quarta-feira, 29 de maio de 2013

A mão e a luva


Somos tão diferentes, eu e você!... Gosto de chuva e você de sol, sou da noite, você do dia; sou pausada, você apressado; sou agridoce, você pimenta. Nada temos em comum a não ser esse amor que não te larga e não me deixa. Às vezes tenho a impressão que nosso amor vive de brigas e ainda por cima fica mais forte e forte...

Eu não sou fácil, eu sei. Briguenta, ciumenta (ah, um ponto em comum!), acontece de eu me dizer que você deve me amar demais pra me tolerar. Só mesmo o amor para passar por cima de tanta zanga e sair vitorioso. 

Eu queria te deixar, mas não consigo. Brigo comigo mesma. Talvez a gente insista num amor condenado à morte porque pior ainda seria ficar sem ele. Sim, sem amor, sem você... Sem você eu não seria nada!

Talvez a sombra de mim mesma procurando te encontrar novamente. Talvez até seu coração ouvisse a chamada do meu, talvez minha dor fizesse conexão entre o seu e o meu coração. Tantos talvez... e ainda estamos juntos, apesar de tudo.

Por que somos diferentes se nos amamos e se não sei me ver sem você? Por que você não me deixa? Sei que sou seu sonho e que um sonho não se abandona assim tão facilmente... não antes de se ter lutado até o último sopro... quando as forças te abandonassem  você pediria que eu ficasse ainda um pouco mais. E eu ficaria, porque não sei resistir ao seu abraço e ao seu sorriso.

Somos diferentes sim, mas ninguém mais sabe me amar como você e ninguém te deixa tão desnorteado e perdido como eu. Ninguém se encaixa tão bem em mim e em você. Somos dois, sim, de matérias diferentes, mas nos cabemos perfeitamente... como o sol em dia de chuva... como uma mão e uma luva!

© Letícia Thompson

“Cada próximo passo da sua vida vai exigir um novo você. E algumas vezes precisamos ser quebrados para nos tornarmos uma nova versão de nós mesmos”

Você já parou para pensar que as experiências que a gente vive, por mais turbulentas ou dolorosas que sejam, talvez tenham acontecido para n...