sexta-feira, 23 de outubro de 2020

Farinhas do mesmo saco


Outro dia, um amigo de longa data se referiu a mim e a uma amiga em comum como “farinhas do mesmo saco”. E ri da expressão, orgulhosa de ser o mesmo tipo de pessoa que minha amiga.

Dizem que os opostos se atraem. Talvez porque eu busque no outro o que me falta, ou aquilo que desejo revelar, mas só ele consegue exteriorizar.

Porém, em se tratando de amizades, felicidade é ser farinha do mesmo saco, do tipo que engrossa o mesmo caldo ou dá consistência ao fermento que fomenta a vida.

Quero ser farinha do mesmo saco de quem mora longe, mas se faz sempre perto, e não deixa a saudade distanciar. De quem cuida da amizade com vontade de estar presente, sem correr o risco de que o tempo apazigue a memória do que sempre queremos lembrar;

Desejo ser farinha do mesmo saco de quem não tem medo de ser imperfeito, e trata com carinho seus deslizes, compreendendo que nossas incompletudes são partes do mesmo saco também;

Sou farinha do mesmo saco de quem compartilhou um tempo bom, e fez da trilha sonora e cinematográfica de sua vida parte da minha também, eternizando “Grease”, os clássicos deWoody Allen, “Moon River”, Legião e “Go Back” _ na versão linda com Fito Paez;

Sou farinha do mesmo saco de quem me viu modificar com a idade, e transformou-se comigo, superando as dificuldades do caminho e prosseguindo lado a lado, compreendendo que ainda que os roteiros sejam distintos, permanece aquela linha invisível ligando os mundos;

Quero ser farinha do mesmo saco dos amigos que inventam grupos no whatsapp, e espalham videos, fotos e outras bobagens só pelo pretexto de nunca mais deixarem a distância apartar;

Sou farinha do mesmo saco de quem não consigo esconder um segredo, e partilho mesmo correndo o risco de chorar; entendendo que no mesmo saco encontro amparo para meus medos e conflitos também;

Sou farinha do mesmo saco de quem entende minha reserva de tempos em tempos, a necessidade de encontrar abrigo em meu universo particular, de quem supera meu contraste e introspecção;

Sou farinha do mesmo saco de quem não se fragiliza diante de minha alegria, mas partilha do mesmo sorriso quando a vida floresce em meu canteiro;

Quero ser farinha do mesmo saco de quem compartilha sua alegria sem rodeios, e não se intimida quando o tempo traz a poda de suas _ e minhas _ mudas ou estruturas;

Sou farinha do mesmo saco de quem não tem medo de chegar, e não vive com receio de que a proximidade derrube as portas que construiu pra se blindar. De quem entende que a amizade é um sentimento mútuo, que só cresce reciprocamente;

Sou farinha do mesmo saco de quem perdoa a si mesmo, e aprende a não se culpar em demasia. De quem me ensina a relevar meus próprios julgamentos e entende minhas pequenices, tombos e fraquezas, sem usar isso pra me desconcertar;

Quero ser farinha do mesmo saco de quem ama sem impôr condições, e permite que lhe amem na mesma proporção. De quem não evita a possibilidade de ser melhor com o tempo, mas tenta se aprimorar com a passagem dos momentos;

Sou farinha do mesmo saco de quem sabe dirigir o olhar com delicadeza e serenidade, acreditando que é merecedor de dádivas e milagres diários. De quem sabe agradecer o presente que é a própria vida e tolera os imprevistos com ginga e sabedoria;

Quero ser farinha do mesmo saco de quem tem tanto a me ensinar, pois meus pés ainda trilham terra barrenta, que tem tanto a se transformar.

A vida nos pede ânimo novo todos os dias. Precisamos ser farinhas do mesmo saco. Precisamos de quem nos ajude a lapidar nossas arestas e arredondar nossos cantos ou esquinas.

Bom mesmo é encontrar quem nos acolha. Quem tem tanto a oferecer e nos enxerga com olhos generosos. Quem nos abraça e convida a ser assim, simplesmente… Farinhas do mesmo saco…


*Fabiola Simoes

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

QUANDO A CASA DOS AVÓS SE FECHA


Acho que um dos momentos mais tristes da nossa vida é quando a porta da casa dos avós se fecha para sempre, ou seja, quando essa porta se fecha, encerramos os encontros com todos os membros da família, que em ocasiões especiais quando se reúnem, exaltam os sobrenomes, como se fosse uma família real, e, sempre carregados pelo amor dos avós, como uma bandeira, eles (os avós) são culpados e cúmplices de tudo.

Quando fechamos a casa dos avós, também terminamos as tardes felizes com tios, primos, netos, sobrinhos, pais, irmãos e até recém-casados que se apaixonam pelo ambiente que ali se respira.

Não precisa nem sair de casa, estar na casa dos avós é o que toda família precisa para ser feliz.

As reuniões de Natal, regadas com o cheiro a tinta fresca, que cada ano que chegam, pensamos “...e se essa for a última vez”? É difícil aceitar que isso tenha um prazo, que um dia tudo ficará coberto de poeira e o riso será uma lembrança longínqua de tempos talvez melhores.

O ano passa enquanto você espera por esses momentos, e sem perceber, passamos de crianças abrindo presentes, a sentarmos ao lado dos adultos na mesma mesa, brincando do almoço, e do aperitivo para o jantar, porque o tempo da família não passa e o aperitivo é sagrado.

A casa dos avós está sempre cheia de cadeiras, nunca se sabe se um primo vai trazer namorada, porque aqui todos são bem-vindos.

Sempre haverá uma garrafa térmica com café, ou alguém disposto a fazê-lo.

Você cumprimenta as pessoas que passam pela porta, mesmo que sejam estranhas, porque as pessoas na rua dos seus avós são o seu povo, eles são a sua cidade.

Fechar a casa dos avós é dizer adeus às canções com a avó e aos conselhos do avô, ao dinheiro que te dão secretamente dos teus pais como se fosse uma ilegalidade, chorar de rir por qualquer bobagem, ou chorar a dor daqueles que partiram cedo demais. É dizer adeus à emoção de chegar à cozinha e descobrir as panelas, e saborear a “comida da nona”.

Portanto, se você tiver a oportunidade de bater na porta dessa casa e alguém abrir para você por dentro, aproveite sempre que puder, porque ver seus avós ou seus velhos, ficar sentado esperando para lhe dar um beijo é a maior sensação,a mais maravilhosa, que você pode sentir na vida.

Descobrimos que agora nós temos que ser os avós,e nunca vamos perder a oportunidade de abrir as portas para nossos filhos e netos, e celebrar com eles o dom da família, porque só na família é onde os filhos e os netos encontrarão o espaço oportuno para viver o mistério do amor por quem está mais próximo e por quem está ao seu redor.

Aproveite e aproveite a casa dos avós, pois chegará um tempo em que na solidão de suas paredes e recantos, se fechar os olhos e se concentrar, poderá ouvir talvez o eco de um sorriso ou de um grito, preso no tempo. De resto, posso dizer que ao abri-los, a saudade vai pegar você, e você vai se perguntar: por que tudo foi tão rápido? E vai ser doloroso descobrir que é real,a casa está fechada!


quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Há pessoas que não querem amar, querem apenas saber que tem alguém ao lado


Há pessoas que não querem amar, querem apenas saber que tem alguém ao seu lado. Apenas isso.

O comportamento revela que, na verdade o que elas querem mesmo é a boa companhia, a energia da pessoa por perto, o apoio, o carinho e não amor, ou relacionamento e planos.

Sim, nem tudo é como se quer. É possível se frustrar nesse negócio de relações humanas. Por isso é bom ficar atento aos sinais!


Existem pessoas que despertam uma maior afinidade, química, enrosco, aquele “algo a mais.” A partir destes sentimentos é normal pulsar o desejo de se construir algo juntos, levar adiante aquele encontro rico de bom papo, boa química, bom beijo e companhia. Mas aí vai desenrolando a trama e é possível realizar que nem tudo é como parece.


Têm pessoas que não buscam conexão, não querem contato profundo e não estão interessadas em fazer o outro feliz, em amá-lo! São rasos. Vão até a página dois.

São capazes até mesmo de magoar por ignorar os sentimentos do outro, de não saber dar atenção e ser recíproco. São capazes de traição, sem remorso.


Essas pessoas não costumam se interessar. No seu repertório não existe o “Como você está”? A relação nunca será de um interesse sincero. Elas são egoístas. Pensam apenas em seus sentimentos e podem até mesmo manipular uma relação para tirar o melhor proveito para si.


São pessoas sem amor-próprio que acabam usando da energia do outro para se fortalecerem e, por isso, também se passam por bons amigos, bons parceiros, mas no fim, estão apenas usufruindo dos seus interesses.


Deparar-se com pessoas assim pode ser uma grande cilada, pois, de início, é possível achar que tudo não passa de viagem do ego. Que a falta de interesse e cuidado, é porque é do tipo desligado mesmo ou que isso não tem importância. É bom saber quando a recíproca é verdadeira ou se está numa grande emboscada emocional!


Ser apenas um doador de boa energia não faz ninguém especial, pelo contrário. Uma boa relação se constrói juntos. Ambos no mesmo caminho.


É bom estar atento a estas pessoas. Elas não querem amar, querem apenas alguém por perto para saber que não estão sozinhas sem ao menos se dar o trabalho de cultivar uma boa relação.


Quando não sai da forma que se deseja é bom parar. Nunca ache que merece menos. O amor deve existir de forma real e interessada!

Às vezes, não é viagem do ego, é mesmo uma relação de mão única, e esse caminho não leva a lugar algum. Fica aquela máxima: “Antes só que mal acompanhado“!


*Anieli Talon

terça-feira, 20 de outubro de 2020

As coisas não mudam por dois motivos: ou é medo ou já é tarde demais


A hesitação em agir muitas vezes acaba culminando no desperdício de oportunidades únicas, que já terão ido embora quando resolvermos abraçá-las. Demorar-se demais nas dúvidas pode nos impedir de avançar na hora certa, de aproveitar o melhor momento, de optar por quem seria verdadeiro.


Mudar algo lá fora e mudar algo dentro de nós são tarefas muitas vezes difíceis e assustadoras. A gente gosta do que é certo, do que já está estabelecido, do que é constante. A gente até força e se ilude com o que supostamente já está ali do lado, com quem permanece faz tempo, com o que somos desde cedo. A zona de conforto é deveras cômoda e muitos não ousam questioná-la, pois isso requer uma coragem absurda.

 

Fato é que nunca teremos certeza absoluta quanto às tomadas de decisão que assumiremos vida afora, uma vez que a escolha implica, em si, também uma renúncia. Quando optamos por algo, deixamos para trás alguma coisa e assim nos questionaremos quanto à possibilidade de o que preterimos ter sido o que deveríamos ter mantido. Jamais teremos cem por cento de certeza sobre nossas escolhas, sobre o que devemos guardar e o que necessita ser jogado fora.


E dá medo. Medo de desistir de algo ou de alguém que merecia um pouco mais de insistência. Medo de ficar dando chances à mesma pessoa inutilmente, tendo outro alguém esperando somente uma chance nossa. Medo de partir para um emprego mais afim com nossas habilidades, porém incerto quanto à remuneração. Medo de mudar o corte de cabelo ou sua cor, de usar jeans rasgado, de opinar numa reunião. Medo de se arrepender.


E, por mais que nos alertem, por mais que nos sintamos incomodados, bem lá no fundo, por mais que o que não muda não nos anime, chegará um momento em que a dor por não mudar será insuportável. Teremos, então, que tomar uma atitude, caso desejemos sobreviver, seguir em paz, voltar a sorrir com verdade. Ou isso ou vivemos pela metade, sufocados, à margem da totalidade de sonhos que nos aguardam ali pertinho, sonhos nossos, mas que dependem de nossa coragem.

 

Infelizmente, a hesitação em agir muitas vezes acaba culminando no desperdício de oportunidades únicas, que já terão ido embora quando resolvermos abraçá-las. Demorar-se demais nas dúvidas pode nos impedir de avançar na hora certa, de aproveitar o melhor momento, de optar por quem seria verdadeiro. E então a lamentação será dolorosa, enquanto sentimos o que deveria estar junto se esvaindo por entre nossas mãos. E então será tarde demais. Como dói o tarde demais…


Temer errar não é de todo mal, pois o medo, muitas vezes, protege-nos e alerta-nos aos descaminhos que devemos evitar. Mesmo assim, precisaremos evitar nos acomodarmos junto ao que e a quem nada trazem de bom, nada acrescentam, em nada ajudam. Mais vale um caminho de lutas em busca do que nos faz feliz do que um repouso paralisante junto a incertezas que incomodam. Vamos ser felizes agora, que o depois demora muito.

*Marcel Camargo

Imagem de capa: Angelo Cordeschi, Shutterstock 

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

O relógio de Deus nunca se atrasa. Na hora certa, tudo se resolverá!


Confie em Deus, Ele está trabalhando por você e, na hora certa, trará a resposta para todos os seus problemas!

 

Quando estamos passando por algum momento de crise pessoal, podemos deixar que os problemas afetem a nossa fé e nos façam duvidar da lealdade de Deus e de Seus planos para nós, permitir que a maldade e o egoísmo das pessoas cheguem aos nossos corações e a nossa paz seja roubada por acontecimentos negativos, e nos enfraquecemos pouco a pouco, perdendo a capacidade de sorrir e acreditar que existem grandes coisas prontas para entrarem em nosso caminho.


Todos nós já passamos por uma situação assim e nos tornamos reféns dos próprios pensamentos e sentimentos negativos, e criamos uma nuvem negra sobre nossas cabeças, sabotando a nossa felicidade e permanecendo muito mais tempo do que o necessário em uma fase difícil.


No entanto, a diferença desses para aqueles que conseguem superar os seus problemas e encontrar um caminho melhor está em como estes reagem quando os problemas chegam. Essas pessoas colocam a fé em Deus acima de qualquer circunstância ruim e acalmam o coração, porque sabem que, na hora certa, tudo se ajeitará.

 

Elas sabem que o tempo de Deus está sempre certo e o melhor a fazer é confiar e esperar com paciência, porque nenhuma tempestade dura mais do que o necessário.


Pessoas de fé verdadeira são um grande exemplo para nós e nos mostram, através de cada atitude, o que é confiar em Deus e permitir que Sua vontade seja feita em nossa vida. Essas pessoas são humildes, bondosas e desapegadas de qualquer necessidade de controle. Elas entendem que Deus é o único que sabe verdadeiramente o que é melhor, por isso entregam tudo em Suas mãos.


Elas podem até passar por momentos ruins e enfrentar grandes dificuldades, mas não há nada que possa verdadeiramente abalá-las, porque aprenderam a dominar qualquer tipo de medo e insegurança com sua fé e permitir que a vontade divina guie os seus passos, não a própria ganância.


Se você se encontra numa fase difícil neste momento e está inseguro sobre o que o aguarda, seja como essas pessoas, entregue tudo nas mãos de Deus e deixe que Ele seja a sua orientação.

 

Deus nunca falha conosco, e quando entregamos a Ele o controle das pequenas e grandes coisas de nossas vidas, tudo acontece da maneira certa, ainda que demore um pouco mais do que esperamos.


O relógio de Deus é perfeito, Ele nunca se atrasa e, na hora certa, trará grandes coisas para sua vida. Creia!


*Luiza Fletcher

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Eis a vida: é uma porrada atrás da outra


E, quando nada mais parece restar, a não ser desistir, a não ser parar, morrer em vida, é momento de se agarrar à fé. Fé em Deus, em algo superior, em alguma força que venha não se sabe de onde, fé no que temos dentro de nós – a gente é mais forte do que imagina.


Cheguei à conclusão de que, não importa o tanto que a gente ore ou tente andar corretamente, a vida muitas vezes vem para derrubar com força, atropelando, passando por cima, deixando-nos sem chão, sem norte, sem rumo. Quando achamos que está tudo bem, que finalmente teremos paz, lá vem tempestade se formando sobre nossas cabeças, lá vem dor, decepção choro e sofrimento. Isso não é pessimismo de minha parte, é mera constatação.


Eu não vivo sozinho, não sigo de acordo só com o que eu penso e quero, porque existem mais pessoas comigo, acreditando em mim e torcendo junto. Ninguém faz o que quiser, sem ter que prestar atenção no alcance de suas atitudes. Ninguém consegue agir conforme cada batida de seu coração, a não ser que se trate de alguém sem amigos, sem família e sem noção de coletividade. Nada do que fazemos, afinal, recai somente sobre nossas cabeças – somos parte de um corpo coletivo.


Ademais, a gente acaba amando demais algumas pessoas, a gente forma família, círculo de amizades, a gente trabalha junto com os outros. Dessa forma, nossa felicidade não tem autonomia suficiente para se bastar sem se importar com o que ocorre ao seu redor. Não dá para ser feliz, por exemplo, quando há alguém que amamos muito sofrendo bem ali na nossa frente. Nós carregamos as dores que não são somente nossas também, pois somos humanos, compadecemos, olhamos além de nós mesmos.


Como manter o sorriso quando um filho chora ou se mete em enrascada? Como ter ânimo, diante de uma esposa doente, de um irmão acamado, de um amigo endividado, desempregado? Embora não possamos carregar o peso do mundo em nossos ombros, fato é que a nossa essência bondosa acaba, por si só, solidarizando-se com os machucados alheios, chegando junto à dor de quem amamos. Porque a gente divide tudo com as almas amigas, até mesmo o que fere.


Mesmo assim, ainda que eu esmoreça, caia ao chão, chore e pense em desistir, meu instinto de sobrevivência e minha fé acabam por me resgatar. Acredito que nada é por acaso, nada. Tudo é lição, tudo é aprendizado e evolução. E, quando nada mais parece restar, a não ser desistir, a não ser parar, morrer em vida, é momento de se agarrar à fé. Fé em Deus, em algo superior, em alguma força que venha não se sabe de onde, fé no que temos dentro de nós – a gente é mais forte do que imagina. Por isso é que sempre haverá alguém que não desiste de nós. Por isso é que fomos feitos para durar.


*Prof. Marcel Camargo

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Aprendendo com girassóis: não sofra por antecipação. O seu tempo vai chegar!


Recentemente, plantei girassóis. Em um vaso, coloquei quatro sementes.


Passaram-se uns cinco dias e eu já conseguia ver a semente germinar.


Para minha surpresa, apenas três germinaram e uma semente começou a brotar após dez dias.


Resolvi analisar a situação.


As sementes foram plantadas no mesmo solo, recebiam os mesmos cuidados e a mesma proporção de luz solar, porém cada uma germinou no seu tempo.


Às vezes, nós nos cobramos muito. Muitas vezes nos autossabotamos e colocamos pressões desnecessárias em nossos ombros.

“E daí que tenho vinte e cinco anos e não casei como a fulana ou não me formei como a beltrana?!”


Nosso tempo não é medido em números.


O meu tempo não é igual ao da beltrana e da fulana.


Pare, respire! Não se cobre!


Não se culpe se este artigo chamou sua atenção. Estas palavras são as que você precisa no momento. Se você as está lendo, não se torture e vá no seu tempo.


Alguns demoram mais, outros menos, mas cada um tem o seu tempo.


A hora certa vai acontecer. Não adianta ter pressa.

 

Uma professora da minha época de colegial disse uma frase que guardo até hoje: “Não apresse o rio, pois ele corre sozinho.”


Se você está se empenhado para alcançar suas metas, tenha calma! Você colherá os frutos em breve! Não adianta sofrer por antecipação.


O sofrimento por antecipação o corrói e faz com que você perca bons momentos no presente.


O seu tempo vai chegar!


*Estefânia Silva


“Não espere as pessoas morrerem, irem embora, não espere o definitivo bater na sua porta, nós não conhecemos a vida e não sabemos o que virá amanhã, viva como se fosse o último dia da sua história, se hoje você tivesse que realizar a sua última ceia, porque é conhecedor que hoje é o último de sua vida, certamente você não teria tempo pra pressa. Você celebraria até o fim e gostaria de ficar no lado de quem você ama".

(Padre Fábio de Mello )

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Carta de um namorado que já se foi...


— Oi amor, tudo bem?


— Tudo ótimo, eu te amo tanto. — Ele disse sorrindo.


— Também te amo amor, mas porque tá me encarando desse jeito? - Ela disse confusa.


— Amor, quero te pedir uma coisa?


— Claro amor, tudo o que quiser..


— Poderia ficar uma semana sem mim?


— Como assim? Não aguentaria..


— Faz isso por mim, por favor.


— Tá bom amor. Então vamos compensar o tempo que iremos ficar longe um do outro?


— Pensei que nunca iria pedir.


De manhã cedo mais ou menos ás 06:15 ele lhe beijou a testa e disse sussurradamente para não acordá-la: - Eu te amo.


E se foi.


Os dias não pareciam passar, mas exatamente uma semana depois, foi correndo à sua casa e encontrou sua mãe chorando e lhe entregou uma carta que nela estava escrito:


Amor, quando se trata de você o dia fica mais florido, meu coração mais feliz e é maior o meu sorriso. Você foi a melhor coisa que me aconteceu e está acontecendo, mesmo que duvide do meu amor ou algum dia pense que enjoei de você engana-se pois nunca ficarei sóbrio de você, sou viciado em seu sorriso, e; vê-lo todos os dias é a melhor coisa que se pode ter na vida. 


Amei dormir colado à ti, acordar do teu lado e te dar o primeiro beijo de bom dia, não ligo que esteja com o cabelo desarrumado, com a cara amarrada e as roupas amarrotadas o importante é que estou junto à ti e isso é a melhor coisa que eu poderia ter. 


Só peço que não chores por mim, quero que lembre de todos os momentos felizes que passamos juntos. Sua vida continua, só lembre que te amei mais do que tudo e talvez mais do que à mim mesmo, sei que pode está pensando agora o que será da sua vida agora, você à continuará estarei com você à todo momento pois agora sou um anjo e estarei com você em qualquer lugar e lhe apoiando em qualquer decisão, seja qual for. 


E lembra quando lhe pedi pra ficar uma semana sem mim? Pois é eu fui ao médico um dia antes e ele disse que eu teria uma semana de vida e já que conseguiu ficar uma semana acho que consegue um pouco mais, sei muito bem a menina forte que você é, minha menina forte. 


Desculpe todos aqueles ataques de ciúmes bobos, sei que fui inseguro mas foi tudo por você, talvez esse seja meu defeito te querer só pra mim, é uma coisa estranha mas eu não olhava pra nenhuma menina, só pensava em você, nunca lhe traí nem por pensamento, mas antes do namoro era outra coisa. 


Nunca me esquecerei de todos os momentos que passamos juntos, desde aquele passeio ao cinema (nosso primeiro encontro) até aquela nossa última noite de amor uma semana atrás. Não sofra, não se suicide, quero que você viva muitos e muitos anos pois senão minha função de anjo não servirá de nada. 


Me desculpe se te fiz chorar em algum momento como agora, mas tive que lhe prestar explicações pois não ficaria em paz se você pensasse que se fui sem ao menos saber que estou olhando a pessoa que mais amo nesse mundo nesse exato momento e, quando olhar para o céu e ver aquela estrela maiss brilhante no céu, lembra que falávamos que era nossa? 


Pois é quando olhar para o céu e vê-la brilhando saiba que é sou eu fazendo uma serenata para você igual aquelas que fazia nas madrugadas de frio em que se sentia sozinha, quando pulava a sua janela, tomava cada susto, foram e sempre serão os melhores momentos da minha vida, te amo mais que tudo.


Beijos do seu amor.


Hudson Tabachi

terça-feira, 13 de outubro de 2020

VALORIZE QUEM TE ENXERGA QUANDO VOCÊ SE SENTE INVISÍVEL


Um dos melhores conselhos que podemos levar conosco diz respeito à necessidade de cultivarmos as nossas amizades mais especiais, de amarmos de volta quem nos ama verdadeiramente, porque com eles poderemos sempre contar, sem sobra de dúvida. Mesmo assim, muitas vezes acabamos mantendo perto de nós quem não faz a mínima questão de estar ali, quem não soma nada, de quem, na verdade, deveríamos nos afastar.


A vida hoje se constitui, em grande parte, de valores ilusórios, em que as aparências são supervalorizadas, em detrimento da essência, dos sentimentos, prevalecendo o material sobre o espiritual. Com isso, somos atraídos pelo que as pessoas possam oferecer em termos de status, popularidade, conforto material, relegando a segundo plano o que nos é mais caro: a afetividade, o sentimento, a verdade de cada um.


E, assim, muitas vezes nos esquecemos das amizades sinceras, partindo em busca das mais interessantes; não enxergamos quem nos ama com verdade, pois procuramos alguém cuja imagem seja mais condizente com a estética ideal; perdemos grandes oportunidades de nos realizarmos profissionalmente, enquanto ansiamos por empregos rentáveis. Quanto mais nos apegarmos ao externo, mais nos perderemos daquilo que somos de fato, dentro de nós.


Da mesma forma, vamos nos afastando de quem nos faz bem, de quem nos abre sorrisos sinceros, de quem completaria nossa vida em todos os sentidos, na dor, no contentamento, no amor. Já disse Exupéry ser o essencial invisível aos olhos, posto que tudo de que nossa alma precisa não se compra, pois não tem preço. E, sem que alimentemos a nossa essência, permaneceremos vazios e incompletos, ainda que estejamos rodeados de luxo.


Por isso é tão difícil amar. O amor não permanece no que não é verdadeiro, não se sustenta no que é apenas aparente. O amor precisa de essência, daquilo que não se compra, não se comercializa, não se corrompe. O amor não se veste com grifes, tampouco acompanha relacionamentos interesseiros, ou se impressiona com corpos perfeitos. Amor é entrega e reciprocidade, amor vem de dentro e ali se instala, na sinceridade de corações transparentes.


É preciso que consigamos manter junto de nossas vidas gente que faz a diferença, que acredita em nós, dando-nos as mãos para comemorar, para consolar e para nos guiar em direção à luz, ao amanhecer de nossa alma. É preciso que nos acomodemos nos ambientes em que, mais do que conforto, haja sorrisos sinceros e admiração mútua, onde podemos ser e aparentar tudo o que temos dentro de nós e mesmo assim obter aceitação sincera.


Nada nos fará mais falta na vida do que tudo aquilo que pudemos ter sem precisar comprar, porque é isso que nos acalentará durante as duras despedidas que a vida nos obriga a vivenciar. Porque então o amor vencerá tudo, até mesmo a dor da morte.


*Prof. Marcel Camargo

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

Nossa Senhora, guie os meus passos e proteja-me com seu manto de amor


Nossa Senhora, guie-me pela vida, esteja ao meu lado a cada passo do meu caminho e proteja-me da maldade deste mundo com o seu manto de amor infinito.

 

Mãezinha do Céu, você está ao meu lado, acompanhando-me desde o meu primeiro dia de vida. Cuida de mim com todo o amor e zelo possíveis, intercede por mim junto a Deus e sempre tranquiliza o meu coração nos momentos mais difíceis da minha vida.


Eu a considero a minha melhor amiga, porque sei que não importam quais erros eu cometa em minha caminhada, você seguirá me amando e cuidando de mim, sem julgar minhas atitudes e mantendo os braços abertos para mim em todos os momentos.


Sei que não sou o filho perfeito, que em vários momentos eu me esqueço de todas as lições que você me ensinou em todos esses anos e que posso decepcioná-la, mas gostaria de lhe pedir que não desistisse de mim, porque eu estou em constante luta para tornar-me uma pessoa melhor.

 

Preciso de sua ajuda, mãezinha, para enfrentar os desafios em meu caminho com sabedoria e maturidade, e para encarar cada dificuldade como uma oportunidade de me aperfeiçoar e ser uma pessoa melhor, que a orgulha.

Nossa Senhora, segure a minha mão quando o caminho estiver escuro demais e me guie em paz aonde você me deseja levar.


Seja a minha guia pela vida, esteja ao meu lado a cada passo do meu caminho e proteja-me da maldade deste mundo com o seu manto de amor infinito. Eu não tenho poder para controlar a minha vida sozinho mas, com a sua presença, consigo ir além do que posso imaginar.


Esteja ao meu lado, quando eu me deparar com a maldade de pessoas arrogantes e quando tiver de superar as perdas doloridas da vida. Dê-me forças, quando eu pensar em desistir e me traga inspiração para continuar, quando tudo o que eu enxergar for triste.

 

Nossa Senhora, rogo pela sua companhia, pela sua orientação e pelo seu amor, para que me enxergue como uma obra em progresso e que nunca deixe de acreditar em mim.


Eu lhe rogo que enxergue os meus acertos mais do que os meus erros, e me ajude a conquistar a vida que Deus preparou para mim.


Nossa Senhora, seja a minha amiga de jornada e me ajude a atingir os objetivos que farão a minha vida valer a pena.


Isso é o que eu lhe peço com amor e gratidão. Amém.


*Luiza Fletcher


 Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Richard Faenza/123RF Imagens.

sexta-feira, 9 de outubro de 2020

Só nos resta entregar nossas vidas a Deus e confiar que certamente ele fará o melhor.


Nessa vida tem de tudo. “Tem doido para tudo” e ficamos sem entender. Fazemos parte do mundo das diferenças. Ninguém é igual a ninguém e num mundo de infinitas possibilidades, cada ser humano de acordo com sua individualidade, fruto de tudo que viveu e aprendeu no decorrer de uma vida inteira, age de acordo com suas convicções e livre arbítrio.

É em vão tentar convencer que determinada pessoa aja de determinada forma que achamos, na nossa pequenez, ser certo e correto. Toda moeda tem os dois lados e tentar convencer de que os dois lados da moeda são iguais é causa de grande sofrimento para ambos os lados. Por mais que achemos que o outro é esquisito e incompreensível, não importa.

O fato é que existem duas realidades distintas que apesar de não se toparem cara a cara, no tal chamado afinidades, ambas se complementam e são necessárias para que algo maior aconteça. Deus escreve certo por linhas tortas.

Dar murro em ponto de faca para tentar entender e tentar impôr uma visão limitada das coisas, só trará o sentimento de revolta e sofrimento que não será capaz de mudará nada e muito menos a personalidade a tempos já formada de alguém. O melhor a fazer é deixar para lá e acima de tudo respeitar as diferenças.

Como exemplo podemos citar a harmonia de uma orquestra formada por vários e diversos tipos de instrumentos musicais.

Cada um emitindo um som diferente é capaz de formar uma linda melodia.

Para quem está de fora, como expectador, não vai entender como funcionou nos bastidores para se chegar ao grande final, mas com certeza demandou do regente, muito estudo, dedicação, talento e sabedoria para comandar todo o conjunto. E assim funciona nossa vida.

Muitas vezes ficamos sem entender o que está conhecendo em nossas vidas e ao buscarmos uma explicação plausível e sensata, geralmente ficamos frustrados sem uma resposta que nos convença sob a ótica da razão.

A vida é cheia dos mistérios e ao final, ao concluirmos que nunca achamos uma resposta, passamos a aceitar tudo e entregamos nossas vidas ao maior dos regentes, pois sabemos que ao final sempre haverá um triunfo que sem sabermos como opera, nos surpreenderá ao acontecer sem nossa intervenção.

Então, para que tentar perder tempo com perguntas sem respostas?

COM O INEXPLICÁVEL E LINDO SHOW DA VIDA, SÓ NOS RESTA CONFIAR QUE TUDO DARÁ CERTO.

Sempre há uma explicação e um porquê bem maior que nossa visão visão limitada é capaz de compreender e que não nos cabe saber.

Apesar de todos os enigmas que nos cercam, somos capazes de entender que tudo favorece para um grande final feliz e isso é tudo no universo do nada sei, que se resume numa única palavra: fé!

Só nos resta entregar nossas vidas a Deus e confiar que certamente ele fará o melhor.


*Idelma da Costa


*FOTO: de Mayur Gala em Unsplash

Farinhas do mesmo saco

Outro dia, um amigo de longa data se referiu a mim e a uma amiga em comum como “farinhas do mesmo saco”. E ri da expressão, orgulhosa de ser...