quarta-feira, 6 de março de 2013

Bem-Vinda

Se existem semelhanças do céu na terra você é uma delas. Uma imperfeição beirando a perfeição total. Palavras enlouquecem pois perdem o significado, são aprisionadas pelo silêncio.

Pois quem observa maravilhado dispensa palavras. É inútil dizer e insuportavelmente tolo pronunciar sons quando a alma está absorta.

Como um insano profeta fiz a tua anunciação. Sem nunca, sem jamais e em momento algum te conhecer profetizei que você existia. Jurei o amor que não tinha, jurei a vida que nem sabia que poderia dar pela simples certeza de que eu compreenderia que valeria à pena quando você chegasse.
Tenho treinado o meu abraço nos braços da solitude todos os dias. Para que no dia em que eu te ver não te convença a ficar com cordas e algemas, mas com o doce afago de quem te esperou tanto que pareceu ser uma vida inteira.
Eu vejo e tento te conhecer sem mesmo poder está a um metro de distância e qualquer calor que recebo a milhas de distância faz a minha prece amiúde ser que você não se torne mais um lampejo de ilusão passageira mas a verdade que se tornou como um lenho perene, para que a minha fé em você não se apagasse.

Há agora um grande silêncio dentro de mim. Meus olhos observam os teus passos, aguardando que eles caminhem em minha direção. Se acaso você vier encontrará meus braços e coração abertos, rosas e um cartão escrito: "Bem-vinda ao lar.

Existem finais felizes, finais tristes e finais necessários

A vida é feita de ciclos, de pequenas histórias que se entrecruzam, de momentos que se somam uns aos outros, de chegadas e de partidas. Como...