sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Sentimentos não são brinquedos !

Você brinca com os sentimentos das pessoas ?
Nunca diga te amo se não te interessa.
Nunca fale sobre sentimentos se estes não existem.

Nunca toque numa vida se não pretende romper um coração.
Nunca olhe nos olhos de alguém se não quiser vê-lo se derramar em lágrimas por causa de ti.

A coisa mais cruel que alguém pode fazer é permitir que alguém se apaixone por você quando você não pretende fazer o mesmo.

Somos donos de nossos atos,
mas não donos de nossos sentimentos;
Somos culpados pelo que fazemos,
mas não somos culpados pelo que sentimos;
Podemos prometer atos,
mas não podemos prometer sentimentos...
Atos são pássaros engaiolados,
sentimentos são pássaros em vôo

Mário Quintana.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Uma nova chance

É comum que as pessoas, quando seriamente doentes, olhem para seu passado arrependidas por tantos equívocos, por tantas oportunidades desperdiçadas.
Quase sempre admitem que gostariam que suas prioridades tivessem sido diferentes.

Elas sentem que poderiam ter utilizado mais tempo com as pessoas e com as atividades que realmente amavam, e menos tempo se preocupando com aspectos da vida que, se examinados mais profundamente, não têm real importância.

Outras, ainda, percebem que se afastaram de seus amores e de seus ideais de forma lenta, porém, quase irremediável.

Mas será necessário esperar uma situação extrema para analisar a postura diante da vida e da utilização do tempo?

Embora saibamos que a morte é uma transformação e que continuaremos a viver, mesmo depois da falência de nosso corpo físico, vale a pena fazer a experiência sugerida por Richard Carlson, autor do livro Não faça tempestade em copo d'água.

Ele sugere: Imaginemo-nos em nosso próprio funeral.

Isso, segundo o autor, permitirá que consigamos olhar em retrospectiva a vida, enquanto temos oportunidades de fazer mudanças expressivas.

Além disso, tal exercício seria capaz de conceder-nos a chance de lembrar que tipo de pessoa gostaríamos de ser e quais as prioridades que realmente contam.

A respeito desse tema vale a pena lembrar a postura de Francisco de Assis.

Pouco tempo antes de sua desencarnação, Francisco, já muito doente e enfraquecido, trabalhava tranquilamente em seu jardim, quando foi interrompido por Frei Leão, um dos seus seguidores.

Frei Leão, embevecido com a figura serena do pequeno Francisco, perguntou-lhe: Paizinho - como costumeiramente o chamava - se você soubesse que iria morrer amanhã, o que você faria?

Francisco sorriu docemente e respondeu sem alterar-se: Eu continuaria a trabalhar no meu jardim.

Quantos de nós teríamos a mesma tranquilidade perante tal indagação?

Quantos teríamos, diante da certeza da morte próxima, a confiança de que estamos realmente fazendo aquilo que nos compete fazer e que nada foi relegado, abandonado, esquecido?

Francisco sabia que sua conduta não merecia reparos e que não havia nada mais, além do que ele já estava fazendo, que devesse ser realizado.

Ele demonstrou estar pleno da paz que invade apenas aqueles que têm a consciência tranquila pelo dever cumprido.

Essa análise, porém, só pode ser feita por cada um de nós, a quem compete, individualmente, saber a que viemos e se estamos atendendo e cumprindo as metas que norteiam a nossa atual existência.

Ninguém pode nos dizer o que fazer ou deixar de fazer, como, quando, e de que forma.

Trata-se de escolhas individuais, cuja responsabilidade cabe a cada um de nós de maneira direta e intransferível.

Deixar para fazer esse balanço apenas quando a desencarnação se mostra próxima e inevitável é desperdiçar as oportunidades de renovação que Deus nos oferece a cada minuto.

Além disso, independentemente da nossa atual situação, não nos é dado saber se ao amanhecer do próximo dia ainda estaremos no corpo físico.

Deus jamais desistirá de nós, mas isso não é justificativa para que protelemos por milênios a felicidade que nos é destinada desde sempre.

Pense nisso, mas pense agora.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Foi Deus, que colocou Você na minha vida.

E hoje eu vejo que todo esse tempo qúe passou, só fizeram com que a gente se fortalecesse cada vez mais.
Eu já te falei muitas vezes,é sempre e praticamente a mesma coisa, mais eu posso te garantir que o sentimento que eu tenho por você cresce cada dia mais, e eu percebo que esse amor vai durar por um bom tempo! E eu quero te agradecer, por todas as palavras que você me disse, e vem me dizendo, você consegue sim me confortar com suas palavras, com seus conselhos, e você pra mim, não é nada menos do que o melhor amor, e não duvide desse sentimento nunca, porque eu te garanto, de coração, que ele e verdadeiro. E se algum dia, por algum motivo a gente precisar se separar, não esquece nunca, que eu vou te levar comigo pra sempre, e que eu nunca vou esquecer de tudo que a gente passou juntos, e de tudo que você foi capaz de fazer por mim! Obrigado por tudo mais uma vez. Eu te amo.

Nada na vida é tão bom do que ter pessoas com quem se pode contar;aquelas que sempre que a gente precisar, vão estar por perto e com certeza irão ter aquela palavrinha de conforto;como você. Superamos barreiras, aprendemos a amar de uma forma diferente, de querer bem e estar bem;você é uma pessoa maravilhosa que por mais que apareçam os problemas, lá esta você comigo, junto, passando por cima de tudo.Amor, você, é aquela com quem me sinto bem quando estou por perto, aquela que me passa segurança apesar de as vezes não parecer,aquele que por mais que hajam brigas, sempre fica do lado quando precisa,aquela que de alguma forma não dá pra esquecer de jeito nenhum,aquela que esta junto nas horas mais importantes da minha vida, aquela que eu jamais trocarei por qualquer outra pessoa no mundo, aquela que faz parte da minha vida, e que eu amo muito, independente de qualquer coisa. É de verdade, eu nem sei como te agradecer por tudo...Em qualquer canto desse planeta,amor a minha vida é você.

Amor, Quero te pedir desculpa por tudo que já aconteceu, por tudo que te falei,que te magoou, sabe que a minha intenção não foi essa! Você é a pessoa que mais me entende, que procura saber o que ta acontecendo' me apóia nas minhas decisões mesmo elas não sendo as mais certas! E eu não quero perder isso nunca, de forma alguma, quero cultivar para que nunca pare de crescer, se um dia eu perder não deixa que isso aconteça, porque você é muito importante pra mim, eu quero você do meu lado a todo instante,aproveitar cada minuto como se fosse o ultimo! Obrigado por sempre estar do meu lado, eu sei que no começo foi difícil, não tinha tanta confiança assim entre nós, mais hoje eu sei que em você posso confiar! Não tem palavras que possam descrever esse sentimento que eu sinto por você. Vai além de todo amor que um dia eu imaginei ter por você e que hoje e a cada dia mais vai crescendo dentro de mim. É uma felicidade incomparável, é a melhor sensação, é a pura sorte de ter você ao meu lado, e mesmo que não possam ser todos os dias, só de saber que eu tenho você, e poder ouvir sua voz, falar com você, já me conforta.

Você tem uma importância , em cada coisinha que eu faço no meu dia, cada minuto que passa eu estou pensando sempre em você e fico cada vez mais com saudades de você, de tudo em você, e cada dia, cada minuto, cada momento que eu passo com você é perfeito, simplesmente tudo com você é maravilhoso.Você entrou na minha vida de uma forma tão rápida, e deu um novo sentido a tudo que eu faço, você mudou tudo, e essa mudança foi a melhor que já me aconteceu. Você me ensinou o que é ama alguém de verdade, e dividir com ela todos os seus sentimentos, seus segredos, seus medos, seus desejos, tudo. Eu nunca pensei que agente ia dar tão certo assim como agente deu, porque agora não existe mais entre agente o eu e o você, mais sim o nós, porque agora somos nós, e o que os outros falam, pensam.. Não importa pra gente, porque o nosso amor está acima de qualquer coisa.
Você é muito mais do que um namorada pra mim, você é como um melhor amigo, você é o meu anjo, o minha protetora, você é simplesmente tudo o que eu preciso.
Você é a melhor pessoa que eu pude encontrar, você era tudo que faltava pra mim, e agora você é tudo que da sentido a minha vida, eu te amo , eu preciso estar com você todo tempo, e cada minuto sem você é horrível porque agora sem você não dá, qualquer coisa que eu estiver fazendo eu sempre vou estar pensando em você. Eu sei que eu tive a maior sorte do mundo em te encontrar, e eu não preciso de mais nada, porque você é o melhor, você simplesmente é tudo pra mim, tudo que eu preciso, e eu amo cada coisinha que você fala, cada coisinha que você faz, e amo tudo em você, e agora eu não sei o que seria de mim se eu não tivesse você comigo.
Eu agradeço todos os dias por ter você, por você ser minha namorada perfeita, porque eu não esqueço de você um minuto se quer do meu dia, você me ensinou tantas coisas que agente nem percebe, e juntos nós somos muito mais.

Nunca ninguém vai te ama como eu te amo, porque é o sentimento mais verdadeiro

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Um ato de Amor

Aquele era um dia dos mais felizes na vida de André.

Afinal, ele iria realizar seu grande sonho: mergulhar na piscina grande do clube.

Seu pai havia lhe prometido que, quando ele completasse cinco anos de idade, poderia entrar na piscina dos adultos. Na companhia do pai, é claro.

O pequeno André estava radiante naquela manhã ensolarada de domingo.

Ele e o pai chegaram cedo ao clube. E como o pai precisava fazer o exame médico, pediu ao filho que o aguardasse por alguns minutos.

Mas André, que não via a hora de pular naquele mar de águas azuis, tão logo o pai se afastou, correu para a piscina e mergulhou com vontade.

Foi só depois do mergulho que ele se deu conta de que aquela piscina não tinha fundo.

Acostumado com a piscina rasa onde sentia seus pezinhos firmes no chão, não desconfiava que a piscina grande era diferente.

Aqueles foram os segundos mais dolorosos da sua existência...

A água entrando em seus pequenos pulmões... Seus bracinhos frágeis tentando alcançar a superfície, respirar... Tudo em vão.

Ao redor, o silêncio...

André percebeu que não adiantava mais lutar... Resolveu parar de se debater e dormir...

Tudo foi ficando longe, a angústia passou e ele sentiu que uma mão iluminada se estendia na sua direção...

Percebeu, ao longe, um túnel de luz que o atraía...

Entregou-se àquele sono diferente... E nada mais percebeu.

Algum tempo depois André recobrou os sentidos, mas já não estava mais na água, estava no hospital...

Os pais, em desespero, vibraram quando ele deu os primeiros sinais de vida...

Os anos se passaram e André nunca esqueceu aquele episódio.

Na sua juventude, foi que seu pai lhe contou como ele havia sido salvo.

Um homem bom que passava pela piscina naquele dia distante, viu algo estranho no fundo da água e perguntou a outro homem, que também estava nas proximidades, o que era aquilo.

O outro disse que talvez fosse um desses garotos testando por quanto tempo poderia ficar sem respirar.

Mas o homem bom não se contentou com a resposta. Mergulhou imediatamente e descobriu o corpo do garoto, quase sem vida.

Retirou-o da água e constatou que seu corpo já estava todo roxo. Não podia perder nenhum minuto.

Começou ali mesmo os procedimentos para reavivar aquele corpinho inerte.

Com as técnicas adequadas conseguiu reativar seu coraçãozinho e o garoto foi levado às pressas para o hospital.

Mas o mais importante dessa história, foi o homem que salvou a vida de André.

Como ele sabia as técnicas exatas para efetuar aquele salvamento?

Na verdade essa habilidade lhe custou muito caro. Um dia ele viu seu filho pequeno morrer daquela mesma forma, porque não sabia o que fazer...

Com o coração dilacerado de dor, aquele pai prometeu a si mesmo que jamais deixaria alguém morrer na sua frente por falta de socorro.

Fez cursos e aprendeu todos os procedimentos para atendimentos de emergência.

E foi assim que ele conseguiu fazer com que o pequeno André recuperasse os sinais vitais e conseguisse chegar vivo até o pronto socorro.

Tudo porque aquele pai não se deixou abater pela dor. Pelo contrário, viu na dor um grande desafio.

O desafio de ser um agente de Deus junto aos seus filhos. O desafio de ser um agente do bem.

Um pai... Uma dor... Uma nobre decisão... Um grande exemplo.

E quanto a André? Terá feito jus a essa segunda chance recebida?

Sim, é claro! Hoje ele é o jovem pai de dois meninos. Seus pulmões foram poupados para que ele fosse um excelente saxofonista e alegrasse o mundo através da música.

Um garoto e seu sonho inocente... Um homem bom... Uma bela história...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A impiedade

A falta de piedade e de indulgência na apreciação do comportamento dos outros, tem causado infelicidade e desgosto na vida de muitas pessoas.

Um dia desses uma senhora narrava o seu desconforto, quando percebia os comentários ácidos a seu respeito, quando ela e o marido buscavam os primeiros lugares para se sentar, nos eventos de que participavam.

Ela, uma senhora muito jovial, sempre sorridente, simpática e cordial, é portadora de uma deficiência auditiva grave.

Mesmo com a ajuda dos aparelhos precisa da leitura labial para entender o que as pessoas falam.

É esse o motivo pelo qual sempre busca os primeiros lugares, e o esposo lhe faz companhia.

Na tentativa de evitar os comentários maldosos, ela costumava se justificar, sempre que havia alguém por perto, quando ia se sentar na primeira fila.

Com o passar do tempo, notou que não bastava dar satisfação a uns, pois sempre restava alguém para comentar maldosamente a sua atitude.

Como o casal se tornou conhecido em muitos dos lugares que freqüenta, é comum encontrar duas poltronas reservadas, bem à frente, para se sentar. E isso incomoda os impiedosos de plantão.

Mais uma vez temos que dar razão a Jesus, quando recomendou o não julgueis.

Quem desconhece todos os porquês das atitudes de cada pessoa, e estabelece julgamentos precipitados e maldosos, acaba agindo com impiedade e injustiça.

Foi o que ocorreu com uma jovem cantora, portadora de deficiência visual, que se apresentava num restaurante.

Um cliente, que simpatizou com a moça, passou a fazer gestos de aprovação e a lhe mostrar, vez ou outra, um copo com bebida, oferecendo-lhe um drinque.

Como a moça não demonstrava nenhum sinal de interesse ou agradecimento, ao final da apresentação ele foi até o palco e despejou um copo de bebida com pedras de gelo sobre os pés da cantora, e falou: "Isto é para você deixar de ser mal-educada e indiferente aos meus galanteios!"

A moça, que não sabia o que estava acontecendo, saiu tateando, assustada, em busca de alguém que a ajudasse a entender a situação.

E o rapaz, só depois do vexame, se deu conta de que a cantora não era mal-educada, nem indiferente, apenas não podia vê-lo.

Casos como esses nos levam a refletir sobre como somos impiedosos ao julgar indivíduos que desconhecemos.

Não seria mais justo e coerente não julgar?

E o que é mais lamentável é que mesmo percebendo que fomos injustos e impiedosos, dificilmente pedimos desculpas.

A consciência nos acusa, mas o orgulho nos impede o gesto de humildade.

E o orgulhoso sofre mais, não há dúvida. Ele prefere a autopunição, com enfermidades variadas, a um pedido sincero de perdão.

É mais fácil para o orgulhoso amargar uma doença, causada pela consciência de culpa, do que reconhecer que falhou na apreciação de pessoas ou situações.

E como a consciência nos acompanha dia e noite, e não podemos fazê-la calar-se, é preciso ouvi-la com mais atenção.

Procure observar o mundo com olhos de fraternidade, de piedade, de compaixão.

Considere que as aparências podem nos enganar, muitas e muitas vezes.

Para construir um mundo onde a felicidade esteja mais presente, é preciso corrigir o nosso olhar e a nossa forma de apreciação de pessoas e situações.

Pensemos nisso, sempre que a tentação de julgar os outros se apresentar.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Sonhar é divertido e Perigoso


Após a separação dos Beatles, e após três álbuns experimentais, John Lennon lançou seu primeiro disco oficial, “John Lennon Plastic Ono Band”. Era dezembro de 1970. Na canção "God" ele diz a famosa frase "O sonho acabou".

Estas 3 palavras marcaram o fim de uma época, em que muitos acreditavam que todo e qualquer sonho era possível.

Desde então, muitos fatos vieram trazer concretude à frase do ex-beatle, dentre os quais dá para citar não só a queda do muro de Berlim, como a corrupção desvairada na política. Talvez por isso, muitos reescrevem hoje a frase de Lennon como “As utopias acabaram”...

Ledo engano. Sonhos e utopias não acabam. Eles podem, quando muito, deixar de mover nossas ações.

Pessoas sonhadoras agem de forma diferente de quem se diz pragmático. Esta a diferença dos anos vigentes para os anos insurgentes. Vivemos hoje a fria e dura fase do pragmatismo, em que a busca do resultado antecede sonhos e devaneios. É a vitória do individual sobre o coletivo, do “se dar bem” sobre o “podemos melhorar o mundo”.

Não estamos atentos para as novas utopias, mas elas estão aí, em movimentos sociais, culturais e políticos que teimam em se confrontar à sociedade do espetáculo, da cultura de massas e do sistema financeiro.

Poetas? Doidivanas? Não sei, mas é gente que faz do bem comum o principal alicerce de seu sonho. Gente que imagina uma sociedade fraterna em contraposição à sociedade baseada em desigualdades, que gera desequilíbrios sociais e a sensação de medo do próximo a todo instante.

A nós, que a tudo assistimos e ainda não escolhemos um lado nessa polêmica – seja por desconhecimento ou até mesmo por ignorância – restam duas opções. A primeira já está tomada, enquanto não tomamos decisão alguma. É a mesma de Greta Garbo, quando disse, no auge da fama, "Quero que me deixem sozinha".

A outra é a mais arriscada: permitir que um pouco de nossos sonhos contamine nosso dia-a-dia. Pode ser nossa profissão, nossa vida sentimental, nossa escolha por hobbies, ou até mesmo uma opção política...


Sonhar, ao contrário do que podemos imaginar, pode ser perigoso. Divertidamente perigoso... (Alexandre Pelegi). Pense nisso...e tenha um bom dia

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Do outro lado

No consultório, o homem muito doente, perguntou ao médico:

Doutor, o que existe do outro lado da vida?

O médico olhou seu paciente nos olhos, repousou a caneta sobre a mesa, cruzou os braços e respondeu calmamente:

Eu não sei!

Como não sabe? - Falou exasperado o paciente. Eu vou morrer, não sei o que existe do outro lado e o senhor me fala com esta tranquilidade?

Neste momento, ganidos se fizeram ouvir do lado de fora da porta. Logo em seguida, arranhões na madeira.

O médico se levantou, foi até a porta e a abriu. Um belo cão saltou feliz, nos braços do dono.

Agitava a cauda, lambia o médico, manifestando a sua alegria.

Então, o profissional atencioso olhou para o homem desolado e lhe disse:

Você viu o que fez este cão? Ele nunca estivera aqui, antes. No entanto, ele entrou na sala confiante, alegre, tão logo lhe foi aberta a porta.

E sabe por que? Porque ele sabia que nesta sala estava seu dono.

Eu também. Não sei o que existe do outro lado da vida. Mas de uma coisa eu tenho certeza: o meu Senhor estará lá! Então, não há o que temer.

Ao longo das eras, o homem tem se indagado o que existe para além da tumba, como será a outra vida.

Em torno disso, teólogos e religiosos se têm posto a pensar e têm até estabelecido discussões acerca das ideias que fazem do que seja essa outra vida para onde todos iremos.

No século XIX, na França, um pedagogo francês indagou dos Imortais a respeito e o véu começou a ser levantado, revelando um mundo cheio de vida.

Vida abundante como falou o Mestre de Nazaré.

Livros foram escritos dizendo de como essa vida prossegue para os Espíritos imortais que somos todos nós.

Mas nem todos creem nos Espíritos, nessas vozes dos céus. Nem todos creem na mediunidade e nos fenômenos da comunicação dos chamados mortos.

Contudo, todos os que nos dizemos cristãos, com certeza recordamos das palavras do Mestre Jesus, em Seu discurso de despedida, naquela noite de quinta-feira, precedendo a Sua prisão:

Não se turbe o vosso coração. Crede em Deus. Crede também em mim.

Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fosse, eu vo-lo teria dito. Eu vou para vos preparar o lugar.

Portanto, tem razão o médico. Se nosso Senhor estará lá, se disse que iria à frente para nos preparar o lugar, é que nos aguarda.

Dessa forma, não importa o que mais exista lá. Não importa se temos ideias mais nítidas ou não do que exista para além da vida física.

Uma certeza temos: Jesus estará lá. Ele nos aguarda, Pastor de todas as ovelhas deste planeta e, como bom Pastor, nos receberá.

Pensemos nisso!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Carta VII

Agradeço por te ter conhecido, não haverá momento algum em que eu me arrependa por teres surgido na minha vida com contornos de um anjo que Deus me enviou. Lembro-me da alegria que senti naqueles momentos, tudo foi perfeito e maravilhoso. Não foram coincidências o que aconteceu, nós simplesmente nos encontrámos na hora certa e no lugar certo. Surgiste do nada, mas fizeste uma profunda mudança na minha vida, tu eras quem eu simplesmente sonhava todas as noites e perguntava-me onde estava essa maravilhosa mulher.
Tu surgiste e tornaste a minha vida mais rica, mais completa, com mais esperança para os meus dias.

Contigo meu amor soube o que era amar. O amor que sentia por ti fazia-me sorrir quando pensava em ti, quando ouvia a tua voz, quando sentia o sabor do teu beijo. Sentia-me seguro com as nossas conversas. Todo o tempo que passava contigo, tentei aproveitar ao máximo, não descuidando um segundo sequer que fosse por ser o “tempo” mais bonito de toda a minha vida. Adorava ficar ao teu lado, sentir o teu abraço, abraço esse que hoje sinto imensa falta. Adorava o teu cheiro, o teu calor, sentir-te simplesmente bem perto de mim. O nosso primeiro beijo fez-me acreditar que era possível realizar todos os meus e os teus sonhos. Fez-me sentir um amor puro e verdadeiro quando os nossos lábios se uniram e os nossos corações bateram num ritmo uníssono. Eu preciso tanto de ti.

Tu foste a única que me fez esquecer todas as dores do mundo, mas hoje não estás comigo para as esquecer, agravando-se com as saudades que sinto. Nunca quis acreditar ou aceitar que um dia existiria uma despedida entre nós, sempre acreditei que estaríamos juntos o resto das nossas vidas. Puro engano! Se tivesse acreditado na realidade em que tudo se transformou, teria inventado uma fórmula para congelar o tempo e com certeza escolhia como momentos o nosso primeiro beijo, o nosso primeiro encontro. Mas já não há mais tempo, o nosso tempo simplesmente acabou. Depois da despedida que verdadeiramente nunca aconteceu, tu seguiste o teu rumo e eu segui o meu. Os nossos dedos deixaram de estar entrelaçados e as minhas mãos arrefeceram sem o calor das tuas.

Apenas quero dizer uma vez mais, se ainda lês o que para ti vou escrevendo, que podes ter a certeza, que eu nunca irei esquecer-te meu amor, mesmo se já não pertencemo-nos um ao outro. Aos poucos foste saindo da minha vida em resultado desta tua ausência. Foram inúmeras as vezes que pedi para voltares, não interessando de que forma, com ou sem outro amor, apenas pedi o teu regresso até mim. Levas um pedaço da minha alma para sempre, porque tu és eterna. Não quero que penses que sofro por tua causa, esse tempo também já não existe mais, existe apenas a saudade daquilo que fomos um dia. Se puder pedir alguma coisa a ti, quero que fiques feliz pelo simples fato de ter tido a oportunidade de amar-te e não te esqueças deste amor. Mesmo quando os anos marcarem a tua vida, lembra-te deste amor e sorri, para onde quer que eu esteja possa sentir esse teu sorriso e saber que ainda pensas em mim.

Nunca te pedi nada em troca, no amor nada se pede, estavas dentro de mim deixando-me completamente preenchido. Mesmo nos momentos de distância, eu procurava-te dentro do meu universo, encontrava-te e voltava a sonhar. Em cada momento, em cada pensamento, em cada palavra escrita ou pronunciada, tudo foi sincero. Não imaginas o quanto me fizeste feliz, desculpa se não fui capaz de transmitir-te essa felicidade. Hoje tenho a certeza o quanto fui feliz enquanto estiveste ao meu lado. Resta agora dentro do meu coração uma saudade, saudade de ti meu amor.

Compreendi que tinha que deixar-te partir da minha vida, mesmo que ainda não saiba o verdadeiro motivo, apenas tive que aceitar. Se disser que foi ou está a ser fácil, seria a maior mentira que diria em toda a minha vida e mesmo que os nossos caminhos jamais se voltem a cruzar, eu decido seguir em frente e feliz. Quando olhar para trás tu estarás lá, fazendo parte de um momento especial da minha vida e uma vez mais com muita saudade. Espero que encontres alguém que te complete e tenhas a capacidade de entregar a esse amor como eu me entreguei. Desejo-te toda a felicidade do mundo.

Da janela vejo uma noite escura e os pingos da chuva que estão agora a cair, dão-me a certeza de que nunca vais voltar, as minhas lágrimas vão embaraçando a visão, aos poucos a tua imagem vai-se dissipando e para amenizar a saudade guardo na retina a tua face, deixando nela um beijo para não me esqueceres mesmo na hora desta minha despedida.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Ouço Deus Me Chamar


Ouço Deus Me Chamar
(Ludmila Ferber)




Alta madrugada vai
Já estou deitado mas
Ouço Deus me chamar
Sua voz suave é
Como um sussurro
Ouço Deus me chamar
Meu coração se aperta
Eu ando tão cansado
Tenho trabalhado tanto...
Meu coração se aperta
Ao Ouví-lo me chamando,
Me chamando, me chamando me chamando,me chamando
eu vou...
já estou indo ao Teu encontro
Senhor...
Vou correndo ao Teu encontro

Alta madrugada vai
Já estou deitado mas
Ouço Deus me chamar
Sua voz suave é
Como um sussurro
Ouço Deus me chamar
Meu coração se aperta
Eu ando tão cansado
Tenho trabalhado tanto...
Meu coração se aperta
Ao Ouví-lo me chamando,
Me chamando, me chamando me chamando,me chamando
eu vou...
já estou indo ao Teu encontro
Senhor...
Vou correndo ao Teu encontro

Nem que seja
Pra Ficarmos
Em silêncio a sós
(Senhor só nós)
Nem que seja
Simplesmente
Pelo prazer
De ouvir Tua voz
Não há como desprezar
O Teu chamado
Não há como rejeitar
Tua presença

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

A fita Metríca do Amor

Como se mede uma pessoa?
Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento.
Ela é enorme pra você quando fala do que leu e viveu,
quando trata você com carinho e respeito, quando
olha nos olhos e sorri destravado.
É pequena pra você quando só pensa em si mesmo,
quando se comporta de uma maneira pouco gentil,
quando fracassa justamente no momento em que teria que
demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas:
a amizade.

Uma pessoa é gigante pra você quando se interessa
pela sua vida, quando busca alternativas para o seu
crescimento, quando sonha junto.
É pequena quando desvia do assunto.

Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende,
quando se coloca no lugar do outro, quando age não de
acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o
que espera de si mesma.
Uma pessoa é pequena quando se deixa
reger por comportamentos clichês.

Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou
miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou
decrescer num espaço de poucas semanas:
será ela que mudou ou será que o amor é traiçoeiro
nas suas medições?
Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor
que parecia ser grande.
Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que
parecia ser ínfimo.

É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se
agigantam e se encolhem aos nossos olhos.
Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros,
mas de ações e reações, de expectativas e frustrações.
Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la
inesperadamente, se torna mais uma.
O egoísmo unifica os insignificantes.

Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam
uma pessoa grande.
É a sua sensibilidade sem tamanho.

Martha Medeiros


A pessoa é grande quando ela não faz dos pequenos problemas do dia dia
uma grande muralha.
Ela é grande quando faz seu companheiro se sentir amado e acima de tudo respeitado dentro de suas limitações.
Essa pessoa é grande quando não insiste em fazer a outra pessoa torner-se igual a ela e sim ama-la como ela é e aceita-la.
Por isso para sair do tamanho miniatura e crescer em sabedoria e amor é preciso respeito pela individualidade de cada um.
pense nisso e tenha um excelente dia!!

sábado, 16 de outubro de 2010

Professores

Você recorda o nome de sua primeira professora?

Pois é, quase nunca lembramos. Mas, com certeza, recordamos dos nomes dos nossos professores universitários. E não é pelo fato da proximidade de nossa formatura. Nós os lembramos pelo cabedal e conhecimentos, pela experiência e segurança, dentro de sua área de atuação.

Nós os recordamos porque partilharam das nossas lutas mais árduas, a fim de conseguirmos o tão ambicionado diploma. Nós os lembramos porque estiveram conosco nas pesquisas e nas orientações particulares. Também porque foram, muitas vezes, os que nos conduziram aos nossos primeiros estágios, ensaiando-nos para a carreira profissional.

Alguns nos orientaram em nossas monografias, a fim de alcançarmos as especializações que almejávamos.

Temos razão em recordá-los e com gratidão. Entretanto, de nada adiantaria todo o conhecimento e a experiência deles na universidade, se não tivéssemos chegado até lá.

E somente chegamos até lá porque em nossa infância, alguém de extrema dedicação, nos abriu a possibilidade da leitura, desvendando-nos o alfabeto.

Alguém que teve paciência suficiente para nos ensinar a decifrar os códigos da escrita. Que tomou a nossa mão e foi traçando os contornos das vogais e consoantes, a fim de que aprendêssemos a escrever.

Esta criatura foi nossa primeira professora. Enquanto brincávamos ou descansávamos após as horas da escola, ela se debruçava sobre livros à cata de contos e histórias para melhor ilustrar o ensino, no dia seguinte.

Enquanto nós dormíamos, ela estava criando e confeccionando materiais com suas mãos habilidosas. Eram personagens, gravuras, painéis para compor a próxima.

Tudo para que o estudo nos parecesse atraente e a escola nos conquistasse.

Crescemos. Hoje, quando lemos com fluência, até em outros idiomas, possivelmente nem nos recordamos das dificuldades dos primeiros momentos.

Após tantas conquistas e tantos anos passados, é bom nos recordarmos da nossa primeira professora, aquela que descobriu a terra propícia da nossa riqueza interior e a despertou.

Aquela que nos ensinou os sons precisos das letras e como uni-las, a fim de formar palavras. Aquela que nos forneceu as noções básicas das operações aritméticas, a fim de que pudéssemos entender as noções de quantidade, pesos, medidas.

Se você tem hoje filho na escola e se emociona quando ele chega em casa, cantando uma pequena canção ou contando uma história, lembre: há uma criatura muito especial que se dedica de forma muito particular a ensinar-lhe muitas coisas, todos os dias.

Por isso, da próxima vez que seu filho olhar para uma placa ou painel de propaganda, em plena rua e começar a soletrar, tentando unir as letras para formar palavras e você o olhar com orgulho, não deixe de lembrar do tesouro precioso que é a escola.

Mais do que isso, não esqueça de agradecer, de vez em quando, à professora, por essas pequenas grandes conquistas do seu filho.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

CONFIRA A TRADUÇÃO DO DIA COM CÉSAR BRITO

Duas bolas, Por favor - por Danuza Leão

Não há nada que me deixe mais frustrada do que pedir sorvete de sobremesa,contar os minutos até ele chegar e aí ver o garçom colocar na minha frente uma bolinha minúscula do meu sorvete preferido.
Uma só.
Quanto mais sofisticado o restaurante, menor a porção da sobremesa.
Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência, comprar um litro de sorvete bem cremoso e saborear em casa com direito a repetir quantas vezes a gente quiser, sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação.

O sorvete é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano.
A vida anda cheia de meias porções, de prazeres meia-boca, de aventuras pela metade.
A gente sai pra jantar, mas come pouco.
Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons.
conquista a chamada liberdade sexual, mas tem que fingir que é difícil (a imensa maioria das mulheres continua com pavor de ser rotulada de 'fácil').

Adora tomar um banho demorado, mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta./

Tem vontade de ficar em casa vendo um dvd, esparramada no sofá, mas se obriga a ir malhar./

E por aí vai.

Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar', tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação...
Aí a vida vai ficando sem tempero, politicamente correta e existencialmente sem-graça, enquanto a gente vai ficando melancolicamente sem tesão...

Às vezes dá vontade de fazer tudo “errado”.
Deixar de lado a régua, o compasso, a bússola, a balança e os 10 mandamentos.
Ser ridícula, inadequada, incoerente e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito.
Recusar prazeres incompletos e meias porções.

Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem, podemos (devemos?) desejar várias bolas de sorvete, bombons de muitos sabores, vários beijos bem dados, a água batendo sem pressa no corpo, o coração saciado.

Um dia a gente cria juízo.
Um dia...
Não tem que ser agora.

Por isso, garçom, por favor, me traga: cinco bolas de sorvete de chocolate...
Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Se o amor morreu, enterra o defunto!


Sabe este relacionamento que já dura anos, que não tem mais a mesma magia e encanto do começo, mas você ainda se prende a ele? Quantas vezes deve ter procurado uma explicação para esta sua inércia, tentando se enganar, achando que ainda existe algum amor entre vocês? E por acaso já parou para pensar que o amor de vocês já morreu há muito tempo, ficando apenas as sobras do que um dia foi um relacionamento?

Eu sei que muitas vezes é duro abrir mão dos sonhos e planos que vocês fizeram para o futuro, mas é muito mais importante ver que o futuro não existe mais! Por mais que tente encontrar dentro de sí uma força milagrosa que faça tudo voltar a ser como era antes, sem perceber está apenas eternizando este sofrimento.

"Mas, como um amor tão grande como o nosso acabou deste jeito?"

Oras, acabando igualzinho uma porção de coisas acabam: por desgaste!

E, cá entre nós, não existe nada mais frágil às mudanças da vida do que o amor. Sim, o amor é tão inconstante que, muitas vezes o que parecia ser o homem de sua vida, pode se tornar o maior erro que cometeu. Deixe

de lado esta sua preocupação com o fim dos seus sonhos dourados, é importante escutar seu coração quando ele lhe diz para largar o osso!

Se a vida entre vocês é tão emocionante quanto um documentário sobre a vida sexual das minhocas do Kilimanjaro, e a ultima vez que teve uma noite de sexo de qualidade foi há tanto tempo que nem sabe mais se é fruto da sua imaginação, então você não o ama mais, aceite!

Tanto o seu coração quanto o dele já broxaram, por isto que esta bimbadinha tem ficado cada vêz mais chinfrim!

Fala a verdade: se ele sumisse por alguns dias você nem ia dar falta, não é? Então, que amor é este onde não existe mais tesão, aquela vontade gostosa de engolir o outro até a alma? Está

se prendendo tanto por que? O que te faz ficar tão acomodada que não é capaz, sequer, de tomar uma atitude sensata?
Este homem já é passado, nem tesão mais você sente por ele. E por mais que faça planos, ele não estará lá para participar de seus sonhos!

Minha amiga, a vida entre vocês tem muita tristeza, muito descaso e, por incrível que pareça, deve ter muita cobrança, não tem?

É capaz dos dois passarem horas sentados, um do lado do outro, sem trocarem uma palavra, mas se você der uma saidinha com as amigas, é capaz dele reclamar que não liga para ele, não é?

Cuidado, porque este tipo de relacionamente tende a ficar cada vez mais neurótico! Sem querer, num comportamento possessivo, um vai começar a querer prender o outro, vampirizando até a alma, tudo para se sentir menos solitário!

Que tal voltar a viver com o mesmo briho nos olhos que tinha antes?

Que tal desocupar este espaço, que está sendo preenchido por alguém que não te interessa mais, pra começar? Um coração vazio é bem melhor que um coração amargurado e ferido, sabia?

Sem contar que se não desocupar a cova, dificilmente terá a chance de viver um novo amor, com alguém que lhe faça reviver aqueles momentos tão simples, mas tão confortantes, como ficar feliz apenas por saber que ele está para chegar.

E mesmo que você não ame ou sinta aquela paixão fulminante, tenho certeza de que viver sem sentir que falta um grande pedaço de sua alma já será um grande alívio!

"Com a nossa separação, ambos perdemos muito. Eu perdi porque vc foi a
pessoa que mais amei em minha vida. Você perdeu, porque fui a pessoa que
mais te amou em toda sua vida. Mas de nós dois, você foi a pessoa que mais
perdeu, porque eu posso vir a amar outra pessoa como eu te amei, e vc jamais
terá alguém que te amou tanto quanto eu...!"

Nattany Argélia


Dia de Nossa Senhora Aparecida

Queridos filhos:
Eis aqui a serva do Senhor!

Sou Maria, mãe e protetora dos aflitos.

Hoje convido todos a aproximar-vos de Mim por meio de vossas orações que muito Me alegram. Somente assim compreendereis o incomensurável amor que Deus tem por cada um de vós.

Sede compreensíveis ao amor de Deus, voltem para Ele com o coração aberto e repleto de amor. Fujam do pecado e dos apegos materiais. Os apegos aos bens materiais ameaçam a vida de fé. Muitos correm atrás de riquezas como se elas fossem eternas. Quantas pessoas já têm naufragado na fé distanciando - se do caminho de Deus e abandonaram o tesouro maior que é a Santa Palavra do Senhor. No amor pela Eucaristia podereis juntar riquezas no céu. Assim como o fogo produz o calor e a fumaça, assim também é a fé, ela vem acompanhada do amor pela Eucaristia. A fé e o amor motivam os Meus filhos a ir ao encontro da misericórdia de Meu Filho Jesus e nele encontram o consolo, a ajuda e a salvação da alma. (pausa )

Estas Minhas mensagens devem ser anunciadas sempre para que ninguém fique sem a informação que salva a alma.

O desejo de Meu Coração é que todos encontrem a verdade salvadora, que é Jesus na Eucaristia. Viver com Ele significa que vossos pensamentos, vossas emoções e vossas ações, são controladas pelo Espírito Santo. Aceitem o Meu convite a comecem a trilhar o caminho da Verdade e da Vida, Jesus espera - vos de braços abertos. Não deixeis a conversão para o amanhã, juntai -vos a Cristo nas dores e nas alegrias, este é o tempo em que deveis corrigir os vossos erros e consertar o que está errado. Este é o tempo de uma verdadeira entrega ao Senhor, não deixeis para a última hora , a hora é agora ,não deixeis para vos converterdes quando a terra estiver completamente coberta de luto, pois os Meus filhos passarão por um sofrimento violento. Os sofrimentos serão semelhantes a um fogo provador e purificador, e, tal como o ouro mais apurado é aquele que passa pelas mais altas temperaturas e como o crisol prova a prata, e o forno o ouro, assim muitos serão provados. Se Meus filhos estão sofrendo agora, não reclamem de vossos sofrimentos e de vossas provações, certamente se os Meus filhos aceitassem os sofrimentos os céus se povoariam de santos. A provação torna - se preciosa, devido a seus gloriosos resultados. Sereis perseguidos e provados até ao fim. Assim como Cristo passou por provações, também Seus seguidores devem passar pelo caminho das tribulações. Disse Jesus: “No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” João 16:33. Os apóstolos nunca prometeram que a caminhada com Meu Filho Jesus seria isenta de sofrimentos e provações pelo contrário, o próprio Jesus deixou Seu exemplo. A cruz deve ser levada aos ombros de cada fiel cristão. Jesus levou a cruz, e pediu que Seus seguidores também levassem a sua. O sofrimento conserva - vos na santa humildade e obedientes aos ensinamentos do Senhor.

Nas alegrias e nos sofrimentos apeguem - se ao Coração de Deus. Então, pelo apego ao Coração de Deus podereis vencê-los e dessa maneira crescerdes na graça do Espírito Santo. As provações aproximam - vos do Senhor, firmam-vos em Jesus Eucarístico e levam-vos a melhor entender os caminhos de Deus, Ele permite as aflições mas Ele permite, para o vosso bem, e está convosco na tribulação dando - vos coragem e amor. Reflitam no trecho bíblico em Isaías 43,2. “Quando passares pelas águas eu serei contigo, quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti.” Deus na Sua sabedoria permite a aflição a fim de vos aproximar de Jesus. O próprio Jesus vos convida, quando Ele disse: “vinde a mim os pobres e aflitos”, assim Deus quer - vos preparar para o reino da glória eterna que tem para cada um de vós. São Paulo apóstolo foi um homem que muito sofreu. Logo que foi chamado para seguir os caminhos do Mestre , ele ouviu de Meu próprio Filho Jesus estas palavras escritas em Actos 9,16: “eu lhe mostrarei quanto lhe importa sofrer pelo meu nome.”

Desejo ver - vos unidos a Mim aqui e na eternidade.

Eu vos amo.

Fiquem todos em Nome da Santíssima Trindade.”

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Inimizades

Você já se perguntou algum dia, de onde nascem nossos sentimentos de querer bem e querer mal? Como conseguimos querer tanto a uns, e ter aversão ou dificuldade de relacionamento com outros?

Os nossos valores e sentimentos, aquilo que guardamos na alma e no coração, são nossa identidade emocional. E será baseados nessa identidade que teremos afinidades com uns e nem tanto com outros.

É natural que tenhamos pendores para as amizades com esse ou aquele perfil de pessoa, de personalidade, pois que esses carregam na alma valores semelhantes aos nossos, valores com os quais nos simpatizamos. E o contrário também se faz regra.

Há também aqueles que, quando nos encontramos nos caminhos da vida, parece que o sentimento já estava pronto. De imediato estamos a nos gostar, a querer bem, ou a nos antagonizar, a nos querer mal.

Para esses, nossos encontros são reencontros de experiências anteriores.

Assim, ao reencontrarmos nesta vida aqueles que já aprendemos a amar em outras vidas, em outras experiências, é sempre o presente que Deus nos oferece para tornar esta existência mais suave, mais leve.

Esses serão aqueles a nos apoiar na caminhada, a nos ajudar nas dificuldades, a deixar nossos dias com o frescor do perfume da amizade e do bem querer.

E, quando encontramos aqueles com quem nos antipatizamos, é a oportunidade da vida para refazermos sentimentos.

Seja na forma da implicância, da má vontade, ou ainda, mais intensamente, do rancor ou mesmo ódio, todos esses sentimentos são variações diferenciadas do antagonismo que alimentamos pelo nosso próximo.

E se hoje, esses inimigos do ontem cruzam novamente os nossos caminhos, é porque a Providência Divina percebe ser agora o momento oportuno.

Dessa forma, aproveitemos quando a vida nos apresentar alguém que não queremos bem para aprender a amá-lo. Não um amor irrestrito e incondicional. Não o amor com que amamos um filho, o companheiro, os pais.

Esses companheiros de jornada vão exigir de nós o amor na forma da paciência, do entendimento, da benevolência, e principalmente, da compreensão.

Por isso, se detectarmos nos nossos relacionamentos, aquele que classificaríamos de inimigo, proponhamo-nos, a partir de agora, uma nova classificação para ele: alguém a ser conquistado.

Aceitemos o desafio de modificar nosso sentimento íntimo, sem a preocupação de ele ter que agir de igual modo. Afinal, nós iremos responder pelo nosso próprio campo emocional. De ninguém mais.

Façamos do inimigo, do desafeto, nosso mais dileto professor. Ele será aquele que irá nos ensinar a compreensão, a humildade, o perdão, fazendo com que conquistemos valores nobres.

Jamais gastemos tempo e energia colecionando ou criando novos desafetos. Não percamos tempo contentando-nos em tê-los, como se isso não nos dissesse respeito.

Lembremo-nos que a oportunidade que a vida nos oferece de refazer relações será sempre a oportunidade de retirar pedras e calhaus que se acumulam no baú de nossas emoções, trocando-as por joias preciosas, os verdadeiros tesouros do Reino dos Céus.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Valor pessoal

Em uma antiga cidade da Pérsia, existia uma Academia onde se reuniam os sábios da época. Chamava-se Academia Silenciosa, porque os seus membros deveriam se manter calados quanto possível, em meditação, resolvendo os problemas que lhes eram apresentados.

Certo dia, em que todos estavam reunidos, apresentou-se um eminente pensador. Chamava-se Doutor Zeb e foi ali propor a sua candidatura a um lugar entre aqueles sábios.

O Presidente da Academia o atendeu em silêncio. Depois, diante dos diversos acadêmicos, escreveu o número mil no quadro de giz, colocando um zero à sua esquerda, fazendo-o entender que este era o seu significado para os presentes.

Doutor Zeb, sem se incomodar, apagou o zero e o transferiu para o lado direito do número, tornando-o dez vezes maior.

Surpreendido, o sábio tomou de uma taça de cristal e encheu-a com água, de tal forma que, se uma única gota fosse acrescentada, a água transbordaria.

O candidato, sem se perturbar, tirou uma pétala de bela rosa que adornava o recinto e a colocou sobre a água da taça, que se manteve sem nenhuma perturbação.

Diante da excelente resposta, Dr. Zeb foi então admitido como membro daquele colégio de sábios.

Por vezes, na vida, nos sentimos qual o zero à esquerda. Acreditamos que não valemos nada, que nada de produtivo para o mundo podemos oferecer, que não fazemos falta.

É um sentimento de menos valia. Em tais dias, é importante nos lembrarmos da sabedoria do Dr. Zeb. Sempre temos algo a acrescentar de bom, útil ou belo para a vida.

Podemos ser a dona de casa, às voltas com as mil tarefas domésticas, que se detém no jardim e planta uma flor. Flor que desabrochará em colorido e perfume, embelezando o dia.

Podemos escrever um bilhete a um amigo distante, telefonar a um companheiro que está na solidão. Todos podemos dar algo de nós.

Ler uma página reconfortante ao idoso, cujos olhos se apagaram no escoar dos anos. Levar a passeio uma criança para que ela se encontre com o calor do sol, salte alegre na grama, encha de terra e pedrinhas as mãos miúdas.

Podemos confeccionar um agasalho para aquecer um pequerrucho. Costurar uma peça de enxoval para quem vai renascer. Sorrir, cantar.

Quantos talentos possuímos que esquecemos de utilizar, de valorizar?

Cada criatura, na face da Terra, é única, e valiosa.

Ninguém substitui integralmente o outro, porque cada ser é especialmente dotado com timbre de voz inigualável, personalidade própria.

Pensemos em como no mundo podemos ser a pétala de rosa, que embeleza a taça cheia d'água, acrescentando ainda o delicado perfume da presença.

Todos possuímos recursos inimagináveis que estão em germe em nossa alma, aguardando os nossos estímulos.

Possuímos o Cristo interno, poderoso, que é nosso.

Permitamos que Ele aja através de nós. Com Ele, teremos decisão para deixarmos os pensamentos doentios que se transformam em tormentos.

Saiamos pelas ruas, semelhantes ao sol da primavera que espanca o inverno e anuncia que logo mais haverá explosão de flores e perfumes no ar.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Espera

Venho de novo ao teu encontro!

De manhã quando acordei, tive um misto de tristeza, mas ao mesmo tempo me fez sorrir. Porque, sem saber ao certo explicar, senti que estava novamente tão perto de mim. É como se tivesse voltado a ler as tuas palavras, ouvir a tua doce voz, quando me sussurrava o quanto gostava de mim e porque não dizer que sinto falta dessa tua voz, do teu sorriso e de todo o teu ser.

Às vezes, pode até pensar que um dia passei a odiar-te, quis esquecer-te ou até pensas que te quero longe de mim e estaria a mentir-te se dissesse que estava enganada com os teus pensamentos, poderia até dizer-te que estava a ser tontinha ao pensar essas coisas, mas de fato eu já te odiei, nunca na verdadeira acepção da palavra, se fosse ódio, hoje não estaria a amar-te da forma como amo. Ainda hoje perguntaram-me, porque não amo, porquê que não quero casar e sabes o que respondi? Eu amo sim, e amo muito uma pessoa que para mim é única e faz-me desejá-la como mais ninguém. Assim vão passando os dias, meses e anos e continuas bem dentro de mim, sem me preocupar com mais nada. Eu continuo a fazer a minha vida, continuo a ser feliz, mas claro se estivesses ao meu lado, poderia ser ainda mais feliz por poder partilhar todo o meu amor contigo.

Se um dia disse que queria esquecer-te ou que estivesse longe de mim, lembra-te que as minhas intenções para contigo eram as contrárias. Lembra daquela canção que diz assim: “Quando eu digo que deixei de te amar, é porque eu te amo! Quando eu digo que não quero mais você, é porque eu te quero!” São estas as razões que levam a dizer-te que o meu amor verdadeiro por ti, esse nunca morreu e estará sempre à tua espera, mesmo que continues a pensar que te odeio, quero esquecer-te ou quero-te longe de mim. A distância que eu quero que nos separe, que seja apenas aquela que se encontra entre o mar e areia, as estrelas e o céu, os teus lábios e os meus quando demos o ultimo beijo ou a distância que tiveram os nossos corpos quando nos deitamos na minha cama.

Volto de novo para a cama e sonho contigo. Olho para os teus olhos e abraçar-te como tantas vezes abraço, caminhar de mão dada por entre pingos de chuva, sem nos importarmos de ficar molhados. Passear junto ao mar e contemplar outro por – do – sol, entre outros, são estes os meus sonhos que me fazem desejar-te ainda mais e acreditar que falta menos um dia para que tudo isto se torne realidade e finalmente possa amar-te, amar-te muito mais o resto da minha vida…

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Tempo certo

Em um dos livros bíblicos – o Eclesiastes – há um texto de grande beleza. É o capítulo 3.

Esse texto, que é atribuído ao sábio Rei Salomão, versa sobre o tempo e é uma preciosa lição.

Diz que tudo tem o seu tempo determinado, e que há tempo para todo o propósito sob o céu.

Há tempo de nascer, e tempo de morrer. Tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou.

Tempo de derrubar, e tempo de edificar. Tempo de chorar, e tempo de rir ou de dançar.

Tempo de abraçar, e tempo de afastar-se. Tempo de buscar, e tempo de perder.

Tempo de guardar, e tempo de lançar fora. Tempo de rasgar, e tempo de costurar.

Tempo de calar, e tempo de falar.

É uma sábia avaliação do ritmo e das leis que regem a vida. Nascemos quando precisamos de mais uma experiência na Terra.

E devemos deixar o corpo, no momento exato em que já cumprimos nossa missão na Terra. Nem antes, nem depois, mas no exato momento em que Deus nos convida a voltar para a nossa casa celeste.

Há a hora certa para falar: é quando nos dispomos a consolar o que chora, a emprestar um ombro amigo, a dar um bom conselho.

Há o momento de silenciar, quando basta segurar a mão de alguém e transmitir solidariedade.

E há o momento de calar, para não ofender, magoar, maltratar.

Há o momento de plantar e o de colher. Não podemos esquecer que tudo o que semearmos livremente, seremos obrigados a colher mais tarde.

É uma lei universal chamada causa e efeito: a vida nos devolverá na exata medida do que fizermos.

Seríamos tão mais felizes se observássemos o momento adequado de todas as coisas.

A vida requer olhos atentos. Não apenas os olhos físicos, mas as janelas da alma que são capazes de identificar necessidades e potenciais alheios.

As almas sensíveis reconhecem a hora certa de agir.

Diz o texto do Eclesiastes que não há coisa melhor do que alegrar-se e fazer o bem. Somente um sábio seria capaz de dizer tão profunda verdade com tanta simplicidade!

Viver contente com todos os aprendizados que a vida traz é uma arte pouco praticada e quase desconhecida.

Saber alegrar-se com as pequeninas coisas de todo dia. Descobrir poesia em pétalas de flor, luares e poentes.

E fazer o bem? Há atividade mais agradável aos olhos de Deus que amar todos os seres, respeitar a Criação Divina, impregnar-se de ternura?

É esse sentimento de admiração à obra Divina que fez o sábio Salomão escrever:

Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente. Nada se lhe deve acrescentar, e nada se lhe deve tirar.

Sim, diante da obra Divina, só nos cabe entender que nada acontece sem que o Pai Celeste saiba e permita.

Embora debaixo do sol haja mais impiedade que demonstrações de amor, mais iniqüidade que justiça, acredite: tudo está correto e seguindo a vontade Divina.

Isso é tranqüilizador.

O importante não é a maneira como os outros agem, mas como nós agimos.

Não se preocupe com os outros. Preste contas apenas de sua vida e de seus atos.

O frio que vem de Dentro


Seis homens ficaram bloqueados numa caverna por uma avalanche de neve. Teriam que esperar até o amanhecer, para poderem receber socorro.
Cada um deles trazia um pouco de lenha e havia uma pequena fogueira ao redor da qual eles se aqueciam. Se o fogo apagasse - eles o sabiam, todos morreriam de frio antes que o dia clareasse. Chegou a hora de cada um colocar sua lenha na fogueira. Era a única maneira de poderem sobreviver.
O primeiro homem era um racista. Ele olhou demoradamente para os outros cinco e descobriu que um deles tinha a pele escura. Então ele raciocinou consigo mesmo:"Aquele negro! Jamais darei minha lenha para aquecer um negro".
E guardou-as protegendo-as dos olhares dos demais.
O segundo homem era um rico avarento. Ele estava ali porque esperava receber os juros de uma dívida. Olhou ao redor e viu um círculo em torno do fogo bruxuleante, um homem da montanha, que trazia sua pobreza no aspecto rude do semblante e nas roupas velhas e remendadas. Ele fez as contas do valor da sua lenha e enquanto mentalmente sonhava com o seu lucro, pensou:
- "Eu, dar a minha lenha para aquecer um preguiçoso"
O terceiro homem era o negro. Seus olhos faiscavam de ira e ressentimento. Não havia qualquer sinal de perdão ou mesmo aquela superioridade moral que o sofrimento ensinava. Seu pensamento era muito prático:
- "É bem provável que eu precise desta lenha para me defender. Além disso, eu jamais daria minha lenha para salvar aqueles que me oprimem". E guardou suas lenhas com cuidado.
O quarto homem era o pobre da montanha. Ele conhecia mais do que os outros os caminhos, os perigos e os segredos da neve.
Ele pensou:
- "Esta nevasca pode durar vários dias. Vou guardar minha lenha."
O quinto homem parecia alheio a tudo. Era um sonhador. Olhando fixamente para as brasas. Nem lhe passou pela cabeça oferecer da lenha que carregava.
Ele estava preocupado demais com suas próprias visões (ou alucinações?) para pensar em ser útil.
O último homem trazia nos vincos da testa e nas palmas calosa das mãos, os sinais de uma vida de trabalho. Seu raciocínio era curto e rápido.
- "Esta lenha é minha. Custou o meu trabalho. Não darei a ninguém nem mesmo o menor dos meus gravetos".
Com estes pensamentos, os seis homens permaneceram imóveis. A última brasa da fogueira se cobriu de cinzas e finalmente apagou.
Ao alvorecer do dia, quando os homens do Socorro chegaram à caverna encontraram seis cadáveres congelados, cada qual segurando um feixe de lenha. Olhando para aquele triste quadro, o chefe da equipe de Socorro disse:
- "O frio que os matou não foi o frio de fora, mas o frio de dentro". Pense nisso...e tenha um bom dia...

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

A Onça

Ao voltar de um exaustivo dia de caça, trazendo segura nos dentes uma pequena corça, a onça encontrou sua toca vazia. Imaginando que os filhotes estivessem nas imediações, pôs-se a procurá-los com diligência. Olhou e examinou cada canto, sem encontrá-los. Preocupada com a demora que se tornava séria, desesperou-se e tomada de pânico esgoelou-se em urros que encheram de espanto toda a floresta.
Uma anta decidiu indagar a respeito da ocorrência. Chegando junto à toca viu a onça desatinada e então, jeitosamente, procurou saber dela o que estava acontecendo.
Devoraram-me os filhotes! - gemeu a onça. Infames esses caçadores que cometeram friamente o maior de todos os crimes: mataram os meus filhos.
A anta conciliadora, porém franca, não deixou que a oportunidade se passasse sem que ela dissesse à onça certas verdades que embora dolorosas, careciam ser ouvidas por ela naquele momento.
Então lhe falou:
- Mas senhora onça, se analisar bem o fato, há de convir que suas acusações não procedem. Perdoe-me a franqueza, nessa hora de desespero. Respeito a sua dor, mas devo dizer-lhe que os caçadores fizeram apenas uma vez aquilo que a senhora pratica todos os dias. Não pode negar que vive sempre a comer os filhotes dos outros, não é verdade? Ainda agora mesmo acabou de abater um filhote de corsa.
Tomada de indignação, a onça arregalou os olhos como que espantada pela coragem e atrevimento da anta, falando com um ódio mortal:
- Oh, estúpida criatura! É isso que você tem a dizer para consolar o meu coração ferido pela dor? Com que direito você se atreve a comparar os meus filhos aos filhotes dos outros? E como pode comparar o meu sofrimento e desolação ao dos demais? É preciso considerar primeiro a minha posição, em relação à dos outros animais, para depois ponderar sobre a situação.
Foi nesse momento que um velho macaco, bem do alto do seu galho assistia ao diálogo, falou como quem está revestido de autoridade:
- Amiga onça, é sempre assim,
a dor alheia
só atinge aos sensíveis,
jamais ao egoísta.

Deus colocou você exatamente onde deve estar. Não se apresse, tudo ficará bem!

Nada em nossa vida foge do controle de Deus, é Ele quem define o melhor momento para realizar nossos sonhos. A nossa vida não segue um manua...