sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

A verdade é que com o sofrimento a gente aprende a se virar, a não depender de ninguém, a amadurecer

Aprendendo com o sofrimento.
Todos nós passamos por tempos difíceis, afinal quem nunca sofreu? Sofrer é doloroso, ninguém quer passar por isso. mas faz parte da vida, afinal nem tudo são flores.
A verdade é que com o sofrimento a gente aprende a se virar, a não depender de ninguém, a amadurecer, porque quando nos conhecemos é que aprendemos sobre os nossos valores e a nos amar.
Lembramos que quando Deus está conosco não há o que temer, durante toda a nossa vida ele estará nos carregando nos braços e ajudando nas duras empreitadas.
O sofrimento nos ensina a ser confiantes e nos blinda com o escudo da coragem e da persistência. Depois de muitas quedas a gente aprende a levantar sozinho, a não dar importância a sentimentos que torturam, magoam e escravizam a alma, a  não chorar por tudo, a desvencilhar das contrariedades e compreender que as coisas dão errado primeiro para depois darem certo, que para ser um vencedor é preciso lutar nas batalhas  da vida, soltar as amarras, nadar na correnteza, emergir das ondas, respirar o ar livre.
Descobrimos que ao dobrar o joelho no chão Deus age e faz maravilhas por nós, amenizando, aliviando os problemas, as dores, providenciando reformas e assim vai transformando tudo em remissão, confissão, perdão, resignação.
Muitas vezes, a única forma que Deus encontra de nos mostrar as nossas falhas, destempero, arrogância, é ferindo nosso orgulho e nos deixando cair, deixando-nos quebrar para nos sacudir e despertar.
Então, vemos a  grandiosidade de  Deus, quando Ele nos pega pela mão e conduz, a beleza e o poder das preces e orações, a preciosidade que é ter fé e o quanto a gratidão transforma.
Aprendemos a gostar mais de nós mesmos, a nos bastar, ter amor-próprio, dignidade, valorizar-nos, pois pelas metades também se vai construindo até se firmar por inteiro, ser independente, suficiente, único, apreciável.

Passamos por altos e baixos, e o sofrimento é nosso amigo, quando nos faz ficar de pé contra a nossa vontade e seguir em frente mostrando que em qualquer circunstância podemos nos superar e continuar acreditando que há muito chão pela frente. Ele é o caminho que anula a descrença, o fracasso, a dependência, a submissão.
A experiência é lição que a vida dá todo dia, mesmo quando achamos que não vale a pena tentar, mesmo quando não temos mais força e já estamos estamos cansados ou pensando  que é tempo perdido.
Saiba que nada é em vão, porque lá na frente você vai perceber que foi quando você tentou e insistiu, que se preparou para a prova, tornou-se forte, passou pela necessidade, compreendeu a importância da luta, recebeu o entendimento.
Não tenha medo de sofrer porque é com o sofrimento que você vai melhorar, merecer o seu prêmio, honrar sua identidade, cumprir a sua trajetória, reconhecer  sua preciosidade, ter a graça de receber bênçãos e prosperar.
O sofrimento vai nos mostrar que as pedras do nosso caminho nada mais são que bloqueios para se contornar, elas fazem parte do percurso, estão lá e que não é para ser diferente. A gente vai aprendendo a não temer arriscar-se, acreditar. Passa a valorizar o momento, o agora, aprende que a felicidade depende de nós, de nosso bem querer, de não procrastinar, não viver de passado, desculpar as ofensas, esquecer as mágoas, perdoar o inimigo, prestar serviço amoroso, viver em paz, harmonia e se preocupar com o que está por vir:  as conquistas do futuro.
Tenha coragem, enfrente o sofrimento. Apesar das crises, períodos de tristeza, isolamento, desentendimentos, o ato de passar pelo calvário nos ensina a amar.
Ensina-nos a amar a Deus sobre todas as coisas, a perdoar, entender, oferecer e agradecer sempre. Faz a gente crescer, fortalecer, faz o ministério da vida se revelar, continuar e o milagre da renovação acontecer.

*Leide Vieira Nascimento

Aprendi a não bater de frente com quem só entende o que lhe convém

Uma das coisas mais desagradáveis que ocorrem é sermos mal entendidos, quando o outro deturpa nossas palavras ou nossas atitudes, desconte...