quinta-feira, 31 de março de 2011

Saiba como lidar com os desafios

Na sua vida tudo vai depender da maneira como você vai enfrentar os seus desafios. Quem entrar com medo vai se transformar em mangue, quem tiver coragem e determinação vai virar mar.

Hoje, principalmente com as dificuldades impostas pela vida, em que o excesso de competição está presente em tudo, seja no mercado de trabalho, seja nas relações amorosas, seja no dia a dia com os amigos, viver é enfrentar uma sequência de desafios. Eles surgem a toda hora, no caminho do nosso crescimento. Quando queremos alcançar alguma coisa importante na vida, sempre temos de batalhar para realizar uma conquista.

Você já imaginou o jogador de futebol Robinho na sala de fisioterapia, após mais um problema físico, fazendo o mesmo exercício por horas a fio? Tenho certeza de que em alguns momentos surgiram na mente dele perguntas complicadas, como: Para que tanto esforço? Será que vale a pena tanto sofrimento? Será que todo esse sacrifício vai dar resultado? Será que eu não deveria parar de jogar agora que ainda sou jovem, tenho dinheiro e posso aproveitar a minha vida, já que conquistei tudo o que poderia sonhar?

Hoje, o seu impasse pode ser tornar-se a pessoa que você deseja ser e realizar seus projetos de vida. Mas, com toda a certeza, outros tantos desafios vão aparecer em seu caminho. Quer alguns exemplos? Que tal:

Será que devo me casar?

Será que devo ter filhos?

Será que devo montar a minha empresa?

No início, esses impasses serão apenas questionamentos que você poderá responder com um sim ou com um não. Você pode perceber que não tem vocação para ser um empresário, mas sim um pesquisador e decidir trabalhar em uma universidade. Você pode decidir que não quer se casar, ou que não quer ter filhos.

Mas quando o impasse que você está vivendo é “Será que eu consigo ser a pessoa que quero ser?”, só existe uma resposta aceitável:

— SIM! VAMOS EM FRENTE.

Esse mangue tem de ser enfrentado como você já enfrentou outros tantos desafios em sua vida. O primeiro provavelmente aconteceu na sala de parto. Embora não se lembre, posso imaginar o berreiro que você abriu ao respirar sozinho pela primeira vez.

Depois vieram outros atoleiros:

O primeiro dia de aula (Quem são esses desconhecidos, neste lugar estranho?). A primeira noite fora de casa (Será que não é melhor ficar quieto em casa, onde já conheço tudo?). Para alguns, a dor de ver os pais se separando. O primeiro namoro, a primeira transa, o primeiro emprego.

E tantos outros desafios que você precisou enfrentar — alguns com mais prazer e menos sofrimento que outros, mas, sem dúvida alguma, todos despertaram em você o medo da mudança, a insegurança de quem vai dar um passo rumo ao desconhecido e o alívio e a alegria por ter avançado. As coisas que já não lhe servem começam a fazer parte do seu passado, tornando-se apenas lembranças de um momento de mudanças.


por Roberto Shinyashiki

quarta-feira, 30 de março de 2011

HOJE

Quero pensar que hoje é o último dia das nossas vidas para aproveitá-lo intensamente; Quero deixar que o vento leve os nossos pensamentos ao longe e que nada nos perturbe; Quero que, ao som da nossa canção preferida, entre carícias provocantes sejamos eternamente felizes; Quero fazer uma declaração de amor como nunca fiz, talvez a última, ou então falar do sentimento que nasceu quando nos conhecemos; Quero que o hoje não se perca no amanhã... ah o amanhã! Vamos pensar que será o último dia das nossas vidas e vivê-lo diferente.

O amor que sinto por ti é tudo o que carrego dentro de mim; És a razão que me faz lutar e me faz querer ser sempre melhor e chegar mais além.

Amo-te! És a minha fonte de inspiração que nunca seca. És todas as palavras que morrem ao cair no papel. És o vazio da minha alma; És a luz do meu dia e a chuva que molha a minha vida.

Amo-te! É por ti que acordo todos os dias e é por ti que adormeço todas as noites, na esperança de realizar nos sonhos, aquilo que me foge por entre os dedos nesta realidade assustadoramente má.

Amo-te! Passeias sem descanso na tela do meu pensamento e habitas todo o espaço existente no meu coração. É por ti que o meu coração toca esta música triste e é por ti que os meus olhos choram baixinho, quando à noite a solidão me bate à porta e eu a deixo entrar.

Amo-te! E é por isso que vivo. É por isso que aceito sofrer desta maneira e que caminho sem descanso à procura de uma esperança que me iluda, ao ponto de pensar que um dia vamos ficar juntos. É por te amar que luto todos os dias contra esta tristeza, que se abateu sobre mim, e não me rendo. É por te amar que sou capaz de ir até ao fim do mundo.

Queria apenas por um momento, poder estar ao teu lado para dizer que te amo. Queria apenas por um instante, poder tocar na tua face e acariciar-te. Queria apenas uma oportunidade, para ter um momento do teu amor, um minuto do teu silêncio e todos os segundos dos teus pensamentos...

terça-feira, 29 de março de 2011

Mensagem do dia 25/03

AGORA, UMA VEZ POR SEMANA ESTAREI PUBLICANDO UMA EDIÇÃO
DA MENSAGEM DO DIA. OUÇA! 
ESPERO QUE GOSTE DA NOVIDADE.
CLICK NO LINK ABAIXO.

http://www.4shared.com/audio/LFXNOT5r/Mens_25-03.html

Está com um problema? Isolar-se para concentrar-se na questão não é solução.

Seja qual for o seu problema, é sempre bom encontrar alguém que o ajude a descobrir outra perspectiva da situação. Muitas pessoas, quando têm de enfrentar grandes problemas, tendem a se isolar.

Acham que concentrar-se unicamente na questão é a melhor maneira de solucioná-la e dispensam outros pontos de vista e ideias que poderiam ajudá-las a superar as dificuldades.

Outros procuram a ajuda de pessoas queridas, mas que não entendem do assunto em profundidade. Ter amigos por perto é sempre bom, e você deve procurá-los! Mas, quase sempre, a assistência de um profissional especializado é fundamental para encontrar rapidamente a solução. Portanto, escolha pessoas confiáveis e competentes para lhe dar suporte num momento de crise!

Seu cunhado pode gostar muito de você, mas ser um ignorante em direito. Em determinadas crises, somente um bom advogado tem condições de ajudá-lo; em outras, como as dificuldades de ordem organizacional, ouvir um consultor de empresas é fundamental.

Às vezes você está exausto e frágil demais para conversar com os credores. Deixe que seu advogado cuide disso para você. Ele conhece seus direitos, não está emocionalmente envolvido e com certeza conseguirá um acordo melhor.

Boas decisões se baseiam em bom senso e em boas informações. Já que manter o bom senso em época de crise é complicado, pelo menos melhore a qualidade de suas informações.

E entenda: ficar revivendo o passado é o primeiro passo para a depressão! O caminho é construir um novo projeto de vida, no qual o mundo não se limite às paredes da casa. Talvez o tamanho do mundo possa assustar inicialmente, mas mais adiante a pessoa sentirá muito orgulho de ter tido coragem de abrir as portas para que coisas novas acontecessem em sua vida. E, principalmente, poderá conversar com as pessoas que ama utilizando esse novo conhecimento, sem se sentir inadequado.

Se você se identifica com o exemplo daquele amigo com medo exagerado de que algo ruim aconteça, é importante que analise os motivos desse medo. Como ele nasceu? Será que veio da culpa injustificada de ter ficado rico, enquanto seus amigos de infância ou irmãos não o conseguiram? Veio da sensação de que você não é digno do que conquistou? Será que esse medo não está ligado a crenças negativas sobre dinheiro, como as de que “pessoas ricas são infelizes” ou “dinheiro traz problemas”?

A explicação dos medos pode ter muitas origens. O importante é que a pessoa saiba perceber quando essa sensação está fora de controle e se volte para si mesma, à procura das respostas para esse descompasso entre real e imaginário.

Lembre-se de que se você deixar de fazer algo pressionado pelo medo a tendência será de que ele o domine e o deixe prostrado diante dos acontecimentos da vida. Não há nada de errado em sentir medo! Essa é uma reação que qualquer animal tem, uma espécie de instinto de proteção, mas em proporções anormais o medo enfraquece o ser humano.

Se você sentir medo de algo, compartilhe-o com as pessoas envolvidas naquela situação. Essa atitude é muito melhor do que dar uma desculpa esfarrapada. As mentiras farão com que essas pessoas percam a admiração que sentem por você ao perceber que não é capaz de assumir suas fraquezas.

Não se esqueça de que esse medo é imaginário e só continuará existindo enquanto você o alimentar! Embora existam outros componentes, em síntese, é isso. O medo é como uma sombra, um inimigo cruel e persistente que nos acompanha mesmo na claridade.

por Roberto Shinyashiki

segunda-feira, 28 de março de 2011

A benevolência


A sociedade atual, com todas suas novidades diárias, seu progresso tecnológico, suas conquistas e ganhos, não poucas vezes, nos assusta.

As mudanças sociais são tantas e tão rápidas acontecem, que nos deixam, por vezes, sem rumo e sem parâmetros de comportamento.

O que ontem era padrão, hoje entra em desuso. O que a pouco era frequente, já não se faz mais da mesma maneira. E já não sabemos como tratar o vizinho, como educar o filho, como conviver em família.

A falta de referência e de padrão social de tal forma nos aturde que se torna habitual aqueles que se isolam, que evitam o contato com o próximo, que se fazem indiferentes à vida em sociedade.

Não agem assim necessariamente porque são maus, apenas porque não sabem como fazer. E assim, preferem isolar-se. Não raro, pela opção do isolamento, tornam-se frios, arredios, quando não deprimidos, desenvolvendo as mais variadas síndromes e complexos.

Mas, qual a melhor atitude a ter perante o próximo, nos perguntamos. Como agir, em uma época em que tudo muda e todos mudam?

A melhor referência de comportamento social está dita, de forma lúcida e sintética, no Evangelho de Jesus: Não faças aos outros o que não queres que te façam.

Ao aconselharmo-nos dessa forma, Jesus propõe que nossas ações sejam sempre as melhores, sejam aquelas que desejamos para nós mesmos.

Em outras palavras, Jesus nos aconselha a agirmos com bondade, com afabilidade e benquerença para com nosso próximo.

Portanto, a melhor opção, quando estivermos em dúvida de como agir, será optarmos pela benevolência, pelo bem.

Assim, quando alguém nos pedir ajuda, o auxílio para o que quer que seja, se estiver ao nosso alcance e nos seja possível, que o façamos com a melhor boa vontade. Aí está a benevolência.

Quando nos voluntariarmos para auxiliar alguém, que ofereçamos o que temos de melhor, do nosso tempo, da nossa capacidade, das nossas condições. Aí mora a benevolência.

E, mesmo quando nada nos for pedido, podemos ter a benevolência como companheira em nossos dias.

À cara fechada e mal humorada do balconista podemos responder com um sorriso simpático e um sonoro e sincero Bom dia.

Aos achaques e destemperos daqueles a quem amamos, ofereçamos a boa palavra, o diálogo tranquilo, a atitude do equilíbrio e da harmonia.

Tenhamos para com a vida a atitude perene da boa vontade, da bondade de ânimo ao agir com aqueles com quem convivemos no nosso dia-a-dia. E mesmo para o desconhecido.

Será a benevolência que fará nascer em nossa intimidade a solidariedade e a afabilidade para com todos.

Assim, optemos sempre pela benevolência, oferecendo nossa melhor parte para que a sociedade seja mais branda e fraterna. Isso que todos desejamos para nós mesmos.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Bicho-papão existe?

Lógico que não, mas tem muita gente que morria de medo dele quando era criança. Infelizmente, muitas pessoas não avançam na vida por causa da ansiedade e dos medos imaginários. Resumindo: deixam de viver com medo do bicho-papão que pega gente grande.

O medo imaginário envolve a pessoa e a convida a parar. A ansiedade faz que ela perca o foco e comece a andar descontroladamente em círculos, sem chegar a lugar nenhum.

Imagine o que aconteceria se você mergulhasse em um rio com o objetivo de alcançar a outra margem e, na metade do percurso, desse de cara com os olhos esbugalhados de um jacaré vindo na direção oposta. O que faria?

Suas braçadas, antes provavelmente fortes e confiantes, seriam interrompidas de repente, assim como sua respiração. No meio do rio, seus olhos encontrariam os do jacaré e ficariam assim, por segundos intermináveis, à espera de um instante de distração do inimigo.

Nada o convenceria a seguir em frente enquanto aquele monstro de dentes pontiagudos permanecesse ali. Assim é o medo. Ele nos convida a parar e até mesmo voltar atrás. Mas de onde vem esse medo?

São as vozes na sua cabeça, dizendo para você que as coisas não vão dar certo.

Muitos familiares e professores vivem repetindo para a criança que as coisas são difíceis e, indiretamente, que ela não vai conseguir realizar seus desejos. Quando essa criança cresce e se torna um adulto, essas mensagens vão para seu inconsciente e continuam a pressioná-la. A pessoa não tem consciência dessas vozes, mas elas ficam criando fantasmas no caminho de seus projetos.

Esse jacaré que você pode estar vendo nada mais é que um pedaço de tronco ligeiramente apodrecido pelo contato prolongado com a água. O medo imaginário é apenas um tronco parecido com um jacaré. Por isso mesmo, você não deve dar-lhe o poder de fazê-lo desistir de seus sonhos.

Quando os jacarés aparecerem em seu caminho, resista à tentação de desistir da sua travessia. Olhe bem para eles e verá que são troncos velhos e inofensivos, incapazes de fazer estrago em sua vida.

Então, você me pergunta: “E a ansiedade?”.

A ansiedade é uma agitação provocada pelo medo, que faz a pessoa agir impulsivamente, sem organização e disciplina. Uma pessoa ansiosa costuma lidar com as coisas de maneira precipitada, movimentando-se freneticamente quando deveria manter a calma.

Os filmes de faroeste de antigamente com frequência tinham um episódio no qual um dos personagens, mocinho ou bandido, entrava em um trecho de areia movediça. O bandido se debatia desesperadamente e acabava morrendo. O mocinho, quando era jogado na areia movediça, parava uns minutos para pensar, encontrava uma solução objetiva e escapava.

Ao cair na areia movediça, o pior erro da vítima é o desespero. Quanto mais ela se debater, mais seu corpo afundará. O segredo é controlar a ansiedade e se movimentar o mínimo possível, até que encontre a saída.

Se um trecho de areia movediça aparecer durante sua travessia do mangue, lembre-se de manter a calma e contar até dez. Tenha claro o seu objetivo e mantenha a sua estratégia, que os resultados virão no momento certo. Nos momentos de pressão, precisamos manter a calma e a determinação.

O medo e a ansiedade são os grandes inimigos da transformação. Causam estagnação ou desvios perigosos e, de uma forma ou de outra, impedem o fluxo natural da vida, afastando você da sua capacidade de crescimento pessoal.

por Roberto Shinyashiki

quinta-feira, 24 de março de 2011

Você entrega sua vida ao simples ato de viver?

Entregar-se significa deixar de viver analisando, apegando-se a velhos preconceitos. É dar um salto no abismo, é acolher o novo de mente aberta. Muitas pessoas não ousam sequer deixar o lar dos pais para estudar fora, com medo do novo, do imprevisível. Quando vão a uma festa, querem saber de antemão tudo o que vai acontecer. Quando estão com alguém, querem que as coisas aconteçam à sua maneira. Com isso, restringem-se a uma vida repetitiva.

Numa noite escura, um homem andava no meio de uma floresta. De repente, ele caiu. A única coisa que conseguiu fazer foi segurar-se em um galho. Quando olhou para baixo, só viu escuridão. Começaram então os pensamentos catastróficos: “Eu vou cair neste abismo e vou morrer... Este galho não vai aguentar, eu vou me machucar todo”. À medida que o tempo passava, o galho ia se desprendendo, e cada vez mais o homem se desesperava, com medo de cair e morrer. A claridade foi chegando com a manhã, e então ele percebeu que estava com os pés a apenas quarenta centímetros do chão e que todo o seu medo e sofrimento tinham sido infundados.

Assim fazem as pessoas que não se soltam das raízes do passado para voar em direção aos sonhos do presente. Ficam com medo de se arrebentar, quando, na realidade, o salto a ser dado tem pouco mais de quarenta centímetros: a distância que separa o cérebro do coração. Este é o grande salto a ser dado: parar de viver o tempo todo se analisando e deixar de ouvir o “juiz” que existe na sua cabeça. Passar a viver os acontecimentos, em vez de ficar julgando a si mesmo, o outro e tudo o que está ocorrendo.

Muitas pessoas confundem entrega com submissão, o que é um erro, pois cada uma delas se origina em um ponto distinto da personalidade. Enquanto a entrega tem origem na autovalorização e é movida pelo amor, a submissão decorre de um sentimento de inferioridade e é mobilizada pelo medo.

Ser amado e amar significa “entrega em intimidade”, isto é, sintonia das emoções. Quando entregamos uma parte do nosso espaço e tempo à pessoa amada, não significa que perdemos nossa individualidade. Na entrega, tornamo-nos transparentes para o outro, despidos de qualquer máscara, o que possibilita ao ser amado nos ver e nos sentir exatamente como somos.

Na entrega, é como se um pudesse ver o que o outro está pensando, porque estão sintonizados na mesma frequência de sentimentos. A confiança é o suporte básico para a entrega e necessita ser mútua, isto é, não pode ser unilateral num grande amor. Todos temos guardados, dentro de nós, nossos segredos, nossos sentimentos, nossas dúvidas, inquietações e medos; nossa genialidade, nossa criatividade, nossa beleza, sensualidade e sexualidade; todas as nossas verdades, vivências e experiências boas e ruins, que representam o nosso tesouro íntimo e que só nós conhecemos e fazemos questão de manter no fundo do nosso ser.

Entregar-se ao outro é presenteá-lo com a chave desse cofre, é transformá-lo num explorador e co-guardião dessas riquezas. E, na entrega mútua, os tesouros se fundem e se transformam num grande amor — cada um é depositário e depositante da riqueza dos dois. Nessa fusão, o par de amantes transcende e se integra no Universo.

Para muitos, isso pode parecer uma grande ameaça, porque a entrega implica comprometimento com o amor. Não se entregando profundamente a alguém, fica a pessoa se entregando aos pedacinhos a várias, o que representa desgaste, tensão e uma dicotomia muito grande. É feita uma oferta de chaves falsas, que jamais abrirão cofre nenhum. Consequentemente, também são recebidas chaves falsas.

Muitas vezes nem nós mesmos conhecemos o nosso tesouro; esquecemos o seu segredo. Pode ser que só possamos ter acesso a ele através do amor e da entrega, porque a pessoa amada vai nos ajudar a ter coragem de mergulhar nas profundezas, sem medo do que possamos encontrar, e até mesmo nos tornar curiosos por descobrir mais.

Analisando o que temos feito na vida, vemos que, muitas vezes, nos preparamos para o banho, chegamos perto do mar, mas acreditando que a água está fria desistimos de nadar e voltamos para casa frustrados. Tendo consciência disso, podemos aprender a mergulhar nas águas do amor, ainda que elas signifiquem um banho frio. O importante é a percepção de que frustrações desnecessárias geram um sentimento de incapacidade e que a entrega significa lançar-se neste mar — com a força dos braços e das pernas, saberemos fazer nosso corpo esquentar-se e fortalecer-se no amor.

por Roberto Shinyashiki

quarta-feira, 23 de março de 2011

Amar é embarcar em uma viagem...

Amar é uma viagem a ser feita com alguém, na qual, ao mesmo tempo em que desfrutamos essa entrega, desvendamos os mistérios que ela nos apresenta a cada momento.

O amor é uma força que nos leva a enfrentar todos os nossos medos, criados desde as primeiras experiências dolorosas de aproximação. Nos torna corajosos e ousados, prontos a desafiar o tédio e o comodismo, a enfrentar o cotidiano, sem deixá-lo se transformar em rotina.

Ele faz nos sentirmos aprendizes, concedendo-nos a suprema compreensão de que, quando somos movidos pelo impulso do amor, realizamos algo. No amor, não estamos nos submetendo ao outro, mas sim obedecendo às ordens do sábio que existe dentro de nossos corações.

O amor nos dá coragem para enfrentar todas as mensagens negativas ouvidas na infância, do tipo “homem não presta” e “mulher só dá trabalho”, que poluem nossos pensamentos. É um sentimento que nos proporciona a sensação de gratidão para com a existência; um sentimento de ser abençoado pela dádiva divina. Em retribuição, somos levados a cuidar desse amor.

Por isso, não podemos exigir a perfeição do ser amado, pois, como dizia o filósofo grego Aristóteles: “O amor é o sentimento dos seres imperfeitos, posto que a função do amor é levar o ser humano à perfeição”.

O amor é muito mais que o encontro de dois corpos, muito mais que a união entre duas pessoas. É a própria consciência da existência: a crença nas forças divinas, que cuidam de todo o universo e que nos levam um ao outro, com a mesma fluidez com que aproximam uma nuvem de uma montanha, que nos proporcionam uma força sobre-humana, que dão energia ao vento, ao mar e à chuva e que nos tornam grandes como pinheiros gigantescos.

No amor, seguimos um caminho realizando uma história, cujo final, apesar de todo o nosso conhecimento, só vamos saber quando a completarmos.

A única certeza que temos é a de que o amor é uma condição inerente ao ser humano. Assim como a flor emana seu perfume, o homem naturalmente exala o amor. Isso é tão inevitável quanto é impossível proibir a terra molhada de desprender seu cheiro.

terça-feira, 22 de março de 2011

Escolher Caminhos Saudáveis, depende de sua Percepção da Realidade

As pessoas vivem de uma maneira que não gostam e fazem o que não querem para chegar a um lugar que não faz sentido para elas.
Mude a sua vida quando ela não estiver do jeito que você quer. Viver angustiado é uma escolha que você pode deixar de fazer.

– Mas eu sempre fui uma pessoa muito insegura!

Sim, mas você não pode deixar que o passado decida seu presente e nem que sua insegurança no presente defina seu futuro.

Seu namoro não está gostoso? Construa um novo relacionamento, ou com a mesma pessoa, ou com outra.

Seu trabalho não está prazeroso? Trabalhe de um jeito criativo na empresa atual ou em uma nova empresa.

Os problemas do passado podem ser o ponto de partida para uma nova vida, mais plena, cheia de amor e realizações, desde que você aprenda as lições e mude seu jeito de viver.

Há uma história que ilustra bem como podemos usar nossa experiência de vida para decidir como queremos viver e como nosso estilo de vida depende diretamente de como tomamos decisões.

Em uma pequena cidade do interior viviam dois irmãos gêmeos, filhos de um alcoólatra. Eram pessoas muito diferentes entre si. Um dos gêmeos também era alcoólatra, vivia caído pela sarjeta, não tinha dinheiro, morava na rua. O outro era um rico empresário, tinha uma família feliz, ajudava habitualmente o próximo, era um exemplo de conduta e modelo de sucesso.

Certo dia, alguém perguntou ao alcoólatra o porquê de ele ter ficado assim. Imediatamente, ele respondeu:

– Sou desse jeito porque meu pai era alcoólatra. Aprendi com ele a beber e, com a bebida, destruí minha vida.

A mesma pessoa perguntou, então, ao outro irmão:

– E quanto a você? A que atribui tanto sucesso? O que fez com que você construísse uma vida tão bonita e feliz?

E o sujeito respondeu:

– Sou assim porque meu pai era alcoólatra. Entendi, vendo a vida dele, que se eu bebesse iria destruir a mim e aos que amo. E decidi que não iria fazer com a minha vida a mesma coisa que ele fez com a dele.

É você quem decide o que fará com os exemplos que seus pais lhe deram e com tudo que acontece com você.

A vida está cheia de exemplos de pessoas que passaram grandes dificuldades, deram a volta por cima e fizeram de sua luta um exemplo de dignidade e realização.

Substitua sua preocupação por fé, preencha sua sensação de vazio com paz de espírito e transforme seu desespero em esperança.

por Roberto Shinyashiki

segunda-feira, 21 de março de 2011

Não Espere Resolver Todos Seus Problemas Para Ser Feliz

Mesmo que você esteja passando por uma fase complicada em sua vida, não espere resolver todos os seus problemas para ser feliz. Mesmo no meio da maior tempestade do mundo, dedique algum tempo à reposição de energias. Sei que isso pode ser um pouco difícil, porque a sua mente vai se concentrar totalmente na resolução do problema, mas tenha certeza de que tomar fôlego será fundamental para ter mais força de enfrentar essa adversidade. No meu processo de escrever um livro, às vezes não consigo criar um texto que transmita o que quero dizer.

Quando o meu lado teimoso insiste em continuar mesmo sem concentração, o resultado é lastimável. Escrevo páginas e páginas e depois de tanto trabalho jogo tudo fora. Então o juízo volta e eu paro para ouvir uma música, brincar com as crianças, tomar um chá e quando volto ao computador o texto sai em alguns minutos.

Se esse bloqueio surge em um processo relaxado como o de escrever um livro, sem prazo de entrega, imagine o que acontece com quem tem de lidar com a falência de sua empresa.

Por mais difícil que seja a situação, faça sempre alguma coisa para aquecer seu coração. Muitas pessoas pensam que devem brincar com os filhos, porque eles estão sentindo a falta do pai. Pense de outra maneira. Perceba que você também está sentindo falta das crianças e que brincar com elas será muito bom para aquecer sua alma e lhe dar mais força para superar os obstáculos.

Olhe para os lados e procure no seu dia-a-dia os momentos que a vida lhe oferece para ser feliz, mesmo que essas oportunidades se apresentem na forma de algo simples como um pão quentinho com manteiga e um café com leite na padaria da esquina.

Talvez você tenha perdido o dinheiro que lhe dava condições de viajar na primeira classe para todos os lugares do mundo. Talvez você não tenha mais condições de jantar nos restaurantes sofisticados aos quais estava acostumado. Se estiver aberto para ser feliz, porém, certamente encontrará formas mais simples, mas não menos alegres, de curtir a vida.

Lembre-se de que as coisas mais importantes da vida são de graça: um abraço do seu filho, o olhar da pessoa amada, um beijo carinhoso do seu pai, o almoço caprichado da mãe. Tudo isso é de graça.

Muitas pessoas que perderam o dinheiro deixaram de lado as oportunidades de ser felizes por incapacidade de perceber que ainda continuavam muito ricas apesar da perda dos bens materiais.

Mesmo diante dos maiores dramas, não desperdice a oportunidade de curtir o sorriso do seu filho, um abraço carinhoso da mulher amada, uma conversa com seu melhor amigo. E, se nada disso estiver disponível neste momento - digamos que você esteja num país distante resolvendo alguma dificuldade -, vá curtir o pôr-do-sol, o céu estrelado ou uma noite de luar.

Se você estiver com insônia, tome um banho bem gostoso e veja o dia amanhecer. Lembre-se: todos os problemas têm solução! Mas algumas delas podem ser demoradas. Portanto, enquanto você resolve suas dificuldades, não deixe de viver.

Sua vocação é estar junto das estrelas, pois você é uma delas e a sua luz interior é mais intensa do que a luz de milhões de sóis reunidos. Esse problema que você está vivendo é simplesmente uma nuvem no seu caminho ao infinito. Acredite em você e tenha fé na sua vitória que, com toda a certeza, amanhã ela chegará. A fé é o melhor alimento dos campeões.

Ter fé é acreditar na vida mesmo quando tudo é adverso. Ninguém precisa de fé quando tudo está dando certo!

Ter fé é acreditar que a luz brilhará mesmo na escuridão mais tenebrosa. Ninguém precisa de fé quando o horizonte está totalmente aberto.

Ter fé é acreditar na sua capacidade mesmo no meio de uma sucessão de derrotas. Ninguém precisa de fé nas vitórias, porque elas são a própria realização da fé que você teve quando começou um projeto.

Ter fé é acreditar que Deus está sempre ao seu lado mesmo nos momentos de maior angústia, pois o verdadeiro pai não é aquele que faz a prova para o filho, mas o que torce por suas conquistas.

Ter fé é fazer o seu sonho acontecer mesmo quando todas as pessoas em sua volta não apostam um centavo em você.

Tenha fé em qualquer circunstância!

Acredite sempre na sua capacidade de virar o jogo e tenha certeza de que o universo nunca o abandonará.

E lembre-se: por pior que seja o dia de hoje, sempre existe um amanhã!

por Roberto Shinyashiki

sexta-feira, 18 de março de 2011

Como não ir além do seu LIMITE?

O mundo está uma loucura mas todos só acertam na vida. Não é esquisito isso? Será que só eu e você temos inquietações e erramos?

Será que só eu e você temos a sensação de correr o dia inteiro e ainda estar em falta com alguma coisa no fim do dia? Todo mundo tem dúvidas, mas faz pose de gênio! Os super-heróis atacam por todos os lados. E os seres humanos deixam de viver as ordens do coração para viver num mundo de aparência.

Fico impressionado com o número de pessoas que se enche de dívidas só para desfilar o carro novo para o vizinho, ou para fazer inveja à amiga com a bolsa de marca famosa, ou para deslumbrar a mulher desejada com um jantar além da sua condição financeira. Pessoas que se cercam de bens materiais e conceitos supérfluos para serem admiradas. Pessoas que não sabem como é bom amar alguém. Não conhecem a essência de um relacionamento. Querem apenas impressionar. Aparentar aquilo que não são.

E os pais super-heróis? Esses querem que os filhos também sejam super-heróis. Lotam a agenda das crianças com aulas e mais aulas. Elas não têm tempo livre sequer para brincar. A ideia dos superpais é preparar os filhos para o futuro. Mas assim as crianças acabam perdendo a infância. Ou seja, não fazem a única coisa realmente importante para se tornar um adulto pleno.

Gostaria de convidar você a refletir um pouco sobre seus heróis. Pense por alguns segundos nas pessoas que você admira. Quando proponho essa reflexão em meus seminários, em geral ouço descrições que lembram os super-heróis das histórias em quadrinhos ou do cinema. Heróis com superpoderes que nada têm a ver com o mundo real.

Apesar de ter plena consciência de que essa imagem não passa de pura fantasia, a maioria das pessoas embarca nela de cabeça. E se ilude querendo mostrar que são superexecutivos, superempresários, supermães, superprofessores, superamantes.

Não estou dizendo que a pessoa que procura dar sempre o melhor de si em cada ação está errada. Ao contrário. É altamente positivo buscar a excelência em cada coisa que fazemos. Isso não quer dizer, no entanto, que sempre sairemos vitoriosos de nossas batalhas. Ninguém consegue ganhar todas as disputas da vida.

Quem exige de si vencer o tempo todo está se candidatando a viver crises de depressão ou, pior ainda, agir sem ética para vencer a qualquer preço. Quem precisa se sentir importante o tempo todo está criando um grande vazio em sua vida... É preciso estar muito consciente para não embarcar nesse jogo de aparências e não se deixar envolver em atividades sem sentido para sua vida.

Acredite: é possível ser feliz com o que você tem e é. Eu digo, com todo carinho do meu coração: da mesma maneira que é importante tirar das suas costas o peso de ser algo que você não é, também é importante tirar esse peso dos ombros de quem está a seu lado. Aliás, nem precisamos ser o que não somos nem precisamos ser perfeitos no que queremos ser. Ser muito bom já é suficiente. Temos de ser bons naquilo para o qual temos talento, o que não significa nos exigir sermos maravilhosos o tempo todo.
___________

*Roberto Shinyashiki
é psiquiatra, escritor e conferencista*.

quinta-feira, 17 de março de 2011

A Providência Divina

Você já se deu conta que o não de Deus é a melhor resposta?

Já percebeu quantas vezes você pediu alguma coisa ao Criador e não obteve êxito?

De um modo geral, não apreciamos a resposta negativa.

Porém, passado um tempo, concluímos que o que Ele nos enviou foi o melhor.

O adágio popular diz que Deus escreve certo por linhas tortas.

A verdade é que Deus escreve certo por linhas certas.

Lemos, há algum tempo, a história de uma americana que relaciona muitas situações de sua vida em que a Providência Divina se apresentou de forma diversa à solicitada.

Por exemplo, a filha chegou muito chorosa da escola porque não conseguira um papel para a peça de final de ano.

Era o que ela mais queria, mais ansiava.

Por alguns dias, permaneceu tristonha. Até irromper portas adentro do lar, eufórica.

Recebera um convite para um curso muito importante em outra cidade. Era necessário se apresentar imediatamente.

Se ela fizesse parte do elenco da peça da escola, não poderia agora cursar o que lhe era decisivo para a carreira profissional.

Em outro momento, o marido foi transferido para uma outra cidade.

Veio o impasse. Seguir a família também ou não? As crianças teriam problemas na escola?

Ela, Beti, precisaria deixar o emprego. Como conciliar tudo?

Acreditando que seria terrível viverem separados, oraram muito pedindo para que a transferência do marido não se concretizasse. Em vão.

Oraram para que ela conseguisse um emprego para si e escola para os filhos, na outra localidade. Também em vão.

O marido passou a vir para casa só nos finais de semana.

Então, quando ninguém esperava, uma reviravolta administrativa, uma tarefa que se findou antes do previsto e eis todos juntos, sem mudança.

O não de Deus para os seus pedidos fora mesmo providencial.

Até quando o pai de Beti, já idoso, adoeceu, Deus não atendeu o que lhe foi pedido.

Todos oravam para que se curasse das mazelas. Beti se lembrou de uma frase do marido: Tenha fé na resposta de Deus, querida.

Descobriu que estava orando incorretamente.

Pediu então: Meu Deus, sei o que desejo, mas pode não ser essa a melhor resposta para meu pai.

Ele também é uma das Tuas criaturas. Seja feita a Tua vontade e não a minha.

O pai morreu duas semanas depois. Ela pensou nos anos de invalidez que o adorado pai teria de suportar, se tivesse sobrevivido.

Disse baixinho: Foi a resposta de Deus.

Por tudo isso, no aniversário de casamento, ela entregou ao marido um cartão com os dizeres: Você não é o marido que eu esperava...

Colocou uns pontinhos para dar um ar de suspense e concluiu: Mas com certeza é o melhor que Deus escolheu para mim. Ele sorriu e entendeu.

Analisar o que nos ocorre é importante.

A resposta Divina sempre chega, embora de um modo geral, não exatamente como se quer.

Assim é o concurso que hoje não se consegue vencer.

O imóvel cuja negociação não dá certo, até o casamento idealizado e que acaba no noivado.

Tudo tem sua razão de ser. Razão que a Divindade conhece e que devemos buscar entender.

Deus te ama e tu percebes. Sua ternura te rocia a face e Suas mãos te sustentam.

Seu hálito te vitaliza e Sua voz silenciosa chega até teus ouvidos, com bênçãos, com esperanças e com orientações.

Deus vive, manifesta e dilata o Seu amor através de ti. Tu o sabes... e onde estiveres Ele estará sempre contigo.

Pensa nisso, mas pensa agora!

Cesar

quarta-feira, 16 de março de 2011

Amores que marcam

Dia desses conversava com um amigo e ele falou que tinha saudade de uma ex-namorada. Ele falou na saudade que tinha dela e ao mesmo tempo no medo que tinha de reencontrá-la. Pude ver em seus olhos um brilho e um sorriso especial ao lembrar dos momentos juntos.
Atualmente ela está casada e ele também, mas senti que ainda existe uma atração forte entre os dois. Fiquei pensando, porque não ficaram juntos uma vez que se gostavam tanto e concluí que a razão falou mais forte, por isso, a separação.
Ela cansou de esperar que ele tomasse uma atitude e assumisse a relação. Ele aceitou o rompimento quando ela pediu uma decisão, porque nunca pensou que a relação terminaria de verdade. Esse é o tipo de saudade que se leva pelo resto da vida. Pessoas que marcam e deixam saudade, pessoas que sentem uma atração enorme, mas se separam.
É aquela química perfeita que em alguns momentos mete medo.
É aquele beijo com gosto de quero mais. É aquela despedida não querendo ir. É deixar para lá. É acreditar que um dia, quem sabe, um dos dois vai abrir seu coração e expor seus sentimentos. É não querer um fim, mas por desconhecer os sentimentos do outro acabar com tudo para ver no que vai dar.
Isso significa que existem muitas pessoas que optam por enganar a si mesmas. Uma vez que existe um sentimento forte que nos dá prazer e ao mesmo tempo sente-se que aquela é a companhia perfeita e quando estão juntos o tempo passa sem perceber, é porque existe um sentimento muito forte que não deve ser desprezado.
Talvez não tivessem percebido, mas o amor é isso e só encara quem tem coragem de assumir, de jogar tudo para o alto, jogar a razão para o lado e viver a emoção.
Talvez por medo ou mesmo pro insegurança casais se afastam e depois sentem um enorme vazio que é preenchido pelas lembranças daquele relacionamento que acabou. Uma saudade que dura à vida inteira e quanto mais o tempo passa ficará sempre a dúvida de que poderia ter sido feliz com aquela pessoa.
É arriscado pensar que a outra pessoa ficará esperando a vida inteira, pois a solidão e a ansiedade de esquecer poderão ser supridas por outro alguém. Talvez não seja com a mesma intensidade, mas como uma tábua de salvação.
Isso acontece porque a relação não se esgotou, não teve um ponto final e sim uma vírgula ou reticências.
Por isso, quando sentir que alguém lhe faz suspirar e a lembrança dela dá aquela saudade, fique atento, pois a felicidade pode estar bem a sua frente. O amor verdadeiro pode ter chegado e você está deixando escapar, simplesmente por medo de arriscar. Quanto mais o tempo passar, mais difícil será resgatar esse amor, até mesmo porque cada um dará um rumo à sua vida e com isso você correrá o risco de perder o seu grande amor.
Portanto, quando sentir que alguém faz a diferença em sua vida, não deixe que ela se distancie de você. Traga para junto de seu coração e procure viver com intensidade cada momento. Arrisque e não tenha medo de viver esse amor. Enlouqueça, perca a cabeça, vibre como criança, pois o amor não é e nem deve ser racional.
O amor é a eterna busca do ser humano. Abra os braços para este sentimento tão nobre e garanto que não irá se arrepender. O que lhe espera são muito mais que momentos mágicos.
Declare seu amor sem medo e não perca a chance de ser feliz, pois seu coração cobrará isso à vida inteira.

terça-feira, 15 de março de 2011

Amigo é coisa pra se guardar...

Um filho pergunta à mãe:
- Mãe, posso ir ao hospital ver meu amigo? Ele está doente!
- Claro, mas o que ele tem?
O filho, com a cabeça baixa, diz:
- Tumor no cérebro.
A mãe, furiosa, diz:
-E você quer ir lá para quê? Vê-lo morrer?
O filho lhe dá as costas e vai...
Horas depois ele volta vermelho de tanto chorar, dizendo:
- Ai mãe, foi tão horrível, ele morreu na minha frente!
A mãe, com raiva:
- E agora?! Tá feliz?! Valeu a pena ter visto aquela cena?!
Uma última lágrima cai de seus olhos e, acompanhado de um sorriso, ele diz:
- Muito, pois cheguei a tempo de vê-lo sorrir e dizer:
'- EU TINHA CERTEZA QUE VOCÊ VINHA!'

A amizade não se resume só em horas boas, alegria e festa. Amigo é para todas as horas, boas ou ruins, tristes ou alegres.

CONSERVEM SEUS AMIGOS(a)! PERDOE-O DAS DESAVENÇAS, QUANDO HOUVER. SEJA FELIZ AO LADO DELES PORQUE O VALOR QUE ELES TÊM NÃO TEM PREÇO.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Empatia

Um ancião que estava para morrer procura um jovem e narra uma história de heroísmo:

Durante a guerra, ajudou um homem a fugir. Deu-lhe abrigo, alimento e proteção.

Quando já estavam chegando a um lugar seguro, este homem decidiu traí-lo e entregá-lo ao inimigo.

E como você escapou? – pergunta o jovem.

Não escapei; eu sou o outro, sou aquele que traiu – diz o velho. Mas, ao contar esta história como se fosse o herói, posso compreender tudo o que ele fez por mim.
***
 A sabedoria deste conto nos fala sobre a empatia, esta ação de nos colocar no lugar do outro, de procurar sentir o que o outro sente.

A empatia nos torna menos orgulhosos e egoístas, pois faz com que pensemos não só em nossos pontos de vista - em como estamos nos sentindo, mas também na vida alheia, no que se passa no íntimo de alguém.

Quando nos colocamos no lugar do outro, a compreensão torna-se mais fácil de ser alcançada, e nossos corações sentem-se mais aptos a perdoar.

Quando nos colocamos no lugar do outro, temos a oportunidade de acalmar a raiva, e de evitar a vingança.

Quando nos colocamos no lugar do outro, desenvolvemos a compaixão, e procuramos fazer algo para amenizar o sofrimento do próximo.

Quando nos colocamos no lugar do outro, expandimos nossa capacidade de amar e de entender que precisamos viver em família para realizar nosso crescimento.

Quando nos colocamos no lugar do outro, preparamos nossa intimidade para receber as sementes da humildade, descobrindo a verdade de que somos todos irmãos, e que precisamos uns dos outros para colher os bons frutos da felicidade futura.

A empatia nos torna mais humanos, mais próximos da realidade do outro, de suas dificuldades e de seu caminho.

Passamos a analisar a vida através de outros pontos de vista, de outros ângulos; e, assim, nos tornamos mais sábios, mais maduros.

O hábito de colocar-se no sentimento de alguém, é um grande recurso de que dispõe o homem novo para suas conquistas espirituais elevadas.

O coração que se isola, que vê somente o que seus olhos permitem e não partilha da vida de seu próximo, está estacionado nas trilhas do tempo.

É chegado o momento das grandes modificações, das grandes revoluções no interior do homem, e a empatia está lá, como excelente agente de transformação moral.

***

“Fazei aos homens tudo o que deseja que eles vos façam, pois é nisto que consistem a lei e os profetas”.

O médico das almas, Jesus, sempre buscou mostrar os caminhos mais seguros para nossas, vidas e nesta máxima revolucionária e ao mesmo tempo simples, introduz na terra o conceito de empatia, de agir conforme aquilo que desejamos para nós mesmos.

As verdades estão conosco. Agora é tempo de instituí-las em nossos dias.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Criação de uma tragédia

A mãe chegou na casa da filha, no meio da tarde, para uma visita de surpresa. Trazia um brinquedo novo para a netinha de pouco mais de um ano.

Tocou a campainha por três vezes e ninguém atendeu à porta. Revolveu a bolsa e retirou a chave da casa, uma cópia que lhe fora dada para eventual emergência.

Abriu a porta e entrou. Silêncio na casa. Chamou pela filha, pela netinha, e nada.

Foi verificando os cômodos um a um e se tornando inquieta. Na sala, havia brinquedos espalhados por toda parte. O sapatinho da criança estava jogado sobre o sofá.

No quarto, a bolsa com fraldas, mamadeira e outros utensílios próprios para bebê estava meio aberta e esquecida.

No banheiro, um vaso quebrado se encontrava dentro da pia, ainda com vestígios de terra espalhada.

O coração parecia agora arrebentar dentro do peito. Ela podia senti-lo bater forte na garganta, enquanto as têmporas começavam a latejar.

Deixou escapar um grito de desespero: Sequestraram minha filha e minha neta.

Em prantos, telefonou para o marido. Como falava muito rápido e chorando, ele não entendeu muito bem o que estava acontecendo, a não ser que era uma tragédia.

Telefonou para alguns parentes pedindo que fossem acudir a esposa, enquanto ele acionaria a polícia.

Afinal, pelo que pudera compreender, alguém entrara na casa da filha, roubara objetos, deixara muitas coisas espalhadas pela casa toda e sequestrara sua filha e neta.

Logo foram chegando amigos, parentes próximos. A casa ficou repleta de pessoas.

Ninguém se atrevia a tocar em nada até a chegada da polícia.

A avó começou a passar mal. Por ser portadora de um problema cardíaco grave, foi levada às pressas para um hospital.

Pouco depois, chegava a polícia. Sirene, carros freando depressa, cerco se instalando, armas apontadas.

O que acontecera, afinal? Enquanto os policiais adentravam na casa para verificação, uma jovem mulher chegou com uma criança ao colo e foi perguntando:

O que está acontecendo em minha casa? Por que tanta gente?

Era a dona da casa que fora até à farmácia, distante algumas quadras, para comprar um medicamento para a pequena que estava iniciando um quadro febril.

Os brinquedos estavam espalhados porque a criança estivera a brincar até há pouco. O sapatinho estava esquecido sobre o sofá porque ela decidira levar a criança nos braços, para não se retardar em demasia e resolveu não calçá-la.

O vaso fora quebrado pela criança, quase à hora da saída, motivo pelo qual a jovem mãe simplesmente o recolhera e colocara dentro da pia do banheiro.

Tudo simples, quando bem explicado. E enquanto se retiravam os policiais, parentes e vizinhos curiosos, o avô se despediu da pequenina e rumou para o hospital, a fim de socorrer a esposa internada, com cuidados especiais para evitar um infarto.

* * *

Manter a calma em toda circunstância é muito importante, para se evitar transtornos maiores.

Olhar com cuidado e não tirar conclusões apressadas nos evitam problemas sérios.

Quando falamos muito no mal e vibramos negativamente, guardamos maiores possibilidades de, a qualquer sinal de quebra da rotina, de saída do habitual, considerarmos que algo trágico ou irreparável aconteceu.

Orar sempre e vigiar com constância são recomendações que atravessaram os séculos, desde os tempos em que o Senhor Jesus as pronunciou e os Evangelistas as registraram, convidando-nos a analisar com ponderação e agir com calma.

quinta-feira, 10 de março de 2011

A inigualável palavra de Jesus

Sempre importante lembrarmos das palavras de Jesus.

A palavra do Cristo é a luz acesa para encontrarmos na sombra terrestre, em cada minuto da vida, o ensejo divino de nossa construção espiritual.

Erguendo-a, vemos o milagre do pão que, pela fraternidade, em nós se transforma, na boca faminta, em felicidade para nós mesmos.

Irradiando-a, descobrimos que a tolerância por nós exercida se converte nos semelhantes em simpatia a nosso favor.

Distribuindo-a, observamos que o consolo e a esperança, o carinho e a bondade, veiculados por nossas atitudes e por nossas mãos, no socorro aos companheiros mais ignorantes e mais fracos, neles se revelam por bênçãos de alegria, felicitando-nos a estrada.

Geme a Terra, sob o pedregulho imenso que lhe atapeta os caminhos...

Sofre o homem sob o fardo das provações que lhe aguilhoam a experiência.

E assim como a fonte nasce para estender-se, desce o dom inefável de Jesus sobre nós para crescer e multiplicar-se.

Levantemos, cada hora, essa Luz Sublime para reerguer os que caem, fortalecer os que vacilam, reconfortar os que choram e auxiliar os que padecem.

O mundo está repleto de braços que agridem e de vozes que amaldiçoam.

Seja a nossa presença junto aos outros algo do Senhor inspirando alegria e segurança.

Não nos esqueçamos de que o tempo é um empréstimo sagrado, e quem se refere a tempo diz oportunidade de ajudar para ser ajudado;

De suportar para ser suportado, de balsamizar as feridas alheias para que as próprias feridas encontrem remédio e de sacrificar-se pela vitória do bem, para que o bem nos conduza à definitiva libertação.

Assim, pois, caminhemos com Jesus, aprendendo a amar sempre, repetindo com Ele, em nossas proveitosas dificuldades de cada dia: Pai nosso, seja feita a vossa vontade, assim na Terra como nos Céus.

Que a palavra de Jesus não permaneça apenas nos lábios dos oradores.

Que a palavra de Jesus não permaneça apenas nos ouvidos dos seguidores.

Ante a lembrança Dele, pensemos nas nossas escolhas de vida.

Reflitamos se estamos escolhendo o caminho mais cômodo, ou se já optamos pelo caminho mais seguro e certo.

A palavra de Jesus nos orienta com clareza. Ouçamos todos os que tenhamos ouvidos de ouvir.

Em algum momento todos teremos que despertar para o bem, e nada melhor do que despertar ao som dos ensinos deste Amigo tão querido e zeloso.

Esqueçamos os fanatismos religiosos. Esqueçamos dogmas e mistérios.

Lembremos apenas das lições do Mestre que nos apontam o amor como solução, como sentido para a vida.

Toda palavra de Jesus poderá ser resumida em apenas uma: amor.

Amemos e estaremos no mais seguro dos caminhos para a felicidade.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Jóias que brilham

Embora haja um grande esforço para se acabar com toda sorte de preconceito, ele não foi de todo escorraçado do mundo.

Basta que se observe, em qualquer lugar, como as pessoas bem vestidas e de porte altivo são tratadas, em detrimento daquelas mais modestas, de roupas mais simples.

Se andamos pela rua e alguém bem apessoado se aproxima, jamais cogitamos que ele possa ser um ladrão.

Mas, se alguém que calce chinelos, use roupas não bem passadas e o cabelo em desalinho se aproxima, ficamos receosos.

A reação é instintiva. Ficamos de sobreaviso. Colocamos a mão na bolsa ou na carteira, como querendo protegê-la.

Tudo isso ocorre porque estamos acostumados a avaliar as pessoas pela aparência.

Em épocas recuadas, no tempo em que no Oriente eram abundantes os sultões, princesas e escravos, vivia uma rainha muito rica.

Ela gostava de passear pelas ruas da cidade, todas as tardes, com sua escrava. Percorria os pontos mais movimentados de Bagdá chamando a atenção com o vistoso colar que usava sempre.

Era uma joia rara e preciosa de nada menos de duzentas e cincoenta e seis enormes e perfeitas pérolas.

Interessante é que, ao seu lado, a escrava usava um enfeite idêntico ao da soberana.

Todos admiravam as joias da rainha e diziam:

É claro que o colar da escrava é falso. Quem não percebe logo? A rainha assim procede para dar maior realce ao seu colar. Observem como as gemas verdadeiras têm mais brilho. Parecem ter luz própria, ter vida!

E tornavam a olhar, a admirar e invejar as joias da rainha.

Os comentários eram tantos que o Vizir começou a se preocupar. Salteador ousado poderia se aventurar, em algum momento, e roubar a valiosa prenda.

Por isso, compareceu frente à sua soberana e falou:

Majestade, perdoai se ouso vir vos falar. Preocupa-me a vossa segurança e da joia. É um perigo sair à rua com tão grande riqueza. Sua vida corre riscos.

A rainha sorriu e o sossegou, explicando:

Não se preocupe, bom homem. Toda vez que saio, troco o colar com o da minha escrava. Ela leva em seu pescoço o verdadeiro e eu, o falso. Estranhamente, é sempre o meu que é admirado.

Acredite, se eu saísse com simples vidrilhos, pedras falsas, todos continuariam a admirar o meu adorno. Isto somente porque eu sou a rainha.

As aparências enganam e devemos nos habituar a valorizar as pessoas por sua condição interior.

Afinal, temos valor por nós mesmos, pelo nosso proceder e não pelas posses materiais.

Na balança Divina, são iguais todos os homens. Só as virtudes os distinguem aos olhos de Deus.

São da mesma essência todos os Espíritos e formados de igual massa todos os corpos.

Os verdadeiros títulos de nobreza são as virtudes. Tudo o mais em nada contribui para a verdadeira felicidade.

segunda-feira, 7 de março de 2011

A Serpente e a Virtude


Em conhecida passagem do Evangelho, Jesus orientou Seus Apóstolos a respeito da missão que teriam pela frente.

Ele afirmou que os enviava como ovelhas no meio de lobos.

Portanto, deveriam ser mansos como as pombas e prudentes como as serpentes.

Dessa narrativa, é possível extrair lições muito úteis.

Jesus exortou Seus auxiliares mais diretos ao trabalho de evangelização.

Mas tratou de esclarecê-los quanto às dificuldades que encontrariam.

Em sua condição de homens bons e idealistas seriam como ovelhas no meio de lobos.

Essa significativa imagem persiste atual.

Ainda há muita maldade na Terra.

Os desonestos, os aproveitadores e os espertalhões continuam em grande número.

Embora o progresso verificado em dois mil anos, persiste como tarefa difícil viver com pureza e dignidade.

Daí, a cada dia, vale lembrar a lição de Jesus.

É preciso seguir em frente, viver e semear o bem.

Mas sem ser ingênuo e achar que o mundo é cor-de-rosa.

Constitui perigosa ilusão ver o bem onde não existe ou deixar de identificar o mal onde ele se encontra.

O cristão deve ser leal e generoso, mas não tolo.

Para dar cabo de sua tarefa, precisa ser manso como as pombas e prudente como as serpentes.

A mansidão é preciosa para evitar envolvimento com as correntes de ódio e intolerância.

A genuína bondade nunca se agasta, mesmo quando incompreendida e vilipendiada.

O idealista encontra a justificativa da vida em seu ideal, não no comportamento alheio.

Ainda que os resultados demorem ou pareçam não vir, ele segue em frente.

Contudo, não basta a mansidão.

Também é preciso usar de prudência.

Ou seja, ser prático e saber mensurar os meios de que dispõe para atingir os fins.

O ideal é importante para ter força em momentos difíceis.

Mas é inadiável perceber o mundo em que se vive.

Assim, o cristão é ao mesmo tempo doce e decidido.

Com doçura e energia, realiza sua tarefa no mundo.

Bondoso e idealista, mas também prático e lúcido.

Percebe as dificuldades dos que o rodeiam, mas ainda assim os estima e valoriza.

Por identificar as necessidades alheias, sem desprezar ninguém, é que pode ser sal da terra e luz do mundo.

Aliás, nesse sentido, a lição de Jesus é muito significativa.

Veja-se que o Mestre identificou virtude em uma serpente.

Trata-se de um animal habitualmente objeto de repulsa e medo e tomado por símbolo de coisas negativas.

Mas o Cristo utilizou uma característica sua e a realçou de forma positiva.

Em face de pessoas difíceis, convém agir assim.

Perceber suas virtudes e incentivá-las.

Gradualmente, o bem que se estimula e valoriza torna-se pujante, enquanto o mal perde a força.

Pense nisso.

CESAR

sexta-feira, 4 de março de 2011

Conquistas Pessoais

Há algum tempo, a estagiária de uma empresa vinha observando sua companheira de trabalho. Tratava-se de pessoa de boa aparência, que se mostrava sempre solícita, delicada com todos e rodeada de amigos. Seu esposo era um rapaz honesto e digno, portador de bons valores morais.

Em certa oportunidade, resolveu abordá-la e lhe disse: Eu a tenho observado. Você ocupa um bom cargo na empresa, nosso supervisor admira e reconhece seu trabalho, vive rodeada de amigos e tem um marido adorável. Você é uma pessoa de muita sorte!

A moça silenciou por um instante, pensando intimamente quais palavras poderia escolher que melhor traduziriam o pensamento que lhe ocorria, sem que causasse má impressão.

E, com a expressão meiga e o sorriso que sempre a acompanhava, respondeu: Não acredito que eu seja uma pessoa de sorte. Prefiro pensar que todas as coisas que mencionou, foram conquistadas.

Todo trabalho que estamos executando, o cargo que exercemos, independente da área em que estejamos atuando, é fruto de disciplina e dedicação. Também de esforço pessoal, estudo e persistência em aprender algo novo e em nos aprimorarmos.

A saúde que desfrutamos é resultado de uma alimentação equilibrada, tanto em qualidade como em quantidade. Consideração especial a não ingestão de alcoolicos e qualquer outra substância que nos intoxique o organismo.

Somamos a isso a prática de exercícios selecionados, para que não ultrapasse nossos limites físicos, não ofereça riscos e, de preferência, que nos traga bem-estar e motivação para não abandoná-la.

Importante mexer o corpo. Contamos também com as horas de sono respeitadas, o descanso merecido, sem exageros.

É a nossa saúde conquistada e mantida através, ainda, do cultivo de pensamentos elevados, afastando a possibilidade de nos contaminarmos com os maus fluidos provenientes do negativismo, carregado de angústias, rancores, ansiedades, medos e culpas.

Os amigos também são conquistas. Eles estão ao nosso lado porque sabemos alimentar esses relacionamentos.

É o telefonema inesperado perguntando: Como vai você? É o e-mail enviado, só para dizer: Estou com saudades, apareça.

É a atenção e preocupação demonstrada quando o amigo passa por alguma dificuldade pessoal. É o tempo compartilhado. É o sorriso e o abraço carregado de afeto.

E os nossos amores? É por sorte que os temos ao nosso lado? Ou devemos considerar todas as renúncias, do tempo que doamos para o outro, do quanto cedemos e do quanto toleramos, sem reclamações e sem cobranças?

E os pequenos cuidados diários com o outro? Quanta diferença fazem em nossas vidas!

A paz e o sorriso que carregamos são o resultado do dever cumprido, da sensação de viver em consonância com a Lei de Deus.

É viver seguindo as Leis Morais, que estão inscritas na nossa consciência, que nos dizem o que devemos ou não fazer, tanto a nós mesmos quanto ao nosso semelhante.

Pensemos então, em não esperar sorte na vida. Trabalhemos com vontade e disposição interna para conquistar o que desejamos para nós: saúde, amor, emprego, bem-estar, paz de consciência.

quinta-feira, 3 de março de 2011

ALGUÉM PARA AMAR

O mundo está cheio de queixas. De pessoas que se dizem solitárias. Que desejariam ser amadas. Que vivem em busca de alguém que as ame, que as compreenda.
O mundo está cheio de carências. Carências afetivas. Carências materiais.
Possivelmente, observando o panorama do mundo onde vivia foi que Madre Teresa de Calcutá, certo dia, escreveu:
Senhor, quando eu tiver fome, dai-me alguém que necessite de comida. Quando tiver sede, dai-me alguém que precise de água. Quando sentir frio, dai-me alguém que necessite de calor.

Quando tiver um aborrecimento, dai-me alguém que necessite de consolo. Quando minha cruz parecer pesada, deixai-me compartilhar a cruz do outro.
Quando me achar pobre, ponde a meu lado alguém necessitado. Quando não tiver tempo, dai-me alguém que precise de alguns dos meus minutos. Quando sofrer humilhação, dai-me ocasião para elogiar alguém.
Quando estiver desanimada, dai-me alguém para lhe dar novo ânimo.
Quando sentir necessidade da compreensão dos outros, dai-me alguém que necessite da minha. Quando sentir necessidade de que cuidem de mim, dai-me alguém que eu tenha de atender.

Quando pensar em mim mesma, voltai minha atenção para outra pessoa.
Tornai-nos dignos, Senhor, de servir nossos irmãos que vivem e morrem pobres e com fome no mundo de hoje.
Dai-lhes, através de nossas mãos, o pão de cada dia, e dai-lhes, graças ao nosso amor compassivo, a paz e a alegria.
Madre Teresa verdadeiramente conjugou o verbo amar na prática diária. Sua preocupação era em primeiro lugar com os outros.
Todos representavam para ela o próprio Cristo. Em cada corpo enfermo, desnutrido e abandonado, ela via Jesus crucificado em um novo madeiro.
Amou de tal forma que estendeu a sua obra pelo mundo inteiro, abraçando homens de todas as nações e credos religiosos.

Honrada com o Prêmio Nobel da Paz, prosseguiu humilde, servindo aos seus irmãos da romagem terrestre. Tudo o que lhe importava eram os seus pobres. E os seus pobres eram os pobres do mundo inteiro.
Amou sem fronteiras e sem limites. Serviu a Jesus em plenitude. E nunca se ouviu de seus lábios uma queixa de solidão, amargura, cansaço ou desânimo.
Sua vida foi sempre um cântico de fidelidade a Deus, por meio dos compromissos com as lições deixadas por Jesus.

O Cristo precisa de almas dispostas e decididas que não meçam obstáculos para servi-lO. Almas que se lancem ao trabalho, por mais exaustivo que seja, porém sempre reconfortante e luminoso, desde que possa ser útil de verdade.
Almas que não esperem nada do beneficiado, por suas mãos socorrido, a não ser a sua felicidade, sob as luzes do amigo Jesus.
Almas cujo único desejo seja o de amar intensamente, sem aguardar um único gesto de gratidão.
Almas que tenham entendido o que desejou dizer Francisco de Assis: É melhor amar do que ser amado.

quarta-feira, 2 de março de 2011

AS PALAVRAS QUE NUNCA DIREI

Hoje, sem querer, fui ao encontro das lembranças, cartas, objetos e entre tudo estava o nosso passado, tão recente. Aos poucos fui relendo anotações, rascunhos de cartas que escrevi para ti e foi inevitável não ler aquelas em que tu declaravas para mim.

Senti saudade, senti falta, senti a tua ausência. Fiquei a perguntar-me o que aconteceu a este amor, com os nossos sonhos, antes tão forte, tão presente, e agora restam apenas lembranças. Não pude deixar de sentir o coração amargurado e uma vontade de te ver, lembrar os nossos momentos, os nossos dias e noites, com aquela paixão incontrolável. Dei-te os sonhos que eu sonhei, imaginei-te para a vida inteira, se alguém fez tudo por ti, fui eu. Eu queria voltar atrás só para ficar contigo.

Penso no quanto era difícil me despedir de ti e na falta que eu sentia durante os dias em que longe estávamos, fez-me sentir a mesma emoção outra vez. Tanto tempo se passou, tanta coisa aconteceu nas nossas vidas, percorremos agora caminhos diferentes, mas de alguma forma creio que sempre estivemos próximos, não sabendo dizer o porquê, nem como definir o sentimento que ainda existe entre nós. É algo forte, intenso, ao mesmo tempo em que é calmo e sereno. Mas talvez possa ser somente mais uma ilusão ao achar que ainda existe algo entre nós.

Os momentos que passei ao teu lado foram os melhores da minha vida. Fiz planos para nós os dois, imaginei um futuro para as nossas vidas e um dia vi tudo mudar, o teu sorriso a desaparecer lentamente no teu rosto. Isso despedaçou a minha alma e não quis acreditar no que ouvia, a tua voz doce que sempre me disse coisas lindas, agora dizia que era o fim. Tudo o que sonhei ficou no caminho que por muitas vezes percorri ao teu lado e que sem ti ficou longo e sombrio.

Mesmo não estando mais juntos, nem saber onde estás, agradeço a Deus todos os dias por teres feito parte da minha vida e por fazeres parte dela. Tem a certeza na eventualidade de leres o que te escrevo, que jamais viverei novamente ou sentirei por alguém, o que vivi e o que senti por ti, este sentimento foi único, é eterno e é de nós os dois. Talvez os nossos caminhos não se cruzem mais nesta vida, porém outras virão e em todas irei procurar-te até te encontrar, a minha alma vai-me levar até ti, para assim podermos cumprir a “nossa promessa”.

Agora tudo o que resta é uma grande mistura entre a saudade, tristeza e um imenso amor que para sempre vai viver em mim junto com a esperança de ficar novamente ao teu lado. Amei-te nesta vida, com a certeza que te amei no passado e que amarei num cantinho que é só meu e teu por toda a eternidade!

terça-feira, 1 de março de 2011

O PRINCíPIO 90/10


Este é um princípio que mostra a relação entre o que temos ou não de controle sobre o que sucede em nossa vida.
De acordo com Stephen Covey, 10% da vida estão relacionados com o que se passa conosco e não temos controle sobre eles, já 90% com a forma de nossa reação aos fatos que vão determinar suas conclusões.
O que isso quer dizer? Realmente, não podemos evitar que um carro quebre, um avião atrase, um semáforo fique vermelho, etc. Isso representa 10% do que nos sucede. Os restantes 90% serão determinados com nossas reações.
Exemplo: Você esta tomando o café da manhã com sua família. Sua filha, ao pegar a xícara, deixa cair café na sua camisa branca de trabalho. Você não tem controle sobre isto, mas terá sobre o que acontecerá em seguida.

Você se irrita, repreende severamente sua filha, ela começa a chorar. Você censura sua esposa por ter colocado a xícara muito na beirada da mesa e daí, tem o prosseguimento de uma batalha verbal. Contrariado e resmungando, você vai trocar a camisa e voltando, encontra sua filha chorando mais ainda e ela acaba perdendo o ônibus para a escola. Sua esposa vai para o trabalho também contrariada e você tem que levar sua filha de carro para a escola. Como esta atrasado, dirige em alta velocidade é barrado por um guarda de trânsito e multado após 15 minutos de discussão. Deixa sua filha na escola, que desce sem se despedir de você e ao chegar ao escritório, percebe que esqueceu de sua maleta.
Seu dia começou mal e ansioso para terminar o dia, é recebido friamente e em silêncio pela sua esposa e filha, ao chegar em casa.
Por quê seu dia foi tão ruim?
1. Por causa do café?
2. Por causa de sua filha?
3. Por causa de sua esposa?
4. Por causa da multa de trânsito?
5. Por sua causa?
A resposta correta é a de número 5, pois o fator determinante foi a ausência de controle sobre o acontecido.

De outra forma:
O café cai em sua camisa. Sua filha chora e você diz gentilmente a ela: “Esta bem querida, você só precisa ter mais cuidado”.
Depois de pegar outra camisa e a pasta executiva, você volta, olha pela janela e vê sua filha pegando o ônibus. Dá um sorriso e ela retribui dando adeus com a mão.
Notou a diferença?
Duas situações iguais com finais opostos. Portanto se alguém fizer um comentário negativo, procure não levar a serio, evitando assim ser afetado e tirando sua energia. ( Stephen Covey ) Pense nisso...e tenha um bom dia...

Deus colocou você exatamente onde deve estar. Não se apresse, tudo ficará bem!

Nada em nossa vida foge do controle de Deus, é Ele quem define o melhor momento para realizar nossos sonhos. A nossa vida não segue um manua...