quarta-feira, 14 de maio de 2014

Como esquecer um amor?

Não é nada fácil superar o fim de um relacionamento, principalmente quando a decisão do término não partiu de você.

Parece que quanto mais você quer esquecer, mais momentos especiais vividos a dois nos vêm à cabeça. Isso acontece porque na maioria das vezes nesse momento tomamos atitudes equivocadas.

Nesta hora temos que olhar para dentro de nós, nos conhecermos melhor, ver todos os nossos defeitos e qualidades, ver o que gostamos e o que não gostamos e nos valorizar.

Comece curando as feridas sozinha (o) refletindo sobre tudo que levou ao fim do relacionamento. Só pense num novo amor quando o fim do relacionamento tenha realmente sido superado, para que possa se entregar totalmente.

Começar novas atividades, investir em suas amizades e cuidar mais de si pode contribuir para acelerar essa superação.

Certamente se você é daquelas pessoas que não consegue ficar sozinha, vai ter muita dificuldade para se ocupar com outras coisas, mas se apoiar e jogar nas costas de um novo amor as responsabilidades de ser feliz só vai deixar a nova relação muito pesada.

Ver os planos, projetos se desmancharem como um baralho de cartas empilhadas, criam frustrações e raiva e isso distorce os acontecimentos. Para chamar atenção vai assumir o papel de vítima transformando o outro em vilão ou apenas por comodismo.

Não é bom não se culpar muito e nem assumir toda responsabilidade do fim do relacionamento, afinal todo relacionamento é construído por duas pessoas, com seus defeitos e qualidades.

Jogar a responsabilidade toda para o outro também é ruim. O certo é tomarmos ciência dos próprios problemas e da parcela de culpa no fim do relacionamento para esquecer o passado.

Não procure notícias do “ex” através de amigos comuns ou nas redes sociais isso só paralisa a própria vida. Você não está mais no controle dele e bisbilhotar a rotina alheia só vai te fazer mal, e vai colocar sua vida em compasso de espera. Como esquecer se age como se ainda tivesse algo com o outro?

Também fazer de conta que não está se importando com tudo que aconteceu, quando internamente você está em cacos, não vai ajudar em nada. Mesmo que alguns acreditem em você, o seu sofrimento só vai aumentar.

Conversar sobre o assunto e desabafar com pessoas próximas ajudam a esquecer. Ficar se lamentando ou lembrando-se das coisas boas que perdeu, curtindo a tristeza sozinha, não vai ajudar e o melhor é rever o que não era bom na relação e pensar friamente quais os motivos que levou ao fim o relacionamento.

Entender claramente o que provocou a separação tem que ser bem entendido e servir como lição para os relacionamentos futuros e aceitar que o fim foi mesmo a melhor alternativa.

Se todo mundo mandar você se distrair, mudar o guarda roupa ou a cor do cabelo lembre-se que nem sempre são boas soluções. Só faça algo se estiver a fim realmente de investir em coisas novas, pois todo fim de um relacionamento tem um pequeno período de luto e a saída do luto tem que ser devagar.

Corte totalmente o contato com a pessoa, tornando ela menos presente na sua vida. Se houver filho tente fazer tudo sem ser diretamente com a pessoa.

Quanto maior for o afastamento, mais fácil superar a separação. Não ouvir a voz, deixar de ver, ou deixar de trocar mensagens na net vai fazendo com que a lembrança vá se apagando.

Deixe a vida evoluir, não busque notícias, deixe de julgar novas companhias e muito menos provoque encontros casuais e o relacionamento que terminou vai aos poucos saindo dos seus pensamentos.

“Onde acaba o amor têm início o poder, a violência e o terror”.

 Frase de Carl Gustav Jung (Kesswil, 26 de julho de 1875 — Küsnacht, 6 de junho de 1961) foi um psiquiatra suíço e fundador da psicologia analítica, também conhecida como psicologia junguiana.

*Por - http://www.horademudar.com.br

A fé em Deus torna todos os sonhos possíveis e todas as dores passageiras

A fé em Deus nos transforma. Quando confiamos nele, uma transformação intensa e poderosa acontece dentro de nós mesmos todos os dias. Todos ...