segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Às vezes, parece que tudo se volta contra você?

Certamente,você sabe que muita gente estragou parte de sua vida e perdeu oportunidades brilhantes por falar demais. Poderia ter sido diferente… mas, quem revela os seus planos a qualquer um corre o risco de ser passado para trás. Quem revela seus sonhos a um inimigo acaba por ser humilhado. Um aproveitador não hesitará em usar o que você disse contra você mesmo.
 
Por isso, os anos ensinam que há uma sabedoria escondida no silêncio – as grandes mulheres e os grandes homens da humanidade sabem disso. Se você guardar silêncio, será tomado por sábio, já dizia o velho Jó (cf. Jó 13,5). 
 
      Existem situações em que a coisa mais inteligente a fazer é calar e esperar. Contudo, para alguns, isso é difícil e, para outros, impossível. Conheço pessoas boas que acreditam não haver mal algum em falar demais, em abrir o seu coração para todos e expor seus pensamentos a qualquer criatura que cruze o seu caminho. Pensam inclusive que isso é uma das boas qualidades que têm, e dizem com certo orgulho: “É… eu sou assim mesmo. Sou um livro aberto. Falo o que penso doa a quem doer”. 

E a coisa vai muito bem até que começam a experimentar as conseqüências… No exato momento em que a situação vira e tudo começa a dar errado vem a tentação de gritar: “Parece que tudo está contra mim”, “Nada do que faço dá certo” ou ainda “Onde é que está Deus?. O medo, então, não perde tempo e bate à porta com sua habilidosa capacidade de convencer que tudo está contra nós e que já não existe saída – como um vampiro vai sugando as poucas forças que ainda temos. 

      A questão é que muito mal seria evitado se houvesse um pouco mais de cuidado no falar – cuidado em não colocar, em mãos adversárias, armas (conhecimento e palavras) que serão usadas contra nós. É não sair falando ao vento de tudo o que se passa no nosso íntimo. Em minha casa, a gente sempre ouvia que “prudência e caldo de galinha não fazem mal a ninguém”. 

      Ser prudente é ter pudor não só com o corpo, mas também com a alma. A pessoa que tem pudor sexual sabe que seu corpo é sagrado e por isso secreto. Quem não pensa no que fala deixa exposto não o corpo, mas a própria alma toda nua. Não sabe guardar em segredo o que é sagrado. E se não guarda o próprio segredo, quem garante que vai guardar o dos outros? “Quem despreza seu próximo demonstra falta de senso; o homem sábio guarda silêncio” (Pr 11,12).

      As pessoas mais interessantes, as mais charmosas, trazem um “quê” de mistério. Mesmo quando se mostram não deixam ninguém invadir sua alma. Só aos poucos, amparadas por um silêncio zeloso, é que se dão a conhecer.Nesse mundo do “fica-fica”, a gente precisa aprender de novo a arte de se aproximar, de fazer amizade, de ser romântico e namorar… sobretudo, é preciso aprender a namorar “bonito”, a escolher as palavras, a não se declarar de imediato, a não vulgarizar o que temos de mais belo: nós mesmos.

      A pessoa prudente evita tantos sofrimentos! Pode não escapar de todos os males, mas dribla uma boa parte deles. É que a prudência é a sabedoria que revela os erros e os perigos, ao mesmo tempo, é a força que permite evitá-los. E, veja bem: É no silêncio prudente que a sabedoria muitas vezes se esconde.

      As pessoas fogem de quem fala demais, mas se aproximam dos que têm sabedoria. Se você quer a atenção e o carinho das pessoas faça como Deus: saiba o momento certo de calar e de falar. Nem mesmo diante da morte Jesus joga palavras fora: “Entrou novamente no pretório e perguntou a Jesus: De onde és tu? Mas Jesus não lhe respondeu” (Jo 19, 9). Jesus sabia que há momentos em que a melhor defesa é o silêncio, pois até o inocente parece culpado quando fica se justificando – os nossos amigos não precisam de nossas justificativas para acreditar em nós e os nossos inimigos não irão aceitá-las por melhores que sejam.

    Contudo, a melhor coisa de quando nos silenciamos é que podemos escutar a Deus e receber a sua graça: “Ouve em silêncio, e tua modéstia provocará a benevolência (Eclo 32, 9)”. Só quem contempla no silêncio do coração pode perceber onde reside a felicidade.

*por Marcio Mendes

Fuja de quem se lembra dos pecados de todo mundo, mas se esquece do mal que fez.

Ninguém consegue ser bom o tempo todo, falar com doçura, sorrir com verdade. Somos humanos e, portanto passíveis de erros e vacilos, somos s...