sexta-feira, 31 de maio de 2013

Erramos para acertar


Todos erramos querendo acertar. Excepcionalmente, algumas pessoas podem cometer erros conscientemente, mas ainda assim buscam a felicidade, de forma desesperada, mas buscam.
A solidão e carência afetiva deixam a alma aberta a muitas portas que em outras ocasiões manteríamos fechadas. Deixa-nos acessíveis, frágeis e crédulos. O feio pode tornar-se bonito e agradável; o proibido, irresistivelmente atraente. Achamos desculpas para convencer os outros e nem sempre convencemos nosso coração.
Mas insistimos...
Acontece de cometermos erros imperdoáveis, não aos outros, mas a nós. Esses mesmos erros que nos fazem querer não ter existido por um momento, querer apagar da memória e do tempo, desaparecer, ou chorar até que as lágrimas lavem todas as nossas culpas, mas sabemos que, quaisquer que sejam nossas tentativas, elas serão em vão.
E aprendemos com os primeiros erros? Ah, não... tentamos ainda e ainda nessa busca incessante pela felicidade...
Nos cegamos voluntariamente, sem termos consciência do quanto isso pode nos custar, do quanto pode doer, das penas que podem nos causar.
Ah!... As más decisões não têm retorno, os gestos cometidos não têm volta e as palavras ditas se foram.
O que escrevemos, escrevemos, por onde andamosn andamos e não é nos agarrando a esses detalhes que seguiremos em frente.
É justamente quando conhecemos nossos erros e nossas culpas que os evitaremos depois. Sei que isso nem sempre acontece, senão não cometeríamos duas ou três vezes os mesmos desenganos, mas um dia aprendemos.
Aprendemos que todo mundo erra, todo mundo acerta, todo mundo se arrepende e quer voltar atrás; todo mundo chora algo perdido ou uma decisão errada; todo mundo já se sentiu a pessoa mais infeliz e pequenininha em um momento ou um outro e quis esconder-se até de si mesmo.
Aprendemos que a vida tem curvas, laços, boas e más intenções, campos floridos e terras desertas; aprendemos que para se viver é preciso saber perdoar-se a si mesmo, sem porventura deixar de tirar as lições do que se vive.
Ser maduro, completo e sábio não é ser infalível. O mundo é feito de seres humanos, corações e sentimentos e não de super-heróis.
Ser maduro é buscar o melhor do que vivemos, acreditar que Deus perdoa falhas, compreende nossas buscas e nos reconforta a cada queda.
Ser maduro não é evitar as flores que têm espinhos, mas redobrar de cuidado ao colhê-las, conhecer os perigos e não se deixar dominar pelo medo; é viver, consciente de que se não andamos não chegamos a lugar nenhum e se erramos temos direito sim a uma segunda, mesmo uma terceira chance. Porque nada há mais no mundo que Deus deseje do que a nossa felicidade.

 © Letícia Thompson

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Os não ditos...

“Certo dia um homem enterrou a esposa, as lágrimas escorriam pelo rosto.
-Eu a amava –Sussurrou o homem.
A pessoa que estava ao lado dele, assentiu com a cabeça.
E em um choro muito mais desesperador ele disse:
-Quero dizer...Eu a amava de verdade.
O homem desmoronou.
- E... Uma vez quase disse isso a ela.”

A história é verdadeira, o fato é muito triste, pois nada é tão assombroso quanto as coisas não ditas...

As palavras às vezes cortam como uma faca e de maneira irrefletida ferimos os outros, mesmo se os amamos, sem que haja retorno. Conscientes disso é que em muitos dos casos, nos calamos, quando tudo o que pensamos e sentimos nos queima por dentro.
Essas coisas são os não ditos das relações e da vida.
As palavras que não dizemos, mas não enterramos também, estão sempre entre nosso coração e nossa garganta e nos ferem interiormente. São opções que fazemos, seja para não machucar outras pessoas, seja, simplesmente, pela falta de coragem de sermos nós, inteiros e límpidos.
A comunicação é a base de todo relacionamento saudável. Pessoas que se amam, que seja na amizade, no amor ou nas relações familiares, devem estar prontas para serem quem são, para perdoar e receber perdão.
Não nos calaríamos tanto se soubéssemos que o outro nos ouviria com a alma, nos entenderia e continuaria a nos amar, apesar de tudo. Mas as pessoas, por mais maduras que pareçam, nem sempre estão prontas para ouvir as verdades, se essas forem doloridas. Assim são criadas as relações superficiais, onde pensamos tanto e falamos de menos, onde sentimos e sufocamos.
Nos falta um pouco de humildade para aceitar nossa imperfeição, aceitar que o outro possa não gostar de algo em nós e ter o direito de dizê-lo. Nos falta a ousadia de sermos nós, sem essa máscara que nos torna bonitos por fora e doentes por dentro.
A comunicação na boa hora, com as palavras escolhidas e certas, consertaria muitos relacionamentos, sararia muitas almas, tornaria as pessoas mais verdadeiras e mais bonitas.
Sabemos que as pessoas nos amam quando nos conhecem profundamente, intimamente e continuam nos amando. Quando com elas temos a liberdade e coragem de dizer: isso eu sinto, isso eu sou.

© Letícia Thompson

quarta-feira, 29 de maio de 2013

A mão e a luva


Somos tão diferentes, eu e você!... Gosto de chuva e você de sol, sou da noite, você do dia; sou pausada, você apressado; sou agridoce, você pimenta. Nada temos em comum a não ser esse amor que não te larga e não me deixa. Às vezes tenho a impressão que nosso amor vive de brigas e ainda por cima fica mais forte e forte...

Eu não sou fácil, eu sei. Briguenta, ciumenta (ah, um ponto em comum!), acontece de eu me dizer que você deve me amar demais pra me tolerar. Só mesmo o amor para passar por cima de tanta zanga e sair vitorioso. 

Eu queria te deixar, mas não consigo. Brigo comigo mesma. Talvez a gente insista num amor condenado à morte porque pior ainda seria ficar sem ele. Sim, sem amor, sem você... Sem você eu não seria nada!

Talvez a sombra de mim mesma procurando te encontrar novamente. Talvez até seu coração ouvisse a chamada do meu, talvez minha dor fizesse conexão entre o seu e o meu coração. Tantos talvez... e ainda estamos juntos, apesar de tudo.

Por que somos diferentes se nos amamos e se não sei me ver sem você? Por que você não me deixa? Sei que sou seu sonho e que um sonho não se abandona assim tão facilmente... não antes de se ter lutado até o último sopro... quando as forças te abandonassem  você pediria que eu ficasse ainda um pouco mais. E eu ficaria, porque não sei resistir ao seu abraço e ao seu sorriso.

Somos diferentes sim, mas ninguém mais sabe me amar como você e ninguém te deixa tão desnorteado e perdido como eu. Ninguém se encaixa tão bem em mim e em você. Somos dois, sim, de matérias diferentes, mas nos cabemos perfeitamente... como o sol em dia de chuva... como uma mão e uma luva!

© Letícia Thompson

terça-feira, 28 de maio de 2013

Quando chega a tempestade


Os mais limpos e belos dias só chegam depois de terem sido lavados e polidos por duras noites de chuva. As tempestades sulcam a terra, ferem-na, reviram-na, lavam e levam tudo o que é velho, sujo e de raízes fracas. Mas onde há tempestade sempre encontraremos vida, àrvores robustas, solo verdejante e ares de limpeza. 

As provações são as tempestades do coração. Todas as vezes que nos depararmos com violentas chuvas de aflição, nuvens carregadas de tristeza e ventos de sofrimento, encontraremos corações lavados, polidos e abastecidos com a verde relva da misericórdia de Deus.

Depois da tempestade, Deus sempre faz despontar o sol de seu amor; se por um tempo estivemos no escuro não tardará em nos deliciarmos sob o calor de seus raios.
Por isso se aflição for demais e se você descobrir em sua alma um ninho de dor que o angústia, não se desespere; porque o sol não caiu do céu, apenas está escondido atrás de algumas nuvens; estas nuvens vão passar. Acredite: a tempestade não é o fim.

Uma bela surpresa só tem sua graça se for preparada às escondidas, o sol oculto atrás das nuvens  prepara, longe dos nossos olhos, um dia ainda mais belo, cheio de fecundo calor, alegre por tantas cores e distintos perfumes.

Se Deus por um momento lhe pareceu oculto aos olhos do coração, não pense que Ele se esqueceu de você; é que Ele também tem suas surpresas. Apressar certos tempos é estragar as mais belas surpresas de Deus.

Confie! A resposta de Deus nunca chega tarde demais. Se Ele tem demorado um pouco é para que você o deseje, e desejando-o, ame-o mais.
A espera faz nascer a confiança, a confiança é mãe da amizade e os amigos de Deus nunca perecem.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Superação


Perder um ente querido significa um dos momentos mais difíceis da existência humana. A dor da separação daqueles que amamos pode ser definida de inúmeras formas. Alguns a descrevem como uma dor no coração indescritível, outros dizem sentir uma sensação de vazio como se a alma estivesse despedaçada, há aqueles também que custam a querer acreditar no que aconteceu.

O fato é que a dor da perda não pode ser evitada, mas a maneira de encarar a situação e a compreensão de que a morte não existe pode ajudar as pessoas a passarem por este momento doloroso.

A crença na vida após a morte e que a separação é passageira, diante da eternidade, traz um grande consolo no momento da partida daqueles que amamos.O desespero e a revolta diante desta perda podem prejudicar aqueles que partiram.
Além da busca do consolo espiritual é preciso aprender a lidar com a perda do ente querido. Para compreendermos melhor como trabalhar interiormente esse momento tão difícil e doloroso, o indivíduo que tem conhecimento da existência da vida após a morte aprende a lidar muito melhor com a questão da perda de entes queridos, porque tem uma concepção diferente dos demais, sabe que a perda é apenas física e transitória. Então, quando a pessoa passa por essa situação, muitas vezes de uma forma inesperada ou brutal e tem a crença nos valores espirituais, consegue viver esse período de luto com maiores condições de enfrentar o distanciamento.
A pessoa que crê na existência da vida após a morte e passa pela dor da perda de um ente querido, lida melhor psicologicamente e emocionalmente com a morte. O individuo que não tem essa concepção da existência espiritual, acaba vivendo esse distanciamento de uma maneira pior e de forma conflituosa, por não acreditar na possibilidade de reencontrar a pessoa que partiu.
Com a dor da perda, o psiquismo sofre muitos danos e se existir uma ligação muito forte entre esses, a pessoa acaba vivendo com um grande drama. Muitas, até, não conseguem se curar quando perdem seus entes queridos; continuam sofrendo muitos anos com a mesma dor.

Nós temos que analisar o que é a perda. Ela significa não podermos mais compartilhar com aquele indivíduo que é muito importante em nossa vida. Todos nós temos pessoas importantes em nossas vidas, mas se estivermos mais preparados e desenvolvermos o
autoconhecimento, aprenderemos a trabalhar melhor com os momentos difíceis. Muitas vezes existe uma dependência emocional muito grande entre elas e a perda parece brutal, até mesmo, desesperadora.

Então, uma forma de lidar melhor com essas situações é a busca da psicoterapia. Por intermédio do tratamento, acaba entrando em contato com suas potencialidades internas e desenvolvendo a auto-estima, pois em geral, as pessoas muito dependentes das outras são pessoas que não confiam em si mesmas.
O autoconhecimento é uma ajuda para tudo na vida do ser humano, porque as perdas, as dificuldades e as frustrações existem e vão existir sempre. Mas a pessoa aprende, dessa maneira, a ter subsídios emocionais e afetivos suficientes para enfrentar as perdas em geral; aprende a canalizar o seu amor também para outras pessoas.

Falar, expressar seus sentimentos pode ajudar muito, mas apenas isso não resolve totalmente a questão. O tempo também ajuda a pessoa a enfrentar a situação.
É importante que aconteça a comunicação, porque o indivíduo muitas vezes acaba entrando em um estado de isolamento e se distanciar não é a maneira mais adequada de solucionar o problema. Negar, jamais deve ser o caminho de resolução de uma questão, e evitar falar é fugir.

O ser humano não foi criado para viver a dor, foi criado para viver o prazer, e desde criança aprendemos a lidar com a vida cheia de prazeres. Por isso que muitas vezes vemos os jovens com grandes frustrações e decepções, buscando até as drogas para fugir.
O importante é perceber os bons momentos que vivemos com esse ente querido. Além disso, tentar entender que nada acontece ao acaso, tudo tem uma finalidade e se a separação ocorre, ela causa um grande impacto, mas temos que guardar um bom sentimento e sabermos que a caminhada foi importante enquanto estivemos juntos e que a separação não é o fim. Existe a possibilidade do reencontro.

Nós aprenderemos a lidar melhor com essa separação se tivermos a certeza de que ela é transitória. Todos nós partiremos um dia para o plano espiritual. Lidar com a morte não é nada fácil, porque é conviver com a perda. O enfrentamento vem a partir do momento em que tentamos aproveitar a presença de nossos entes queridos enquanto estão conosco, demonstrando carinho e amor, para quando partirem, não sofrermos tanto. Mas o que resta quando esse ente desencarna é lembrar desses bons momentos e ter a certeza de que a perda não é permanente, é apenas transitória. É um período de afastamento.
A pessoa deve tentar levar sua vida adiante, porque quando ficamos presos demais à perda, no futuro acabamos tomando conhecimento de que não vivemos a própria vida e sim, a vida do outro.

A pessoa que sofre a dor da perda de um ente querido não deve depender emocionalmente de uma mensagem psicografada. Apesar de muitas vezes servir como consolo, a pessoa precisa criar forças em seu próprio mundo interior.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Valeu a pena?

Oi, a mensagem de hoje foi expontãnea.
Gostaria apenas de deixar uma dica prá você.
Obrigado por sua visita.
 
Algumas pessoas passam a maior parte de suas vidas, fazendo planos e traçando metas. E quando alcançam o almejado, muitas vezes já se esqueceram daquilo que verdadeiramente os motivou: A busca pelo contentamento e pela felicidade!

Mas essa tal felicidade, ela não está no prêmio, tampouco no topo da montanha, ou na chegada... Ela está nas muitas quedas superadas, nas pequenas vitórias obtidas, nas coisas aparentemente insignificantes, nas pequenas grandes surpresas, nas pessoas que encontramos, naquelas que cativamos, e em tudo quanto vivemos durante o percurso...

Ao final da jornada... Não importa o quanto tenha conseguido... O que você viveu e como viveu, é e será sempre a sua verdadeira história!

E é por ela que você será lembrado...

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Desistir

Já pensamos em desistir de algo em nossa existência? Em abandonar definitivamente, em não mais tentar, em dar as costas e deixar de lado?
Pois há coisas na vida que verdadeiramente merecem isso. Coisas que deveríamos todos pensar em desistir.
Quantas vezes tentamos modificar as pessoas que estão ao nosso lado, dando conselhos, brigando, insistindo e discutindo para que elas mudem o jeito de agir, de falar ou de pensar?

Talvez melhor fosse abandonarmos essa postura e tentarmos modificar a nós mesmos.
Analisarmos o próprio comportamento e verificarmos o que poderia ser diferente, como melhorar, como nos liberarmos de atitudes desagradáveis ou nocivas.
Já pensamos em abandonar a necessidade que temos de analisar a vida alheia, julgando e ponderando o que os outros fazem?

Pesamos o comportamento de nosso próximo, emitimos juízo de valor, sentenciamos e damos o veredicto para cada ação executada pelo nosso vizinho, parente ou amigo.
Talvez melhor fosse desistirmos dessa atitude e iniciarmos o julgamento de nós mesmos.
Quanto de nosso tempo utilizamos para verificar o que fazemos, como agimos, de que maneira nos comportamos?

É verdade que, como nos lembra Jesus, é muito mais fácil ver um cisco no olho do próximo do que uma trave em nosso olho.
Mas talvez seja o momento de abandonar e deixar para trás a preocupação com a atitude do outro e analisar melhor a nossa própria.
Já pensamos na possibilidade de abandonar nossa postura crítica, sempre vendo o erro, o deslize, a falha de nosso próximo?

Esquecemos multiplicadas vezes de valorizar a dedicação das pessoas, porque nos concentramos na procura das falhas.
Assim, não temos tempo ou não conseguimos aquilatar o quanto elas se esforçaram, fizeram o seu melhor, dentro da limitação própria que possuem.
Quem sabe, ao olharmos sob esse novo ângulo, consigamos eliminar a crítica destrutiva, o olhar de reprovação, o comentário pesado.

Esses, muitas vezes, levam ao desestímulo, à desistência de muitos de tal ou qual atividade, sem proveito algum.
Quantos de nós temos perante a vida um olhar de pessimismo, desânimo, analisando tudo e todos sob uma ótica negativa.

Com certeza, melhor seria renunciar a tal posição, enchendo nosso horizonte de bom ânimo, alegria e gratidão à vida, que tanto nos oferece e oportuniza.

Assim, quando tantos desistem de coisas importantes, relevantes, quando tantos abrem mão de compromissos e responsabilidades, sejamos nós os que desistamos de outra maneira.
Desistamos daquilo que apenas nos pesa ao coração, que nos dificulta o progresso, que entrava a marcha para o Alto para, finalmente, optarmos pelo bem e pelo bom, tendo Jesus como referência em nossas atitudes e comportamento. Jesus, Modelo e Guia para toda a Humanidade.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Amor de Alma

Quando sinto esse sentimento em mim, algo me diz que sim, que é você que devo amar. Porque não basta apenas aos olhos agradar, mas ao amor é preciso também agradar a alma, despertar o espírito, para que no corpo se sinta as marcas desta emoção. Amar não está nos olhos, está impregnado como um perfume na alma, é sentindo em um âmbito profundo de sentimentos que são inescrutáveis, de lugares incompreensíveis e por um caminho de nosso ser interior que só pode ser explorado à dois.

O amor é visto com outros olhos, é sentido com um outro coração que não vive de sangue e que não bate, se ele parar talvez não morramos, mas convenhamos que nele sofremos tantos danos que pra muitos exagerados seria preferível morrer. Mais isso é história porque amor não correspondido passa e vira memória. Nunca se ouviu falar de morrer de tanto amar, mas lhe garanto que já ouvimos de amores e mimos que recebemos sem idade e que nos devolvem àquela felicidade, que nem todas as riquezas desta vida poderiam comprar.

Amar pra mim é um estado de graça que nos faz esquecer qualquer desgraça. De amar eu nada entendo mais sei que dele eu dependo para um grande amor viver. Quero dizer que não importa se você é preto ou branco, a alma não tem cor. Amar é uma guerra onde existem dois vencedores, pois um não luta contra o outro, mas um luta pelo outro até o ponto de sua própria vida ofertar, mas às vezes essa guerra se confunde entre nossos defeitos e orgulhos de nosso ser imperfeito, só que o destino dessa guerra é se render, pois esse sentimento é tão grande que é capaz de gerar uma paz gostosa que é amordaçada por um beijo de perdão.

Só sei que esse sentimento é grande, hora é de paz, hora é de guerra, é viver presente, é se entregar no passado, é um cessar-fogo fracassado, ele é forte quando o outro é fraco, é um lugar onde se busca o melhor do 'bem' amado, e isso se resume num amiúde desejo de ser para sempre amado.
*por Romantico Rebelde

terça-feira, 21 de maio de 2013

"A Carta de Deus"

Tu és um ser humano, és o Meu milagre.
E és forte, capaz, inteligente, e cheio de dons e talentos.
Conta teus dons e talentos.
Entusiasma-te com eles.
Reconhece-te.
Aceita-te.

Anima-te.
E pensa que desde este momento podes
mudar tua vida para o bem,se assim te
propões e se te enches de entusiasmo.
Tu és minha criação maior.
És meu milagre.
Não temas começar uma nova vida.
Não te lamentes nunca.
Não te queixes.
Não te atormentes.
Não te deprimas.

Como podes temer se és meu milagre ?
Estás dotado de poderes desconhecidos para outras criaturas do Universo.
És ÚNICO.
Ninguém é igual a ti.
Só em ti está aceitar o caminho da felicidade
e enfrentá-lo seguindo sempre adiante.
Até o fim.
Simplesmente porque és livre.
Em ti está o poder de não amarrar-te às coisas.
As coisas não fazem a felicidade.
Te fiz perfeito para que aproveitasses tua
capacidade, e não para que te
destruísses com teus enganos mundanos.

Te dei o poder de PENSAR.
Te dei o poder de AMAR.
Te dei o poder de IMAGINAR.
Te dei o poder de CRIAR.
Te dei o poder de PLANEJAR.
Te dei o poder de REZAR.
E te situei o poder dos anjos quando te
dei o poder da escolha.
Te dei o domínio de escolher o teu próprio
destino usando tua vontade.
O que tens feito destas tremendas forças que te dei ?
Não importa !

De hoje em diante esqueça o teu passado, usando sabiamente este poder de escolha.
Opta por SORRIR em lugar de chorar.
Opta por CRIAR em lugar de destruir.
Opta por DOAR em lugar de roubar.
Opta por ATUAR em lugar de adiar.
Opta por CRESCER em lugar de consumir-te.
Opta por BENDIZER em lugar de blasfemar.
Opta por VIVER em lugar de morrer.
E aprende a sentir a Minha presença em cada
ato de sua vida.
Cresça a cada dia um pouco mais no otimismo
e na esperança !
Deixa para trás os medos e os sentimentos de derrota.
Eu estou ao teu lado.
Sempre.
Chama-me.
Busca-me.
Lembra-te de mim.
Vivo em ti desde sempre e sempre te estou
esperando para amar-te.
Se hás de vir até Mim algum

Que seja hoje, neste momento !
Cada instante que vives sem Mim, é um
instante infinito que perdes de Paz.
Procura tornar-te criança... simples,
generosa doadora, com capacidade de
extasiar-te e capacidade para comover-te
ante à maravilha de sentir-te
humano.
Porque podes conhecer Meu amor, podes sentir uma lágrima, podes compreender
uma dor.

Não te esqueças de que és Meu milagre.
Que te quero feliz, com misericórdia, com
piedade, para que este mundo em
que transitas possa acostumar-se a sorrir,
sempre que tu aprendas a sorrir.
E se és Meu milagre, então usa os teus
dons e muda o teu meio ambiente,
contagiando esperança e otimismo sem temor porque...
EU ESTOU AO TEU LADO !
DEUS.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Acredite, acredite e acredite !

“O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer”. Albert Einstein
 
Tenho conversado com muita gente em que eu acredito mais nelas do que elas nelas. 
Ficou confuso? É o seguinte: antigamente eu via pessoas com enorme potencial, mas não existiam oportunidades para que elas pudessem colocar todos seus conhecimentos para gerar riqueza, felicidade, realizações.


Agora existem oportunidades, o potencial continua existindo, mas essas pessoas continuam com baixa auto-estima. Cada um de nós tem uma identidade pessoal que vai sendo formada a partir de nosso nascimento e que vai se modificando, mudando, se enriquecendo conforme vamos vivendo em sociedade. Nossa identidade pessoal vai mudando a todo o momento influenciado pela família, pela escola, pelos grupos sociais que freqüentamos.

Nossa família nos transmite informações importantes para a formação de nossa personalidade ainda na nossa mais tenra idade. É ela que vai definir nosso estilo de vida, nossa rigidez a mudanças, respeito ou não aos outros, nosso sentido de união, nossas crenças, nossos preconceitos, nossos medos, se somos fortes ou fracos, se seremos humildes, se veremos a vida positivamente ou não, se vamos conseguir ou entender o sexo oposto, e muitas outras.

Aí vamos para a escola e continuamos a mudar. Podemos entrar numa escola com perfil de formar ou então de informar e isso faz toda diferença. É na escola que aprendemos ou não a relacionar com outras pessoas, a admirar ou não a autoridade, a gostar de aprender ou não, a pertencer e a confiar no grupo ou não, a facilidade de nos socializarmos. Dependendo da escola teremos ou não uma boa base intelectual.

A partir de nossa entrada na escola começamos a recebe influencias dos grupos sociais que passamos a freqüentar. Seja o clube, a Igreja, a escola de línguas, a cidade onde vivemos o trabalho, a “tribo” que escolhemos.

Para que sejamos aceitos nesses grupos temos que nos adequar aos processos do ambiente em que estivermos inseridos. Temos que equilibrar todas essas fontes de informações com muito empenho e determinação. Precisamos ter claros nossos objetivos e ter auto-estima. Temos que acreditar em nós mais que ninguém.

Não podemos viver do passado, temos que olhar em perspectiva o futuro, traçar metas e objetivos, acreditar e agir enfrentando os obstáculos com muita determinação.
Não podemos nos abater por um tratamento desagradável por parte de alguém ou mesmo com um julgamento precipitado e depreciativo. Temos que saber lidar com a auto-estima em baixa, pois a toda hora estaremos sendo exposto a esse comportamento devido á intensidade que o mundo moderno nos obriga a viver.

É preciso ser positivo, pensar positivamente. Não podemos estar falando conosco mesmo negativamente, pois isso acaba diminuindo nossa auto-estima. 
Infelizmente a maioria dessas mensagens negativas você aprendeu durante a infância ensinada na escola, na família, nos grupos sociais, criando muitos preconceitos na sociedade.

Pare de falar ou mesmo pensar em coisas negativas: “Não sirvo para nada”, “Será que vou conseguir”. “Ninguém gosta de mim”, “Sou um fracassado”, “Não vou conseguir”. De tanto repetir você acaba acreditando nelas e acaba se amoldando a essas imagens. Evite palavras negativas como não, ninguém, negativo, preocupação, medo, tristeza, cansaço, etc..
Use palavras positivas que aumentarão sua auto-estima. Seja afirmativo use os verbos no presente afirmativo: “Tenho muita saúde”, “Tenho força para enfrentar esta situação”, “Estou feliz”, “Tenho capacidade para superar este obstáculo”, “Vou conseguir”, etc.

Pare e análise seus pontos fortes e seus pontos fracos. Comece pelos negativos e coloque os positivos que o contrapõem. Repita durante o dia a exaustão os pontos positivos. No começo é difícil substituir os negativos pelos positivos, mas com tempo, persistência e determinação você vai se surpreender com os resultados em sua auto-estima.

Você merece o melhor da vida, merece a felicidade e para isso é preciso ter auto-estima. 
Foque em suas metas, dedique-se totalmente a elas. Suas ações de hoje é que garantirão sua felicidade de amanhã. Somente suas ações de hoje transformarão seus desejos em realidade. Não se afaste de suas metas sendo persistente paciente e determinado.

Acredite, acredite e acredite. Você vai mudar e se surpreenderá.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Descontrole


Naquele dia de sol, Mário chegou feliz e estacionou o reluzente caminhão em frente à porta de sua casa. Após vinte anos de muita economia e intenso trabalho, sacrificando dias de repouso e lazer, ele conseguira.
Comprara um caminhão.  Orgulhoso, entrou em casa e chamou a esposa para ver a sua aquisição. A partir de agora, seria seu próprio patrão.
Ao chegar próximo do veículo, uma cena o deixou descontrolado. Seu filho, de apenas seis anos, estava martelando alegremente a lataria do caminhão.
Irritado, aos berros, ele investiu contra o filho. Tomou o martelo das mãos dele e, totalmente fora de controle, martelou as mãozinhas do garoto.
Sem entender o que estava acontecendo, o menino se pôs a chorar de dor, enquanto a mãe interferiu e retirou o pequeno da cena.
Na sequência, ela trouxe o marido de volta à realidade e juntos levaram o filho ao hospital, para fazer um curativo nos machucados.
O que imaginavam, no entanto, fosse simples, descobriram ser muito grave. As marteladas nas frágeis mãozinhas tinham feito tal estrago que o garoto foi encaminhado para imediata cirurgia.
Passadas várias horas, o cirurgião veio ao encontro dos pais e lhes informou que as dilacerações tinham sido de grande extensão e os dedinhos tiveram que ser amputados. De resto, falou ainda o médico, a criança era forte e tinha resistido bem ao ato cirúrgico. Os pais poderiam aguardá-lo no quarto para onde logo mais seria conduzido.
Com a morte no coração, os pais esperaram que a criança despertasse. Quando, finalmente, abriu os olhos e viu o pai, o menino sorriu e falou:
Papai, me desculpe, eu só queria consertar o seu caminhão, como você me ensinou outro dia. Não fique bravo comigo.
O pai, com lágrimas a escorrer pela face, em desconsolo, se aproximou mais e lhe disse que não tinha importância o que ele havia feito. Mesmo porque, a lataria do caminhão nem tinha sido estragada.
O menino insistiu: Quer dizer que não está mais bravo comigo?
Não mesmo, falou o pai.
Então, perguntou a criança, se estou perdoado, quando é que meus dedinhos vão nascer de novo?

Toda vez que perdemos a calma, perdemos também a lucidez e o bom senso. Nesses momentos, podemos cometer muitas tolices.
E quando investimos contra as criaturas que amamos, podemos machucá-las muito. Podemos feri-las com palavras e com atos.
E, em se tratando de crianças, que são frágeis e ficam indefesas frente ao descontrole dos adultos, tudo assume maior gravidade.
Jamais nos permitamos a ira, que é sempre má companhia. Domemos as nossas tendências e impulsos agressivos, recordando que nada na vida é mais precioso do que as pessoas.
As coisas que possamos adquirir nos servirão por algum tempo, mas, somente os nossos amores estarão conosco sempre, não importando o local, as condições que venhamos a nos encontrar.
Preservemos a calma e ofertemos para aqueles que são os sóis das nossas vidas somente o carinho, a ternura e as doces manifestações do amor.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Amei o Bastante?

O que você aprendeu até agora? Percebeu que você nasceu para viver a vida em toda a sua plenitude? Você nasceu para crescer a partir de cada experiência individual?

Pois é assim: a cada nova situação que vivenciar, a primeira coisa que deve perguntar a si mesmo é: o que aprendi? Fiquei uma pessoa mais sábia e competente em virtude da minha experiência?

Quase sempre a dor é a nossa maior fonte de ensinamento! Já o bem-estar serve, na verdade, para nos entorpecer. Quando as coisas estão correndo bem, raramente perguntamos: o que estou aprendendo com esta situação? Uma sensação de incômodo nos força a questionar nossas idéias, nossa vida e a considerar maneiras novas de encarar o mundo. Sabia?

Quer saber uma outra coisa que deve perguntar o tempo todo pra você mesmo? Amei o bastante? Sim, porque pessoas que estiveram bem próximas da morte contam que, no momento mais difícil dessa experiência, voltaram sua atenção para o amor, ou para a falta dele, em suas vidas, ao passo que as realizações materiais perderam muito de sua importância.

Portanto, seus ensinamentos mais importantes dizem respeito aos assuntos do coração. Se a vida é um aprendizado, todas as suas experiências podem ser reduzidas a uma única lição: a de aprender a amar!

Não existe nenhuma experiência ruim se você aprende com tudo o que encontra. Comece a encarar a vida assim, afinal tudo pode ser um poderoso aprendizado, um poderoso processo. Alegre-se pela oportunidade de fazer com que o amor cresça cada vez mais dentro de você, tá?

Tudo na vida pode levar você para mais perto de Deus, viu? Procure servir bastante e amar de montão para ter a alegria de haver passado na terra distribuindo benefícios a todo mundo, tá?

Bom Dia! Bom Divertimento! Bom trabalho! Fique com Deus!

"Um homem não está acabado quando enfrenta a derrota. Ele está acabado quando desiste"

Luis Carlos Mazzini

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Eu te Amo, Sabia !


Engraçado, eu te amo, sabia?
Mas engraçado por que?
Não é tão simples amar!
Talvez eu ache engraçado
esse seu jeitinho
que me faz de repente.

Eu não te entendo, sabia?
Mas talvez nem eu me entendo!
Não sei se é porque te amo e não sou amado...
mas o que importa?
o Sol aquece e não é aquecido!

Você é linda, sabia?
Linda, mas como é ser linda?
É ser como a Primavera que ignora seu encanto,
é ser como a rosa que ignora seu perfume...
é ser como você!

E como é você?
É simples como um sorriso, humilde como a prece!

Você me dá felicidade, sabia?
Felicidade... mas o que é felicidade?
É esse seu sorriso lindo, é essa sua voz que me dá vida!
Foi um dia te encontrar e te amar!

Mas, por que te amo?
É porque meu coração palpita quando te vê,
é porque meus olhos procuram os seus,
é porque minhas mão ficam frias e só se aquecem com as suas,
é porque o sorriso só reina em meus lábios quando tenho você,
é porque te amar é viver!
E é por isso que estou vivo!!!

E como é viver?
É ter esperança que um dia vai me amar,
é ter a luz do teu olhar,
enfim, viver é te amar!

E o que é Amar?
É sentir uma ternura infinita,
é sentir ser o cravo mais bonito,
é sentir ser sublime como a prece,
é sentir ser puro como as nuvens,
é sentir-se suave como a brisa,
é sentir-se lindo como o céu...
é sentir você em meu coração!

Eu estou chorando, sabia?
Chorando, mas por que?
Porque estou feliz!
E quem está feliz chora?
Chora sim!
E por que estou feliz?
É porque eu te amo

Você não sabia?

Mais tarde em tua vida, um dia, hás de tentar, revolver da memória este tempo de agora...
Mas o mundo é uma praia, onde as ondas do mar apagam quase sempre as lembranças de outrora.
Hás de em vão, ao teu Deus, esse dom suplicar sem conseguires nunca o que a tua alma implora.
E que a vida é uma fonte, a correr sem parar e a seguir, sem voltar, por este mundo afora...
Não se vive outra vez...
O que chamas presente!
Há de ser amanhã, um romance apagado que em vão procurarás reler inutilmente...
O tempo, tudo vence...
Tudo ele consome...
E se um dia talvez, lembrares, teu passado, não mais hás de sequer reconhecer meu NOME!

terça-feira, 14 de maio de 2013

A difícil arte da paciência


Ai, que esperar cansa!!! E causa desânimo! E pré-ocupa nossas mentes.
Por que preocupar tem sempre uma conotação negativa, se na realidade significa ocupar com antecipação?

Deve ser por causa dessa nossa mania de que quando devemos pré-ocupar nossa cabeça, já pré-ocupamos com problemas, tragédias, coisas ruins. Alguns, mais sábios, pré-ocupam com sonhos, mas nem mesmo chamam isso de preocupação.

Sabemos perfeitamente como funciona a vida e que precisamos saber esperar o que não temos controle. Mesmo as flores esperam sua hora de desabrochar.
E pra vida não queremos esperar.

Queremos desejar e no minuto seguinte ver o resultado, como se não fosse preciso a maturação dos nossos desejos. Trazemos para nós, antecipadamente e muitas vezes inutilmente, doenças físicas e espirituais.

Muitas vezes pegamos um atalho e chegamos mais rápido, mas com isso perdemos muito da beleza do caminho. Chegamos mais cedo sim, mas de certa forma alguma coisa ficou faltando. Não é assim com as crianças e adolescentes que vivem cedo demais a vida adulta?

Se colhemos uma flor em botão, impedimos a ela e a nós a sua plenitude.
Mas que é difícil ser paciente, isso é! Há horas em que queremos pegar o relógio do tempo e girar os ponteiros com nossas mãos para que o dia seguinte chegue logo; queremos dormir muito para não ver as horas se desfilando graciosamente diante dos nossos olhos; queremos pensar em outras coisas, mas não conseguimos.

Sacrificamos, dessa forma, nosso presente, por um futuro desconhecido, que nem sempre será de acordo com o que pensamos.

Pessoas que esperam por um dia feliz jogam fora a felicidade do presente com a ansiedade do amanhã.
Pior é quando esperamos pelo resutado de um exame com probabilidades negativas. Aí então, nosso hoje fica realmente perdido. Choramos antes, temos dores de cabeça antes, não dormimos antes... o presente torna-se não somente inútil, mas quase insuportável. Não temos, infelizmente, essa capacidade gloriosa de nos dizer: "deixa para eu sofrer para quando souber do resultado definitivo e se não for o que se espera, não sofri por nada."

Se há um tempo para todas as coisas, deixemos então que cada coisa chegue na sua vez. Vamos abraçando-as uma à uma à medida que chegam até nós, vivendo o minuto presente que é a graça diária que Deus nos oferece.

Aprender a paciência é uma arte, provavelmente a mais difícil de todas. Ela exige muito de nós, exige auto-controle, exige determinação.

Viva o hoje! Viva a hora de agora! O amanhã pode tanto esperar por você quanto você espera por ele.
Letícia Thompson

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Inquietude

Por que até nos mais altos graus de felicidade o coração continua inquieto? Por que não podemos aceitar simplesmente a alegria e abraçá-la com todo nosso corpo e com toda a nossa alma?

A felicidade dá medo, não dela mesma, mas de não ser real, de ser demais, de ser um sonho... por isso tanta inquietação nos momentos que poderiam ser vividos como se os outros não mais existissem, por isso o olhar pra trás pra ver se a tristeza não seguirá o mesmo caminho, não virá estragar esse tão esperado bocado de alegria.

E por que ficamos nesse estado de expectativa é que não tomamos posse total daquilo que recebemos. Parte de nós se alegra e outra vigia, olha de lado, espera até, para que depois nos sintamos reconfortados no nosso desejo de ter razão.

Deus não nos dá presentes pela metade. Aquilo que nos oferece, oferece inteiramente e se não aproveitamos plenamente daquilo que recebemos é porque nós mesmos estragamos isso com nossas dúvidas e incertezas. Abrimos nosso coração e deixamos nele uma janela aberta para ver voar nossa alegria. E ainda nos consolamos depois dizendo que a vida é assim.

Não... a vida não é assim! Nós a fazemos!

As pessoas mais felizes são aquelas que bebem o riso e se sustentam desse momento presente como se amanhã nunca fosse chegar. Elas pegam de cada dia aquilo que recebem, selam cada noite e cada manhã com uma oração de agradecimento e bastam-se.
Devemos aprender que a vida não é uma fatalidade, embora existam momentos fatais. A alegria não é irmã gêmea da dor e o riso não dá a mão ao choro. Somos nós os responsáveis desse estado de espera, nós que atraímos pra dentro aquilo que repudiamos.

Letícia Thompson

Se algo te aborrece, não aceite isso.
Se algo te entristece, não aceite esta tristeza,
se algo te desanima, não aceite .
Reclamar não vai trazer a solução. É justamente o contrário que te dará forças para mudar isso. Não é o conformismo, mas a certeza de que não é isso que você quer, que não é isso que você marece.
Se você parar de reclamar e começar a focar nos seus objetivos você verá que rapidamente muita
coisa irá mudar. Não foque nos problemas , foque nas soluções. Claro que os problemas não irão desaparecer num passe de mágica , mas, ao invés de se desgastar com eles, você irá usar toda a sua força para a solução.
Muitas vezes uma coisa que perdemos pode deixar o lugar vago para algo muito mais valioso.


Pense nisso.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Mãe! ( perdão Mãe )

Faz tantos anos que tu não estás mais comigo...
Mas onde tu estiveres, ouça-me...
Hoje eu quero te pedir perdão minha mãe...
pelo tempo que te troquei por amigos,
por não ter sentado pertinho de ti e
aceitado teus carinhos.

Perdão... pela minha constante impaciência em
ouvir tuas histórias, simples, mas que eram as tuas histórias.
E eu mãe, sempre dono da verdade, cheio de mim, não as ouvia.
Perdão mãe, por não ter te abraçado mais, te beijado mais,
por não ter te mostrado em vida o tanto que eu te amava.
Perdão mãe, pela minha ausência em tantas e tantas noites
que te deixei sozinha, solitária, a troco de diversões.
Perdão mãe, pelas vezes que recusei-me a ir a igreja
contigo.
Perdão, pelos teus conselhos que não segui e hoje vejo
e sei, o quanto eram e me seriam valiosos.
Perdão pela minha constante falta de educação ao recusar
uma blusa de frio, um refresco, um café feito na hora,
que afinal tu fazias com todo carinho do teu coração.
Perdão mãe, por eu não ter te comprendido, pela minha falta
de grandeza, pela minha pequenez em dezenas e dezenas
de momentos, que não adianta relatar aqui, mas que hoje
percebo que eu estava errado e te magoei. E como te magoei.
Perdão mãe, mas perdão mesmo, pelas vezes que te respondi mal,
pelas vezes que elevei minha voz para ti. Que maldade eu fiz.
Que maldade mãe!!!
Ah minha mãe!!! Se arrependimento matasse!
Se eu pudesse ter-te aqui comigo, para te falar o tanto tanto
que tu me fazes falta.
Sabe mãe, a cada dia que passa, quanto mais velho eu fico,
mais eu sinto que preciso de ti.
Hoje, que tenho filhos, sei que para gente eles sempre são crianças,
não importando a idade que tenham.
Mas eu minha mãe! Ah! Como eu gostaria de com a idade que tenho,
ser como criança para estar novamente contigo.
Mas tu não estás aqui mãe!
Nesta nossa conversa de hoje só ouço minha voz.
Não ouço a tua!
E eu queria tanto! Precisava tanto ouvi-la!
Queria tanto segurar tua mão, passar a mão em teus cabelos,
te abraçar, te beijar.
Mas eu não te tenho mais aqui. Deus te levou há tanto tempo.
Estou com saudade mãe! Muita saudade!
E esta saudade me tira um pedaço, me mata.
Perdão mãe, porque ainda não aprendi a viver sem ti
e acho que nunca vou aprender!
Desse homem menino, que só cresceu, mas queria muito,
muito mesmo, "estar na barra da tua saia!"
Saudade!!! Que dolorida e pontiaguda saudade minha mãe!!!
Beijão minha mãe, onde tu estiveres...


Àqueles que ainda têm mãe, aprendam a VER, que ela está aí junto de vocês.
Não menosprezem nunca sua presença.
Verão um dia, o tamanho da dor que é sua falta.
Feliz Dia das Mães, para todas as mães do mundo.

Por

Athos de Alexandria - 10-05-
2008

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Amor, um orgão vital

O amor tem uma estranha característica de nos unir à pessoa que amamos, somos ligados a ela de tal forma que se torna parte do nosso corpo, como um orgão vital à nossa sobrevivência e exatamente por isso que precisa está perfeitamente ligado a nós para que a vitalidade e equilibrio do nosso corpo seja mantido.

Somos formados pelas pessoas que amamos, cada uma vem e deixa um pouco de si dentro de nós, cada uma tem seu papel, tem seu lugar e sua devida importância. Algumas são bem mais importantes e outras bem menos, mas mesmo assim todas tem seu objetivo, mas você para mim amor, constitui uma parte importantíssima do meu ser, sem você aqui perto perco meu chão, meu equilibrio, minha vitalidade, você não faz parte apenas de um lugar no meu corpo, mas está em cada parte dele, execultando tarefas mais diversas.

Você esta no meu sorriso, é parte do meu coração. Você está nos meus ossos trazendo sustento, nos meus músculos trazendo força, está nas minhas lágrimas trazendo alento, está nos meus olhos me ensinando a ver o mundo diferente, nos meus ouvidos me fazendo ouvir o que passava despercebido a eles. Você está no meu tato, no meu olfato quando sinto o cheiro das coisas que me lembram você, está no meu paladar, na minha memória pois tudo de fato lembra você.

Você é meu alivio e minha dor, meu choro e meu consolo, meu dia de chuva, praia ao por-do-sol. É alto mar, terra firme, porto seguro, meu perigo eminente. É dia saúdavel, é viver doente, é chocolate quente em noite fria, é brisa suave, lua cheia ou sol de meio dia. É calma e tormento, é um pouco do que eu sou por fora e por dentro, é um pouco de tudo que eu odeio ser, é tudo que amo e que detesto, é assim eu e você, somos diferentes e iguais, eu não sou mais do que você e você não é mais do que eu, sou apenas o que faltava em você e você é aquilo que faltava em mim.

Perdoe-me por te fazer sofrer hoje, mas se tudo isso realmente é um propósito de DEUS e logo estaremos juntos, eu terei a vida para te recompensar.
 
                                        
* por Romantico Rebelde

terça-feira, 7 de maio de 2013

Mães e Filhos

“sempre soube que ela era importante para mim.
Só não sabia o quanto ela era realmente valiosa e especial.
Sempre imaginei que se um dia ela me faltasse, eu sentiria sua falta.
Mas nunca calculei o que sua falta verdadeiramente representaria para mim.
Sempre me disseram que amor de mãe é algo diferente, sublime, quase divino.
Sempre me disseram tantas coisas a respeito desse relacionamento: mães e filhos.
Tanto disseram, mas foi pouco o que eu ouvi e entendi sobre isso.
Banalizei.  Não acreditei.  Até o dia em que ela se foi.
Era uma tarde de final de primavera.
O vento brando soprava e em minha casa não havia a mais leve suspeita da dor que se avizinhava.
De repente, a notícia. Mas não poderia ser verdade.
Não, Deus não permitiria que as mães morressem.
Não assim. Não a minha. Engano meu. Era verdade.
A verdade mais cruel e mais dura que meu coração precisou encarar, enfrentar, suportar.
Ela partiu sem me dizer adeus, sem me dar mais um abraço, mais um beijo, sem me pegar no colo pela última vez, sem me dizer como fazer para prosseguir só, dali para frente ...
Simplesmente partiu. E uma ferida no meu peito se abriu.
Ferida que não cicatriza, que não sara, que não passa.
É a falta que ela me faz.
É minha tristeza por querer seu aconchego mais uma vez, seu consolo, sua orientação  segura.
Querer seu cafuné antes do meu adormecer, sua voz antes do meu despertar.
Sua presença silenciosa em meus momentos de angústia, sua mão amiga a me amparar e confortar.
Querer outra vez ouvir seu sussurro baixinho me dizendo que tudo vai dar certo e que tudo vai acabar bem.
É uma saudade que aperta meu coração e me faz derramar lágrimas às escondidas.
É uma dor de arrependimento por todas as mal-criações que fiz, pelas palavras atravessadas e rudes que lhe disse.
Arrependimento porque agora sei que mãe é mesmo alguém muito especial e porque me dou conta de que os filhos só percebem isso muito tarde.
Tarde demais, como eu.” 
A morte é um afastamento temporário entre os seres que habitam planos diversos da vida.
Embora saibamos disso é compreensível a dor que atinge aqueles que se vêem afastados de seus amores pela ocorrência da morte.
Muitas vezes essa angústia decorre do arrependimento pelas condutas equivocadas que os feriram, ou que não demonstrar o verdadeiro afeto que sentíamos por aqueles que partiram.
Às vezes são as mães que partem, outras são os filhos, ou os pais, os amigos ...
E tantas coisas deixam de ser ditas, de ser feitas, de ser vividas ... 

A vida é marcada por acontecimentos inesperados que a transformam, muitas vezes, de modo irreversível.
Cuide de seus amores porque, embora eles sejam para sempre, poderão não estar sempre ao seu lado.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Dialogando

O vinculo materno é o mais definitivo que temos na vida, mãe é pra sempre, é o primeiro lugar que eu estive, nós fomos feito la, tem uma musica bonita que diz:
“enquanto a gente espera, a mãe termina”, o pai participou? Participou, mas foi dentro da barriga da minha mãe que eu fui feito, morei La por 9 meses e fui expulso da minha primeira morada, eu sei que você quando é mãe sua vida muda, você olha pra essa cria, modifica seu comportamento, mãe que é boa mãe é aquela que modifica pra melhor, modifica os valores, só que existe uma coisa, se você não cuida desse sentimento que você tem, você corre o risco de impedir o seu filho de viver o fruto natural que o amor pode dar, quando fazem chantagem, você não tem o direito de escolher por eles ate mesmo a pessoa com quem eles vão se casar, fazer uma punição pra eles, é o que a senhora esta fazendo, ao invés de resolver o conflito de maneira saudável, porque vou desprezar a nora se ela vai ser a mãe dos netos? isso é desordenado demais, é muito triste quando a gente encontra isso, não tem como ser mãe de um rapaz aos 18 anos do mesmo jeito que ele era com 6 ou 7 anos, quando a gente estabelece muitos conflitos porque não queremos mudar o nosso jeito de ser mãe, a gente cria um distanciamento, perde uma boa oportunidade de ter o filho por perto da maneira certa, existe muitas mães que querem que o filho seja o marido, algumas são honestas capazes de corrigir isso dentro de si, toda mulher corre esse risco, você tem o seu instinto materno de proteção que se você não lidar com ele, você vai se escravizar, como você identifica a maternidade vivida do jeito certo?
É a lagrima no momento que ta indo embora, mas a sensação de dever cumprido depois que ele escolheu o que quer, gente você não pode priva-lo, orienta e tira o time de campo, muito casal não da certo por causa da interferência excessiva dos pais, a velha historia, tem 10 anos de casado e ainda comem na casa da sogra, cuidado que nem sempre o que é mais pratico é o correto, outro dia uma moca veio reclamar que eu falei que a vó não pode cuidar do neto, o que ela faz, eu disse, não sei, se você não estava preparada pra isso não deveria ter engravidado. Minha filha aprenda a cuidar da sua casa, se a sua mãe, ou sogra esta sendo excessiva dentro da sua casa, sente e converse, a senhora será sempre bem vinda mas quem manda sou eu, o meu marido reclama que só a senhora sabe fazer aquele omelete, e ela é tão maldosa que não ensina fazer, é uma maneira que ela tem de manter todo mundo ao redor dela, seja generosa, porque um dia a senhora vai bater as botas, vai amanhecer com a boca cheia de formigas e vamos ter que enterrar, é, tem gente que faz isso, só eu compro roupa pro meu filho, cuidado com isso, esses meninos que saem jogando sapato pela casa, todo ser humano tem obrigação de guardar o sapato no lugar, falta a experiência da maternidade na imposição do limite, você encontrou esse lugar desse jeito? Então deixe do jeito que você encontrou, essa e uma forma bonita de preparar o seu filho para as responsabilidades dele de um jeito bem melhor.
Nossa vida pessoal é assim, começa levar tudo de qualquer jeito, você não consegue, e quando Deus entra na nossa vida muda, seu filho casou, cuidado pra você não prejudicar a vida dele, você precisa entender que ter uma nora bem preparada é interesse seu também, outro dia eu tava ouvindo uma historia de um homem de trinta e poucos anos que de vez em quando tem que passar na casa da mãe pra dormir com ela, isso é um absurdo, quando nos mantemos o outro num cativeiro de afetos estragados, não pode, se você faz isso com seu filho você ta privando seu filho de ser feliz, casou, então agora você vai ter que aprender ser mãe de um homem casado, cuidado, quando a gente tem dependências afetivas é um perigo, porque quando o outro vai embora por alguma razão, não sobra nada pra gente recomeçar, tem que viver bem, hoje eu vou ser mãe de um jeito novo, de repente você sentiu no seu coração que você ta impedindo seus filhos de criarem autonomia que eles precisam, seja capaz de acreditar que eles podem viver sem você, sei que não é fácil, vinculo afetivo é muito difícil, mas não é impossível, quando a gente toma consciência que precisa mudar, já começamos a mudar.
Não desanime, se você chegou a conclusão que precisa fazer alguma coisa faça, e com carinho, com dialogo, porque o dialogo é a melhor maneira de resolvermos alguma coisa.
 
Padre Fábio de Melo

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Perdão

O sentimento de ressentimento pode deixar você doente? Sim. Pode! E aposto que você conhece pessoas enfermas por causa dos ressentimentos, da falta de perdão.

O perdão é a solução? Claro! Livre-se dos ressentimentos que podem ser a raiz da sua ansiedade e da sua depressão, viu? Perdoar traz muito mais benefícios espirituais, emocionais e físicos do que ficar remoendo a raiva e o ódio!
Pare de dar tanto poder a quem te feriu, a quem te prejudicou, tá?

Mas, e quando se trata de algo mais sério do que um pequeno ressentimento? Seria possível perdoar algo mais grave? Cada um de nós tem a sua própria teoria sobre o perdão, mas quando formos colocados em xeque aí o bicho pega! Mas nós sabemos que só o perdão é a solução, né?

Talvez o episódio mais difícil com que você tenha que lidar na vida, esteja relacionado a algo que precisa ser perdoado, sabia? E só você sabe o que é! Até os nossos pais, por incrível que possa parecer, precisam ser perdoados! E novamente uma frase cabe direitinho: "Nossos pais são culpados sem terem culpas"

Você sabe que quando se agarra ao ódio, se sente com mais poder! Mas isso tem um preço: você ficará saturado com emoções tão negativas. Siga um caminho diferente, pense em você, pense em sua vida e no que poderá estar perdendo remoendo esse sentimento tão perverso e arrasador. Perdoar e esquecer é algo que não faz sentido, mas tem que ser lembrado para poder perdoar.

O perdão não é somente um conceito religioso, viu? O perdão é uma forma prática de remover ruídos, barreiras e limitações da sua vida! Perceba isso. Quem não perdoa tem até um jeito diferente de andar, de falar, de se vestir, de se relacionar com as outras pessoas. Quem pertence ao grupo de pessoas felizes também pode ter comportamento bem visíveis e diferentes, sabia? Em que grupo você está?

Sabia que muitas pessoas têm maior propensão a se sentirem melhor após serem vítimas de injustiças caso sejam capazes de superar o ódio e aceitar a idéia de que ninguém pode controlar o comportamento de outra pessoa? Sim! E aqui cabe aquele velho ditado: "quanto mais forte o vento, mais forte a árvore".

Traga à tona a dor que tiver que ser curada. Crie empatia com quem a provocou, com quem te feriu. E decida-se firmemente a perdoar essa pessoa rompendo, desta maneira, com o ciclo de raiva e dor. Comprometa-se com você mesmo a praticar o perdão e se apegar sempre ao ato de perdoar sempre!

Bom Dia! Bom Divertimento! Fique com Deus que é a Fonte do Perdão!

"Quem alimenta o ódio, atira fogo ao próprio coração"

Luis Carlos Mazzini

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Que tudo se perca, menos a esperança!

Muitas vezes não temos muito a oferecer, ou repartir, mas enquanto existirem palavras que tragam de volta a esperança perdida na longa noite das dificuldades da vida, elas valerão mais do que do qualquer dinheiro ou bem material, porque renovam a vontade de lutar até encontrar soluções para nossos problemas.
Algumas palavras, nos momentos certos trazem de volta a vontade de viver e tem o poder de transformar quem está quase desistindo. Palavras que podem transformar um desiludido em alguém que volte a amar a vida com intensidade bastante para lutar quantas vezes for necessário, até vencer. Palavras que despertam a emoção, fazem amar e ter a esperança inabalável de que podemos mudar o manhã de nossas vidas, para sempre. Não temos muito a oferecer, senão palavras que façam continuar, continuar, continuar, sem desistir.
Não desista diante da crise. Desistir é muito fácil e qualquer um sabe fazê-lo. Use toda sua determinação e coragem para tornar-se alguém especial. Use toda sua criatividade para construir novas armas e inventar novos meios para eficientemente superá-la. Porque ao vencermos a crise teremos crescido e apreendido tanto, que nada mais na vida poderá deter-nos.
Somente as derrotas podem proporcionar meios de calibrar nossos instrumentos e ideais para a conquista dos nossos objetivos... a vitória. O melhor seria dizer que uma vitória não é nada mais do que o resultado inevitável de uma seqüência de fracassos devidamente reavaliados e corrigidos.
Porque o verdadeiro vencedor, não é aquele que vence todas as tentativas, mas quem apesar de sucessivas derrotas, jamais deixou de tentar. Assim concluímos que não existem verdadeiros perdedores, mas sim, pessoas que deixaram de tentar muito cedo e por isso nunca chegam a vencer. Porque a vitória é somente o resultado de inúmeras derrotas somadas, devidamente reavaliadas e corrigidas. Por este é o motivo, não existe um só homem que tenha vencido, sem antes passar por inúmeras derrotas.
Concluímos assim, que a pior de todas as tentativas é aquela que não foi feita. Por pior que seja este momento, por maior que seja sua dor, ou por mais cruéis que sejam suas dúvidas de que um dia viveremos tempos melhores, tenha sempre a esperança viva no seu coração. Aprenda com a natureza uma magnífica lição, quando depois de alguns dias de chuva nos presenteia com uma linda manhã de Sol.
Ao enfrentar este momento difícil ou iniciar uma nova empreitada confie sempre nas palavras de Cristo, quando prometeu que "O bom e justo, jamais há de estender sua mão à mendicância". Portanto se você se considera Bom e Justo, não há o que temer, porque mesmo nos momentos mais difíceis, você sempre encontrará soluções que oferecerão o suficiente para sua sobrevivência.
Os maiores fracassos, residem sempre na falta de esperança, porque é mais fácil acreditar que não vamos conseguir, do que lutar até vencer os desafios que a vida nos impõe. É mais fácil responsabilizar outras pessoas ou acontecimentos pelo fracasso das nossas investidas, do que assumir as limitações e o vazio de esperança em que vivemos.
O NÃO POSSO, assim como o NÃO CONSIGO são afirmações que exprimem a incapacidade de reagir em que vivemos, como se fossemos a imagem e semelhança da falta de perseverança e obstinação.
"LUTAR E VENCER INFALIVELMENTE ONDE QUER QUE EU VÁ, OU EM TUDO QUE EU FAÇA" Este deve sempre o nosso lema.
Não devemos sob hipótese alguma desistir e desanimar, mesmo quando trilhamos todos os caminhos com passos que nos levem inevitavelmente ao sucesso e por algum motivo, este não é conquistado.
Pois freqüentemente lidamos com fatos ou pessoas cujo fracasso já é parte integrante de suas vidas e por mais otimistas ou vencedores que sejamos, vencer nestas circunstâncias, transcende nossas limitações. Quando isto ocorre, não devemos nos desesperar, nem perder a esperança, mas sim pensar que não fomos nós que fracassamos, mas os outros que perderam muito por não aceitarem compartilhar da nossa vitória. Louise Hay

Aprendi a não bater de frente com quem só entende o que lhe convém

Uma das coisas mais desagradáveis que ocorrem é sermos mal entendidos, quando o outro deturpa nossas palavras ou nossas atitudes, desconte...