sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Dizer o amor, texto de Ana Jácomo

Se você ama, diga que ama. Não tem essa de não precisar dizer porque o outro já sabe. Se sabe, maravilha, mas esse é um conhecimento que nunca está concluído. Pede inúmeras e ternas atualizações. Economizar amor é avareza. Coisa de quem funciona na frequência da escassez. De quem tem medo de gastar sentimento e lhe faltar depois. É terrível viver contando moedinhas de afeto. Há amor suficiente no universo. Para todo mundo. Não perdemos quando damos: ganhamos juntos. Quando mais a gente faz o amor circular, mais amor a gente tem. Não é lorota. Basta sentir nas interações do dia-a-dia, esse nosso caderno de exercícios.

Se você ama, diga que ama. A gente pode sentir que é amado, mas sempre gosta de ouvir e ouvir e ouvir. É música de qualidade. Tão melodiosa que, muitas vezes, mesmo sem conseguir externar, sentimos vontade de pedir: diz de novo! Dizer não dói, não arranca pedaço, requer poucas palavras e pode caber no intervalo entre uma inspiração e outra, sem brecha para encontrar esconderijo na justificativa de falta de tempo. Sim, dizer, em alguns casos, pode exigir entendimentos prévios com o orgulho, com a bobagem do só-digo-se-o-outro-disser, com a coragem de dissolver uma camada e outra dessas defesas que a gente cria ao longo do caminho e quando percebe mais parecem uma muralha. Essas coisas que, no fim das contas, só servem para nos afastar da vida. De nós mesmos. Do amor.

Se você ama, diga que ama. Diga o seu conforto por saber que aquela vida e a sua vida se olham amorosamente e têm um lugar de encontro. Diga a sua gratidão. O seu contentamento. A festa que acontece em você toda vez que lembra que o outro existe. E se for muito difícil dizer com palavras, diga de outras maneiras que também possam ser ouvidas. Prepare surpresas. Borde delicadezas no tecido áspero das horas. Reinaugure gestos de companheirismo. Mas, não deixe para depois. Depois é um tempo sempre duvidoso. Depois é distante daqui. Depois é sei lá.


*A Soma de Todos Afetos

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Deus se importa com os seus sonhos

Não deixe de sonhar e acreditar. Às vezes tudo parece distante demais de uma realização. Mas não é. Às vezes precisamos ter mais paciência e saber esperar o tempo certo de cada coisa acontecer. Por mais difícil que seja precisamos entender que tentar apressar as coisas ou pegar atalhos não nos leva onde desejamos chegar. A maioria das pessoas param no meio do caminho e desistem nas primeiras tentativas frustradas.

O caminho às vezes (quase sempre) é longo e exige fé. Muita fé. Eu tenho muitos sonhos. Por vezes encosto a cabeça no travesseiro e penso não ser possível. Sabe quando você fica imaginando? Mas sabe, Deus não colocaria desejos e sonhos em meu coração impossíveis de serem realizados. Não importa o tempo que leve eu sei que Ele escuta e sabe, de tudo. Isso me dá paz. A fé tem essa coisa bonita de nos devolver a esperança e eu gosto disso, porque às vezes, tudo é sombrio demais. Então, não deixe de acreditar. Não sei o que você pede ou o que você sonha alcançar. Pode não ter dado certo ontem, hoje ou até amanhã. Mas vai dar certo em algum momento se você continuar tentando e acreditando. Sonhos são possíveis e quando entregues nas mãos de Deus tornam-se reais. Acredite.

Thamilly Rozendo

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

Não se misture com quem você não seria

Adultos não deveriam se importar com a opinião alheia, nem ter necessidade extrema de serem aceitos. Adultos deveriam bastar-se sozinhos, rir de si mesmos, preferir ter paz a ter razão. Isso seria maturidade. Isso deveria ser a meta de todos nós. Para tanto, não devemos jamais nos misturar com pessoas que não se afinam com nossas verdades, com nossas visões de mundo. Não se misture.

Não se misture com quem faz piadinhas desagradáveis sobre você, rindo amigavelmente na sua frente e, muito provavelmente, continuando a sorrir com desprezo na sua ausência. Com gente que desconhece limites entre humor e ofensa, que ironiza assuntos sérios, subestimando a vida de qualquer um que passe por perto.

Não se misture com quem não ouve, nunca escuta, apenas sabe falar sobre si mesmo. Com gente cuja própria vida é o único foco de suas conversas, que se acha melhor do que todos, até mesmo diminuindo o outro para se sentir mais importante.

Não se misture com quem é frio, insensível, com quem não se abala com a dor de ninguém. Com gente que não consegue se colocar no lugar do outro, que sempre acusa as pessoas de serem culpadas por suas próprias misérias, que nunca será capaz de admitir que erra, que machuca, que é minimamente humano.

Não se misture com quem não torce por você, com quem nunca recebe seus sonhos sorrindo, com quem subestima tudo o que você é. Com gente que espera sua derrota, que aguarda seu vacilo, que tem certeza de sua queda. Gente que jamais será capaz de comemorar suas vitórias com verdade.
Não se misture com quem não tem capacidade de amar, de se doar, de compartilhar. Com gente que só quer receber, ganhar, ser o centro do universo. Gente que não sai do círculo do próprio umbigo, não estende a mão, não oferece ajuda, não se importa com o que não está dentro de si.

Estaremos bem e felizes quando conseguirmos viver o que mora em nossos corações, sem precisar fingir perto dos outros. Fato é que não necessitamos de máscaras quando nos encontramos em nosso meio, junto a nossa gente, ao que vibra em sintonia com nossa alma. Ninguém merece sufocar sua essência perto dos outros. Não se misture com quem sufoca, nem se for para ficar na melhor companhia do mundo: somente com você mesmo.


*Marcel Camargo

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

SEJA SEMPRE O MELHOR QUE PUDER. O MUNDO ESTÁ FRIO DEMAIS

Seja gentil mesmo quando estiver cansado. Seja compreensivo mesmo quando sentir raiva. Se controlar na hora da raiva pode te economizar anos de arrependimento.

Faça mais do que somente a sua obrigação. E nunca, nunca faça nada esperando algo em retorno.

Coloca na conta da vida, porque o acerto final será justo.

Respeite a todos, inclusive aqueles que você acha que não merecem seu respeito, afinal, isso nada tem a ver com o caráter deles, mas, sim, com o seu.

Cada um oferece o que transborda no coração.

Sempre que falo sobre dar o  melhor sempre, algumas pessoas questionam e dizem que na teoria tudo é fácil, mas, que praticar isso é quase impossível.

Concordo, porém eu fico com o quase, que me dá a possibilidade de tornar isso possível, sim. Um dos nossos maiores desafios é dar sem esperar nada em troca. É amar e respeitar quem não merece ( ou achamos não merecer), porque toda opinião tem uma perspectiva diferente embutida e, consequentemente, nem todos irão concordar ou pensar da mesma maneira. Por isso, se você achar que alguém merece ou não, não é certificado de verdade absoluta. O que precisamos é de equilíbrio, ser bom, mas não ser idiota, fazer o bem sem olhar a quem, mas sempre respeitando o nosso espaço e nossos limites. E tudo isso somente por compaixão à vida e por respeito a todos as criaturas. Por nós, pelo nosso caráter, pela nossa verdade. E não porque é bonitinho ou politicamente correto, entende ?


Ninguém  dá o que não tem, ou nunca teve. Leve isso em consideração, quando tiver que lidar com pessoas “difíceis”. Alguém que só conhece desrespeito, agressões, preconceito, desvalorização e desamor vai tirar de onde os sentimentos bons? Aí alguns rebatem: “Todos têm conflitos e isso não é problema meu”. E tudo bem pensar assim, temos todos o livre arbítrio e a escolha de não se importar. Mas, se você, assim como eu, é do time daqueles que se importam, e que já sentiram na pele a dor do descaso, saiba que você, eu, nós, podemos fazer a diferença.  Imagina se essas pessoas que não têm nada de bom para dar passarem a receber amor, respeito e compaixão. Será que em determinado momento, elas não poderão passar isso adiante? Será que não é possível criar uma reação em cadeia de coisas boas, de sentimentos bons ?

Não sei, mas prefiro continuar sonhando e acreditando que sim!

Digo e repito, é sobre quem somos, sobre nosso caráter e não o dos outros. Então, se puder dar seu melhor, não hesite. Se tiver a oportunidade de ser melhor, não a desperdice. O mundo anda frio  demais, e todos precisamos de um pouquinho mais de esforço e vontade para deixar ele mais quentinho de amor, de respeito e de compaixão! Se puder e quiser, faça sua parte. A vida agradece.


*Wandy Luz

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

AS CRISES SÃO TERRENOS FÉRTEIS PARA NOVAS OPORTUNIDADES

As nossas crises escondem tesouros, pode ter certeza. Aquilo que, num primeiro momento, se assemelha a um desmoronamento, sempre traz, em meio aos “escombros”, excelentes oportunidades de recomeço e de redescoberta. Uma crise nunca se instala do nada, ela é o sinalizador de que algo em sua vida está fora do eixo.

Um casamento infeliz, uma depressão, uma insatisfação crônica com o trabalho, ou  os conflitos relacionais como um todo, trazem verdades que precisam ser encaradas. No geral, chegamos ao auge da crise ou fundo de poço, justamente, por tentarmos ignorar aquilo que grita aos quatro cantos da nossa alma.


Ocorre que costumamos fazer cara de paisagem para aquilo que tanto incomoda. Afinal de contas, quem disse que é fácil encarar os problemas de frente? A gente tenta driblá-los, nos esforçamos para empurrá-los com a barriga e vamos seguindo empurrando o lixo para debaixo do tapete da nossa existência. Acontece que tudo tem o seu limite, então, só podemos empurrar o lixo até onde há espaço embaixo do tapete. Chegará uma  hora que não será possível empurrar mais nada, nem uma folha sequer. O espaço para o “faz de conta” estará abarrotado, então, seremos forçados a encarar toda aquela tranqueira de frente.

A hora do confronto vai acontecer, uma hora ou outra. Chegará um momento em que você vai ter que olhar no olho desse relacionamento que está praticamente o sepultando em vida. Você terá que dar um jeito nele. Seja convidando o parceiro para irem em busca de ajuda para ver a possibilidade de uma reconstrução,  seja optando pela ruptura dessa aliança que mais parece uma forca. O que não vai dar é para você continuar se fazendo de desentendido enquanto a sua felicidade e sua saúde emocional descambam para o abismo.


Há casos em que é necessário parar de viver  arrumando atestado médico e encarar o real motivo de tanto da esquiva do trabalho. Será que  você não fez uma escolha profissional equivocada? Será que aquela faculdade que você cursou ou está cursando o seduz de verdade? Pois é, se fez uma escolha desconsiderando as suas próprias motivações, a fatura da insatisfação vai chegar, é só uma questão de tempo. E a insatisfação, quando ignorada, tende a evoluir para doenças emocionais e/ou físicas. Sim, as nossas emoções silenciadas ou mal administradas  sempre dão um jeito de se manifestar. Seja por meio de uma enxaqueca, de uma insônia crônica… uma depressão. Emoções reprimidas viram sintomas.

Contudo, precisamos estar atentos ao que sentimos, precisamos olhar com muito interesse o nosso caos. Quando a desordem se instala, não podemos encará-la como uma derrota, e, sim, como algo que necessita de uma intervenção urgente. É o sinal de alerta de que aquela situação não está em harmonia com o nosso propósito de vida. Será o momento de buscar um novo rumo. Geralmente, quem se  dispõe a olhar com empatia os próprios desacertos, costuma encontrar, naquele cenário desolador, excelentes oportunidades de recomeço.


Lógico que as coisas não acontecem num passe de mágica, não é fácil abrir mão de algumas escolhas por mais desconforto que elas nos causem. Mas, as novas possibilidades estão sempre ali, nos acenando em meio àquele turbilhão de sentimentos.

O problema é que somos medrosos demais. Estamos sempre atentos às opiniões externas, e o que é pior, opiniões de pessoas que nem se importam com a gente, muitas vezes. Temos uma grande dificuldade em nos silenciar para os barulhos de fora, e, com isso,  acabamos ignorando aquilo que  fala tão forte à nossa alma.

Eu sei do que estou afirmando. Foi em meio à crise do meu casamento que decidi cursar a faculdade de Psicologia, uma grande paixão desde os tempos da puberdade. E, foi com o divórcio que me dedique à escrita, minha paixão visceral. E sei que é um caminho sem volta, me sinto abraçada por minhas vocações. Sigo, apaixonadamente, a minha estrada com aquela sensação de ter me encontrado na vida, finalmente.


Olho para trás e agradeço por tudo o que deu errado, afinal, não fossem os meus desacertos, eu não estaria vivendo essa satisfação indescritível de dar vida àquilo que  nasceu comigo. Exercer  os meus dons e as minhas habilidades me dão a certeza de que a minha vida está fazendo sentido. Essas oportunidades surgiram em meio ao caos,  não nasceram em tempos de paz.


*Ivonete Rosa

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

EXISTE MUITO AMOR EM MEIO À ROTINA, MUITOS PERCEBEM TARDE DEMAIS

Certamente, todo mundo já ouviu ou já pronunciou, ainda que em pensamento, a frase “eu era tão feliz e não sabia!”. Sendo mais específica, vou abordar o contexto dos relacionamentos amorosos. Não raro, concebemos a ideia de que o amor que vale a pena é aquele cheio de intensidade, frio na barriga e adrenalina. Lógico que isso é maravilhoso, mas vale lembrar que esses sintomas são comuns nas fases iniciais dos relacionamentos. Não que eles desapareçam no decorrer do vínculo, contudo, eles vão se abrandando com a convivência.

Muitos se sentem profundamente desconfortáveis  diante dessa mudança de fase,  optando pelo término do vínculo. Eles sentem a falta dos sintomas iniciais que a paixão causa, porque, de fato, eles são viciantes e nos entorpecem. Ocorre que muitas pessoas não se dão conta de que, na verdade, aqueles sintomas foram substituídos por outros imprescindíveis para que duas pessoas se deem bem: a amizade, a liberdade de se mostrar sem formalidades, a espontaneidade, o conforto da intimidade sem reservas e a cumplicidade.

Muitas pessoas se separam acreditando que o namoro ou casamento perdeu a graça, daí, quando se percebem distante daquele convívio, se dão conta de que, o tempo todo, o amor esteve presente, mas não era percebido com clareza porque ele, o amor, é sutil. O amor é brisa, o oposto da paixão que é vendaval. Então, distante daquele parceiro, vai se dar conta de que o amor era exatamente aquele aconchego gostoso enquanto assistiam um filme num domingo à tarde, dentro de um pijama. O amor se escondia nos risos e bagunças que as crianças faziam pela casa. O amor se maquiava de bolo e café com leite no meio da tarde, na mesa da cozinha. Sim, a roupa predileta do amor é a simplicidade.

De longe, com o coração estraçalhado de saudades, vai perceber que  amor estava escondido naquela ida da família ao supermercado, e que se misturava às bagagens daquela viagem que aconteceu após 5 anos de crise financeira. O amor era o principal tempero do almoço de domingo daquela família. O amor era aquela rotina de chegar em casa e ser recebido pelo cachorro eufórico, enquanto uma criança fazia o seu dever de casa na escrivaninha da copa. Tudo aquilo era amor, tudo aquilo era uma riqueza imensurável.

Preste muita atenção em seu relacionamento, se disponha a perceber as riquezas que ele te proporciona. Exercite a gratidão pelo seu parceiro, família e rotina de vocês. Não espere perder tudo isso para dar valor, não se iluda acreditando que exista relacionamento perfeito. E lembre-se, toda novidade, com o passar do tempo vira rotina e, toda rotina tem a sua beleza.


*Ivonete Rosa

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

DAR SEM ESPERAR NADA EM TROCA. A ÚNICA E VERDADEIRA DEFINIÇÃO DE GENEROSIDADE

Fazer pelo próximo, simplesmente, pelo bem que isso causa.

Vejo muitos se deslumbrando com dinheiro, status, títulos acadêmicos, com número de seguidores ou curtidas, mas se esquecem de valorizar o que é primordial ao homem: a gentileza, a humildade, a integridade e a generosidade.

De nada adianta ser rico, se o espírito for pobre. Dinheiro compra quase tudo. E entre esse quase e o tudo, existe um espaço onde mora a verdadeira felicidade, o amor, e o respeito.

Um homem generoso sempre prosperará. Porque aquele que matar a sede dos outros, sempre terá alguém para matar a sua própria sede.

Um coração que distribui amor sem moderação bate mais forte, e vive mais feliz.

Um ato de gentileza pode tocar em feridas que apenas a compaixão pode curar.

E o mais importante é nunca se arrepender de ser ou ter sido uma pessoa boa. Independente de como os outros retribuirão. Porque o seu comportamento diz tudo sobre você. E o comportamento dos outros, bom, não nos cabe julgar.

A gentileza, e a generosidade são gratuitas e não devem nunca ser jogadas na cara de quem as recebeu porque a vida é um eco.

Recebemos o que damos, e os sentimentos que enviamos aos outros retornam em dobro para e nós, e vice versa.

Se existe uma maneira de retribuirmos o bem que a vida (ou alguém) nos faz, é através da gratidão, e da propagação de mais coisas boas.

Quando concentramos nosso foco no bem, o bem fica ainda melhor.

Uma vela nada perde ao acender outra vela, muito pelo contrário, ela coopera para que a escuridão seja cada vez mais tomada pela luz.

Quanto mais levantamos os outros, mais alto subimos.

Para resumir, não se trata do quanto damos ou fazemos pelos outros, mas sim do amor que colocamos em cada ato de gentileza e generosidade que nasce no coração e se transforma em realidade.



*Wandy Luz

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

TODAS AS PESSOAS QUE ATRAVESSAM O NOSSO CAMINHO, O FAZEM POR ALGUM MOTIVO

Todas as pessoas que atravessam o  nosso caminho, o fazem por algum motivo. Algumas amamos, outras afastamos, outras nos ensinam muito no quesito, amizade,  carinho, respeito e consideração.

Há aquelas que nos buscam na berlinda, ali, no estágio final e,  sem dizerem absolutamente nada, nos encaminham à cura, por vezes, dolorosa do tempo.

Pessoas que se tornam especiais dentro de nós, fazendo-nos sentir a vida pelo lado mais humano e menos sombrio. São espíritos de luz que simpatizam, ficam e se fazem presente em nosso caminho, por vezes, inverso, meio desconexo, cheio de dúvidas e questionamentos.

São pessoas que nos fazem sorrir meio bobo, sorrisos apaixonados, quase pueris. Pessoas que nos ampliam e nos mostram o caminho do simples, da gratidão, do bem-querer.

Por isso existem pessoas estrelas e pessoas cometas. Eu ainda gosto de admirar as que ganham seu espaço sem conturbar o espaço de ninguém. Pessoas que têm brilho próprio e emanam sua simpatia através da empatia que criam com outro ser.

Talvez essas pessoas sejam escolhidas por Deus para nos trazer asas, sonhos, para nos trazer leveza, sem agourar o que somos ou o que possuímos.

Que sejam o suficiente em nossa vida, afinal, ninguém precisa de um maracanã lotado de gente que apenas tem curiosidade em nós, apenas tem interesse em saber se nos demos bem ou não.

Prefiro tocar as estrelas e alcançar em cada uma delas a visão da amizade e do companheirismo.

Graças a Deus, eu aprendi a descobrir durante minha trajetória que, se pessoas por algum motivo fecharam a porta, é porque havia algo melhor e mais cheio de vida do lado de fora esperando por mim.

Precisamos aprender a sentir falta de quem nos deu mais que saudade, afeto, gentilezas e coincidências do destino.

São pessoas que o tempo não leva de nós porque onde quer que estejam neste momento, elas fazem parte do nosso trajeto e da nossa história de um jeito bonito.


*Sil Guidorizzi

UMA DERROTA NÃO É O FIM DO CAMINHO, É O MEIO. TODO VENCEDOR FOI, ANTES, UM COMPETIDOR QUE NÃO DESISTIU.

Não! Não é fácil correr atrás do pão nosso de cada dia, quanto mais de um sonho grande e distante. Requer muita energia e força de vontade, porque, geralmente, chegar onde a gente quer nos leva a percorrer um caminho muito mais longo e difícil do que imaginávamos. Mas, para a vida ter sentido é fundamental jamais desistir, porque esse desejo de conquistar algo é, na verdade, o universo nos revelando o nosso destino.

Por isso, para que sua missão nesse mundo se cumpra, você não pode deixar que esses 8 tipos de empecilhos façam você parar no meio do caminho:

Obstáculos

Não importam quantos obstáculos existam a sua frente. Eles estão ali para serem superados. Você pode! Se precisar, se prepare para eles, mas não desista. Vença cada um como se fosse único. E quanto mais dificuldades você superar, mais emocionante e valorosa será a sua vitória.

Cansaço Físico

Às vezes nosso corpo pede um tempo. Viramos noites, treinamos demais. Às vezes, trabalhamos mais de 16 horas por dia. Não há ser humano que resista a uma sobrecarga tão grande. Mas é apenas um período que logo passa. A maré acalma e você poderá velejar em paz e feliz. Não se entregue.

Pessoas

Muitas pessoas irão desencorajar seus sonhos. Vão dizer que é muito difícil, que levará muito tempo. Outras, ao invés de ajudar, irão criar dificuldades e tentar impedir que você siga adiante. Algumas lhe darão uma rasteira, mesmo. Use-as como estímulo para nunca desistir. A vitória terá um gostinho mais especial quando tiver de encará-las.

Eventos opostos

Você deixou o porto com um dia lindo e logo o tempo vira, o vento sopra ao contrário, as ondas levam o barco em direção oposta e o leme quebrou. Não desista! Faz parte! Espere a tempestade passar e retome seu rumo sem perder a ânimo. Você tem a vida inteira para chegar lá. Aproveite o caminho.

O impossível

Você quer ir onde ninguém chegou. Criar algo que nunca foi pensado. Achar a cura para uma doença. Morar do outro lado do mundo. Não importa o que seja, se você deseja algo e existe um meio, é possível sim. “Sem saber que era impossível, ele foi lá e fez”

Exaustão emocional

Às vezes, a gente cansa de lutar. É muito sofrimento. A gente se frustra, se sente um nada por perder mais uma batalha. A vontade é de jogar a toalha e desistir. Escolher a opção mais cômoda e pacata não exige muito da gente, mas também nos deixa morto em vida. Quando estiver destruído emocionalmente, dê-se um tempo para se recuperar sem jamais perder sua fé.

Tempo que vai levar.

Não importa o quanto vai demorar para conquistar seu sonho, o tempo vai passar de qualquer forma. Melhor morrer tentando do que desperdiçar uma vida na infelicidade.

Injustiças do mundo

Você verá muita gente pegando um atalho que não requer caráter. Testemunhará também os piores levando a melhor na malandragem ou se corrompendo para ter aquilo que você luta arduamente para conseguir de forma honesta. Jamais acredite que você está no caminho errado porque é o mais difícil. Pessoas de índole duvidosa esquecem que o universo tudo vê.

A matemática não parece justa, porque para se alcançar apenas uma vitória, são necessárias dezenas de derrotas, mas quando a gente chega lá, entende que o peso dessa vitória dentro do coração é muito maior que todas as derrotas juntas.

E mesmo quando tudo estiver muito difícil ainda acredite em milagres. A vida tem um doce jeito de surpreender e nos levantar. É só persistir com seriedade e muita dedicação, melhor, devoção. E, então, acredite que o universo irá conspirar a seu favor e lhe conduzir magistralmente até onde você quer e merece chegar!


*Luciano Cazz

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

PARE DE ABRAÇAR O QUE TE FAZ INFELIZ

Um abraço é algo tão poderoso que chega a tomar para a gente, ainda que por alguns segundos, o quê ou a quem está sendo abraçado. Um abraço é um sinal de pertencimento, ainda que temporário. Pode ser no sentido relativo ou no figurado, mas sempre é sinal de aproximação e de identificação.

Ao abraçarmos uma pessoa, estamos absorvendo a energia, o calor que essa pessoa carrega consigo; estamos próximos, coração a coração.  Ao abraçarmos uma causa, seja ela de que tipo for, estamos assumindo para nós os riscos e responsabilidades que essa causa representa.

Isso posto, aqui vai um alerta: cuidado com o que você abraça. Muito cuidado, porque nem tudo te faz bem e nem todos estão ao seu favor. Algumas coisas têm grande probabilidade de ser uma má influência para sua vida.

As pessoas pessimistas, imaturas demais ou com tendência à falsidade; pessoas que não querem o seu bem na mesma proporção em que você deseja isso a elas. Fuja desses abraços-jiboia, porque irão te sufocar.

Tenha coragem de se desvencilhar e para não estender seus braços em direção ao que vai te fazer sofrer. Aceite pessoas que queiram te oferecer algo de bom ou que estejam sentindo essa mesma necessidade. Infelizmente, nem todos os abraços são sinceros. E à definição de abraço, somam-se conversas, desabafos, ombro amigo. Nem todos os braços que se abrem em nossa direção querem o nosso bem.

Da mesma forma, dedique-se aos projetos que vão te fazer  uma pessoa melhor. Abrace projetos que te farão sentir uma pessoa especial, sortuda, realizada. Afaste-se de ações que sejam ilícitas, imorais ou que possam manchar sua conduta como pessoa de bem. Não se abra nem se enlace a esse tipo de ação. Acolha em seus braços a solidariedade, a amizade sincera, a cordialidade. Esses valores têm estado cada vez mais ausentes.

Em sinal contrário, solte toda carga negativa que foi abraçada nos últimos tempos, estando elas em seu peito ou já presas às suas costas. É necessário se libertar de todos os sentimentos e gestos destrutivos e prejudiciais que, por descuido ou imprudência, estejam imobilizando você. Eles são abraços venenosos.

Escolha com atenção e sabedoria. Não se atrele a nada que não vai te acrescentar nem enriquecer como pessoa.

É importante compreender que as mudanças mais consistentes são realizadas com tempo e não da noite para o dia. É pelo uso do discernimento e das experiências adquiridas com erros e acertos que se aprende a selecionar o que realmente é bom para cada pessoa. E a partir disso, decidir para onde direcionar os braços e onde depositar afeto e consideração. As opções e opiniões são sempre individuais.

Mas tenha uma coisa em mente: misture-se apenas ao que vai te fazer feliz. Porque a infelicidade tem abraço de urso e depois que a gente se deixa agarrar é sempre difícil sair do seu aperto.



*Alessandra Piassarollo

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

POR VEZES, FICO PENSANDO ONDE DESACREDITEI, ONDE TENTEI, ONDE ESPEREI DEMAIS.

Por vezes, fico pensando onde desacreditei, onde tentei, onde esperei demais. Volto a fita tentando entender o caminho e as coisas que tive que aprender a superar, mesmo com medo ou com algum desespero movido pela distância e saudade de quem também amei; pelas noites em que só quis um amor de verdade e um olhar mais zeloso ao meu redor. Por vezes, sinto-me como se tivesse sido escolhida entre tantas pessoas para aprender a não se curvar tanto a não morrer pelas coisas que ressecaram com o tempo, dando-me, através de suas respostas, o que precisava para aprender a não confiar demais ou sentir como se tudo desabasse sobre mim. Por vezes, eu ando como uma verdadeira peregrina distanciando e silenciando de quem ofendeu o lado que não viu, sem se preocupar com as dores que por vezes carreguei.

Hoje eu vivo a vida que preciso e não preciso de ninguém que me repreenda que me ignore  ou que ache que não sou nada.

Sou valente o suficiente para dar a cara para bater e não baixo o nível por qualquer motivo. Minha elegância vem das coisas que penso e não digo, vem de não querer me igualar na imoralidade ou desprezo de ninguém. Vem da minha própria sinceridade em acolher o que sou e não mais deixar que me confundam com alguém que tem que se contentar com as sobras porque eu mereço mais do que isso. Não nasci pra ser tapete, não vivi para ser deixada em algum exílio ou ser tratada como opção.

Paz é abrigo, é onde o coração coabita. É onde aprendi a desistir de muita coisa e insistir mais na minha inteligência emocional e na minha cura interna.

Alguns cacos juntei, outros sentimentos dispensei. Nem sempre tudo foi tão claro assim. Mas hoje vejo tudo de outra maneira e refresco a memória quando sinto que é preciso me libertar dos excessos e da falta de presença. Pobre de quem só vê riqueza no que ostenta. Deus é minha grandeza, meu escudo, minha morada de luz. Foi nessa fé que aprendi a me orientar, crescer e manter a alma longe do atrito que não faz o caminho ser melhor. Não ligo para as marcas do tempo, porque ele me fez ver o que fiz até aqui. A alma também vive de euforia, de alegria, de proximidade. Por dentro é que precisa haver reparo. Caso contrário, tudo morre tudo se apaga, tudo envelhece de verdade.

Vivo dentro desse tempo, curando, agradecendo, buscando, me resolvendo.

Cada um precisa aprender a reconhecer seus próprios erros e a cuidar mais de si. Não sei o tempo que disponho, mas também não nado mais no raso e não me abandono. O que não volta mais, que descanse em paz.  Algumas coisas foram feitas para encantar os dias e, às vezes, nos esquecemos disso. É preciso tentar viver o raro, porque quem coloca em nós preço e prazo de validade é porque ainda não aprendeu a cativar o simples.

*Sil Guidorizzi

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

APRENDA A SE IMPOR

Na vida, no amor, nas amizades e até mesmo com sua família.

Espaços existem para serem respeitados, e, onde termina o seu começa o do outro.

Relevar é importante, porque levar a vida a pau e pedra não é saudável. Mas deixar que as pessoas nos façam de gato e sapato também não é o caminho.

Precisamos estabelecer limites em todos os nossos relacionamentos interpessoais.

Se impor com respeito e sem agressividade é quase uma necessidade.

Devemos nos doar sim, fazer o bem sem olhar a quem, mas não podemos esquecer de filtrar tudo aquilo que não nos faz bem também.

Amizades, relacionamentos que sugam, que se aproveitam da nossa boa vontade, não nos fazem bem porque é necessário que exista mutualidade.

Em tudo e para tudo nessa vida, devemos almejar o equilíbrio.

Até mesmo a nossa família precisa respeitar nossas vontades, nossas decisões, e nosso espaço. E, às vezes, temos que ensinar as pessoas como queremos e gostaríamos de ser tratados.

E isso nada mais é do que amor próprio e auto respeito. Afinal tudo começa a partir de como nos vemos e nos tratamos.

Se aprendemos a nos amar, respeitar e cuidar de todos os aspectos de nossa saúde mental, física e espiritual, trataremos os outros da mesma maneira,

com amor, respeito e compaixão.

Então não podemos permitir que nossa bondade, gentileza e generosidade, sejam confundidas com fraqueza e submissão às decisões, opiniões e vontades alheias.


*Wandy Luz

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

QUEM OLHA A VIDA PELO RETROVISOR, ACABA ATROPELANDO AS OPORTUNIDADES.

Você precisa fazer as pazes com o seu passado, de uma vez por todas. Eu sei que você carrega muitos arrependimentos, por coisas que você fez, e, principalmente, pelo o que deixou de fazer. Provavelmente, você se arrepende dos incontáveis “nãos” que deixou de dizer, apesar de ter  sentido muita vontade de tê-los ditos em alto e bom tom. É fato que aqueles “sins” que dizemos apenas da boca pra fora atormentam  a nossa paz, é como se a nossa alma nos acusasse de traição, com toda a razão.

Pois é, não sei, ao certo, o que mais tem roubado a sua paz em se tratando daquilo que ocorreu lá no passado. Talvez seja um amor que  você não teve atitude suficiente para vivê-lo, apesar de tê-lo desejado de forma tão visceral. Quem sabe, você teve receio de enfrentar a sua família que se opunha; ou, quem sabe, você foi vítima do seu próprio preconceito e, hoje, olha pra trás e sente-se profundamente inconformado. Só para ilustrar, eu já ouvi um desabafo de um senhor que disse ter sido apaixonado por uma moça na juventude, porém, optou por abrir mão porque ela  tinha um filho e a família dele idealizava que ele se casasse com uma moça virgem. O amor era recíproco e ambos sofreram demais pela ruptura. Ele casou-se com outra moça, mas nunca esqueceu aquela paixão a quem ele disse “não” por pura covardia.

Por todos os  lados, encontraremos pessoas cheias de “e se”.  São aquelas pessoas que, por alguma razão, não deram vazão ao próprio querer nas decisões  mais importantes das suas vidas. Só para ilustrar: conheço um padre que não gostaria de ser padre, porém, usa uma batina em obediência a uma promessa que sua mãe fizera durante o parto dele. Ele já me disse que se arrependeu de ter cedido aos anseios da mãe, contudo, a essas alturas, sente-se incapaz de frustrar a memória dela.

Existem pessoas exercendo uma profissão que alguém escolheu para elas, existem relacionamentos arranjados, nos quais a “união” se deu porque alguém entendeu que eles dariam certo. Existem mulheres que não têm uma profissão porque cederam à pressão do marido e optaram por sepultar os sonhos da realização profissional. Longe de mim julgar  aquelas mulheres que optaram por se dedicar apenas à família, desde que elas estejam felizes. Me refiro àquelas mulheres que fizeram essa escolha por pressão externa e que, consequentemente, estão muito insatisfeitas.



Uma das piores sensações para uma pessoa é  perceber que ela não é a  responsável pelas próprias escolhas. Essas situações agem como um verdadeiro trator sobre a autoestima do indivíduo, podendo levá-lo  a um profundo sofrimento psíquico, sendo inclusive um gatilho para doenças emocionais como a depressão. Afinal, como ser feliz e, emocionalmente saudável, tendo a consciência de que não está vivendo de verdade? Como sentir-se motivado se dando conta de que está  vivendo  em prol dos outros e suprimindo as próprias vontades?

Contudo, diante de tudo o que foi exposto, chamo a sua atenção para um detalhe: Sempre é  possível você fazer alguma mudança em seu favor. Arregace as mangas e comece o quanto antes. Sabemos que algumas situações são de consequências irreversíveis, porém, é necessário buscar uma nova forma de lidar com aquilo que você temos em mãos. Eu quero lembrá-lo de que sempre é possível buscar algo novo para adornar a nossa vida.

O problema é que a gente mesmo se limita, a gente está sempre insistindo em focar nas dificuldades. A gente acha desculpa na idade, no estado civil, na distância, no clima e, por aí vai.  Querido(a), entenda uma coisa: se você for esperar a situação ideal para realizar algo, você nunca vai realizar nada. A gente precisa, às vezes, ir  com a cara e a coragem buscar um sentido para a nossa existência. Eu quero apenas que você olhe a sua vida, e, mesmo diante de tanta insatisfação, procure algo para se motivar.

Há de ter alguma semente aí nessa bagunça toda que você possa plantar, cultivar e esperar pelos frutos. Todos os dias somos agraciados com um amanhecer, desperte também, qualquer hora dessas e faça algo por você. Aquele algo que você tanto desejou não morreu, apenas adormeceu dentro da sua alma. As sementes dos nossos sonhos nunca morrem, elas são imunes ao tempo e às intempéries da vida. Eu sei do que estou falando. Quem escreve aqui é uma pessoa que sempre sonhou em ser escritora, contudo, havia sepultado esse sonho. Daí, aos quarenta anos, ela foi lá e desenterrou o sonho. Esse sonho é a semente mais preciosa e fértil da minha vida porque foi plantada pela criança que fui um dia. Vou escrever pelo resto da minha vida e compartilhar minhas vivências e conhecimentos com vocês.


*Ivonete Rosa 

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

QUANDO TUDO PARECE PERDIDO, ENCONTRAMOS NOSSA FORÇA PARA NOS RECONSTRUIR

Já parou parou para pensar que estamos em constante construção?
A nossa vida poderia até ser comparada com a construção de um edifício, muitas vezes precisamos limpar o espaço, seja ele físico ou energético, depois cavar, afundar e ir lá no fundo da dor ou da situação e o que parece ser um longo tempo depois, começamos a construir e nos erguer. Talvez com uma diferença do edi para o nosso crescimento pessoal, guardamos as memórias de todas as experiências vividas antes de nos desconstruir.

Reconstruir é um processo doloroso, muitas vezes tudo tem que ir abaixo, desmoronar e a partir daí todo o processo de reconstruir começa. Às vezes, a gente até tenta fazer um ‘puxadinho’, demolir uma parte e recomeçar de outra que ‘dá para aproveitar’, mas a verdade é que, em algum momento, não dá mais para segurar, em algum momento é preciso ver tudo cair por terra, deixar virar pó e passar por processos lentos de limpeza e reconstrução. Estamos no eterno desconstruir para construir.

Sabe quando está tudo ruim? Para todo lado que você mexe parece que só sai cobras e lagartos e você sente que não é possível? Por que tudo isso está acontecendo justamente com você?
Esse é o momento de deixar ir e é o momento em que, geralmente, vemos nossa construção ir por água abaixo, tudo vira poeira, carcaça e sucata. E também é nesse momento que você olha e pensa que é impossível que tudo isso possa ser refeito, não há condições emocionais, psicológicas e nem físicas para conseguir material e suporte para fazer algo novo.

Mas eis que a vida é incrível e a Mão de Deus, que escreve a nossa história, sabe de cada tijolinho colocado e sabe o valor de cada pedrinha e cimento que foi projetado ali, e então Ele nos dá uma chance de construir um edifício muito maior e até mais bonito que aquele que estava aí antes. Ele dá suporte emocional, envia anjos em forma de amigos, coloca dias coloridos no meio de tantas nuvens cinzentas, renova seu ânimo e, claro, espera que você aceite todos os presentes que são enviados.
A mão de Deus escreve, mas a gente precisa estar de coração aberto para receber, porque se estamos fechados, não há intervenção divina que dê jeito.

Mas é preciso lembrar que estamos nos reconstruindo e dali não podemos descartar todo o passado, que deixou experiências fantásticas, como os sonhos grandes, os pequenos, as alegrias e os aprendizados com algumas derrotas, os relacionamentos que machucaram e ensinaram muito e as relações que foram excelentes e deixaram lindas lembranças para emoldurar e colocar na parede da sala de estar. Sim, algumas coisas precisamos levar, faz parte da nossa bagagem pessoal, faz parte da caminhada e da evolução em que nos encontramos.

A nossa vida é arquitetada por Deus, mas Ele também nos capacita para fazermos escolhas, planejamentos e desde que estejamos entregues à confiança de que tudo está certo e acontecendo como deve ser, a nossa história vai se desenrolando e se entrelaçando para chegar a algum lugar que, desejamos e outros que às vezes nem sonhávamos saber ser melhor que aquele que a nossa imaginação criou.
Nós vamos nos fortalecendo e aprendendo a passar por esse caminhar cheio de surpresas. E ainda que nos momentos mais difíceis a gente não consiga pensar em nada que possamos fazer para melhorar toda essa bagunça, experimente apenas pensar: está tudo no lugar que deve ser.

É assim que aprendemos a colocar tijolo por tijolo, mesmo sem saber o como fazer, a gente (re)constroi um novo edifício.
A vida, às vezes, vira essa loucura toda e olhar para uma demolição nos passa a sensação de vazio e de medo, olhar para o desconstruir é olhar para os eu´s que nos habitam e precisavam ir a chão, retirar as camadas que foram sendo colocadas ao longo de tantos eventos da vida, assim entendemos os nossos mecanismos, nosso funcionamento, adentramos no nosso eu verdadeiro e praticando a arte de se autoconhecer.

Um coração livre é forte demais, e a liberdade começa quando nos permitimos passar por processos intensos e, muitas vezes, devastadores, quando não colocamos máscaras e não usamos artifícios para distrair e dentro desses processos florescemos e (re)conhecemos as partes que habitam e integram a nossa essência!
E lembre-se, o edifício precisa estar bem estruturado, com uma base firme e sustentado por suas pilastras e pilares, assim é a vida, a minha, a sua, a dele, a dela, a de todos nós. O caminho nem sempre é fácil e visível, mas a leveza nos conduz ao melhor.

Sejamos leves! Somos obras em aprendizado constante, recebendo material necessário e suficiente para fazer o edifício mais lindo que você já viu, o edifício do seu eu maior.


*Carol Daimond

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

APESAR DAS TRISTEZAS, VIVER AINDA PODE SER LINDO

A vida são milhares de recomeços. É acordar todos os dias com esperança, porque viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.

Não é fácil viver em um mundo cheio de acontecimentos negativos. Muito ambição, ganância e egoísmo levando as pessoas a cometerem atos desprezíveis e cheios de maldades. Em muitos momentos somos vítimas em meio a essa rede de intriga e violência de um mundo tão imperfeito.

É falta de dinheiro, falta de lealdade, falta de amor. São as pessoas correndo atrás de uma consideração que elas não estão dispostas a dar. E, então, vem o conflito, as guerras no mundo e as nossas, particulares. Decepções, fracassos, tristeza. A carga fica pesada. A gente cansa do mundo e tem a sensação de que esse não é um lugar bom de se viver. Que a humanidade é um erro.

Mas não é. A vida pode ser linda apesar de tudo. Não deixe o medo matar os seus sonhos. Desapegue de tudo o que lhe faz mal. Abandone velhos hábitos, antigas mágoas, novos rancores. Desvalorize todos os objetivos materiais e abra seu coração. Ame o que existe de bom. A vida é uma passassem, não vale a pena carregar o que não faz bem. Pergunte-se o que lhe faz feliz e vá atrás, corra, voe, não deixe passar, seja a eternidade ou um dia. Descubra o que é essencial para você e se entregue.

Assista a um pôr do sol. Cozinhe seu prato preferido. Admire o sorriso do seu filho. Não adie mais aquela viagem. Troque de profissão. Mude para sua cidade preferida! A vida pode ser difícil, mas você está no comando. Então, ria dos seus tombos. Enfrente os desafios. Dê ao mundo o melhor de si. Gargalhe mais. Tenha compaixão e também mais ousadia. Deixe o inesperado lhe envolver e leve dele o que for bom. Liberte-se do amanhã e deixe que o hoje lhe tome inteiro enchendo seu peito de paz, calma. Sem pressa.

Curta o momento. Aquilo do que você é capaz está dentro de você e ninguém pode lhe roubar. O que é seu está seguro nas mãos de Deus. Então, esqueça as ameaças. Viva. Faça. Conquiste. Solte-se das amarras que só existem no seu imaginário. Permita-se ter uma vida simples sem grandes feitos, mas repleta de momentos sublimes. Eles que vão manter o sorriso no seu rosto. Assim como as pessoas do bem. Porque, sim, elas existem e têm a capacidade de tocar seu coração lhe trazendo as melhores sensações da sua existência.

Curta as pessoas que trazem o bem para a sua vida feliz. Brinque com seu filho. Almoce com sua família. Viagem com os amigos. Jogue conversa fora com pessoas agradáveis. E construa uma coleção de momentos incríveis ao lado de quem você estima. E então, quando você olhar para trás e um sorriso brotar, é sinal de que sua jornada valeu a pena.

A vida não é qualquer coisa. Ela é um dom. O seu dom. A sua oportunidade de viver as mais alegres experiências. Vença a si mesmo e faça tudo com muita paixão. Exale amor. É a melhor maneira de aproveitar o caminho. Afinal, a vida é trem bala parceiro, e a gente é só passageiro prestes a partir…

*Luciano Cazz

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Quando a estupidez entra pela porta, o amor sai pela janela

Quando um relacionamento começa a adoecer, ele emite sinais que podem ser vários. Eu vou falar de um que considero muito importante: é quando o abraço é substituído pela queda de braços. Vou tentar explicar isso. Eu chamo de queda de braços quando o casal perde a cerimônia e já não mede mais as palavras para falar um com o outro; é quando a doçura das palavras vão se dissipando e dando lugar à aspereza e falta de tato no trato com o outro.

Eu chamo de queda de braços, mas poderia perfeitamente dizer que o casal está vivendo num ringue de lutas, quando eles se tornam rivais ao invés de parceiros. Sabe quando você não sente mais aquela confiança para confidenciar seus desconfortos com o parceiro por temer que ele vai usar tudo contra você? Daí você se lembra do quanto ele era gentil e acolhedor no início da relação e compara com a pessoa que ele se mostra no presente e, simplesmente, não o reconhece mais. Ah, isso vale para ambos.

Um belo dia você percebe que ele(a) já não mede mais as palavras ou o tom de voz para discordar de algo que você diz. Você percebe, além disso, que existe um sarcasmo ou uma hostilidade diante de uma questão que ele sabe que é o seu ponto fraco, ou a sua dor. Fica nítido, também, que ele(a) já não faz questão de ser sútil ou de adotar uma postura empática num contexto ser desconfortável para você. E isso choca muito porque você estava acostumado(a) com aquele parceiro que fazia de tudo para te proteger em todos os aspectos.

Você vai perdendo o chão, a confiança, a admiração, o carinho…o tesão. E é uma pena tudo isso acontecer porque, muitas vezes, é uma relação super gostosa e gratificante, porém, por falta de sabedoria, uma das partes ou ambas não sabem cuidar dela. A partir do momento em que uma pessoa ou ambas consideram um desaforo relevar algo em prol da relação, é sinal de que uma crise está se estabelecendo no cenário. Porque, pensando bem, no início do romance, as pessoas se comportam, se importam, fazem de tudo para agradar e demonstrar interesse, mas, depois de um certo tempo, elas se sentem no direito de soltar as feras e revelar um lado nada envolvente ao outro.

É é uma pena ver tantos amores se desfazendo, morrendo aos poucos, fatigados pela falta de cuidado e de zelo. Muitas pessoas estão deixando o orgulho se sobrepor a um sentimento tão lindo e raro. Muitos amores se transformando em ranço porque, ao que parece, os envolvidos optaram por dar vazão ao que tem de mais repugnante dentro de si. Não há encanto e admiração que sobrevivam à falta de respeito, de transparência, de sensibilidade e de empatia. Quando esses comportamentos entram pela porta, o amor sai pela janela porque, é simplesmente impossível o amor, a admiração e o encanto permanecerem no mesmo espaço que eles.


*Ivonete Rosa

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Deus não tem WhatsApp, mas sabe se comunicar com nossos corações

Deus sempre encontra uma maneira de nos dizer o que precisamos ouvir. Escutar Deus muda o modo como conversamos com os outros. Muda nosso caminho, nossa vida. Entender os recados de Deus muda tudo.
Deus não tem WhatsApp, mas sabe se comunicar com nossos corações.
Deus pode não ter nosso contato, mas, mesmo assim, ele fala com a gente. E de uma maneira sublime como só Ele é capaz de comunicar.

1. Intuição

A famosa intuição é Deus nos mandando a energia do que está para acontecer. Quando é boa, Ele está nos dizendo: siga em frente. Quando é ruim ele diz: pare agora, isso não lhe fará bem.

2. Imprevistos

O carro quebra, perdemos o ônibus ou ficamos impossibilitados de realizar alguma coisa. Neste caso, existem duas possibilidades. Livramento: Deus está evitando que algo de muito ruim aconteça em nossas vidas. Ou Ele reserva para nós uma benção no novo caminho que teremos de percorrer. Talvez uma pessoa, talvez um milagre ou um aprendizado. Quando estamos deprimidos e algo bom acontece, é Ele dizendo para que nunca percamos a esperança.

3. Pessoas

Às vezes, Deus usa os outros para falar com a gente. Um desconhecido na rua, um colega de trabalho ou um ente querido. Podemos até não gostar, mas são conselhos que farão nossa vida melhor. Outras vezes, Deus coloca em nosso destino pessoas que serão um grande exemplo pela força. Serão nossos guias e nossa referência ou, ainda, anjos que cruzam nosso caminho apenas para nos fazer bem e auxiliar em uma dura batalha da vida.  Por outro lado, algumas pessoas podem trazer com seus defeitos um aprendizado enorme, que nos fará amadurecer e elevar nossa alma.

4. Diálogos internos

Existem muitos pensamentos que brotam em nossas mentes e não temos ideia de onde vêm. Pois eles são enviados dos céus para nos ajudar a esclarecer diversas questões em nossas vidas. A pessoa que lhe responde no seu diálogo interno é Deus.  E se você acha que fala sozinho, está redondamente enganado. É com os anjos que você conversa, mesmo sem saber. Eles lhe escutam. Mas atenção: nem todos espíritos são do bem, por isso, quando começarem a colocar ideias negativas em sua cabeça, fale bem alto: assunto encerrado!

5. Sinais

Pode ser difícil captar os sinais de Deus. Às vezes, pensamos em algo e, de repente, vemos um quadro que tem nossa resposta. Ou uma chamada em algum anúncio. Muitas vezes, as coincidências têm muito a nos dizer. Aquela cena de um filme que parece que foi feita para a gente ou uma passagem de algum livro que fala diretamente aquilo que precisávamos ouvir. Pode ser uma borboleta, uma pétala que cai, ou uma notícia na TV. Inclusive Ele pode estar querendo lhe dizer algo com esse texto, vai saber.

6. Problemas

Quando você começa a ter muitos problemas em um lugar ou com alguma pessoa, é como se seu celular apitasse uma nova mensagem no WhatsApp, cujo contato que se comunica é Deus. Você abre a mensagem Dele e lê: “É hora de partir”.
E quando tudo estiver perdido e você estiver na solidão, não se sinta desamparado. Repare nos sinais que o universo lhe envia, indicando que Ele estará sempre com você, guiando-o no melhor caminho, sussurrando a seu favor, pois muito mais alta que as vozes que chegam aos nossos ouvidos, é o silêncio da voz de Deus, que toca o nosso coração.

*Luciano Cazz

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Quem tem Deus no coração, tem Deus nas atitudes

É fácil ficar em jejum em nome de Deus, difícil é dar um prato de comida a quem passa fome, seja por suas limitações físicas ou por suas dificuldades mentais e comportamentais.
Por mais incrível que pareça, existem pessoas que usam a religião como véu para esconder um caráter maligno e egocêntrico. Então, elas vão à Igreja, rezam o terço, falam de Jesus, mas, de forma alguma, seguem suas atitudes.
É muito fácil falar lindas palavras sobre Deus e defender sua crença. Difícil mesmo é calar diante de uma ofensa ou entregar uma injustiça na mão Dele, sem ao menos desejar o pior para o próximo ou pensar em vingança.
Mais fácil ainda é elevar as mãos ao céu, em louvor. Mas quando o próximo nos pede para estender a mão, fazemo-nos de desentendidos. Quando algum amigo ou familiar precisa de ajuda, a gente finge que não está ou nem atende o telefone.
Não exige muito de nós pedir graças a Deus. Agora, ficar feliz com a graça alcançada pelo amigo, por suas conquistas e realizações, pode ser uma dura tarefa para os corações enganados.
Ter empatia para com a dor do próximo, às vezes, é um trabalho árduo mesmo para quem se diz filho do Rei.
Levantar cedo para ir à Igreja parece natural, porém, para ir até uma pessoa necessitada, acompanhá-la ao médico ou em qualquer momento delicado, falta espaço em nossa agenda.
Algumas pessoas dizem “Senhor, sou seu servo” Mas quando chega a hora de trabalhar pelo bem  de quem está ao seu redor, estas palavras são esquecidas, como se trabalhar para as pessoas que estimamos não fosse servir a Ele.
Escutar a voz de Deus, é incrivelmente fantástico, mas para ouvir a dor de um amigo que se encontra em depressão ou terminou um relacionamento parece que nos falta ouvidos. Escutar o lamento de um familiar que passa por dificuldade é chato e uma grande perda de tempo.
A gente se dispõe a fazer sacrifícios em nome do Senhor, que não precisa de nós para nada porque já é onipotente em sua força infinita, mas quando é para ajudar alguém que se importa com a gente, esse sacrifício vira tortura, estamos cansados e sem tempo.

É fácil ficar em jejum em nome de Deus, difícil é dar um prato de comida a quem passa fome, seja por suas limitações físicas ou por suas dificuldades mentais e comportamentais.
É fácil participar da campanha de alimentos da Igreja entregando um quilo de arroz, difícil é bater à porta de quem precisa e oferecer-lhe mais do que alimento.
Quantas pessoas se reúnem para uma missa ou culto? Mas muitas delas se afastam na hora que a união pode fazer a força para que o bem vença o mal, para que uma vida seja salva, para que uma família seja retirada da dificuldade ou para que um sonho seja realizado.
É muito bom amar Jesus, o homem mais benevolente que já pisou na terra. Difícil é aceitar a imperfeição dos nossos pais, irmãos e amigos. É fácil doar na igreja, mas quando temos que ajudar uma pessoa difícil, problemática, no caminho da perdição, nossas atitudes não correspondem a deste mesmo Jesus.
Pedimos perdão aos céus pelos nossos pecados e limitações, mas no minuto seguinte julgamos o próximo com arrogância e preconceito nos mostrando incapazes de aceitar os defeitos dos outros, ignorando que todos foram feitos exatamente à vontade desse Deus, que nos deu o livre-arbítrio. Entretanto, a gente insiste em condenar, confirmando que Suas ideias não estão em nosso comportamento.
Fechamos os olhos para rezar em nome do Senhor, e muitas vezes ficamos cegos pelo egoísmo, pela ganância ou pela avareza, ignorando os problemas alheios e fazendo da religião um falso álibi para uma bondade que na verdade não existe.
E não adianta tentar enganar, porque enquanto não tivermos Deus em nossa forma de compreender o outro e em nossas atitudes, jamais teremos Deus em nossos corações, e Ele saberá…

*Luciano Cazz

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Nunca faça o mal esperando o bem. A lei do retorno é precisa!

Tem quem acredite que sairá impune de qualquer ato negativo em relação às outras pessoas e ao mundo. E como tem! Caso contrário, não veríamos tantas barbaridades nos noticiários, no nosso trabalho, na vizinhança e até mesmo dentro de casa.
São pessoas que não conseguem enxergar um palmo à frente de seu umbigo maquiavélico para entender que há consequências para tudo que fazemos.
Assim como a bondade, a maldade também é uma semente que plantamos no universo, a qual, mais cedo ou mais tarde, encontrará o solo certo para germinar e fazer florescer toda aquela energia que jogamos no mundo.
Pode ser como o bambu que leva anos para sair do solo ou como um pé de feijão que com apenas alguns dias já brota da terra trazendo as repercussões de um plantio anterior.
Agora imagine que uma ação de maldade é uma bolha de energia que assume um lugar no ar da existência e paira pela natureza levada pelos ventos do destino que, sob o ímã da lei da atração, retorna ao ponto de origem, às vezes, mais pesada, expandida e escura entrando em nosso organismo em uma natural inspiração dos pulmões. Então, aloja-se na nossa alma como uma erva daninha que toma nossas alegrias, nossa positividade, agregando tormentos ao nosso dia a dia, os quais somos incapazes de entender a origem e ligar àquela atitude equivocada que um dia tivemos no passado.
E, muitas vezes, a consequência do mal que jogamos no mundo pode ser visível aos olhos como o desafeto das pessoas, a falta de confiança, uma doença ou a solidão, sem falar no estresse diário da energia negativa que se instaura em qualquer caminho que desejamos percorrer na vida.
Então, tudo dá errado. O copo quebra, a comida queima, o carro estraga ou o trânsito nos atrasa. Perdemos o celular, a promoção no trabalho ou o emprego e pegamos uma gripe, uma alergia, a luz queima e nosso filme também.
Então, acreditamos que estamos vivendo um dia ruim, mas, na verdade, é a erva daninha da energia negativa em forma de nuvem escura ao redor da nossa cabeça estragando tudo que está a nossa volta.
É o momento de parar e refletir sobre nossos comportamentos e escolhas para tomar consciência de nossos equívocos. Pedir perdão às pessoas, a Deus, ao universo, conforme sua crença, e por tudo que de mau um dia fizemos. Rezar por força e resiliência para nos tornarmos pessoas melhores, cada vez mais afastadas de atitudes contra os outros e de pensamentos negativos. Então, as flores ressecadas e opacas do jardim de nossa vida tornam-se coloridas e perfumadas. A sorte volta para o nosso lado, assim como as pessoas do bem. Entramos de volta no trilho rumo à felicidade plantando e colhendo alegrias, ficamos disponíveis ao amor, ficamos mais generosos e iniciamos um ciclo de acontecimentos bons e resoluções de problemas, com a certeza de que plantando o mal, jamais se colherá o bem.
Afinal, quem trata as pessoas mal não pode esperar ser bem tratado. Se trai, não deve contar com o afeto de quem feriu. Se mente, que saiba conviver com a desconfiança. Se for egoísta, é preciso se preparar para a solidão. E, se agir mal, terá o retorno em acontecimentos que entristecem a alma.
E essa questão não é sobre ser uma pessoa boa ou não, mas sobre ser humano e ter a consciência de fazer as escolhas certas. Porque como diz a célebre frase de Buda:
“É a própria mente do homem, não seu inimigo, que o seduz para o mau caminho.”

*Luciano Cazz

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Abra o olho! Há muito lobo vestindo pele de cordeiro!

Não confunda caráter com personalidade. Existe muito lobo em pele de cordeiro e vice-versa e precisamos estar atentos a isso para não interpretar a índole de uma pessoa por sua personalidade e acabar por cometer injustiças ou se enganar ao ponto de sofrer uma grande decepção.
Caráter tem a ver com valores morais. Envolve adjetivos como integridade, honestidade e generosidade, bem como a falta deles todos. Diz sobre o que somos de verdade, mesmo quando ninguém está olhando. O que se refere ao nosso nível de ética, civilidade e até mesmo amor ao próximo.
Já personalidade é a forma como nos mostramos para as pessoas. Tem a ver com jeito de ser e forma de se expressar. A lógica esperada é a de que a personalidade seja uma consequência do nosso caráter, mas é exatamente nesse ponto que prejulgamos, já que nem sempre essa linha de pensamento funciona e, muitas vezes, acontece exatamente o oposto.
Então, um caráter pode ser bem diferente da atitude aparente e esconder muitos lobos e, por que não, também corações gigantes?
Ser sincero nem sempre traz as melhores consequências, então, em uma sociedade abastecida pela malandragem, ser falso e dissimulado para chegar aonde se deseja acaba se tornando mais frequente do que imaginamos. Ainda mais com a fragilidade emocional da sociedade que tem dificuldade de encarar a verdade, ofendendo-se facilmente por qualquer mero comentário. Por isso, a maioria de nós vira político, calando verdade, dando elogios que não são sinceros e fazendo promessas que jamais serão cumpridas.
Isso significa que alguém pode ter uma personalidade positiva mas um caráter nefasto. Muitas pessoas de fala mansa e sorriso fácil podem esconder uma má índole que jamais poderíamos suspeitar existir. E a gente diz: “Logo ele”. Sim, qualquer um está sujeito à corrupção, uma vez que, jeito não define caráter, pois, existe muita gente eloquente que usa sua simpatia apenas para manipular e conseguir o que de fato quer. Da mesma forma, uma personalidade tímida pode esconder um caráter questionável sem deixar nenhuma pista. “Nossa, ele era tão certinho.”
Mas o contrário também existe. Uma pessoa de personalidade monótona e até mesmo chata pode esconder um muito amor. É quando uma ajuda vem de onde você menos espera.
Uma personalidade explosiva e arrogante nem sempre define a bondade que se carrega no coração. Uma pessoa destemperada ainda pode ser a mais justa, generosa e ser a primeira a lhe ajudar quando precisa. Da mesma forma que uma pessoa extrovertida e expansiva pode, sim, esconder uma insegurança enorme.
Então, quando for escolher as pessoas com as quais irá conviver, lembre disso: bom humor não traduz lealdade, nem simpatia define um bom caráter.
Não julgue uma pessoa má por seu temperamento, pois, às vezes, o amigo mais “gente boa” na mesa de um bar pode ser seu inimigo dentro do seu próprio trabalho sem que você sequer faça ideia. Enquanto aquele que mal fala com você é quem lhe defende.
Jeito a gente vê pela forma de se expressar, mas o que define caráter são as atitudes. Portanto, fique atento: as aparências enganam sim, mas a personalidade de alguém pode enganar mais ainda…

*Luciano Cazz

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Se te cortei da minha vida é porque você me deu a tesoura

Cansei de perdoar. O coração não aguenta tanto vai e vem de sentimentos. Sua atitude foi a tesoura que você me deu para cortá-lo (a) da minha vida. Não procuro promessas. Eu quero alguém que me ame hoje. Que encha meu coração de paixão e me faça sorrir por simplesmente existir, agora. Eu mereço mais.
Não! Agora não adianta mais falar que tudo vai ser diferente. Chega! Eu cansei de acreditar nessas suas palavras sem valor que diziam que a briga era passageira. Que tudo voltaria a ficar bem de novo. Nas suas promessas de um futuro melhor. Era sempre amanhã, não é mesmo?
Amanhã que o sol iria brilhar e a tempestade passar. Amanhã que a gente seria feliz. Deixei de acreditar quando tudo o que você me prometia, nunca cumpria. Era apenas uma maneira de fazer com que eu não partisse. É um engano achar que eu engoliria falsas esperanças a vida inteira. Sei que minha crença em nosso amor o (a) leva a acreditar que eu nunca iria terminar. Mas agora chega.
Não procuro promessas. Eu quero alguém que me ame hoje. Que encha meu coração de paixão e me faça sorrir por simplesmente existir, agora. E não alguém que espere eu desviar a atenção para machucar meu coração.
Não! Agora não adianta falar que seu amor por mim é maior que tudo. Se me amasse de verdade, nunca me faria sofrer. Se seu amor fosse real, meu coração não estaria despedaçado.
Se foi capaz de fazer o que fez com alguém que você dizia ser a pessoa mais importante da sua vida, você não é quem deve estar ao meu lado nem quem eu quero dividir a minha vida.
Não! Agora não adianta pedir perdão. Falta sinceridade nas suas palavras porque elas não correspondem às suas atitudes. Cansei de perdoar. O coração não aguenta tanto vai e vem de sentimentos. Tenho medo que um dia você o esmague e ele não se recupere nunca mais. Quando eu deixo você entrar nele de novo, você o usa com leviandade e não respeita meu amor nem a pessoa que sou, porque você se acostumou a me ferir e ser perdoado.
Não! Agora não adianta dizer que se arrependeu. Quantas vezes você me disse que aquilo tinha sido seu pior erro, mas logo depois foi lá e cometeu de novo. Quantas vezes você me disse que não era dono dos seus atos, mas decidiu repeti-los sem preocupação. Chega! Não sou um brinquedo que você usa conforme seu humor. Sou um ser humano que precisa de afeto e respeito.
Não! Agora, não adianta dizer que você vai se transformar. Já cansei de acreditar. Suas mudanças duram dois dias e depois você volta a me magoar. Você diz que é outra pessoa, mas essa mentira já faz parte de quem você é.  Suas palavras já não são maiores que suas ações.
Eu mereço mais. Sua atitude foi a tesoura que você me deu para lhe cortar da minha vida.
E não me diga que você é o melhor para mim, não adianta mais falar, porque agora quem vai mudar sou eu, pois, nunca mais o (a) aceitarei.


*Luciano Cazz

Eu não fico mais implorando: ou a pessoa faz com vontade, ou nem precisa sair do lugar

Muitas coisas não dependem somente de nós. Vivemos em sociedade, em núcleos familiares, sociais, entre outros. Algumas atividades precisar...