segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Feliz Natal! É sempre tempo de recomeçar…

Então é Natal…
Não, eu não vou perguntar o que você fez, aliás acho muita indiscrição da parte da Simone vir perguntar isso todo ano. Também não quero dar uma de papai noel para querer saber se você se comportou bem a fim de lhe dar o presente que você pediu na cartinha, tampouco vim condenar ou absolver porque não fico bem no papel de juiz, só desejo que você pare por um instante os preparativos da ceia, deixe um pouco de lado a lista de presentes e olhe para você…
Não, não estou pedindo para checar o visual no espelho, pois ele é só um mero instante da sua incrível jornada na Terra. Muito em breve ele não será mais parte da sua realidade. Não desse jeito! O convite é para olhar para dentro de você.
Mas no natal a gente não precisa ajudar o próximo? Pensar um pouco mais nos outros? Estender a mão?
Sim, sim e sim! No natal, na folia de reis, no carnaval, no halloween, no dia internacional de proteção às borboletas indianas, em cada momento que você respirar. A generosidade não é sazonal.
Acontece que olhar para dentro nos ajuda a olhar o outro.
O mundo que vemos é um reflexo do mundo que somos.
Você só consegue estender a mão, se encontrar dentro de si forças para ajudar o outro a se levantar, só pode dar o bem se tiver certeza que ele existe dentro de você.
Entretanto essa viagem não é fácil. Ela é solitária, dolorosa, porém fascinante e evolutiva.
Você carimba o passaporte quando opta pela abertura de alma, quando decide fazer uma viagem plena, sem reservas, quando resolve mergulhar de cabeça na complexidade de ser você.

Não tenha medo se encontrar alguns fantasmas da sua existência. Arrependimentos, crenças limitantes, defeitos que ainda não consegue extirpar.  Não fuja do que lhe envergonha, mas perdoe-se e abandone os hábitos que lhe conduzem aos mesmos caminhos. Não faça comparações com ninguém que não seja com você mesmo no passado, não camufle seus erros com desculpas e vitimismo. Assuma a responsabilidade de ser quem é e de ter sido quem foi para que possa conseguir vir a ser o que deseja e precisa ser. Seja humilde, mas não confunda humildade com complexo de inferioridade e reconheça as qualidades que enfeitam esse templo chamado você.
Visite cada recôndito, aprecie cada detalhe. Não se envaideça, nem se menospreze. Tenha plena consciência de quem é, e de quem pode vir a ser, pois você pode ser tudo o que quiser (não vou citar a música “lua de cristal” da Xuxa, mas até que ela se encaixaria muito bem aqui).
Volte da viagem quando estiver pronto para viver diferente, quando sentir orgulho das suas cicatrizes e do que você aprendeu com elas, retorne apenas quando deixar de lado a amargura pelas lágrimas derramadas, o azedume de não aceitar e não se aceitar.
Aí sim estará pronto para viver um feliz Natal e para fazer do Natal de outras pessoas um momento cheio de significado. 
E se nada disso for o bastante, chame a Simone para mostrar que é sempre tempo de recomeçar, afinal “o ano termina e nasce outra vez”. Sempre!
Feliz natal!

*Giselle Ribeiro

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Julgue Menos, Olhe-Se Mais No Espelho E Ame! As Pessoas Boas Merecem Nosso Amor E As Ruins Precisam Dele!

Vaidade, banalidade, sinto que muitas coisas perderam o sentido. Os valores foram e continuam sendo invertidos. As conversas estão vazias, o mundo está confuso, e o que mais vejo são marionetes sob o comando de um ego inflado, andando de um lado para o outro, sem saber ao certo onde querem chegar.

Mentes ocas que se preocupam tanto em provar que são, e acabam se esquecendo de, de fato, ser. Eu quero acreditar que ainda exista uma chance de reverter o caos pelo qual o mundo foi tomado, eu ainda acredito no amor e em seu poder de cura.

Mas para o amor agir, a gente precisa abrir o coração e deixá-lo entrar.
Será que conseguimos ser mais tolerantes? Será que é pedir demais, termos mais compaixão com as pessoas? Estamos todos, individualmente, em uma jornada, enfrentando batalhas silenciosas e solitárias. Lutamos, na maioria das vezes, contra nós mesmos. E, às vezes o barulho da nossa mente é ensurdecedor, e acabamos não ouvindo nossa própria voz.

É tempo de baixar a guarda, de conter a superficialidade, de se libertar do ego e das amarras impostas por crenças limitantes, padrões inatingíveis e uma sociedade hipócrita.

Mas, como? Como a gente vira essa página triste?

Quando admitimos nossa vulnerabilidade, nossas fraquezas e imperfeições, e decidimos trabalhar nelas. Se nos esforçarmos para ser pessoas melhores e evoluídas, podemos fazer a diferença, ser a diferença, podemos inspirar, podemos influenciar uma vida ou muitas, quem sabe?


Antes de falar, pense; antes de brigar e se ofender, coloque-se no lugar das outras pessoas. Precisamos entender que agimos da maneira que agimos, por algum motivo.
Por isso é tão importante olharmos a vida, as pessoas, o mundo, com olhos de compaixão, pois se as feridas do seu irmão não lhe causam dor, a sua doença é mais grave do que a dele.

A solução está em nós, e se você acha que sozinho não pode fazer nada, experimente ser a mudança que você tanto espera, experimente tratar as pessoas como quer ser tratado. Experimente perdoar, cuidar do seu corpo, do seu espírito, experimente sentir mais com a alma.

Julgue menos, olhe-se mais no espelho e ame, simplesmente ame… porque as pessoas boas merecem nosso amor e as ruins precisam dele.

*Wandy Luz

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Aprendendo a navegar nos rios de nossas vidas…

A vida está sempre nos surpreendendo. Cada segundo, cada instante, cada momento é único em nossas vidas, como a água do rio que passou.
O rio nunca é o mesmo pois ele está em constante mudança, o tempo todo. A água que passou, passou e a renovação é obrigatória.
Assim é em nossas vidas. Por isso, precisamos estar atentos a todos os momentos e aprender que a única coisa permanente é a mudança.
Nossa vida é como um rio, onde temos dias de águas limpas e calmas, mas também temos os dias de chuva onde o barro da terra se mistura à água, junto a galhos, troncos e outros detritos.
Porém, em constante movimento e em sentido único. Um rio não retrocede, ele segue em frente, adaptando-se ao terreno e moldando a sua passagem.
É importante usar este exemplo da natureza comparando a correnteza do rio com os acontecimentos cotidianos.
Em nossas vidas temos os altos e baixos, as calmarias, as quedas e os momentos de realizações concretas e desejadas. Tudo faz parte do percurso que o rio da vida tomará.
Importante é adaptar-se à mudança e ser flexível, sabendo que as águas da vida estão sempre em movimento e o que um momento desagradável é um aprendizado de amor e tolerância aliada à paciência, e que, logo em seguida, um bom momento estará chegando.

Navegando em águas turbulentas, nos remansos dos grandes lagos ou enfrentando corredeiras e cachoeiras é importante manter a mente ativa, observadora e saber que aprender a navegar neste rio da vida fará de você um mestre de si mesmo.
A vida é um aprendizado constante e requer atenção, porque ensinamos, de vez em quando, mas aprendemos a todo o momento.
Navegue sempre confiante e otimista e saiba que o mais experiente navegador do rio da vida sabe que sempre se pode aprender mais a cada curva do rio, com cada habitante da fauna, da flora e dos percalços do caminho.
O navegador experiente sabe também que o percurso, seja longo, curto, com corredeiras, lagos e remansos ou turbulento, o rio sempre deságua no mar.
Portanto aproveite este período de navegação para aprender o suficiente, o quanto puder, enquanto seu barco não chegar ao mar… e quando chegar, que siga adiante rumo ao horizonte do seu mar, com muita sabedoria.
Que bons ventos o acompanhem e o conduzam, e, principalmente, que você encontre o seu porto seguro munido de paz, sabedoria, amor e alcance muitas realizações concretas e duradouras.
Seja feliz!

*João Luiz Spósito

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

AMANHÃ PODE SER TARDE DEMAIS…

Ontem?…Isso faz tempo!…
Amanhã?…Não nos cabe saber…

Amanhã pode ser muito tarde
Para você dizer que ama,
Para você dizer que perdoa,
Para você dizer que desculpa,
Para você dizer que quer tentar de novo…

Amanhã pode ser muito tarde
Para você pedir perdão,
Para você dizer:
Desculpe-me, o erro foi meu!…

O seu amor, amanhã, pode já ser inútil;
O seu perdão, amanhã, pode já não ser preciso;
A sua volta, amanhã, pode já não ser esperada;
A sua carta, amanhã, pode já não ser lida;
O seu carinho, amanhã, pode já não ser mais necessário;
O seu abraço, amanhã, pode já não encontrar outros braços…
Porque amanhã pode ser muito…muito tarde!

Não deixe para amanhã para dizer:
Eu amo você!
Estou com saudades de você!
Perdoe-me!
Desculpe-me!
Esta flor é para você!
Você está tão bem!…

Não deixe para amanhã
O seu sorriso,
O seu abraço,
O seu carinho,
O seu trabalho,
O seu sonho,
A sua ajuda…

Não deixe para amanhã para perguntar:
Por que você está triste?
O que há com você?
Ei!…Venha cá, vamos conversar…
Cadê o seu sorriso?
Ainda tenho chance?…
Já percebeu que eu existo?
Por que não começamos de novo?
Estou com você. Sabe que pode contar comigo?
Cadê os seus sonhos? Onde está a sua garra?…

Lembre-se:
Amanhã pode ser tarde…muito tarde!

Procure. Vá atrás! Insista! Tente mais uma vez!
Só hoje é definitivo!
Amanhã pode ser tarde…muito tarde!..

Comece agora… HOJE… Neste instante… e não AMANHÃ…

Não se esqueça de lembrar de tudo que você vai fazer hoje, porque você jamais saberá se amanhã estará aqui… E como você consertará seus desacertos?

Esta mensagem trata justamente do que sempre achamos que não é necessário fazer agora. Deixamos, na maioria da vezes, para mais tarde. Sempre esquecemos que o que não nos pertence é justamente o “mais tarde”, o “amanhã”, “o minuto seguinte”.

Imaginamos que haverá um novo dia, um novo amanhecer para vivermos, e, todos as coisas que poderíamos ter feito ainda hoje, ficam para depois… Mas esse “depois” ou esse “amanha” pode nunca mais vir.


terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Quem vai atrás é mochila. Segue em frente e quem quiser que caminhe ao seu lado.

No amor, ou você está ao lado de quem ama ou não está. Correr atrás de alguém não é coisa que se faça, não.
É péssimo para quem persegue e pior ainda para quem é perseguido. Destrói a autoestima de um e acaba com a paz do outro.
Gente que aceita viver atrás de quem quer que seja, abriu mão de seu amor-próprio. E eu tenho a impressão de que só ama alguém de verdade aquele que se ama primeiro. Afinal, quem é que pode dar o que não tem?
Quem se ama mesmo não precisa ir atrás de ninguém. Quem se ama leva sua vida em frente e quem quiser que siga ao seu lado.
Se tudo der certo, se os caminhos coincidirem, se os santos baterem e as vontades se encontrarem, lá estarão duas pessoas caminhando juntas pela vida. Lado a lado, sempre. Nunca uma na frente e outra atrás.
Quem tanto vai atrás de uma pessoa é porque não pode estar ao lado dela. Se pudesse, já estaria. Se tivesse de ser, já teria sido. Aos muito afeitos a viver na esteira de outro alguém, feito viaturas policiais perseguindo um fugitivo, falta em geral amor-próprio e “semancol”.
Atrás a gente só corre dos nossos sonhos, nossas metas, nossos objetos de desejo. De pessoas, não. Pessoas se encontram, não se perseguem.

Seguir em busca do amor é diferente. A gente exercita um gosto sincero por nós mesmos, a gente se cuida e se põe no lugar certo. Em consequência, dá à pessoa certa os motivos para ela nos amar também. A gente se ama e assim se faz merecedor do amor de outro alguém. Bem diferente de correr atrás de quem quer que seja.
Vão me desculpar os que pensarem diferente de mim. Mas Deus me livre do delírio de um dia aceitar correr atrás de alguém e me proteja de quem, por algum engano, resolva me perseguir.
Pessoas afins caminham ao lado umas das outras. Quem vai atrás é mochila!

*André J. Gomes

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Grandes coisas geralmente têm pequenos começos…

Hoje quero falar com você que tem um sonho. E que deseja transformá-lo em realidade.
Você que muitas vezes foi chamado de louco por utilizar sua habilidade de criar e imaginar para encontrar soluções diferentes para problemas corriqueiros.
Você que pelo simples fato de sair de sua zona de conforto já deixa desconfortáveis aqueles que estão há tempos instalados no lugar comum de pensamento e ação.
É o seu caso? Então saiba que você está no caminho certo, pois todo grande feito foi iniciado por alguém fora de sua zona de conforto, que foi chamado de louco dezenas de vezes. E por que não dizer centenas?
Seu sonho é possível, só que ele estará no final de uma jornada de transformação e muito aprendizado, afinal, se já soubéssemos tudo o que precisamos para realizar o nosso sonho, ele já estaria realizado.
Esta é a mágica da vida: sonhar e embarcar em uma jornada fantástica para transformar sonhos em realidade e, assim, sairmos desta experiência melhores do que entramos.
Nossa habilidade de imaginar não está dentro da gente por acaso, ela nos diferencia. E já que nada é por acaso, se temos esta habilidade, então, é para ser usada, certo? Só que muita gente está travada na vida, neste exato momento, simplesmente porque não tem consciência do grande potencial que possui.
Se você analisar bem, toda grande construção começou pelo projeto na mente de alguém, que o colocou no papel e o trouxe à realidade criando o alicerce e colocando o primeiro tijolo. Assim, também, é com tudo o que desejamos construir em nossa vida: o processo se inicia na mente, mas é trazido para o mundo físico por alguém que acreditou, projetou e agiu.
Ouso dizer que o pequeno começo de toda grande manifestação é a crença. Mesmo parecendo um grande clichê, é a crença na possibilidade que abre as portas da mente para transformar possibilidades em oportunidades e criar aquilo que somente existia no mundo mental. Foi assim com todo grande invento, ele começou na mente de alguém que acreditou.

Aquele que não acredita, não vê potencial mesmo nas oportunidades mais incríveis, por isto, esta deve ser a habilidade que todo sonhador deve desenvolver: crenças libertadoras.
Henry Ford disse uma frase fantástica: “Se você acha que pode ou que não pode fazer alguma coisa, você tem sempre razão”.
Henry Ford foi um sonhador que acreditou. Quando Ford decidiu produzir seu famoso motor V-8, seus engenheiros insistentemente diziam que era impossível desenvolvê-lo.
Ele desistiu? É claro que não. Mesmo sendo um homem com pouca instrução e poucos recursos, tornou-se o homem mais rico de sua época porque acreditou em seu sonho de criar uma “carruagem sem cavalos”. O impacto do sonho dele transformado em realidade pode ser visto hoje em garagens espalhadas pelo Planeta todo.
Seu grande sonho não precisa de grandes coisas para se tornar realidade. Este é o engano que bloqueia muitas pessoas de conseguirem o que realmente querem em suas vidas.
Ele só precisa de um pequeno começo: você acreditando nele mesmo que todos ao seu redor não acreditem como você.
E como a pequena semente que dentro de si tem o potencial de grandes coisas, assim que plantar seu sonho no solo fértil da vida, você perceberá, na prática, que sonhos foram feitos para serem vividos e não apenas sonhados.

*Paty Pegorin

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

A verdade é que com o sofrimento a gente aprende a se virar, a não depender de ninguém, a amadurecer

Aprendendo com o sofrimento.
Todos nós passamos por tempos difíceis, afinal quem nunca sofreu? Sofrer é doloroso, ninguém quer passar por isso. mas faz parte da vida, afinal nem tudo são flores.
A verdade é que com o sofrimento a gente aprende a se virar, a não depender de ninguém, a amadurecer, porque quando nos conhecemos é que aprendemos sobre os nossos valores e a nos amar.
Lembramos que quando Deus está conosco não há o que temer, durante toda a nossa vida ele estará nos carregando nos braços e ajudando nas duras empreitadas.
O sofrimento nos ensina a ser confiantes e nos blinda com o escudo da coragem e da persistência. Depois de muitas quedas a gente aprende a levantar sozinho, a não dar importância a sentimentos que torturam, magoam e escravizam a alma, a  não chorar por tudo, a desvencilhar das contrariedades e compreender que as coisas dão errado primeiro para depois darem certo, que para ser um vencedor é preciso lutar nas batalhas  da vida, soltar as amarras, nadar na correnteza, emergir das ondas, respirar o ar livre.
Descobrimos que ao dobrar o joelho no chão Deus age e faz maravilhas por nós, amenizando, aliviando os problemas, as dores, providenciando reformas e assim vai transformando tudo em remissão, confissão, perdão, resignação.
Muitas vezes, a única forma que Deus encontra de nos mostrar as nossas falhas, destempero, arrogância, é ferindo nosso orgulho e nos deixando cair, deixando-nos quebrar para nos sacudir e despertar.
Então, vemos a  grandiosidade de  Deus, quando Ele nos pega pela mão e conduz, a beleza e o poder das preces e orações, a preciosidade que é ter fé e o quanto a gratidão transforma.
Aprendemos a gostar mais de nós mesmos, a nos bastar, ter amor-próprio, dignidade, valorizar-nos, pois pelas metades também se vai construindo até se firmar por inteiro, ser independente, suficiente, único, apreciável.

Passamos por altos e baixos, e o sofrimento é nosso amigo, quando nos faz ficar de pé contra a nossa vontade e seguir em frente mostrando que em qualquer circunstância podemos nos superar e continuar acreditando que há muito chão pela frente. Ele é o caminho que anula a descrença, o fracasso, a dependência, a submissão.
A experiência é lição que a vida dá todo dia, mesmo quando achamos que não vale a pena tentar, mesmo quando não temos mais força e já estamos estamos cansados ou pensando  que é tempo perdido.
Saiba que nada é em vão, porque lá na frente você vai perceber que foi quando você tentou e insistiu, que se preparou para a prova, tornou-se forte, passou pela necessidade, compreendeu a importância da luta, recebeu o entendimento.
Não tenha medo de sofrer porque é com o sofrimento que você vai melhorar, merecer o seu prêmio, honrar sua identidade, cumprir a sua trajetória, reconhecer  sua preciosidade, ter a graça de receber bênçãos e prosperar.
O sofrimento vai nos mostrar que as pedras do nosso caminho nada mais são que bloqueios para se contornar, elas fazem parte do percurso, estão lá e que não é para ser diferente. A gente vai aprendendo a não temer arriscar-se, acreditar. Passa a valorizar o momento, o agora, aprende que a felicidade depende de nós, de nosso bem querer, de não procrastinar, não viver de passado, desculpar as ofensas, esquecer as mágoas, perdoar o inimigo, prestar serviço amoroso, viver em paz, harmonia e se preocupar com o que está por vir:  as conquistas do futuro.
Tenha coragem, enfrente o sofrimento. Apesar das crises, períodos de tristeza, isolamento, desentendimentos, o ato de passar pelo calvário nos ensina a amar.
Ensina-nos a amar a Deus sobre todas as coisas, a perdoar, entender, oferecer e agradecer sempre. Faz a gente crescer, fortalecer, faz o ministério da vida se revelar, continuar e o milagre da renovação acontecer.

*Leide Vieira Nascimento

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Algumas pessoas fazem parte da sua história, não do seu destino

As razões que precisamos entender sobre relacionamentos frustrantes
Quem nunca passou por um relacionamento frustrante? Quem nunca se doou sem receber o mesmo em troca? Quem nunca passou por aquela fase na vida em que quase desistia do amor, por não conseguir encontrar a tal ”reciprocidade”? Quem nunca levou um grande e doloroso fora?
É uma fase dolorosa e é difícil compreender o que realmente acontece, mas pela qual todo mundo um dia já passou. E por fim, teve um excelente aprendizado!
Eu sempre digo que existe um trem invisível que passa pelo nosso destino, esse trem é o trem da passagem ou trem passageiro, aquele que vem em uma hora qualquer e carrega aquelas pessoas que mais gostaríamos que ficassem em nossa vida. Infelizmente, é a realidade! Temos que aceitar que há pessoas que entram na nossa vida com uma razão, sempre tem uma razão, um propósito divino. Mas elas não permanecerão para sempre, apenas foram enviadas pelo universo na melhor hora da nossa vida, bem naquela hora em que mais precisávamos, seja de um consolo, conselhos, acolhimento, ou daquela mudança brusca em nosso repertório.
É difícil entender o porquê de estar acontecendo tudo aquilo, especialmente quando você se doou tanto, alimentou tantas expectativas boas com aquela pessoa, criou laços com tanto carinho, e um determinado dia chega, e esse laço é cortado, sem mais nem menos. E o trem passageiro o levou no caminho sem volta.
Se pararmos para pensar sobre as pessoas que entram em nossa vida e vão embora rápido, elas, com certeza, foram enviadas pelo universo para nos trazer algo de bom. Um aprendizado!
Imagine que você foi treinado pelo universo, mesmo que com a pessoa errada, mas a pessoa errada sempre será a pessoa certa, na hora certa. Na verdade, você está onde deveria estar, pois imagine o quanto você aprendeu nesse relacionamento!

Você se tornará uma pessoa mais forte, mais confiante, aprenderá a amar sua própria companhia, sem necessitar de ninguém para ser feliz, pois, finalmente, entenderá que somente você é responsável pela sua felicidade. Aprenderá que não precisa mendigar afetos, pois entenderá que sentimentos não se cobram, devem vir espontaneamente. Aprenderá que você é uma pessoa única e merece muito mais e não vai se contentar com pouco. Aprenderá que a pessoa certa chegará quando você estiver pronto (a).
Portanto, não se cobre, não tenha pressa, aprenda a deixar ir quem não quer permanecer em sua vida, liberte-se, desapegue, e comece a dar valor a si mesmo (a).
O amor da sua vida amanhã vai agradecer por ter encontrado uma pessoa tão madura e tão autoconfiante.
”Deixe ir e entenda que algumas pessoas fazem parte da sua história, porém, não do seu destino ” – Flavio Gonçalves Filho.

*Stephany Lima

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Hoje eu acordei com saudade


Hoje acordei com saudade.
Sei lá, foi uma sensação tão estranha que talvez eu não consiga transmitir em palavras.
Saudade daquela voz suave, capaz de despertar até mesmo o mais zangado dos homens, com um baita sorriso no rosto.
Saudade dos carinhos, capazes de acalmar qualquer situação, e fazer a alma viajar feliz, pra longe do corpo cansado.

Senti saudade do cheiro, indescritível, que anunciava a chegada a km de distância.
Saudade da preocupação, do companheirismo, da parceria exagerada, das brigas desnecessárias.
Saudade do gosto do beijo, do toque sensível, da agressividade entre quatro paredes.
Saudade do bom dia logo nas primeiras horas, e do boa noite antes de dormir, que vinha pontualmente, independente de como o humor estava.
Saudade das brincadeiras, das mordidas, do puxão de orelha nas cagadas frequentes.
Eu senti saudades.

A vida realmente é uma caixinha de surpresas, e por mais que saibamos das idas e vindas do destino, ninguém jamais estará preparado pra sentir isso.
Que sintomas são esses, meu deus?
Um tremendo nó no peito, uma engasgada que dói, esse maldito frio na barriga, a falta da pessoa ao lado.
Eu tô pirando!
Por que cargas d’água eu permiti que nossos destinos fossem descruzados?

Sim! O destino é a ponte que nós criamos entre o que somos e o que queremos.
Eu queria, mas deixei ela partir, ou melhor, não insisti o bastante.
Não serei hipócrita de culpar Deus pela perda, ou simplesmente me confortar ao argumento de que não era pra ser. Era sim! E talvez eu morra imaginando como seria essa história, que matamos tão prematuramente.
Talvez era pra ser, pra dar certo, pra vivermos juntos e felizes pra sempre.
Talvez era pra formarmos uma família, sermos confidentes, termos netos, bisnetos e morrermos sentados juntos numa varanda qualquer, as margens daquele pôr do sol incrível, que eu te mostrei um dia, ao pé da serra.

Hoje eu acordei com saudade.
Talvez ela cesse por um tempo, ou talvez retorne amanhã, no meio da tarde, numa rua qualquer, olhando pra qualquer objeto que me lembre esse sorriso lindo que você tem, e que sorriso!
Maldita hora em que eu fui me apaixonar por você.
Bendita hora que eu me esbarrei em você.

Obrigado Deus, por permitir que eu tenha convivido com ela, e desculpa Deus, por não lutar para que as suas bençãos tenham recaído sobre nós, num domingo a noite, olhando pra ela, vestida de branco, com os olhos pulsantes, linda, cheirosa e feliz, prestes a dizer um SIM.
Hoje eu dormirei com saudade.

*Por RAFAEL
www.deuruim.net

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

A gente sempre quer mais

Se 5 anos atrás alguém me perguntasse o que eu mais queria na vida, eu responderia que queria ter o que eu tenho agora e ser o que eu sou agora.
E eu deveria estar feliz, deveria estar satisfeita, deveria estar realizada. Mas eu não estou.

Por mais que eu tenha alcançado todos os meus objetivos do passado eu ainda me sinto frustrada, fracassada, sinto como se não tivesse saído de um lugar arenoso hipotético onde eu sempre me vejo atolada.

Sinto como se a cada objetivo alcançado, outro ainda maior e ainda mais impossível automaticamente surgisse e então todo o desejo pelo anterior se esvaísse por completo.
Parece que os objetivos só são atraentes enquanto ainda não são alcançados. Porque depois eles perdem toda a beleza.

Esses dias estava lendo uma matéria sobre a depressão e o abuso de álcool e drogas do Matthew Perry. Segundo a reportagem, os amigos próximos estavam preocupados com sua depressão, pois o mesmo se sentia frustrado após Friends, pois sua carreira não havia seguido conforme suas expectativas, principalmente comparado aos outros colegas de elenco.

Não sei da veracidade da matéria, mas isso pouco importa, porque foi ela que desencadeou a maior epifania que eu poderia ter tido nos últimos tempos.

O problema é que a gente sempre quer mais.
Não importa quem você seja e tudo o que tenha alcançado, você sempre vai querer mais do que aquilo que tem.
Você pode até ser Chandler Bing, que ainda te parecerá pouco.
E isso acontece porque a gente comete o erro de se comparar o tempo todo.
Não com nós mesmos, como de fato deveria ser, mas com os outros.
A gente se compara com os outros e então toda a nossa vida parece um mar de frustrações.

E quando a gente se compara com outras pessoas, comparamos com o que conhecemos delas: Apenas um lado. O lado bom. O lado bem sucedido. O lado vitorioso.
E então colocamos no outro extremo da comparação o nosso pior lado. O nosso lado frustrado. O nosso lado insatisfeito. O nosso lado que incomoda.
E sinceramente, comparar frustrações com vitórias é um ato extremamente injusto.
Mas é isso o que fazemos todos os dias com nós mesmos.

Aquelas pessoas, que ao nosso ver, parecem tão bem sucedidas, vitoriosas e felizes, também tem as suas próprias frustrações.
Frustrações pessoais, sentimentais, profissionais, amorosas. Não importa. Mas todo mundo tem suas frustrações.
Por mais que nem todo mundo exponha ou fale sobre elas, elas ainda assim estão lá.
Mas a gente não vê.
E então acreditamos erroneamente que elas não existem.

Acontece então que quando comparamos nossas frustrações com as vitórias dos outros, e acreditamos que esses outros não possuem quaisquer outras frustrações, nos sentimos ainda mais frustrados por acharmos que somos os únicos a nos sentir assim, enquanto todo o resto da humanidade anda feliz e realizada por aí.

Talvez você não consiga enxergar agora, mas pode acreditar no que eu vou te falar: todo mundo está frustrado.
Eu estou frustrada. Chandler Bing está frustrado. A Youtuber com a vida aparentemente perfeita no Instagram está frustrada. O homem mais rico da lista da Forbes está frustrado. A mulher mais linda do mundo está frustrada. A atriz, o cantor, a escritora, o presidente, a sua vizinha, ou quem mais você pensar agora, também está frustrado.
Ninguém pode escapar dos seus próprios demônios.
E todos tem os seus.

Precisamos aprender a não nos comparar com os outros. Cada pessoa tem o seu próprio caminho. Cada um trilha o seu próprio trajeto.
E da mesma forma que cada experiência é extremamente pessoal, as vitórias e as frustrações também são.
Sendo assim, o correto seria nos compararmos a nós mesmos, e não aos outros.
Dessa forma nossas vitórias teriam o devido destaque que merecem. Assim como nossos crescimentos, nossos aprendizados e nossas conquistas.
O sucesso acontece de forma pessoal.
Cada ser humano caminha num passo, numa velocidade e numa estrada única.
Então lembre-se sempre de quem você era ontem, observe quem você é hoje, e orgulhe-se de todo o caminho que você já percorreu até aqui.
Essa é a única comparação que realmente importa.

*Marina Barbieri
http://www.deuruim.net

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Valorize(-se)

Valorize-se.
Valorize o seu tempo.
Valorize o seu corpo.
Valorize o seu amor.

Tenha amor próprio. Se namora.
Tira um tempo pra você. Só pra você.
Veste sua melhor roupa numa quinta-feira, porque sim.
Ouve sua música preferida e cante até enjoar dela.
Faça planos pro futuro.
Faça tudo que te fizer bem.
Por você.

Não se valorizando você perde a si mesma e perde o outro.
É uma situação de derrota dupla.
Não desperdice seu tempo assim.

Não aceite migalhas pelo seu amor.
Valorize todo o carinho e atenção que você tem pra dar.
E só o dê pra quem realmente é merecedor de estar contigo.
Em outras palavras, você é foda! Você é incrível.
Então só aceite estar com alguém que reconheça isso.
Que te lembre constantemente disso.
E que você queira fazer o mesmo por ele.

Ninguém gosta de gente triste.
Aliás, um saco perguntar “como você tá?” e a pessoa sempre responder “to mal… aconteceu blá blá blá”.
Tem quem é assim por depressão e esses precisam de ajuda. E tem quem é assim por ser uma pessoa triste na vida.
Não seja uma pessoa triste e que traz pra baixo todos em volta. Como se fosse uma nuvem cinza.
Seja a pessoa mais feliz do ambiente.
Espalhe felicidade.

Pessoas felizes atraem pessoas felizes.
Quem se valoriza é valorizado pelo outro.
Se você se ama, você atrai quem te ama.

Valorize.
Antes que você perca.
Antes que vá embora.
Antes que você veja nos braços de outra pessoa.

Vemos o tempo todo pessoas que só dão valor ao que tem depois que perdem. E pensamos: “pessoas idiotas”.
Vemos o tempo todo nós só percebermos o valor do que tínhamos depois que perdemos. E pensamos: “por que eu?”.

Estar num relacionamento faz o que a gente relaxe em alguns pontos. É confortável não precisar se preocupar com algumas coisas mesmo.
Mas tem sempre o risco do relaxamento crescer. Virar rotina. Virar acomodação.
E quando você se dá conta todos os atrativos que o relacionamento tinha, hoje são “tanto faz” porque perderem o valor.

Além de que hoje as coisas são muito rápidas e muito fáceis.
É fácil achar companheiro de balada. É fácil achar sexo por sexo.
As pessoas estão tão fáceis (e rápidas) que tudo se torna genérico (sim, Tinder). Relacionamentos de 15 minutos.
Veja bem, nada contra encontros casuais. Só penso que toda essa velocidade atual tem feito com que vejamos as pessoas como descartáveis.
E pior, fazendo com que vivamos em relacionamentos sem apego.
Sem valor.

“Tudo bem se não der certo, eu encontro outro.”
É uma frase comum. Mas não pode ser possível amar assim.

Quando foi que nós mudamos radicalmente de “se tá ruim, conserta” pra “se tá ruim, joga fora!”?
Isso tá errado em tantos níveis diferentes.
Uma relação não pode ser descartável. E se está numa que sente ser, por que está nela?
Se tá ruim, você tem que consertar as coisas. Juntos!
Isso é companheirismo. Isso é um relacionamento maduro.

Por isso em tempos de relacionamentos de 15 minutos a gente tem que saber valorizar o que tem.
A relação e a pessoa. Alguém legal é tão raro hoje em dia.
Alguém que realmente se importa é tão difícil de encontrar.
Não deixe pra dar valor quando você não tiver mais isso.
Cuide bem.
Não deixa pra valorizar depois de perder.

*Hudson Baroni
http://www.deuruim.net

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

A estrada dos sonhos

Existe uma estrada onde todas as pessoas precisam caminhar para alcançar seus objetivos.
Uma estrada sinuosa, cheia de altos e baixos, ora asfaltada, ora de pura terra. Cheia de obstáculos, eventuais tempestades e até furacões que tornam a caminhada que já não é fácil, em uma tarefa ainda mais difícil, e por vezes desesperançosa.

Cada pessoa precisa seguir o seu próprio caminho. A estrada é a mesma para todos, mas a trajetória de cada um é individual e intransferível.

Há quem pegue atalhos. Há quem pegue caronas. Há quem desista da caminhada no primeiro tropeção. Há quem ache que para chegar no final da sua caminhada, tenha que interferir na caminhada de terceiros. Há quem erre de caminho. Há quem precise andar pouco. Há quem sangre os pés de tanto andar. Há quem corra. E há quem rasteje.
Há todos os tipo de pessoas.
E há você.

A estrada assusta, eu sei. Algumas noites são de puro pavor. Enquanto alguns dias são tão claros que podem até cegar.
Mas vou te falar o que eu aprendi sobre a estrada dos sonhos:
Por mais que às vezes pareça que ela não tem um fim, ela tem.
Por mais que pareça que você nunca chegará, você chegará.
Por mais que você tenha motivos para desistir, não desista.
Apenas continue a caminhada!

Parar não pode ser uma opção.
A estrada, assim como a vida, é uma linha contínua.
E é assim que você deve seguir.
Sempre em frente!

Caiu? Levanta!
Tropeçou! Erga-se novamente!
Se cansou? No final você terá muito tempo para descansar!

A estrada não dá voltas e é via de mão única.
Então cada passo dado, é passo que não volta mais.
Um caminho pode até ser parecido com outro anterior, mas ele nunca é o mesmo.
Então um trecho já atravessado, é menos um trecho necessário até alcançar o tão esperado objetivo.

Você não precisa de ajuda para atravessar a estrada dos sonhos. Não precisa de nenhum guia, de nenhuma carona, de nenhum incentivo.
Não precisa que acreditem em você. Não precisa que te empurrem. Não precisa que te acompanhem.
Você só precisa dos seus próprios pés.
É você – e mais ninguém – a pessoa responsável por te levar até a linha de chegada.

A estrada dos sonhos não é eterna.
Ela sempre desemboca em uma linha de chegada.
Ninguém sabe onde fica o seu final pessoal e nem quanto tempo ele demorará a chegar.
Mas a diferença entre quem alcançou de quem desistiu no meio, é uma só:
não importa o que tenha acontecido, eles não pararam de caminhar.

Não pare de caminhar!

*Marina Barbieri
http://www.deuruim.net

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

2017: o ano em que fomos todos à lona

No começo do ano, publiquei um texto por aqui dizendo que gostaria que este ano de dois mil e dezessete pudesse ser um ano em que eu fosse menos trouxa e que todos nós pudéssemos aprender com nossos atos para não permitir que algumas situações que teimam em acontecer conosco voltem a nos atormentar.

Pois bem, ao final deste ano, chego a conclusão de que falhei. Não por ter sido trouxa (porque, convenhamos, fomos bastante). Falhei por ter me feito essa promessa sem ter a consciência de que se ainda caímos em buracos complicados, é porque ainda estamos aprendendo a enxergá-los e a não escorregar. Foi um pedido duro a ser feito porque não importa se na virada do ano usamos amarelo para atrair dinheiro ou vermelho para atrair amor. O que importa é o nosso foco naquilo que realmente queremos e o quanto fomos fiéis a nós mesmos em todo este caminho.

Afinal, o que é que nós queremos de verdade?

Este ano fomos todos à lona. Foram vários rounds intermináveis, em que mais apanhamos do que batemos. Perdemos emprego, brigamos com amigos, terminamos relacionamentos, ficamos sem dinheiro, nos sentimos sozinhos, tivemos problemas familiares. E tudo isso aos montes. Espero estar errado, mas conheço muita gente (eu, inclusive) que tem dito que este ano não foi para amadores e que foi um dos períodos mais difíceis da vida. E talvez tenha sido mesmo. Fomos testados o tempo todo. Parecia que quando o último degrau da escada estava ao nosso alcance, a vida aparecia por cima e colocava mais uns vinte, só pra termos de nos esforçar um pouco mais para enxergar e sair deste sufoco.

E caímos. Encostamos nosso rosto no chão do ringue algumas (ou muitas) vezes. Mas como aprendemos, não é mesmo?

Acredito que nos calejamos este ano. E que bom! O momento agora não é de ficar remoendo todas as dificuldades que atravessamos, mas sim, de olhar para o agora e notar quão mais fortes nós estamos, quão mais sábios nos tornamos. Como a frase dita por Rocky Balboa, “ninguém baterá tão forte quanto a vida. Porém, não se trata de quão forte pode bater, se trata de quão forte pode ser atingido e continuar seguindo em frente. É assim que a vitória é conquistada!”. E nós vencemos.

Pode ser duro de notar isso em um ano cheio de provações. Mas acredite, nós vencemos e podemos vencer. Se perdemos tanto no processo, foi para realmente notar aquilo que vale a pena. Por isso te pergunto: o que você quer para esta nova fase em sua vida e o quanto você quer? Porque aqui se trata de foco. Se trata de respirar fundo, fechar os olhos e acreditar. Mais do que isso, se trata de se acolher, se compreender, entender suas falhas, permitir suas derrotas e se libertar. É regar o vaso de terra dentro de nós com amor, para que cresça algo lindo e verdadeiro.

Porque, desde já, é o que desejo daqui pra frente. Que a gente viva com verdade em nossa mente, em nossa alma e em nossos corações. Que possamos ter esperança por dias melhores e que a gente possa lutar por eles.

Termino dizendo que o ano ainda não acabou. Aproveite estes últimos dias para sacudir a poeira. E se ainda não começou, pare um segundo neste instante e dê risada. Xingue, grite, levante os braços. Você chegou até aqui.

Você venceu.

*Denis Araujo
http://www.deuruim.net

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Fique com alguém que não tenha dúvidas

Quando a gente quer muito uma pessoa, a gente se engana. A gente tenta encaixar aquele outro ser humano em posições que nunca foram dele. A gente clama ao universo para um sim em algo que já começou destinado ao não. A gente quer, e a gente bate o pé e faz pirraça feito criança para conseguir. Mas um dia a gente percebe que amor tem que ser uma via de mão dupla. Amor tem que ser fácil, tem que ser bom, tem que ser complemento, tem que ser ajuda. Amor que é luta é ego. Amor que rebaixa é dor. E então a gente aprende que amor que não é amor, não encaixa, não orna, não serve.

Fique com alguém que não tenha conversa mole. Que não te enrole. Que não tenha meias palavras. Que não dê desculpas. Que não bote barreiras no que deveria ser fácil e simples. Fique com alguém que saiba o que quer e que queira agora.

Fique com alguém que te assuma. Que ande com orgulho ao seu lado. Que te apresente aos pais, aos amigos, ao chefe, ao faxineiro da firma. Que segure a sua mão ao andar na rua. Que não tenha medo de te olhar apaixonadamente na frente dos outros. Fique com alguém que não se importe com os outros.

Fique com alguém que não deixe existir zonas nebulosas. Que te dê mais certezas do que perguntas. Que apresente soluções antes mesmo dos questionamentos aparecerem. Fique com alguém que te seja a solução dos problemas e não a causa.

Fique com alguém que não tenha traumas. Que não tenha assuntos mal resolvidos. Que saiba que para ser feliz, tem que deixar o passado passar. Fique com alguém que só tenha interesse no futuro e que queira esse futuro com você.

Fique com alguém que te faça rir. Que te mostre que a vida pode ser leve mesmo em momentos duros. Que seja o seu refúgio em dias caóticos. Fique com alguém que quando te abraça, o resto do mundo não importa mais.

Fique com alguém que te transborde. Que te faça sentir que você vai explodir de tanto amor. Que te faça sentir a pessoa mais especial do universo. Fique com alguém que dê sentido à todos os clichês apaixonados.

Fique com alguém que faça planos. Que veja um futuro ao seu lado. Que te carregue para onde for. Que planeje com você um casamento na praia, uma casa no campo e um labrador no quintal. Fique com alguém que apesar de saber que consegue viver sem você, escolhe viver com você.

Fique com alguém que não se esconda. Que não te esconda. Que cada palavra seja direta e clara. Que não dê brechas para o mal entendido. Que faça o que fala e fale o que faça. Fique com alguém cujas palavras complementam suas ações.

Fique com alguém que te admire. Que te impulsiona pra frente. Que te apoie quando ninguém mais acreditar em você. Que te ajude a transformar sonhos em realidade. Fique com alguém que acredite que você é capaz de tudo aquilo que queira.

Fique com alguém que você não precise convencer de que você vale a pena. Que não tenha dúvidas. Fique com alguém que te olhe da cabeça aos pés e saiba, sem hesitar, que é você e só você.

Fique com alguém que te faça olhar para trás e agradecer por não ter dado certo com ninguém antes. Fique com alguém que faça não existir mais ninguém depois.

*Marina Barbieri

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Você se sente deprimido e sem vontade de viver?

Veja o que diz o Papa Francisco

Durante a homilia da Missa na Capela da Casa Santa Marta – na festa de São Vicente de Paulo –, o Papa Francisco meditou sobre a primeira leitura de hoje, que conta a história de Jó, o qual passou por uma grande “desolação espiritual” e “havia perdido tudo”. O Santo Padre ofereceu alguns conselhos para aquelas pessoas que se sentem tristes e deprimidas.

“A desolação espiritual é uma coisa que acontece com todos nós: pode ser mais forte ou mais fraca… mas é uma condição da alma obscura, sem esperança, desconfiada, sem vontade de viver, que não vê a luz no fim do túnel, que tem agitação no coração e nas ideias”.


Mas também, “a desolação espiritual nos faz sentir como se nossa alma fosse ‘achatada’: quando não consegue, não quer viver: ‘A morte é melhor!’”, acrescentou o Pontífice.

Isto foi o que aconteceu com Jó, “melhor morrer do que viver assim”. “E nós devemos entender quando nosso espírito está neste estado de tristeza geral, quando ficamos quase sem respiro. Acontece com todos nós e temos que compreender o que se passa em nosso coração”, aconselhou.

Francisco convidou então a nos perguntar: “O que se deve fazer quando vivemos estes momentos escuros, por uma tragédia familiar, por uma doença, por alguma coisa que me leva ‘para baixo’. Alguns pensam em engolir um comprimido para dormir e tomar distância dos fatos, ou beber ‘dois, três, quatro golinhos’. Mas isto não ajuda”, assegurou o Papa.

Em vez disso, a liturgia de hoje “nos mostra como lidar com a desolação espiritual, quando ficamos mornos, para baixo, sem esperança”.

O Santo Padre indicou que no salmo 87 está a resposta: “Chegue a ti a minha prece, Senhor”. Portanto, é preciso rezar: “É uma oração de bater na porta, mas com força!”, exclamou.

“Senhor, eu estou cheio de desventuras. A minha vida está à beira do inferno. Estou entre aqueles que descem à fossa, sou como um homem sem forças’”, disse o Papa.

“Quantas vezes nós nos sentimos assim, sem forças… E esta é a oração. O Senhor mesmo nos ensina como rezar nestes momentos difíceis. ‘Senhor, me lançaste na fossa mais profunda. Pesa sobre mim a Tua cólera. Chegue a Ti a minha oração’”.

Nesse sentido, o Pontífice disse novamente: “Assim devemos rezar nos piores momentos, nos momentos mais escuros, mais desolados, mais esmagados, que nos esmagam mesmo. Isto é rezar com autenticidade. E também desabafar como desabafou Jó com os filhos. Como um filho”.

Francisco destacou que o personagem da Bíblia viveu também o silêncio dos amigos nesta situação.

Diante de uma pessoa que sofre, disse o Papa, “as palavras podem ferir”. O que conta é estar perto, fazer sentir a proximidade, “mas não fazer discursos”.

“Quando uma pessoa sofre, quando uma pessoa se encontra na desolação espiritual, você tem que falar o mínimo possível e você tem que ajudar com o silêncio, a proximidade, as carícias, com a sua oração diante do Pai”.

Em seguida, o Santo Padre disse que existem 3 coisas que se devem fazer:

“Em primeiro lugar, reconhecer em nós os momentos de desolação espiritual, quando estamos no escuro, sem esperança, e nos perguntar por quê. Em segundo lugar, rezar ao Senhor, como na liturgia de hoje, com este Salmo 87 que nos ensina a rezar, no momento de escuridão”, prosseguiu o Papa.

“E em terceiro lugar, quando me aproximo de uma pessoa que sofre, seja por doenças, seja por qualquer sofrimento, mas que está na desolação completa, silêncio; mas silêncio com tanto amor, proximidade, ternura. E não fazer discursos que, depois, não ajudam e, também, lhe fazer mal”.

Ao concluir, o Papa Francisco disse: “Rezemos ao Senhor para que nos conceda essas três graças: a graça de reconhecer a desolação espiritual, a graça de rezar quando estivermos submetidos a este estado de desolação espiritual e também a graça de saber acolher as pessoas que passam por momentos difíceis de tristeza e de desolação espiritual”.

Leitura e salmo comentados pelo Papa:

Primeira Leitura (Jó 3,1-3.11-17.20-23)

“Jó abriu a boca e amaldiçoou o seu dia, 2dizendo: “Maldito o dia em que nasci e a noite em que fui concebido. Por que não morri desde o ventre materno, ou não expirei ao sair das entranhas? Por que me acolheu um regaço e uns seios me amamentaram? Estaria agora deitado e poderia descansar, dormiria e teria repouso, com os reis e ministros do país, que construíram para si sepulcros grandiosos; ou com os nobres, que amontoaram ouro e prata em seus palácios. Ou, então, enterrado como aborto, eu agora não existiria, como crianças que nem chegaram a ver a luz.

Ali acaba o tumulto dos ímpios, ali repousam os que esgotaram as forças. Por que foi dado à luz um infeliz e vida àqueles que têm a alma amargurada? Eles desejam a morte que não vem e a buscam mais que um tesouro; eles se alegrariam por um túmulo e gozariam ao receberem sepultura.

Por que, então, foi dado à luz o homem a quem seu próprio caminho está oculto, a quem Deus cercou de todos os lados? ”

A vós clamo, Senhor, sem cessar, todo o dia, e de noite se eleva até vós meu gemido. Chegue a minha oração até a vossa presença, inclinai vosso ouvido a meu triste clamor!

Saturada de males se encontra a minh’alma, minha vida chegou junto às portas da morte. Sou contado entre aqueles que descem à cova, toda gente me vê como um caso perdido!

O meu leito já tenho no reino dos mortos, como um homem caído que jaz no sepulcro, de quem mesmo o Senhor se esqueceu para sempre e excluiu por completo de sua atenção.

Ó Senhor, me pusestes na cova mais funda, nos locais tenebrosos da sombra da morte. Sobre mim cai o peso do vosso furor, vossas ondas enormes me cobrem, me afogam.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

O perdão é uma fragrância que perfuma a nossa alma…

Procuremos não revidar ofensas, silenciar, ignorar, ser superior ao que não nos faz bem e, de alguma forma, agride o nosso espírito.
Às vezes, é difícil agir assim, porém, é a forma mais sábia de proceder: não nos nutrir do fel emitido por ninguém, desligando-nos de sentimentos, coisas e pessoas que não agregam nada de bom para nós.
Sejamos pessoas mais espiritualizadas, nunca se perde nada por ser bom.
Perdoe as ofensas. É difícil perdoar? Sim, quem disse que é fácil?! Mas não retribua “olho por olho, dente por dente,” isto nos faz mal, baixa o nosso teor vibratório e nos colocamos no mesmo nível do agressor.
Não batamos de frente com ninguém, muito pelo contrário, façamos um esforço, oremos e peçamos a Deus força e proteção para seguir a nossa vida com mais paz e amor no coração.
Tudo é uma questão de tentar, ter perseverança no bem. A nossa vontade tem muito peso perante as leis divinas e por mais difícil que pareça, conseguir só depende exclusivamente do nosso querer.
Se temos disposição para revidar, da mesma forma temos para perdoar. Não alimentemos sentimentos como vaidade, orgulho; não sejamos arrogantes e nem queiramos pisar em ninguém.
Evitemos magoar os outros desejando ser sempre melhores. Somos todos aprendizes na grande escola da “vida”, estamos no mesmo barco e por isso somos todos iguais. Não existe essa de ser melhor do que ninguém. Lembrando que estamos subordinados a Leis Maiores, vamos receber exatamente o que damos, nem mais nem menos. Se doarmos amor, o Universo nos devolverá na mesma intensidade e vice-versa.
A cada dia que passa mais convencidos estejamos da autenticidade da “Lei do Retorno”. Nunca façamos nada pensando que não responderemos pelos nossos atos, porque responderemos, sim, somos os únicos responsáveis por tudo que fizermos.
Então, procuremos realizar uma boa semeadura enquanto é tempo, para que a nossa colheita seja promissora, na certeza de que tudo de bom ou de ruim voltará para nós.
Somos frutos das nossas ações, a vida se encarregará de devolver tudo o que fizermos, cabendo exclusivamente a nós decidir o que vamos receber!
Muita gente não acredita na Lei do Retorno, Ação e Reação ou Causa e Efeito, enfim, as três se resumem na mesma coisa: colhe-se, inexoravelmente, o que se semeia, mais cedo ou mais tarde acontecerá e não temos como fugir e muito menos burlar as Leis Divinas.
E quem não acredita, prossegue aprontando, fazendo tudo errado, na ilusão de que a justiça do “Alto” não os alcançará, apesar de todos os alertas que nos são dados todos os dias. Tudo bem, ninguém é forçado a acreditar em nada, já que temos o livre-arbítrio de escolher nossos caminhos, assim sendo é “pagar para ver.”
O perdão acalma nossos corações, pacifica nossos espíritos e perfuma docemente nossas almas sedentas de amor e luz.
Não há dinheiro ou bens materiais que compre a nossa paz de espírito. Nada melhor do que uma consciência tranquila. Se formos pobres de bens terrenos, pouco importa perante a justiça divina, o que na verdade é relevante são os valores inerentes ao espírito.
A nossa felicidade depende somente de nós, sejamos sábios escolhendo o bem e, principalmente, fazendo aos outros o que gostaríamos que nos fizessem.
Perdoe, perdoe sempre!

*Yára Uchôa Barreto

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Porque eu?

É um dos melhores textos que já li, espero que gostem ...

Arthur Ashe, o lendário jogador de Wimbledon, estava morrendo de AIDS

Foi contaminado com sangue infectado durante uma cirurgia cardíaca em 1983

Ele recebeu cartas de seus fãs, uma das quais perguntou:

"Por que Deus teve que escolher você para por uma doença tão horrível?"

Arthur Ashe respondeu:

Muitos anos atrás, cerca de 50 milhões de crianças começaram a jogar tênis, e uma delas era eu.

Cinco milhões realmente aprenderam a jogar tênis,

500 000 se tornaram Tenistas profissionais,

50 mil chegaram ao circuito,

5 Mil alcançaram Grandslam,

50 delas chegaram a Wimbledon,

4 delas chegaram à semifinal,

2 delas chegaram à final e uma delas era eu.

Quando eu estava comemorando a vitória com a taça na mão, nunca me ocorreu perguntar a Deus
" Porque eu? ".

Então, agora que estou com dor, como posso perguntar a Deus, "Por que eu?" .

A felicidade te mantém doce!

Os julgamentos mantêm você forte!

As dores te mantêm Humano!

A falha mantém você humilde !!

O sucesso mantém você brilhante!

Mas só, a fé o mantém em pé.

Às vezes você não está satisfeito com sua vida, enquanto muitas pessoas neste mundo sonham em poder ter sua vida.

Uma criança em uma fazenda vê um avião que voa e sonha em voar.
Mas, o piloto desse avião, voa sobre a fazenda e sonha em voltar para casa.

Assim é a vida!! Aprecie a sua ...

Se a riqueza é o segredo da felicidade, os ricos deveriam estar dançando nas ruas.
Mas apenas crianças pobres fazem isso.

Se o poder garante segurança, os VIPs deveriam andar sem guarda-costas.
Mas apenas aqueles que vivem humildemente, sonham em silêncio.

Se a beleza e a fama atraem relacionamentos ideais,
Celebridades deveriam ter os melhores casamentos.

Tenha confiança em você MESMO, mas tenha  fé em DEUS!
Viva humildemente. Caminhe humildemente e AMe com o coração ...!

Aprendi a não bater de frente com quem só entende o que lhe convém

Uma das coisas mais desagradáveis que ocorrem é sermos mal entendidos, quando o outro deturpa nossas palavras ou nossas atitudes, desconte...