terça-feira, 6 de dezembro de 2011

QUANDO

Quando a serenidade se vai, o desespero toma conta. Quando a paciência deixa de existir, a ira se torna conselheira.

Quando o amor não resiste, o ódio se instala, e seca a alma. Quando a gentileza não aparece, as disputas se fortalecem.

Quando todos querem ter razão, a guerra é a única saída. Quando a preguiça é mais forte, o trabalho se perde.


Quando a boca se abre para reclamar, deixamos de fazer o que deve ser feito. Contrários que convivem em nós...
somos da paz, mas brigamos por nada, somos da justiça, e enforcamos alguns deveres, somos da fraternidade do amor...
e por vezes desprezamos nossos semelhantes. Somos luz e muitas vezes andamos nas trevas...

Queremos tanto a felicidade, que às vezes causamos a infelicidade de outros...
Nossos contrários nos aproximam do que precisamos transformar, ao nosso espelho da alma ,mostrando o que precisamos melhorar...
Infelizmente, nosso orgulho ás vezes nos cega, e o que pensamos ser uma qualidade, é o nosso maior defeito, e o que nos impede de caminhar, de prosperar e de conquistar.

Não tenha medo de mudar! Comece pelo mais simples; sorria mais, aborreça-se menos, contente-se com o que lhe chega às mãos, agradeça mais...
Não leve nem a vida nem as pessoas tão a sério, apenas faça bem feito, para ter a consciência tranquila de ter dado o melhor...

O mundo é a sementeira; colhe-se aqui o que foi plantado, Que semente temos plantado no chão da nossa vida?

Já passou

Ainda bem que a gente não perde nunca essa mania de acreditar. Que amanhã vai ser melhor. Que o próximo amor virá para ficar. Que essa afliç...