quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Ser ou Está Sozinho ?

"Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre..." Entre está sozinho e se sentir sozinho. 

A vida ela nos ensina muitas coisas, desde que estejamos aberto para aprendê-las. Eu aprendi que existe um abismo de diferença entre a carência e a necessidade de ter alguém. 

A gente perde muito tempo sofrendo por aquela parte de nós que deseja ser preenchida por esse "alguém" tão esperado, quando a gente poderia aproveitar a outra parte de nós preenchida por nós mesmos. 
E que um dia será a outra parte que falta nesse alguém que a gente sonha.  Na verdade a gente precisa encarar nós mesmos, nos conhecer, amar a ponto de sermos completos e não deixar que a solidão seja a nossa outra metade, mas que sejamos como um todo preenchido por nós mesmos.

É por achar que não estamos completos sozinhos, que muitos relacionamentos se afundam, pois esperamos ver no outro a metade de nós que está faltando, e infelizmente a outra pessoa - que é bem diferente da gente, apesar de poder ter gostos iguais - não poderá ser o que só nós podemos. Não existem "caras metades" e nem "metades da laranja", precisamos ser pessoas completas e felizes em si mesmas para assim fazer feliz aquela (e) a quem escolheremos amar. Descubra a pessoa extraordinária que você é, ame a sua companhia, valorize a você mesmo. Se você está só, aproveite esse tempo e dedique a você.


A cada dia que passa concordo mais com aquela frase que percorre a internet "Não corra atrás das borboletas, prepara o jardim para que elas venham até você." Apesar de bem clichê, é uma grande verdade. Cultive, embeleze e semeie coisas boas em você e tudo irá acontecer naturalmente, a vida é assim.
"Ninguém está sozinho quando curte a própria companhia (...), A solidão é invisível. Só é percebida por dentro (...) e Quem aponta somos nós mesmos, para nosso próprio umbigo. Somos nós que nos cobramos, somos nós que nos julgamos."  (Martha Medeiros)
 Portanto a carência é saúde até o ponto que sentimos desejo de ter alguém, mas passa a ser doença quando cobramos de nós mesmo ter alguém. O amor é inocente como uma borboleta, você não o compra e nem o persuade, você simplesmente o atraí preparando e cuidando do seu jardim, ou seja, da sua vida. Lembre-se o primeiro e ultimo amor é o amor-próprio. Ame-se e você se tornará amável e totalmente desejável.
*por Romantico Rebelde 

Descanse a mente e o coração. Se for de Deus, vai dar certo!

Precisamos nos permitir confiar em que Deus está fazendo o seu trabalho e o melhor da vida nos chegará no momento certo. Muitas vezes, quand...