sente. Quem gosta te olha com sinceridade. Quem gosta não faz joguinho nem te deixa pela metade. Quem gosta quer te deixar segura. 

Por bem ou por mal, precisamos abandonar um sentimento que não traz nada de bom. Simples assim. Basta você se perguntar: é essa a vida que quero para mim? Eu mereço ser feliz? Eu mereço alguém que me ame? Eu mereço alguém que se importe? Eu mereço quem tenha certeza que me quer? Eu mereço ser amada? 

O momento em que você percebe que o outro não te quer é mágico. A gente acorda, se sente nova, se sente livre. É claro que não se afoga um sentimento do dia para a noite. Mas a gente tenta preencher aqueles espaços com coisas novas: músicas diferentes, bons livros, trabalho, amigos, decoração da casa, um animal de estimação. Tudo serve para animar, renovar, encher a casa, a vida e preencher o tempo, costurar e remendar nossas feridas. É claro que vai doer, é claro que você vai sentir, é claro que o sentimento ainda vai latejar por um tempo. Mas a gente supera a partir do momento em que decide o que merece.


Clarissa Corrêa

terça-feira, 28 de maio de 2019

Reze, espere e não se preocupe. A preocupação é inútil. Deus é misericordioso e ouvirá sua oração…

Gratidão por todas as bênçãos recebidas e tantas outras que ainda virão!

Em minhas orações diárias, ultimamente tenho agradecido por todas as bênçãos recebidas e por tantas outras que eu sei que ainda virão! É tão reconfortante saber que Deus nos cuida e ampara, é presença constante em nossas vidas! É como uma retrospectiva que passa pela mente, maravilhosa retrospectiva de bênçãos! nunca devemos nos esquecer por tudo que passamos, lutamos e vencemos! Pois isto tudo é o resultado do que nos tornamos hoje.

E quando fraquejamos e nos sentimos vulneráveis, fracos na fé, Deus fala conosco através da “retrospectiva da vida”, subitamente um sorriso surge e nos ilumina a face, começa devagar e depois “explode”. Através desta explosão de felicidade, reconhecemos toda a importância Dele em nossa vida, ao passo que Ele nos está dizendo, “Estou sempre aqui, não se afaste”… Esquecer as bênçãos recebidas, ter medo e se desesperar é um afastamento, pode durar alguns segundos, minutos, horas ou até dias… até o momento em que você se deixe resgatar por Ele e sinta novamente sua calmaria tomar conta, como o sabor suave da brisa lhe afagando a face…

Nos afastamos sim, quando permitimos que o nosso ego tome conta e fiquemos cegos e covardes. Em um momento destes, recentemente me chegou como um presente o texto do Padre Piu:

“Reze, espere e não se preocupe. A preocupação é inútil. Deus é misericordioso e ouvirá sua oração… A oração é a melhor arma que temos, é a chave do coração de Deus. Você deve falar com Jesus, não somente com seus lábios, mas também com o coração. Na verdade, em umas ocasiões, deve falar somente com o coração”.

Neste momento tudo ficou claro, somos humanos, os afastamentos temporários são comuns, mas não podemos considerá-los normais, porque definitivamente não o são! O normal é estar sempre conectado à Ele não se permitindo o afastamento, o sofrimento e o medo.

Dizem que existe uma teoria da conexão com Ele, esta pode ser por dois motivos: no Amor ou na Dor. Eu sempre achei que a transformação ocorre na dor, mas o fato é que cada um tem uma história e uma forma de reagir a ela, por isto tanto faz se Amor ou Dor, o importante é estar conectado e quando tudo vai bem, devemos nos manter próximos por meio da gratidão! Mesmo quando tudo está bem, continue agradecendo por todas as bênçãos recebidas e por todas que ainda virão!


*A Soma de Todos Afetos

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Há quem não mova uma palha, enquanto outros movem o mundo para nos ver felizes

É bom demais entender que existem pessoas dispostas a darem um pouco de si, disponíveis para os gestos mais simples, mas que são gigantes dentro do nosso coração.

Frequentemente, questiono o que faz uma pessoa generosa ou egoísta. Como podemos ter mundos tão diferentes de concepção da vida, de aptidão para o altruísmo e para a empatia? Todos nós um dia já nos deparamos com uma situação onde somos paralisados pela sensação de: “como ela pode fazer isso?”

Sim, às vezes, é difícil entender tamanha maldade. E a bondade está tão fora de moda que quando acontece vira notícia nos jornais.

Quantos favores simples já nos foram negados? Um telefonema ou só cinco minutos, mas as pessoas declinam em auxiliar e a gente fica pasmo sem saber o porquê.

Por outro lado, algumas pessoas param seu dia para nos ajudar a resolver um problema. Nosso coração se enche de alegria e, principalmente, de otimismo em relação à humanidade.

É bom demais entender que existem pessoas dispostas a darem um pouco de si, a ceder o lugar, quebrar um galho e dar uma força. Disponíveis para os gestos mais simples, mas que são gigantes dentro do nosso coração.

Bom, apesar de todas as influências que o nosso coração sofre durante a vida, a decisão final, de ter determinada atitude ou não, sempre será nossa. Como no caso das famílias que passavam por um inverno bem rigoroso numa cidade gelada entre as montanhas. Logo que o sol caía, via-se, pela chaminé do vizinho da casa amarela, a fumaça de seu fogão a lenha que aquecia a casa toda. Porém, os últimos verões tinham sido bem difíceis para os vizinhos da casa azul e da casa verde, que não conseguiam acumular lenha e buscavam outras formas nada eficientes para se aquecerem.

Certo dia, quando saíam de suas casas, os três vizinhos se encontraram.
– Como foi a noite, vizinhos?

– Fria.

– Muito fria.

– Imagino. Que o próximo verão seja bem mais proveitoso para todos nós. Replicava o vizinho da casa amarela.

Então, o verão chegou e os vizinhos das casas azul e verde acumularam lenha suficiente para além da temporada e, dessa vez, não passariam frio. Já o vizinho da casa amarela, por sua vez, viu sua lenha acabar logo no início do inverno seguinte.

Na casa azul, a mulher do vizinho sugeriu:

– Marido, o vizinho do meio deve estar sem lenha. E nós temos de sobra.

– Ano passado não tínhamos lenha e ele não nos ajudou. Não vou dar minha lenha para ele.

Na casa verde, o filho do vizinho indagou:

– Pai, onde o senhor vai com toda essa lenha?

– Levar para o vizinho da casa amarela.

– Mas, no inverno passado, ele não nos deu nada!

– Se não nos ajudou, meu filho, é porque não tinha o suficiente, tanto que acabou.

Então, o vizinho da casa verde saiu no frio congelante carregando sua lenha, enquanto o vizinho da casa azul repousava em sua poltrona com a casa aquecida. O vizinho da casa amarela não pode conter a emoção de ver a lenha que lhe era ofertada, pois seus filhos tremiam de frio. E o abraço apertado entre os dois selou o sentido da vida.

MORAL DA HISTÓRIA

O egoísta sempre tem uma desculpa. E o generoso também.

Portanto, em um mundo onde você pode ser qualquer coisa, escolha ser legal!


*Luciano Cazz

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Aprendi que o “nunca mais” nunca é cumprido, e o “para sempre” sempre acaba

A vida é efêmera e muda num piscar de olhos. Sabendo disso, temos que fazer o nosso melhor todos os dias para aproveitarmos ao máximo e vivermos sem arrependimentos.

A vida tem sua própria maneira de nos mostrar que as coisas estão constantemente mudando, e nossas realidades, por mais que nos façam felizes, não duram para sempre. Tanto as fases ruins quanto as boas em algum momento têm um fim, nada permanece da mesma forma por muito tempo, porque, se assim fosse, estaríamos condenados a sempre viver a mesma vida, sem nenhuma evolução ou inspiração.

O mundo que conhecemos hoje, provavelmente, já não será o mesmo amanhã. As pessoas que conhecemos e amamos agora, daqui há algum tempo podem se tornar nada além de desconhecidas para nós, e até mesmo nossos sentimentos e sonhos podem sofrer uma grande mudança rapidamente.

Isso pode ser assustador, mas a verdade é que quando entendemos o quanto a vida muda e nos educamos para respeitar esse ciclo, vivemos com mais tranquilidade e confiança, compreendendo que as coisas sempre conspirarão para o nosso bem e evolução.

A vida é efêmera e muda num piscar de olhos. Sabendo disso, temos que fazer o nosso melhor todos os dias para aproveitarmos ao máximo e vivermos sem arrependimentos.

Devemos viver com autenticidade, fazendo com que cada uma de nossas atitudes seja uma manifestação de quem realmente somos, esforçando-nos para que nossas ações valham mais do que nossas palavras.

Precisamos assumir a responsabilidade por nossas vidas e fortalecer nossas habilidades para que possamos sempre estar preparados para abraçar todas as oportunidades que surgirem em nossos caminhos.
Entenda que as palavras, por mais bonitas que sejam, não podem guiar as nossas vidas, porque a todo momento podem ser levadas pelo vento.  Todos os “nunca mais” em algum momento se repetem e os “para sempre” se acabam.

No entanto, não devemos nos prender em nós mesmos pelo medo de não sermos valorizados. O que realmente devemos fazer é valorizar mais as atitudes, as demonstrações de amor, interesse, afeto. Devemos fazer com que o nosso momento, o nosso hoje, realmente valha à pena.

O amanhã pode nos guiar para um caminho totalmente diferente do que estamos hoje, e no final só ficaremos com as lembranças do tempo vivido. É por isso que devemos nos esforçar hoje para que tenhamos boas memórias, boas coisas para recordar. Nossas vidas são muito mais significativas quando podemos nos recordar daquilo que já vivemos, com alegria e gratidão.

Portanto, viva o seu hoje com atitude e responsabilidade. Faça da sua vida uma grande experiência que lhe mostre como ser melhor a cada dia e criar momentos únicos, que o acompanharão por toda a sua jornada. Aprenda a preencher cada espaço de sua história com sentimentos positivos e boas companhias, e não se esqueça que as atitudes permanecem, e devem ser tomadas com muito cuidado e dedicação.

Faça a sua parte para que, apesar de as coisas estarem mudando constantemente, sua vida seja sempre uma fonte de gratidão e sabedoria.

*Luiza Fletcher

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Deus quer que você faça a coisa certa para poder lhe ajudar

Muitas vezes, Deus o coloca em uma situação difícil, esperando que você faça a coisa certa. Por isso, lute, supere e vença com integridade para que Ele possa auxiliá-lo a conquistar seus sonhos.   
         
Existe um mundo lindo e perfeito esperando por todos nós. Existe uma vida repleta de felicidades no final do túnel. Tudo que se precisa fazer para alcançá-la é seguir o amor que cabe no coração. Deus preparou uma vida paradisíaca para ser desfrutada, apenas espera que a pessoa faça a coisa certa para colocá-la um passo mais próximo do que significa ser feliz.

Entretanto, cada vez que alguém comete um deslize de caráter, que mente ou engana, seu caminho é desviado e nasce um grande risco de se perder. Cada vez que a raiva e o rancor falam mais alto dentro do peito, surgem curvas sinuosas e estradas esburacadas no caminho. Quando sucumbimos à preguiça ou deixamos a tristeza falar mais alto, a estrada do destino fica sombria e nebulosa. Deixar que o egoísmo tome conta de decisões é colocar mais obstáculos e empecilhos antes de chegar naquele lugar maravilhoso que Deus reservou para você.

Muitas vezes, Deus o coloca em uma situação difícil, esperando que você faça a coisa certa. Por isso, lute, supere e vença com integridade para que Ele possa auxiliá-lo a conquistar seus sonhos.

Pode ser que uma pessoa cruze seu caminho precisando de ajuda, ou que seu amigo bata à sua porta para lhe pedir perdão. Lembre-se, será Deus esperando que você acorde o seu lindo coração para o qual Ele já escreveu um destino magnífico, aguardando o seu entendimento de que o sentido da vida é ser forte e resiliente diante das negatividades que existem na vida e no coração para que a felicidade possa brilhar na sua face sorridente que vislumbra um destino repleto de alegrias e muita abundância.

Mesmo quando ninguém estiver olhando, Deus estará ao seu lado, esperando que você faça a coisa certa. Por isso, tome a decisão que enaltece seu caráter, que enche seu coração de bondade e altruísmo. Ele acredita na sua capacidade de ser digno, na sua garra e no tanto de amor que carrega em seu peito. Ele sabe que você é um ser de luz. Que no fundo tudo que você quer é amar e ser amado.

Fazendo o que é certo, seguimos a verdade da existência. Então, entramos em sintonia com a natureza do universo, atraindo as mais sublimes dádivas para a nossa vida.

Alinhamos nossos movimentos com os dos astros e abrimos o portal de uma energia edificante, imbatível e um poder de realização incrível. Desta forma, não há depressão, pois os problemas diminuem, as dificuldades são amenizadas, as dores desaparecem e um passado dolorido pode ser transformado no mais lindo futuro abençoado pelo criador da vida e comandante do destino. Muitos dirão que é sorte, mas você saberá que está fazendo a coisa certa, vibrando em energias positivas e atraindo tudo de melhor para sua existência.


*Luciano Cazz

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Precisamos cuidar do nosso amor

Desde já, e para sempre

Antes que seja tarde

Enquanto ainda vale a pena

Enquanto ele ainda está aqui.

Precisamos voltar a nos olhar como sempre nos olhamos

Com ternura, com admiração, com sentimento

Como no tempo em que, mesmo que achássemos, não tínhamos grandes preocupações

O tempo em que não éramos responsáveis pelo nosso sustento, nossa estabilidade, por “dar certo na vida”

Em que não nos era exigida uma postura de “gente grande”…

Precisamos voltar a nos tratar como namorados em êxtase

Como naquela época em que éramos dois descobridores, explorando um ao outro

Desvendando anseios, modos de ser, trejeitos, manias, defeitos

Como quando buscávamos nos agradar o tempo inteiro

Com as mais singelas ou as mais elaboradas atitudes.

Precisamos voltar a sentir a necessidade de investir na relação

Como naquele tempo em que ainda não nos considerávamos conquistados,

Em que precisávamos mostrar o melhor de nós

Conter nossas imperfeições, nossos desgostos com a vida

E separar os problemas que possuíamos, para não “misturar as coisas”.

Precisamos parar de deixar para amanhã nos dedicarmos com mais afinco à nossa relação

Deixar de adiar a atenção que o relacionamento sempre merece

De fazer de conta que o amor supera tudo, e sempre se mantém intacto

E que alguns momentos de “lua de mel”, uma ou duas vezes por ano, tudo resolve

Pois sabemos, no fundo, que não é bem assim…

Precisamos, e antes que o sentimento atrofie, antes que fique em segundo plano

Antes que a rotina definitivamente camufle o que é realmente importante

E o cansaço termine de consumir a pouca energia que nos resta

Precisamos não deixar o nosso amor, de fato, adoecer…

E necessitamos de atitudes concretas, não apenas do reconhecimento do problema

Precisamos ser diligentes um com o outro, prestar atenção, agir

Como no tempo em que o aniversário das coisas mais simples (como o do primeiro beijo) era comemorado como um grande acontecimento

Como no tempo em que nos surpreendíamos com declarações sem motivo específico

E em que fazíamos questão de demonstrar o amor que sentíamos das mais diversas formas.

Precisamos voltar a apoiar as maluquices um do outro

A encorajar os sonhos e os desejos mais impossíveis ou improváveis

A incentivar nosso crescimento e nossa realização

A não levar a vida tão a sério

Precisamos, acima de tudo, resgatar a leveza, sempre tão essencial.

Precisamos

Para que não aconteça o que já vimos acontecer com tantos casais bacanas que possuíam um relacionamento promissor

Para vermos que os nossos sonhos adolescentes não estavam errados

Para congratular todos os momentos lindos que já vivemos

E todos ainda mais maravilhosos que, se assim quisermos, virão.


*Susiane Canal

terça-feira, 21 de maio de 2019

Cooperar é melhor do que competir

“O próximo grande salto evolutivo da humanidade será a descoberta de que cooperar é melhor do que competir.” (Pietro Ubaldi)


Não existe quem, em algum momento do dia, não se questione acerca da humanidade e de sua suposta evolução. Os noticiários trazem muitos fatos que comprovam o quanto algumas pessoas parecem desprovidas de senso, de discernimento, de amor no coração. Quanto mais avança a tecnologia, mais o homem retrocede por dentro, é o que concluímos em muitos momentos.

Talvez pelo alcance sem fronteiras que as notícias possuem através da rede virtual, talvez pela cultura da ostentação consumista, talvez por ausência de religião, pela impunidade, entre outros, fato é que somos cada vez mais surpreendidos pela desumanidade, pela falta de empatia, pela violência que permeia a sociedade. Violência explícita, violência velada, violência.

Soma-se a isso a competitividade exacerbada que baliza todos os setores da vida. Competimos no mercado de trabalho, na escola, na família, nas redes sociais, na vida em si. Nesse contexto, o outro dificilmente é visto como um amigo, porque pode vir a ser um oponente a qualquer instante. Fragilizam-se, assim, as interações sociais no que têm de mais humano, em tudo o que envolve lealdade, amizade, afeto e amor.

É preciso conscientizar-se de que cada um de nós terá a parte que lhe cabe sob o sol, pois todos possuímos algo de bom a oferecer ao mundo. É preciso olhar para fora de si, ajudando o outro, pois somos todos passageiros da mesma embarcação. Quando cooperamos, quando ajudamos, estamos ajudando a nós mesmos também, tornando-nos melhores e mais felizes. Ninguém consegue estar totalmente realizado enquanto pisa as pessoas para subir os degraus de sua jornada.

Você não precisa roubar o brilho de ninguém para emitir luz. Você não precisa diminuir ninguém para se tornar maior. Você não precisa destruir ninguém para construir o seu caminho. A gente vence no coletivo, enquanto dividimos o nosso melhor, compartilhamos conhecimento, ajudamos o próximo. Vencer de forma solitária e mesquinha dificilmente trará o contentamento que a vitória conjunta carrega. Competir saudavelmente, quando a situação o exigir, tudo bem. Deixar de cooperar, para brilhar sozinho, nada bem. O caminho é a convivência harmoniosa, porque quando várias pessoas sorriem, a sensação é maravilhosa. E os resultados práticos também.

Cooperar, mais do que competir. É isso.

*Prof. Marcel Camargo

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Tem gente que perde pessoas incríveis por atitudes ridículas

Triste é ver gente boa saindo de nossas vidas em razão de nossos vacilos. Triste é perceber que não valorizamos quando deveríamos. Triste é notar que já é tarde demais. Como dói o tarde demais…

O ser humano parece ter uma capacidade única de ferrar com tudo, como se tivesse medo de ser feliz e partisse para a sabotagem de si mesmo. Muitos ficam correndo atrás de quem nem dá bola para eles, enquanto quem fica junto de verdade é deixado de lado. Muitos só ficam olhando para o que não têm, para o lá longe, mal se dando conta do tanto de afeto e de amor que já possuem em suas vidas.

Todos nós já temos quem torce pela nossa felicidade, pelas nossas conquistas, quem é amigo verdadeiro, quem ficou ali pertinho quando mais precisávamos. Mas muitos de nós não conseguimos nos contentar com o que já é, com as certezas, e queremos o que não chega junto, o que nunca nem nos percebeu como gente. Querer algo novo é bom, no entanto, isso não significa desprezar o que se tem ao lado.

Invejamos a grama do vizinho, desejamos participar das festas do fulano, queremos a amizade do beltrano. Enquanto isso, o verde do nosso jardim, os momentos de nossas vidas e os amigos que conquistamos vão se tornando diminutos, menores, menos visíveis. Regamos ilusões que nunca alcançamos, ao passo que a aridez afetiva assola tudo o que deveríamos regar de fato. E por esse descuido com nossos tesouros nos é cobrado um preço alto: o esvaziamento de nosso quintal.

Ninguém aguenta, por muito tempo, ser preterido, desprezado, ser alguém nulo, invisível, enquanto o outro corre atrás de outras pessoas, enquanto o outro nem se lembra de chamar para sair, para se divertir, enquanto o outro se distancia mais e mais. Ninguém suporta ser alguém inexistente. E então a gente se cansa de uma vez por todas e dá um basta. Aí já era, pois não haverá mais possibilidade de volta. Resultado: o outro fica sem o que já tinha e sem o que nunca teve.

É lógico que as pessoas saem de nossas vidas, por inúmeras razões, porém, perder alguém incrível por atitudes ridículas nos fará carregar uma culpa doída pelo resto de nossos dias. A alguns, essa dor servirá de lição; a outros, nem isso. Certas pessoas nunca conseguirão valorizar aquilo que realmente tem valor. Pois bem, o problema é delas. Sempre será.


*Por Prof. Marcel Camargo

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Não deixe ninguém estragar o seu dia com problemas que não são seus

Não vivemos sozinhos, pois nossa vida encontra-se entrelaçada às vidas de quem está ao nosso lado, em casa, no trabalho, aonde quer que vamos. Com isso, acabamos nos envolvendo, em maior ou menor grau, com muitas coisas que, na verdade, não nos dizem respeito. Sendo assim, para que possamos seguir em frente sem carregar demais o peso de nossas passadas, é preciso que tenhamos a consciência de que nem tudo o que acontece tem a ver com o que a gente faz.


Embora seja difícil não nos envolvermos com o que acontece bem ali do nosso lado, principalmente quando se trata de algo relacionado a quem amamos, como, por exemplo, nossos familiares, deveremos conseguir guardar um espaço de calmaria dentro de nós, para que não estejamos sempre com o coração pesado. Caso contrário, não viveremos em paz em nenhum lugar, carregando uma carga negativa em todos os ambientes em que estivermos.


Existem pessoas que nunca estão tranquilas, como se precisassem de preocupação para poder viver. Não conseguem enxergar solução para nada e acabam destinadas a sofrer todos os dias, seja pela sujeira na calçada, por conta de um filho rebelde, da torneira que pinga, prendendo-se a qualquer dissabor, tornando-se presa somente do que não está dando certo. Jamais serão capazes de enxergar o tanto de coisas boas que possuem.



Além de se sentirem a pior das criaturas, tentarão, a todo custo, culpar o mundo por tudo o que lhes acontece, recusando-se a refletir sobre o papel delas próprias naquilo tudo. Muitas vezes, inclusive, elas culpam a nós por aquilo que elas mesmas provocaram, pois não aceitam que o outro não esteja tão infeliz quanto elas e querem nos levar para junto de sua própria escuridão. É assim que muitos parceiros, colegas de trabalho, amigos, acusam uns aos outros e é assim que os relacionamentos se deterioram e findam.


Portanto, é preciso que sempre estejamos fortalecidos e certos quanto ao que somos e fazemos, para que não sejamos influenciados com a negatividade dos outros. Sabermos o que é nosso e o que não nos diz respeito nos livrará da negatividade alheia, blindando-nos contra as tentativas de fora de nos puxar em direção à tristeza e à miséria que não são nossas. Já temos bagagens demais; desnecessário carregarmos as malas de quem só guarda quinquilharia emocional. Sejamos felizes, por causa de e apesar de certas pessoas. É isso.


*Marcel Camargo

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Quero o meu chapéu de volta

Há livros infantis que são divertidos, outros vão um passo além: são sublimes e seus ensinamentos abrangem até mesmo os adultos. São livros que valem a pena, como as histórias de Jon Klassen, escritor e ilustrador canadense. 

“Quero o meu chapéu de volta”, Uma maravilhosa história ilustrada sobre o nosso maior erro em enfrentar os problemas da vida. Editado no Brasil pela WMF Martins Fonte, ( foi escolhido pelo New York Times Book Review como um dos dez melhores livros ilustrados do ano em que foi publicado, sendo um sucesso imediato. É um livro encantador e sombrio ao mesmo tempo, com uma narrativa sutil cujos protagonistas, a princípio inexpressivos, de repente revelam tudo o que está dentro deles, para que possamos nos identificar completamente com a suas situações.

A história começa com um urso que perde o chapéu.

Como é lógico, o urso quer encontrar seu chapéu. Sem o chapéu, ele se sente perdido e desesperado, então ele começa a procurá-lo.

Ele pergunta a cada um dos animais que encontra na floresta se eles o viram.

A raposa e o sapo não viram. A tartaruga não viu o chapéu, mas aceita a ajuda do urso para escalar uma rocha. A cobra uma vez viu um chapéu azul e redondo, mas esse não é o chapéu que nosso amigo está procurando, ele é vermelho e pontudo. O tatu nem sabe o que é um chapéu.

Ninguém parece ter visto o seu chapéu.

Até a lebre, que a usa, diz a ele que não a viu. Ela nega categoricamente: “Não, por que você me pergunta? Eu não vi chapéu nenhum por aí. Eu nunca ousaria roubar um chapéu. Pare de me fazer perguntas “, é a sua resposta.

Então Klassen nos dá o primeiro ensinamento do livro: quando estamos imbuídos demais em nosso mundo emocional, é como se tivéssemos vendas que nos impedissem de ver claramente ao nosso redor. Deixando as emoções assumirem, limita-nos de pensar claramente e aproveitar as oportunidades / soluções que estão bem na frente dos nossos olhos. É uma autêntica cegueira emocional.

A história continua.

A certa altura, já deprimido, o urso cai no chão e olha para o céu.

Então ele dá rédea solta ao seu diálogo interior: “Pobre chapéu, sinto tanto a falta dele”. Nesse momento, ele começa a imaginar o quanto se sentirá mal se não encontrar o chapéu, se deixar superar pelo desespero e pelo pensamento catastrófico, que o acrescentam cada vez mais em um laço de negatividade, situação em que todos os adultos e até mesmo crianças mais velhas irão identificar.

Depois de um tempo, aparece o cervo e lhe pergunta como é o seu chapéu. Quando o urso começar a descrever o chapéu, o cervo se recorda de onde o viu, ou melhor, com quem o viu. Então o urso se levanta de um salto e volta a correr pelo bosque, até chegar à lebre.

Então, finalmente, ele recupera o chapéu.

Através desta história simples, Klassen nos encoraja a refletir sobre as armadilhas emocionais e mentais que muitas vezes tendemos a nós mesmos e que nos impedem de encontrar rapidamente a melhor solução.

As emoções não são nossas inimigas. Elas são o sal da vida. Mas se permitirmos que ocorra um sequestro emocional, elas entrarão no curso de nosso pensamento, fazendo com que ele se direcione para reclamações e lamentações, o que nos leva cada vez mais longe da solução.

Sem dúvida, essa maravilhosa história de imagens minimalistas e cores sóbrias nos permite refletir sobre a atitude que assumimos diante dos problemas e é um excelente recurso didático para potencializar a Inteligência Emocional nas crianças.

*A Soma de Todos Afetos

https://www.asomadetodosafetos.com/2019/01/quero-o-meu-chapeu-de-volta-uma-maravilhosa-historia-ilustrada-sobre-o-nosso-maior-erro-em-enfrentar-os-problemas-da-vida.html

Traduzido e adaptado de Rincón de la Psicología, via Pensar Contemporâneo

quarta-feira, 15 de maio de 2019

Não deixe escapar as pessoas que fazem o seu mundo mais bonito

As pessoas que fazem o seu mundo bonito são aquelas que permanecem. Em outras palavras, aqueles que consolam você, fazem você sorrir, ajudam você a manter-se forte diante da vida. Com eles, o seu mundo fica recheado de relacionamentos belos, sólidos, consistentes e leais.

As pessoas que fazem o seu mundo bonito são as sinceras, as que apertam a mão e quando olham nos olhos, atingem o coração. Sua única presença excita, porque eles respeitam, porque não julgam e porque sempre mostram seus rostos. É por isso que eles são as pessoas que fazem o nosso mundo mais bonito.

Tenha cuidado e não os perca, não os deixe sair, não os jogue fora de sua vida. Não cometa o erro de abandoná-los quando algo te atormenta ou quando eles precisam de você. Fique, perdoe e esqueça.

Adoro você

Existem pessoas que amamos. Não por nada em particular, mas porque nos oferecem confiança e placidez porque são as pessoas que fazem o seu mundo, o nosso mundo lindo. São relacionamentos que são cultivados em pequenos detalhes, sinceros e verdadeiros. São aquelas que podem ser alimentadas com olhares de cumplicidade e pequenos gestos, pois cada detalhe se torna um ótimo trabalho.

Esses sentimentos tendem a ser recíprocos e existem certas regras não escritas que prevalecem entre eles. No entanto, muitas vezes esquecemos que o “eu te amo” também deve ser pronunciado e que a gratidão é o melhor alimento para a alma.

Por isso, muitas vezes negligenciamos algo tão importante e vital quanto a demonstração de afeto e atenção às necessidades emocionais de nossos parceiros nessa dança da vida. É por isso que as pessoas que fazem o seu mundo bonito também merecem torná-las bonitas.

O que é negligenciado, é perdido

Dizem que o amor dura enquanto cuidamos dele e cuidamos dele tanto quanto quisermos. Assim, apesar de sermos humanos e às vezes cometemos erros que podem levar a mal-entendidos em relação ao nosso carinho, a verdade é que não podemos permitir que pessoas valiosas escapem.

Infelizmente, é comum ignorarmos pessoas importantes por pura ociosidade, falta de tempo ou um certo desinteresse tingido de egoísmo. Muitas vezes cometemos o erro de não dedicar o tempo necessário para “demonstrar” a essas pessoas o quanto elas são importantes.

Como cuidar dos relacionamentos

Assim, também é provável que em algum momento nós sentimos que alguém nos deixa de lado e ficamos loucos tentando entender o que estava acontecendo. Esse sofrimento é desnecessário e podemos evitá-lo de várias maneiras. Vamos ver alguns:

. Normalmente, o suficiente com algumas palavras para fazer as pessoas entenderem que ausência ou distância não significa esquecer e que, apesar do “abandono temporário”, a presença permanece.

. Mesmo assim, mostrar a alguém que nos importamos é algo que leva tempo e deve ser construído com especial cuidado para que o relacionamento seja saudável e esteja longe de dependências e excessos emocionais.

. Cada tijolo deve ser feito com a máxima sinceridade; Isto é sem egoísmo ou segundas intenções. Então, temos que ter em mente que não devemos criar necessidades, nem mesmo a empresa.

. Isto é conseguido através da comunicação e expressão sincera dos nossos pensamentos e sentimentos. Como é natural, devemos sempre fazê-lo declarando que somos nós que nos sentimos assim, não a pessoa à nossa frente que é responsável pelo desconforto ou mesmo pelo bem-estar.

. Relacionamentos precisam de tempo e experiências para nutrir, sustentar e crescer. Se pararmos de gastar tempo, mostraremos falta de interesse e, consequentemente, afastaremos essas pessoas essenciais.

Nós não podemos deixar de ir aquelas pessoas que fazem o nosso mundo bonito. Com eles podemos ser nós mesmos em toda a nossa essência e com total liberdade, que é algo tão magnífico quanto incomum. Portanto, cuide-se e enriqueça seus relacionamentos, e sempre faça isso da mais absoluta sinceridade.

Não deixe as pessoas que fazem o seu mundo fugir…


*A Soma de Todos Afetos

terça-feira, 14 de maio de 2019

Não confunda o que você merece com o que você aceita

Talvez o conformismo exagerado, junto com o medo, sejam os maiores ladrões de sonhos da humanidade. Existem muitas coisas que não poderemos mudar e com as quais será necessário nos conformar, porém, sempre haverá muito a ser conquistado, ousado, ultrapassado, questionado, virado do avesso, porque é assim que tudo se movimenta para o amanhã. Para tanto, como diz Matheus Jacob, não podemos confundir o que merecemos com o que aceitamos.

Não podemos, jamais, aceitar ofensas gratuitas de quem mal nos conhece, nem mesmo de quem é próximo. Existem pessoas que descontam suas frustrações e sua covardia pessoal em quem não tem nada a ver com suas tempestades, distribuindo mau humor por onde passar. Não podemos aceitar isso.

Não podemos, de maneira alguma, aceitar qualquer violência, tampouco a psicológica, a que se esconde por trás de olhares, comportamentos, falas e silêncios. Existem pessoas que conseguem violentar com atitudes, muitas vezes de uma forma muito mais dolorosa do que a agressão física. Não podemos ser vítimas disso.

Não podemos, nunca, aceitar que confundam nossa solicitude com servidão, que escravizem nossa ajuda, que tornem nosso desprendimento uma obrigação perene. Existem pessoas que desconhecem a gratidão, querendo sempre mais, tirando tudo o que puderem de quem quiser ajudar, inclusive se revoltando caso não sejam atendidos todos os seus desejos. Não podemos ser coniventes com isso.

Não. Não podemos aceitar que o olhar do outro seja mais forte do que nossas verdades mais íntimas. Existem pessoas que jamais irão nos entender, ou ao menos tentar, rotulando cada atitude nossa pejorativamente, diminuindo nossos sonhos, nossas esperanças, nossas conquistas. Não podemos ficar junto de quem não torce por nós.

Não podemos, nem por um segundo, aceitar amor aos pedaços, migalhas de sentimentos, a ponto de ter que implorar por existir, por ser alguém. Existem pessoas que não se entregam, não se doam, presas que estão dentro dos muros do próprio mundinho, de onde nunca sairão, pois ali seu egoísmo se alimenta de si mesmo, sem interferências externas, que não são aceitáveis naquele orgulho todo. Não nos demoremos perto delas.

Se nos conformarmos com tudo, aceitando até mesmo o que faz mal e não foi trazido até nós porque pedimos, caminharemos vagarosos, incompletos e pela metade dos nossos sonhos, de nosso potencial. Aceitar o que não pode ser mudado é sabedoria, mas lutar pelo que pode ser muito melhor é protagonismo, é sobrevivência, é amor próprio. É o que nos salvará da morte em vida. Vivamos!

*Por Prof. Marcel Camargo

segunda-feira, 13 de maio de 2019

Absolutamente tudo o que te machuca, serve para te fortalecer.

De uma forma ou de outra, a vida nos fornece sinais. Alguns positivos, outros negativos, mas todos eles com recados subentendidos. Se andarmos demais na linha, o trem nos pega. Se ficarmos desalinhados, certamente, teremos que lidar com as sequelas de uma consciência pesada. A intuição se faz presente até nos mínimos detalhes. Na simplicidade da vida e no acaso. São as nossas escolhas que nos levam à algum lugar. Por vezes, inclusive, são as erradas que nos levam aos destinos certos. Decisões são essenciais, faça-as.

Quando plantamos a semente do bem em uma horta vazia, colheremos amor no futuro. Para toda ação, uma reação. O positivismo faz com que o universo conspire a favor dos nossos desejos. O negativismo é múltiplo da descrença. Devemos sempre acreditar no poder das palavras, na demonstração através de gestos e atitudes. Quem muito fala, pouco faz. Ninguém muda por alguém, as pessoas se enxergam no espelho por vontade própria. O ser humano não é perfeito, devemos aprender a perdoar. Desculpas, sinceras, são aquelas que apagamos dos nossos corações. Todos merecem uma segunda chance, mas tratando-se de terceiras, recomece do zero. Não force a barra, cada um sabe dos seus limites pessoais. Apaixone-se, goste, ame, entregue-se, mas acima de qualquer emoção, saiba o momento certo de agir com a razão.

Pense antes de fazer, duas ou três vezes, quantas você julgar necessário. Não machuque ninguém gratuitamente. Pague o valor que você cobra, não tente sobressair no preço. Não tire vantagem da ignorância. Continue correndo atrás de diferentes conhecimentos. A inteligência é um forte poder de sedução. Não faça com os outros, o que não gostaria que fizessem com você. Não sinta vergonha de assumir suas mancadas ou deslizes, corrige-os enquanto há oportunidades para mudar isso. Deixe o seu melhor por onde passar, pode ser que seja a última visita para um dos lados. O fato é, que não sabemos absolutamente nada sobre o nosso amanhã, portanto, tenha em mente que não existe nada mais gratificante do que ser quem somos e, assim, recebermos o que merecemos de forma honesta.

Nem todas as relações serão recíprocas, saiba diferenciá-las. Não seja tanto, para alguém mediano. Não desgaste as suas expectativas com quem não sabe valorizar ou reconhecer. Perca a aposta, o seu tempo, dinheiro, a sua vontade, mas mantenha a esperança viva e as suas qualidades inabaláveis. Se não foi dessa vez, uma hora vai dar certo. Acredite no improvável, arrisque no escuro e acenda as luzes existentes no final do túnel. Descubra a bondade, caridade e compaixão com o próximo. Estenda as mãos aos necessitados, afinal, amanhã pode ser você que precise de um apoio.

Não ignore uma chateação, um machucado ou a ferida que ficou aberta de qualquer dor antiga. Decepcionar-se é normal, mas agir diferente é um desafio. Frustrações fazem com que amadurecemos mais rápido, saiba tirar um bom proveito de cada uma delas. Quebrar a cara nos torna mais seguros e corajosos. Perder nos oferece uma ânsia em querer ganhar. Errar nos incentiva a acertar. Para qualquer coisa na vida, existe um lado bom e ruim. O lado bom, devemos mantê-lo cada vez mais evidentes dentro de nós e com atitudes externas. O lado ruim, devemos sugá-lo ao máximo para transformá-lo em vivências e histórias. Pode ser que não sirva para nada, mas toda essa irrelevância, poderá ser completamente essencial ao seu caráter e personalidade.

Tudo só depende de você, de nós. Se cada um fizer a sua parte: na família, na amizade ou no amor, os sentimentos tendem a serem recíprocos. E, confie em mim, onde há reciprocidade habita-se a verdade. Sendo assim, o amor faz tudo dar certo. A responsabilidade está nessa mochila pesada e lotada que você carrega, diariamente, de um lado para o outro. Está na hora de jogar tudo em cima da cama, tirar o desnecessário e caminhar com o que realmente importa. Livre-se do que tanto faz, não guarde nada que possa vir acompanhado de rancor. Leveza é o segredo da paz interior. De nada adianta seguir com quantidade e não qualidade. Materiais não substituem sentimentos, portanto, opte sempre pelo que acelerar o seu coração. O frio na barriga, o arrepio na pele e a ansiedade, são fatores que colocam sentido em toda essa bagunça que nomeamos de paixão. Que saibamos organiza-la e, acima de qualquer contratempo, não troquemos o sorriso por lágrimas.

No final das contas, aceitamos o que achamos que merecemos ter. Não culpe ninguém por ser distraído. E, por favor, não se esqueça do amor próprio: cuidado para não estar se achando esperto demais e, na realidade, estar se passando por idiota. Ninguém vai se preocupar tanto com você, a ponto de não olhar-se para si.

Faça a sua parte, o resto chega até você por questão de merecimento. Aceite conselhos, ainda que prefira errar sozinho. Só não deixe a maré te levar para longe dos seus sonhos. Perceba que sempre existirá alguém para te salvar…

Tudo está sob o seu controle, seja responsável e tenha juízo.

Coragem é coisa de gente grande.

*Jéssica Pellegrini

sexta-feira, 10 de maio de 2019

No fundo o que as mães querem é uma coisa só: Que seus filhos sejam felizes

Uma vez li uma antiga bênção mexicana que dizia assim: “Eu liberto meus pais do sentimento de que já falharam comigo”; e pensei nas inúmeras vezes que julguei as pequenas “faltas” de minha mãe, mesmo quando o erro não era dela. Por ter necessidade de achar um bode expiatório para minhas dificuldades, traumas e aflições, o caminho mais simples e seguro sempre foi acusar a pessoa que mais fácil me perdoaria: minha mãe.

Hoje quero libertar minha mãe do sentimento de que já falhou comigo. Quero que ela saiba que mesmo que eu discorde de algumas atitudes tomadas no passado, sei que ela fez o que julgou que seria melhor para mim no momento. Que ela se sinta leve, sem arrependimentos ou culpas, e que perceba o quanto serviu de pilar e exemplo para nossa casa. Quero que minha mãe entenda que, se ouviu inúmeras vezes que a culpa era dela, mesmo quando fazia de tudo para o barco não afundar, foi porque a imaginávamos forte e doce demais para falhar. Desejo que saiba o quanto sou grata e o quanto compreendo os caminhos, algumas vezes tortos, que trilhou para que fôssemos felizes.

Há uma frase do Padre Fábio de Mello que diz mais ou menos assim: “Diga-me quem você mais perdoou na vida, e eu então saberei dizer quem você mais amou”. Não concordo inteiramente com essa frase quando se trata de relacionamentos amorosos, pois há muita confusão por aí. Porém, em se tratando de coração de mãe, essa frase ganha sentido e autenticidade. Pois, de uma forma geral, aprendemos desde cedo que é ali, naquele colo de cheiro conhecido, que encontramos abrigo, afeição e, de uma maneira que não podemos imaginar, perdão.

Mãe falha tentando fazer o melhor. Falha pela ausência, tentando passar um exemplo de independência. Falha pela presença, tentando ser apoio e companhia. Falha privando e frustrando; falha mimando e cuidando. Falha virando uma leoa em defesa de seus filhotes; falha tentando ser sensata e imparcial. Falha fazendo drama; falha acobertando os erros. Mãe falha sofrendo no lugar da gente; falha ignorando os sinais. Falha suportando tudo; falha rodando a baiana e colocando os pingos nos is. Porém, o que mãe não faz, é desistir. Mesmo falhando, ela está ali, tentando. Mesmo errando, estará sempre nos abençoando.

Mãe jamais cruza os braços. Mesmo que finja ignorar, no fundo de sua alma ela ora a Deus por nossos caminhos. Mesmo saindo de perto, ela não nos abandona. Mesmo não concordando conosco, ela continuará leal a quem somos de fato. Pois só ela nos conhece de verdade, sem as máscaras que adquirimos com o tempo. Só ela conhece nossos medos mais primitivos, e pode explicar a origem daquela angústia ou dificuldade.

Crescemos, adquirimos novos hábitos e costumes, e percebemos que nem tudo foi perfeito na casa onde nascemos. Ficamos críticos, passamos a discordar da educação que tivemos e tentamos agir de outro modo com nossos filhos. Porém, também passamos a repetir aquilo que foi bom. Sem querer, nos flagramos repetindo falas e trejeitos de nossos pais, repetindo brincadeiras, receitas e passeios, tentando eternizar tradições.

Hoje peço a Deus que me ajude a perpetuar o grande amor de minha mãe por seus filhos. Que, ao entrar em casa, eu esqueça o peso do meu dia e possa ser leve e presente na companhia de meu filho. Que eu possa inspirá-lo a ser bom, forte e paciente, mas acima de tudo, que ele entenda meu desejo de que seja mais amoroso consigo mesmo. Que eu nunca deixe de dobrar meus joelhos e pedir proteção a ele, entendendo que só Deus pode ir aos lugares que eu não alcanço. Que eu consiga acertar mais que errar, mas que ele perdoe minhas falhas e faltas, entendendo que fui aprendiz também, e sempre desejei o seu bem. Que minha própria mãe se faça presente em alguns de meus pensamentos e gestos, me ajudando a repetir e aperfeiçoar o amor. E que, ao entregar meu filho para o mundo, eu possa confiar no tempo que passamos juntos e acreditar, com satisfação, que ele estará seguro e em paz. Mas um dia, ao ver meu filho voltar, espero enxergar em seus olhos o brilho de quem encontrou seu caminho, ou pelo menos está tentando. Pois no fundo o que as mães querem é uma coisa só: que seus filhos sejam felizes…


*Por Fabíola Simões

quinta-feira, 9 de maio de 2019

Lembre-se: você já sobreviveu a 100% dos seus piores dias

A gente passa por cada perrengue nessa vida. Quem nunca teve vontade de sumir, de desaparecer? Quem nunca quis que o tempo voltasse para consertar algum vacilo, alguma palavra mal lançada, alguma atitude de que se arrepende até hoje? Como diz Chico Buarque: “tem dias que a gente se sente como quem partiu ou morreu”.

Tem dias em que o leite azeda, a carne queima, o ônibus atrasa, a enxurrada te encharca. Tem dias em que entendem tudo errado, não ouvem o que a gente fala, o que a gente pede, o que a gente quer. Tem dias em que descontam na gente uma raiva que não é nossa, jogam na gente um lixo que não é nosso, passam por cima do nosso trabalho, do nosso sentimento, do nosso viver.

Tem dias em que a saudade chega e vai ficando doendo lá dentro, em que a melancolia se aninha no nosso coração e de lá não sai de jeito nenhum. Tem dias em que a gente discute com quem não devia, fala pesado com quem não merecia, passa por cima, sem enxergar, quem está ali torcendo verdadeiramente por nós. Tem dias em que tudo dá errado, em que nada vem para animar, em que o sorriso não sai nem por um segundo.

Tem dias em que a gente adoece, gente que amamos adoece e gente essencial vai embora. Tem dias em que as lágrimas parecem não dar conta do buraco de dentro do peito, do descompasso de nosso coração. Tem dias em que sonhos morrem, metas somem, planos caem por terra. Tem dias em que a esperança desaparece, em que a fé se esconde, em que a luz fica lá longe, bem longe, e a gente nem consegue enxergá-la.

Tem dias em que a gente escolhe errado, opta pelo que machuca, fere, diminui. Tem dias em que a gente se olha no espelho e não vê nada de bom, a gente se sente mal amado, mal vestido, mal vivido. Tem dias em que nada anima, nada parece ter cor, nada faz sentido. Tem dias em que a gente chora até com propaganda de margarina. Dias de luta, de fuga, de solidão, mesmo que acompanhados.

A vida é assim, de todo mundo. Ninguém sai falando dos próprios fantasmas por aí, mas todos os temos. Todo mundo enfrenta lutas, todo mundo está caminhando faltando algum pedaço. Por isso é que não adianta ficar se comparando com o vizinho e se sentindo a pessoa mais infeliz desse mundo. Porque isso não é verdade. Você tem luz dentro de si, você tem forças para enfrentar, sim, afinal, você está vivo e seguindo a sua vida. Tem muito pela frente ainda, tem cor e felicidade te esperando.

Se você chegou até aqui, você já sobreviveu ao pior até agora. Somos sobreviventes diários, de uma jornada única e especial. Ore, converse com um amigo, com um familiar, procure um profissional, mas mantenha centelhas de esperança dentro de ti. O melhor está por vir, alguém ainda vai te valorizar, essa tempestade toda vai passar e você vai ser feliz. Comece se amando que o resto vem. Assim seja!


*Por Prof. Marcel Camargo

quarta-feira, 8 de maio de 2019

Por maior que seja a saudade, não volte para quem despedaçou o seu coração.

Geralmente, quem está enxergando um rompimento do lado de fora acha muito fácil a pessoa seguir adiante, de cabeça erguida, sem olhar para trás. Como se fosse simples a gente lidar com sentimentos que nos preencheram por tanto tempo os sonhos de vida. Seguir em frente, no terreno amoroso, após uma chuva de frustrações, é uma das decisões mais difíceis que existem, porque a decepção então ocorre em relação a alguém de quem menos esperávamos algo desse tipo.

Saímos derrotados, esgotados emocionalmente, com os sentimentos em desordem e em frangalhos, tentando encontrar algum sentido naquilo tudo, naquilo que não faz sentido algum. Ninguém, em sã consciência, fica esperando pelo pior, em nenhum setor de sua vida, ainda mais no âmbito amoroso. Porque a gente se doa, a gente se entrega, a gente quer que o amor dê certo e conta diariamente com isso. E, então, a vida joga na nossa cara uma decepção absurda, uma traição covarde, um vazio que vem de onde repousávamos nossas mais tenras esperanças.

Mesmo feridos, mesmo decepcionados, a saudade do parceiro será inevitável. A gente não tem onde se agarrar quando a tempestade cai sobre nossas cabeças e as lembranças daquele amor compartilhado, ainda que frágil e ilusório, parece ser o único leme ali na frente. A gente se acostuma com a pessoa, com a rotina, com o estar junto, e tem a impressão de que não haverá mais aquilo, de que a felicidade não voltará, como se não houvesse outra forma de amor sem ser ao lado daquela pessoa – sim, aquela mesma que despedaçou o nosso coração.

É normal ter saudades. É normal ficar sem esperança momentaneamente. É normal chorar, varando madrugadas sob lágrimas. No entanto, ficar alimentando falsas esperanças em relação a quem nos machucou fundo e jogou o nosso melhor no lixo não é normal. A saudade e a vontade de reatar nunca poderão ser mais fortes do que a convicção de que o outro não vai mudar os comportamentos que ele repetiu durante todo o tempo em que vocês ainda estavam juntos.

Nenhum rompimento é fácil, seja ele de qual natureza for, porque a gente torna hábito muita coisa que é ruim, sem perceber. Então, quando a bomba explode, recompor-se será uma travessia lenta e dolorosa. Mesmo assim, por mais que estejamos sem forças, sem quaisquer perspectivas à nossa frente, precisaremos manter o pouco que nos sobra na direção do adiante, do em frente. Revisitar em pensamento o que se foi será inevitável, porém, querer a dor de volta será uma das piores atitudes de nossas vidas.


*Por Prof. Marcel Camargo

terça-feira, 7 de maio de 2019

O mundo todo está cheio de gente matando Jesus Cristo!

Em palavras, ações, pensamentos, oras julgando, oras desejando o mal ao teu próximo.
Muitas igrejas vendendo os ensinamentos de Cristo, usando da necessidade dos fiéis para se enriquecer e suprir sua ganância material e carnal, muitos irmãos de fé virando a costa para a dor do irmão, num momento que mais séria necessário a doação do amor fraterno (amor de Cristo).
Muitos 'cristãos' pregando e praticando a ira, raiva, ódio, intolerância, injustiças, preconceito, injúrias, agressões físicas e verbais, ameaças reais contra outros filhos de Deus.
Sim, somos todos filhos de Deus, somos imagem e semelhança do Criador Supremo e sendo assim, devemos obediência às leis Dele e respeito aos nossos irmãos em Cristo Jesus, independente da crença (evangélicos, cristãos, católicos, umbandistas, candomblé, Pajé, xamã, budista..., todos somos uno com o Criador, seja qual for o nome que recebe, Ele é um só), não faça diferença da cor da pele, do país, estado, cidade de origem, do gênero, do partido político ou time de coração, devemos respeitar e amar uns aos outros, como Ele nos amou. Jesus defendeu e cuidou de prostitutas, aleijados, leprosos, ladrões... quem é você para julgar, desejar e praticar o mal contra alguém? Não nos foi dado esse poder, só cabe ao Criador julgar.
Deus não especificou amar um ou outro, deixou claro, amar à todos.
Inclusive quem não tem crença alguma, muitos dos que não acreditam em nada tem mais amor fraterno que àquele que carrega a bíblia pra todo canto, usando-a como arma de ataque e condenação. 
Não somos donos da verdade, nem a verdade é absoluta. Aqueles que dizem ter certeza de algo é mais ignorante que aquele que assume não saber ou conhecer nada, porque realmente não sabemos, nem conhecemos o suficiente para termos certeza absoluta de qualquer coisa que nos cerca, a não ser a de que tudo terá um fim.
Quer receber amor, seja amor.
Eis o ensinamento!

#JaneFernandaN

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Dor da Alma

Perguntaram-me qual a dor que mais causa sofrimento ao ser humano.
Seria bater com a cara na porta ?
Seria dar um chute numa pedra descalço ?
Seria a dor de um dente infeccionado ?
Seria uma cólica de rim ?
Quantas dores e sofrimentos passamos ao longo de nossa jornada ...
Lágrimas que dos olhos caem.
Lágrimas que do coração padecem.
Lágrimas que rolam pela face.
Lágrimas que da alma descem.
Deus meu, por que na tua infinita misericórdia não me privaste de tal sofrimento !?...
Todas essas são dores doloridas ...
Vivemos em uma dimensão que não podemos avaliar qual das dores que nos causa maior sofrimento.
Cada ser humano tem a sua própria dor.
E, toda dor é dolorida, cada um de nós procura justificativas para afirmar que a nossa é a mais sofrida de todas elas.
Será que não somos egoístas ?
Todas essas dores doem ...
Você consegue no seu interior imaginar o sofrimento de Maria ao ver seu Filho sendo pregado da Cruz ?
Essa dor é menor do que a sua ?
Quando falo de egoísmo nosso, baseio-me no sofrimento da Mãe de Jesus sendo pregado na Cruz.
Eu perdi meus pais, e me dói demais na alma, nem o tempo consegue apagar, apenas alivia com o passar dos dias, mas quando paro para analisar que alguém melhor, e mais importante do que eu morreu por mim, minha dor é simplesmente ínfima diante de tamanha dor.
Todos os males que nosso corpo recebe, todas as dores e sofrimentos que passamos são doloridos, é verdade.
Mas o que machuca a nossa alma é o sofrimento de quando perdemos um ente querido.
Todas as palavras de conforto não confortam, não aliviam...
A verdadeira dor da alma só sente quem perdeu a quem ama.
Será que teremos que carregar essa dor durante toda a nossa existência ?
Necessariamente que não !
Olhe as sementes que foram plantadas. Quando uma semente morre é a certeza de que uma árvore nova foi gerada, e dará os frutos que alimentam a vida.
Nos restará colhermos esses frutos e, guardarmos no fundo da alma a nossa saudade e as nossas lembranças dos momentos maravilhosos que vivemos juntos.
A dor da alma se cura com a fé Naquele que por você deu a vida.

“ O coração do homem planeja o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos.” (Provérbios 16:9)

*Soélis Sanches

sexta-feira, 3 de maio de 2019

Plantador de Vidas

De família humilde, trabalhadora e lutadora, a vida não me proporcionou condições favoráveis para que pudesse estudar.
Logo, desde criança, tive que ir à luta com meus pais para garantirmos o sustento dos irmãos mais novos. Mãos que plantam sementes e colhem vidas!

Decorridos muitos anos, minhas mãos calejadas, sofridas e nessa terra esquecida por Deus, ao sabor do suor que escorre da face, busco com o olhar no infinito procurando abrigo, uma brisa para esconder-me do sol escaldante que teima em queimar-me a pele.

Procuro entender os motivos porque Deus não me presenteou com um melhor destino, sempre fui um homem forte e de coração cristalino.
Prostrado de joelhos à beira da cama, no silêncio da noite, com Ele eu falei:

“Pai, meu grandioso Deus, porque não me deste uma vida mais farta, mais abundante e de melhor sorte?”

Para minha surpresa, praticamente em sussurros eu ouvi uma voz calma, doce e carregada de muito amor que me respondeu:
“Eu te amo, meu filho, você é muito precioso para mim.
Antes que a semente da vida fosse por mim plantada no ventre materno eu já havia planejado seu destino.

Eu dei para a humanidade o meu amado Filho, JESUS, que foi pregado na Cruz para que você jamais sofresse. 
Siga confiante e jamais negue a fazer o bem. Meu filho voltará a você como disse que voltaria, Eu nunca poderia esquecê-lo.

Meu adorado filho, jamais te abandonei em quaisquer instantes da vida. As pessoas mais felizes não são as que mais têm, na verdade são as que menos necessitam.  Quando lhe dei o direito à vida foi para que as pessoas nunca esqueçam do que passaram com alegria, agradeçam com o que estão vivendo e enfrentem as adversidades futuras sem temor algum.

Não olhe para suas mãos calejadas, meu Filho em suas mãos tiveram “cravos” para que você tivesse vida, e vida em abundância."

Assim que terminei de ouvi-lo, levantei-me de onde me encontrava, todo feliz e sorridente, finalmente havia entendido porque Deus agia dessa forma em minha vida. 
Compreendi que a felicidade que buscamos muito das vezes é apenas materialidade, apenas aparência, apenas vaidade.
Mas a verdadeira felicidade nós só a encontramos quando realmente nos encontramos com nossa própria alma, afinal, felicidade é a morada de Deus em nosso coração, felicidade é enxergar Deus nas coisas simples da vida e, finalmente, acreditar Nele que é a razão de tudo.


*Soélis Sanches

Não tenha medo de abrir mão do que você quer para viver o que Deus quer para você

Deus só pode agir naquilo em que O deixamos trabalhar. Às vezes, saímos feridos de um relacionamento, tão machucados, que achamos que o “o a...