sexta-feira, 4 de setembro de 2020

A vida é uma prova e cada um dá respostas diferentes para a mesma pergunta…

E aí vai seguir em frente? Sim. Não. Não sei. Poder ser. Vou mais tarde. Vou sozinho? Alguém vai comigo? Se fosse um vestibular e a resposta precisaria ser exata, entraríamos em conflito.

Não, não temos respostas precisas sem nenhuma sombra de dúvidas para muitas coisas. E quando há múltiplas escolhas nos confundimos entre razão, emoção ou a falta delas.

Pois é, não veio manual, não vieram muitas regras claras, os textos mudaram com o tempo, nós apagamos algumas partes, rasgamos algumas folhas e assim vamos levando.

A vida é uma prova de amor, de atitudes, de resistência, de paciência, de vontade. Tem lição todo dia para fazer. Parece nos compensar com notas boas quando damos a resposta exata e não ser muito legal quando deixamos a tarefa meio de lado.

Há detalhes que não dá para copiar dos outros. Se bem que quando plagiamos alguma coisa conseguimos nos safar. E quando todas as alternativas estão incorretas? Aí parece que já sabemos o caminho a percorrer.

A vida costuma fazer perguntas diferentes para cada um em cada etapa. Não permite que pensemos demais a respeito de algo e nem que erremos todos os cálculos porque é preciso seguir com a matéria.

Ela também permite que estudemos juntos. Há troca, há ajuda, há vontade de cada um dar o melhor de si. A gente também aprende junto mesmo que cada um tenha seu jeito. E as respostas têm significados diferentes.

É preciso calcular como ir em frente, explicar porque deixamos deveres para trás, dissertar sobre desculpas, erros, equívocos. Mas nas linhas das páginas em branco que vamos preenchendo também há frases e versos que dão muito sentido a nossa existência.

Algumas vezes desejamos que a vida não nos coloque mais à prova. Nos deixe apenas estudando, treinando e ensaiando sem precisar provar nada para ninguém.

Quando repetimos os mesmos erros com os outros e nós mesmos, quando nos repetimos com as pessoas erradas é como se estivéssemos repetindo o ano. Sorte que há uma nova oportunidade de aprender e superar o erro.

Nem ao menos sabemos direito o que queremos provar para a vida ou para as outras pessoas. E tão menos se a vida precisa provar algo para nós. Entretanto, o bom é que temos uma segunda chance, assim como a segunda época. Dá para reler, repensar, refazer muitas experiências e conseguimos isso em menos tempo do que um ano inteiro.

Neste longo período em que a vida vai nos testando, nos colocando em provas, ela também nos mostra que nem sempre se comporta como uma professora exigente. Percebeu que enquanto alunos o quanto já conseguimos provar da vida?

*Kênia Casagrande

Sobre os ciclos e recomeços da vida…

Nossa vida é uma eterna construção, mesmo quando erramos, algo está sendo construído. Toda construção requer tempo e mais do que qualquer ou...