SEJA BEM VINDO AO NOSSO BLOG.

SEJA BEM VINDO AO NOSSO BLOG.

OBRIGADO POR SUA VISITA, SE POSSÍVEL COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS E VOLTE SEMPRE!!!

Cesar





FIQUE LIGADO!

quarta-feira, 29 de março de 2017

Amostra grátis!

Há pessoas que amam por amostra grátis. Como assim?
Amam em pequenas dosagens, de forma promocional…Quase como uma “provinha” para que queira mais. O problema é que não há mais e tentamos fazer render aquele pouco.

Nos tornamos reféns daquele trailer que antecede o filme principal. Queremos mais, quando aquilo é tudo.

E assim, nos tornamos dependentes da espera. Uma espera que nunca chega. O desejo por mudanças que não mudam.

Abrimos nosso corpo e alma para quem não tem a pretensão de entrar, mas se contenta em espiar de fora.

E na tentativa de achar esse outro, nos perdemos.Tentando conformar nossos sonhos e desejos àquela situação e, inconscientemente, dizendo que aceitamos aquela relação do jeito que é: pouca.

Neste ponto, nasce o sofrimento. O contraste entre nossas elevadas expectativas e o que a realidade oferece. A ansiedade da idealização. Queremos 2 litros de um recipiente que só cabe 1!

Nada nos foi prometido, mas na nossa mente, há um contrato redigido e assinado (por nós mesmos), que não abrimos mão, dispostos a lutar até às últimas consequências. O tempo passa, nós passamos pelo tempo. E quando despertamos e constatamos o estoque vazio, nos rebelamos.

Exigimos ressarcimento e indenização…”Ele ou ela não mudam”. Mas ele/ ela nunca foram nada além daquilo.

Não são eles que precisam mudar, mas a sua forma de olhar para eles. Ou melhor, a sua forma de olhar para si mesmo. E como toda escolha, tem um custo.

Talvez a amostra grátis tenha sido fácil de adquirir e o “melhor”: grátis. Mas se espera ir além e usufruir de todo potencial, precisará sair da zona de conforto.
Abandonar a postura passiva de quem espera receber e assumir o movimento assertivo de quem corre atrás do que precisa. Precisar é ir além do querer. Queremos muitas coisas, mas trabalhamos pelo que precisamos!

Queira mais, faça mais e especialmente lute por mais. Não se contente com pouco sentimento, pois se você dá mais do que recebe, acabará ficando com menos do que aquilo que já tem.

* Fernando Paz

terça-feira, 28 de março de 2017

Deus nos deixa livres para tudo! Mas, para cada ação livre que temos, existe uma reação certeira!

Mais um belo texto para ser compartilhado com você. Bom dia!
Venha sempreeee!.

César

Deus nos deixa livres para tudo! Mas, para cada ação livre que temos, existe uma reação certeira!
Sejamos Livres!
Deus é realmente um cara genial.
Ele é bem humorado, antenado em tudo que fazemos e deixamos de fazer.
Inventou o livre-arbítrio porque quer que aprendamos a pescar nosso próprio peixe e da forma que acharmos mais conveniente e justa. O que é incrivelmente inteligente da parte d’Ele.
Deus nos deixa livres para tudo aliás; para ajudar quem quisermos, para atrapalhar quem tenhamos vontade, para amar, para odiar, para amparar, para sacanear, para doar, para roubar, para curar, para matar, para elevar, para arruinar e por aí vai. Intolerância, preconceito, discriminação e dedo apontado para o outro, faz parte do pacote. Só não podemos nos esquecer que para cada peso existe uma medida, ou seja, para cada ação livre que temos, existe uma reação certeira.
Tudo que fazemos em detrimento do bem ou do mal colheremos indiscutivelmente. Nosso teto é de vidro e pode a qualquer momento se quebrar e a parede de todo mundo é de borracha e o que bate nela volta para quem jogou a pedra e vice-versa.
A verdade de ninguém é absoluto, todos nós estamos nesta Terra para aprender e evoluir, não se iludam, não estamos definitivamente aqui para passear.
Regressamos já com alguns propósitos, tudo planejado por nós mesmos antes de reencarnar. Voltamos com metas a serem cumpridas, pendências a serem sanadas, problemas a serem resolvidos e tanto a aprender.
As experiências vividas aqui na Terra devem ser tratadas da melhor forma possível, já que um dia incontestavelmente levaremos conosco eternamente na condição de espírito e para a espiritualidade. E o mesmo obviamente acontecerá se conduzirmos de maneira errada nossa vivência terrena.
Independente de religião, temos o dever de praticar o amor, a tolerância, a bondade, a troca.
Praticando o amor com nós mesmos e buscando o melhor em nossas vidas com Fé e dedicação, conseguiremos fazer o mesmo aos outros.
Tenho certeza de que é isso que Deus tanto tenta nos mostrar com toda liberdade que nos dá.
Tudo tem sentido, já que somos seus filhos e sua semelhança.
Então, sejamos todos livres!

* Marta de Xangô

segunda-feira, 27 de março de 2017

Tudo bem não ter certeza sobre o que você quer da vida de vez em quando…

Tudo bem não ter certeza sobre o que você quer da vida de vez em quando…Talvez isso venha com a vivência.
Sentimentos que costumavam ser simples se tornaram uma miríade de complicações. As direções que costumavam ser claras, gradualmente se mesclaram, se misturaram no ar.

Nós costumávamos assobiar uma melodia antes de irmos para o trabalho, e chegávamos lá sentindo-nos refrescados. Agora, na maioria das vezes, nos sentimos entorpecidos. Até mesmo apáticos. O trabalho é maçante, chato. Operamos como máquinas.

Às vezes nos sentimos drenados, exaustos. Deixou de ser “nós”, e se tornou “você” e “eu”. Você e eu dizemos as mesmas coisas, só que elas vêm sem o tom de amor ou felicidade.

Tentamos muito ser perfeitos, e agora estamos perdidos, inseguros sobre como seguir em frente.

Ficamos perdidos quando a dura realidade nos atingiu.

Talvez tenhamos nos perdido quando deixamos de acreditar na beleza dos sonhos, atrofiados pela dureza da realidade, pelo ônus da responsabilidade e presos com a maturidade como carcereira. Então, nós começamos a trabalhar em um lugar que constantemente nos enche de medo.

Talvez tenhamos nos perdido quando começamos a nos importar menos com a pessoa que amamos. O que costumava ser um tempo para conversar e compartilhar foi preenchido com discussões ou silêncio completo. Nos isolamos, olhando fixamente para as brasas fracas do amor, porque não sabemos mais como reavivar as chamas.

Estou aterrorizado. Estamos aterrorizados com essas mudanças graduais em nossas vidas, quando as coisas já não parecem fazer sentido. Isso é porque no fundo, nós não queremos desistir. Todos nós queremos fazer algo e mudar. Queremos viver mais felizes, tornar-nos alguém importante e criarmos algo de valor. Isso é unânime.

Mas tomar uma iniciativa pode ser muito assustador. Você poderia viver consigo mesmo se o que você fez e mudou, no final, tivesse sido um erro?

Para isso, eu diria corajosamente: e daí?

Um brinde a nossos erros.

Daqui a alguns anos, estaremos mais decepcionados com as coisas que não fizemos do que com as coisas que fizemos.

Se não tivermos coragem hoje para explorar, sonhar e descobrir coisas novas, então qual é o propósito da vida?
Lembre-se do que o trouxe aqui em primeiro lugar.

Pergunte a si mesmo: por que você começou a fazer o que está fazendo agora? É porque você gostou da emoção, do desafio de seu trabalho? Ou é porque recebe um salário decente, bons benefícios, e todo mundo sente que você é a pessoa perfeita para este trabalho?

Se você começou a perder o amor por algo em sua vida, descubra o que mudou e como recuperá-lo.

Se você está fazendo algo porque é o que todo mundo pensa que você deveria fazer, e você não concorda, respire fundo e deixe ir.

A vida é muito curta para fazer o que não gosta.
Uma vez que você decidiu fazer algo, não pare até que esteja feito.

“Não tente. Faça. Ou não. Não há tentativa.” – Mestre Yoda

Comprometa-se totalmente. As águias adultas empurram seus filhotes penhasco abaixo, assim aprendem voar ou morrem. Pode parecer cruel, mas às vezes precisamos apenas fechar os olhos e aprender a dar esse salto de fé. Não importa o que você tenha decidido fazer, vá em frente e não olhe para trás.

Tudo bem não estar bem.
Pedir ajuda é muitas vezes interpretado como um sinal de fraqueza. Mas quem é forte o tempo todo? Muitos de nós mascaram nossas inseguranças, nossos medos de estarmos perdidos com uma fachada de força. Com esse comportamento, inconscientemente afastamos aqueles que se preocupam conosco.

Mas talvez, sermos fracos ocasionalmente é o que nos torna humanos. Não há problema em sentir-se inseguro sobre o que você quer ser. Está tudo bem em cair e soluçar. É bom ser vulnerável e terno depois ser atingido por uma perda súbita.

Ninguém deve carregar o fardo de ser forte o tempo todo. Então, compartilhe sua história com sua família. Derrame algumas lágrimas com seus amigos. Encontre sua direção com seu parceiro. Não há problema em dizer “não estou bem”.

É tudo sobre ser honesto consigo mesmo.

Todos nós já nos perdemos e nos deparamos com encruzilhadas antes, sem sabermos qual o caminho certo a escolher. O ponto é, realmente não é sobre estar certo. Trata-se de ser honesto consigo mesmo. Trata-se de fazer o que você quer fazer, no fundo do seu coração. Trata-se de olhar para o que você tem e ser grato. É sobre ter orgulho de si mesmo não importa a sua escolha.

Boa sorte em seus caminhos!

* Luiza Fletcher

sexta-feira, 24 de março de 2017

O senso comum e a salada…

Bom Fim de Semana!
Obrigado pela sua gentil visita ao nosso face. Você é Show!
Compartilhe essa mensagem, é especial!

César

Não julgue a situação antes de conhecer. Não fale do outro sem nunca ter trocado uma palavra com ele.


“Deduzir nem sempre é interpretar a verdade dos fatos. É um pré-julgamento de certezas alheias” – (Monique Frebell)

Conta a história que o grande cientista e pensador Albert Einstein tinha um método diferente para começar a escolha dos seus assistentes.

Dizem que ele convidava o candidato para um almoço e observava se o pretenso colaborador colocava sal na salada antes de experimentá-la. Caso o convidado salgasse a salada antes de dar a primeira garfada, Einstein o reprovava imediatamente. Pode parecer estranho o teste realizado, mais tem fundamento.

Dizia o grande sábio que aquele que coloca sal na salada, antes de saber se ela já estava temperada não reunia as qualidades para ser seu assistente. Parece irrelevante, mas faz sentido, se antes de experimentar as coisas já começarmos colocando sal em tudo, é um sinal de precipitação e prejulgamento. Ao colocarmos sal antes da primeira bocada, estamos afirmando algo que não sabemos, estamos dizendo que a salada está sem sal.

Pensando um pouco sobre o simples teste, e observando as ações e atitudes da maioria das pessoas diante das situações, tudo guarda grande semelhança. Pois somos mestres em julgar antes de conhecer. Somos cientistas em emitir avaliações sem saber, sem experimentar, sem saber. Agimos sem pensar, colocamos sal na salada sem saber se precisa. Julgamos que as coisas do mundo precisam do nosso tempero, mas nem sabemos se já estão temperadas.

Cuidado, antes de julgar um produto, conheça primeiro. Antes de emitir a opinião sobre alguém ou alguma coisa tenha o cuidado de saber sobre quem e sobre o que está falando. Antes de falar mal de algum lugar, visite-o. Antes de comprar alguma coisa, veja se realmente é necessário. Antes de agir pense nos resultados da sua ação. Antes de julgar conheça os fatos, ouça as partes envolvidas.

Antes de achar que sabe a verdade duvide de todas as suas certezas. Antes de sair colocando sal na salada, experimente, veja se o tempero não está na medida certa.

Outra coisa muito importante, sem o conhecimento prévio, não é possível nem colocar sal e o pior não é possível saber a quantidade de sal necessária para o tempero da salada. Não tempere a vida antes de viver.

Não julgue a situação antes de conhecer. Não fale do outro sem nunca ter trocado uma palavra com ele. Não fale do sol, da chuva ou da vida sem viver. Ande no caminho da luz.

*Joel Gonzaga de Sousa

quinta-feira, 23 de março de 2017

A vida é como uma colcha de retalhos…

O Senhor é o meu Pastor e nada me faltará. Obrigado por estar aqui!
Abaixo a mensagem do dia de Hoje.

César

A vida é como uma colcha de retalhos… uma peça de mosaico…
A vida se parece muito com uma peça de mosaico, se você já observou a técnica ou já viu alguma peça produzida, vai entender do que estou falando.
Recebemos um monte de pecinhas recortadas, bem parecidas com um quebra-cabeça. As pecinhas, muitas vezes não se juntam, precisamos encaixar algumas, outras no entanto parecem que nasceram para se unir aquela parte que está solta ali, uma esperando para outra. E a vida é assim ou não? Em todas as áreas, seja ela amorosa, profissional, espiritual, em qualquer parte da vida que você se dispõe a olhar e mexer, vai encontrar peças soltas que parecem não se encaixar, mas que você vira de um lado, mexe de outro e de repente, ela está perfeita, parece que sempre pertenceu aquele lugar.
Muitas vezes encontramos parceiros amorosos que parecem fazer parte da nossa história, aquela pessoa que parece que nasceu para se dedicar a você e vice-versa e de repente, essa peça que parecia encaixada se solta, não se adaptou ao processo do mosaico, mas outras peças virão, sem molde, outras parecendo que vão servir até que quando você encaixa ao modelo ela não tem nada a ver com o contexto e assim, peça por peça, seu modelo de mosaico vai sendo montado.
Fico imaginando como Deus vai costurando essa colcha de retalhos que liga uma história a outra e a outra e de repente, aquilo que você não conseguia entender, se torna uma grande peça linda…
Interessante é pensar nesses elos que ligam as peças… Fico imaginando como Deus vai costurando essa colcha de retalhos que liga uma história a outra e a outra e de repente, aquilo que você não conseguia entender, se torna uma grande peça linda, seja um mosaico, seja uma colcha de retalhos, vale a pena pensar nesses fatos isolados que acontecem e que você se pergunta: Porque? Lá na frente, algo se une a isso e você terá a sua resposta.
Você já imaginou os quantos “não aconteceram” na sua vida para que o que acontecesse chegasse até você? Quantos elos você quebrou ao não se permitir vivenciar determinada história? Já parou pra pensar que tudo que acontece com você tem uma razão única determinada pela sua própria vontade, que foi sonhada por você juntamente com Deus antes mesmo que você pudesse estar aqui no planeta terra?
Muitas vezes a vida vai tomando forma sem a gente entender bem o que tá acontecendo, sinto que isso acontece assim, estou aqui, tentando montar uma parte do mosaico, então procuro pela peça que vai se encaixar perfeitamente, mas ela está bem escondida, porque ainda não é a hora dessa peça, exatamente ela, fazer parte do meu processo, então eu coloca várias outras que não servem, ficam grandes ou pequenas demais, a cor não combina, o formato não é adequado e então, de repente, bem ali debaixo do meu nariz está a peça que faltava para completar essa pequena parte. Ao mesmo tempo, sinto que algumas peças eu não chego nem a escolher, porque elas simplesmente nasceram ali, parece que brotaram.
A vida é assim, um tabuleiro de jogo, uma peça de mosaico ou uma colcha de retalhos, ela vai tomando forma o que a gente precisa fazer apenas é viver…
A vida é assim, um tabuleiro de jogo, uma peça de mosaico ou uma colcha de retalhos, ela vai tomando forma o que a gente precisa fazer apenas é viver, sentir, nos entregar para o momento, aceitar as mudanças, esperar pelo melhor, acreditar sempre que algo muito maior está se formando em prol da nossa existência. Às vezes essa tarefa é um grande desafio, nos momentos de tristeza, dissabores, luto, perda, não é fácil entender que aquilo deveria estar acontecendo assim, mas tá tudo bem, depois de um tempo, as peças se encaixam e você entende que não haveria outra forma de viver, que essa história está sendo costurada pela mão de Deus e que Ele sabe o que é melhor, ele tem a visão do todo e consegue ver o que daria a sua colcha um belo colorido ou não.
Confie na sua história, na versão maior do seu Eu, confie na sua escolha de estar aqui e na intuição que fala o tempo todo através do seu coração. Confiar é um ato de fé e coragem. Coloque-se à disposição da vida para que ela entregue o que só você pode viver. Às vezes tudo vira uma bagunça, falta paciência, otimismo, criatividade e até a fé dá uma balançada, mas até isso faz parte de todo o processo, por isso é tão importante aquele mantra com 4 palavrinhas que transformam qualquer situação desafiadora, são elas: entregue, aceite, confie e agradeça! Lembre-se sempre, até a bagunça faz parte do processo, ela levará você ao próximo elo, e a peça que compõe muito bem o seu modelo de mosaico. Esteja sempre de coração aberto para enxergar o essencial!

*Carol Daimond

quarta-feira, 22 de março de 2017

Não Saberia Viver Sem Você!

Hoje é quarta-feira, Dia de falar de Amor na Vang FM. Abaixo a mensagem do dia de hj.

César


Preciso de coragem
Para te dizer mais uma vez eu te amo

Preciso de ousadia
Para te roubar um beijo

Preciso de forca
Para lutar por você

Preciso de esperança
Para te amar

Preciso dormir
Para sonhar com você

Preciso acordar
Para ver que você não é um sonho

Preciso ver você
Para não pensar que sou cego

Preciso tocar em você
Para não pensar que sou louco

Preciso de você
Para viver

Preciso de teu amor
Para ser feliz

Não saberia te dizer o quanto te amo... 
Mas saberia dizer o quanto te preciso... 
Não saberia te dizer por quanto vou te amar.... 
Mas saberia te dizer como te preciso.... 
Não saberia te dizer porque te amo.... 
Mas saberia te dizer que só quero te amar... 
Não saberia te dizer o porque de tudo... 
Mas sei te dizer : te amo...

terça-feira, 21 de março de 2017

Reencontros de almas são assim…

Um dia você cruza pelo mundo e seus olhos recaem sobre ela… Ou os olhos dela te procuram insistentemente ao ponto de você sentir que está sendo observado e que conhece o peso daquele olhar que nem ao menos você sustentou ainda, nesta vida.

Quando as almas descem em resgate e encontram-se o relacionamento pode não ser dos mais tranquilos, mas se o foco estiver em harmonizar este reencontro e saldar as velhas dores e ressentimentos, com certeza, nossa alma vai fazer tudo que for possível e vai almejar o impossível, para vencer esta etapa. Vai aceitar aprender com o outro, vai assentir que a aprendizagem chegue de forma suave e que faça com que a mente suspire por uma mudança que vai trazer o bem necessário.

Encontrar uma alma é assim, o coração pode ainda carregar dores passadas, mas se elas acertaram o reencontro, porque na vida, seja ela onde for, nada é acaso, elas vão ser colocadas à prova e vão sentir que uma mudança é necessária…
E o que era dor, ferida, saudade, vai se tornar o amor mais lindo que as duas poderem transformar. Mesmo que não fiquem juntas, mesmo que o relacionamento acabe, elas sabem que amam de uma forma diferente, não mais da antiga forma deturpada, viciosa, violenta, mentirosa, traiçoeira, mas que receberam a benção do reencontro para testar a si mesmas se realmente querem guardar outro tipo de amor dentro da bagagem do coração… O amor que aceita, que perdoa, que acaricia mesmo ao longe e que tenta não ferir mais o outro…

Almas que se buscam para resgatar chegam cansadas, desconfiadas, armadas, mas com o autoesforço, mesmo que não lembre, a alma registra e sabe o que veio fazer, ela arregaça as mangas, engole o orgulho ferido, deixa de lado o medo de não conseguir e vai em frente, nem que para isso ela tenha que ajudar o outro, mesmo que para transformar em perdão e amor, ela tenha que passar por cima de alguns hábitos que acredita serem imutáveis dentro do seu ego… Elas se desarmam e tentam, com todas as suas forças, mas jamais ultrapassando os próprios limites que as mantém equilibradas, porque o reencontro exige a luta pelo equilíbrio mesmo que uma não deseje resgatar e que não se esforce, a outra saberá até onde pode estender os braços e a que buracos pode descer para ajudar o outro.

Almas sabem até onde devem ir, sabem que não nasceram para salvar o outro, mas para alertar e deixar que caminhe com suas próprias pernas. Sabem que mesmo com dor, precisam seguir em frente, mesmo que o outro deseje ficar para trás. Elas melhoram-se porque sabem que a única missão de uma alma é guiar a si mesma, cuidar de si mesma e soerguer a si mesma… Quando uma alma ferida aprende a fazer por si o que desejaria fazer por um amor que se perdeu, ela está pronta para ser livre e deixar com um sorriso, para trás, tudo e todos aqueles que não estão prontos para alçar o mesmo voo. Elas sabem e sentem, que o que vieram aprender em contato com o outro é deixá-lo crescer e seguir sua própria vontade e intuição, sem impor-se de forma violenta ou manipulativa, forçando o outro a fazer algo que não está pronto.

No caminho elas aprendem, cuidam-se, valorizam-se e dão-se o colo que não receberam, porque sabem que uma nova e linda etapa reinicia e que precisam estar bem para vencer.

Almas quando buscam-se no eterno resgate dos reencontros terrenos, sempre vão poder buscar-se para saldar o que há pendente, sabem que não adianta a pressa, porque o mundo nunca vai acabar e os reencontros sempre vão acontecer.

Reencontrar para curar é assim, sentimos que de tudo que pode acontecer, porque tudo acontece, o nosso foco é perdoar e amar e se for ao longe, também é amor…
Corpos físicos estão longes, energia de almas nunca se separam e é esta certeza que as reaproxima com tanta perfeição e sincronicidade… A energia de suas almas jamais se desconecta… Podem sentir uma a outra, podem escutar, podem tocar, podem conversar mesmo sem nunca terem se visto na atual vida corpórea… Mesmo sem saber que fazem isto…

Quando tudo parece doloroso demais, quando tudo parece estar perdido… Sempre vai existir uma luz, um caminho que nos coloque onde deveríamos estar, onde deveríamos vivenciar…

E quando tudo se acalma e conseguimos fechar os olhos e sorrir, mesmo tristes, mesmo acreditando que tudo falhou, se conseguirmos enviar amor para esta alma ou pelo menos o desejo sincero de querer resolver e que em uma outra oportunidade vamos nos esforçar outra vez… Aí se mostra a vitória, por que quem ainda não consegue amar um resgate, pode ao menos respeitar… E o respeito é o grande caminho que leva ao amor…

*Paula Aguerre