quinta-feira, 31 de maio de 2018

Dê-me as coisas que o dinheiro não pode comprar

"Felicidade é perceber que você tem muitas coisas que o dinheiro não pode comprar"

César


Dê-me sua atenção.

A sua atenção. O modo de ouvir as minhas palavras, as perguntas que você perguntar sobre minhas histórias, os pequenos detalhes que você lembra sobre a primeira vez que nos encontramos e as pequenas coisas que você observa sobre mim que eu não poderia notar sobre mim mesmo. Dê-me sua atenção, porque isso significa que você se importa, isso significa que você está curioso para saber mais e isso significa que nada pode distraí-lo de olhar para mim.

Dê-me seu tempo.

Fazer o tempo para mim em seus dias mais movimentados, encontrar algum tempo para me enviar um texto ou ligue-me para me dizer que você não quer me perder. Gaste o seu tempo precioso comigo porque você quer, porque não há nenhum outro lugar que você seria um pouco, porque se você não está trabalhando, você seria um pouco comigo. Dá-me o seu tempo porque é a única coisa que você não pode pegar de volta e quando você dá a alguém o seu tempo, ele mostra o quanto você valoriza-los. Dê-me seu tempo, porque às vezes isso é tudo que eu preciso.

Dê-me sua lealdade.

Tranquilizar-me que eu sou o único. Deixe-me acreditar que eu posso confiar em você, deixe-me acreditar que eu não tenho de ouvir coisas sobre você que você não me disse ou saber que você está em cada app namoro lá fora. Dá-me a garantia de que você é tudo em que você não está confuso, que você sabe o que quer – do que você sabe que você me quer. Seja fiel ao meu coração, protegê-lo, e não tentar ganhar o meu coração se você vai perdê-lo.

Me dê seu coração.

Tudo isso – e não apenas um pouco, e não apenas os pedaços quebrados, não apenas as peças guardadas, dá-me tudo. Não seja mesquinho com seu coração, não ser mesquinho com seus sentimentos e não ser mesquinho com suas emoções. Ser vulnerável comigo, ser honesto, ser sensível, ser romântico, ser carinhoso, ser dar e abrir seu coração para mim como você nunca foi ferido. Não me comparar com o seu ex ou aquele que escapou. Iniciar uma nova página com apenas meu nome nele, limpe o seu coração de qualquer outra pessoa e permitir que eu seja o único nele. Dá-me o teu coração, porque é a única coisa que importa. Dá-me as coisas que vão durar se somos ricos ou pobres.

Dá-me as coisas que importam, não importa onde estamos.

Dá-me conversas inesquecíveis em vez de jantares, chuveiro com os seus segredos em vez de seus presentes, me pegar quando eu estou sentindo para baixo, em vez de me pegar em uma limusine, seja minha estrela em vez de comprar-me diamantes e me dar algo que o mundo não pode ter de volta, me dar algo que o mundo não pode quebrar e me dar algo que nunca vai perder o seu valor.

*Por Resiliência Humana

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Dos poucos que pude chamar de amor, você continua sendo o maior.

Algumas vezes o tempo não cicatriza tudo que deveria curar. Alguns males se tornam quase necessários e é estranho como por vontade própria acabamos nos entregando novamente a um passado/presente que não pensa muito em futuro. É você.

O problema deve estar com você. Toda essa teimosia para uma coisa sem futuro deve ter uma explicação. Deve ser o jeito que você me olha. Hoje diferente de anos atrás, mas ao mesmo tempo, o mesmo olhar daquele menino que foi meu primeiro amor. A mesma falta de palavras. O mesmo jeito de sorrir. A conversa mais intensa, mas a mesma sinceridade de sempre. O mesmo dom de fazer o tempo parar quando estamos juntos. O mesmo “oi” ao atender as ligações.

Uma mania ou outra diferente, mas o mesmo jeito de segurar minha mão.

A minha cintura já não é tão fina, mas ainda se afina quando seus dedos a encontram. Meu riso ainda continua presente, quando presente você também está. E as dúvidas continuam sendo minhas companheiras, mas as poucas certezas têm compensado-as ao longo dos anos.

O mesmo chiclete de canela. A minha mesma timidez ousada.

Algumas músicas diferentes, mas outras tão iguais. A mesma incerteza certa. Um pouco mais de cumplicidade. Menos declarações amorosas e ao mesmo tempo gestos que gritam esse sentimento.

É.. Eu gosto de você. Gostei desde o primeiro momento. Deixei de gostar alguns outros. Voltei a gostar e percebi que jamais esqueci, apenas tinha aprendido a viver sem.

E esse aprendizado tem sido constante, entre idas e vindas, beijos e semblantes. Não posso chamar de meu, mas ainda assim meu você é. Não oficialmente, mas é parte de mim. Afinal, dos poucos que pude chamar de amor, você continua sendo o maior.

*Geovanna Argenta

terça-feira, 29 de maio de 2018

Seu maior inimigo é você mesmo! Que histórias você anda contando para si?

Você já parou para pensar que o que nos impulsiona na vida, seja para o progresso ou não, são as histórias que contamos a nós mesmos? Entenda-se por história que se conta a si mesmo, toda interpretação que fazemos dos fatos à nossa volta, a internalização dos mesmos, reflexão e consequente resposta.

A resposta vem em forma de atitudes, uma atitude tomada pode mudar o nosso destino, nos colocando no caminho do progresso ou não. É o livre arbítrio, algo aconteceu, como você interpreta, internaliza, reflete e responde depende somente de você!

Seu maior inimigo está dentro de você!

A forma como você decide agir, repercute na Lei da Atração, suas atitudes e pensamentos atraem os acontecimentos para sua vida. O livre arbítrio e a Lei da Atração andam juntos, um é consequência do outro.

Quando você se depara com uma situação ou fato, após o processo que lhes descrevo, você conta uma história para si mesmo, essa história tem tantos argumentos reais, é tão forte em alguns casos, que você passa a ter tua opinião formada, você se torna irredutível. Você tem uma conclusão a respeito desta história e suas atitudes são baseadas nela.

Podemos pensar em inúmeros exemplos, comuns, que estão acontecendo à nossa volta a todo o momento.

Outro dia eu fiquei preocupada com alguém que não chegava em casa, saiu para ir a um determinado lugar que seria muito rápido, mas não chegava e não avisou. Eu liguei no celular insistentemente, sem resposta, chamava até cair. Quais eram os fatos? Os fatos eram: aparente demora, celular não atende e só.

Eu contei uma história terrível à mim mesma, de tragédia, era tão forte que me causou palpitação, um sofrimento absurdo e desnecessário. Porque pensamos sempre primeiramente no pior? Chegou depois de um tempo, passou em outro lugar e não avisou, celular no silencioso. Por mais que coisas boas quisessem povoar a minha mente, a minha história negativa não me permitiu!

E quantas vezes você deixou de fazer algo ou ousar, por contar uma história de insucesso à você? Por contar à você a história de que você é incapaz! Isso te barrou, te impediu, te privou!

Por outro lado, quantas vezes você se afastou de alguém ou nunca se aproximou, porque contou a si mesmo que não seria bem recebido ou aceito? Ao invés de investir com toda a sua energia nessa troca de olhares, conversa ou seja lá o que for…

Obviamente que até o processo de nos contar histórias ruins, que nos fazem progredir em um ritmo muito mais lento, fazem parte do processo de amadurecimento e aprendizado.

No final do dia, se você só fizer o que sabe, nunca será nada além do que já é! Não deixe que as histórias que você conta à si mesmo te deixem estagnar na sua zona de conforto! Seu maior inimigo está dentro de você!

Por Fabiana Dainese Mauch

sábado, 26 de maio de 2018

Pessoas boas perdoam mil vezes, mas, quando vão embora, nunca mais voltam.


Em um mundo cada vez mais distorcido em seus valores e princípios, torna-se mais difícil saber em quem confiar, em quem depositar esperanças, uma vez que máscaras fazem parte da vestimenta de muita gente. E acabamos, muitas vezes, dando de cara contra o muro, simplesmente por julgarmos os corações alheios de acordo com os nossos. Infelizmente, ser bom demais se tornou perigoso.

Existe, no contexto de hoje, uma necessidade de se dar bem em todos os setores, mesmo que por meio de vantagens indevidas, de caminhos duvidosos, como se os fins justificassem quaisquer meios. Nessa toada, a lealdade e o comprometimento com o outro acabam por ser algo a não se prender, pois o que importa mesmo é galgar os degraus da ascensão social, ascensão no trabalho, no emprego, na vida, o que torna as relações humanas cada vez mais frágeis e vazias.

Mesmo assim, muita gente ainda quer acreditar no ser humano, na amizade verdadeira, no amor, na afetividade sincera. Muita gente ainda persiste no propósito de ser feliz sem machucar ninguém, sem trair, sem maldizer, sem ferir o outro, colocando-se no lugar das pessoas com quem convive. E é assim que a gente se ferra, simplesmente porque várias pessoas acabarão confundindo nossa solicitude com servidão, abusando do que temos a oferecer.

Pessoas positivas e capazes de entender o outro acabam perdoando com mais facilidade, retomando o que havia com esperança renovada e acreditando na capacidade de o ser humano se reinventar e melhorar a cada dia, aprendendo com os próprios erros. No entanto, sempre haverá quem não valoriza o perdão que recebe, como se todos fossem obrigados a perdoar e perdoar sempre que ele vacile. Muitos não refletem e jamais mudarão, afinal, para eles, é o mundo que está errado, eles não.

Uma coisa é certa: não há quem abuse da bondade do outro pelo tempo que quiser, pois chega um momento em que as forças e a paciência acabam, ainda que haja amor, afetividade e carinho. Pessoas boas perdoam infinitas vezes, porém, quando desistem, acabam desistindo por completo. Então já era, não haverá mais volta, perdão ou chance alguma. Pelo menos isso.


*Prof. Marcel Camargo

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Aquilo que ninguém sabe, ninguém estraga

“O SILÊNCIO É UM AMIGO QUE NUNCA TRAI.”
-CONFÚCIO-

É normal querermos que os outros saibam de nossas conquistas pessoais e daquelas das pessoas que amamos, uma vez que, da mesma forma que a tristeza, a alegria costuma ficar estampada em nossos semblantes. Existem momentos tão intensamente felizes na nossa vida que mal cabemos em nós de tanto contentamento e acabamos querendo contar e espalhar o quanto estamos felizes.

Entretanto, sempre estaremos rodeados pela inveja e pela maldade de pessoas que não suportam ver alguém feliz, pois a felicidade lhes é tão estranha, que não são capazes de entendê-la, a ponto de fazerem de tudo para destruí-la. Não devemos temer a maldade alheia, no sentido de que ninguém é capaz de fazer conosco aquilo a que não estivermos vulneráveis. Cautela, porém, é preciso, a fim de que não tenhamos que enfrentar o pior dos outros em nossa jornada.

Por mais que estejamos seguros e certos quanto às nossas convicções, haverá pessoas que tentarão nos diminuir por meio de provocações constantes e de maledicências espalhadas ao nosso redor. Incapazes de torcer pelo sucesso de ninguém – nem de si mesmas -, não se permitirão conviver com as conquistas alheias sem que tentem trazer o outro ao nível da própria escuridão emocional, muitas vezes utilizando-se de meios antiéticos e covardes.

Muitas vezes, é inevitável disseminarmos pelas redes sociais o contentamento pelas nossas viagens, nossas conquistas amorosas e profissionais, pelo sucesso de nossos filhos, inclusive seria muito chato apenas postarmos lamúrias, indiretas venenosas e lamentações em nossos perfis – existem ótimos psicólogos para isso.

No entanto, é necessário saber que muitos verão tudo isso como ostentação inútil, excesso de vaidade, ego inflado, ou seja, estaremos sujeitos a comentários desagradáveis sobre nós, muitos deles pelas nossas costas.

*Prof. Marcel Camargo

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Mais uma lição...

PERTO DE MORRER, UM VELHO HOMEM "BILIONÁRIO" CHAMOU À SUA SECRETÁRIA DE CONFIANÇA E BRAÇO DIREITO. E DISSE:


- Estela QUANDO MORRER quero que REALIZE 3 pedidos em meu sepultamento. OK?

A Secretária surpresa, respondeu :
- sim senhor! seus desejos serão realizados.

Em seguida ela pegou um bloco de notas e uma caneta e disse :
- Vou anotar para não esquecer Senhor. Pode falar!

Ele respondeu :
-Pois bem!

1º) Quero que meu caixão seja carregado pelos melhores médicos que existem.

2º) Que os tesouros que tenho, sejam espalhados pelo caminho até meu túmulo.

3º) Que minhas mãos fiquem no ar, fora do túmulo e a vista de todos.

Sua Secretária surpresa com os 3 pedidos perguntou:
- Senhor Desculpe a curiosidade. Mas quais são os motivos de tais desejos?

Ele respondeu:

São somente 3 também:

1º) Eu quero que os melhores médicos carreguem meu caixão, para mostrar que eles não têm o poder de curar na face da morte e quando chega à hora ninguém muda o destino à não ser Deus.

2º) Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros, para que todos possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui ficam.

3º) Eu quero que minhas mãos fiquem para fora do caixão, de modo que as pessoas possam ver que viemos com as mãos vazias, e saímos de mãos vazias, pois para morrer você não leva nada material.

"TEMPO" é um tesouro precioso que nós temos. Podemos produzir mais dinheiro, e não mais tempo!
O melhor presente que você pode dar a alguém é o seu tempo!

Abrace seu Filho, beije sua Mãe, aperte as bochechas de seu sobrinho(a), sorria com seus amigos, brigue e faça as pazes com seu irmão(a) dizendo que o(a) ama. e curta a vida como se fosse o último dia.

O que realmente importa é o agora, é exatamente este tempo em que estamos vivendo, se há momentos em que não podemos fazer absolutamente nada, é justamente no passado e no futuro. Todos os dias nos consumimos em preocupação e ansiedade por algo que já passou ou nem se quer aconteceu ainda, porque somos viciados em nos colocar em um plano temporal que não nos encontramos de fato, e esquecemos de aproveitar o agora com se deve. Encontre-se, liberte-se, viva o agora, viva o momento!

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Mulher não desiste de quem ama, mas cansa de não ser correspondida

É eu sei querida, chega um momento que cansa. Para de doer, de sofrer, para de querer e a gente perde mesmo o interesse de investir.

É que esse negócio de sofreguidão gasta uma energia, borra uma maquiagem, faz um “revertério” na nossa cabeça até que chega uma hora que a deusa envia uma ajuda divina: Cai uma ficha que avisa “amada, você não precisa mais passar por isso”!

E aí, fica o caminho aberto à nossa frente.” Eu não sabia que podia”… A decisão é somente nossa de ficar ou pegar a própria vida, dignidade, respeito, amor e seguir.

É que cansa!

Mulher não desiste de quem ama, mas cansa de não ser correspondida, de não ser amada.
Amada como deve ser e não cortejada apenas para satistifazer necessidades.

E mulher investe mesmo! Quando tá afim, ela vai fundo nos propósitos. Enquanto estiver propondo encontros, fazendo planos, mostrando sentir ciúmes e tendo saudades, ela está presente, e deseja ser valorizada. A partir do momento que ela deixar de se importar, é porque certamente ela perdeu o interesse.

E vou dizer, não há nada que segure uma mulher decidida!

Elas até demoram para tomar uma atitude, mas quando resolvem seguir é porque esgotaram todas as chances, foram ao fundo do pote, viveram todos os “e se”, ouviram todos os conselhos e passaram a praticar os próprios – siga em frente!

É meu bem… Não dá pra consertar o que não tem conserto e na verdade querida, não conserte! Este não é o seu papel. Não pense que daqui há dois anos ele vai melhorar, porque quando chegar lá você vai se frustrar por perceber que nada mudou.

Não crie tantas expectativas quando o seu coração já te alertou sobre as possíveis falhas que irão te fazer cansar.
Certo, todos temos falhas, mas o desinteresse, falta de afeto, atitude e coragem para se envolver na relação, são razões suficientes para seguir em frente.

É triste admitir que certos parceiros não são suficientes, e não por questão de capacidade, mas por preguiça e comodismo. Ou mesmo, um “tilt” de personalidade.

Não dá para viver de pequenezas, nem se satisfazer com migalhas muito menos se acostumar com isso quando ha o entendimento de que merecemos um algo inteiro que preencha nossos corações e vidas de forma inteira e amorosa.

O fato é que quando cansa, cansa! E quando ela vai, ela vai segura e cheia de si. Vai sabendo que fez o que pode e que algo de maior valor a espera.

E ela não sai para buscar um outro… Ela sai para se resgatar. Para se pertencer, pois sua doação virou caridade e ela não teve troca para ser reabastecer.

Ela pode sofrer, criar mágoas dentro de si, mas uma hora isso tudo seca e ela passa a perceber que os valores que possui podem salvá-la de qualquer tempestade.

Mulher quando entra na relação, aposta, nutre, se entrega, vive cada momento. Mas quando sai, é pra não voltar e o seu silêncio será a resposta, a prova de que ela se cansou. Ela foi.

*Anieli Talon

terça-feira, 22 de maio de 2018

Garçonete tratou um mendigo com gentileza. Quando ela descobriu quem ele era, ele começou a chorar

O ritmo do dia a dia e a demanda por produtividade nunca deve desviar o nosso olhar do que realmente importa...

Mary era uma garçonete que trabalhava em um restaurante no Texas. Certo dia um morador de rua adentrou o estabelecimento e fez um pedido que não parecia compatível com suas posses.

Cheirando mal, com aparência que indicava miséria e um humor rabugento ele se sentou no meio do salão.

Mesmo identificando a diferença entre ele e o público que normalmente frequentava o local, Maria o tratou com respeito, dignidade e igualdade.

O público que estava ao redor ficou inquieto com relação a aparência e o mal cheiro do homem, mas Maria manteve sua postura profissional e amável.

É claro que, dentro de si, Maria se questionou se o cliente teria como pagar a conta, mas ela sabia que não cabia a ela esse julgamento e o serviu com abundância enquanto entregava tudo o que ele pediu.

O homem, ao perceber o tratamento atencioso, sentiu a diferença. Pela primeira vez em muito tempo alguém o tratava como um ser humano e não como um estorvo que prejudicava o dia de trabalho de alguém. Mary olhou em seus olhos, disse seu nome e sorriu.

Terminado o serviço, Mary colocou-se à disposição: “Estarei aqui, caso o senhor precise de algo mais.”

Entretanto, apesar o tratamento de Mary, os outros funcionários e clientes estavam indignados. Seu  gerente a advertiu dizendo que, se ele não pagasse, a conta seria descontada de seu salário. Mary apenas concordou.

O homem pediu panquecas, ovos com bacon, além de um café bem quente e aconchegante.

Quando percebeu que ele terminou de comer, Mary aproximou-se e disse a ele que ele não precisava se preocupar com a conta, pois ele tinha sido seu convidado.

O homem acenou com a cabeça e, logo em seguida, foi embora emocionado.

O que Mary não imaginava era que, ao levantar o prato, encontraria uma nota de 100 dólares, um cartão e um bilhete.

No bilhete estava escrito:

“Mary, minha querida, eu te respeito muito por perceber o quanto você respeita a si mesma e ao próximo. Tenho certeza de que você conhece o segredo da felicidade, pois a sua gentileza a guiará entre aqueles que a conhecem.”

Para surpresa de todos, o homem maltrapilho que foi embora emocionado, era o dono da rede de restaurantes onde Mary trabalhava. Para saber como era o atendimento aos seus clientes, ele periodicamente se disfarçava como um mendigo e observada como seria tratado.

Não fica difícil entender por que,  uma semana depois, Mary foi promovida a gerente do restaurante.


*por CONTI outra

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Quando é Preciso DESISTIR

Quando joguei no Google a palavra “Desista” para ilustrar um post do meu blogminissaia.com.br, não encontrei o que eu queria. Eu queria uma foto de desistência. Mas tudo o que apareceu no “Imagens” foram fotos pedindo para não desistir. Não desista dos seus sonhos, só desista de desistir e por aí vai. Aí que eu percebi como nos privamos desse recurso maravilhoso que é a desistência.

Eu sempre fui muito persistente. Mas o passar dos anos me mostrou que errei sim, muitas vezes. Persisti em relacionamentos fracassados- amorosos ou de amizade. Persisti em tentar mudar as pessoas. Persisti em trabalhos que jamais me dariam nenhum retorno. Persisti em ser uma pessoa que eu não queria ser. Percebi a minha arrogância, a minha teimosia. Percebi que, algumas vezes, eu poderia ter sofrido a metade e ganho o dobro. Mas não fiz.

Não porque sempre vi a desistência como algo assim, como o Google me mostrou. Coisa de gente fraca, indecisa. Coisa de gente que não sabe o que quer, que não tem força de vontade. Que não pega o touro à unha. Eu não, eu era diferente. Eu batalhava, eu fazia acontecer. Até quando o “acontecer” não era para realmente acontecer.

Então hoje eu estou abrindo um novo precedente. Sim, eu posso desistir. Sim eu posso recomeçar. Sim eu posso desapegar. Desapegar de velhas condutas, de pensamentos. De sensações, de maneiras de viver. Posso me refazer a hora que eu quiser. Não preciso ser sempre a mesma pessoa, a mesma coisa, com as mesmas manias. Camarão que dorme a onda leva. E dormir aqui é mesmo se manter na ignorância. Se manter achando que está certa, quando aquilo simplesmente já passou.

Se você está infeliz com alguma coisa, simplesmente desista. Desista do relacionamento, desista das fantasias. Desista de ser desse ou daquele jeito. Desapegue das pessoas, se elas não vão mudar mesmo. Ou simplesmente aceite isso e fique em paz. Desista de ser perfeito, de manter a casa em ordem. Desista de perder aqueles dois quilos. Desista das dietas da moda, desista das amizades falsas. Desista de ser você. Só um pouquinho. Depois me diga o que está sentindo. Acredito que muito, muito mais leve.


*Andrea Pavlovitsch

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Deus usa os momentos de dificuldade, espera e ansiedade para nos lapidar.

A Bíblia é clara ao dizer que nós somos barro e Deus o oleiro. A Bíblia não diz o contrário. Deus é o oleiro e não nós. Deus é quem tem poder de nos moldar de acordo com a sua vontade. Porém, infelizmente o que acontece é que nós, simples mortais, tentamos assumir o papel de Deus e tentamos moldar a nossa vida de acordo com a nossa vontade. Falamos tanto de fazer a vontade do Senhor, porém quando a vontade de Deus é diferente da nossa, tentamos “convencer” nós mesmos que a gente sabe o que é melhor para nós. Tentamos “negociar” com Deus pois achamos que sabemos de alguma coisa. Coitado de nós. Somos nada. Somos pó. Do pó viemos e ao pó voltaremos.

É muito fácil fazer a vontade de Deus quando a vontade dele é exatamente igual a nossa. É muito fácil fazer a vontade do Senhor quando o tempo dele é igual ao nosso. Porém, não é isso que Deus quer de nós. Ele quer que confiemos no seu poder e na sua misericórdia. Deus quer que confiemos quando a resposta para aquela oração demora para vir ou então quando o seu pedido não é atendido como você esperava. Deus pode responder sim, não ou espera. E são nos momentos do “não” e “espera” que Deus quer ver se realmente confiamos nele.

É quando as dificuldades veem que temos que confiar em Deus. Mas confiar de verdade. Quando encontramos montanhas para transpor ou um deserto para atravessar é o momento que devemos confiar em Deus incondicionalmente. Quando o namoro termina, ou quando tira aquela nota vermelha na faculdade, ou então quando fica desempregado. São nesses momentos de grande dificuldade que Deus quer que mostremos que realmente temos fé e que confiamos nele independentemente do que esteja acontecendo em nossas vidas.

Deus nos prometeu muitas bênçãos. Ele nos ama infinitamente e fica muito feliz quando seus filhos prosperam. Deus tem planos para a sua vida e para a minha. E esses planos são muito maiores e melhores que os nossos planos. As vezes não entendemos porque Deus demora tanto pra atender a nossa oração ou então porque temos que passar por tantas dificuldades. Mas Deus nunca disse que não passaríamos por tribulações nesse mundo. Em João 16.33 Cristo fala: “ Eu disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo”. Que promessa linda! Mesmo passando por muitas aflições neste mundo, Cristo nos dá a sua paz e nos pede para ficarmos calmos e tranquilos porque Ele já venceu este mundo lá na cruz.

Na verdade, deveríamos dar graças e louvar a Deus pelos momentos de dificuldades e provações. Temos que dar louvores ao nosso grande Deus por termos que esperar pela resposta de uma oração pois são nesses momentos que o poder de Cristo se mostra em nós. Paulo passou por muitas aflições e foi nestes momentos que ele se apegou ao Pai e se tornou mais forte em Cristo. Em 2 Coríntios 12:10, Paulo afirma: “…pois quando estou fraco então sou forte”. Paulo aprendeu a ter paz e confiar em Deus em TODOS os momentos, eram eles bons ou ruins. E foi durante estes momentos de angústia e aflição que Paulo deixou o Espírito Santo moldar a sua vida e coração.

Somos um diamante bruto e Cristo usa os momentos de dificuldade, espera e ansiedade para nos lapidar. E quando tudo passa, nos sentimos mais próximos de Deus e mais fortes. Somos com certeza pessoas melhores, mais pacientes e com uma fé mais desenvolvida. Porém só conseguimos alcançar santidade se deixarmos o oleiro nos moldar de acordo com a sua vontade.

Não se preocupe. Aquela sua oração vai ser atendida. Aquele momento de dificuldade vai passar. Aquela aflição em seu coração será acalmada. Muitas bênçãos serão derramadas na sua vida, mas vai ser como Deus quiser e no momento que Ele quiser. Deus é onisciente e sabe todas as coisas. Ele conhece o seu passado, presente e futuro. Deus é o único que realmente sabe o que é melhor para você. Quem somos nós para questionar a vontade de Deus? Ele é Deus e nós somos criaturas. Se entregue nas mãos do oleiro para ser quebrado e refeito. Deixe Deus restaurar a sua vida. O amor de Deus é muito maior do que qualquer luta que nós enfrentamos. Confie em Deus e deixe Ele fazer um vaso novo da sua vida.

*Danielle Luppi

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Não perca tempo fazendo a coisa certa para as pessoas erradas

Nem todo mundo saberá ser amado, ser perdoado, ser ajudado. Ter esse discernimento em muito nos ajudará a usar o nosso precioso tempo junto a quem tem amor de verdade dentro de si.

Quanto mais o tempo passa, mais rápido ele voa. Cada vez mais, temos a sensação de que o amanhã vem galopante, acelerado, sem nos dar tempo de nos demorar em quase nada. Por isso mesmo, o tempo é precioso, principalmente aquele período em que nos dedicamos a nós mesmos, à nossa diversão, ao nosso lazer, ao nosso respirar tranquilo. Não nos cabe mais, portanto, perder tempo com o que faz mal, com quem não merece.

Não perca tempo dando satisfações a quem não o conhece de fato, a quem só cobra, sem se doar minimamente, a quem nunca lhe pergunta sequer como foi o seu dia. Existem muitas pessoas que se intrometem onde não são chamadas, incomodando-se com a vida de todo mundo, por pura maldade. Quem realmente se importa com o outro oferece ajuda, tenta ouvir e entender. Quem só critica e impõe seu ponto de vista, de maneira egoísta e unilateral, não é digno de nossa reciprocidade.

Perceba quando você tiver de insistir demais com alguém. Nada daquilo que tiver insistência envolvida poderá dar muito certo. Relacionamentos – sejam de amizade, profissionais, sejam amorosos – devem ter ida e volta tranquilas, disposição de ambas as partes e afeto mútuo. Isso é sinceridade e transparência e, sem um nem outro, não há laço que se sustente, não há sorriso que se esboce, não há satisfação alguma.

Pare de tentar ajudar quem já deixou claro que não quer ajuda. Logicamente, devemos nos colocar no lugar do outro e tentar retirá-lo de situações que o afastem da felicidade. Porém, algumas pessoas não estarão prontas para saírem de sua zona de conforto, porque isso dói demais, uma vez que requer o enfrentamento de si mesmo, das próprias escuridões. Poucos se dispõem a essa batalha, preferindo iludir-se e afundar-se na comodidade incômoda da paralisia emocional. Após tentativas necessárias de nossa parte, será preciso que nos afastemos, ou adoeceremos.

Jamais sairemos perdendo quando estivermos agindo da melhor forma, na melhor das intenções. Entretanto, nem todo mundo conseguirá ser alcançado pelas mãos alheias estendidas bem ali na sua frente. Nem todo mundo saberá ser amado, ser perdoado, ser ajudado. Termos esse discernimento em muito nos ajudará a usarmos o nosso precioso tempo junto a quem tem amor de verdade dentro de si. Todos nós, afinal, merecemos nada menos do que estar perto de gente assim, quando assim também o formos.


*Prof. Marcel Camargo

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Não é o que você disse, mas a forma como disse

Ela tinha saudades. Ele queria encontrá-la logo. Ela disse hoje. Ele disse amanhã. Dois sentimentos comuns, mas atrapalhados por uma sentença descompassada. Num jogo sobre quem cedia primeiro, o momento dele prevaleceu. Por fim, tomaram caminhos distintos. Cada um seguiu adiante sem que o querer fosse consumado.

Quantos relacionamentos já não foram maltratados por essa confusão verbal? Nem sempre o que sentimos acompanha de mãos dadas o que dizemos. Talvez seja ausência. Talvez seja ingenuidade. Mas só talvez. De repente, o problema não é sobre o que é dito, mas a forma na qual é dito. Mensurar palavras é um gesto árduo para quem sente demais e vivemos sob relações das quais sentir de menos é o caminho mais seguro. Lamentos depois traduzidos em adjetivos e substantivos que não comportam o tamanho do coração. Amores se perdem. Laços interrompidos sem porquês. Abandonamos o olhar sereno e o discurso brando quando temos a oportunidade de solidificar os nossos desejos.

Não sabemos de onde surgiram tamanha impaciência para se dizer o que se sente da forma que sentimos. É medo demais? Ou, quem sabe, desconhecimento do próprio sentimento? O tempo é questão de entrega e relacionamentos, também. Ninguém precisa fingir ou mesmo amenizar os sentidos das coisas. Mas, deparando-nos com a enorme responsabilidade de demonstrar afeto, muitas vezes, desistimos.

Mais adiante, percebemos a lacuna que fica. O pesar da pausa fora de hora, da partida sem destino e da cicatriz insistente no futuro. Ela deveria dizer. Ele deveria fazer. Independente do lado a tomar iniciativa, não podem existir normas regidas por um freamento daquilo que é crescente no coração. Aceitar isso é dar consequentes rasteiras numa felicidade a ser compartilhada. Conversar não é ceder os pontos. Expressar-se não é estar de joelhos para o outro. Não é o que você diz, mas a forma como diz.


*Guilherme Moreira Junior

terça-feira, 15 de maio de 2018

Um Dia a Gente Aprende Que o Lugar de Pessoas Tóxicas e bem Longe da Nossa Vida

“Não aceite nada de pessoas tóxicas, até mesmo as boas intenções não são tão boas assim. O melhor a fazer é tomar distância delas. Viva sua vida da melhor forma possível, tenha fé na luz que existe em você, seja paciente com seus tropeços e acredite na força de seus passos”.

Falar de pessoas tóxicas é algo muito complexo, pois elas não têm uma característica padrão. Muitas vezes, elas parecem aos olhos do mundo ótimas pessoas, dando apenas aos mais próximos a chance de conhecê-las profundamente.

Dessa forma, quando ficamos um longo tempo próximos de alguém que tem o poder de nos intoxicar, é comum que comecemos a ter dificuldades de discernimento, falta de ânimo, problemas psicológicos e físicos devido a somatização de problemas. Problemas que, à princípio, poderiam ser até mesmo pequenos, mais que se avolumaram devido ao contato com uma ou mais pessoas tóxicas.

Assistindo ao filme “Refém da Paixão”, um filme o qual indico, é possível notar que a protagonista, Adele, interpretada por Kate Winslet, vive um esgotamento mental com reflexos psicológicos, esgotamento que a impede de cuidar de sua casa, de amparar seu filho de forma mais ampla e de dirigir até um simples mercado. É como se o peso de pequenas coisas tivesse se acumulado nos braços dela, até que um dia Adele foi soterrada por tudo que carregava.

Na trama Adele é divorciada e vive sozinha com o filho adolescente. Vive triste e deprimida, no entanto, em determinado ponto da narrativa, o ex-marido senta em frente ao filho e admite que Adele foi, no passado, a mulher mais feliz que conheceu. Que ela era apaixonada pela vida. Era deslumbrante e mágica e que ele, em um momento de fraqueza, ciente das dificuldades pelas quais Adele passava, resolveu cair fora.

Adele confiou em alguém que de alguma forma não a amparou quando ela mais precisava e quando fazemos isso, quando confiamos em pessoas próximas que não tem a intenção de nos ajudar, o sofrimento é certo. Adele achou que havia do outro lado um companheiro ajudando-a a tirar a água do barco furado em que estava, quando na verdade não havia ninguém. E quando ela se deu conta disso já era tarde.

Eu mesma já tive em meu passado pessoas tóxicas ao alcance de uma mão. Demorei muitos anos para entender o mal que eu estava me fazendo ao permitir que pessoas assim pudessem opinar ou partilhar de minha vida. Demorou muito tempo até que eu percebesse que as sementes plantadas em nós por pessoas tóxicas nunca são fortuitas.

Uma pessoa tóxica vai sentar ao seu lado e tentar provar que você não é capaz, vai torcer para você ser demitido, vai desejar que você seja tão vulnerável quanto ela. A pessoa tóxica vai te desmerecer e desmerecer aqueles que te amam de verdade. Vai sempre olhar para você e enxergar as piores coisas. A pessoa tóxica vai fingir que está ao seu lado, mas na verdade ela vai ser a primeira a puxar seu tapete quando você se desequilibrar.

Certa vez recebi de uma pessoa tóxica um presente, era um conjunto de seis copos de vidro, no entanto na caixa vieram apenas cinco. Desempacotei os copos e notei que eram copos diferentes. Eram de um vidro muito fino, como se tivessem sido soprados. Na primeira vez em que fui lavá-los, um dos copos se partiu em minha mão, cortando meus dedos. Por fim entendi porque a caixa viera com apenas cinco. Certamente a pessoa também quebrara um dos copos, talvez assim como eu, mas ao invés de dispensá-los, resolveu delegar aquela dor a outro, no caso a mim, embalando-a na forma de um presente bonito.

Não aceite nada de pessoas tóxicas, até mesmo as boas intenções não são tão boas assim. Não aceite conselhos. Não atenda ligações ou responda mensagens. Não conte suas aflições a uma pessoa tóxica. O melhor a fazer é tomar distância delas. Viva sua vida da melhor forma possível, tenha fé na luz que existe em você, seja paciente com seus tropeços e acredite na força de seus passos. Todos nós caímos e todos nós temos a capacidade plena de nos levantar. Mas para isso precisamos, antes de mais nada, manter longe aqueles que fingem nos ajudar, que fingem nos amar, que fingem se importar conosco.

Só merecem estar ao nosso lado aqueles que nos amam de verdade. No filme o amor cura Adele. Na vida o amor de pessoas sinceras e o amor-próprio também nos cura.

Deixemos que as pessoas tóxicas sejam apenas uma vaga lembrança em nosso passado. A vida se encarrega do resto.

*Vanelli Doratioto

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Definição de Saudade...

Recebemos esse belo artigo do Dr. Rogério Brandão, Médico oncologista. Vale a pena ler até o fim.

“Como médico cancerologista, já calejado com longos 29 anos de atuação profissional (…) posso afirmar que cresci e modifiquei-me com os dramas vivenciados pelos meus pacientes…

Não conhecemos nossa verdadeira dimensão até que, pegos pela adversidade, descobrimos que somos capazes de ir muito mais além…

Recordo-me com emoção do Hospital do Câncer de Pernambuco, onde dei meus primeiros passos como profissional… Comecei a frequentar a enfermaria infantil e apaixonei-me pela oncopediatria.

Vivenciei os dramas dos meus pacientes, crianças vítimas inocentes do câncer. Com o nascimento da minha primeira filha, comecei a me acovardar ao ver o sofrimento das crianças.

Até o dia em que um anjo passou por mim! Meu anjo veio na forma de uma criança já com 11 anos, calejada por dois longos anos de tratamentos diversos, manipulações, injeções e todos os desconfortos trazidos pelos programas de químicos e radioterapias.

Mas nunca vi o pequeno anjo fraquejar. Vi-a chorar muitas vezes; também vi medo em seus olhinhos; porém, isso é humano!

Um dia, cheguei ao hospital cedinho e encontrei meu anjo sozinho no quarto. Perguntei pela mãe. A resposta que recebi, ainda hoje, não consigo contar sem vivenciar profunda emoção.

— Tio, — disse-me ela — às vezes minha mãe sai do quarto para chorar escondido nos corredores… Quando eu morrer, acho que ela vai ficar com muita saudade. Mas, eu não tenho medo de morrer, tio. Eu não nasci para esta vida!

Indaguei:

— E o que a morte representa para você, minha querida?

— Olha tio, quando a gente é pequena, às vezes, vamos dormir na cama do nosso pai e, no outro dia, acordamos em nossa própria cama, não é? (Lembrei das minhas filhas, na época crianças de 6 e 2 anos, com elas, eu procedia exatamente assim.)

— É isso mesmo.

— Um dia eu vou dormir e o meu Pai vem me buscar. Vou acordar na casa Dele, na minha vida verdadeira!

Fiquei “entupigaitado”, não sabia o que dizer. Chocado com a maturidade com que o sofrimento acelerou, a visão e a espiritualidade daquela criança.

— E minha mãe vai ficar com saudades — emendou ela.

Emocionado, contendo uma lágrima e um soluço, perguntei:

— E o que saudade significa para você, minha querida?

— Saudade é o amor que fica!

Hoje, aos 53 anos de idade, desafio qualquer um a dar uma definição melhor, mais direta e simples para a palavra saudade: é o amor que fica!

Meu anjinho já se foi, há longos anos. Mas, deixou-me uma grande lição que ajudou a melhorar a minha vida, a tentar ser mais humano e carinhoso com meus doentes, a repensar meus valores.

Quando a noite chega, se o céu está limpo e vejo uma estrela, chamo pelo “meu anjo”, que brilha e resplandece no céu. Imagino ser ela uma fulgurante estrela em sua nova e eterna casa.

Obrigado anjinho, pela vida bonita que teve, pelas lições que me ensinaste, pela ajuda que me deste. Que bom que existe saudade!

O amor que ficou é eterno.


saudade é um paradoxo: ao mesmo tempo em que aperta o nosso coração, preenche ele de amor. Ao sentir saudade revivemos automaticamente momentos, sensações e sentimentos. Através dela, acessamos todo um passado já vivido e também um futuro que ficou por viver.
No início, a saudade vem acompanhada de muita dor. Ela de fato esmaga o nosso coração e parece doer na alma. Mas com o tempo, é possível olhar para ela com um pouco mais de atenção e gratidão. Começar a separar a saudade da dor.
Vamos aprendendo que a saudade é o nosso elo de conexão com quem já não está mais aqui fisicamente. Que sentir saudade é sentir todo amor que ficou e que nunca irá se separar da gente.

* Dr. Rogério Brandão Médico oncologista

sábado, 12 de maio de 2018

A mulher da minha vida

A mulher da minha vida tem tanto defeitos quanto qualidades. Para ela, não há esforços a serem medidos na hora de estar presente para quem quer que seja. O seu coração é tão grande que mal cabe em palavras. É uma mulher que não foge aos desafios da vida, pois tem vocação para liberdade.

A mulher da minha vida me deu de tudo um pouco. Me ensinou lições que não podem ser aprendidas em livros e salas de aula. Com cuidado, afeto e até um pouco de rigidez, ela transpareceu ensinamentos valiosos para uma vida inteira. Algumas foram sobre gentilezas, outras sobre justiça. Mas também sobre perdão, amor, felicidade, tristeza, ódio e mais um punhado de sentimentos que vamos tomando conhecimento ao longo dos anos, mas que sem uma direção apropriada, acabamos por colocá-los em quantidades cansativas ao coração. Não porque exista algo de errado conosco, mas porque o mundo, algumas vezes, não pede licença e cobra que tenhamos todas as respostas.

A mulher da minha vida é bonita, independente e não leva desaforo para casa. Ama praia. Ama estar em contato com a natureza. O tempo dela sempre dura mais de 24 horas. Não há limites que a impeçam de realizar algo.

A mulher da minha vida escreve. Escreve os versos mais sinceros e não está nem aí para os clichês dos insensíveis de plantão. Ela é simplicidade na ponta dos dedos.

A mulher da minha vida é, acima de tudo, alguém incomparável.

A mulher da minha vida chegou há tempos, mas continua aqui.

A mulher da minha vida é amor a ser somente amor, todos os dias.

A mulher da minha vida é você, mãe.

Dona Iracema...



*Guilherme Moreira Jr.

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Obrigada, Mãe!

Mães são anjos que vem à Terra para cuidar dos filhos e de todos ao seu redor. São seres especiais que tem a missão de ensinar o verdadeiro amor incondicional ao próximo. Às vezes a gente luta pela nossa individualidade, não vê a hora de correr dali e voar sozinho. E só quando voamos é que entendemos tudo que ela nos ensinou (e ensina), nos aconselhou (e aconselha), nos desaprovou (e desaprova) e nos amou (e ama). Você não precisa ter um filho pra entender o que é ser mãe. Você só precisa olhar pra trás e ver tudo que ela significa pra você e pra pessoa que você se tornou.

Todos nós temos vários sonhos na infância. Dizemos aos nossos pais que “não vemos a hora de dirigir, termos nosso próprio carro, não precisar mais arrumar a cama de manhã…” E então nossos pedidos se realizam. A cada conquista entendemos que a vida é implacável e não nos ensina com o mesmo afeto que a nossa família. E ai balançamos a cabeça, suspiramos fundo, e começamos a comparar o antes de depois da vida debaixo do teto deles / longe das asas deles.

E nos damos conta que:
É bom ser independente. Mas bom, bom mesmo, é ter aquela pessoa que diz que te ama toda noite, te esperando chegar da academia com seu chá mate já quentinho na bancada, aguardando para te perguntar como foi o seu dia, mesmo que você não pergunte como foi o dela.

É bom, é muito bom escolher sua própria comida. Mas bom, bom mesmo, é chegar perto de casa na hora da janta e sentir o cheiro do feijão temperadinho lá da esquina. Você sabe que aquele feijão vem das mãos dela e, conforme entra em casa, sente os outros aromas: o bife refogado, a salada de batata com maionese que ela aprendeu na TV Cultura, o pudim de pão que só ela tem mão pra fazer. Não importa a sua dieta, você desiste de qualquer projeto quando sente o cheiro daquela que é a melhor comida do mundo.

É bom chegar a hora que você quiser, sem se importar com o amanhã. Mas bom, bom mesmo, é quando seu telefone toca de hora em hora com alguém preocupada do outro lado da linha, pedindo pra você ter cuidado, não beber, dirigir devagar, e ir pra casa em segurança.

É bom escolher suas próprias roupas de acordo com seu humor, peso e estilo. Mas bom, bom mesmo é quando você sai de casa e escuta “Não vai levar uma blusa? Eu vi na tv que vai chover”. Mãe tem acordo com a meteorologia. Ela nunca erra, e se você arriscar não ouví-la… chuva na certa, torrencial, com alguns granizos na sua cabeça dura.

É bom decidir tudo sozinha – sua vida, seus empregos, seus namorados. Mas bom, bom mesmo, é ter o ouvido atento daquela que preza pela sua vida mais do que pela dela própria, e te dá conselhos inteligentes e que vão te evitar algumas pedras ao longo da sua caminhada. Cada palavra de carinho que sua mãe te dá é um alerta com sinalizadores sobre quais são os melhores caminhos a seguir. Às vezes você os segue, às vezes não. Às vezes você ouve um “eu te disse”, às vezes é você quem diz e ela, sorrindo, concorda e acompanha suas vitórias.

É bom ter saúde. Malhar, tomar suas vitaminas e seus chás que garantem a imunidade perfeita. Mas também é bom quando você chega em casa gripada e ela te olha assustada, tira rápido sua bolsa do seu ombro e te manda “tomar um banho quente e ir deitar já”. Quando você chega no seu quarto depois disso, ela te espera ali, sentada na cama, com um comprimido de antigripal e um chá de mel e limão milagroso – cheio do maior milagre o mundo, o amor de mãe.

O carinho de mãe não nos protege do mundo, afinal todos temos nossos desafios. Mas é muito melhor aprender as lições de bondade e caráter com ela do que fora do nosso portão, porque a vida bate sem dó. Enquanto sua mãe te deixava de castigo trancado no quarto um dia inteiro para “pensar no que você fez de errado”, a vida te derruba e não bate na porta com seu jantar depois.

Só uma mãe tira a comida do prato para que o filho coma um pedacinho maior do bife de casquinha. Só ela nos faz carinho quando chegamos em casa chorando por alguma desilusão. Só ela nos ouve, mesmo que nem sempre nos compreenda. Só ela nos olha com ternura por nossos acertos e com terror por prever nossos tropeços. Só ela se divide em dez e cuida da gente, dos nossos irmãos, do nosso pai, dos nossos avós, das nossas tias, dos nossos primos, tudo no mesmo dia e na mesma hora se precisar.

Só ela faz a lista do mercado, limpa a casa, encera o assoalho da sala, trabalha em dois empregos como professora, corrige todas as provas das suas salas, nos alimenta, dá banho no cachorrinho, nos ajuda com nossas tarefas, faz janta pro nosso pai, assiste a novela, monta presépio e árvore de natal, nos ensina a fazer oração antes de dormir, e depois fica horas acordada ouvindo nosso pai desabafar sobre os problemas no trabalho.

Toda mãe é mesmo igual. Igual na dedicação, no amor incondicional, na energia extra para vencer todos os dias e na capacidade de ser muitas ao mesmo tempo. Toda mãe é um poço de compaixão. E bom, bom mesmo, é quando você tem a chance de reconhecer e retribuir todos esses sentimentos enquanto ela ainda está aqui para olhar nos seus olhos e ouvir você dizer “Mãe, te amo!”

*Ana Carolina Faria Bortolo

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Que o nosso desejo seja: Se parecer mais com Cristo e menos com o mundo.

Receita de bolo nem sempre é fácil de seguir. Você tem que colocar na batedeira a medida exata de cada ingrediente ou o seu bolo pode dar errado. Um pouco a mais de fermento leveda toda a massa. Se você abre a sua geladeira e vê que o leite acabou e mesmo assim decide continuar e seguir com a receita sem o leite, vai ter, provavelmente, como resultado, um bolo bem seco. Bolo tem que ser macio, fofinho, delicioso. Ai como é gostoso quando a casa toda fica cheirando a bolo quentinho que acabou de sair do forno!

Agora pense em sua vida espiritual como a receita de um bolo. Você precisa ter todos os ingredientes em sua casa e precisa seguir a receita a risca. Os ingredientes do bolo são os frutos do Espírito e a receita é a palavra de Deus. Em Gálatas 5:22 nós encontramos os frutos do Espírito: “amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão e temperança”. Nós precisamos ter um pouquinho de cada ingrediente para que o bolo fique fofinho e saboroso. Precisamos sempre ler a bíblia, que é a receita do bolo, e seguir exatamente o que ela nos diz.

Mas é claro que isso não é fácil. Nós somos pecadores, fracos e temos tendência de praticarmos o mal. Muitas vezes terminamos um dia cansativo de trabalho e paramos para meditar por um minuto que seja e dizemos a nós mesmos: “nossa, eu fui uma boa pessoa hoje, nem pratiquei nenhum pecado grande”. Mas, será mesmo? Será mesmo que somos boas pessoas?

Jesus quando esteve aqui neste mundo, foi alguém que sempre praticou o bem. Ele amou as pessoas, foi bondoso, generoso e teve muita fé. Cristo veio a este mundo para servir e Ele fez isso da forma mais bela e generosa possível. Seguir o exemplo de Cristo muitas vezes não é fácil pois somos egoístas e pensamos em nós mesmos.

Quantas vezes preferimos comprar uma roupa nova ao invés de doarmos o dinheiro para alguém que necessita? Quantas vezes somos ásperos em nossas palavras e magoamos aquela pessoa que nos ama? Ah, como é difícil fazer o bem. Como parece impossível seguir o exemplo de Cristo. Eu peco, eu erro, eu escolho pecar, eu escolho errar. Às vezes penso que nunca vou conseguir ser uma pessoa melhor e que esse negócio de parecer mais com Cristo e menos com o mundo não é para mim.

Porém, eu me volto para a bíblia (a receita do bolo) e lá eu encontro um Deus que me ama apesar das minhas falhas. Um Deus que sempre está disposto a perdoar os meus pecados. Um Deus que me ajuda a levantar e seguir em frente.

Esse Deus me deixou um consolador quando seu filho voltou para o Céu, o Espírito Santo. O Espírito de Deus é o único que pode me ajudar a plantar em meu coração as sementes do amor, da bondade, caridade, fé. E é o Espírito Santo que irá me ajudar a cuidar dessas sementes para que um dia elas se transformem em frutos.

Eu quero dar bons frutos. Eu estou aqui nesto mundo para servir, assim como Cristo fez. Eu quero amar o meu próximo como a mim mesma e desejo, do fundo do meu coração, que as pessoas possam enxergar o trabalho do Espírito de Deus na minha vida.

Morrer para o mundo e crucificar a carne não é uma tarefa fácil e se eu tentar agir por mim mesma, sei que não terei nenhum sucesso. Eu oro para que o Espírito Santo de Deus habite em mim e use a minha vida para servir aos outros.

Eu quero fazer muitos bolos, bolos deliciosos e quero compartilhar as fatias desses bolos com aqueles que eu amo, aqueles que precisam de uma palavra amiga, aqueles que precisam ser amados. E você, já tem todos os ingredientes para o seu bolo? Você já sabe onde encontrar a receita e também os ingredientes para os seu bolos? Basta pedir a Deus para o Espírito Santo habitar em seu coração e desenvolver o seu caráter, tornando-o uma pessoa melhor. Peça hoje mesmo a Deus por mais amor, paz, fé, paciência e bondade. Cristo está de braços abertos e quer muito transformar a sua vida.

*Danielle Luppi

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Você não era o amor da minha vida. A RESPOSTA.

Você perguntou como estão por aqui, e eu poderia te dizer que estão indo muito bem, mas não seria verdade. Nada está bem desde que você foi embora. Eu sei que o mais correto a se fazer nesses momentos é ocupar a minha vida com algo, um curso novo, um trabalho voluntário, talvez sair sozinho até reconhecer que ter a minha companhia é melhor do que ter a sua. Mas o foda é que eu não consigo me convencer disso, tá difícil não te enxergar nas minimas coisas que faço.

E tudo que eu queria era te esquecer. De uma vez por todas. Mas parece que tudo acontece pra que eu lembre de você. Percebi que você havia me bloqueado das suas redes sociais, talvez seja melhor assim, eu sei. Só não consigo me acostumar com essa distância, porque cada dia que passa, penso que fica mais longe de te alcançar. Não que eu te queira de volta, só que eu não consigo lidar com o fato de que a gente precisou construir um muro entre nós pra não nos machucarmos mais. E isso dói, sabe? Dói saber que não precisava acabar assim.

Dia desses entrei no facebook e a primeira coisa que me aparece é um desse textos que falam sobre sentimento de um jeito que soca o peito da gente, sabe?

O texto falava que não tem como esquecer alguém que marcou a nossa vida. E eu sei disso, talvez esse seja o motivo por doer tanto ainda. Eu sei que não tem como esquecer alguém que esteve tanto tempo ao nosso lado, nos piores e melhores momentos. Não tem como esquecer porque não tem como apagar da memória. Aconteceu, está lá.

Não existe uma formula mágica que a gente toma e pronto, esqueceu! Não tem como acordar numa segunda-feira e dizer: ”passou, superei”. O que resta é aprender a conviver com a dor do fim, é se acostumar com a partida até que ela pare de doer. Eu sei que não há volta, e compreendo também que não precisa, nem existe razão pra ter.

Mas não tem como esquecer. A gente só segue porque é a unica escolha que a vida nos dá. Mas esquecer mesmo, não tem como. Superar é seguir em frente.

Portanto, essa é a minha resposta pra você. Estou indo.

*Iandê Albuquerque

terça-feira, 8 de maio de 2018

Não saber seu próprio valor, pode lhe custar muito caro.

Talvez algumas dores da infância, originadas por momentos difíceis, tenham feito você se distanciar da sua grandeza e acreditar que está só, mas isso é ilusão!

Talvez as pessoas tenham lhe dito que não é bom o suficiente, ou tenham feito você se sentir sem importância para o mundo, mas elas estavam erradas.

Talvez um terrível vento possa ter derrubado sua vontade de viver e batido as portas do seu coração. Mas ele ainda palpita no seu peito. Talvez você tenha perdido algo, ou alguém. Talvez você esteja lutando contra alguma injustiça ou enfermidade. Talvez você tenha recebido uma rasteira da vida, uma punhalada pelas costas.

Mas seja qual for o momento que esteja vivendo agora, sinta que está desempenhando seu papel nesse mundo. A razão de um tombo não é a dor, mas o aprender a ter forças para levantar e sacudir a poeira sem jamais desistir de seguir adiante.Você já está há muito tempo olhando para fora de si. Sem perceber que cada um carrega sua missão dentro do próprio coração. Você já nasceu especial, simplesmente por ser quem é. Porém, há ainda muito o que viver, muito a ser feito! Por isso, chegou a hora de olhar no espelho e enxergar a luz da sua alma.

Há anos atrás, você escolheu vir a esta vida para fazer algo grandioso e viver muitas experiências. Você sabia que não seria fácil e, às vezes, até difícil demais. Mas, mesmo assim, você se comprometeu a fazer por amor. Por isso, no momento que lamenta por estar aqui, esquece o quanto você é divino. É o medo que faz com que você não se dê conta da sua grandeza. A ansiedade o impede de sentir que existe alguém guiando os seus passos.

Mas é hora de parar de esperar pelos acontecimentos, você não veio a essa vida para ser expectador, veio para deixar sua marca. Chegou a hora de tirar a importância do medo. De amar. De conquistar o seu próprio mundo.

Chegou a hora de soltar as amarras da sua capacidade, libertar seu coração de um inverno rigoroso e amar como se fosse o último dia de seus amores, da sua vida!

Volte-se para o seu interior. Dentro de você está tudo que precisa para ser brilhante. Chegou a hora de mostrar o seu valor, de espalhar sua grandiosidade pelo mundo. As pessoas não o reconhecerão, porque não fazem ideia das maravilhas que você esconde dentro de si.

Ouça o cintilar dos movimentos do Universo. Você é inspiração! Você é escudo! Seja um propagador de amor, escute o fluxo da vida chamando seu nome e rogando para você libertar a luz que existe no seu peito. Viva o amor sem medo. Tenha orgulho de você e coragem de ser seu eu completo. Seja grato pelo privilégio de estar aqui e agora. Todos os seus feitos serão importantes para o mundo e os anjos irão olhar para você com admiração.

Você foi criado para realizar algo grandioso. Algo que irá alterar o curso do universo para sempre. É hora de assumir essa responsabilidade. Deixe sua alma florescer! Você é único e muito especial. Logo essa jornada chegará ao fim. Por isso, ame! A si, aos outros. E, principalmente, viva a vida, sem ter medo de transformar o mundo.

Porque, afinal, foi por isso que você está aqui, para fazer a diferença. E esta é única coisa que falta para você brilhar: entender que nasceu capaz de ser uma pessoa maravilhosa…

*Por Luciano Cazz

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Se me faz sofrer, por que então insisto?

Lancei essa pergunta outro dia nas minhas redes sociais: “Se te faz sofrer, por que insiste?”. E parece incrível, mas todos sabiam do que eu estava falando.
Todos já insistiram ou insistem em algo que traz sofrimento, que faz mal, que não faz feliz. Mas por que?
Ouvi gente dizer que as pessoas são tolas por insistirem em algo que já deixou de dar certo e que só proporciona dor. Uma tolice, talvez, assim do nada, de quem diz amar muito. Mas seria mesmo isso o amor? Uma visão distorcida dos acontecimentos, um sacrifício?
É, porque, insistir em algo que faz sofrer sempre me soa como sacrifício (ou tolice mesmo!). Você não é feliz, não está feliz, e ainda assim implora por algo que o outro não tem para lhe oferecer. Será isso amor?
Pergunto, já que ouvi pessoas dizendo que, por amarem demais, sujeitam-se a tudo o que não gostariam por se julgarem bem da forma como estão. É possível alguém estar bem, vivendo uma vida de sofrimento por vontade própria? Por acreditar que aquilo é sim o melhor para ela?
Se me corta a carne, se me faz sangrar, se me perco em noites soluçando de chorar, por que ainda insisto?
Não vou dizer que isso é amor. Ah, claro que não é! Quem tem o amor como uma forma clara e lúcida de sentimento, sabe que ele não gera sofrimento, nossos condicionamentos, nossas emoções e nossos pensamentos doentios é que geram sofrimento. Amor não. Amor traz paz, alegria, desapego, liberdade. Amor não aprisiona e, no mais, nos traz a consciência do que é melhor para nós.
Por isso digo que, se insistimos em algo que nos causa dor, não é porque somos tolos, burros, asnos. Nada disso. É porque somos cegos. Sim! Cegos! Coração cego pela própria emoção, pelo próprio desejo doentio que não consegue enxergar e nem compreender que tal situação a causa dor, porque ela precisa dessa dor para viver, como se, a sua vida não tivesse sentido se não fosse sofrendo. Olha que loucura! Alguém pensar que a vida não teria sentido se não fosse com dor? Chega a ser inacreditável, mas, é a mais pura verdade.
Buscamos o sofrimento, insistimos na dor. Usamos a desculpa que amamos demais ou que o outro uma hora, vai pensar melhor e mudar de ideia.
Enquanto isso, levamos a vida rastejando em busca de algo que não existe, mendigando um sentimento que é seco, frio e impiedoso. Tornamo-nos nada, sendo apenas a criatura que se diz amar demais e que é persistente. Ridiculamente persistente.
Vejam bem, meus amigos. Quando alguém nos diz “não” uma vez pode até ser divertido insistir. Quando nos diz “não” inúmeras vezes, não nos trata com respeito e nos diminui, humilha, rejeita, trai, manipula, não é tão divertido assim. Nunca será divertido insistir no sofrimento, viver na dor.
Você merece mais. Todos merecemos mais, sabia? Merecemos o amor verdadeiro, merecemos o amor por nós mesmos e a confiança de viver cada dia sem a dor que é gerada dia a dia por nossa loucura de acreditar que fizemos a escolha certa e que não temos tempo de consertar as coisas.
Sempre teremos tempo. Se não for para consertar, que seja para escolher por uma vida onde haja menos manipulação, menos apego, menos sofrimento.
Pare para pensar e pergunte-se: ESTOU FELIZ ASSIM? É claro que sua resposta será não, afinal, quem é feliz sofrendo?
Você não precisa viver assim por mais tempo. Não precisa se torturar. Precisa aceitar o NÃO e seguir sua vida para que lado for. Sua vida é valiosa, seus sentimentos também. Não se martirize insistindo no que não se pode mais tocar.
Não existe nada mais lúcido e claro feito o amor. Se há cegueira, com certeza não há amor.

*Cris Souza Fontês

DAR SEM ESPERAR NADA EM TROCA. A ÚNICA E VERDADEIRA DEFINIÇÃO DE GENEROSIDADE

Fazer pelo próximo, simplesmente, pelo bem que isso causa. Vejo muitos se deslumbrando com dinheiro, status, títulos acadêmicos, com núm...