quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

...

Se ouvires uma voz dentro da escuridão quando estiveres na solidão, vais lembrar de mim. Se sentires o toque da mão de alguém que te impede seguir em frente, vais lembrar de mim. Eu movi montanhas para te alcançar, corri mais que o tempo para não te deixar e quando não houver flores no teu jardim é só olhares para a luz e vais lembrar de mim.

Não me arrependo quando te amei, entristeço-me por não ter conseguido conquistar-te, quem sabe eu fui pouco para ti, e tu eras demais para mim, ou quem sabe não foi assim, talvez eu fosse tanto, tão além das tuas possibilidades, que apesar do meu encanto, tu não assumiste tal responsabilidade. Enfim agora já não importa, porque nada entre nós aconteceu, eu nunca fui teu, e tu jamais foste minha. Se, apesar de tudo, dissemos palavras de amor, que elas sejam enterradas sem nenhum pudor.

O que dissemos o tempo pode levar, e tão distante colocar, que chegará um dia que de nada vamos lembrar. O tempo só não apagará as palavras em formas de poesia que por mim foram escritas um dia é, com isso que vais ter que conviver, de vez em quando, em algum lugar vais ler algo que foi escrito para ti. Não acredito que isso te fará sofrer, mas pelo menos fará com que reconheças em cada verso, em cada linha, em cada palavra, que eu fui um homem apaixonado por ti…


O Mundo pode por infindáveis vezes, nos desencorajar a confessar os nossos sentimentos mais profundos.
Às vezes discussões sem sentido, não deixam um beijo doce acontecer. Mesmo assim decidi, que apesar do mundo de hoje, não dar espaço ao romantismo, iria contra todos os obstáculos que a vida moderna me impõe, e levar-te através desta missiva, o meu coração... ele está contido em cada palavra desta carta, escondido nas entrelinhas.

Sobre os ciclos e recomeços da vida…

Nossa vida é uma eterna construção, mesmo quando erramos, algo está sendo construído. Toda construção requer tempo e mais do que qualquer ou...