sexta-feira, 30 de novembro de 2012

O Motivo da Felicidade


Sempre que acordarmos devemos agradecer
pelo novo dia que começa sem olharmos para trás
ou para o ontem, pois hoje começa um novo dia,
cheio de coisas novas, não devemos nos preocupar
tanto com o que já passou, o que podemos fazer
é apenas aprender com os erros passados
e tentar resolver os problemas que estarão por vir.

Faça tudo o que é pra fazer de maneira correta,
descanse na hora de descansar,
trabalhe na hora de trabalhar,
estude na hora de estudar... assim você não
se estressa e encara a vida de maneira alegre e divertida,
não importa se ninguém o entenda ou julgue,
o importante é que você esteja feliz, mesmo que depois
descubra que não era uma felicidade duradoura, continue tentando,
liberte-se de preconceitos e tudo que venha acorrentar a sua alma,
você é livre e pode fazer o que quiser,
as pessoas que te amam verdadeiramente
o aconselham, mas quem decide é você.

O motivo da felicidade é acordar todos os dias
e perceber que se está vivo, mesmo que esteja querendo morrer,
é lutar mesmo sem ter forças e obter bons resultados,
é estar ao lado das pessoas que amamos
e fazê-las sorrir quando estão tristes,
é fazer tudo o que lhe dá prazer
sem culpar ninguém pelo seu fracasso
e orgulhar-se do seu sucesso.

Muitas vezes somos felizes sem perceber,
porque perdemos tempo invejando a felicidade alheia,
desejando as qualidades dos outros,
sem dar valor as próprias qualidades e quando percebemos
nós mesmos vemos que a felicidade sempre esteve ao nosso
lado e que não precisávamos desejar a que era alheia,
basta que contribuamos para que cada dia
a nossa felicidade seja maior e
só conseguimos isso quando estamos
de bem conosco e com o próximo.

 
Publicação cedida e autorizada pela autora Rayra Rodrigues Lima
http://yannicaico.blogspot.com.br/2

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O lado bom


Nossos olhos são seletivos, nós "focalizamos" o que queremos ver e deixamos de ver o importante ou mesmo o indispensável. Escolha focalizar o melhor lado das coisas, assim como um girassol escolhe sempre estar virado para o sol!

Você já reparou como é fácil ficar depressivo?

-Não estou bem porque está chovendo, porque tenho uma conta para pagar;
porque não tenho exatamente o dinheiro ou aparência que eu gostaria de
ter; porque ainda não fui valorizado; porque os problemas me perseguem,
porque... porque...porque.....

É claro, existem momentos em que não estamos bem. Mas a nossa atitude
deveria ser a de uma antena que tenta, ao máximo possível, pegar o lado
claro para uma transmissão. Na natureza, nós temos uma antena que é
assim, o girassol. O girassol se volta para onde o sol estiver. Mesmo
que o sol esteja escondido atrás de uma nuvem.

E nós diante dos problemas? Nos escondemos ou nos voltamos para o sol
da justiça que tem todas as soluções em suas mãos. Levantemos a cabeça
coloquemos o nosso coração a disposição de Jesus, pois Ele o verdadeiro
Amor, quer colocar toda a nossa vida na direção correta, façamos como o
girassol, não importa o esforço procuremos sempre estar voltados para
Deus ...

1- Afaste-se das pessoas e dos fatos e negativos.
Se você se deixar envolver por um ambiente negativo,
você vai se transformar numa pessoa negativa.

2- Acredite nos seus PENSAMENTOS positivos.
Os vencedores são aqueles que acreditam nas suas idéias.

3 - Não reclame constantemente.
Quando a gente reclama muito, se habitua a reclamar cada
vez mais e acaba se transformando numa pessoa azeda.
É insuportável conviver com pessoas que só vivem se queixando!

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Amor não se planeja

Uma vez ouvi por ai que o bom do amor é aquilo que ele tem de indefinível. Você planeja a viajem de férias, um novo emprego, até mesmo um filho, mas não planejamos quem iremos amar.

O amor é educado, pode está do nosso lado, dando sinais, olhares, gestos. Convidando para um encontro, para um momento, seja simples como encontrar aquela pessoa que você via todo dia, mas que hoje você enxerga ela diferente, porque o amor passou e mudou o nosso olhar.

E se a gente não desprezá-lo, ele volta e muda - não apenas nossa maneira de perceber-mos, mas muda nossa vida. Ele gosta de surpreender, de dar brilho aos olhares e motivos bobos para os sorrisos.

O amor nos surpreende, quando sem percebermos, ele já construiu uma ponte entre nós. Já fez os nossos caminhos cruzarem, nosso coração bater diferente quando nos vemos. E dá aquele frio na barriga, porque a gente começa a sentir diferente. Acreditando, mesmo sem saber onde aquilo vai dar ou quando poderá acontecer.

Mas esse sentimento tão belo, se torna ainda mais notável, exatamente porque ele não tem regras, pré-requisitos, não obedece a comandos, ele simples e complicadamente segue seu caminho, como um rio que vai fluindo e só ele sabe onde quer chegar. Nossos corações são esse terreno, onde o leito perene deste rio deseja cursar.

                                                                                                                      por Romantico Rebelde

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Somos todos diferentes



Há, em cada pessoa, dentro de cada um de nós, um universo próprio, construído ao longo de nossas vivências.
Nada, daquilo que vive e pulsa em nossa mente e em nosso coração, foi dado gratuitamente. Ou se desenvolveu, por acaso, em nossa intimidade.
Toda nossa capacidade intelectual é fruto de esforço, dedicação, empenho.
Se há entre nós aqueles mais ou menos dotados no aspecto intelectual, se uns apresentam maiores capacidades intelectuais que outros, é porque nossos caminhares foram diferentes até aqui.

No aspecto emocional, faz-se da mesma forma. Alguns dispõem da tolerância, outros são menos compreensivos. Há os que são mais amorosos, outros mais frios e racionais.
Alguns trazem no coração a vingança, outros já superaram e conseguem viver o perdão.
Todas essas nossas peculiariedades são naturais, posto que estagiamos, em diferentes momentos, na conquista da perfeição.

Cada um de nós escreveu sua própria história, da qual hoje se torna herdeiro, vítima das próprias dificuldades que criou, ou beneficiário das virtudes que já desenvolveu.

Dessa forma, todas as pessoas que cruzam nossos caminhos estão, em algum momento de sua história, de volta à Terra para progredir, melhorar, conquistar valores nobres.
Alguns, mais amadurecidos, encaram a vida como oportunidade de trabalho e conquista.

Outros, necessitam que a dor os desperte para uma percepção mais nobre da vida.
Há muitos que ainda optam por caminhos infelizes, construindo um amanhã doloroso, mas inevitável.

Entretanto, estamos todos a caminhar nesse objetivo de sermos Espíritos perfeitos.
Aqueles que hoje criam empecilhos, dificuldades, e com os quais compartilhamos a existência, também se encontram nesse nosso mesmo processo.

Essas pessoas-problemas, pesadas e difíceis de se conviver, também terão seu momento de despertar.
Por isso, se já conseguimos perceber, no nosso próximo, as dificuldades que reconhecemos tenham sido nossas um dia, busquemos nos revestir de compreensão para com ele.
A maior dor daquele que hoje erra, será encontrar-se com sua própria consciência, mais cedo ou mais tarde. Inevitavelmente isso ocorrerá.

Sendo assim, não desejemos o mal, nem aumentemos a carga daquele que hoje carrega dramas intensos na sua intimidade, e que os exterioriza na forma de azedume, raiva e queixas.

Busquemos compreender e perceber, na situação, a oportunidade de desenvolver em nós a paciência que ainda não temos, a tolerância de que ainda carecemos.

O conselho de Jesus referindo-se àqueles que nos exigem muito, é sempre dar o dobro, fazendo do nosso coração a fonte de generosidade frente às angústias que eles exteriorizam.

Pensemos: 

Sempre haverá alguém que, igualmente, está sendo exigido a utilizar a sua paciência e o seu equilíbrio, a fim de tolerar e compreender as dificuldades que nós mesmos ainda carregamos na intimidade do coração e demonstramos em nossas atitudes.

Pensemos nisso.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Conte até dez



A todo instante fazemos escolhas em nossas vidas.

Até mesmo o fato de não escolher, já é uma escolha.

Escolhemos sair ou ficar em casa, escolhemos terminar o trabalho hoje ou deixar para amanhã, se queremos andar com fulano ou ciclano...

Tudo na vida é uma questão de escolha.

O fato é que as escolhas têm consequências. Todas as escolhas têm consequências, Conte até dez!

O que precisamos avaliar é que ao decidirmos seguir um caminho, realizar um sonho, conquistar uma meta iremos pagar um preço por isso.

É uma escolha.

Podemos perder algo, mas também podemos ganhar algo.

A dica é que você reflita sobre suas atitudes, procure ser menos impulsivo e perceba que não existe o certo e o errado: tudo é uma questão de valorização pessoal e uma avaliação sobre "o que se ganha e o que se perde com cada escolha que fazemos”.

Não quero aqui, de forma alguma, pregar minha escala de valores, tampouco julgar suas escolhas, apenas alertá-lo que, se estiver consciente das consequências, talvez sua vida comece a ter resultados mais acertados a cada dia.

Lembre-se: Todas as escolhas têm consequências, reflita antes de agir, Conte até dez!

E creia: você terá mais liberdade de dizer sim ou não para os eventos de sua vida e com certeza irá se arrepender bem menos de resultados diferentes dos esperados.
 
(Pe. Marcelo Rossi)

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Problemas? Oba, eu tenho a solução


Você quer uma vida melhor? Quer crescer? No entanto, parece nunca ser capaz de superar os problemas que lhe surgem?

Se quando um problema surge a sua frente, você entra em pânico e não consegue de identificar a raiz dos problemas trate de encontrar formas de ultrapassar essas preocupações paralisantes (auto-sabotagem), pois isso é fundamental para viver uma vida significativa.

Afaste-se temporariamente do seu problema (interno ou externo) para poder enxergar melhor suas opções e não se deixe levar pelos seus sentimentos e emoções, pois nessas circunstâncias na maioria das vezes serão sentimentos depressivos, angustiantes e que te paralisam.

Os grandes problemas, de alguma forma, vão dando sinais de fumaça bem antes de virarem um beco sem saída. Lembre-se: onde há fumaça há fogo. Ao primeiro sinal de fumaça pare, pense e enfrente logo o problema, é mais fácil quando tudo está começando.
Analise o que te impede de abrir sua mente e mesmo que lentamente, comece a sentir para onde o vento está soprando. Encontre pelo menos uma razão, uma só, e mesmo que ela não seja responsável sozinha tenha certeza que se rompida a sua imobilidade, vai te permitir abrir os olhos de uma vez por todas e vencer as resistências de mudar.

Por que resistir em ver o mundo com novas formas, resistir a sentir as novas direções do vento, resistir a mudar de direção, resistir a mudar só porque um dia assim dava certo, resistir a rever seus próprios valores, resistir de colocar em dúvida verdades que estão ultrapassadas e então começar a enxergar novos caminhos.

Pare de resistir a mudanças se a HORA DE MUDAR chegou.
O velho significado de resistência também mudou. Resistência já foi sinônimo de força, bravura, heroísmo, invulnerabilidade, mas agora significa teimosia, atraso. Resistir é manter você no “status quo” acreditando nas mesmas coisas, alimentando velhos paradigmas.
Chegou à HORA DE MUDAR. Jogue para cima a resistência ao novo.

Consulte se no seu emprego ou na sua vida particular há alguma conduta que mantém por puro capricho ou inércia. Se você for sincero (a) consigo mesmo logo vai encontrar respostas renovadoras, idéias inovadoras e mundos novinhos em folha, cheio de oportunidades a serem exploradas. A inércia também é uma forma de resistência passiva.
Troque de lentes para enxergar melhor e realizar as mudanças em sua vida, renove suas crenças e liberte sua mente. Ao trocar as lentes com que olha o mundo vai enxergar novos horizontes.
Quando se vive num círculo fechado de amigos, ambientes, locais que freqüenta, assiste aos mesmos programas sempre e só viaja aos mesmos lugares sua vista está cansada. Vamos mude de lente e não tenha medo de mudar. Aprenda vendo e vivendo um novo mundo. Mude de ambiente, de local, de forma de trabalhar. Conheça novas pessoas, novos locais, assista outros programas de TV, invente novos passeios.

Será que porque todos estão indo para um mesmo lado, eles estão indo no rumo certo ou é só um estouro da boiada? Ouça pelo menos uma vez sua voz e destrua suas crenças antigas e vai enxergar oportunidades que não consegue ver a olho nu. Surpreenda a si mesmo tomando caminhos que nunca sonhou tomar.

Se liberte deixe sua mente voar. É preciso ter mil idéias para encontrar uma que vá te levar a felicidade. Faça esse exercício sem censura, sem críticas mesmo quando elas merecem e novas oportunidades surgirão.

O mundo está cada vez mais complexo. Daqui para frente às coisas nunca mais serão fáceis!
E isso é bom! Bom? Sim, porque as pessoas vão poder cada vez mais gritar:  “Problemas? Oba!”.  Porque saberão que estarão diante de oportunidades de crescer e de fazer mais sucesso”.

É preciso saber viver nesse novo e “admirável mundo novo”. Entender que hoje temos muitas alternativas para tudo, seja na nossa vida pessoal como profissional e se adaptar aos novos tempos é fundamental.
Com a rapidez com que as mudanças acontecem hoje em dia deixando o mundo 100% mais complexo, a vida exige que sejamos 100% mais competente.

Se as empresas cortarão cada vez mais custos, lançarão produtos cada vez mais rápidos e com garantias de anos, os clientes ficarão cada vez mais exigentes, as coisas serão exigidas cada vez mais “para já” e a comunicação vai expor os mínimos erros e deslizes.
Na vida pessoal é a mesma coisa. Com os sites de relacionamentos as distâncias diminuíram, nossas vidas são invadidas, as relações exigem mais cumplicidade e lealdade. Não basta fingir fidelidade é importante a lealdade.

O novo mundo vai escolher pessoas que ficam felizes quando encontram um problema pela frente e tratam de resolvê-lo.

Então, perguntem ao seu companheiro (a), superior ou ao seu cliente quais são os problemas que estão tirando o seu sono e procure resolvê-los.
Tenho certeza de que quando você aprender a resolver “problemas” seja quais for sua vida passará a ter o sentido, o esplendor que você procura.

Pense sobre isso, aprenda a resolver problemas e prepare-se para o futuro e encontre a felicidade de viver.
                                                                                                                                                                                                                                       http://www.horademudar.com.br

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Dica


Hoje existem edifícios mais altos e estradas mais largas, porém temperamentos pequenos e pontos de vista mais estreitos.
Gastamos mais, porém desfrutamos menos.
Temos casas maiores, porém famílias menores.
Temos mais compromissos, porém menos tempo.
Temos mais conhecimentos, porém menos discernimento.
Temos mais remédios, porém menos saúde.
Multiplicamos nossos bens, porém reduzimos nossos valores humanos.
 

Falamos muito, amamos pouco e odiamos demais.
Chegamos à Lua, porém temos problemas para atravessar a rua e conhecer o nosso vizinho.

Conquistamos o espaço exterior, porém não o interior.
Temos dinheiro, porém menos moral....
Há mais liberdade, porém menos alegrias....
Dias em que há dois salários em casa, porém aumentam os divórcios.
Dias de casas mais lindas, porém de lares desfeitos.
Por tudo isso, proponho que de hoje e para sempre...
Não deixes nada “para uma ocasião especial”, porque cada dia que viveres será uma ocasião especial.
Lê mais, senta-te na varanda e admira a paisagem sem te importares com as tempestades.

Passa mais tempo com a tua família e com teus amigos, come a tua comida preferida, visita os lugares que amas.
A vida é uma sucessão de momentos para serem desfrutados, não apenas para sobreviver.
Usa as tuas taças de cristal, não guardes o melhor perfume, é bom usá-lo cada vez que sentires vontade.

As frases “Um destes dias”, “Algum dia”, elimina-as do teu vocabulário.
Escreve aquela carta que pensavas escrever “Um destes dias”.
Diz aos teus familiares e amigos o quanto os amas.
Por isso não proteles nada daquilo que tornaria a tua vida em sorrisos e alegria.
Cada dia, hora e minuto são especiais... e não sabes se será o último...

Dica:

 
Nada nos satisfaz...
Nenhum lugar é bom para se estar...
Tudo toma grandes proporções...
E qualquer coisinha é motivo de escândalo...
Dá vontade de se esconder...
Sumir de vez!
Nessas horas que a gente fica confuso...
Melhor a fazer é tirar um bom cochilo...
Se olhar no espelho e acreditar...
Que somos fortes!

E se prestássemos um pouquinho de atenção...
Veríamos que as coisas mais simples da vida são intensamente
ricas quando sabemos que existem amigos !
Que nos faz sentir importantes...
E nos faz surpresas deliciosas!
Nos conforta quando precisamos...
E que está sempre ao nosso lado!
Por isso valorize seus amigos..aqueles que te amam sem pedir nada em troca.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Bilhete

GENTE, A MENSAGEM DE HOJE FOI EXPONTÂNEA, PORTANDO NÃO TENHO UM TEXTO PARA POSTAR. Cesar











Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda...

Mario Quintana

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Amigos

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.

Não percebem o amor que

lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.

A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor,

eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos,

enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.

E eu poderia suportar, embora não sem dor,

que tivessem morrido todos os meus amores,

mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!

Até mesmo aqueles que não percebem o quanto

são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências ...

A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem.

Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.

Mas, porque não os procuro com assiduidade, não

posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.

Muitos deles estão lendo esta crônica

e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos.

Mas é delicioso que eu saiba e sinta

que os adoro, embora não declare e não os procure.

E às vezes, quando os procuro,

noto que eles não tem noção de como me são necessários,

de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital,

porque eles fazem parte do mundo que eu, trêmulamente,

construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.

Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado.

Se todos eles morrerem, eu desabo!

Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles.

E me envergonho, porque essa minha prece é, em

síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.

Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles.

Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos,

cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim,

compartilhando daquele prazer ...

Se alguma coisa me consome e me envelhece

é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado,

morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo,

todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam

ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!

A gente não faz amigos, reconhece-os.


Vinícius de Moraes

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Poder...?

Era uma vez um jovem guerreiro famoso por sua invencibilidade.

Era um homem cruel e, por isso, temido por todos.

Quando se aproximava de uma aldeia, os moradores abandonavam suas casas, e fugiam para as montanhas, porque sabiam que ele não poupava nada, nem ninguém.

Certo dia, ele e seu exército aproximaram-se de uma aldeia na qual vivia um sábio ancião.

Todos os habitantes fugiram assustados, menos ele.

O guerreiro entrou na vila e, como de costume, incendiou casas e matou os animais que encontrou. 
Logo chegou à casa do sábio, que permanecia em pé ao lado da porta de entrada, serenamente. 

Quando eles se encontraram, o guerreiro impiedoso disse-lhe que seus dias haviam chegado ao fim, mas que, no entanto, iria lhe conceder um último desejo antes de passá-lo pelo fio de sua espada.

O velhinho, sem alterar o seu semblante, disse-lhe que precisava que o guerreiro fosse até o bosque e que ali cortasse um galho de árvore.

O jovem achou aquilo uma grande besteira, mas decidiu atendê-lo, entre gargalhadas e deboches.

Foi até o bosque e com um único golpe de espada cortou um galho de árvore.

"Muito bem." - disse o ancião, quando o guerreiro voltou - "quero saber agora se o senhor é capaz de recolocar este galho na árvore da qual o arrancou."

O jovem guerreiro entre gargalhadas, chamou-o de louco, respondendo-lhe que todos sabiam que era impossível colocar o galho cortado na árvore outra vez.

O ancião sorriu e lhe disse: "louco é o senhor, que pensa ter poder só porque destrói as coisas e mata as pessoas que encontra pela frente. Quem só sabe destruir e matar não tem poder. Poder tem aquele que sabe juntar, que sabe unir o que foi separado, que faz reviver o que parece morto. Poder tem aquele que produz, que cria, que mantém. Essa pessoa, sim, tem o verdadeiro poder."

Muitos são os que acreditam deter o poder porque atemorizam os demais, ou porque conseguem destruir o que encontram pela frente.

Acreditam-se poderosos porque são capazes de derrubar pessoas, destruir grandes obras e silenciar vozes.

Mas isso é um grande engano.

O verdadeiro poder não reside em arrasar existências e fazer cair por terra o trabalho dos outros.

Não se prova ter poder por meio da força bruta ou através de gritos e ameaças.

Isso demonstra, tão somente, grave desequilíbrio.

Desfazer o que outros produziram ou tentar abalar edificações morais, tão duramente estabelecidas, em nada auxiliarão o nosso próprio desenvolvimento.

Tantos são os que agem assim, crendo-se poderosos, iludindo-se e distribuindo dores ao longo de suas pegadas.

Por outro lado, tão poucos ainda são capazes de edificar, de construir, ou, ainda, de reerguer o que foi destruído.

Tão poucos se dispõem a persistir, a resistir diante dos vendavais das dificuldades. Estes, sim, possuem um poder realmente significativo.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Lições diferentes

Há algum tempo, um programa de televisão entrevistou certa personalidade, possuidora de vasta fortuna, após ter sido vítima de um sequestro.
Ela havia sido encontrada em seu cativeiro, em um bairro pobre, vizinho à sua residência.
O entrevistador perguntou-lhe sobre os traumas e efeitos do sequestro e como ela vinha conduzindo a vida, após ocorrência tão marcante.
Não sem causar surpresa, a conhecida dama da sociedade mostrava-se tranquila e feliz, agradecida por estar viva, de volta ao seio familiar e dos amigos.
Mas, disse ela, a grande marca desse sequestro, foi o que ele conseguiu produzir em mim internamente.
Nos dias de cativeiro, eu ficava pensando e refletindo o que era realmente importante para mim, o que valia a pena, o que tinha valor.
Naquele momento eu quase não dispunha de nada, nem mesmo do destino da minha vida, analisava a senhora.
Foi aí que percebi que coisas, sem importância ou significado, eu valorizava demais. Jamais seria capaz de sair do meu carro para abrir o portão da minha casa. Isso era função dos empregados.
E por outro lado, dei-me conta de quanto tempo eu passei longe de minhas filhas, em atividades dispensáveis ou fúteis, abrindo mão de conviver com meus dois grandes tesouros.
Desde que retornei para casa, meus valores são totalmente outros. E comecei também a trabalhar, voluntariamente, em uma associação, para melhorar as condições de vida daquela comunidade onde estive em cativeiro.
As lições que essa senhora retirou, de um momento de dor e dificuldade, são exemplares. Porque, afinal, é exatamente esse o papel que a dor tem em nossa vida: nos provocar a melhoria.
É verdade que a vida poderia se utilizar de muitas outras ferramentas e, várias vezes, o faz.
Há inúmeras situações em que somos convidados a sermos melhores através da docilidade, do amor, da gentileza, da candura.
Porém, quase sempre, abrimos mão de caminhos mais amenos para amadurecermos.
É quando a vida percebe ser necessário utilizar-se de outras ferramentas para que o aprendizado se faça.
Não por vingança ou castigo. Apenas por necessidade de evoluirmos, de progredirmos. E, como não aceitamos o convite do amor, a dor chega como substituta.
Assim, as agruras, dores, problemas que nos batem à porta, sejam dores da alma, sejam do corpo, são sempre lições para o aprendizado necessário.
Jamais a dor vem sem algum significado. Sempre traz consigo lições valiosas, cujo aprendizado cabe a cada um de nós concretizar.
Ao invés de blasfemarmos contra a dor, revoltarmo-nos pelas dificuldades, deixemo-nos conduzir pelos desígnios da vida, fazendo o nosso melhor, e deixando à Providência Divina que nos ampare nos momentos mais difíceis.
Guardemos a certeza: jamais estaremos sós, pois coube ao Mestre da Galileia nos assegurar: Vinde a mim todos vós que vos encontrais cansados e aflitos, e eu vos aliviarei.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

O Agricultor


Há algum tempo, um programa de televisão entrevistou certa personalidade, possuidora de vasta fortuna, após ter sido vítima de um sequestro.
Ela havia sido encontrada em seu cativeiro, em um bairro pobre, vizinho à sua residência.
O entrevistador perguntou-lhe sobre os traumas e efeitos do sequestro e como ela vinha conduzindo a vida, após ocorrência tão marcante.
Não sem causar surpresa, a conhecida dama da sociedade mostrava-se tranquila e feliz, agradecida por estar viva, de volta ao seio familiar e dos amigos.
Mas, disse ela, a grande marca desse sequestro, foi o que ele conseguiu produzir em mim internamente.
Nos dias de cativeiro, eu ficava pensando e refletindo o que era realmente importante para mim, o que valia a pena, o que tinha valor.
Naquele momento eu quase não dispunha de nada, nem mesmo do destino da minha vida, analisava a senhora.
Foi aí que percebi que coisas, sem importância ou significado, eu valorizava demais. Jamais seria capaz de sair do meu carro para abrir o portão da minha casa. Isso era função dos empregados.
E por outro lado, dei-me conta de quanto tempo eu passei longe de minhas filhas, em atividades dispensáveis ou fúteis, abrindo mão de conviver com meus dois grandes tesouros.
Desde que retornei para casa, meus valores são totalmente outros. E comecei também a trabalhar, voluntariamente, em uma associação, para melhorar as condições de vida daquela comunidade onde estive em cativeiro.

As lições que essa senhora retirou, de um momento de dor e dificuldade, são exemplares. Porque, afinal, é exatamente esse o papel que a dor tem em nossa vida: nos provocar a melhoria.
É verdade que a vida poderia se utilizar de muitas outras ferramentas e, várias vezes, o faz.
Há inúmeras situações em que somos convidados a sermos melhores através da docilidade, do amor, da gentileza, da candura.
Porém, quase sempre, abrimos mão de caminhos mais amenos para amadurecermos.
É quando a vida percebe ser necessário utilizar-se de outras ferramentas para que o aprendizado se faça.
Não por vingança ou castigo. Apenas por necessidade de evoluirmos, de progredirmos. E, como não aceitamos o convite do amor, a dor chega como substituta.
Assim, as agruras, dores, problemas que nos batem à porta, sejam dores da alma, sejam do corpo, são sempre lições para o aprendizado necessário.
Jamais a dor vem sem algum significado. Sempre traz consigo lições valiosas, cujo aprendizado cabe a cada um de nós concretizar.
Ao invés de blasfemarmos contra a dor, revoltarmo-nos pelas dificuldades, deixemo-nos conduzir pelos desígnios da vida, fazendo o nosso melhor, e deixando à Providência Divina que nos ampare nos momentos mais difíceis.
Guardemos a certeza: jamais estaremos sós, pois coube ao Mestre da Galileia nos assegurar: Vinde a mim todos vós que vos encontrais cansados e aflitos, e eu vos aliviarei.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Sinceridade

Eu penso em você com todo o carinho que seria possível alguém pensar. Lembrando os rápidos dias que estive perto de você. E toda essa distância deixa a minha poesia triste e fadigada. Mas a minha incansável memória relembra sempre cada doce momento em que fixava meu olhar em você. Sempre surpreendido por perceber você de uma forma diferente. 
 
Dizer repetidas vezes que você estava linda poderia parecer uma redundância e quase um exagero, mas apenas eu posso entender que de fato eu conseguia ver você mais linda ainda como da ultima vez. Mesmo já tendo visto o seu sorriso uma centena de vezes ainda me intrigava como ele poderia ser tão único e encantador para mim. Te observar fazer qualquer coisa era um descanso, queria poder fazê-lo sem sentir-me culpado de que você perceberia logo logo a meu olhar bobo e admirado. 

Sempre na árdua tarefa de cortejar sua companhia, sem parecer chato e pegajoso. E comemorando como se tivesse ganho uma maratona quando passava repetidos minutos na sua presença. Torcendo por dentro com a força de quase um estádio lotado, para que você desejasse também a minha companhia, mesmo sabendo que as vezes  o nosso melhor assunto fosse o silêncio, mas bastava apenas olharmos para a mesma direção sentado ao pé um do outro. 
 
Nunca foi tão gratificante cativar um sorriso, quanto foi quando fazia você rir, nem foi tão embaraçoso para mim fazer algo que desagradasse alguém. Meu medo de perder muitas vezes me fez perder momentos, oportunidades de simplesmente está ao seu lado. Qualquer tarefa com você parecia uma medalha, um troféu, pois sempre vivia pedindo a Deus um minuto sequer da tua atenção. Ás vezes nem eu mesmo entendo como eu fiz, desejei, observei tanto, mas quando revejo você em uma simples fotografia mesmo sem saber a explicação, entendo a razão de todo e qualquer esforço meu. 

Que você perdoe em mim toda e qualquer vez que fiz você se sentir embaraçada, entediada ou qualquer sentimento que não fosse aquele que eu carinhosamente quis cativar em você. Que você perdoe o meu coração poeta que sempre escreve com tanta força, perdoe o meu fervor de quando descrevo você em minhas palavras, que você perdoe as minhas repetidas tentativas. 
 
Que você simplesmente me perdoe, mas não posso deixar de dizer que faria tudo de novo, e talvez melhor, por mais uma oportunidade de tempo de corresponder um pouco do seu olhar, do seu sorriso, da sua voz e de tudo que você é. Enquanto toda e qualquer oportunidade de está com você, parece uma densa amostra do impossível, eu fecho os olhos e relembro os dias em que o impossível se tornou a concretização da mais doce realidade que poderia ter vivido. 
 
Por: romantico rebelde

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Oceano de sabedoria

Dalai Lama é o título dado a uma linhagem de líderes religiosos do budismo tibetano.
Dalai significa oceano, na língua mongol e lama é a palavra tibetana para mestre, podendo se referir à pessoa que recebe esse título, como sendo um oceano de sabedoria.

Certa vez, perguntaram ao monge budista tibetano, o Dalai Lama, o que mais o surpreendia na Humanidade e ele respondeu:


"Os homens.
Porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde.
E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente nem o futuro.
E vivem como se nunca fossem morrer.
E morrem como se nunca tivessem vivido."

Estas poucas palavras são realmente de grande sabedoria.

Muitos adultos da atualidade vivem o presente com o pensamento voltado somente para o futuro.
Buscam construir uma carreira profissional sólida e certa estabilidade financeira que lhes ofereçam segurança, porém, fazem tudo isso em detrimento das pessoas que têm grande valor em suas vidas.

Quando se dão conta, os filhos estão crescidos e eles constatam que perderam preciosas oportunidades de desfrutar momentos únicos da infância deles.
Por terem se dedicado a horas intermináveis de trabalho, a reuniões e a viagens de negócios, se ausentaram em importantes momentos de convívio familiar. Sem perceber, se afastaram gradativamente.

Entre as pessoas com as quais escolheram partilhar a vida, formou-se uma grande distância provocada por todos os momentos em que não se permitiram parar e desfrutar intensamente da companhia do outro.
Veem seus próprios pais já idosos e sentem que o tempo ao lado deles já não será mais tão longo.

E por todas as preocupações excessivas, pelas horas de sono perdidas, pela falta do tempo dedicado ao lazer e ao descanso merecido, constatam que comprometeram a saúde.
O corpo físico dá o sinal. Começam a aparecer alterações orgânicas ou doenças relacionadas com a maneira como conduziram sua vida.

Chega a hora de consultar médicos, procurar tratamentos, refletir e buscar possíveis mudanças de hábitos e atitudes na tentativa de reconquistar e preservar a saúde.
Não nos deixemos ser levados pelo turbilhão de preocupações da vida moderna.
É possível dedicarmo-nos com qualidade à atividade profissional sem deixarmos de cuidar da saúde. O tempo do descanso, desde que seja sem excessos e com qualidade, é muito benéfico.

Trabalhemos com responsabilidade, mas não nos esqueçamos jamais que as almas queridas que dividem conosco a caminhada terrena - filhos, pais, cônjuges e amigos - não estarão eternamente ao nosso lado.

Saibamos valorizar o tempo presente e equilibrar as horas gastas entre o trabalho, o lazer, os cuidados com a saúde e a dedicação aos nossos amores.

Não nos permitamos levar a vida como se nunca fôssemos deixá-la. Preparemo-nos para que, quando essa hora chegar, tenhamos a sensação de termos vivido em plenitude.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Um quarto de hora


Quando tiveres um quarto de hora à disposição, reflete nos benefícios que podes espalhar.
Recorda a possibilidade de um breve diálogo afetivo com algum familiar, dentro da própria casa, incentivando-lhe o bom ânimo;
das palavras de paz e amor que o amigo enfermo espera de tua presença;
de auxiliar em alguma tarefa que te aguarde o esforço para a limpeza ou o reconforto do próprio lar;
da conversação edificante com uma criança desprotegida que conduzirá para frente tuas sugestões de boa vontade;
de estender algum adubo a essa ou aquela planta que se te faz útil;
do encontro amistoso, em que a tua opinião generosa consiga favorecer a solução do problema de alguém;
dos instantes de oração, sintonizando com o Alto, pedindo por algum irmão ou alguma causa nobre.
Quinze minutos sem compromisso são quinze opções na construção do bem.
Proponha-te tal disciplina diária e perceberás mudanças imediatas.
Um quarto de hora por dia dedicado inteiramente ao bem.
Não te fará falta, de forma alguma, e os resultados serão tão felizes que certamente desejarás repetir a experiência diversas vezes.
Se já tens hábitos de preservação do corpo, hábitos de higiene, indispensáveis à tua vida, é hora de acrescentar práticas de higiene moral, voltadas ao sustento de tua parte alma, tua essência.
Quinze minutos por dia.
Escolhe, inicialmente, algo que te pareça mais próximo, mais fácil até, para que os primeiros sucessos possam te dar o estímulo para voos mais altos.
As oportunidades virão, desfilarão à tua frente como um convite de Deus à prática do bem.
Abraça-as com entusiasmo, não esperando retorno imediato, mas encontrando a paz em tua consciência que, no fundo, anseia por momentos como esses.
Nossa essência busca o bem, busca a felicidade. A assinatura Divina em nosso âmago garante isso. Assim, basta que encontremos o melhor caminho, o mais seguro, o mais correto.
Temos andado distraídos nesses últimos tempos...
Muitos nos perdemos pela estrada, seduzidos por questões e coisas de pouca importância para o Espírito imortal.
Sem a vida no bem não há felicidade.
Sem doar-se não há como construir a ventura futura.
Comecemos, dessa forma, aos poucos, a semear o bem à nossa volta.
São quinze minutos. Um quarto de toda uma hora. Não te arrependerás.

Não nos esqueçamos de que a floresta se levantou de sementes quase invisíveis;
de que o rio se forma de fontes pequeninas e de que a luz do céu, em nós mesmos, começa de pequeninos raios de amor a se nos irradiarem do coração.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Só dê ouvidos a quem te ama

Só dê ouvidos a quem te ama. Outras opiniões, se não fundamentadas no amor, podem representar perigo. Tem gente que vive dando palpite na vida dos outros. O faz porque não é capaz de viver bem a sua própria vida. É especialista em receitas mágicas de felicidade, de realização, mas quando precisa fazer a receita dar certo na sua própria história, fracassa.

Tem gente que gosta de fazer a vida alheia a pauta principal de seus assuntos. Tem solução para todos os problemas da humanidade, menos para os seus. Dá conselhos, propõe soluções, articula, multiplica, subtrai, faz de tudo para que o outro faça o que ele quer.

Só dê ouvidos a quem te ama, repito. Cuidado com as acusações de quem não te conhece. Não coloque sua atenção em frases que te acusam injustamente. Há muitos que vão feridos pela vida porque não souberam esquecer os insultos maldosos. Prenderam a atenção nas palavras agressivas e acreditaram no conteúdo mentiroso delas.
Há muitos que carregam o fardo permanente da irrealização porque não se tornaram capazes de esquecer a palavra maldita, o insulto agressor. Por isso repito: só dê ouvidos a quem te ama. Não se ocupe demais com as opiniões de pessoas estranhas. Só a cumplicidade e conhecimento mútuo pode autorizar alguém a dizer alguma coisa a respeito do outro.

Ando pensando no poder das palavras. Há palavras que bendizem, outras que maldizem. Descubro cada vez mais que Jesus era especialista em palavras benditas. Quero ser também. Além de bendizer com a palavra, Ele também era capaz de fazer esquecer a palavra que amaldiçoou. Evangelizar consiste em fazer o outro esquecer o que nele não presta, e que a palavra maldita insiste em lembrar.

Quero viver para fazer esquecer... Queira também. Nem sempre eu consigo, mas eu não desisto. Não desista também. Há mais beleza em construir que destruir.

Repito: só dê ouvidos a quem te ama. Tudo mais é palavra perdida, sem alvo e sem motivo santo.

Só mais uma coisa. Não te preocupes tanto com o que acham de ti. Quem geralmente acha não achou nem sabe ver a beleza dos avessos que nem sempre tu revelas.

O que te salva não é o que os outros andam achando, mas é o que Deus sabe a teu respeito.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Preciosidades


Um pesquisador de jóias e pedras preciosas estava viajando, como de costume em busca de algo novo.
Quando resolveu parar e pedir um copo de água em um casebre à beira da estrada.
Bateu à porta e uma mulher vestida com roupas bem surradas lhe atendeu.
Prontamente se dispôs a saciar sua sede.

Visite: mensagens, papel de parede, filmes, videos
O homem parado começou observar a pobreza da família e sentiu-se penalizado, pensou em ajudá-los…
Olhou em volta para tentar descobrir o que poderia fazer por eles;
Onde estaria a sua maior dificuldade ou necessidade para que pudesse fazer alguma coisa.
Foi então que algo curioso aconteceu!
Pouco mais adiante dele.

Brincando feliz no terreiro, estavam duas crianças sujas de terra dos pés à cabeça e rodando algo que lhes faziam muito feliz:
Uma velha enorme pedra empoeirada…
O homem observou aquilo e achou interessante como duas crianças poderiam se divertir com algo tão peculiar.
Mas… Acabou notando que de peculiar alí não tinha nada, aquilo era nada mais nada menos, que uma enorme pedra preciosa que valia uma fortuna e eles inocentemente estavam jogando-a de um lado para outro no quintal.

Enquanto passavam necessidades nem sabiam que com um pedacinho só, daquela pedra poderiam suprir…
Aquela família precisava apenas de alguém que lhes ajudasse a perceber o valor daquilo…
E ali estava o homem, agora só dependia deles aceitar ou não, sua ajuda…

Conclusão:

Quantas preciosidades já tivemos em nossas mãos e nem soubemos reconhecer?
Quantas coisas e pessoas próximas de nós que nem notamos e nem dedicamos atenção?
Por que maltratar quem te ama, quem te valoriza? Por que no lugar de palavras asperas, de forma brusca...não respeitar seu próximo..seja um familiar, um amigo, um colega de trabalho. Quanta ignorancia, quanta brutalidade...mas, nunca é tarde para mudar e para melhor. Tem gente que quando quer se beneficiar, quando quer algo troca aí sabe tratar bem o próximo nem que seja enquanto quer um favor, mas aí amansa, fala baixo, aprende até dizer por favor...vc é desse tipo de pessoa? Se for, é hora de fazer uma reflexão e passar a ser mais humano, valorizando quem tanto te ajuda, te acolhe, te ama e vc nem perceber !!!

Deixamos de viver… Muitas vezes…
Porque não percebemos o que temos:
O dom maravilhoso da vida…
Da vida em Deus.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Houve um Tempo

Houve um tempo em que as pessoas eram prometidas umas para as outras desde pequenininhas. Há ainda hoje culturas que mantêm esse modo de raciocínio. Na nossa sociedade, porém, esse costume há muito foi erradicado. Temos então total liberdade para seguir os passos do nosso coração.

Mas a idéia de que o amor vem com o tempo ainda está na mente de muitas pessoas. Muitos pais tentaram convencer filhos a casarem-se com as pessoas que lhes agradavam com essa desculpa de que "o amor vem com o tempo." E isso acontece ainda hoje.

Aos pais que querem decidir "o melhor para os filhos" eu digo: é melhor deixar que cada coração encontre sozinho sua metade. Todos queremos o melhor para os nossos filhos e, por mais que os conheçamos, jamais poderemos entrar dentro dos seus corações e sentir o que eles sentem.

Dessa forma, muitos hoje casam-se por várias razões outras que o amor: a solidão, carência, interesse, etc, achando que o amor virá com o tempo.

Amar é uma decisão? Ah, não! Isso seria simples demais e até resolveria o problema de muita gente infeliz no casamento. As pessoas podem até se resignar, fazer esforços, dar o melhor de si... mas amar, não se decide assim. O amor não se encomenda, ele acontece.

Um dia descobrimos que nosso coração bate apressado diante de alguém; descobrimos que pensamos nessa pessoa o tempo inteiro e que ela nos faz falta quando não está presente; percebemos que esse alguém ocupa um espaço diferente dentro da gente, diferente de qualquer outra pessoa... e chegamos à conclusão que fomos atingidos por essa doce maladia que tem o poder de nos fazer o mais feliz ou mais infeliz dos seres. Nos descobrimos amando!

Não! Não se encomenda coração apressado, nem pensamento, nem desejo intenso de estar com alguém. E nem essa sensação de, estando diante da pessoa amada, que poderíamos até morrer de tanto amor; não aquele amor que faz com que sintamos uma vontade inexplicável e incontrolável de estar nos braços do outro e que, esse momento chegado, temos o sentimento que não precisamos de nada mais para viver...

Isso o tempo não traz.

O que vem com o tempo é a amizade, o carinho, a segurança, o companheirismo e o hábito de estar com a outra pessoa. Tudo isso até faz parte do amor, mas amor mesmo não é. Muitos podem se satisfazer com isso e ficarem a vida toda junto de alguém sem experimentar outra forma de amor; outros, sonhadores, preferem esperar que o cupido bata realmente à porta para ser, como se deve no desejo Divino, dois em uma só carne.


Letícia Thompson

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Viver Sempre


Para a maioria das pessoas, é muito difícil entender a vida quando se trata de enfrentar grandes problemas de saúde. Sobretudo aquelas enfermidades que levam a criatura à chamada vida vegetativa.
A pessoa perde o domínio das funções fisiológicas e se torna dependente em todos os sentidos.
Necessita de quem a alimente, faça a higiene, troque de posição. E, em muitos casos, não pode sequer se expressar, dizendo o que deseja, porque a fala está comprometida.
Quando somos jovens e cheios de saúde, é comum pensarmos que se algo assim nos acontecer, preferimos mil vezes morrer. Avisamos aos parentes que não desejamos viver em tais condições. O melhor mesmo é que providenciem a nossa morte com uma injeção, um medicamento qualquer.
É difícil imaginar alguém cheio de vida e movimento, de repente, se transformar em um ser paralisado, em um leito de hospital.
Para toda a família, os primeiros momentos parecem uma tragédia. Entretanto, para todos aqueles que já vivenciaram situação semelhante, o significado de uma experiência dessas é de grande valia.
Convivendo com um paciente totalmente dependente, repensamos a própria vida. Que somos, afinal?
Seres extremamente frágeis. Basta um pequeno acidente vascular cerebral para nos transformar em criaturas desprovidas de movimento, fala ou expressão. É uma lição de humildade.
É lição que nos diz que a vida é o bem mais precioso, que devemos preservar com muito cuidado.
Que devemos valorizar todos os momentos com os nossos entes queridos, não deixando por motivo algum de externar o nosso afeto em abraços, carícias, ternura. Porque poderá chegar um dia em que desejaremos fazer tudo isso, e já não poderemos.
Para aquele que sofre a restrição dos movimentos e ainda padece dores, é importante descobrir o quanto é amado. Porque somente quem ama de verdade se recordará de cercar o enfermo de conforto e carinho.
De trocá-lo de posição na cama, a fim de que não se canse. De colocá-lo em uma cadeira, se possível, e levá-lo para passear, mesmo que as suas expressões pareçam de apatia e indiferença.
Quem ama, não deixará de falar ao dependente enfermo do sol, das flores do jardim, da chuva generosa que chega no final da tarde. Não deixará de abrir as janelas para que a brisa penetre e, no cair da noite, as estrelas venham visitar o ser amado com sua luz.
*   *   *
Se você está muito enfermo, não deseje a morte. Aproveite a vida que lhe resta. Reaprenda a sentir alegria com os sons da natureza.
Se estiver de todo impossibilitado de se mover, tente apertar a mão que o acaricia e o toca. Assim você estará manifestando a sua gratidão pelos cuidados que recebe.
Se você é aquele que esquece de si mesmo em benefício de outrem, enfermo e dependente, agradeça a Deus pela oportunidade de ser, na Terra, os braços e pernas do seu afeto. Os olhos que veem a beleza, os ouvidos que ouvem e os braços que envolvem.
Porque, em qualquer circunstância, é sempre mais feliz aquele que dá do que aquele que precisa receber.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Nada na vida acontece em vão ...


Se um dia ao acordar, você encontrasse, ao lado da sua cama, um
lindo pacote embrulhado com fitas coloridas, você o abriria, antes mesmo de lavar o rosto, rasgando o papel, curioso para ver o que havia dentro...

Talvez houvesse ali algo de que você nem gostasse muito... Então você guardaria a caixa, pensando no que fazer com aquele presente aparentemente "inútil" ...

Mas no dia seguinte, lá está outra caixa.. mais uma vez, você abre correndo e dessa vez há alguma coisa da qual você gosta muito...

Uma lembrança de alguém distante, uma roupa que você viu na vitrine, a chave de um carro novo, um casaco para os dias de frio ou simplesmente um ramo de flores de alguém que se lembrou de você...

E isso acontece todos os dias, mas nós nem percebemos...
Todos os dias quando acordamos, lá está, à nossa frente, uma caixa de presentes enviada por Deus, especialmente para nós: um dia inteirinho para usarmos da melhor forma possível!

Às vezes ele vem cheio de problemas, coisas que não conseguimos resolver, tristezas, decepções, lágrimas...

Mas outras vezes, ele vem cheio de surpresas boas, alegrias,
vitórias e conquistas...

O mais importante é que, todos os dias, Deus
embrulha para nós, enquanto dormimos, com todo o carinho, nosso presente: O DIA SEGUINTE!
Ele cerca nosso dia com fitas coloridas, não importa o que esteja por vir...

a esse dia quando acordamos, chamamos PRESENTE...
O PRESENTE de Deus pra nós.
Nem sempre Ele nos manda o que esperamos, o que queremos...
Mas Ele sempre, sempre e sempre, nos manda o melhor, o de que precisamos, e que é sempre muito mais do que merecemos...

Abra seu PRESENTE todos os dias, primeiro agradecendo a quem o mandou, sem se importar com o que vem dentro do "pacote“.
Sem dúvida, Ele não se engana na remessa dos pacotes.
Se não veio hoje o PRESENTE que você esperava, espere...

Abra o de amanhã com mais carinho, pois a qualquer momento, os sonhos e planos de Deus pra você chegarão, embrulhadinhos pra PRESENTE!

DEUS não atende as nossas vontades, e sim nossas necessidades.

Que você tenha um dia abençoado, cheio da Presença de Deus, e que seu presente venha lhe trazer muita paz, experiências com Deus, e esclarecimento sobre o muito que ainda temos a aprender com Ele e por Ele

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Reflexão II


De novo quero refletir sobre um dos melhores antídotos para a tristeza, angústia, depressão e outras "coisinhas" que afetam as pessoas: o valor e a importância do sorriso!

Conhece alguém que tem facilidade de sorrir? Já percebeu se essa pessoa fica deprimida por pouca coisa? Claro que não! Ninguém fica deprimido se consegue dar boas risadas!

O ato de rir ou de sorrir faz com que o cérebro produza uma elevação natural de humor e libera algumas substâncias químicas que fazem melhorar a sua vida! E o inverso também é verdadeiro: quando você está bravo, magoado, chateado outras substâncias são liberadas, desta vez envenenando o seu corpo, o seu espírito!

Dê imediatamente um sorriso pra você mesmo e perceba uma sensação profunda de alegria e paz verdadeiramente terapêutica. Vamos, faça isso agora! Mostre os seus dentes pra você mesmo, pô!

O humor não só transforma sua mente e suas emoções, mas também tem um processo de cura! Regenera suas células, sua vida! Quem sorri se cura! E quem vive na raiva, no rancor, no ódio, na maldade?

Tem uma outra coisa interessante no sorriso: ele te ajuda a dar uma perspectiva adequada à vida. Nem tudo é tão feio assim, viu? E o sorriso devolve nossos pés ao chão! Aprenda a não levar a vida tão a sério, tá? Afinal, estamos de passagem. E portanto, devemos aproveitar bem a vida, a viagem, os acontecimentos, certo?

Quer saber qual a forma de encurtar bastante a distância entre duas pessoas? O sorriso, é lógico! Experimente sorrir mais, pra qualquer coisa e pra todo mundo e veja como muda o seu relacionamento, a sua capacidade de conquistar as pessoas!

Você e seus amigos mais "chegados" têm o mesmo senso de humor, sabia? De bom humor ou de mau humor! Credo! Sorrir faz bem e deixa você muito mais bonito!

Só você pode fazer com que a sua personalidade esteja sempre radiante e cheia de humor. E ilumine sua vida e a de todos com o seu sorriso, que deve ser único e lindo! Se você ainda não sabe, todo mundo aprecia uma pessoa bem humorada, viu? Divirta-se mais, tá? A vida é um presente de Deus e deve ser curtida e aproveitada com alegria! Ou você acha que Deus iria fazer uma porcaria de vida pra você?

Bom Dia, criatura de Deus! Bom divertimento!

"Perceba que as coisas boas estão dentro de você, onde o desejo não precisa de razão, nem os sentimentos de motivos"

                                                                                                                          Luis Carlos Mazzini

Aprendi a não bater de frente com quem só entende o que lhe convém

Uma das coisas mais desagradáveis que ocorrem é sermos mal entendidos, quando o outro deturpa nossas palavras ou nossas atitudes, desconte...