quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Teu beijo

Ah! Se tu soubesses o gosto doce do teu beijo. Se tu soubesses o quanto ele é bom e saboroso, e o quanto acalenta o coração e a alma deste homem, talvez entendesses o encanto das coisas do coração e do amor ao primeiro encontro dos lábios de um desconhecido. Eu não queria ser esse homem, mas o destino às vezes cruza os caminhos das pessoas numa tentativa de fazer com que muitas coisas renascessem das cinzas para uma longa e complicada vida cheia de fantasias, de desejos, de sonhos e de sentimento real e profundo.

O encanto do teu beijo fez com que eu acordasse novamente para a vida de forma que jamais imaginei, porque até ao momento dos meus lábios encontrarem os teus lábios pela primeira vez, eu imaginava que nunca mais iria encontrar outro alguém tão especial como tu para amar. A vida me fez sofrer por um amor perdido e ao mesmo tempo, fez com que eu descobrisse que tu és melhor do que aquela que se foi, e que apenas fingiu que me amava quando esteve do meu lado para tentar iludir o meu coração e os meus pensamentos com as suas falsas promessas de lealdade, fidelidade e de amor eterno.

Eu agradeço a “Deus” por tudo que sofri, porque foi por ter sofrido tanto que acabei descobrindo através dos teus beijos que tu podes oferecer o que nenhuma outra mulher ofereceu e que sempre procurei na vida em relação aos sentimentos. Por essa razão eu não quero deixar-te partir para outros braços sem antes ter uma oportunidade de viver para provar-te que sou digno do teu amor e do teu verdadeiro sentimento. Eu confesso que a partir do momento que os meus lábios tocaram nos teus, esqueci totalmente da vida, até os nossos lábios se encontrarem daquela forma tão boa e calorosa. Quando os nossos lábios se encontraram, eu sabia que a tua intenção não foi a de pensar em mim ou nos meus beijos sedentos de desejos, porque não era eu que tu estavas a beijar e não era eu quem estava no teu coração e nos teus pensamentos naquele exato momento de descoberta e emoção.

O que importa agora? O que importa é que nós dois procuramos as mesmas coisas num instante que a nossa mente estava centrada e envolvida; num passado recente de tristeza, melancolia, dor, sofrimento, angustia, arrependimento, solidão e apenas no amor de alguém que se foi e que deixamos partir por achar que não ia valer a pena vivê-lo intensamente. Sinceramente eu não posso dizer o que senti naquela fração de segundos em que os nossos lábios se encontraram e as nossas línguas se entrelaçaram no meio da noite como tantas outras especiais que tivemos, mas tenho a certeza de que na ansiedade de beijar, acabamos descobrindo que ainda somos capazes de superar o passado para voltar a amar outra pessoa novamente.

O que senti foi de grande importância para o meu ser, e para mim não importa se nós ainda vamos ou não viver momentos lindos como este num futuro próximo. O que importa é que pela primeira vez, eu não tive medo de descobrir o segredo e o mistério de uma princesinha, um anjo, através de um simples e espontâneo beijo. É assim que um homem e uma mulher se encontram e se conhecem para uma nova vida a dois. É assim que nasce uma afinidade. É assim que nasce um sentimento. É assim que nasce a cumplicidade, a lealdade, a compreensão e a fidelidade entre duas pessoas do sexo oposto e que nunca tinham tocado uma na outra. É assim que nasce uma união e, é assim que nasce um grande e eterno amor.

Sobre os ciclos e recomeços da vida…

Nossa vida é uma eterna construção, mesmo quando erramos, algo está sendo construído. Toda construção requer tempo e mais do que qualquer ou...