sexta-feira, 29 de setembro de 2017

O leite só ferve quando você sai de perto

Em meados dos anos 80, lá em Minas, o costume era comprar leite na porta de casa, trazido pela carroça do leiteiro, que vinha gritando “Ó o lêeeeeite!!!”.

Minha mãe corria porta afora e o leite _ fresquinho, gorduroso e integral_ era despejado na leiteira para nosso consumo. Porém, era um leite impuro, não pasteurizado, e necessitava ser fervido antes de consumir.

No início, minha mãe tinha um ritual no mínimo interessante para esse evento: Colocava o leite na fervura e saía de perto. Literalmente esquecia. Simplesmente I.g.n.o.r.a.v.a.

É claro que o leite fervia, subia canecão acima e despencava fogão abaixo. Eu era criança, e quando via a conclusão do projeto, gritava: “Mãe!!! O leite ferveu!!! Tá secaaaannndo…” e ela vinha correndo, apavorada, soltando frases do tipo “Seja tudo pelo amor de Deus…” e desandava a limpar o fogão, o canecão, e ver o que sobrou do leite_ pra tudo se repetir no dia seguinte, tradicionalmente.

Até hoje não entendo o porquê desta técnica. Parecia combinado, tamanha precisão com que ocorria. Mais tarde, ela mudou de estratégia. Eu já era maiorzinha e podia ficar perto do fogo. Assim, ficava ao lado do fogão, de olho no leite esquentando_ pra desligar assim que a espuma subisse, impedindo que transbordasse. Foi assim que aprendi uma grande lição:

O leite só ferve quando você sai de perto.

Não adianta ficar sentada ao lado do fogão, fingir que não está ligando; até pegar um livro pra se distrair. É batata: ele não ferve. Parece existir um radar sinalizador capaz de dotar o leite de perspicácia e estratégia. Porque também não basta se afastar fingindo que não está nem aí. O leite percebe que é só uma estratégia. E só vai ferver ( e transbordar) se você esquecer DE FATO.

A vida gosta de surpresas e obedece à “lei do leite que transborda”: Aquilo que você espera acontecer não vai acontecer enquanto você continuar esperando.

Antigamente o sofrimento era ficar em casa aguardando o telefone tocar. Não tocava. Então, pra disfarçar, a gente saía, fingia que não estava nem aí (no fundo estava), até deixava alguém de plantão. Também não tocava. Porém, quando realmente nos desligávamos, a coisa fluía, o leite fervia, a vida caminhava.

Hoje, ninguém fica em casa por um telefonema, mas piorou. Tem email, msn, facebook, whatsApp, e por aí vai. O celular sempre à mão, a neurose andando com você pra todo canto. E o leite não ferve…

Acontece também de você se esmerar na aparência com esperança de esbarrar no grande amor, na fulana que te desprezou, no canalha que te quer como amiga. Então ajeita o cabelo, dá um jeito pra maquiagem parecer linda e casual, capricha no perfume… e com isso faz as chances de encontrá-lo(a) na esquina despencarem. Esqueça baby. O grande amor, a fulaninha ou o canalha estão predestinados a cruzarem seu caminho nos dias de cabelo ruim, roupa esquisita e vegetal no cantinho do sorriso.

Do mesmo modo, se quiser engravidar, pare de desejar. Não contabilize seu período fértil e desista de armar estratégias pro destino. Continue praticando esportes radicais, indo à balada, correndo maratonas. Na hora que ignorar de verdade, dará positivo.

A vida _como o leite_ não está nem aí pra sua pressa, pro seu momento, pra sua decisão. Por isso você tem que aprender a confiar. A relaxar. A tolerar as demoras. A não criar expectativas. A fazer como minha mãe: I.g.n.o.r.a.r…

E lembre-se: Tem gente que prefere ser lagarta a borboleta. Sem paciência com os ciclos, destrói seu casulo antes do tempo e não aprende a voar…

*Fabíola Simões

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Todo mundo erra, porém poucos sabem pedir perdão.

Admiro a maturidade daqueles que me olham nos olhos para dizer “eu errei, me desculpe”.
Pedimos desculpa ou perdão quase diariamente, quando esbarramos em alguém, quando demoramos para responder uma mensagem ou até mesmo quando interrompemos sem querer a fala de uma amigo numa conversa, essas desculpas por menores que sejam são sinceras.
No entanto, quando é algo mais delicado e profundo, o pedido de perdão fica mais complicado. Nossos erros podem ferir profundamente alguém que temos uma conexão mais próxima e então surge a questão…
Por que é mais difícil pedir perdão nesses casos?
Veja a diferença: quando esbarramos em alguém, automaticamente pedimos desculpas, não damos tempo ao ego que poderia nos dizer “a pessoa está no meio do caminho, bem feito.”, mas por ser algo rápido nem nos importamos com essa voz. Agora quando magoamos alguém, as desculpas não surgem tão rápido assim, começamos a alimentar o ego e ele assume o controle.
O ego é racional, ele julga, culpa o outro, gosta de sofrer e é muito egoísta.
Já o perdão tem que ser emocional. Quantas vezes ouvimos que ele tem que vir do coração, da alma?
Então nós começamos a nos perdoar, analisamos nossos erros, tiramos os aprendizados da situação, prometemos a não cometê-los novamente e resolvemos mudar.
Agora sim estamos preparados para pedir perdão, temos que chamar a pessoa para uma conversa pessoalmente, olhar nos olhos dela e dizer que sentimos  muito, se você quiser se explicar ou não é você quem decide, mas se a pessoa questionar algo responda com sinceridade.
Parece fácil, mas não é… O ego vai ressurgir tentando nos convencer que não há necessidade disso tudo, basta uma mensagem no whatsapp, um e – mail ou um post no Facebook e está tudo resolvido, a tecnologia é para isso facilitar a nossa vida. Nós não temos tempo, a pessoa não vai querer, a vida é muito corrida e milhões de outras desculpas para nos bloquear.
Mas espera, você tentou?
Ao invés de mandar aquela mensagem “me desculpe, eu sinto muito” , mande assim “quero falar com você e é muito importante para mim te ver”.
Independe do desfecho da situação, garanto que terá aprendido uma valiosa lição… O poder do perdão.”

*Angélica Revuelta

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

O teu amor me basta…

O teu amor me basta quando me sinto só e quando estou muito acompanhada.
O teu amor me basta nos dias de inverno e nas noites de verão. Teu amor me basta, quando o silêncio se faz presente e quando o barulho é muito.
Teu amor me basta, quando ligo a TV e só se comenta desastres, tragédias, impunidades. Me basta porque se o mundo acabasse agora, neste exato momento, e eu tivesse o teu amor, eu estaria feliz. Porque nada se compara ao teu sorriso. Nada brilha mais que os teus olhos. Não existe cheiro mais sublime, que o teu perfume. E nada se compara ao jeito com que você me toca. Eu procurei em livros, dicionários, em vários lugares, uma palavra que possa definir meu amor por você. Mas não encontrei. Porque nem a mais bela palavra que li, foi o suficiente. Então eu, simplesmete, te amo. Assim, desse modo, sem explicação. E o teu amor me basta, nas minhas agonias, nos meus dias difíceis e nos meus dias calmos. Me basta nas minhas inseguranças, medos e nos meus momentos de pura coragem.
Teu amor me basta, quando me perco e fico tentando encontrar o caminho novamente.
Teu amor me basta, quando não há nada que eu possa fazer, e, só me resta, esperar, e esperar. Eu espero. Te espero. Quanto tempo for necessário. Não terei pressa, prometo. E seu tiver, me acalme. Me coloque dentro dos teus braços. Que lá, tudo se ajeita. Está tudo dito. É sempre nos teus braços, que me encontro. É sempre neles, que me desfaço e me recomponho, por inteira. E se eu, pensar em desistir, não desista de mim. Me lembre sempre, que tudo dará certo. Independente de tempo e distância. Não me deixe esquecer, que, tudo dará certo.
Teu amor me basta quando tudo são espinhos, e quando tudo são flores. Me basta, saber que existe e que uma hora os males de não te ter aqui de vez, se dissipam, de uma maneira ou de outra. Embora ás vezes, eu pense que, possa estar distante demais. Como hoje, agora. Não porque queremos, eu sei, mas porque neste exato momento não podemos estarmos juntos. Como tem sido longos os dias. E, se quer saber, foi estando longe de ti que percebi o quanto amo ouvir sua risada, e o quanto gosto de ouvir tua voz a me falar qualquer coisa, como música para meus ouvidos. Percebi o quanto me faz falta te ver chegar aqui e me dar aquele abraço que, só você, sabe dar. Percebi que nada é melhor que acordar as 6:00 da manhã só pra te dar bom dia.
Que os dias sem notícias suas, não passam. As horas parecem parar, os minutos são longos demais. As noites, parecem eternas. Tudo demora demais. Cada segundo passa como longos dias sombrios e distantes demais de tudo ou do pouco, que temos. Percebi, nesses dias longe de ti, que os melhores momentos são quando estou do teu lado ou só pelo simples fato de poder falar com você. E, como me faz falta saber como foi seu dia. Percebi, o quanto nenhum outro homem tem graça, nenhum outro homem me rouba a atenção. Não que eu já não soubesse disso tudo, mas é que, eu soube ainda mais agora, e, pude constatar que meus olhos não se desviam para outro olhar, menos ainda meu coração bate por outro sorriso. E, o teu amor me basta, por me fazer, cada vez mais, valorizar cada minuto ao seu lado, porque conheço a dor de cada segundo longe de ti.
( ” Talvez cientista nenhum no mundo consiga explicar o poder do abraço. O poder de se sentir preenchido só de caber dentro dos braços que te acolhem. De sentir aquele cheiro que emana de um coração que pulsa apaixonado. Aquele cheiro com gosto de amor. De carinho. De afago no cabelo. Lugar nenhum no mundo é melhor que o paraíso. O paraíso que te envolve, que te acolhe. O paraíso do teu abraço. Dos teus abraços. Amor ” ).

*Aline Melhado

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Por que complicamos tanto a nossa vida?

Por que problematizamos as nossas dificuldades? Por que tornamos coisas simples tão complexas? Por que dificultamos a nossa vida com mentiras criadas pelos outros e por nós mesmos? Por que endeusamos os outros, na expectativa de que sejam perfeitos? Por que não paramos e vemos o que é essencial?

Hoje, enquanto dirigia para o trabalho, acompanhado por minhas próprias preocupações, tocou uma música no rádio chamada Epitáfio, dos Titãs. A música faz uma reflexão sobre frases colocadas em um túmulo e reflete sobre certos arrependimentos por não se ter vivido a vida da melhor maneira: saboreando-a.

Tive, então, um insight sobre como tudo isso é significativo, pois acredito que essa seja a maior busca de todas, além de descobrir quem somos, que é:

Como vivemos? Como viver melhor nesse lapso de tempo em que estamos aqui?

Então, lembramo-nos das vezes em que amamos e expressamos o nosso amor usando conta gotas; em que seguramos o choro por termos crescido; em que não paramos e aproveitamos o que há de bom ao nosso redor; em que não arriscamos; em que tivemos medo de errar e não agimos; em que fizemos o que os outros queriam que fizéssemos; em que não respeitamos e aceitamos a individualidade de cada pessoa; em que não deixamos a vida ser como é; em que complicamos as situações com julgamentos, rancor, ações e palavras, em vez de simplificarmos e ficarmos com o que é essencial e importante; e quando demos importância a algo que, na verdade, não tinha importância alguma.

Existe uma boa notícia: ao perceber que talvez essas coisas possam estar acontecendo na nossa vida, é possível mudá-las quando e o quanto quisermos. Diferente da música, por tratar de arrependimentos que não podem ser reparados, ou ser feito um novo futuro, nós ainda estamos vivos. Nós ainda temos uma outra chance, nada está perdido, ainda há tempo de fazer diferente.

Agora podemos nos permitir amar mais, chorar mais, rir mais, festejar mais, aceitar mais, errar mais, arriscar mais, aproveitar mais, descomplicar mais e viver mais.

Para isso tudo, é necessário uma boa dose de insanidade, no bom sentido, e de coragem. Isso quer dizer, muitas vezes, largar o que já passou, perdoar quem um dia ofendeu, esquecer o que já não é importante, aceitar o que não acontece conforme desejamos, respeitar o que é maior que nós e parar de tratar a vida e Deus como mordomos pessoais, como se tudo existisse para satisfazer os nossos desejos.

Parar de se colocar no centro do universo, parar de se achar importante, parar de se achar melhor que alguém, parar de exigir perfeição, parar de julgar e de acusar o outro.

Sei que as pessoas têm suas expectativas em relação a nós e que também temos as nossas imagens sobre nós mesmos, mas quem é você, sem o seu passado para buscar? Quem é você agora, sem consultar a sua memória? Você é preso a alguém ou a alguma situação? Você é obrigado por quem a entrar em um molde, a ter uma característica, a agir de uma determinada forma?

O seu passado o influencia porque, no fundo, você acredita que ele pode influenciá-lo. Nós somos, muitas vezes, fiéis ao passado, porque acreditamos que ele é uma propriedade nossa, é a nossa história, o que nós temos para contar para os outros. Assim como ainda somos fiéis aos nossos pais, repetindo seus traços, mesmo sem concordarmos com isso.

Mas quem sou eu sem o meu passado? Quem sou eu sem os exemplos dos meus pais?

Perceba que você é muito mais do que isso, é muito mais do que passado, memórias, defeitos, qualidades, repetições, condicionamentos, pensamentos, ações, palavras, acontecimentos, corpo; mas é isso em que você ainda se baseia para se identificar.

É como se eu lhe perguntasse quem você é, sendo que você só me mostra a sua identidade. Veja que isso é só um papel e não tem importância nenhuma, assim como todo o resto.

Mude, mas mude para você. Realize o que lhe traz sensação de felicidade. Trabalhe o amor e compaixão em você. Perceba que muitas certezas que guardamos são meras pedras em nossa mochila que carregamos pela vida. Desapegue-se do que não lhe serve mais e permita conhecer-se a cada dia, não para ser uma pessoa perfeita, pois, em certo sentido, isso não existe, mas para aproveitar esse período de tempo, entre nascimento e morte, que chamamos de vida.

Apenas queira estar bem consigo mesmo e com a vida, queira estar contente, queira ser feliz. Existe uma missão mais bonita do que essa? Assim como uma vela, que não dura para sempre e o seu propósito, depois de acesa, é iluminar o seu redor e poder acender outras velas, sem que isso a faça se apagar no caminho.

“Há um leão em você e você está vivendo como um rato, eu vou lhe dizer para rugir e ser o leão que você é. A vida é grande o suficiente para assumir todos os nossos erros, todas as nossas aventuras, todo o nosso coração aberto, tudo, você não pode ultrapassar, ser maior que a vida. Se você é um leão, então você tem de rugir, mas não é um rugido de arrogância ou estupidez, é que você abra o seu coração para a vida. Eu digo a você para caminhar o seu trajeto, não desrespeite outros seres, demonstre amor à sua família, tanto quanto você pode, mas caminhe sempre a sua verdade. ”

Que a sua parte que acredita nisso tudo e que quer o seu melhor seja vitoriosa perante uma parte pequena e míope sua que lhe impõe dificuldades.

*Por Virgilio Magalde

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

As coisas perderam o sentido para você? Aqui estão algumas dicas que podem ajudar.

Todos nós passamos por momentos difíceis. Entretanto, cada pessoa possui mecanismos próprios de adaptação e enfrentamento das dificuldades.
Sabemos também que, em diferentes épocas da vida, sentimo-nos mais fortes que em outras. Em outros momentos podemos não estar tão bem e, se outros fatores influenciarem negativamente, a vida pode até mesmo perder o sentido.

Então, qual é o segredo para a superação?

Aqui selecionei algumas dicas que podemos usar para refletir quando a vida ficar difícil.

1. As coisas são o que são

Há um ensinamento de Buda que nos diz que “É a nossa resistência às coisas que causa nosso sofrimento”.
Pense nisso por 1 minuto…Isso significa que o nosso sofrimento só ocorre quando resistimos às coisas como elas são. Se você pode mudar alguma coisa, então aja em conformidade com a realidade. Primeiro aceite-a, depois mude.

Mas, se você não pode mudar, então nos restam 2 opções:
Aceitar e deixar a negatividade para lá.
Nos tornarmos miseravelmente obcecados com o sofrimento.

2. Se você acha que tem um problema, você tem um problema

Muitas vezes nós somos o nosso pior inimigo. A felicidade depende realmente de nossa perspectiva.

Se você acha que algo é um problema, então seus pensamentos e emoções serão negativos. Mas você acha que está passando por algo que pode aprender, então, de repente, isso não é mais um problema podendo se tornar apenas um obstáculo frente a um objetivo melhor e maior.

3. A mudança começa em você mesmo

O seu mundo exterior é um reflexo do seu mundo interior. Você certamente conhece pessoas que possuem vidas caóticas e estressantes. E não é verdade que, em grande parte, elas se sentem assim também por dentro?

Nós gostamos de pensar que as mudanças em nossa rotina nos mudam. Mas, dando um passo atrás, precisamos mudar a nós mesmos antes que as circunstâncias mudem.

4. Não existe aprendizagem maior do que falhar

Você deve eliminar a palavra fracasso de seu vocabulário. Todas as grandes pessoas que já alcançaram alguma coisa falharam.

Thomas Edison disse algo como “eu não falhei ao inventar a lâmpada, eu encontrei primeiramente, 99 maneiras de  como ela não funcionava”.

Tire as  falhas do caminho e aprenda alguma coisa com elas. Depois disso, aprenda como fazer melhor da próxima vez.

5. Se algo não acontece como planejado, significa que o melhor aconteceu

Isso é bem difícil de acreditar, mas é a mais pura verdade uma vez que as possibilidade de ganhos e perdas em cada escolha que fazemos são infinitas (amplie suas perspectivas).

Talvez, por exemplo,  o trabalho que você não conseguiu teria feito você passar mais tempo longe da sua família, e o que você conseguiu era mais flexível.

6. Aprecie o presente

Este momento nunca voltará. E há sempre algo preciso a cada momento.

Em breve tudo será apenas uma lembrança.

7. Deixe o desejo de lado

A maioria das pessoas vive com a mente motivada por desejos. Isso significa que nossas mentes ficam ligadas a um desejo e quando não realizamos esses desejos, nossas emoções despencam em negatividade.

Em vez disso, tente praticar uma mente isolada. Isso significa que, quando você quer algo, você ainda será feliz conseguindo ou não. Faça com que suas emoções permaneçam felizes ou neutras. Não se esqueça de tudo o que você já tem e do quanto isso é importante para você.

8. Compreenda e seja grato por seus medos

O medo pode ser um grande professor. E vencer o medo também pode fazer você se sentir vitorioso.

Por exemplo, muita gente tem medo de falar em público (esse é um dos 3 principais medos dos seres humanos). Então, quando você perder o medo e conseguir falar de maneira bem humorada na frente de todos, vai se sentir vitorioso.

Superar seus medos requer apenas prática.

9. Experimente a alegria

Acredite ou não, muitas pessoas não deixam de se divertir com o que acontece ao seu redor. E, muitas vezes essas pessoas nem sabem porque se divertem nessas situações.

Algumas pessoas são realmente viciadas em seus problemas e o caos envolvido nisso tudo faz com que eles nem saibam quem são.

Portanto, permita-se ser feliz. Mesmo que seja apenas por um breve momento, é importante se concentrar em alegria, e não em dificuldades.

10. Você não é uma vítima

Você precisa parar de ver tudo pelo seu próprio ponto de vista. Você é apenas uma vítima de seus próprios pensamentos, palavras e ações.

Ninguém faz alguma coisa contra você. Você é o criador de sua própria experiência. Assuma a responsabilidade pessoal e perceba que você pode sair de suas dificuldades.

Nós só precisamos começar a mudar pensamentos e ações. Abandone a sua mentalidade de vítima.

11. Tudo é possível

Milagres acontecem todos os dias. E realmente eles acontecem. Confie e acredite que tudo é possível. Coisas incríveis acontecem o tempo todo.

Você só precisa acreditar nisso e, agir em conformidade. Uma vez que você fizer isso, você já ganhou a batalha.

Este artigo foi traduzido e adaptado do original, “13 Things to Remember When Life Gets Rough“, Lifehack.

*Por CONTI outra

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

As pessoas criticam em nós aquilo que não gostam em si mesmas!

Muitas vezes, parece que o hábito de criticar aqueles ao nosso redor está incorporado a nossas personalidades, como se não pudéssemos fazer nada sobre isso.
No entanto, a verdade é que todos nós, sem exceção, temos nossas falhas e traços de personalidades negativos. Nós somos seres de Luz, pessoas com missões na Terra, mas é impossível vivermos sem cometer erros ou nos envergonhar por certas atitudes que tomamos.
Dessa forma, a crítica excessiva aos outros não tem significado algum. Somos todos iguais.
Por mais que essa seja uma verdade de fácil compreensão, muitas pessoas agem de forma oposta. Elas se tornam juízas do caráter e atitudes de todos aqueles que as cercam. São até mesmo capazes de fazer lista de comportamentos alheios que julgam defeituosos e determinar cursos de ações que devem tomar para superarem suas imperfeições.
Quando a crítica é constante e feroz, é muito provável que a pessoa não esteja tentando  ajudar a avaliar seus erros cometidos e motivá-lo a seguir em frente. Ela pode estar agindo sob um mecanismo de defesa chamado “projeção”.
A projeção é um tipo de comportamento em que as pessoas o veem como um espelho, e criticam em você aquilo que não gostam ou desaprovam em si mesmas.
As críticas, assim como os elogios e admiração são coisas a que todos nós estamos sujeitos. E nós escolhemos o que queremos ou não queremos enxergar nas outras pessoas. Essa escolha, muitas vezes, baseia-se em como percebemos a nós mesmos. Se enxergarmos e valorizamos o bem em nós mesmos, agiremos da mesma maneira com os outros. No entanto, se focamos em nossos pontos negativos, seremos críticos negativos àqueles ao nosso redor. Há situações em que a pessoa crítica escolhe apenas um alvo para sua negatividade.
Para entendermos isso, precisamos assimilar o funcionamento da projeção. Na projeção, a pessoa cria uma opinião de si mesma, que nem sempre é imparcial e objetiva. A pessoa pode ser extremamente egoísta em suas atitudes, mas canta aos quatro ventos o quanto valoriza a caridade. Dessa forma, cria argumentos falsos para justificar seu comportamento egoísta. A pessoa pode até ter o desejo de ser generosa, mas o seu egoísmo não permite. Muitas vezes, ela nem percebe que seu comportamento negativo, e acredita que suas justificativas são verdadeiras e válidas.
O problema surge quando ela encontra comportamentos egoístas em outras pessoas, porque não mostra tolerância e protesta contra. Ela mostra indignação e rejeição, o que parece hipócrita e sem sentido, pois ela também age da mesma maneira.  Quando questionada sobre essa forma de se portar, a pessoa responde dizendo que seus motivos para conservarem o egoísmo são justificáveis, mas os das outras pessoas são apenas desculpas e fingimentos.
Em seu interior, no entanto, as falhas das outras pessoas as lembram de suas próprias, e elas têm dificuldade de aceitar nos outros aquilo que é intolerável em si mesmas. O criticismo dessas pessoas quase sempre envolve um episódio de projeção.
É comum criticarmos os outros por terem defeitos que não toleramos em nós mesmos, e muitas vezes esse processo é inconsciente.
É importante refletirmos sobre isso, analisarmos nossos hábitos de críticas e percebermos que muitas vezes nosso criticismo tem mais a ver com nós mesmos do que com os outros.

*Luiza Fletcher

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Ninguém entra na sua vida por acaso. Acredite nos encontros e reencontros que a vida lhe mostrar.

Enquanto estivermos vivos, seguiremos em frente. Há uma força que nos move e que nos faz levantar todos os dias por um propósito.Ainda que possamos ter em mente que o que nos aguarda no final dessa história é o final da vida, continuamos a caminhar todos os dias.
Trabalhamos, comemos, sorrimos e choramos. Temos sonhos, crenças, ritmos diferentes e cruzamos com pessoas que, assim como nós, estão neste mundo caminhando e trilhando diferentes histórias.
As pessoas que passam por nossas vidas sempre carregam uma missão especial.   Elas cruzam o nosso caminho e passam a se tornar fundamentais em nossas vidas.
Todas elas têm mais importância do que imaginamos. Elas são parte do conjunto que forma a sua história.
Há gente que parece chegar do nada. Estranhos tornam-se melhores amigos. Casais que se encontram de maneira improvável e terminam juntos, dando origem a uma nova família.
Tudo parece tão ao acaso e sem explicação, mas acredite: ninguém entra na sua vida por acaso.
Há ainda os misteriosos reencontros: “Eu te conheço de algum lugar. Não é a primeira vez que estamos juntos”. O olhar e a certeza que temos em nosso coração quando isso acontece é arrebatador. E não acontece apenas com casais. Todo mundo conhece ao menos uma pessoa que apareceu “do nada” e que se tornou um amigo ou amiga especial. Aquele vizinho que se mudou, entrou na vida e se tornou seu amigo só trazendo-lhe coisas boas, ou ainda aquela amiga virtual que você conhece há anos pela internet e ainda não teve a oportunidade de encontrar,  por mais que haja uma afinidade e uma cumplicidade difícil de explicar.
Agradeça a Deus quando isso acontecer e você sentir essa maravilhosa sensação de que há uma ligação entre você e as pessoas com quem cruzar.
Essa é a prova mais concreta de que Deus faz almas afins e próximas reencontrarem no decorrer do tempo e do espaço e das múltiplas existências. Aprecie a presença dessas pessoas na sua vida como uma prova de que Deus é real e firme em seu propósito. Não estamos aqui aleatoriamente, vivendo uma história sem sentido ou direção.
Se ao invés da afinidade houver um desafeto inexplicável por alguém que cruzar o seu caminho, não caia na armadilha de julgar o que fomos ou deixamos de ser uns dos outros num tempo passado.
O processo de reencontro por afinidade ou por resolução kármica se dá por uma série de fatores dos quais ainda não temos o completo entendimento.
Ao invés de decifrar o que ficou no passado, tente entender a mensagem que mesmo as pessoas mais difíceis podem trazer para você no presente. É hora de resolver e transformar os problemas em soluções, e isso pode, sim, dar certo, quando se há determinação e bastante vontade. É preciso desejar a mudança.
E voltando a falar das pessoas que amamos, por mais difícil que seja refletir sobre esse tema, sabemos que em um determinado momento haverá um desencontro ou uma separação.
Quando Deus levar para a luz quem tanto você ama, apenas guarde dentro do seu coração a certeza por um reencontro num futuro que chegará, pois, o elo que existe não é desfeito jamais.
Haverá um novo encontro em um novo tempo. Sua história, assim como a de quem você ama, continuará a ser escrita, inclusive com novos encontros que se darão pelo caminho.
Abra o seu coração para os encontros que vem por aí.
Muita luz sobre todos eles.

*Leonardo Pugliese

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Você ainda vai lembrar, só não vai mais sentir o mesmo

E o que fazer com toda essa saudade que invade o peito no meio da noite e me pega desprevenido?  O que fazer com toda essa saudade que insiste em me deixar pensando em você no fim de um dia frio?

E mesmo isso sendo o cúmulo do que chamam de melancolia, eu fico aqui vendo aquela série horrível, que cê achava incrível, só pra lembrar como era bom te ter por perto.

Eu sei. Eu sei que não tô colaborando no processo de "esquecimento", mas cê sabe como sou teimoso. 

Eu insisto, mesmo doendo, mesmo com o coração pedindo pra eu tentar me conformar. 

Como cê sempre dizia: "Tu não sabe a hora certa de parar". 
É, não sei mesmo. Tanto que ainda tô aqui te escrevendo esse texto.

Só me diz o que é que eu vou fazer com toda essa saudade que tô sentindo de você. Porque acho que tentar te esquecer, só vai eternizar você... 

Tentar te esquecer, só vai te trazer cada vez mais pra perto, mesmo você já não estando mais por aqui.

Acho que é como dizem mesmo: a gente nunca se esquece de um amor verdadeiro. O que acontece é que depois de um tempo, cê vai lembrar de tudo, só não vai sentir mais a mesma coisa que sentia antes. 

Espero que isso aconteça logo. Porque já tô cansando de lutar contra mim mesmo todos os dias pra não te mandar aquela mensagem dizendo tudo o que eu queria.

Mas eu vou esperar isso acontecer, vou sim. Porque, mais cedo ou mais tarde, o sentimento acaba mudando. 

O tempo passa e a gente vai se acostumando. E o que antes era saudade, acaba se transformando apenas em boas lembranças. Nada mais além disso. 

Uma hora, você já nem sente mais vontade de voltar atrás, de viver tudo mais uma vez. Você acaba percebendo que o passado é o lugar certo pra aquilo tudo, que você precisa focar no presente pra ter um bom futuro. Bem melhor que seu passado.


O tempo passa e algumas pessoas também. É normal. 

E é o tempo combinado com a vontade de voltar a viver sem sofrer, por alguém que já nem faz mais parte da nossa vida, que nos torna menos vulneráveis e nos faz seguir adiante.

E o que fazer com toda essa saudade que invade o peito no meio da noite? Apenas senti-la. Só isso. É inevitável, mas uma hora, ela há de ir embora. 

Agora, já tenho minha resposta. 

*Allison Christian Freitas

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Eu não mudei, você que me julgou antes de me conhecer realmente!

Só conheceremos alguém de fato após convivermos de perto, no dia-a-dia, atravessando jornadas ao seu lado, não somente em momentos prazerosos, mas, principalmente, durante tormentas e tempestades.
É muito interessante a forma como muitos de nós costumamos levantar pré-julgamentos sobre os outros antes de realmente os conhecer de fato. Baseando-nos tão somente em aparência, no que os outros nos falam, no pouco que sabemos, muitas vezes simpatizamos ou não com as pessoas, bem antes de nos aproximarmos efetivamente delas.
Não raro, acabamos, após a convivência, gostando de algumas pessoas que, a princípio, não nos tinham causado uma boa impressão, pois elas vão se mostrando alguém maravilhoso, por trás daquela aparência tímida, introvertida ou mesmo rude. Da mesma forma, o tempo acaba também por revelar um lado, de algumas pessoas, ao qual não tínhamos atentado, um lado que não nos agrada, um lado que assusta e decepciona.
Isso porque só conheceremos alguém de fato após convivermos de perto, no dia-a-dia, atravessando jornadas ao seu lado, não somente em momentos prazerosos, mas, principalmente, durante tormentas e tempestades.
As convenções sociais, as regras de convivência, os ambientes de trabalho, ou até mesmo a necessidade de aceitação, impõem que as pessoas sejam mais comedidas, porém, ninguém suporta sufocar suas verdades por muito tempo e o que somos acaba aparecendo, uma ou outra hora.
Por mais que demore, as pessoas traem a si mesmas, quando teimam em agir em desacordo com o que carregam dentro de si. Aquilo que nos movimenta o respirar, aquilo que nos compõe a essência, tudo o que pulsa em nossos sentidos e que nos sustenta afetivamente não conseguirá ser oculto, abafado ou sufocado enquanto quisermos. Ninguém consegue ser feliz atuando e fingindo e mentindo vinte e quatro horas por dia. Um dia a máscara cai.
Por isso é que não podemos nos antecipar ao curso do tempo, rotulando ou tirando conclusões precipitadas sobre as pessoas, sem ao menos sabermos minimamente sobre suas vidas.
Julgar sem conhecer sempre será um erro, pois as pessoas possuem muito a oferecer, de bom e de ruim, e poderemos estar sendo injustos ou ingênuos, quando nos precipitarmos e rotularmos alguém precocemente.
Aguardar sempre será melhor, pois todos mostramos a que viemos, por mais que demore, por mais fingimento que carregarmos. A verdade sempre aparece.

*Marcel Camargo

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

O que vale na vida não é o ponto de partida, e sim a caminhada…

“O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher” (Cora Coralina).
Há uma paisagem esperando-o depois da ponte. Se há caminho para chegar até lá, há possibilidades.  Se há possibilidades, há motivos para seguir.
Mesmo se houver momentos que lhe causem receio em seguir, continue a caminhada. Siga em frente e enfrente! 
Que os dias despertem em você a força e a coragem para recomeçar sempre que preciso. Que cada dia provoque em você o desejo de levantar, mesmo quando a paisagem parecer muito escura e não conseguir enxergá-la com tanta nitidez.
Permita-se ir adiante, conhecer a si mesmo, fazer  escolhas, construir a ressignificação da sua história. É essa a paisagem que o espera! A travessia pode causar medo, receios, pois “não sabemos” o que vem pela frente, mas é necessário esse caminhar.
Já dizia o poeta espanhol, Antonio Machado: “Caminhante, não há caminho. O caminho se faz ao andar, ao andar se faz o caminho”.
E se se perder? Não há problemas. Disse-nos Clarice Lispector: “Perder-se também é caminho.” Se nos perdemos, podemos encontrar o mais singular do nosso ser. Por isso concordo com Clarice Lispector e mais, perder-se é caminho e também é escolha, é mudança e, então, é vida.
Permita-se!
Permita-se transformar!
Permita-se reinventar-se, recriar-se!
Posso falar algo para você?
Siga o seu caminho e caso se perca, continue caminhando e vislumbrando as paisagens (no dia e na noite) no meio do caminho; os cenários do seu ser.
Que florir seja uma possibilidade de caminho para você. E se não for, siga a caminhada e a nomeie como desejar, pois o caminho precisa de desejo para persistirmos e prosseguir. 
E lembre-se: Recomece sempre que preciso!
Belo percurso a todos!

*Luanna Lustosa

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Aprenda a ouvir a voz de Deus e a aceitar os planos dele para a sua vida

Rasgue fora os seus rascunhos e deixe Ele escrever uma nova história!

Se você não sabe qual direção tomar, qual rumo seguir ou o que fazer, ore. Falar com Deus nos traz paz, enche o nosso coração de tranquilidade e leva embora toda angústia. Aquela angústia que chega a apertar o peito, que parece sufocar todas as nossas esperanças, achando um jeitinho de esmagar a nossa fé. Achando um jeito de sugar as nossas forças.

Aprenda a ouvir a voz de Deus e a aceitar os planos dEle para a sua vida. Rasgue fora os seus rascunhos e deixe Ele escrever uma nova história. Deixe Deus pilotar a sua vida, dê a direção para Ele. Eu sei, você deve estar com medo, achando que pode dar errado novamente e já nem sabe mais distinguir se deve tentar outra vez. Não sabe mais se deve dar um passo à frente, porque tudo o que você não quer é retroceder. Não quer ganhar novas feridas.

Talvez você esteja achando que tudo será igual novamente e esteja se apegando ao passado, aos fracassos e fazendo disso o lema da sua vida, mas saiba que você não é um colecionador de erros e tentativas falhas, você pode ser um colecionador de histórias, de aprendizado e de mudanças. Tudo em nossa vida é aprendizado.

Infelizmente, não estamos livres da decepção, dos erros e do medo, mas podemos escolher ver as coisas de outra forma, temos a oportunidade todos os dias de recomeçar. E eu acho isso mesmo bonito, essa coisa de poder se reinventar.

Então, se for para desapegar, desapega dos seus medos, dessa insegurança e dessa falta de anseio. Queira muito, mas também permita-se. Deus não daria a você qualquer coisa, então não espere coisas pequenas de um Deus tão grande. Confie nos planos dEle e deixe Ele agir. Esqueça os seus enganos, eles são só… enganos. E se der errado novamente? Pense que tudo nos transforma, tudo nos ensina algo. Se deu errado até aqui, continue a tentar.

A vida segue em uma velocidade assustadora e não nos permite pausas ou retrocessos, tudo o que você precisa fazer é seguir em frente, você não pode estacionar nos seus medos. Faça uma troca. É, uma troca. Troque o medo pela fé, troque a ilusão pela esperança, as paradas pelos avanços e ao invés de negar-se e negar o tempo todo, permita-se.

Um coração entregue a Deus não significa que nada dará errado, mas, certamente, ele está em um lugar seguro, onde guerra alguma abala a sua paz. Onde barulho nenhum te impede de ouvir a voz de Deus. Você continuará errando, por isso continue tentando. Não deixe de acreditar nas pessoas, no amor, na vida, porque a dor vem, mas não faz morada. Não deixe que nada que não te acrescente tome uma proporção significativa em sua vida.

Eu não sei o que está tomando conta do seu coração, se é o medo, as dores, as feridas, a angústia, a insegurança ou a dúvida, mas sei que quando você entregar o seu coração a Deus verá que a paz nunca fez uma morada tão longa em seu coração.

 *via Alma com Flores

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Amor Completo

“Em junho de 2013, poucos dias antes do dia dos namorados, minha namorada terminou comigo. Eu fiquei sem entender. Voltei pra casa e durante todo o caminho me perguntava: “Por que?”. A única coisa que vinha na minha cabeça era a voz dela dizendo: “Eu amo você”. Eu passei um mês sofrendo procurando respostas para o que estava acontecendo.

Um dia, entrei no quarto do meu pai chorando e perguntei: “Pai, ela dizia que me amava. Então, por que ela terminou comigo?”. Ele respondeu: “Meu filho,quando alguém entra na sua vida e depois de algum tempo vai embora, pode ser qualquer coisa menos amor”. Eu disse: “Não da para entender. Um dia, existe amor e no outro tudo acabou”. Ele respondeu: “Você nunca vai superar seus traumas se continuar procurando no amor uma lógica. Construa uma nova história”. Eu perguntei: “E de onde vem essa força pra começar algo novo?” Ele respondeu: “Não se preocupe com isso todo começo vem de um final”.
Uma semana depois, meu pai foi diagnosticado com uma doença rara e degenerativa que iria matá-lo em alguns dias. Minha mãe não o abandonou. Ela ficou. Meu pai saia toda sexta para comer pizza com dois irmãos. Quando ele parou de andar, meus tios começaram a trazer a pizza aqui em casa.

Eles diziam: “Sem o seu pai, não tem graça”. E ficavam a noite inteira dando gargalhadas. Hoje, meu pai não consegue mais comer. Mesmo assim, toda sexta meus tios passam aqui em casa. Meu pai estudou em Ouro Preto-MG. Na formatura ele combinou com três amigos de se encontrarem de cinco em cinco anos. Este ano, meu pai não pode ir porque ele não anda mais. Os amigos dele saíram do interior de Minas e vieram até aqui em casa. Todo formando tem uma foto pregada na parede na república que estudou. Os amigos do meu pai trouxeram a foto dos quatro. Pregaram a foto de cada um na parede do quarto e disseram: “Agora, a nossa república é a sua casa”. E combinaram que daqui cinco anos estariam de volta.

Meu pai chorou. Meus pais completaram 47 anos de casados dia 2 de junho. Eles sempre dançaram nesse dia. Meu pai não consegue mais se levantar. Minha mãe entrou no quarto e colocou a música que eles dançavam. Ela disse: “Meu filho, traz a cadeira de rodas”. Eu perguntei: “O que você vai fazer?” Ela respondeu: “Vou fazer o que seu pai faria por mim”. Eu busquei a cadeira de rodas. Minha mãe colocou meu pai na cadeira. Ela ajoelhou ao lado dele e disse: “Vamos dançar”. Abraçou meu pai e fez a cadeira girar. Ela ficou ajoelhada a música toda. Meu pai chorava e ria ao mesmo tempo. Eles ficaram ali dançando e se divertindo. Eu voltei pro meu quarto chorando.

Abri o notebook e resolvi escrever esse texto.

Porque eu vejo o mundo distorcendo ou complicando demais o amor. Um monte de gente dizendo fique com alguém que faz isso, que faz aquilo, que te de isso, que não sei o que mais. Esse monte de regras e exigências são coisas criadas pela cabeça. E, meu velho, não sei se você sabe mas o amor é criado pelo coração. O resto, é ilusão.

Então, acredite. O amor, amor completo é quando você quer o outro sempre perto.

Só isso.”

Texto de Ique Carvalho

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

EU VOU TE AMAR PRA SEMPRE

Eu vou te amar pra sempre. Talvez você não entenda isso agora, mas quando nós dois formos velhinhos e você olhar aquele nosso retrato junto. Vai se lembrar do cara que tentava te fazer sorrir, mas que acabou te fazendo chorar também. Vai recordar alguns erros meus e tentar lembrar porque não demos certo. Talvez, ali, vai sorrir ao imaginar que num Universo paralelo nós poderíamos estar juntos.
Longe demais um do outro agora.
Sabe lá se você ainda vai ter alguma notícia minha. Provavelmente, não. Serei um memória apenas. Memória daquelas que você vai esperar suas netas crescerem para contar a elas todas as loucuras que cometemos enquanto estivemos juntos. Inclusive a vez que você achou que tivesse grávida, mas era só um alarme falso.
Sei que estarei em outros momentos também. Talvez quando você ouvir chamando o meu nome, mas que obviamente é de outra pessoa. Ou, então, quando estiver numa daquelas lojas de suco e ver no cardápio o meu favorito. Os meus favoritos. Lembrar que eu amava tomar açaí e que mal dividia com as pessoas. Vai lembrar. E, pode apostar, eu ainda vou estar te amando nesse dia.
Porque o amor não se vai dessa maneira que muitos pensam. Ele não some, não pede as contas e se muda. Não deixa uma carta e desaparece. Ele se torna inquilino eterno de nós. E você vai saber, não sei de que jeito, mas saberá, que eu ainda estarei com esse sentimento no meu peito ao recordar o que fomos.
Se éramos algo tão bom, você se perguntará, por que então tivemos que viver aquele desfecho? Talvez você chore. De novo. Talvez você recorde os meus erros e queira me bater de novo por ter jogado fora tudo isso que criamos. O que era lindo e se acabou. O que marcou nós dois de um jeito que vai ser pra sempre.
Eterno em nossos corações.
Espero, sinceramente, que você se alegre depois disso. Porque se eu já não consigo conviver com a certeza de que seremos apenas uma lembrança, quanto mais em saber que mesmo daqui há muito tempo você ainda se entristecerá comigo. Ria, por favor. Lembre das vezes que contei uma piada ruim. De quando te esperei com uma flor na mão. De quando fizemos amor. De quantos planos a gente fez.
E um permaneceu: sentir eternamente esse amor.
Eu sei que vou te amar pra sempre.

*Gustavo Lacombe

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Quando as coisas não vão bem…

Muitas vezes quando as coisas não vão bem, quando parece que tudo saiu dos trilhos, quando parece que tudo deu para trás, a melhor coisa é se aquietar e esperar os ventos ruins mudarem o seu curso.
Tendemos, nestes momentos, afobados, a querer fazer mais alguma coisa, mas já estamos nos sentindo para baixo, completamente down, o melhor então é não fazer nada.
Tudo que fizermos estará carregado de uma energia não muito boa e, sendo assim, não obteremos sucesso. Se conseguirmos mudar esta energia, perfeito! Mas, muitas vezes, isso é difícil, pois o que precisa acontecer para essa energia melhorar é exatamente aquietar  e esperar.
Nessas horas o melhor a fazer é ficarmos com nós mesmos, tentando recuperar nosso equilíbrio interior. É importante conseguir entrar no vácuo e nos deixar levar, porque é neste vácuo que reside tudo, é nele onde residem as infinitas possibilidades, para podermos, então, embarcar na onda de uma possibilidade infinitamente melhor e transformá-la em realidade.
Pois tudo pode acontecer do dia para noite, tudo pode mudar da água para o vinho.
Mas enquanto estivermos mergulhados no olho do furacão, não conseguiremos operar esta mágica e continuaremos rodando com ele, sem conseguirmos fazer nada.
O pulo do gato é saltar para fora do furacão e deixá-lo girar sozinho. É se desligar dos problemas mesmo! Se você se identifica com o problema, além do seu estado de ânimo piorar, fica muito mais difícil resolvê-lo.
Não é fingir que as dificuldades não existem, mas é não valorizá-las além da conta. Com certeza, você já fez o que precisava fazer. Se há mais para fazer, não é este o momento.
Um exemplo: você precisa urgentemente de um trabalho. Está desesperado, desempregado ou com pouco dinheiro e precisa aumentar a sua renda. Num dia específico, ou em uma semana, você se vê angustiado com a situação, mergulhado no problema, sentindo-se mal por conta disto.
Não adianta ir atrás do emprego neste período, mandar currículos, enfim, empreender todas as ações necessárias para consegui-lo. Você não vai conseguir nada, pois está com a energia péssima.
Você precisa procurar o emprego quando tiver soltado o problema, quando não  supervalorizá-lo. Mergulhe no vácuo e mude a sua vibração. Quando você estiver se sentindo melhor, você retorna às suas ações, pois estará mais tranquilo, mais confiante e com uma energia bem melhor.
Na maioria das vezes as coisas precisam de tempo para acontecer, e esse tempo vai ser mais rápido de acordo com a sua mudança de energia e vibração.
Mergulhe no vazio, espere serenamente, curta o seu ser – ou o não fazer nada – não se desespere.
Quando não estamos bem a melhor coisa é fazermos o que nos relaxa e nos dá prazer, nem que seja preciso o dia inteiro sentado no sofá da sua sala contemplando a montanha em frente a sua janela.
A mudança de energia está dentro de nós e não fora. Não se cobre, não se culpe, apenas se distancie e contemple a vida.
Provavelmente você vai perceber que a mágica está em cada canto, em cada segundo, e você será capaz de fazer mágica, sem fazer nada.

*Anna Leão

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Por detrás de cada situação, existe um propósito…

O fato de vermos a vida, não significa que a enxergamos como ela é.
Nossos olhares costumam ser muito apressados, nossos julgamentos geralmente são muito precipitados, nossas interpretações são sempre superficiais demais, perante as situações pelas quais passamos.
Tudo isso está ligado com a forma com que entendemos a vida.
Costumamos enxergar a nossa passagem por aqui como fosse à existência num todo, esquecendo que a vida vai muito além.
Somos espíritos eternos, e isso, faz toda a diferença.
Enquanto nossos objetivos giram em torno de conquistas materiais, os planos do Universo para nós vão muito além: Eles trabalham em prol do desenvolvimento dos nossos potenciais latentes.
E como o Universo os faz aflorar?
Através das experiências!
Basta que você imagine uma semente. Ela pode conter uma árvore de vários metros dentro dela. Mas, para que possa germinar, precisa que as condições externas propiciem e estimulem este potencial, para que ele venha para fora. Ou seja, ela precisa da terra, do calor, da água, dos nutrientes, do sol, para que possa se desenvolver.
Tão qual uma pequena semente, assim somos nós.
Também precisamos que as condições da vida propiciem o aparecimento dos nossos dons, aqueles que estão mais “maduros”.
Porque, assim como para a semente, para nós também tudo tem seu tempo.
Cada um de nós tem seu momento de amadurecimento, de fortalecimento emocional, de compreensão e de desenvolvimento da capacidade de amar uns aos outros. Reconhecendo isso, a vida trabalha aos poucos, procurando mexer com aquelas áreas que já estão prontas para crescer.
A vida sempre nos manda uma situação, de acordo com as nossas necessidades.
Quanto mais estamos desfocados disso, maior é a nossa resistência em aceitar essas condições e crescer, obrigando a vida a mandar estímulos mais fortes.
É muito comum acontecer isso.
Basta ver… quantas situações você só foi se mexer, procurar dar o seu melhor, estudar melhor as coisas, quando se viu obrigado a isso?
Infelizmente esse é um costume que a maioria de nós alimenta.
Ao invés de exercitar nossos talentos de modo natural, relaxamos, e só os procuramos na hora do aperto.
Foi assim que muitas pessoas descobriram forças que nem sabiam que tinham, talentos que nunca haviam percebido, dons ocultos que afloraram na hora da necessidade, quando não houve outra alternativa.

E por que a vida faz isso? Porque ela sabe que podemos muito mais do que acreditamos.
Então ela provoca, estimula e nos obriga a praticar…
É nessa hora que percebemos que, conforme desenvolvemos essas forças, a vida se torna muito mais leve, muito mais fácil e muito mais bonita.
Basta ver: vida é exercício e não suplício!
Por isso não se deixe enganar pelas situações que hoje parecem tão difíceis e tão duras.
A situação em si nunca melhora, quem melhora é você, e por isso elas parecem mais fáceis.
Saiba você que a vida não está lhe castigando, punindo ou lutando contra você. Ela está fazendo você conhecer a si próprio.
Não há enganos. O maior erro é ver a vida de forma negativa. Em cada situação procure sempre o significado mais profundo. Por detrás de cada acontecimento, mora um propósito.
Chega de olhar a vida como se ela fosse um grande acaso. Isso é ignorância nossa.
A vida é sincrônica e perfeita. Não passamos por algo que não tínhamos necessidade de passar. E, de qualquer forma, se estamos passando, a melhor forma de lidar com um fato não é através da revolta, da birra, do mimo, do desânimo ou da tristeza. A melhor forma é através da disposição de aceitar o que não pode ser mudado, de aprender, de amadurecer com isso, tornando-se mais consciente e sábio diante dessa situação.
Criando essa consciência, não só estamos trabalhando pela solução desta questão, como estamos evitando que outras situações assim apareçam.
Porque a vida jamais repete uma lição que já foi aprendida.
Por isso, colabore com a vida. Ela está do seu lado. Tudo esconde um grande e belíssimo propósito, e por mais que ainda não possamos enxergar qual, sempre podemos tirar lições das situações que estão diante de nós.
Então, pare de enxergar com os olhos do mundo, e passe a ver pela perspectiva da vida. É ela que mostra que existe, sim, planos muito maiores para você, enquanto um ser perfeito e infinito.
Diante de cada fato: respiração, calma, consciência e aprendizado.
É de um passo de cada vez, que você vai perceber que a existência é infinita, que você é forte e perfeito, e que a vida nunca deixa de lhe cuidar!
Um grande abraço!

*Alexandro Gruber

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Permita-se! – “A vida é trem bala parceiro, e a gente é só passageiro prestes a partir.”

Não é sobre ter e sim ser e sentir… Como é bom sentir a leveza que os momentos simples da vida nos proporcionam.
Quando começamos a ser ao invés de ter, ficamos radiantes em dançar na chuva… “É sobre dançar na chuva de vida que cai sobre nós.” “É saber se sentir infinito” diante de um mundo que parece estar no fim por acreditar que a simplicidade da vida é besteira; é perca de tempo.
Ah, se por um instante soubesse que a vida é sonhar “e, então, fazer valer a pena cada verso daquele poema sobre acreditar…”. Acreditar que é a simplicidade da vida que a torna leve e assim, melhor de encarar as adversidades que a jornada proporciona ao longo do caminho.
As dificuldades permitem aprendizados e um caminho mais forte. Isso sem precisar atropelar momentos e pessoas e sim, caminhar com calma vislumbrando a paisagem.
E mais tarde ou mais cedo a existência da falta se fará presente, pois somos seres faltantes, incompletos.
Estamos sempre em busca de algo. Isso é o movimento da vida. Afinal de contas, “a gente não pode ter tudo, qual seria a graça do mundo se fosse assim?”
Sem obstáculos não haveria vitórias com lutas. E quando eles chegarem, não pare de caminhar, diminua os passos, reflita, mas não pare de caminhar. E tudo isso, meu caro, é permitido através da simplicidade da vida, da leveza que sentimos ao vivenciar cada momento da nossa longa caminhada.

E mais, “não é sobre tudo que o seu dinheiro é capaz de comprar e sim sobre cada momento, sorriso a se compartilhar”.
É por isso que devemos e podemos valorizar os momentos com nossa família e amigos. E incluo mais, respeitar as pessoas que não nos agradamos; ser caridosos sem olhar a quem.
Sabe por quê? “… A vida é trem bala parceiro, e a gente é só passageiro prestes a partir…” Permita-se!

*Luanna Lustosa

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

EU SÓ TENHO A AGRADECER, DEUS…

Estou te escrevendo para te fazer um pedido e, ao mesmo tempo, te agradecer imensamente por ser tão feliz. Ao contrário do que costumam dizer em orações silenciosas, eu quero te agradecer por tudo o que eu já enfrentei na minha vida até hoje. Te agradecer por todos os meus tropeços, obstáculos, choros, fraquezas e derrotas. Te agradecer pelos falsos amigos, pelos amores rasos, pelas decepções e frustrações. Eu quero te agradecer por ter quebrado tantas vezes o meu coração, mesmo com os pequenos motivos. Por toda dor. Quero te agradecer por todas as partidas que eu custei a compreender e aceitar. Por todas as vezes que eu não acreditei na minha capacidade, que eu bati de cara na parede e queimei a minha mão no fogo por alguém. Quero te agradecer por ter me tornado mais forte, principalmente, nos momentos mais frágeis. Por todas as despedidas que levaram um pouco do meu amor, mas que agora eu vejo que me equivoquei. Esse sentimento não é negativo como eu imaginei que fosse. As pessoas apenas se mostram o que, de fato, elas são. E eu aprendi que isso foge do controle da minha boa vontade e preocupação com o outro. Reciprocidade é o caminho do bem. Então, se eu posso te pedir algo, seria esse: mantenha a minha fé inabalável, assim como as minhas crenças, princípios, valores e sonhos. O agradecimento, por fim, é pelo que se foi e por tudo o que ainda está por vir. Agradecer por ter me levantado em todas as dificuldades, e por continuar me mostrando o caminho de luz, ainda quando me sinto imersa na escuridão. Gratidão!


*Jéssica Pellegrini.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Não espere perdê-la para tratá-la como ela merece.

E se ela desistir de tudo? E se ela for embora? E se ela não voltar mais? E se ela, simplesmente, decidir que a hora de dizer adeus ao que vocês têm chegou?

Você já parou pra pensar nessas possibilidades?

Rapaz, isso é só um alerta: Não queira perdê-la, porque você irá se arrepender.

Você vai se arrepender por não ter amado mais do que você amou, você vai se arrepender por não ter se entregado mais do que se entregou.

Você vai olhar a foto dela no teu celular e vai desejar que o tempo volte, pra que você possa abraçá-la mais uma vez, pra que você possa ter outra chance, pra que você possa tentar fazê-la acreditar que ainda vale a pena ficar e que não irá mais decepcioná-la como fez antes.

Você vai ligar e ela não vai atender, você vai procurá-la e ela não vai querer te ver, até porque ela te amou mais do que imaginava que era capaz. 

Ela se entregou por completo e você não soube ser homem suficiente pra fazer o mesmo.

Se ela for embora, rapaz, você vai se arrepender, porque irá perceber que ela não vai voltar, que a sua chance de ser feliz ao lado dela passou, se dissipou feito vapor.

Então não perca sua chance, aproveite o agora e faça tudo o que você prometeria fazer se ela fosse embora. 

Mas faz agora. Neste exato momento. Não espere o tempo passar ou a “hora certa chegar”. Não espere perdê-la para tratá-la como ela merece.

Beije-a agora, abrace-a agora, ame-a agora, lute para fazer esse amor dar certo como nenhum outro deu em sua vida. Não tenha medo de errar, mas também não deixe que falte a coragem para assumir o erro, pedir perdão e consertar o que foi quebrado na relação.

Sempre esteja disposto a começar de novo. Esteja disposto a se entregar mais do que já se entregou, a amar mais do que já amou e a fazê-la feliz muito mais do que já fez.

Não queira ser o cara que vai olhar a foto dela no celular e vai desejar que o tempo volte, porque o tempo não vai voltar pra que você possa abraçá-la mais uma vez, pra que você possa ter outra chance, pra que você possa tentar fazê-la acreditar que ainda vale a pena ficar. 

O tempo não volta, rapaz. E nem sempre a gente tem uma segunda chance. Faça dar certo agora. Cuida dela com todo teu amor e carinho. Nada mais necessário que isso.

Se ela for embora, provavelmente não irá voltar.
É que ela não costuma dar muitas chances pra quem não 
está disposto a acertar.

*Allison Christian Freitas

terça-feira, 5 de setembro de 2017

DEVEMOS DAR IMPORTÂNCIA A QUEM NOS ACRESCENTA

Chegou um momento em minha vida em que comecei a praticar “economia de pessoas”.Incluo no meu dia a dia todo aquele que dá riqueza aos meus dias, que valoriza meus sonhos e ganhos no meu coração.

“Devemos dar importância a quem nos acrescenta”. É possível que essa expressão soe um pouco drástica para você. Para isso, e em primeiro lugar, deveríamos definir o que significa o conceito de contribuição pessoal.

Contribuem para o nosso crescimento todos aqueles que são sinceros em seus atos, vozes e vontades. As relações humanas, longe de serem um intercâmbio na base de “você me dá eu lhe dou”, é uma coisa que vai além de todo bem material.

Estamos falando de emoções, e em especial de emoções positivas que favoreçam nosso crescimento pessoal com esse intercâmbio de experiências e pequenos momentos que elevam universos inteiros.

Vivemos em uma sociedade complexa carregada muitas vezes de interesses pessoais e individualidades. O dia a dia está regido frequentemente pela competitividade, e mesmo pela ânsia de posse.

Há quem anseie controlar o seu companheiro por medo de perdê-lo, pais que superprotegem seus filhos, amigos que dominam amigos por medo da solidão, por temor de perder um apoio incondicional e cotidiano.

Em muitas das nossas relações interpessoais pesa um sentimento de egoísmo do qual somos conscientes e que entretanto, suportarmos.

O que podemos fazer frente a essas situações? Qual é a forma mais efetiva de agir?

Aprender a construir relações positivas

Temos clareza de que não se trata somente de nos afastarmos de todos aqueles “que não nos acrescentam nada”. A vida real não é como nas redes sociais, onde existe a opção de “eliminar amigos”.

É bem possível que algum familiar seu, longe de enriquecer sua vida, a preencha de mal-estar. Ou que você tenha um colega de trabalho meio negativo, derrotista e crítico. Não podemos apagá-los do nosso dia a dia.

Trata-se, simplesmente, de não lhes dar a importância que merecem. Evitar que eles afetem seus atos ou suas palavras, sempre e quando não cruzarem o limite de sua integridade emocional ou psíquica.

Agora veja, frente a esse tipo de personalidades onde toxicidade não sai da zona crítica,o melhor é não dar poder a eles: nem na sua vida, nem em seus pensamentos. Marque limites. Porque ao permitir que o afetem, você acumulará um estresse físico e emocional muito perigoso.

Apesar de que em muitas ocasiões não é possível controlar quem entra e quem sai das nossas vidas, temos a capacidade e a responsabilidade de decidir quem se mantém no nosso coração.

A chave desta permissividade, desta forma de conseguir que se importar com quem nos acrescenta, é construir relações positivas.

Explicamos quais são os pilares básicos:

1. Construa apegos saudáveis
Em nosso espaço falamos com muita frequência sobre a importância de “evitar apegos“.Bem, a essência está em saber diferenciar os apegos que nos provocam sofrimento (aqueles nos aferram a determinadas necessidades), dos apegos saudáveis, onde se constroem os vínculos de crescimento.

– Devemos favorecer apegos apoiados na confiança e não na ansiedade e no medo de sermos abandonados ou traídos. É vital que exista uma harmonia apoiada na maturidade e no respeito mútuo.

2. Saber satisfazer as necessidades básicas
Negar que todos temos necessidades é colocar uma venda em nos olhos. Para que alguém nos importe de verdade, deve existir um adequado intercâmbio de ganhos pessoais.

– Um respeito mútuo e a segurança de que não vamos ser julgados ou rejeitados ao expressar nossos pensamentos.

– Amostras de afeto cotidiano: é essa sensação de cumplicidade que desfrutamos com nossas amizades, o carinho altruísta dos nossos companheiros… É oferecer afeto de forma livre.

Tudo isso são, sem dúvida, as raízes que enriquecem toda relação positiva.

3. Poder enfrentar determinados problemas
Em ocasiões, quando se tem um problema, alguém próximo de você, em vez de contribuir com estratégias, ou simplesmente colocar-se no seu lugar para compreendê-lo, o recrimina por determinadas coisas.

São essas pessoas que, longe de ajudar, nos afundam mais ainda. Tente manter distância nestes casos, e escolha bem quem se aproxima de você nesses momentos.

As relações positivas têm como essência o dispor de uma harmonia interna onde os problemas, longe de ser obstáculos, são oportunidades pessoais de oferecer ajuda, aprender e fortalecer ainda mais o vínculo.

devemos dar importância3

4. As relações positivas admitem a existência de erros
Se alguém do seu contexto mais próximo não aceita o fato de que tenha cometido certos erros, não será uma relação saudável, nem emocionalmente segura.

Enfrente sempre o exagero, as relações onde não cabem erros, onde não se concede a oportunidade de ser melhor.

Todos nós nos equivocamos, erramos, assumimos faltas e avançamos para crescer pessoalmente.

Todos aqueles que gostam de você como você é, com seus acertos, erros, manias e grandezas, são pessoas que contribuem com luz a sua vida. Não as perca, agarre-se com força à cauda de seus cometas…

*A mente é maravilhosa

Aprendi a não bater de frente com quem só entende o que lhe convém

Uma das coisas mais desagradáveis que ocorrem é sermos mal entendidos, quando o outro deturpa nossas palavras ou nossas atitudes, desconte...